Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao
Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal
Paulo Matos Martins – GuITT...
Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao
Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal
Paulo Matos Martins – GuITT...
Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao
Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal
Paulo Matos Martins – GuITT...
Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao
Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal
Paulo Matos Martins – GuITT...
Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao
Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal
Paulo Matos Martins – GuITT...
Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao
Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal
Paulo Matos Martins – GuITT...
Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao
Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal
Paulo Matos Martins – GuITT...
Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao
Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal
Paulo Matos Martins – GuITT...
Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao
Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal
Paulo Matos Martins – GuITT...
Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao
Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal
Paulo Matos Martins – GuITT...
Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao
Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal
Paulo Matos Martins – GuITT...
Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao
Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal
Paulo Matos Martins – GuITT...
Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao
Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal
Paulo Matos Martins – GuITT...
Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao
Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal
Paulo Matos Martins – GuITT...
Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao
Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal
Paulo Matos Martins – GuITT...
Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao
Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal
Paulo Matos Martins – GuITT...
Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao
Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal
Paulo Matos Martins – GuITT...
Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao
Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal
Paulo Matos Martins – GuITT...
Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao
Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal
Paulo Matos Martins – GuITT...
Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao
Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal
Paulo Matos Martins – GuITT...
Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao
Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal
Paulo Matos Martins – GuITT...
Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao
Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal
Paulo Matos Martins – GuITT...
Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao
Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal
Paulo Matos Martins – GuITT...
Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao
Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal
Paulo Matos Martins – GuITT...
Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao
Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal
Paulo Matos Martins – GuITT...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Modelo de Análise de acessibilidades para apoio ao planeamento e gestão rodoviária em Portugal

374 visualizações

Publicada em

A presente comunicação descreve as principais fases da construção de um modelo de análise de acessibilidades em sistema SIG para apoio ao planeamento e gestão rodoviárias do InIR, desenvolvido pelo Grupo de Investigação em Transportes, Território e Desenvolvimento Sustentável do ISEL, com o acompanhamento e apoio dos técnicos da área do planeamento rodoviário e dos sistemas de informação geográfica do Instituto. São também apresentados alguns resultados preliminares que permitem aferir da qualidade e ajustamento do modelo à realidade (calibração e validação) e antever as potencialidades da sua utilização no apoio ao planeamento e gestão da Rede Rodoviária Nacional (RRN).

O modelo permite efetuar análises de acessibilidade com base em custos generalizados para veículos ligeiros, veículos pesados, ou para um veículo tipo equivalente correspondente a um dado mix de tráfego englobando tanto veículos ligeiros como pesados. A impedância utilizada na análise de caminhos é independente do valor dos custos, que são calculados separadamente e de forma parcelar. O modelo permite, por exemplo, efetuar análises com o tempo de viagem como impedância (obtendo neste caso os caminhos mais rápidos), calculando também os correspondentes custos generalizados, incluindo o valor (separado) dos consumos de combustível e custos com portagens. O modelo permite ainda efetuar análises usando as distâncias de viagem como impedância ou o próprio custo generalizado (por exemplo, dos veículos pesados), sendo possível vir a desenvolver análises para planeamento de logística, como por exemplo a definição de hubs regionais.

Publicada em: Engenharia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Modelo de Análise de acessibilidades para apoio ao planeamento e gestão rodoviária em Portugal

  1. 1. Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal Paulo Matos Martins – GuITTS/CEECGuITTS MODELO DE ANÁLISE DE ACESSIBILIDADES PARA APOIO AO PLANEAMENTO E GESTÃO RODOVIÁRIA EM PORTUGAL Paulo Matos Martins(*), ISEL Isabel Botelho, IMT Inês Soares, ISEL Duarte Bento, ISEL Rui Luso Soares, IMT (*) paulo.martins@dec.isel.ptLisboa, 10 de abril de 2013 GuITT S
  2. 2. Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal Paulo Matos Martins – GuITTS/CEECGuITTS
  3. 3. Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal Paulo Matos Martins – GuITTS/CEECGuITTS • Pressupostos: pretende-se um modelo para apoio ao planeamento e gestão rodoviária do InIR que possa ser utilizado internamente pelos seus Técnicos; • Apresenta-se o modelo de análise de acessibilidades desenvolvido em SIG; • Descrevem-se as principais características do modelo e a qualidade e ajustamento deste à realidade (calibração e validação); • Apresentam-se os primeiros resultados preliminares; • Descrevem-se várias análises preliminares já efetuadas; • Faz-se a antevisão das potencialidades em termos de planeamento da RRN; • Apontam-se possíveis caminhos para ampliação a outros modos e setores.
  4. 4. Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal Paulo Matos Martins – GuITTS/CEECGuITTS O conceito de Acessibilidade associado ao planeamento de transportes refere-se à facilidade em alcançar bens, serviços e destinos. Estas três componentes juntas estão relacionadas com o conceito de oportunidade. A Acessibilidade pode ser vista como a facilidade em alcançar oportunidades. • O planeamento de transportes evidencia mais a vertente mobilidade; • O planeamento dos usos dos solos focaliza-se mais na acessibilidade geográfica e localização; • Os especialistas em comunicação concentram-se na qualidade da telecomunicação; • Os planeadores dos serviços sociais desenvolvem opções de acessibilidade para grupos sociais específicos.
  5. 5. Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal Paulo Matos Martins – GuITTS/CEECGuITTS CRIAÇÃO DO MODELO DE REDE RODOVIÁRIA Modelo de cadastro da rede rodoviária, em formato SIG, constituído por quase 6.000 arcos e extensão de aproximadamente 25 mil km.  Rede Rodoviária Nacional ≈ 19.000 km • Rede nacional fundamental • Rede nacional complementar • Rede nacional de autoestradas • Rede de estradas regionais  Rede Municipal ≈ 6.000 km Correção topológica da Rede Prolongamento da Rede Calibração de Velocidades Inclusão de atributos
  6. 6. Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal Paulo Matos Martins – GuITTS/CEECGuITTS CALCULO DE INDICADORES Atributos disponíveis: Tempo de viagem Extensão Custo Operacional (€/km) Custo Portagem Tradicional (€/km) Custo Portagem Eletrónica (pórticos - €) Valor do Tempo (€/Hora) Densidade Populacional (Hab/km2) Densidade PIB (103/km2) • Veículo Ligeiro • Veículo Pesado • Veículo Tipo Combinado Custo Operacional Custo das Portagens (por tipo) Custo do Veículo Custo do Tempo Custo da Viagem POTENCIALIDADES DO MODELO
  7. 7. Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal Paulo Matos Martins – GuITTS/CEECGuITTS Cálculo dos Custos Unitários Custo Total = Custo Operacional + Portagens tradicionais + Portagens eletrónicas + Custo Tempo *Valores do VOT obtidos em Handbook on estimation of external costs in transport sector – IMPACT project 88,00% 12,00% 60,00% 40,00% Consumo médio 5 Consumo médio 10 Consumo médio 40 Valor combustível 1,50 € Valor combustível 1,65 € Valor combustível 1,50 € Custo/km 0,07 Custo/km 0,17 Custo/kmPesados 0,60 0,11 0,17 0,26 Custo/kmLigeiros Custo/kmCombinado Veículos Custo Operacional (€/km) Veículos Ligeiros % Veículos Pesados % Veículos Disel % Veículos Gasolina % 30,00% 70,00% VOT EU2002 23,82 VOT EU2002 8,48 VOT EU2002 2,98 VOT EU2011 29,22 VOT EU2011 10,4 VOT EU2011 3,65 VOT PT2002 19,64 VOT PT2002 6,99 VOT PT2002 2,45 VOT PT2011 22,75 VOT PT2011 8,1 VOT PT2011 2,92 1 1,2 16,5 VOTLigeiros Negócios 22,75 VOTLigeiros Privados 9,72 48,18 13,629 17,78 12,00% Passageiros Valorunitáriodecarga-Ton Veículos VOTPesados VOTLigeiros VOTCombinado 88,00% Valor do Tempo - VOT [Euros/h] Veículos Ligeiros % Veículos Pesados % Veículos Negócios % Veículos Privados % Taxa de ocupação dos veículos Taxa de ocupação dos veículos Tonelagemmédia dos veículos
  8. 8. Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal Paulo Matos Martins – GuITTS/CEECGuITTS POTENCIALIDADES DO MODELO O/D Custo Operacional Direto do Veículo* Portagens tradicionais* Portagens eletrónicas* Custo do Tempo dos Utilizadores do Veículo* Custo Total Guarda - Porto 21,93 € 3,81 € 10,75 € 24,13 € 60,63 € Guarda - Santarém 27,59 € 2,39 € 16,75 € 30,36 € 77,10 € Porto - Santarém 26,92 € 19,23 € - 29,13 € 75,28 € *Veículos ligeiros, (Euros 2011). Custo Total = Custo Operacional + Portagens tradicionais + Portagens eletrónicas + Custo Tempo Impedância: Tempo de viagem
  9. 9. Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal Paulo Matos Martins – GuITTS/CEECGuITTS Lisboa - Vila Real C. Operacional Veículo* [€] Portagens Tradicionais* [€] Portagens Eletrónicas* [€] Tempo de Viagem [min] Impedância: Tempo 42,01 15,6 6,8 206 Impedância: Custo Veíc. 41,57 0,0 0,0 332 Diferença -0,44 -15,6 -6,8 +126 *Custo Veiculo = Custo operacional + Custo portagens Lisboa Vila Real Objetivo: minimizar custo viagem Lisboa Vila Real Objetivo: minimizar tempo viagem  Menor custo  Mais tempo ESCOLHA DE CAMINHOS MÍNIMOS COM VÁRIAS IMPEDÂNCIAS  Maior custo  Menor tempo (Euros 2011)
  10. 10. Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal Paulo Matos Martins – GuITTS/CEECGuITTS ACESSIBILIDADE AOS AEROPORTOS Impedância: Tempo de Viagem * Veículos Ligeiros ACESSIBILIDADE AOS PORTOS Impedância: Tempo de Viagem * Veículos Pesados (Minutos)
  11. 11. Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal Paulo Matos Martins – GuITTS/CEECGuITTS INDICADORES ESTATÍSTICOS DENSIDADE DE REDE DENSIDADE DE REDE POR HAB Densidade de Rede [km/km2] Capitação de Rede [km/1.000 Hab.] Lisboa 0,553 0,689 Évora 0,163 7,234 Lisboa Évora
  12. 12. Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal Paulo Matos Martins – GuITTS/CEECGuITTS INDICADORES ACESSIBILIDADE INDICADORES DE SEPARAÇÃO ESPACIAL IS VER IS – Indicador de Sinuosidade [1,00 – 1,20] Fraca sinuosidade [1,20 – 1,50] Sinuosidade média [1,50 – 1,80] Elevada sinuosidade Impedância: Tempo de viagem Veiculo: Ligeiro
  13. 13. Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal Paulo Matos Martins – GuITTS/CEECGuITTS INDICADORES ACESSIBILIDADE INDICADORES DE SEPARAÇÃO ESPACIAL IS VER VER – Velocidade Equivalente Reta [km/h] [0,00 – 60,00] VER reduzida [60,00 – 70,00] VER média [70,00 – 80,00] VER elevada Impedância: Tempo de viagem Veiculo: Ligeiro
  14. 14. Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal Paulo Matos Martins – GuITTS/CEECGuITTS INDICADORES ACESSIBILIDADE DEMOGRÁFICA Densidade Populacional TMP - Tempo Médio Ponderado IGA TMP IGA – Indicador Global Agregado 71 MILHARES DE PESSOAS ALCANÇADAS POR MINUTO Lisboa 1 3 2 Impedância: Tempo de viagem Veiculo: Ligeiro (Minutos) (População acessível) (Minutos) (Minutos)
  15. 15. Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal Paulo Matos Martins – GuITTS/CEECGuITTS Densidade Populacional TMP - Tempo Médio Ponderado IGA TMP IGA – Indicador Global Agregado 39 MILHARES DE PESSOAS ALCANÇADAS POR MINUTO Bragança INDICADORES ACESSIBILIDADE DEMOGRÁFICA 1 3 2 Impedância: Tempo de viagem Veiculo: Ligeiro (Minutos) (População acessível) (Minutos)
  16. 16. Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal Paulo Matos Martins – GuITTS/CEECGuITTS Densidade Populacional TMP - Tempo Médio Ponderado IGA TMP IGA – Indicador Global Agregado 40 MILHARES DE PESSOAS ALCANÇADAS POR MINUTO Beja INDICADORES ACESSIBILIDADE DEMOGRÁFICA 1 3 2 Impedância: Tempo de viagem Veiculo: Ligeiro (Minutos) (População acessível) (Minutos)
  17. 17. Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal Paulo Matos Martins – GuITTS/CEECGuITTS INDICADORES ACESSIBILIDADE ECONÓMICA IGA TMP Densidade PIB TMP - Tempo Médio Ponderado IGA – Indicador Global Agregado Lisboa 1.288 MILHÕES DE EUROS ALCANÇADAS POR MINUTO 1 3 2 Impedância: Tempo de viagem Veiculo: Ligeiro (Minutos) (109 Euros de PIB acessível) (Minutos)
  18. 18. Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal Paulo Matos Martins – GuITTS/CEECGuITTS INDICADORES ACESSIBILIDADE ECONÓMICA IGA TMP Densidade PIB TMP - Tempo Médio Ponderado IGA – Indicador Global Agregado Bragança 566 MILHÕES DE EUROS ALCANÇADAS POR MINUTO 1 3 2 Impedância: Tempo de viagem Veiculo: Ligeiro (Minutos) (109 Euros de PIB acessível) (Minutos)
  19. 19. Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal Paulo Matos Martins – GuITTS/CEECGuITTS INDICADORES ACESSIBILIDADE ECONÓMICA IGA TMP Densidade PIB TMP - Tempo Médio Ponderado IGA – Indicador Global Agregado Beja 713 MILHÕES DE EUROS ALCANÇADAS POR MINUTO 1 3 2 Impedância: Tempo de viagem Veiculo: Ligeiro (Minutos) (109 Euros de PIB acessível) (Minutos)
  20. 20. Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal Paulo Matos Martins – GuITTS/CEECGuITTS ESTUDO DA ACESSIBILIDADE AOS NÓS DE AUTOESTRADAS 1ª ANÁLISE 2ª ANÁLISE 1ª análise – Apenas RNA 2ª análise – RNA + vias com perfil de AE Sedes de Concelhos a: • 15 min • 30 min • 60 min • mais de 60 min Impedância: Tempo de viagem Veiculo: Ligeiro Nº Sedes Concelho Nº Sedes Concelho
  21. 21. Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal Paulo Matos Martins – GuITTS/CEECGuITTS DISTRIBUIÇÃO DA POPULAÇÃO RELATIVAMENTE AOS NÓS DAS AUTOESTRADAS 1ª análise – Apenas RNA 2ª análise – RNA + vias com perfil de AE 1ª ANÁLISE 2ª ANÁLISEIntervalo de tempo Acumulado ∑ População (Hab.) 0 – 15 8.305.577 15 – 30 9.207.094 30 – 45 9.642.011 45 – 60 9.847.369 60 – 90 9.983.080 90 – 120 10.028.211 1ª ANÁLISE Intervalo de tempo Acumulado ∑ População (Hab.) 0 – 15 8.441.972 15 – 30 9.361.112 30 – 45 9.767.159 45 – 60 9.944.378 60 – 90 10.014.992 90 – 120 10.039.364 Impedância: Tempo de viagem Veiculo: Ligeiro
  22. 22. Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal Paulo Matos Martins – GuITTS/CEECGuITTS 0,78 0,78 0,80 0,80 0,80 0,81 0,81 0,82 0,83 0,84 0,84 0,88 0,89 0,90 0,90 0,91 0,92 0,92 0,700 0,750 0,800 0,850 0,900 0,950 Rede 1995 Legenda: Indicador IT IT < 1 1 < IT < 1,2 1,2 < IT < 1,4 IT > 1,4 µ 1 18 jDist TodosDistritos Distrito j j         Indice do Tempo = Tempo real do percurso = Tempo de referência µ µRede 2000 Rede 2012 Índice de Tempo (IT) por Distrito ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DOS INDICADORES Fonte: Estudo JAE Fonte: Estudo JAE Tempo de referência: obtido para a ligação em linha reta com uma velocidade de referência de 70 km/h
  23. 23. Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal Paulo Matos Martins – GuITTS/CEECGuITTS • Objetivos iniciais de construção do modelo base foram alcançados (4 meses); • Foram criados laços de partilha técnica ISEL/InIR (IMT), que podem vir a ser ampliados; • Técnicos do InIR (IMT) já iniciaram a fase de testes. Já houve feed-back e melhorias no modelo. O modelo será utilizado internamente pelo InIR (IMT); • O modelo deverá ter atualizações constantes (pequenas) e poderá vir a ter aumentos de capacidade/complexidade (maiores); • Na sua atua forma tem já enorme potencial para efetuar análise: veículos ligeiros, pesados, combinados; diversos tipos de impedâncias, interação com modelos demográficos e económicos. Foi mostrada apenas uma parte dessa capacidade
  24. 24. Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal Paulo Matos Martins – GuITTS/CEECGuITTS • Consolidação dos indicadores padrão estratégicos que o modelo fornecerá; • Automatização dos procedimentos de cálculo desses indicadores; • Desenvolvimento e teste de cenários para apoio à decisão planeamento – teste de alternativas rodoviárias e dos seus impactes em termos de planeamento; • Inclusão de dados de tráfego históricos e reais para calibração de velocidades; • Associação a matrizes O/D para cálculo de indicadores macroeconómicos, como consumos, externalidades, receitas, taxas, etc. e cenários de variação face à procura; • Expansão aos modos ferroviário, marítimo e aéreo, para análise intermodal e logística; • Planeamento da localização de equipamentos sociais e análise de equidade.
  25. 25. Modelo de Análise de Acessibilidades para apoio ao Planeamento e Gestão Rodoviária em Portugal Paulo Matos Martins – GuITTS/CEECGuITTS Paulo Matos Martins paulo.martins@dec.isel.pt Visite-nos em: www.guittsisel.com

×