1
2
HOROLOGIUM MAGNUM
- O Grande Relógio -
H. CZAR MONZON
3
- O Tempo não existia...
- O Tempo não existe?
...
- O Tempo é uma ilusão.
4
“Entre seus fios e tranças, os cachos da Eterna não eram
sedosos.”
Era a Metrópole vazia, não havia homens á mover-se po...
5
Logo a grande metrópole iluminou-se por completa e os
homens, ainda congelados, se agradaram de Sua presença; A
Luz desc...
6
Mas Samuel era grande em altruísmo, e assim negou-se á
conhecê-las, pois tinha missões á cumprir em doar-se aos que
lhes...
7
sorrir e se entristecer, mas não demorou e tudo voltou á
congelar devagar novamente, pois todos da Metrópole se
recusava...
8
Vendo-o negar-se, então a Luz lhe envolveu mais
apertadamente e lhe falou mentindo: - “Não devias tu também
ajudá-los? B...
9
pequenos deixaram de existir. E vendo o Anjo Rafael o seu
pecado, se arrependera grandemente de ter Baal Zebul por
filho...
10
imediatamente um menino cujo nome fora colocado de
Aschmedai, e ele fora o Terceiro Raio de Consciência.
Logo após o na...
11
fazem pactos em seus corpos, mas não lhes são fiéis traindo
assim uns aos outros. Bem sei de tua grande bondade ó
Izaca...
12
Vendo Céus o que novamente ocorria na Metrópole, resolveu
castiga-los mais, e através de Quatro Izacael, lançou grande
...
13
E o Anjo Uriel rendeu-se á boa nova que ouvira, e em grande
alegria, desceu então do Ultimo Céu até a Metrópole.
Chegan...
14
lhe: - “Ó Jofiel! Venho até ti para que me ajudes, pois
tenho uma missão para ti. Pois eis que os homens são
torturados...
15
Vendo o Céus o que acontecia, viu que isso era resultado de
seus próprios pecados e lhes jorrou, através de Sexto
Jofie...
16
virgem teve uma criança cujo nome foi Samael. E este foi o
Sétimo Raio de Consciência.
E andando por toda a Metrópole, ...
17
E clamando por socorro, chamou o Operário da Grande Máquina
ás Trevas, e ela desceu dos Céus e manifestou-se perante
el...
18
Obedecendo o Anjo Samuel, desceu dos Céus á Grande Cidade, e
lá, encontrando seu filho Bastiel, jorrou-lhe a Primeira
T...
19
Obedecendo o Anjo Izacael, voou até a Metrópole, e agarrando
seu filho cujo nome era Leviatã, jogou-o no Grande Sol, e
...
20
e iluminou toda a cidade; E pousando ao lado do Operário
falou-lhe: - “Peço-te que aguente apenas mais esta, pois
eis q...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Horologium magnum (de h. czar monzon)

216 visualizações

Publicada em

Publicada em: Arte e fotografia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
216
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
15
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Horologium magnum (de h. czar monzon)

  1. 1. 1
  2. 2. 2 HOROLOGIUM MAGNUM - O Grande Relógio - H. CZAR MONZON
  3. 3. 3 - O Tempo não existia... - O Tempo não existe? ... - O Tempo é uma ilusão.
  4. 4. 4 “Entre seus fios e tranças, os cachos da Eterna não eram sedosos.” Era a Metrópole vazia, não havia homens á mover-se por suas ruas, não havia fumaça á emanar das grandes fábricas, não havia carros, conexões, não havia sinais ou qualquer outro Movimento dentro dela; Os homens que lá esperavam, estavam amaldiçoados á permanecer congelados ali por toda a eternidade; Por não se moverem, os homens não podiam sonhar, também não podiam alimentar-se, suas famílias e filhos estavam envoltos nas Sombras e seus olhos ressecavam pois não podiam piscar. Ordenado em seu dever, o único que lá movia-se se encontrava no alto de uma grande torre ao centro da Metrópole. O Operário lutava para conseguir começar sua missão diante do Grande Relógio da torre. Já cansado de tentar mover á todos os modos os Sete Ponteiros da Grande Máquina, pois estavam enferrujados e seu mecanismo morto, o operário sentia-se desanimado e sem forças para cumprir sua tarefa ainda não realizada. Após grande dor percebeu que não conseguiria sozinho e intentou pedir a ajuda dos homens da metrópole, mas lembrou- se de sua inutilidade por estarem ainda congelados. Então o operário ergueu sua voz e clamou á Luz dos Céus – “Ó Mãe- Luz, conceda-me Tua presença e socorra-me, pois eis que desfaleço de grande tristeza!”.
  5. 5. 5 Logo a grande metrópole iluminou-se por completa e os homens, ainda congelados, se agradaram de Sua presença; A Luz desceu dos Céus e pousou ao lado do Operário cansado, e perguntou através de sua essência: - “No que hei de ajudá- lo filho meu, para que cumpras tua missão diante do Universo?” . Maravilhado com as belas formas da Mãe, o Operário ajoelhou- se e adorando a Luz falou-lhe: “Eis que á muito me agonizo neste lugar tentando começar uma missão da qual não consigo! Aqui estou em meu dever, mas as mãos da Grande Máquina em seus Sete Ponteiros não obedecem os comandos de meu corpo, da qual não move-se nem para a direita nem para a esquerda. Como poderei assim eu cumprir a obra, vendo que tento á muito mover o Grande Relógio da Metrópole?” A Luz então respondeu ao Operário: - “Eis que agora mesmo subirei aos Céus novamente e lhe trarei os Sete Guerreiros Celestes, e estes lhe auxiliarão nesta obra que lhe foi concedida; Os Sete Anjos lhe trarão o que necessitas para trabalhar.” . E a Luz então subiu aos Céus e deixou seu Operário sozinho novamente, quando chegou ao Alto Céu, lá encontrou um dos Sete Mestres á apreciar o Universo Incompleto. – “Ó Grande Luz! O que me trazes?”Perguntou o Anjo assim chamado Samuel. A Luz envolvendo-o contou-lhe sobre a Metrópole e seus habitantes, mas mentiu-lhe dizendo que suas mulheres lhe pertenciam e que lhes eram dadas á conhecer.
  6. 6. 6 Mas Samuel era grande em altruísmo, e assim negou-se á conhecê-las, pois tinha missões á cumprir em doar-se aos que lhes eram menores, e juntar-se á essas mulheres em bodas lhe seria prejudicial em seu caminhos. Vendo-o negar-se, então a Luz lhe envolveu mais apertadamente e lhe falou: - “Eis que não só em grande ternura te esperam tais moças, mas também em grande amor e desejo de serem saciadas. Mostra-lhes e cumpras tua doação também á elas para que tua missão sejais completa! Aqui ficarei em teu lugar enquanto tu desces á Metrópole e faz teu pacto no corpo delas.” E o Anjo Samuel rendeu-se á boa nova que ouvira, e em grande alegria, desceu então dos Céus até a Metrópole. Chegando lá pôs se á procurar uma jovem formosa á vista, e encontrando-a deitou-se com ela e a jovem concebeu imediatamente um menino cujo nome fora colocado Bastiel, e ele fora o Primeiro Raio de Consciência. O Operário, já achando que fora abandonado pela Luz, espantou-se ao ver o grande Raio cair do céu e lhe trazer Consciência através da carne da jovem formosa; E imediatamente o Grande Relógio soltou-se a passou a mover- se livremente com um único Ponteiro girando de modo inverso, o Operário alegrou-se com grande entusiasmo e pôs-se finalmente á trabalhar em sua missão. Movendo o Primeiro Ponteiro do Grande Relógio, a Metrópole passou á movimentar- se, e após isso os homens já andavam pelas ruas, já podendo
  7. 7. 7 sorrir e se entristecer, mas não demorou e tudo voltou á congelar devagar novamente, pois todos da Metrópole se recusavam á trabalhar, e muitos ficavam desempregados e pobres porque tinham grande preguiça. E os Céus vendo o que ocorria jogou na Metrópole através do Um Samuel fogo e granizo, que caíram em suas fazendas e destruíram suas plantas e árvores, impossibilitando-os de comer frutas e ervas. E eis que o Anjo Samuel entristeceu-se muito do seu pecado, e arrependeu-se de ter por filho Bastiel. A Luz, vendo o ocorrido escondeu-se e ficou á assistir a preguiça dos homens da Metrópole dos Céus, e via a forma como empobreciam suas famílias por não quererem trabalhar ou cumprir qualquer dever. E enquanto ali estava oculta a Luz, eis que passou perto outro dos Sete Anjos, e seu nome era Rafael. Chegando perto do Guerreiro, evolveu-o a Luz e pôs á seduzir-lhe assim como fizera com Samuel, mentindo: – “Rafael! Rafael! Não sabes tu a grande tristeza que se espalha por todo universo? Pois eis que os homens da Metrópole abaixo de nós desaparecem pouco á pouco e em breve hão de extinguir-se, porque são preguiçosos, e negando-se á trabalharem empobrecem e fazem com que suas famílias e filhos morram de fome e de sede!”. E Rafael, contemplando-a respondeu: -“E o que tenho com isso ó Amada Luz? Pois eis que já outros irmãos tenho para cuidar!”
  8. 8. 8 Vendo-o negar-se, então a Luz lhe envolveu mais apertadamente e lhe falou mentindo: - “Não devias tu também ajudá-los? Bem sei de tuas grandes qualidades, que és bom em equilíbrio e o dá aos teus irmãos! Peço-te que desças á Metrópole e lhes ajudes á sobreviverem, porque eis que as moças formosas te foram dadas para lhes dar herdeiros e vida! Descendo tu, ficarei aqui eu á cuidar de teus irmãos.”. E o Anjo Rafael rendeu-se á boa nova que ouvira, e em grande alegria, desceu então dos Céus até a Metrópole. Chegando lá pôs se á procurar uma jovem formosa á vista, e encontrando-a deitou-se com ela e a jovem concebeu imediatamente um menino cujo nome fora colocado de Baal Zebul, e ele fora o Segundo Raio de Consciência. Nascendo o menino, grande gula espalhou-se pela Metrópole e soltou-se outro Ponteiro do Grande Relógio, e o Operário alegrou-se grandemente. E os homens ainda sentiam grande preguiça, mas por causa de sua gula se colocavam á trabalhar finalmente nas fábricas, e ganhando dinheiro gastavam tudo em comidas que lhes faziam grande mal, pois não eram das árvores nem das ervas. E assim, perderam todo o dinheiro novamente, e muitos faliram e entraram em maior miséria que a anterior. Vendo os Céus o que ocorria na Metrópole, jogou através de Dois Rafael uma grande pedra, e caindo ela nos mares, matou grande parte dos seres que lá viviam, e muitos peixes
  9. 9. 9 pequenos deixaram de existir. E vendo o Anjo Rafael o seu pecado, se arrependera grandemente de ter Baal Zebul por filho. A Luz, temendo encontrar novamente com Rafael, fugiu até o Jardim, e lá encontrou outro dos Sete, esse agora chamado Gabriel. E eis que este era forte em castidade e era grandemente puro. Vendo-o a Luz, chegou perto dele e lhe envolveu, dizendo: - “Ó Gabriel! Não sabes tu dos prazeres das moças? Sei que grande és tu em pureza e em castidade tu vives. Mas uma formosa virgem lhe é dada para que tu á faça conceber de tua proeza!”. Gabriel, vendo a moça virgem na Metrópole do alto dos céus respondeu á Luz: - “Eis que não devo tal obra fazer, pois me seria por grande erro, vendo que concedo águas limpas á meus irmãos, como poderia eu lhes banhar estando eu impuro?”. Vendo-o negar-se, então a Luz lhe envolveu mais apertadamente e lhe falou mentindo: - “Mas eis que te concedo uma benção, e tu poderás descer e conhecê-la, e eu aqui ficarei com teus irmãos, para que quando tu voltares impuro, eu te envolva com minha Luz e te torne são novamente!”. E o Anjo Gabriel rendeu-se á boa nova que ouvira, e em grande alegria, desceu então do Jardim até a Metrópole. Chegando lá deitou-se com a moça formosa e a jovem concebeu
  10. 10. 10 imediatamente um menino cujo nome fora colocado de Aschmedai, e ele fora o Terceiro Raio de Consciência. Logo após o nascer de Aschmedai, mais um Ponteiro do Grande Relógio pôs se á mover, alegrando grandemente o Operário. E ao passear pela Metrópole, Aschmedai espalho sobre os homens sua luxuria, e os homens passaram á fazer orgias sem equilíbrio, sendo que muitas moças eram violentadas e homens deitavam-se com outros de seu mesmo sexo e ainda assim tinham filhos e filhas. O Céus, vendo o que ocorria, lançou novamente uma grande pedra através de Três Gabriel, e a rocha caindo nos rios e lagos mataram todo o resto de vida que havia nas águas, e assim, desde os grandes até os menores seres aquáticos deixaram de existir. E muitos homens da Metrópole que trabalhavam de pescadores perderam seus empregos para sempre e empobreceram até passarem grande necessidade e morrerem de fome. E assim, vendo o Anjo Gabriel seu grande pecado, e vendo também que não fora purificado, entristeceu-se e se arrependeu de ter por filho Aschmedai. Olhando o grande caos, a Luz então fugiu do Jardim e viajou para o Grande Templo do Universo, e lá encontrou outro dos Sete Anjos, cujo nome era Izacael. Vendo-o envolveu-o, e seduzido-o se pôs á mentir novamente: - “Izacael! Izacael! Não sabes do grande mal que acontece na Metrópole? Pois eis que os homens tem relações entre si,
  11. 11. 11 fazem pactos em seus corpos, mas não lhes são fiéis traindo assim uns aos outros. Bem sei de tua grande bondade ó Izacael, e sei que tu és grande em gratidão, assim, peço te que desças até lá e ensine aos homens suas qualidades!” Mas Izacael respondeu: - “Eis que não posso, pois tenho minhas missões á cumprir e me seria grande desventura me pôr á estar perto desses seres.” Vendo-o negar-se, então a Luz lhe envolveu mais apertadamente e lhe falou mentindo: - “Peço-te novamente que desças e conheças uma moça formosa que te é dada á bodas, e com ela, demonstre aos homens como lhes falta gratidão entre um o outro. Não te preocupes Izacael, pois eis que aqui ficarei cuidando de tua missão até que tu voltes e a continue!”. E o Anjo Izacael rendeu-se á boa nova que ouvira, e em grande alegria, desceu então do Grande Templo do Universo até a Metrópole. Chegando lá pôs se á procurar uma jovem formosa á vista, e encontrando-a deitou-se com ela e a jovem concebeu imediatamente um menino cujo nome fora colocado de Leviatã, e ele fora o Quarto Raio de Consciência. E vagando entre as esquinas da Metrópole, Leviatã espalhou grande inveja entro os homens, fazendo-os entrarem em grande contenda entre si, e assim, matando uns ao outros, mas acontecendo isso, outro Ponteiro do Grande Relógio pôs-se á mover-se, e o Operário já muito alegre se encontrava, pois já quatro Ponteiros moviam-se livremente pelo Relógio em sentido ainda inverso.
  12. 12. 12 Vendo Céus o que novamente ocorria na Metrópole, resolveu castiga-los mais, e através de Quatro Izacael, lançou grande poder e fez com que o Sol e a Lua escurecessem e deixassem de dar seu brilho. E assim, na Metrópole, necessitavam de muita luz, fazendo com que mais trabalhassem os homens para manter a energia da Grande Cidade. E vendo o seu pecado, entristeceu-se o Anjo Izacael e arrependeu-se de ter por filho Leviatã. A Luz temeu um encontro com os Anjos que já havia enganado e escondeu-se no Ultimo Céu e lá encontrou mais um dos Sete á meditar chamado Uriel, e á este, entrou em sua mente e se colocou a pergunta-lhe: - “Uriel! Ó Uriel, receba da minha Luz! Não devias tu descer todos os Céus até a Metrópole para assim ensinar aos homens o que só tu sabes ensinar? Pois bem sei que tu és grande em solidariedade e eles destroem-se uns aos outros e já nada sabem da Verdade.”. E Uriel pôs á responder mentalmente dizendo: - “O que lhes ensinarei eu? Sendo que me açoitarão porque não entendem o que lhes é passado, apenas o que é ruim?”. Vendo-o negar-se, então a Luz lhe adentrou mais profundamente á mente e lhe falou mentindo: - “Peço-te pela tua solidariedade, que não lhes precisas ensinar, mas podes ter por mulher uma das moças que lhe é concedida por conhecer e nela tenha um fruto do qual, sendo tu a árvore que concedes as sementes, poderá este fruto lhes ensinar em teu lugar! E aqui ficarei eu, em teu lugar, manifestando minha Luz em teu Ultimo Céu!”
  13. 13. 13 E o Anjo Uriel rendeu-se á boa nova que ouvira, e em grande alegria, desceu então do Ultimo Céu até a Metrópole. Chegando lá pôs se á procurar uma jovem formosa á vista, e encontrando-a deitou-se com ela e a jovem concebeu imediatamente um menino cujo nome fora colocado de Azazel, e ele fora o Quinto Raio de Consciência. E assim, saiu Azazel á ensinar os homens a ira, uma falsa doutrina, da qual os fazia odiar uns aos outros, e provocando guerra, muitos morriam e os homens já não tinham filhos e filhas com outros de seu mesmo sexo, fazendo-os entristecer-se grandemente e sofrerem nas mão dos outros dos quais eram seus irmãos. Assim, o Grande Relógio pôs se á mover cinco Ponteiros ainda de forma inversa. Vendo os Céus o grande mal em que se encontravam dessa vez, libertou, através de Cinco Uriel, seres malignos que voaram por toda Metrópole atacando e torturando os homens. E assistindo ao fruto de seu pecado, entriteceu-se grandemente o Anjo Uriel, que chorou arrependendo-se de ter por filho Azazel. A Luz já muito temerosa fugiu para o Deserto e lá encontrou- se com outro dos Sete Anjos chamado Jofiel. Este, grande em solidariedade, dava ao seus Irmãos de comerem de seu Fruto para saciá-los, e a Luz vendo-o, envolveu-os todos eles, e se colou á ajudar Jofiel em sua missão, e ao acabar pediu-
  14. 14. 14 lhe: - “Ó Jofiel! Venho até ti para que me ajudes, pois tenho uma missão para ti. Pois eis que os homens são torturados terrivelmente por espíritos malignos por causa de seus pecados, assim, imploro-te que desças até lá e também lhes dê o que comer para que não morram!” E Jofiel disse: - “Como poderei eu descer até lá e deixar meus Irmãos aqui em cinzas?” Vendo-o negar-se, então a Luz lhe envolveu mais apertadamente e lhe falou mentindo: - “Eis que não precisas de tanto Tempo, pois aqui ficarei eu, que enquanto tu desces e pegas para ti uma jovem virgem, e conhecendo-a tu, terás um menino do teu Fruto, e assim, sendo ele sadio, poderá alimentar seus irmãos em carne por alimento material!” E o Anjo Jofiel rendeu-se á boa nova que ouvira, e em grande alegria, desceu então do Deserto Celestial até a Metrópole. Chegando lá pôs se á procurar uma jovem formosa á vista, e encontrando-a deitou-se com ela e a jovem concebeu imediatamente um menino cujo nome fora colocado de Mamom, e ele fora o Sexto Raio de Consciência. E assim Mamom espalhou a avareza entre os homens da alta classe da Metrópole, e faziam com que seus inferiores trabalharem por longos períodos exaustivos, e recebendo pouco dinheiro, nada mais viviam e caiam em grande depressão. Também, pelo grande poder de Mamom, o Operário começara á esgotar-se de sua missão, pois mais um Ponteiro movia-se e á muito tempo já trabalhava no Grande Relógio.
  15. 15. 15 Vendo o Céus o que acontecia, viu que isso era resultado de seus próprios pecados e lhes jorrou, através de Sexto Jofiel, um exercito demoníaco que destruiu muitos lugares e matou um terço dos homens da Metrópole. Vendo o Anjo Jofiel seu grande pecado, arrependeu-se amargamente de ter por filho o terrível Mamom, e saiu á chorar sangue. A Luz vendo o terrível feito, fugiu para muito longe e estando em um planeta distante lá encontrou o ultimo dos Sete Anjos, cujo nome era Miguel. Este, grande em humildade e amor, logo alegrou-se ao ver a Luz-Mãe, e envolvendo-o ela, pôs á falar-lhe: - “Ó grande Miguel! Venho aqui á lhe pedir um grande favor, pois sei que tu és grande em humildade e amor! Peço te que socorras os homens da Metrópole, pois eis que estes perecem grandemente e muitos males lhes sufocam a vida. Imploro-te que desças até lá e lhes ensine o Caminho da Humildade, pois grande seria se aprendessem á amar verdadeiramente!”. Miguel então respondeu: -“Sim, eis já já é chegado meu Momento de descer e ensinar aos homens os Caminhos Celestes da qual os salvará da morte para qual caminham. Eis que lá estarei e farei uma virgem conceber um Fruto de minha Arvore que assim os ensinará o Amor!” E descendo o Anjo Miguel á Metrópole, encontrou uma virgem com grande saúde e formosa á vista e conheceu-a, mas a Luz- Mãe, passando por Metrópole transtornou sua Essência e a
  16. 16. 16 virgem teve uma criança cujo nome foi Samael. E este foi o Sétimo Raio de Consciência. E andando por toda a Metrópole, Samael entrou nos homens e lhes fez beber das águas do orgulho e faltando amor em toda a cidade a fé desapareceu-se. E vendo os Céus o terrível mal que se espalhara pela Metrópole, soou a Grande Trombeta através de Sete Miguel e convocou os outros Seis, que juntando se ao Ultimo Miguel, ergueram diante dos Céus as Sete Taças de sua Ira. Assim, já todos os Sete Ponteiros moviam-se no Grande Relógio, e o Operário já muito cansado chamou pela Luz novamente e ela, descendo dos Céus até a torre, lhe foi ao encontro. Ao contempla-la novamente, pediu o Operário da Grande Máquina adorando a Luz-Mãe: - “Ó Grande Luz-Mãe! Peço te que me salves dessa maldição, pois muito já sofro de cansaço e vejo os homens sofrerem grandemente lá embaixo. Imploro-te que me libertes desse mal, e permita-me terminar logo minha missão!”. Mas a Luz respondeu: - “Eis que mais nada posso fazer por ti, pois já lhe foi entregue os Sete Anjos dos Céus e aqui está tu cumprindo tua missão como querias no Início, agora tu podes chamar apenas as Trevas para teu socorro, só Ela agora pode render-te!”. E assim voltou a Luz para os Céus.
  17. 17. 17 E clamando por socorro, chamou o Operário da Grande Máquina ás Trevas, e ela desceu dos Céus e manifestou-se perante ele, e este lhe pediu de joelhos á adorar-lhe: - “Ó Grande Trevas! Eis que agora tu se convertes para mim em Luz, pois só tu agora podes salvar-me da maldição! Eis que nesta torre estou preso á muito tempo, tempo também do qual não sei quanto ainda me resta, assim, encontro-me já cansado de minha Missão Celeste e estou muito abatido de meu trabalho no Grande Relógio. Peço-te que algo faças para tirar-me daqui!”. E as Trevas erguendo seu grande esplendor respondeu: - “Eis que já na metade do teu Tempo tu estás, e muito hás de evoluir neste Ultimo Momento! Eu, a Treva-Pai lhe libertarei de tua missão ainda neste dia, mas deverás esforçasse por mais uma porção de tempo até que tudo estejas devidamente pronto!” E assim, obedecendo, voltou o Operário á trabalhar no Grande Relógio movendo-o nele seus Sete Ponteiros. Chegando aos Céus as Trevas, envolveu os Sete Anjos e mergulhou nas Sete Taças da Ira e imediatamente o Grande Relógio parou de mover-se inversamente e começou á girar de modo correto para grande alivio do Operário, percebendo que seu momento estava á acabar. Governada a Metrópole pelos Sete Nephilins cujo grande mal causavam entre os homens, a cidade sentiu-se vibrar e após isso o Grande Céus bradou como que um grande trovão:“Que se derrame minha Ira sobre os reis de Metrópole!”.
  18. 18. 18 Obedecendo o Anjo Samuel, desceu dos Céus á Grande Cidade, e lá, encontrando seu filho Bastiel, jorrou-lhe a Primeira Taça causando-lhe feridas muito dolorosas. Assim, os homens criaram grande censo de altruísmo, e deixando sua preguiça puseram-se á trabalhar em bem do próximo. Após isso, um dos Ponteiros do Grande Relógio enferrujou. Bradou novamente o Grande Céus:“Que se derrame minha Ira sobre os reis de Metrópole!” Obedecendo o Anjo Rafael, desceu velozmente á Metrópole e, encontrando seu filho cujo nome era Baal Zebul, jorrou-lhe a Segunda Taça causando sua morte imediata, fazendo assim com que os homens parassem com sua gula, e já equilibrados, pudessem preocupar-se com o bem próximo. Assim mais um Ponteiro do Grande Relógio enferrujou, para maior alívio do Operário. Bradou novamente o Grande Céus:“Que se derrame minha Ira sobre os reis de Metrópole!” Obedecendo o Anjo Gabriel, desceu dos Céus, e lutando contra seu filho cujo nome era Aschmedai, transpassou-o com sua espada tirando-lhe todo seu sangue e fazendo com que os homens transformassem suas concepções do que era proveitoso e das diversas formas que o amor era manifestado pela carne do homem. Bradou novamente o Grande Céus:“Que se derrame minha Ira sobre os reis de Metrópole!”
  19. 19. 19 Obedecendo o Anjo Izacael, voou até a Metrópole, e agarrando seu filho cujo nome era Leviatã, jogou-o no Grande Sol, e jorrando sua Taça nele o fez sentir intensa dor até desaparecer na Grande Chama. Assim, os homens aprenderam do próprio Izacael o que era gratidão, e deixando a inveja, reconheceram seus irmãos em si mesmos. Após tais coisas, mais outro Ponteiro do Grande Relógio enferrujou, deixando apenas três Ponteiros girando em sentido correto. Bradou novamente o Grande Céus:“Que se derrame minha Ira sobre os reis de Metrópole!” Obedecendo o Anjo Uriel, invocou as Forças do Sol e, derramando sua taça sobre toda a Metrópole, desceu a Grande Estrela até a Terra e engoliu seu filho cujo nome era Azazel. Após a Luz manifestada da Chama, grande paz voltou á Metrópole e mais um Ponteiro rendeu-se á morte no Grande Relógio. Bradou novamente o Grande Céus:“Que se derrame minha Ira sobre os reis de Metrópole!” Obedecendo o Anjo Jofiel, desceu ele com seu exercito de anjos e guerreou contra as forças de seu filho, cujo nome era Mamom, e derrotando-o e jogando-os num grande rio, todos os homens foram livres de suas escravidões, deixando apenas um único Ponteiro no Grande Relógio, que já estava á se despedaçar e o Operário clamou aos Céus novamente, pois grande temor sentia, e chamando a Luz , Ela desceu dos Céus
  20. 20. 20 e iluminou toda a cidade; E pousando ao lado do Operário falou-lhe: - “Peço-te que aguente apenas mais esta, pois eis que toda a Terra também já está exausta!” E bradou pela ultima vez o Grande Céus como um grande trovão: “Que se derrame minha Ira sobre ultimo rei de Metrópole!” E desceu feito um raio o Anjo Miguel, e foi ao encontro de seu filho primogênito cujo nome era Samael, e derrotando-o com sua glória toda a Metrópole encheu-se de grande amor e humildade, apenas após isso puderam os homens voltarem ao seu Ovo Primário, e manifestando-se a Luz-Mãe com as Trevas- Pai, levaram consigo seu filho cujo dever terminara ao destruir-se totalmente o Grande Relógio. Voltando ao Seio de sua Mãe, o Operário terminou sua missão, e descansou junto com todos os seus irmãos por Sete e mais Sete grandes tempos.

×