O que todo candidato deveria saber - RioJunior

771 visualizações

Publicada em

Coisas básicas, mas que todo mundo deveria pensar ao se candidatar a sua EJ.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
771
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O que todo candidato deveria saber - RioJunior

  1. 1. Coisas que todo candidato deveria saber Histórias, estratégias, mudanças e resultados
  2. 2. “Esse material foi baseado em uma apresentação de Pedro Nascimento, com conteúdo do artigo 8 passos para a mudança de John Kotter.” “Contamos também com o relatório do Planejamento Estratégico em rede da Brasil Júnior. Versão 4.0. Contemplando o ciclo 2013 - 2015” “O suor de quem passou por aqui para contar nossa história também...”
  3. 3. O que temos pra hoje: O PE em rede de uma maneira simples O papel de vocês na implementação da estratégia O Time executivo como gerenciador de resultados Respeite sua história
  4. 4. Linha do tempo do MEJ Fluminense 21 de Agosto de 1998 - Fundação da RioJunior Inúmeras empresas juniores no estado Necessidade de representatividade e regulamentação 1998
  5. 5. Linha do tempo do MEJ Fluminense 21 de Agosto de 1998 - Fundação da RioJunior Inúmeras empresas juniores no estado Necessidade de representatividade e regulamentação OXI ENEJ – Salvador/BA 1 de Agosto de 2003 Fundação da Brasil Júnior Presidência – Leonardo Cassol Profissionalização do MEJ nacional 1998 2003
  6. 6. Linha do tempo do MEJ Fluminense 21 de Agosto de 1998 - Fundação da RioJunior Inúmeras empresas juniores no estado Necessidade de representatividade e regulamentação OXI ENEJ – Salvador/BA 1 de Agosto de 2003 Fundação da Brasil Júnior Presidência – Leonardo Cassol Profissionalização do MEJ nacional 1998 2003 2004 I COMEJ – Fortaleza / CE Diretoria de Qualidade – Felipe Apollo Candidatura ao ENEJ 2005
  7. 7. O ENEJ Rio... Previsão de Participantes = 1.200 Orçamento inicial previsto = R$ 2,5 milhões Meta de captação de patrocinio = R$ 1 milhão
  8. 8. O ENEJ Rio... Contratos fechados Serviços contratados Reconhecimento governamental Inicio de 24 a 28 de Setembro.
  9. 9. O ENEJ Rio... Contratos fechados Serviços contratados Reconhecimento governamental Inicio de 24 a 28 de Setembro.
  10. 10. O ENEJ Rio... Satisfação garantida Palestras elogiadas Participação ativa Evento inesquecível Pro resto do MEJ: Saldo financeiro negativo Processos judiciais Ameaças pessoais Internamente:
  11. 11. Linha do tempo do MEJ Fluminense Diretores ausentes Empresas Juniores omissas Federação ociosa Afastamento da Brasil Júnior 2006
  12. 12. Linha do tempo do MEJ Fluminense Diretores ausentes Empresas Juniores omissas Federação ociosa Afastamento da Brasil Júnior Discussões e decisões. Empresas Juniores quebram. Eleições para gestão de JUL-DEZ. Nova imagem. Participação na Brasil Júnior 2006 2007
  13. 13. Linha do tempo do MEJ Fluminense Diretores ausentes Empresas Juniores omissas Federação ociosa Afastamento da Brasil Júnior Discussões e decisões. Empresas Juniores quebram. Eleições para gestão de JUL-DEZ. Nova imagem. Participação na Brasil Júnior 2006 2007 2008 Contas e documentos em dia. Limpeza da sede. Regulamentação das empresas federadas. Fechamento de parcerias.
  14. 14. Linha do tempo do MEJ Fluminense Diretoria Completa. MEJ Fluminense unido. Diretoria da Brasil Júnior. EFEJ 2009 2009
  15. 15. Linha do tempo do MEJ Fluminense Diretoria Completa. MEJ Fluminense unido. Diretoria da Brasil Júnior. EFEJ 2009 Processo Seletivo para equipe executiva Equipe executiva completa! Cultura de orgulho de ser do MEJ Fluminense Edital do JEWC 2012 2009 2010
  16. 16. Linha do tempo do MEJ Fluminense Diretoria Completa. MEJ Fluminense unido. Diretoria da Brasil Júnior. EFEJ 2009 Processo Seletivo para equipe executiva Equipe executiva completa! Cultura de orgulho de ser do MEJ Fluminense Edital do JEWC 2012 2009 2010 2011 Fortalecimento da organização como agente do ecossistema empreendedor. Fortalecimento da marca empresa junior no estado.
  17. 17. Linha do tempo do MEJ Fluminense Consolidação do fortalecimento representativo da organização. JEWC em Paraty, abrindo as portas e os olhos da sociedade para o MEJ Fluminense. 20012
  18. 18. Linha do tempo do MEJ Fluminense Consolidação do fortalecimento representativo da organização. JEWC em Paraty, abrindo as portas e os olhos da sociedade para o MEJ Fluminense. Fortalecimento da organização com o Governo e com o Sebrae. EFEJ 13, o primeiro evento MEJ após o maior evento da história do MEJ. 20012 2013
  19. 19. Linha do tempo do MEJ Fluminense Consolidação do fortalecimento representativo da organização. JEWC em Paraty, abrindo as portas e os olhos da sociedade para o MEJ Fluminense. Fortalecimento da organização com o Governo e com o Sebrae. EFEJ 13, o primeiro evento MEJ após o maior evento da história do MEJ. 2012 2013 2014 Em breve novidades...
  20. 20. Diretorias antigas Até o lançamento desse material não conseguimos levantar de 2004 para trás.
  21. 21. Diretorias antigas Gestão 2005/2006 Das eleições até um mês depois do ENEJ, mais ou menos: Presidência: Hugo Dose (Meta Consultoria) Qualidade / Desenvolvimento: Richard (?) Adm-Fin: Edna Ribeiro (Hidros Consultoria) Marketing: Cineme Dantas (Economus) Gestão 2005 até início 2008 Do final de 2005 até início de 2008: Presidência/Adm-Fin: Edna Ribeiro (Hidros Consultoria) Gestão 2004/2005 Presidente: Alexandre Simões Estrela (Meta Consultoria) Diretor de Qualidade e Desenvolvimento: Antonio Adolpho (?) Diretor de Marketing: André Carvalho (?) Diretor Financeiro: Natalia Faria (?) Diretor de Qualidade Brasil Júnior: Filippe Apolo (Opção Consultoria) Presidente do Conselho: Guilherme Guimaraes (CEFET Jr. Consultoria)
  22. 22. Diretorias antigas Gestão 2009/2010 Presidência: Leonardo Gomes (Insight) Presidência do Conselho: Estevão Mano (Fluxo Consultoria) Qualidade: Tiago Cap (Fluxo Consultoria)) Desenvolvimento: Jaqueline (Iniciativa) Adm-Fin: Thiago Cabral (Ayra) Marketing: Paola (Meta Consultoria) Gestão 2008/2009 Presidência: José Luiz Fonseca Pereira (EjCM) Desenvolvimento: Esther Lopes (Insight) Presidência do Conselho: Alexandre Caseira (Fluxo Consultoria) Gestão 2007/2008 Presidente: Alexandre Caseira (Fluxo Consultoria) Diretor de Mkt: Maike Freitas (SEJ) Diretora de Qualidade e Desenvolvimento: Mariana Bacelar (Meta Consultoria)
  23. 23. Diretorias antigas Gestão 2012/2013 Presidência: Mateus Dos Santos (CEFET Jr Consultoria) Presidência do Conselho: Willy Carneiro (Meta Consultoria) Vice-Presidência: Camila Gonçalves Vieira (Meta Consultoria) Desenvolvimento: Leonardo Machado (Fluxo Consultoria) Adm-Fin: Armando de Luca (EJCM) Marketing: Pedro Teixeira (EJCM) Gestão 2011/2012 Presidência: Marcus Barão (MultiConsultoria) Presidência do Conselho: Yaro Carvalho (CEFET Jr Consultoria) Vice-Presidência: Jéssica Galdino (MultiConsultoria) Desenvolvimento: Bruna Camara (Gama Jr) Adm-Fin: Lívia Barbosa (Ayra Consultoria) Marketing: Guilherme Fabiano Alves (EJCM)
  24. 24. Diretorias mais recentes Gestão 2014/2015 Presidência: Hector Muniz(CEFET Jr Consultoria) Presidência do Conselho: Paulo Valário (MultiConsultoria) Vice-Presidência: Arthur Napoleão (Iniciativa Junior) Desenvolvimento: Anna Carolina(InsightConsultoria) Adm-Fin: Leonardo Borba(EJCM) Marketing: Caroline Domingues (CEFET Jr Consultoria) Gestão 2013/2014 Presidência: Pedro Nascimento (Fluxo Consultoria) Presidência do Conselho: João Manoel (Meta Consultoria) Vice-Presidência: Daniel Faleiro (Ayra Consultoria) Desenvolvimento: Ubirajara Ribeiro (Meta Consultoria) Adm-Fin: Mariana Serafini (CEFET Jr Consultoria) Marketing: Éllida Mello (CEFET Jr Consultoria)
  25. 25. Diretorias antigas Até o lançamento desse material não conseguimos levantar de 2004 para trás.
  26. 26. O que temos pra hoje: O PE em rede de uma maneira simples O papel de vocês na implementação da estratégia O Time executivo como gerenciador de resultados Respeite sua história
  27. 27. Planejamento estratégico da rede Qual o principal produto do Movimento Empresa Júnior?
  28. 28. Planejamento estratégico da rede R: O empreendedor comprometido e capaz de transformar o país.
  29. 29. Planejamento estratégico da rede O empreendedor comprometido e capaz de transformar o país. UNIVERSITÁRIO ? EMPREENDEDOR O desafio é garantir que toda EJ consiga ser e oferecer de fato a vivência empresarial, em sua totalidade, para seus empresários juniores.
  30. 30. Planejamento estratégico da rede O conceito utilizado de “empreendedor” é: “indivíduo que, por meio de aprofundada competência em gestão e elevado senso de responsabilidade, é capaz de gerar resultados de grande impacto e abrangência na Sociedade”.
  31. 31. Planejamento estratégico da rede Uma vez capacitado, o empresário júnior ganha a oportunidade de aplicar o aprendizado na prática, proporcionando o contato direto com processos gerenciais e como mercado. A experiência em gestão cria a oportunidade do empresário liderar, gerir e cobrar. Gestão se aprende fazendo, errando muito, mas sempre buscando acertar. Gestão
  32. 32. Planejamento estratégico da rede Enquanto Diretor você deve: Gestão •Ter uma gama de treinamentos que apoiem a gestão da empresa; •Permitir que os empresários juniores de sua EJ pratiquem isso; •Dar oportunidade de liderança para todos aqueles que tiverem perfil.
  33. 33. Planejamento estratégico da rede A execução visa à geração de valor para o cliente e completa o desenvolvimento de competências técnicas. As competências gerenciais fomentadas no aprendizado por gestão são extremamente importantes para uma boa experiência em projetos, porém é nesse ambiente de mercado que o empresário se desenvolve como profissional e empreendedor, com competências técnicas de sua área a fim. Projetos
  34. 34. Planejamento estratégico da rede Projetos Enquanto Diretor você deve: •Capacitar a EJ para prestar os principais serviços da sua área de atuação; •Correr atrás de projetos para que todos os membros possam ter ao menos uma vez o contato com clientes; •Entender e passar pros membros, que ao fazer um projeto você está lidando com o sonho de um empreendedor que está investindo na sua educação.
  35. 35. Planejamento estratégico da rede O Comportamento das pessoas, definidos por valores, crenças e atitudes existentes em uma comunidade específica, na qual os atores envolvidos nessa cultura se desenvolvem e geram impacto por meio das ações que desempenham, promovendo transformações positivas e sustentáveis. Cultura
  36. 36. Planejamento estratégico da rede Cultura Enquanto Diretor você deve: •Fazer com o que a EJ se conecte o máximo possível com a rede. Que os empresários juniores possam conectar as suas expertises com as de outros empresários juniores em prol de um único propósito: Tornar o Brasil mais empreendedor. •Entender que: “NENHUM DE NÓS É TÃO FORTE QUANTO TODOS NÓS JUNTOS!”. Ninguém faz nada sozinho e entendendo isso à fundo podemos compreender nosso potencial. •Internalizar o propósito é motivar a sua EJ a sair da sua zona de conforto e entender que muito mais que um currículo o MEJ é uma ferramenta de impacto social e que faz diferença não só na sua vida, mas na de muita gente.
  37. 37. Planejamento estratégico da rede Resumindo as responsabilidades... EJs RioJunior / Instâncias •Promover uma GESTÃO que possibilite intensivo aprendizado por gestão. •Promover mais e melhor oportunidades de aprendizado por PROJETOS. •Promover a internalização da CULTURA EMPREENDEDORA por seus membros. •Representar o movimento de forma que traga novas oportunidades de crescimento e aprendizado. •Alavancar o Resultado das EJs de modo a promover um maior aprendizado. •Integrar e Alinhar possibilitando troca de experiências e colaboração entre os empresários juniores. •Expandir de maneira sustentável de maneira que mais pessoas possam ter passar pela vivência empresarial. •Regulamentar garantindo a sustentabilidade das EJs e sua capacidade de formar pessoas.
  38. 38. Planejamento estratégico da rede Resumindo as responsabilidades... EJs RioJunior / Instâncias FORMAR MAIS E MELHORES EMPREENDEDORES!!! PROMOVER O AMBIENTE PROPÍCIO PARA O DESENVOLVIMENTO DAS EJs A PARTIR DOS 5 PILARES!!! VISÃO MISSÃO Em 2015, seremos o principal movimento de empreendedorismo universitário do país e construiremos resultados de maneira integrada para potencializar a formação empreendedora e o desenvolvimento do Brasil. Formar, por meio da vivência empresarial, empreendedores comprometidos e capazes de transformar o Brasil. BRASIL EMPREENDEDOR PROPÓSITO
  39. 39. Planejamento estratégico da rede MAPA ESTRATÉGICO VISÃO MISSÃO Em 2015, seremos o principal movimento de empreendedorismo universitário do país e construiremos resultados de maneira integrada para potencializar a formação empreendedora e o desenvolvimento do Brasil. Formar, por meio da vivência empresarial, empreendedores comprometidos e capazes de transformar o Brasil. expansão Aumentar o impacto através de uma expansão inclusiva e sustentável
  40. 40. Planejamento estratégico da rede MAPA ESTRATÉGICO VISÃO MISSÃO Em 2015, seremos o principal movimento de empreendedorismo universitário do país e construiremos resultados de maneira integrada para potencializar a formação empreendedora e o desenvolvimento do Brasil. Formar, por meio da vivência empresarial, empreendedores comprometidos e capazes de transformar o Brasil. expansão Aumentar o impacto através de uma expansão inclusiva e sustentável regulamentação Regulamentar o conceito Empresa Júnior
  41. 41. Planejamento estratégico da rede MAPA ESTRATÉGICO VISÃO MISSÃO Em 2015, seremos o principal movimento de empreendedorismo universitário do país e construiremos resultados de maneira integrada para potencializar a formação empreendedora e o desenvolvimento do Brasil. Formar, por meio da vivência empresarial, empreendedores comprometidos e capazes de transformar o Brasil. expansão Aumentar o impacto através de uma expansão inclusiva e sustentável regulamentação Regulamentar o conceito Empresa Júnior Integração e alinhamento Fortalecer o trabalho em rede e engajar seus agentes com o propósito do MEJ
  42. 42. Planejamento estratégico da rede MAPA ESTRATÉGICO VISÃO MISSÃO Em 2015, seremos o principal movimento de empreendedorismo universitário do país e construiremos resultados de maneira integrada para potencializar a formação empreendedora e o desenvolvimento do Brasil. Formar, por meio da vivência empresarial, empreendedores comprometidos e capazes de transformar o Brasil. expansão Aumentar o impacto através de uma expansão inclusiva e sustentável regulamentação Regulamentar o conceito Empresa Júnior Integração e alinhamento Fortalecer o trabalho em rede e engajar seus agentes com o propósito do MEJ suporte Alavancar os resultados dos atores da rede
  43. 43. Planejamento estratégico da rede MAPA ESTRATÉGICO VISÃO MISSÃO Em 2015, seremos o principal movimento de empreendedorismo universitário do país e construiremos resultados de maneira integrada para potencializar a formação empreendedora e o desenvolvimento do Brasil. Formar, por meio da vivência empresarial, empreendedores comprometidos e capazes de transformar o Brasil. expansão Aumentar o impacto através de uma expansão inclusiva e sustentável regulamentação Regulamentar o conceito Empresa Júnior Integração e alinhamento Fortalecer o trabalho em rede e engajar seus agentes com o propósito do MEJ suporte Alavancar os resultados dos atores da rede representatividade Fortalecer a marca empresa júnior como opção acessível e de qualidade para o mercado
  44. 44. Planejamento estratégico da rede MAPA ESTRATÉGICO VISÃO MISSÃO Em 2015, seremos o principal movimento de empreendedorismo universitário do país e construiremos resultados de maneira integrada para potencializar a formação empreendedora e o desenvolvimento do Brasil. Formar, por meio da vivência empresarial, empreendedores comprometidos e capazes de transformar o Brasil. expansão Aumentar o impacto através de uma expansão inclusiva e sustentável regulamentação Regulamentar o conceito Empresa Júnior Integração e alinhamento Fortalecer o trabalho em rede e engajar seus agentes com o propósito do MEJ suporte Alavancar os resultados dos atores da rede representatividade Posicionar o MEJ como agente de formação empreendedora representatividade Fortalecer a marca empresa júnior como opção acessível e de qualidade para o mercado
  45. 45. Planejamento estratégico da rede MAPA ESTRATÉGICO VISÃO MISSÃO Em 2015, seremos o principal movimento de empreendedorismo universitário do país e construiremos resultados de maneira integrada para potencializar a formação empreendedora e o desenvolvimento do Brasil. Formar, por meio da vivência empresarial, empreendedores comprometidos e capazes de transformar o Brasil. aprender por gestão buscar excelência em gestão
  46. 46. Planejamento estratégico da rede MAPA ESTRATÉGICO VISÃO MISSÃO Em 2015, seremos o principal movimento de empreendedorismo universitário do país e construiremos resultados de maneira integrada para potencializar a formação empreendedora e o desenvolvimento do Brasil. Formar, por meio da vivência empresarial, empreendedores comprometidos e capazes de transformar o Brasil. aprender por gestão buscar excelência em gestão aprender por projetos Realizar MAIS projetos e serviços Realizar MELHORES projetos e serviços
  47. 47. Planejamento estratégico da rede MAPA ESTRATÉGICO VISÃO MISSÃO Em 2015, seremos o principal movimento de empreendedorismo universitário do país e construiremos resultados de maneira integrada para potencializar a formação empreendedora e o desenvolvimento do Brasil. Formar, por meio da vivência empresarial, empreendedores comprometidos e capazes de transformar o Brasil. aprender por gestão buscar excelência em gestão aprender por projetos Realizar MAIS projetos e serviços Realizar MELHORES projetos e serviços cultura empreendedora Estimular a atitude empreendedora
  48. 48. Planejamento estratégico da rede MAPA ESTRATÉGICO VISÃO MISSÃO Em 2015, seremos o principal movimento de empreendedorismo universitário do país e construiremos resultados de maneira integrada para potencializar a formação empreendedora e o desenvolvimento do Brasil. Formar, por meio da vivência empresarial, empreendedores comprometidos e capazes de transformar o Brasil. aprender por gestão buscar excelência em gestão aprender por projetos Realizar MAIS projetos e serviços Realizar MELHORES projetos e serviços cultura empreendedora Estimular a atitude empreendedora expansão Aumentar o impacto através de uma expansão inclusiva e sustentável regulamentação Regulamentar o conceito Empresa Júnior Integração e alinhamento Fortalecer o trabalho em rede e engajar seus agentes com o propósito do MEJ suporte Alavancar os resultados dos atores da rede representatividade Posicionar o MEJ como agente de formação empreendedora representatividade Fortalecer a marca empresa júnior como opção acessível e de qualidade para o mercado
  49. 49. O que temos pra hoje: O PE em rede de uma maneira simples O papel de vocês na implementação da estratégia O Time executivo como gerenciador de resultados Respeite sua história
  50. 50. Para que uma estratégia seja bem sucedida, é primordial que os líderes estejam preparados para promover e garantir sua implementação.
  51. 51. O que temos pra hoje:
  52. 52. Conheça seu negócio Internamente No que a minha EJ manda bem? No que a minha EJ manda mal? Externamente O que estamos fazendo certo nesse negócio? O que estamos fazendo errado nesse negócio?
  53. 53. Conheça sua equipe O que as pessoas gostam na minha EJ? O que as pessoas não gostam na minha EJ?
  54. 54. Definir Metas e prioridades Definir foco da Gestão!
  55. 55. Definir Metas e prioridades PECIFIC ESURABLE CHIEVABLE EALISTC IMEBOUND S M A R T
  56. 56. Ser realista Não usar lentes para filtrar a realidade! Sugestões: Comparar resultados de questionários de satisfação de clientes com a opinião pessoal de Membros Cobrar resultados tangíveis, não apenas esforço Perguntar opiniões pessoais sobre a empresa Analisar resultados em comparação com outras empresas
  57. 57. Controlar indicadores de desempenho; Buscar causas de erros; Entender e potencializar acertos. Acompanhar
  58. 58. Reconhecer na frente de todos comportamentos alinhados aos objetivos; Aproveitar oportunidades para fortalecer valores; Tratar os realizadores de maneira mais positiva. Recompensar os realizadores
  59. 59. Autonomia Propósito Domínio Expandir a capacidade das pessoas
  60. 60. “Liderar requer força de caráter. Sem firmeza emocional, você não enxerga outros pontos de vista, não aceita desafios, não media conflitos e não reconhece suas próprias fraquezas. Logo, sem firmeza emocional, você não pode executar.” Existem quatro qualidades essenciais que compõem a firmeza emocional: Autenticidade Autoconsciência Autodomínio Humildade Conhecer a si mesmo
  61. 61. O que temos pra hoje: O PE em rede de uma maneira simples O papel de vocês na implementação da estratégia O Time executivo como gerenciador de resultados Respeite sua história
  62. 62. 8 passos para gerenciar os resultados Apresentar resultados insatisfatórios e comparações com outras empresas. Identificar ou discutir crises, crises em potencial e grandes oportunidades. 1 – Senso de Urgência
  63. 63. Promover o alinhamento e autoconhecimento da equipe Definir o “sonho” deles como grupo Identificar possibilidades de atuação e sinergia Definir “princípios” que serão prezados durante a gestão 8 passos para gerenciar os resultados 2 – Crie um time forte
  64. 64. 8 passos para gerenciar os resultados 3 – Criar uma visão compartilhada A visão deve ser inspiradora, motivadora e desafiadora! Mais que uma visão, ela deve ser um mantra!
  65. 65. Utilizar todos os veículos possíveis para comunicar a visão. Ensinar novos comportamentos por meio do Time de resultados 8 passos para gerenciar os resultados 4 – Comunicar a visão
  66. 66. 8 passos para gerenciar os resultados 5 – Emponderar a ação sobre a visão Eliminar obstáculos à mudança; Mudar sistemas ou estruturas que atrapalham a visão; Incentivar pessoas a inovar, assumir riscos, apresentar ideias não tradicionais; Promover o diálogo aberto sobre as falhas da empresa.
  67. 67. Para que a mudança seja percebida, deve-se planejar e implementar aperfeiçoamentos de desempenho atingíveis e tangíveis!. Cada vitória aumenta o “momento linear”, abrindo o caminho para a próxima vitória. 8 passos para gerenciar os resultados 6 – Planejar e criar vitórias a curto prazo
  68. 68. 8 passos para gerenciar os resultados 6 – Planejar e criar vitórias a curto prazo Exemplo: Faturamento Atual Dezembro Lacuna grande, difícil de ser preenchida I
  69. 69. 8 passos para gerenciar os resultados 6 – Planejar e criar vitórias a curto prazo I Exemplo: Faturamento Atual Dezembro Setembro Outubro Novembro Lacuna preenchida ao longo do tempo
  70. 70. Com cada vitória, analisar o que levou a vitória, nas derrotas, entender o porque da derrota. 8 passos para gerenciar os resultados 7 – Consolidar resultados e gerar mais
  71. 71. Lógica da melhoria: Melhoria operacional: atualização de padrões Melhoria Estratégica: novos processos e padrões 8 passos para gerenciar os resultados 7 – Consolidar resultados e gerar mais
  72. 72. 8 passos para gerenciar os resultados 8 – Institucionalizar a cultura de resultados Faça as pessoas se orgulharem dos resultados, e comemore! Faça com que criem “mitos” ao redor dos melhores profissionais Mostre como a nova visão e os novos valores transformaram a empresa E o mais importante... Preparar os próximos!!
  73. 73. Coisas que todo candidato deveria saber presidencia@riojunior.com.br (21) 9-8091-9795 hector.munizz Presidente Hector Muniz

×