SlideShare uma empresa Scribd logo
ECONOMIA E DESENVOLVIMENTOECONOMIA E DESENVOLVIMENTO
REGIONALREGIONAL
INSTITUTO MAGALHÃES PARA O
DESENVOLVIMENTO DO NORDESTE
COMÉRCIO INTERREGIONAL
Pontos importantes:
1. Por que uma região se especializa na
produção e exportação de um determinado
grupo de mercadorias representa uma
importante questão a ser respondida pela
Ciência Regional.
2. O Comércio entre regiões de um mesmo
país difere do comercio internacional por que
a região comercializa com outras regiões
dentro do próprio país, enquanto a nação
comercializa com o resto do mundo.
3. O comercio inter-regional é mais livre que o
comércio internacional.
4. Variáveis importantes: variáveis institucionais e
monetárias são idênticas- mesmo sistema
regulatório, mesma moeda. Conclusão: as barreiras
quase que não existem.
SÍNTESE:
1. Entender porque algumas regiões são mais bem
sucedidas no comércio interregional que outras
regiões e porque determinadas regiões apresentam
elevado grau de especialização é vital na C. Regional
A BASE TEÓRICA DA ESPECIALIZAÇÃO DO COMÉRCIO
INTERREGIONAL
1. A TEORIA RICARDIANA DO COMÉRCIO
Suponha duas regiões A e B.
Mercadoria Numero de Trabalhadores necessários por dia
para produzir uma unidade de cada mercadoria
Região A Região B
Tecidos 2 5
Aço 20 125
a) Região A apresenta vantagens absolutas nas duas
mercadorias
b) Desde que se prove que uma região apresenta vantagem
relativa em uma das mercadorias, então o comercio entre as
mesmas será realizado.
A BASE TEÓRICA DA ESPECIALIZAÇÃO DO COMÉRCIO
INTERREGIONAL
1. A TEORIA RICARDIANA DO COMÉRCIO
Quem é mais eficiente?
1. Para responder essa questão observa-se o custo de
oportunidade de se produzir tecidos e aço.
2. A região A para produzir uma unidade a mais de aço,
terá que transferir 20 trabalhadores da produção
de tecido para aço, perdendo então 10 unidades de
tecidos ( 20 | 2 = 10). O custo de oportunidade de
uma unidade de aço na região A e 10 unidades de
tecidos
3. Na região B 125 trabalhadores de tecidos
serão transferidos para produzir uma unidade
a mais de aço, o que representa 25 unidades
de tecido perdidas ( 125 | 5 = 25).
CONCLUSÃo - A Região A é mais eficiente na
produção de aço e a B em tecidos. A Teoria da
Vantagem comparativa de Ricardo explica a
existência do comércio entre regiões.
COMÉRCIO INTERREGIONAL
TEORIA DAS PROPORÇÕES DOS FATORES de
heckscher-ohlin
1. Apresenta uma representação mais realística do
problema das trocas inter-regionais.
2. O modelo ricardiano para explicar a especialização
regional é muito pobre pois só leva em consideração a
quantidade de trabalho.
3. O modelo H/O é mais realista e apresenta uma
explanação mais sofisticada para as causas da
vantagem comparativa regional.
O MODELO:
1) Suponha dois fatores de produção: capital e
trabalho
2) Suponha duas regiões: Norte e Sul.
3) Suponha duas mercadorias: aço e tecidos.
CONCLUSÃO:
1) Segundo o modelo a principal causa das
vantagens comparativas está associada a
disponibilidade de fatores.
COMÉRCIO INTERREGIONAL
TEORIA DAS PROPORÇÕES DOS FATORES de
heckscher-ohlin
1) A região que possui uma quantidade grande de
trabalho, se especializará nas mercadorias que
requerem grandes quantidades de trabalho
(relativo ao capital) na sua produção.
2) Dada as condições iniciais, antes do comércio, as
duas regiões produzirão aço e tecidos. Aço é
capital intensivo e tecidos intensivo em trabalho.
3) Com o comércio entre as duas regiões:
O Teorema de H/O estabelece que a região SUL ( A )
se especializará na produção e exportação de AÇO e a
região Norte ( B) se especializará na produção e
exportaçào de tecidos, intensiva em trabalho.
ELEMENTOS BÁSICOS PARA ENTENDER O PROBLEMA:
1) Na região A o preço do trabalho > preço do capital
( trabalho escasso)
Assim a região apresenta um incentivo a utilizar um
método de produção que apresente uma baixa relação
Trabalho/ Capital
TEORIA DAS PROPORÇÕES DOS FATORES de heckscher-
ohlin
Hipóteses básicas do Teorema:
1) Existem somente dois fatores de produção-capital e
trabalho
2) Fatores de produção são qualitativamente idênticos nas 2
regiões
3) Disponibilidade de capital e trabalho em cada região é fixo.
4) Funções de produção são idênticas em todas as regiões.
5) Funções de produção exibem retornos constantes de
escala
6) Concorrência perfeita no mercado de bens e fatores de
produção
7) Não existem barreiras ao comércio -
ausência de tarifas e custos de transporte.
8) Produção de aço e capital -intensiva e
produção de tecidos e trabalho-intensivo em
todo o possível conjunto de preços fatoriais.
9) Gostos são idênticos em todas as regiões.
COMÉRCIO INTERREGIONAL
TEORIA DAS PROPORÇÕES DOS FATORES de
heckscher-ohlin
1. Principais restrições ao modelo:
a) As hipóteses de CONCORRÊNCIA PERFEITA;
Retornos constantes a escala; oferta fixa de
capital e trabalho; dois fatores de produção.
O relaxamento e dessas suposições não é sempre fatal
para o modelo.Todavia, a não realidade das
suposições representa uma grande fraqueza do
modelo.
FORMAS DE TESTAR O MODELO
a) Usa a abordagem do CONTEÚDO DOS FATORES - Foi
realizada pioneiramente por Leontief. Primeiro mede-se a
quantidade de capital e trabalho requerida para produzir
as exportações da região. Depois compara-se com a
quantidade de trabalho e capital utilizada pelos
produtores locais nas mercadorias importadas e
substituídas pela produção local. Caso o Teorema de H/O
esteja correto, então a região exportadora que possui
abundante trabalho utilizará mais trabalho e menos
capital requerida pelas mercadorias que foram
substituídas pelas importações.
B) Usa a abordagem da VERSÃO MERCADORIA - A checagem
é feita diretamente através de um banco de dados se a
região de fato é especializada na produção e exportação
de mercadorias que usam intensivamente o fator
abundante.

Mais conteúdo relacionado

Mais de Márcio Melânia

O Especialista da Toalha - Curso de Liderança Cristã
O Especialista da Toalha - Curso de Liderança CristãO Especialista da Toalha - Curso de Liderança Cristã
O Especialista da Toalha - Curso de Liderança Cristã
Márcio Melânia
 

Mais de Márcio Melânia (20)

Economia e Desenvolvimento Regional - Elaboração do painel
Economia e Desenvolvimento Regional - Elaboração do painelEconomia e Desenvolvimento Regional - Elaboração do painel
Economia e Desenvolvimento Regional - Elaboração do painel
 
Desenvolvimento Regional - 11a aula
Desenvolvimento Regional - 11a aulaDesenvolvimento Regional - 11a aula
Desenvolvimento Regional - 11a aula
 
Desenvolvimento Regional - 10a aula
Desenvolvimento Regional - 10a aulaDesenvolvimento Regional - 10a aula
Desenvolvimento Regional - 10a aula
 
Desenvolvimento Regional - 9a aula
Desenvolvimento Regional - 9a aulaDesenvolvimento Regional - 9a aula
Desenvolvimento Regional - 9a aula
 
Desenvolvimento Regional - 8a aula
Desenvolvimento Regional - 8a aulaDesenvolvimento Regional - 8a aula
Desenvolvimento Regional - 8a aula
 
Desenvolvimento Regional - 7a aula
Desenvolvimento Regional - 7a aulaDesenvolvimento Regional - 7a aula
Desenvolvimento Regional - 7a aula
 
Desenvolvimento Regional - 6a aula
Desenvolvimento Regional - 6a aulaDesenvolvimento Regional - 6a aula
Desenvolvimento Regional - 6a aula
 
Desenvolvimento Regional - 4a aula
Desenvolvimento Regional - 4a aulaDesenvolvimento Regional - 4a aula
Desenvolvimento Regional - 4a aula
 
Desenvolvimento Regional - 3a aula
Desenvolvimento Regional - 3a aulaDesenvolvimento Regional - 3a aula
Desenvolvimento Regional - 3a aula
 
Desenvolvimento Regional - 2a aula
Desenvolvimento Regional - 2a aulaDesenvolvimento Regional - 2a aula
Desenvolvimento Regional - 2a aula
 
Desenvolvimento Regional - 1a aula
Desenvolvimento Regional - 1a aulaDesenvolvimento Regional - 1a aula
Desenvolvimento Regional - 1a aula
 
Sinais da Segunda Vinda de Jesus
Sinais da Segunda Vinda de JesusSinais da Segunda Vinda de Jesus
Sinais da Segunda Vinda de Jesus
 
13 atitudes para uma liderança de sucesso
13 atitudes para uma liderança de sucesso13 atitudes para uma liderança de sucesso
13 atitudes para uma liderança de sucesso
 
10 dicas para sua apresentação
10 dicas para sua apresentação10 dicas para sua apresentação
10 dicas para sua apresentação
 
10 dicas para sua apresentação v2
10 dicas para sua apresentação v210 dicas para sua apresentação v2
10 dicas para sua apresentação v2
 
O Especialista da Toalha - Curso de Liderança Cristã
O Especialista da Toalha - Curso de Liderança CristãO Especialista da Toalha - Curso de Liderança Cristã
O Especialista da Toalha - Curso de Liderança Cristã
 
Regionalização para o Planejamento do Estado de Alagoas
Regionalização para o Planejamento do Estado de AlagoasRegionalização para o Planejamento do Estado de Alagoas
Regionalização para o Planejamento do Estado de Alagoas
 
Curso de capacitação e atualização para professores da EBD
Curso de capacitação e atualização para professores da EBDCurso de capacitação e atualização para professores da EBD
Curso de capacitação e atualização para professores da EBD
 
O papel da igreja na educação das crianças
O papel da igreja na educação das criançasO papel da igreja na educação das crianças
O papel da igreja na educação das crianças
 
Como elaborar um culto infantil
Como elaborar um culto infantilComo elaborar um culto infantil
Como elaborar um culto infantil
 

Desenvolvimento Regional - 5a aula

  • 1. ECONOMIA E DESENVOLVIMENTOECONOMIA E DESENVOLVIMENTO REGIONALREGIONAL INSTITUTO MAGALHÃES PARA O DESENVOLVIMENTO DO NORDESTE
  • 2. COMÉRCIO INTERREGIONAL Pontos importantes: 1. Por que uma região se especializa na produção e exportação de um determinado grupo de mercadorias representa uma importante questão a ser respondida pela Ciência Regional. 2. O Comércio entre regiões de um mesmo país difere do comercio internacional por que a região comercializa com outras regiões dentro do próprio país, enquanto a nação comercializa com o resto do mundo.
  • 3. 3. O comercio inter-regional é mais livre que o comércio internacional. 4. Variáveis importantes: variáveis institucionais e monetárias são idênticas- mesmo sistema regulatório, mesma moeda. Conclusão: as barreiras quase que não existem. SÍNTESE: 1. Entender porque algumas regiões são mais bem sucedidas no comércio interregional que outras regiões e porque determinadas regiões apresentam elevado grau de especialização é vital na C. Regional
  • 4. A BASE TEÓRICA DA ESPECIALIZAÇÃO DO COMÉRCIO INTERREGIONAL 1. A TEORIA RICARDIANA DO COMÉRCIO Suponha duas regiões A e B. Mercadoria Numero de Trabalhadores necessários por dia para produzir uma unidade de cada mercadoria Região A Região B Tecidos 2 5 Aço 20 125 a) Região A apresenta vantagens absolutas nas duas mercadorias b) Desde que se prove que uma região apresenta vantagem relativa em uma das mercadorias, então o comercio entre as mesmas será realizado.
  • 5. A BASE TEÓRICA DA ESPECIALIZAÇÃO DO COMÉRCIO INTERREGIONAL 1. A TEORIA RICARDIANA DO COMÉRCIO Quem é mais eficiente? 1. Para responder essa questão observa-se o custo de oportunidade de se produzir tecidos e aço. 2. A região A para produzir uma unidade a mais de aço, terá que transferir 20 trabalhadores da produção de tecido para aço, perdendo então 10 unidades de tecidos ( 20 | 2 = 10). O custo de oportunidade de uma unidade de aço na região A e 10 unidades de tecidos
  • 6. 3. Na região B 125 trabalhadores de tecidos serão transferidos para produzir uma unidade a mais de aço, o que representa 25 unidades de tecido perdidas ( 125 | 5 = 25). CONCLUSÃo - A Região A é mais eficiente na produção de aço e a B em tecidos. A Teoria da Vantagem comparativa de Ricardo explica a existência do comércio entre regiões.
  • 7. COMÉRCIO INTERREGIONAL TEORIA DAS PROPORÇÕES DOS FATORES de heckscher-ohlin 1. Apresenta uma representação mais realística do problema das trocas inter-regionais. 2. O modelo ricardiano para explicar a especialização regional é muito pobre pois só leva em consideração a quantidade de trabalho. 3. O modelo H/O é mais realista e apresenta uma explanação mais sofisticada para as causas da vantagem comparativa regional.
  • 8. O MODELO: 1) Suponha dois fatores de produção: capital e trabalho 2) Suponha duas regiões: Norte e Sul. 3) Suponha duas mercadorias: aço e tecidos. CONCLUSÃO: 1) Segundo o modelo a principal causa das vantagens comparativas está associada a disponibilidade de fatores.
  • 9. COMÉRCIO INTERREGIONAL TEORIA DAS PROPORÇÕES DOS FATORES de heckscher-ohlin 1) A região que possui uma quantidade grande de trabalho, se especializará nas mercadorias que requerem grandes quantidades de trabalho (relativo ao capital) na sua produção. 2) Dada as condições iniciais, antes do comércio, as duas regiões produzirão aço e tecidos. Aço é capital intensivo e tecidos intensivo em trabalho.
  • 10. 3) Com o comércio entre as duas regiões: O Teorema de H/O estabelece que a região SUL ( A ) se especializará na produção e exportação de AÇO e a região Norte ( B) se especializará na produção e exportaçào de tecidos, intensiva em trabalho. ELEMENTOS BÁSICOS PARA ENTENDER O PROBLEMA: 1) Na região A o preço do trabalho > preço do capital ( trabalho escasso) Assim a região apresenta um incentivo a utilizar um método de produção que apresente uma baixa relação Trabalho/ Capital
  • 11. TEORIA DAS PROPORÇÕES DOS FATORES de heckscher- ohlin Hipóteses básicas do Teorema: 1) Existem somente dois fatores de produção-capital e trabalho 2) Fatores de produção são qualitativamente idênticos nas 2 regiões 3) Disponibilidade de capital e trabalho em cada região é fixo. 4) Funções de produção são idênticas em todas as regiões. 5) Funções de produção exibem retornos constantes de escala 6) Concorrência perfeita no mercado de bens e fatores de produção
  • 12. 7) Não existem barreiras ao comércio - ausência de tarifas e custos de transporte. 8) Produção de aço e capital -intensiva e produção de tecidos e trabalho-intensivo em todo o possível conjunto de preços fatoriais. 9) Gostos são idênticos em todas as regiões.
  • 13. COMÉRCIO INTERREGIONAL TEORIA DAS PROPORÇÕES DOS FATORES de heckscher-ohlin 1. Principais restrições ao modelo: a) As hipóteses de CONCORRÊNCIA PERFEITA; Retornos constantes a escala; oferta fixa de capital e trabalho; dois fatores de produção. O relaxamento e dessas suposições não é sempre fatal para o modelo.Todavia, a não realidade das suposições representa uma grande fraqueza do modelo.
  • 14. FORMAS DE TESTAR O MODELO a) Usa a abordagem do CONTEÚDO DOS FATORES - Foi realizada pioneiramente por Leontief. Primeiro mede-se a quantidade de capital e trabalho requerida para produzir as exportações da região. Depois compara-se com a quantidade de trabalho e capital utilizada pelos produtores locais nas mercadorias importadas e substituídas pela produção local. Caso o Teorema de H/O esteja correto, então a região exportadora que possui abundante trabalho utilizará mais trabalho e menos capital requerida pelas mercadorias que foram substituídas pelas importações. B) Usa a abordagem da VERSÃO MERCADORIA - A checagem é feita diretamente através de um banco de dados se a região de fato é especializada na produção e exportação de mercadorias que usam intensivamente o fator abundante.