Normas aplicadas a maquinas fundacentro

14.992 visualizações

Publicada em

2 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
14.992
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
815
Comentários
2
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Normas aplicadas a maquinas fundacentro

  1. 1. SEGURANÇA DE MÁQUINAS E NORMASNORMAS DE SEGURANÇA EM MÁQUINAS Roberto do Valle Giuliano
  2. 2. NORMA ORIUNDO DO GREGO GNORIMOS = ESQUADRO. É tomado na linguagem jurídica comoregra, modelo, paradigma, forma ou tudo que se estabeleça em lei para servir de pauta ou padrão na maneira de agir. Nela, pois, está contida a regra a ser obedecida, a forma a ser seguida ou o preceito a ser respeitado.
  3. 3. CF CLT PORTARIA NR & NT da ABNTCONVENÇÃO COLETIVA TRABALHOORDENS DE SERVIÇOS DE EMPRESAS
  4. 4. CONSTITUIÇÃO FEDERALDecreto Lei 5452, de 1 de maio de 1943 aprova aCONSOLIDAÇÕES DAS LEIS DO TRABALHOLei 6.514, de 22 de dezembro de 1977 altera oCapitulo V do Titulo II da CLT relativo aSegurança e Medicina do Trabalho PORTARIA Portaria 3214, de 08 de Junho de 1978 aprova as Normas Regulamentadoras - NRs
  5. 5. OBRIGAÇÕES LEGAIS EXIGIDAS PELA FISCALIZAÇÃO COMENTÁRIO RESUMIDO DAS EXIGÊNCIAS RELATIVAS AS ATIVIDADES DA SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO LEI 6514 / 77 – PORTARIA 3114 / 78 – NORMAS REGULAMENTADORASNR.1 Disposições gerais Aplicação das normas – 0SS NR.15 Insalubridade Atividade / Exposição ambientalNR.2 Inspeção Prévia Licença de funcionamento NR.16 Periculosidade Operação /Exposição ambientalNR.3 Risco Grave e Iminente Embargo ou interdição NR.17 Ergonomia Estudo / Análise / AvaliaçãoNR.4 SESMT Composição / Registro NR.18 Construção Civil Mapeamentos / TreinamentosNR.5 CIPA Instalação / Registro / Curso NR.19 Explosivos Aquisição / Estoque / ManuseioNR.6 EPIS Testes / Controles / Uso NR.20 Inflamáveis/Combustíveis Armazenagem / SinalizaçãoNR.7 PCMSO Saúde Ocupacional NR.21 Trabalho a céu aberto Transporte / MovimentaçãoNR.8 Edificações Manutenção / Conservação NR.22 Trabalhos subterrâneos Limpeza – Manutenção caixasNR.9 PPRA Reconhecimento ambiental NR.23 Proteção contra incêndios Prevenção / Controle / CombateNR.10 Instalações elétricas Atestado de elétrica NR.24 Instalações sanitárias Higiene / Conforto / ControlesNR.11 Meios de transporte Motorizado / manual NR.25 Resíduos Industriais Coleta / Transporte / DestinoNR.12 Máquinas/Equipamentos Instalação / Manutenção NR.26 Sinalização segurança Identificação / DemarcaçãoNR.13 Caldeiras Licença / Testes / Revisões NR.27 Registro Profissional Credencial do SESMTNR.14 Fornos Testes / Manutenção NR.28 Fiscalização / Autuações Prazos – Cálculos – Multas NR.29 Trabalho Portuário Aspectos segurança e saúde
  6. 6. NR - NormasRegulamentadoras§ Possuem força de lei;§ De caráter “fiscalizatório” - utilizadas pelosfiscais do trabalho para autuar empresas;§ Abrangentes. NR 12 – Máquinas e equipamentos
  7. 7. NBR – Normas TécnicasBrasileiras§ Recomendações técnicas;§ Após ocorrido o acidente podem ser utilizadaspor peritos para determinar se uma máquina éinsegura;§ Detalhadas;§ Na área de segurança de máquinas a maioriadas normas são baseadas em normas européias .
  8. 8. Normas Técnicas de Segurança no BrasilNormas Tipo A Normas Tipo B Normas Tipo C Normas Tipo B1 Normas Tipo B2NBR NM 213 – 1-2 Aspectos Gerais de Componentes Utilizados na NBR 13862 Segurança de Segurança Segurança Transportadores Máquinas Contínuos Conceitos Básicos, Requisitos de SegurançaPrincípios gerais para para o projeto. projeto parte 1-2 NBR 14153 – Segurança de NBR 13759 – Equipamentos de (EN 292 1/2/3) máquinas. Parte de sistemas de parada de emergência, aspectos comando relacionadas a funcionais, princípios para NBR 13930 segurança. Prensas Mecânicas EN 60204-1 projetos. Requisitos de Segurança Segurança de Princípios gerais de projeto. (EN 418) Máquinas (EN692) (EN 954-1) Equipamentos NBR NM 273 – Dispositivos de elétricos para NBR 14154 – Segurança de intertravamento associados a NBR 13536 máquinas-Parte 1 máquinas. Prevenção de Partida proteções – Princípios para projeto Máquinas injetoras para Requisitos gerais Inesperada plástico e elastômeros – e seleção. (EN 1037) Requisitos técnicos de (EN 1088) segurança NBR 14009 Princípios para NBR NM-ISO 13854 – Folgas NBR NM 272 – Requisitos Gerais (EN201)apreciação de riscos mínimas para evitar esmagamento para o projeto e construção de (EN 1050) de partes do corpo humano. EN 693 proteções (EN 349) Prensas Hidráulicas (fixas e móveis) Requisitos de Segurança NBR NM-ISO 13852 – Distâncias (EN 953) seguras para impedir acesso a NBR 14152 – Segurança em NBR 13996 zonas de perigo pelos membros máquinas. Dispositivos de Máquinas de moldagem superiores. comando bimanuais. Aspectos por sopro destinadas à (EN 294) funcionais e princípios para produção de artigos ocos NBR NM-ISO 13853 – Distâncias projeto. de termoplásticos – (EN 574) Requisitos técnicos de seguras para impedir acesso a Segurança para projeto e zonas de perigo pelos membros construção. inferiores. ISO 13855 – Velocidades de aproximação de partes do corpo – Distâncias de Segurança. (EN 999)
  9. 9. HIERARQUIA DAS NORMAS NORMAS DO TIPO A NORMAS FUNDAMENTAIS DE SEGURANÇA NORMAS DO TIPO B NORMAS DE SEGURANÇA RELATIVAS A UMA GRUPONORMAS DO TIPO B1 NORMAS DO TIPO B2 SOBRE ASPÉCTOS SOBRE DISPOSITIVOSPARTICULARES DE CONDICIONADORES DE SEGURANÇA SEGURANÇA NORMAS DO TIPO C NORMAS DE SEGURANÇA POR CATEGORIAS DE MÁQUINAS
  10. 10. - Normas tipo A: que definem com rigor conceitos fundamentais,princípios de projetos e aspectos gerais válidos para todos os tiposde máquinas.- Normas tipo B: que tratam de um aspecto ou de um tipo dedispositivo condicionador de segurança, aplicáveis a uma gamaextensa de máquinas, sendo.- Normas tipo B1: sobre aspectos particulares de segurança (porexemplo, distâncias de segurança, temperatura de superfície, ruído).- Normas tipo B2: sobre dispositivos condicionadores de segurança(por exemplo, comandos bimanuais, dispositivos deintertravamento, dispositivos sensíveis à pressão, proteções).- Normas tipo C: que dão prescrição detalhadas de segurançaaplicáveis a uma máquina em particular ou a um grupo demáquinas.
  11. 11. PARTE 1 -“TERMINOLOGIA BÁSICA E METODOLOGIA”n Define a terminologia básica e a metodologia destinada a auxiliar os projetistas e os fabricantes a integrarem a segurança no projeto de máquina.
  12. 12. Definiçõesn 3.4 - segurança de uma máquina: Aptidão de uma máquina, sem causar lesão ou dano a saúde, de desempenhar a sua função, ser transportada, instalada, sujeita a manutenção, desmontada, desativada ou sucateada, nas condições normais de utilização especificadas no manual de instruções.
  13. 13. n 3.5 - perigo: Causa capaz de provocar uma lesão ou um dano para a saúde.n 3.6 - situação perigosa: Situação em que uma pessoa fica exposta a um ou mais perigos.n 3.7 - risco: Combinação da probabilidade e da gravidade de uma possível lesão ou dano para a saúde, que possa acontecer numa situação perigosa.
  14. 14. n 3.22 - proteção: Parte da máquina especificamente utilizada para prover proteção por meio de uma barreira física.n 3.22.1 - proteção fixa: Proteção mantida em sua posição (isto é, fechada):- quer de maneira permanente (soldagem, etc.) - quer por meio de elementos de fixação (parafuso, porcas etc.) que só permite que o protetor seja removido ou aberto com o auxilio de uma ferramenta.
  15. 15. n 3.22.2 - proteção móvel:Proteção que se pode abrir sem utilizar ferramenta e que geralmente é ligado por elementos mecânicos (por exemplo, por meio de dobradiças) à estrutura da máquina ou a um elemento fixo próximo.n 3.22.4 - proteção com intertravamento: Proteção associada a um dispositivo de intertravamento.
  16. 16. PARTE 2 -“PRINCÍPIOS TÉCNICOS E ESPECIFICAÇÕES”n Define princípios técnicos e especificações destinados a transmitir ao projetista e os fabricantes a integrarem a segurança no projeto de máquinas de uso profissional e não profissional.
  17. 17. Medidas de proteçãon 4.1.3 Caso em que há necessidade do acesso de um operador à zona perigosa durante o funcionamento normal, deve se escolher os seguintes meios de proteção:- proteção com intertravamento ou dispositivo de bloqueio- dispositivo sensor- proteção ajustável- proteção de fechamento automático
  18. 18. EN 954-1 / NBR 14153 EN 954-1 B 1 2 3 4S1 P1 F1 P2S2 P1 F2 P2 Freq./tempo de exposiçao ao perigo Gravidade da Lesão S1: Lesão leve (geralmente reversível) Possibilidade de evitar o dano S2: Grave, geralmente irreversível, de uma ou mais pessoas e morteGravidade da Lesão Frequência e/ou tempo na área de perigo F1: De Raramente a Nunca F2: De Frequentemente a Continuamente Possibilidade de se evitar o dano P1: Possível sobre certas condições P2: Praticamente impossível
  19. 19. EN 954-1 / NBR 14153Categoria Resumo Comportamento Princípios dos Requisitos do Sistema O controle deve ser projetado de Uma falha pode levar B forma a suportar as influências/ à perda da função de consequências esperadas segurança Caracteriza-se principalmente pela seleção de Deve-se cumprir os requisitos da Uma falha pode levar á componentes. Cat B;princípios e componentes perda da funçao de segu- 1 de segurança testados devem ser rança mas a probabilidade usados de ocorrência é baixa. Deve-se cumprir os requisitos da Uma falha pode levar à Cat.B; as funções de segurança perda da função de 2 devem ser testadas pelo sist. de segurança, que é detectada controle, com intervalos de tempo na próxima verificação. adequados. A função de segurança Deve-se cumprir os requisitos da permanece ativa quando Caracteriza-se Cat. B. Um falha única não causa a uma falha única ocorre. principalmente 3 perda da função de segurança. Somatória de falhas pode levar à pela estrutura perda da função de segurança. de controle. Deve-se cumprir os requisitos da A função de segurança Cat.B. A falha individual deve ser permanece ativa quando 4 Identificada quando da próxima uma falha única ocorre. atuação da função de segurança. Falhas são detectadas para previnir uma perda da função de segurança.
  20. 20. Outros dispositivos normativos Convenções Coletivas §Acordos que visam a melhoria das condições de trabalho; § Exemplo: P.P.R.P.S. e P.P.R.M.I. § Abrangência: Ind. Metalúrgicas do estado de S.P; § Máquinas PPRPS: Prensas, similares e maq. com cilindros rotativos; § Máquinas PPRMI: Injetoras de plástico e elastômeros § Define medidas necessárias p/ a segurança das maquina; § Estabelece cronograma de implementação das medidas (prazo máx. 04/2007). Notas Técnicas § Notas do MTE; § Podem harmonizar o procedimento de fiscalização das DRTs; § Exemplo: N.T. 37/2004 § Abrangência: Todo o Brasil; § Máquinas: Prensas, similares e maq. com cilindros rotativos; § Define medidas necessárias p/ a segurança das maquinas ;
  21. 21. Fluxograma do acidente de trabalho – Custos diretosAcidente de trabalho Retorno ao trabalho NÃO Despesas Morte ? médicas SIM NÃO Afastamento ? SIM Processo Criminal Pessoa Física Até 15 dias: Empresa 1 ano de estabilidade paga salário. Processo Civil Pessoa Física & Pessoa Jurídica Trabalhador SIM recuperado ? NÃO • Auxílio doença acidentáro Tratamento – 91% do s.b. Após 15 dias: INSS • Auxílio acidente paga Incapacidade parcial – 50% do s.b. • Aposentadoria por invalidez Possível Incapacidade total – 100% do s.b.
  22. 22. Acidentes = prejuízos§ Conseqüências de um acidente: Prejuízos para o acidentado: Prejuízos para a sociedade: - Lesões corporais / possível - INSS incapacidade; - Abalos psicológicos pessoal e familiar. Prejuízos para o empregador: - Parada da produção; - Abalo da moral dos empregados; - Despesas médicas; - Possível processo jurídico; - Pressão de sindicatos.
  23. 23. Contatos Roberto do Valle Giuliano COORDENADOR NACIONAL DO PROGRAMA DE PROTEÇÃO DE MÁQUINAS DA FUNDACENTRO email – giuliano@fundacentro.gov.br Tel: 0xx11 3066-6213 Fax: 0xx11 3066-6243

×