Kit para instalação

985 visualizações

Publicada em

Kit para instalação interna de gasoduto (trabalho apresentado no curso de inovação da Pós Graduação em Negócios de Petróleo, Gás e Biocombustíveis - FIA-SP).

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
985
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Kit para instalação

  1. 1. KIT PARA INSTALAÇÃODE REDE INTERNA DE GÁS NATURAL Solução para melhoria do desempenho energético
  2. 2. Kit de instalação interna para gás naturalIntroduçãoA matriz energética brasileira, baseada principalmente na hidreletricidade, sempre deu-nos aidéia de energia renovável e inesgotável. O “apagão” de 2001 terminou com esta idéia erra-da e expôs os limites, não só de nossa matriz energética, bem como de nossa capacidadede desenvolvimento.Há outro ponto importante que é o consumo residencial de eletricidade para geração de ca-lor. Veja o paradoxo: se a eletricidade for gerada numa usina termelétrica, partimos da ener-gia térmica, geramos eletricidade (uma energia nobre), que vai até as casas para gerar calorna forma de aquecimento da água nos chuveiros para o banho. Existe grande ineficiênciaenergética neste sistema.Outra situação tem a ver com o uso do GLP (gás de botijão) para a produção de comida noslares. Mesmo nos locais onde há rede de distribuição de gás natural, muitos cidadãos optampor esta forma de energia com fortes subsídios por parte do governo. Sabemos que o paísdepende muitas vezes de importação desse insumo, que é comprado a preços internacio-nais e vendido a preços com subsídios.A questão central é: por que as residências de municípios como São Paulo não têm seuschuveiros e fogões convertidos para gás natural? Veremos mais adiante.Histórico & ArgumentaçãoNa verdade o uso da eletricidade para aquecimento da água para o banho é um “paradigmacultural”. “Sempre foi assim”, para que mudar? Não enxergamos um movimento organizadopara reverter essa situação. Desde os projetos de engenharia e arquitetura, não são previs-tos projetos de instalações para o aproveitamento da energia alternativa do gás natural. Istoé, as casas não “nascem” preparadas para usar o gás natural. Há um mito forte de que ogás é perigoso, que pode explodir, causar incêndios, etc. Este argumento não é totalmenteverdadeiro. A eletricidade também é perigosa e pode causar incêndios e explosões. Mas,comparando com o gás de botijão, percebemos que este último é muito mais perigoso poistem dificuldades para se dispersar (é mais pesado que o ar, ao contrário do gás natural queé mais leve e sobe). O uso do GLP tem a ver unicamente com baixo custo para a produçãode comida nos lares.Depois que a casa está pronta, preparada para chuveiro elétrico e para o GLP, as mudan-ças ficam difíceis de serem feitas. A adaptação dos lares envolve quebra de pisos e paredespara instalação dos tubos para o gás natural. Além do transtorno para os moradores, docusto para os instaladores, há o problema da geração de entulho para o meio ambiente.A forma convencional de se fazer instalações, implica na produção de cerca de 20 kg deentulhos por metro de rede assentada. O custo médio dos serviços de quebra e conserto dolocal de instalação é de cerca de R$2.500,00, para uma residência de médio padrão (cercade 80 m²), sem contar a destinação dos resíduos, que vão acabar parando em algum terre-no baldio, trazendo sérios problemas ambientais. Para um instalador profissional, uma insta-lação para gás em fogão e aquecedor de passagem custaria cerca de R$2.100,00, queproduz margens muito baixas, tornando o negócio de alto risco para o interesse de profis-sionais do mercado. Fogo & Soares - Haroldo José Fogo 2/4
  3. 3. Kit de instalação interna para gás natural Detalhe de uma instalação convencional, prevendo inclusive ponto para máquina de secarAlém do mais, as instalações demandam uso de equipamentos de difícil operação e aquisi-ção, como máquinas e esquemas especiais de soldagem, que inviabilizam os investimentose aumentam a ocorrência de acidentes na montagem: Nada de usar maçaricos, solda elétrica ou máquinas caras, nem roscas que provocam vazamentos!Uma casa média, com quatro pessoas, consome cerca de 390 kWh por mês. Destes, 30%são para produzir calor para água do banho. A conta de energia elétrica, que representacerca de R$82,00 no orçamento doméstico, passaria a representar cerca de R$58,00.Sabemos também que o consumo de uma casa nas mesmas condições apontadas anteri-ormente é de pouco mais de meio botijão de GLP de 13 kg por mês, a um custo de cerca deR$50,00, a depender da região do país. O consumo da mesma casa, com o fogão converti-do para o gás natural é de cerca de 12 m³ por mês, a um custo médio de R$31,00. Com ainstalação do aquecedor, passaria a ser de R$62,00 por mêsO que é proposto?A criação de um kit instalação interna, que possibilite maiores ganhos ao instalador profis-sional ou para que um morador melhor equipado possa fazer sua instalação numa situaçãodo tipo faça você mesmo.Utilizar no kit tubos de cobre, conexões com encaixe mecânico e selagem com epóxi (ma-terial resinoso), para uso em pressões de até 1000 mmCA (baixa pressão em milímetros decoluna d’água). As curvas são feitas de transições flexíveis (mangueiras com cordoalhasmetálicas), para possibilitar rapidez nas mudanças de direção. Fogo & Soares - Haroldo José Fogo 3/4
  4. 4. Kit de instalação interna para gás naturalAs instalações ficam colocadas sobre as paredes construídas, em canaletas que dão umacabamento agradável ao local, sem que haja a produção de entulhos, pois são fixadas comum poderoso adesivo: Observar bem: não ficam tubos aparentes!Conteúdo de um kit básico:12 m de tubo de cobre de ½”, divididos em 02 barras de 6 m;04 luvas de encaixe mecânico e selagem com epóxi;04 curvas com transição flexível (para mudanças de direção);03 transições cobre – rosca para o fogão e aquecedor;06 m de canaletas de acabamento;04 curvas de 90° para canaletas.Os kits são apresentados na versão “casa” e “profissional”, que incluiriam furadeira, jogo debrocas e bomba com manômetro para teste de estanqueidade. Peças adicionais podem seradquiridas separadamente.BenefíciosPara o país: redução de cerca de 20% do consumo de energia elétrica, nos horários de pico,que representa um fôlego para uso dessa energia para outros fins mais necessários.Para o instalador profissional: possibilidade de ganhos com margens acima de 30%, numproduto com preço mais acessível para o cliente, tornando o negócio atrativo e de menorrisco.Para o consumidor: economia na conta final de energia. Ver abaixo:Uso normal Eletricidade Gás de Botijão Total (A) Eletricidade Gás natural Total (B) SaldoPor mês R$ 82,00 R$ 50,00 R$ 132,00 R$ 58,00 R$ 62,00 R$ 120,00 R$ 12,00Por ano R$ 984,00 R$ 600,00 R$ 1.584,00 R$ 696,00 R$ 744,00 R$ 1.440,00 R$ 144,00Uso racional Eletricidade Gás de Botijão Total (A) Eletricidade Gás natural Total (B) SaldoPor mês R$ 82,00 R$ 50,00 R$ 132,00 R$ 47,00 R$ 50,00 R$ 97,00 R$ 35,00Por ano R$ 984,00 R$ 600,00 R$ 1.584,00 R$ 564,00 R$ 600,00 R$ 1.164,00 R$ 420,00Caso o consumidor implemente o uso racional da energia, a economia anual para uma famí-lia média chegaria aos R$420,00 por ano, sem contar custos não agregados de destinaçãode resíduos das obras, trocas de resistências ou mesmo a troca do chuveiro elétrico.ConclusãoO sistema “kit” irá fomentar o uso racional da energia no país, pois é atrativo para o instala-dor, Cia. de Gás e Consumidor, que pode ter o investimento recuperado em três anos oumenos (consultar os benefícios das distribuidoras de gás, para instalação de aquecedor). Fogo & Soares - Haroldo José Fogo 4/4

×