Apresentação rubeola cve capacita 2012

894 visualizações

Publicada em

apresentação sobre rubeola para tecnicos da CVE Nova Iguaçu 2012

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
894
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
107
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação rubeola cve capacita 2012

  1. 1. Coordenação de Vigilância Epidemiológica
  2. 2. RUBÉOLA É uma doença exantemática aguda, de etiologia viral, que apresenta altacontagiosidade, acometendo principalmentecrianças. Sua importância epidemiológica estárelacionada ao risco de aborto, natimorto emal formações congênita como:CARDIOPATIA, CATARATA eSURDEZ,denominada Síndrome daRubéola Congênita (SRC) quando a infecçãoocorre durante o primeiro trimestre degestação.
  3. 3. Agente etiológico O agente infeccioso da Rubéola é umvírus pertencente ao gênero Rubivirus,família Togaviridae. Reservatório O homem.
  4. 4. MODO DE TRANSMISSÃO Através de contato com as secreções nasofaríngeasde pessoas infectadas. A transmissão indireta, mesmopouco frequente, ocorre mediante contato com objetoscontaminados com secreções nasofaríngeanas, sanguee urina. PERÍDO DE INCUBAÇÃO Em geral, varia de 14 a 21 dias, durando, emmédia, 17 dias. A variação máxima observada é de 12 a23 dias PERÍODO DE TRANSMISSIBILIDADE Aproximadamente, de 5 a 7 dias antes do início doexantema até 5 a 7 dias após.
  5. 5. Aspectos clínico O quadro clínico é caracterizado por exantemamáculopapular e puntiforme difuso, iniciando-sena face, couro cabeludo e pescoço, espalhando-se posteriormente para o tronco e membros.Além disso apresenta febre baixa elinfadenopatia retroauricular, occipital e cervicalposterior, geralmente antecedendo ao exantemano período de 5 a 10 dias, podendo perdurar poralgumas semanas. Formas inaparentes sãofrequentes, principalmente em crianças.
  6. 6. Diagnóstico diferenciado O diagnóstico diferenciado deve ser feito comSarampo, Escarlartina, Dengue, Exantemasúbito ( crianças até 2 anos), eritemainfeccioso, enteroviroses. Diagnóstico laboratórial É realizado mediante detecção de anticorposespecíficos no soro ( IgM e IgG). Tratamento Não há tratamento específico para aRubéola. Os sinais e sintomas apresentadosdevem ser tratados de acordo com asintomatologia e terapêutica adequada.
  7. 7. Conclusão: Rubéola é uma doença de natureza viralque, em geral, apresenta-se com pródromossomente em criança. O exantema é róseo,discreto e , excepcionalmente, confluente, commáxima intensidade no segundo dia,desaparecendo até o sexto dia, semdescamação. Há presença de linfadenopatia,principalmente retroauricular e occipital.
  8. 8. Rúbeola
  9. 9. Alguns casos: 1ª Paciente 27 anos com febre alta 39.5 exantema com início no abdomem , coriza e tosse Colheu soro resultado: IGG:Reagente IGM:Ñ Reagente Classificação final:-------------------------- 2ª Paciente 5 anos febre baixa exantema início no couro cabeludo, coriza e tosse. Colheu soro resultado: IGG:Reagente IGM:Reagente Classificação final:--------------------------------- 3º Paciente 1ano e 2 meses, tomou vacina tríplice viral em 27/03/2012 em 22/04/2012 teve febre moderada, 23/04/2012 exantema início no couro cabeludo, tosse coriza. Colheu soro resultado: IGG:Reagente IGM: Reagente Classificação final:-----------------------------------
  10. 10. SARAMPO O Sarampo é uma doença infecciosa aguda, de natureza viral, grave, transmissível e extremamente contagiosa. Modo de transmissão É transmitido diretamente de pessoa, através das secreções nasofaríngeas expelidas ao tossir, espirrar, falar ou respirar. Período de transmissão Ocorre entre 4 a 6 dias antes do aparecimento do exantema, e até 4 dias após. O período de maior transmissibilidade é o de 2 dias após o início do exantema. O vírus vacinal não é transmissível. Período de incubação Geralmente, de 10 dias ( variando de 7 a 18 dias), desde a data da exposição até o aparecimento de febre, e cerca de 14 dias até o início do exantema
  11. 11. Manifestações clínicas Febre alta, acima de 38º C, exantema maculopapular generalizado, tosse, coriza, conjuntivite e manchas de Koplik ( pequenos pontos brancos que aparecem na mucosa bucal, antecedendo ao exantema).
  12. 12. Definiçao de caso suspeito Toda pessoa com febre alta, manchas de Koplik e exantema, acompanhadas de tosse e/ou coriza e/ou conjuntivite, independente da idade ou situação vacinal, suspeitar de Sarampo notificar ao setor de epidemiologia em até 24h. pelo tel. 2668-4516, investigar coletar sangue e realizar o bloqueio vacinal em até 48h. 
  13. 13. A Vigilância Epidemiológica tem como objetivo: Detectar a circulação do vírus em determinado tempo eárea geográfica, identificar a população sob risco nessasáreas e proteger a população susceptível.
  14. 14.  Técnicas responsáveis: Andressa Kely e Marília Diniz Fonte: SINAN SEMUS/NI FIM

×