Treinamento WebSphere 6.1 Administration

1.900 visualizações

Publicada em

Treinamento de WAS 6 que ministrei

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.900
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
76
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Treinamento WebSphere 6.1 Administration

  1. 1. Parceria IBM & Centro Paula SouzaIBM Websphere 6.1 Application ServerAdministration TrainingAutor/Instrutor: Gustavo Henrique de Moraes Concon (gconcon@br.ibm.com)Monitor: Argemiro José de Lima (ajlima@br.ibm.com)Novembro/2009 © 2006 IBM Corporation
  2. 2. Academic InitiativesAvisos e Marca Registrada A IBM não fornece garantias ou declarações com relação ao conteúdo Os logos usados neste documento são marcas registradas e não podem ser usados nem reproduzidos. © Copyright IBM Corporation 2009 Todos os direitos reservados. IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  3. 3. Academic InitiativesAGENDA Introdução Família de produtos Arquitetura Instalação Navegação no console administrativo Clustering Instalação do HTTP Server Segurança IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  4. 4. Introdução © 2006 IBM Corporation
  5. 5. Academic InitiativesIntrodução – Arquitetura Cliente/ServidorWeb estática• Os servidores disponibilizavam informação em modo texto (html puro).• Os clientes (usuários) consumiam a informação acessando o diretamente orecurso (html), através de sua URL. http://meu.server.com/page1.html Servidor Page1.html HTTP (GET) Page2.html HTML Response Page3.html Page4.html Home.html IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  6. 6. Academic InitiativesIntrodução – Arquitetura Cliente/ServidorWeb dinâmica• Os usuários agora querem informação mais rápida, mais personalizada.• Os servidores recebem como pedido não só o nome do recurso, mas tambémos parâmetros, para devolver um resultado mais direcionado ao usuário. http://meu.server.com/pesquisa?q=WebSphere Servidor PesquisaServlet HTTP (GET) HTML Response DataSource DB IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  7. 7. Academic InitiativesAfinal, o que é um Application Server?Um servidor de aplicação ou em inglês, application server, é um software quedisponibiliza um ambiente para a instalação e execução de certas aplicações.O objetivo do servidor de aplicações é disponibilizar uma plataforma que abstraia dodesenvolvedor de software algumas das complexidades de um sistemacomputacional.No desenvolvimento de aplicações comerciais, por exemplo, o foco dosdesenvolvedores deve ser a resolução de problemas relacionados ao negócio daempresa, e não de questões de infra-estrutura da aplicação. O servidor de aplicaçõesresponde a algumas questões comuns à todas as aplicações, como segurança,garantia de disponibilidade, balanceamento de carga e tratamento de exceções. Fonte: Wikipedia IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  8. 8. Academic InitiativesRanking dos mais utilizados no mercadoResultado a pesquisa da Evans Data Corporation, feita em 2008, elegendo osmelhores Application Servers no mercado, considerando critérios comoPerformance, segurança, conectividade, suporte, escalabilidade e outros. • IBM WebSphere Application Server • Apache Geronimo • Windows Server • Coldfusion • JBoss • Sun / Glassfish • BEA Weblogic • NetWeaverFonte: Evans Data Corp.http://www.evansdata.com/reports/viewRelease_download.php?reportID=20 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  9. 9. Academic InitiativesContainersEm Java EE, o container contém os componentesconstruídos como Servlets (container paraaplicações Web) ou EJBs (container paracomponentes de negócio). Quando uma aplicaçãoweb faz uma solicitação para um Servlet, oservidor não entrega a solicitação diretamente aoServlet, mas sim para o container que contém oServlet. O container gerencia o ciclo de vida, dásuporte ao multithread, segurança, e suporte parapáginas JSP, no caso dos containers web. IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  10. 10. Academic Initiatives Containers Web Containers • Responsáveis por tratar conteúdo dinâmico da web, principalmente Servlets e JSPs • Exemplos no mercado: • WebSphere Application Server • Apache Tomcat • Borland Enterprise Server • BEA Weblogic EJB Containers • Responsáveis por fornecer as funcionalidades dos EJBs (Persistência, transação, segurança)0 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  11. 11. Product Packaging – A família de produtosWebSphere © 2006 IBM Corporation
  12. 12. Academic Initiatives A familia de produtos WebSphere WebSphere Application Server Express • Quando usar? Pequenas ou até médias empresas, que estão começando a usar a linha WebSphere ou que possuem uma baixa utilização • Componentes Todos os componentes da linha WebSphere, menos a possibilidade de federar nós (cluster) • Outros detalhes Limitado à 2 CPUs, para migrar para o pacote superior (base), deve-se apenas comprar a licensa, já que o aplicativo é o mesmo.2 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  13. 13. Academic Initiatives A familia de produtos WebSphere WebSphere Application Server (Base) • Quando usar? Pequenas ou até médias empresas, que estão começando ou já usam a linha WebSphere, e que possuem utilização média (500 usuários +) • Componentes Todos os componentes da linha WebSphere, menos a possibilidade de federar nós (cluster) • Outros detalhes Não há limitação de uso de CPU.3 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  14. 14. Academic Initiatives A familia de produtos WebSphere WebSphere Application Server Network Deployment • Quando usar? Grandes empresas, que precisam de um ambiente de alta disponibilidade e escalabilidade. • Componentes Todos os componentes da linha WebSphere, com a possibilidade de criar Clusters, federando os nós. • Outros detalhes Possui mais um componente em sua arquitetura, o DMgr.4 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  15. 15. Academic Initiatives A familia de produtos WebSphere5 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  16. 16. Academic Initiatives A familia de produtos WebSphere6 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  17. 17. Arquitetura do produto © 2006 IBM Corporation
  18. 18. Academic Initiatives Arquitetura do produto O browser é o principal mecanismo de interação do usuário.8 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  19. 19. Academic Initiatives Arquitetura do produto As requisições então são feitas ao HTTP Server, servidor dedicado para ouvir e direcionar as requisições para os recursos certos.9 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  20. 20. Academic Initiatives Arquitetura do produto O HTTP Server, através de um plug-in configurado, direciona as requisições para o Application Server, que irá executar a requisição através de um Servlet ou JSP.0 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  21. 21. Academic Initiatives Arquitetura do produto Se os servlets ou JSPs precisarem acessar algum recurso distribuído ou um banco de dados, a requisição é direcionada ao EJB, através do protocolo RMI/IIOP.1 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  22. 22. Academic Initiatives Arquitetura do produto O EJB container então pode acessar dados externos (como um banco de dados) através do padrão JDBC.2 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  23. 23. Academic Initiatives Arquitetura do produto Uma série de outros serviços estão disponíveis no Application Server.3 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  24. 24. Academic Initiatives Arquitetura do produto Não só os browsers podem ser clientes de um Application Server, uma aplicação Java (J2SE) também pode, e conecta-se diretamente via RMI/IIOP.4 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  25. 25. Academic Initiatives Arquitetura do produto Os Web Services, amplamente utilizados atualmente, também são clientes, e podem acessar os recursos ou via HTTP (REST), ou por mensagens assíncronas.5 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  26. 26. Academic Initiatives Arquitetura do produto Finalmente um cliente JMS (MQ Series por exemplo) pode também acessar os serviços de mensageria do Application Server.6 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  27. 27. Academic Initiatives Arquitetura – Topologia do WebSphere7 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  28. 28. Academic Initiatives Arquitetura – Topologia do WebSphere • Cell – A célula representa um ambiente em comum do Application Server, uma instalação em alto nível. • Deployment Manager (DM, DMgr) – Processo Java responsável por controlar a configuração Master da instalação. – Há apenas 1 DMgr por célula. – O DMgr comunica-se com os NodeAgents da célula.8 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  29. 29. Academic Initiatives Arquitetura – Topologia do WebSphere • Node – Uma entidade lógica na célula. – Para cada nó, existe apenas um NodeAgent. • NodeAgent (NA) – Processo Java que representa um nó. – O NodeAgent comunica-se direto com o DMgr. – O NodeAgent monitora/administra os processos do Application Server em seu nó.9 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  30. 30. Hands on: Instalação do Application Server ND © 2006 IBM Corporation
  31. 31. Clustering © 2006 IBM Corporation
  32. 32. Academic Initiatives Clustering Um cluster é a criação de um Application Server como template, e a partir dele, são criadas instâncias idênticas para compartilhar a carga do servidor.2 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  33. 33. Academic Initiatives Clustering – Cluster Vertical O cluster é chamado de cluster vertical, quando temos um cluster de instâncias do Application Server no mesmo Nó (Node). Quando usar? Essa implementação é usada para ganho de performance, desde que a máquina onde estão rodando suporte esse crescimento.3 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  34. 34. Academic Initiatives Clustering – Cluster Horizontal O cluster horizontal, permite que seus membros estejam espalhados em diferentes Nós. Quando usar? Nesse caso, usamos cluster horizontal para alta disponibilidade (failover)4 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  35. 35. Academic Initiatives Clustering – Cluster Horizontal5 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  36. 36. Academic Initiatives Clustering – Cluster Vertical + Cluster Horizontal Em diversas situações, as duas implementações são necessárias, pois precisamos de um ambiente de alta disponibilidade e performance. Por isso, é possível criar um cluster vertical em cada nó, e um cluster horizontal agregando todos os nós6 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  37. 37. Academic Initiatives Clustering – Cluster Vertical + Cluster Horizontal7 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  38. 38. Hands on: Criação de um cluster Horizontal + Vertical © 2006 IBM Corporation
  39. 39. Hands on: Instalação e configuração do IBM HTTP Server 6 © 2006 IBM Corporation
  40. 40. Segurança © 2006 IBM Corporation
  41. 41. Academic Initiatives Segurança Web Servers: provê o acesso universal a lógica de negócio da companhia. Permite o acesso à companhia pelo navegador de internet Apps (aplicações): é a lógica de negócio. Estas aplicações possuem acesso ao banco de dados e provê as regras de negócio.1 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  42. 42. Academic Initiatives Segurança pode ser aplicada em vários níveis:2 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  43. 43. Academic Initiatives Serviço de Segurança O Serviço de segurança roda localmente em cada processo(Dmgr, NodeAgent e Servidor) - Falha do serviço somente afeta um processo. - Pico de processamento na segurança não sofre gargalo para um único processo. Mecanismo de separação de autenticação e registro de usuários - Somente um mecanismo de autenticação e registro de usuário pode ser habilitado por vez.3 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  44. 44. Academic Initiatives Serviço de segurança do WebSphere4 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  45. 45. Academic Initiatives Autenticação e Controle de Acesso Autenticação (Quem é você?) Autorização (O que você pode fazer?)5 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  46. 46. Academic Initiatives Passos básicos6 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  47. 47. Academic Initiatives Autenticação Diga ao servidor quem você é!!! - Mecanismo de contestação; - Mecanismo de autenticação; - Registor de usuário.7 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  48. 48. Academic Initiatives Autenticação Básica - Senha transmitida com codificação; - Autenticação gravada no servidor; - Navegador valida o certificado do servidor8 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  49. 49. Academic Initiatives Autenticação certificada - Servidor solicita certificado do navegador; - Navegador valida certificado do servidor; - Navegador envia certificado do cliente para o servidor; - Servidor valida o certificado do cliente.9 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  50. 50. Academic Initiatives Mecanismos de registros e autenticação0 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  51. 51. Academic Initiatives Repositórios Federados1 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  52. 52. Academic Initiatives Registro customizável Possíveis implementações: - Banco de dados; - Arquivo; - Baseado no Sistema Operacional; - outros, não diretamente suportado. WebSphere disponibiliza: - Base; - Implementação exemplo.2 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  53. 53. Academic Initiatives Mecanismos de Autenticação3 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  54. 54. Academic Initiatives LTPA e LDAP4 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  55. 55. Academic Initiatives Single Sign-On - Uma vez que o cliente tem uma chave LTPA token válida, não há necessidade de autenticar com uma célula novamente; - SSO é ativo por padrão; - Envia cookies para o navegador rastrear as informações de autenticação de usuário; - Fornece para SSO dentro ou mesmo entre as células WebSphere.5 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  56. 56. Academic Initiatives Autorização - Autorização envolve dar permissões reais para executar ações em recursos(páginas, JSPs, EJBs etc); - Controle de acesso a recursos.6 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation
  57. 57. Academic Initiatives Autorização de Aplicações - Autorização é realizada usando as funções de segurança JEE; - Amarração de usuários e grupos para as funções de segurança JEE geralmente é feita na instalação da aplicação.7 IBM Academic Initiatives – Web technologies © 2006 IBM Corporation

×