SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 9
Baixar para ler offline
MAPA - SANEAMENTO BÁSICO - 53/2023
VOCÊ ESTÁ PREPARADO(A)?
Nas próximas páginas, você será DESAFIADO(A)! Como futuro(a) Engenheiro(a),
queremos que você desenvolva habilidades essenciais para a sua jornada, como:
analisar, sistematizar, refletir e tomar decisão. Uma aprendizagem ativa relevante é
relacionada à nossa vida, aos nossos projetos e expectativas. Nisso, o Saneamento
Básico é excelente! Analisar os desafios da vida real para a tomada de decisão,
transformando-os em um objeto de estudo que permita a aplicação de conceitos de
engenharia na vivência prática de concepção de projetos.
O objetivo deste desafio é provocar o seu senso crítico, buscando na leitura os
fundamentos necessários à explicação e compreensão das questões propostas,
conectando o conteúdo da disciplina de Saneamento Básico à realidade. Além disso,
este desafio proporciona autonomia para que você seja capaz de organizar suas
atividades mentais, de modo a desenvolver não somente o que compete às suas
(43) 99668 - 6495
A S S E S S O R I A A C A D Ê M I C A
A C A D Ê M I C A
(43) 98816 - 5388
atribuições como estudante, mas também como futuros profissionais.
Nossa atividade está dividida em três etapas que deverão ser feitas individualmente.
Você será desafiado(a) a avaliar, calcular e monitorar o processo de tratamento e
distribuição de água potável e tratamento e disposição final ambientalmente adequado
dos efluentes domésticos de seu município. Assim, seus conhecimentos serão
colocados à prova! Você está preparado(a)? Vamos lá!
CONTEXTUALIZAÇÃO
Ao estudar a disciplina Saneamento Básico, observamos que se encontra no ramo da
Engenharia Civil cuja principal atribuição é o diagnóstico, elaboração e coordenação
de projetos de saneamento básico e de obras sanitárias. Essa característica do
Engenheiro Civil, deve ser ampliada a fim de que os projetos melhorem a qualidade de
vida da população, como os de água, sistemas de tratamento, esgoto, drenagem e
irrigação pluvial.
Nesta atividade você é o(a) engenheiro(a) responsável pelo tratamento de água e
esgoto de seu município localizado no interior de Goiás. Para realizar este processo,
você deve se basear em dois princípios: medição e monitoramento. A partir da Figura
1, verificam-se as etapas de avaliação dos tratamentos de água e esgoto.
Figura 1 – Etapas de avaliação dos tratamentos de água e esgoto do município.
Fonte: ÁGUA sua linda: Como funciona a rede de saneamento básico?. [S. l.], 13
jul. 2020. Disponível em: https://www.facebook.com/aguasualinda?Acesso em: 21 jul.
2023.
A partir desses preceitos, você responsável técnico conseguirá realizar as tomadas
de decisões para que o abastecimento público de água potável seja considerado
efetivo e que o tratamento e disposição final ambientalmente adequado dos efluentes
domésticos estejam de acordo com os padrões ambientais solicitados.
ETAPA 1
Para esta primeira etapa, inicialmente você engenheiro(a) conhecedor das os
parâmetros de qualidade das águas, deverá realizar o diagnóstico deste índice de
qualidade a partir dos valores coletado em campo.
Na Etapa I você é o responsável por coletar amostras, realizar ensaio das amostras e
avaliar os dados obtidos para determinar os Índices de Qualidade da Água (IQA) do
rio que abastece a cidade no interior de Minas Gerais.
Os valores das curvas médias de variação dos parâmetros de qualidade das águas
para o cálculo do IQA se encontram na Figura 2.
Os resultados das análises se encontram na Tabela 1.
Tabela 1 - Parâmetros e resultados das análises de campo
Fonte: o autor.
Figura 2 - Curvas médias de variação dos parâmetros de qualidade das águas para o
cálculo do IQA
Fonte: AGÊNCIA NACIONAL DE AGUAS (ANA). Curvas médias de variação dos
parâmetros de qualidade das águas para o cálculo do IQA. [S. l.], 2004.
Disponível em: http://pnqa.ana.gov.br/indicadores-indice-aguas.aspx. Acesso em: 21
jul. 2023.
Tabela 2 - Valores de qi a partir das curvas médias de variação dos parâmetros de
qualidade das águas para o cálculo do IQA
Fonte: o autor.
A partir destes valores obtidos, você deverá calcular o IQA da água do rio que
abastece o município, além disso deverá determinar em qual categoria de qualidade
este rio se enquadra.
OBS: utilize os valores já definidos na Tabela 2.
I. Qual é a classificação do rio de abastecimento?
O cálculo do IQA é feito a partir do produto ponderado dos nove parâmetros
abordados acima, conforme a equação a seguir:
Onde:
qi = qualidade do i-ésimo parâmetro, obtido a partir do gráfico de qualidade, em
função de sua concentração ou medida (resultado da análise).
wi = peso correspondente ao i-ésimo parâmetro, fixado em função da sua importância
para a confirmação global da qualidade; é um número entre 0 e 1, tal
que: .
n = número de variáveis que entram no cálculo (indicadas nos gráficos da Figura 2).
ETAPA 2
Para esta segunda etapa, primeiramente você Engenheiro(a) deverá verificar as
condições da qualidade da água e o enquadramento do rio de abastecimento.
Inicialmente, o rio de abastecimento de seu município continha os parâmetros de
potabilidade a seguir:
• DBO5 a 20 ºC de 5 mg O2/L.
• OD de 4 mg O2/L.
• Turbidez de 90 UNT.
• Cor verdadeira de 75 mg Pt/L.
Com o aumento da intensidade de industrialização da cidade, observou-se alguns
lançamentos clandestinos de esgoto industrial sem tratamento no rio de
abastecimento, e após algum tempo observou-se os seguintes parâmetros:
• DBO5 a 20 ºC de 10 mg O2 /L.
• OD de 4 mg O2 /L.
• Turbidez de 100 UNT.
• Cor verdadeira de 75 mg Pt/L.
• Densidade de cianobactérias até 50.000 cel/ml.
• pH de 6,0 a 9,0.
Você deverá responder as seguintes perguntas:
1 – Em qual classe o rio estava enquadrado?
2 – As condições de qualidade de água deste rio indicam quais principais usos?
3 – Qual é o tipo de tratamento para este tipo de classificação?
4 – Em qual classe o rio passou a ser enquadrado?
5 – As condições de qualidade de água deste rio passaram a indicar quais principais
usos?
6 – Qual é o tipo de tratamento para esta nova classificação?
7 – Indique quais são as medidas para que o rio de abastecimento público de sua
cidade volte para a antiga classificação de qualidade ambiental.
ETAPA 3
Se você chegou até aqui, já está de parabéns! Contudo, ainda não acabou...
Além do tratamento e abastecimento de água potável, você engenheiro(a) também é
responsável pelo tratamento dessas águas residuais resultantes dos esgotos
domésticos das residências do município.
Sua tarefa é verificar os padrões de emissão de esgoto no corpo receptor bem como
sua qualidade.
Para a realização desta verificação, você identificou os requisitos mínimos dos padrões
e os parâmetros do processo de tratamento.
Para o tratamento efluente doméstico, após a equalização, acerto de pH e adição de
nutrientes, é submetido a um tratamento biológico através de um sistema de lodos
ativados e encaminhado aos Padrões de Emissão (PE) e de Qualidade do Corpo
Receptor (PQ) em relação a matéria orgânica.
Os parâmetros de projeto são:
DBO efluente doméstico bruto: 1100,00 mg/L.
DBO efluente doméstico tratado: 110,00 mg/L.
DBO do rio a montante do lançamento: 1,50 mg/L.
Q7,10 do rio: 10.000 m³/d.
Vazão média do efluente bruto: 1.000 m³/d.
Padrão de Emissão: Eficiência mínima de remoção de carga orgânica = 80%.
Padrão de Qualidade: DBO ≤ 5,00 mg/L O2.
Você deverá verificar:
Atendimento ao Padrão de Emissão (PE).
Atendimento ao Padrão de Qualidade (PQ).
Caso o Padrão de Qualidade não seja atendido, qual será a eficiência mínima, em
termos de DBO.
Qual será a vazão de Q7,10 do corpo receptor para o atendimento da DBO mínima?
Para o atendimento ao Padrão de Qualidade (PQ) (DBO máxima de lançamento),
utilize a Eq. 1, para eficiência, utilize a Eq. 2.

Mais conteúdo relacionado

Último

Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...DL assessoria 31
 
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptxPatrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptxAssimoIovahale
 
cipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna de
cipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna decipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna de
cipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna deGleuciane Rocha
 
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais PrivadosGestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais PrivadosGuilhermeLucio9
 
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docxAE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docxConsultoria Acadêmica
 
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdfCondutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdfAroldoMenezes1
 
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024Consultoria Acadêmica
 
MAPA – DESENHO TÉCNICO – 51 / 2024
MAPA   –   DESENHO TÉCNICO  –  51 / 2024MAPA   –   DESENHO TÉCNICO  –  51 / 2024
MAPA – DESENHO TÉCNICO – 51 / 2024excellenceeducaciona
 

Último (8)

Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
 
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptxPatrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
 
cipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna de
cipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna decipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna de
cipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna de
 
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais PrivadosGestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
 
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docxAE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
 
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdfCondutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
 
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
 
MAPA – DESENHO TÉCNICO – 51 / 2024
MAPA   –   DESENHO TÉCNICO  –  51 / 2024MAPA   –   DESENHO TÉCNICO  –  51 / 2024
MAPA – DESENHO TÉCNICO – 51 / 2024
 

Desafio Saneamento Básico

  • 1. MAPA - SANEAMENTO BÁSICO - 53/2023 VOCÊ ESTÁ PREPARADO(A)? Nas próximas páginas, você será DESAFIADO(A)! Como futuro(a) Engenheiro(a), queremos que você desenvolva habilidades essenciais para a sua jornada, como: analisar, sistematizar, refletir e tomar decisão. Uma aprendizagem ativa relevante é relacionada à nossa vida, aos nossos projetos e expectativas. Nisso, o Saneamento Básico é excelente! Analisar os desafios da vida real para a tomada de decisão, transformando-os em um objeto de estudo que permita a aplicação de conceitos de engenharia na vivência prática de concepção de projetos. O objetivo deste desafio é provocar o seu senso crítico, buscando na leitura os fundamentos necessários à explicação e compreensão das questões propostas, conectando o conteúdo da disciplina de Saneamento Básico à realidade. Além disso, este desafio proporciona autonomia para que você seja capaz de organizar suas atividades mentais, de modo a desenvolver não somente o que compete às suas (43) 99668 - 6495 A S S E S S O R I A A C A D Ê M I C A A C A D Ê M I C A (43) 98816 - 5388
  • 2. atribuições como estudante, mas também como futuros profissionais. Nossa atividade está dividida em três etapas que deverão ser feitas individualmente. Você será desafiado(a) a avaliar, calcular e monitorar o processo de tratamento e distribuição de água potável e tratamento e disposição final ambientalmente adequado dos efluentes domésticos de seu município. Assim, seus conhecimentos serão colocados à prova! Você está preparado(a)? Vamos lá! CONTEXTUALIZAÇÃO Ao estudar a disciplina Saneamento Básico, observamos que se encontra no ramo da Engenharia Civil cuja principal atribuição é o diagnóstico, elaboração e coordenação de projetos de saneamento básico e de obras sanitárias. Essa característica do Engenheiro Civil, deve ser ampliada a fim de que os projetos melhorem a qualidade de vida da população, como os de água, sistemas de tratamento, esgoto, drenagem e irrigação pluvial. Nesta atividade você é o(a) engenheiro(a) responsável pelo tratamento de água e esgoto de seu município localizado no interior de Goiás. Para realizar este processo, você deve se basear em dois princípios: medição e monitoramento. A partir da Figura 1, verificam-se as etapas de avaliação dos tratamentos de água e esgoto.
  • 3. Figura 1 – Etapas de avaliação dos tratamentos de água e esgoto do município. Fonte: ÁGUA sua linda: Como funciona a rede de saneamento básico?. [S. l.], 13 jul. 2020. Disponível em: https://www.facebook.com/aguasualinda?Acesso em: 21 jul. 2023. A partir desses preceitos, você responsável técnico conseguirá realizar as tomadas de decisões para que o abastecimento público de água potável seja considerado efetivo e que o tratamento e disposição final ambientalmente adequado dos efluentes domésticos estejam de acordo com os padrões ambientais solicitados. ETAPA 1
  • 4. Para esta primeira etapa, inicialmente você engenheiro(a) conhecedor das os parâmetros de qualidade das águas, deverá realizar o diagnóstico deste índice de qualidade a partir dos valores coletado em campo. Na Etapa I você é o responsável por coletar amostras, realizar ensaio das amostras e avaliar os dados obtidos para determinar os Índices de Qualidade da Água (IQA) do rio que abastece a cidade no interior de Minas Gerais. Os valores das curvas médias de variação dos parâmetros de qualidade das águas para o cálculo do IQA se encontram na Figura 2. Os resultados das análises se encontram na Tabela 1. Tabela 1 - Parâmetros e resultados das análises de campo Fonte: o autor. Figura 2 - Curvas médias de variação dos parâmetros de qualidade das águas para o cálculo do IQA
  • 5. Fonte: AGÊNCIA NACIONAL DE AGUAS (ANA). Curvas médias de variação dos parâmetros de qualidade das águas para o cálculo do IQA. [S. l.], 2004. Disponível em: http://pnqa.ana.gov.br/indicadores-indice-aguas.aspx. Acesso em: 21 jul. 2023.
  • 6. Tabela 2 - Valores de qi a partir das curvas médias de variação dos parâmetros de qualidade das águas para o cálculo do IQA Fonte: o autor. A partir destes valores obtidos, você deverá calcular o IQA da água do rio que abastece o município, além disso deverá determinar em qual categoria de qualidade este rio se enquadra. OBS: utilize os valores já definidos na Tabela 2. I. Qual é a classificação do rio de abastecimento? O cálculo do IQA é feito a partir do produto ponderado dos nove parâmetros abordados acima, conforme a equação a seguir: Onde: qi = qualidade do i-ésimo parâmetro, obtido a partir do gráfico de qualidade, em função de sua concentração ou medida (resultado da análise). wi = peso correspondente ao i-ésimo parâmetro, fixado em função da sua importância para a confirmação global da qualidade; é um número entre 0 e 1, tal
  • 7. que: . n = número de variáveis que entram no cálculo (indicadas nos gráficos da Figura 2). ETAPA 2 Para esta segunda etapa, primeiramente você Engenheiro(a) deverá verificar as condições da qualidade da água e o enquadramento do rio de abastecimento. Inicialmente, o rio de abastecimento de seu município continha os parâmetros de potabilidade a seguir: • DBO5 a 20 ºC de 5 mg O2/L. • OD de 4 mg O2/L. • Turbidez de 90 UNT. • Cor verdadeira de 75 mg Pt/L. Com o aumento da intensidade de industrialização da cidade, observou-se alguns lançamentos clandestinos de esgoto industrial sem tratamento no rio de abastecimento, e após algum tempo observou-se os seguintes parâmetros: • DBO5 a 20 ºC de 10 mg O2 /L. • OD de 4 mg O2 /L. • Turbidez de 100 UNT. • Cor verdadeira de 75 mg Pt/L. • Densidade de cianobactérias até 50.000 cel/ml. • pH de 6,0 a 9,0.
  • 8. Você deverá responder as seguintes perguntas: 1 – Em qual classe o rio estava enquadrado? 2 – As condições de qualidade de água deste rio indicam quais principais usos? 3 – Qual é o tipo de tratamento para este tipo de classificação? 4 – Em qual classe o rio passou a ser enquadrado? 5 – As condições de qualidade de água deste rio passaram a indicar quais principais usos? 6 – Qual é o tipo de tratamento para esta nova classificação? 7 – Indique quais são as medidas para que o rio de abastecimento público de sua cidade volte para a antiga classificação de qualidade ambiental. ETAPA 3 Se você chegou até aqui, já está de parabéns! Contudo, ainda não acabou... Além do tratamento e abastecimento de água potável, você engenheiro(a) também é responsável pelo tratamento dessas águas residuais resultantes dos esgotos domésticos das residências do município. Sua tarefa é verificar os padrões de emissão de esgoto no corpo receptor bem como sua qualidade. Para a realização desta verificação, você identificou os requisitos mínimos dos padrões e os parâmetros do processo de tratamento. Para o tratamento efluente doméstico, após a equalização, acerto de pH e adição de nutrientes, é submetido a um tratamento biológico através de um sistema de lodos ativados e encaminhado aos Padrões de Emissão (PE) e de Qualidade do Corpo Receptor (PQ) em relação a matéria orgânica. Os parâmetros de projeto são:
  • 9. DBO efluente doméstico bruto: 1100,00 mg/L. DBO efluente doméstico tratado: 110,00 mg/L. DBO do rio a montante do lançamento: 1,50 mg/L. Q7,10 do rio: 10.000 m³/d. Vazão média do efluente bruto: 1.000 m³/d. Padrão de Emissão: Eficiência mínima de remoção de carga orgânica = 80%. Padrão de Qualidade: DBO ≤ 5,00 mg/L O2. Você deverá verificar: Atendimento ao Padrão de Emissão (PE). Atendimento ao Padrão de Qualidade (PQ). Caso o Padrão de Qualidade não seja atendido, qual será a eficiência mínima, em termos de DBO. Qual será a vazão de Q7,10 do corpo receptor para o atendimento da DBO mínima? Para o atendimento ao Padrão de Qualidade (PQ) (DBO máxima de lançamento), utilize a Eq. 1, para eficiência, utilize a Eq. 2.