A Vontade Revelada de Deus
Mateus 7.21-23:
“Nem todo o que me disser: ‘Senhor, Senhor’, entrará no reino dos céus, senão
a...
“Tenho grande alegria em fazer a tua vontade, ó meu Deus; dentro do meu
coração, está a tua lei.”
Romanos 2.17,18, o apóst...
Em Romanos 12.2 temos que: A vontade de Deus é boa, perfeita e agradável. Essa é a
vontade que Deus quis revelar ao homem:...
de nós se voltou para o seu próprio caminho; e o SENHOR fez cair sobre ele a
iniqüidade de todos nós. 7 Ele foi oprimido e...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A Vontade Revelada de Deus

472 visualizações

Publicada em

Gostaria de começar esta mensagem fazendo algumas perguntas. E essas perguntas têm algo em comum: todas essas perguntas possuem a mesma resposta. O que te fez vir à igreja hoje? O que te fez vestir essa roupa que você está vestindo? O que te fez escolher estar sentado nesse lugar que você está sentado ou lendo isso que você está lendo? Que motivação você teve a estar na igreja que você está hoje? O que te fez aceitar a Jesus como Senhor e Salvador da sua vida? A resposta é uma: a sua vontade. Tudo que nós fazemos, fazemos por causa da nossa vontade. Tudo que nós executamos, executamos por causa da nossa vontade. Todas as coisas que deixamos para trás, deixamos por causa da nossa vontade.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
472
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Vontade Revelada de Deus

  1. 1. A Vontade Revelada de Deus Mateus 7.21-23: “Nem todo o que me disser: ‘Senhor, Senhor’, entrará no reino dos céus, senão aquele que fizer a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome e não expulsamos demônios em teu nome, e não fizemos muitas obras poderosas em teu nome?’. Contudo, eu lhes confessarei então: Nunca vos conheci! Afastai-vos de mim, vós obreiros do que é contra a lei.” Gostaria de começar esta mensagem fazendo algumas perguntas. E essas perguntas têm algo em comum: todas essas perguntas possuem a mesma resposta. O que te fez vir à igreja hoje? O que te fez vestir essa roupa que você está vestindo? O que te fez escolher estar sentado nesse lugar que você está sentado ou lendo isso que você está lendo? Que motivação você teve a estar na igreja que você está hoje? O que te fez aceitar a Jesus como Senhor e Salvador da sua vida? A resposta é uma: a sua vontade. Tudo que nós fazemos, fazemos por causa da nossa vontade. Tudo que nós executamos, executamos por causa da nossa vontade. Todas as coisas que deixamos para trás, deixamos por causa da nossa vontade. O homem é um ser que possui vontade própria. Aliás, uma das coisas que nos faz ser a imagem e semelhança de Deus é o fato de nós termos vontade própria. Se nós não tivéssemos vontade própria, não seríamos seres livres e por consequência não seríamos semelhantes a Deus. Deus é um ser livre e por isso tem vontade própria. Foi por causa da Sua vontade própria que Deus decidiu criar tudo que criou, da forma que criou, no tempo que criou. Por causa da Sua vontade que Ele decidiu nos criar como seres livres – e não robôs programados – para termos nossa própria vontade. Deus nos deu a possibilidade de termos nossa própria vontade. E foi por causa dessa vontade dada por Deus, que nós nos afastamos de Deus. Foi por causa da nossa própria vontade que nós traímos a Deus. Foi por causa da nossa vontade que nós nos afastamos da vontade de Deus. E é por isso que é tão importante conhecer a vontade Deus. É por isso que é tão importante ao homem conhecer qual é a vontade de Deus. Qual a vontade daquele que é o criador do homem. A vontade de Deus é algo tão importante, tão fundamental para a vida do homem, que o próprio Deus precisou revelar a sua vontade para que o homem pudesse voltar a viver com Ele, condição esta perdida por que o homem havia desobedecido a uma vontade de Deus. A Bíblia, desde Genesis a Apocalipse é centralizada em um único tema: a vontade de Deus. O Senhor revela a sua vontade ao homem de forma tão tremenda que este não tem como não dizer que não conhece a vontade de Deus. Mas então qual a vontade de Deus? Como conhecer a vontade de Deus? Pra falar da vontade que Deus revelou é preciso entender outros aspectos, outros tipos de vontade que Deus tem. De modo geral, a Bíblia refere-se a vontade de Deus em quatro sentidos diferentes: (1) A vontade de Deus como sendo a Lei de Deus Salmos 40.8, o salmista Davi declara:
  2. 2. “Tenho grande alegria em fazer a tua vontade, ó meu Deus; dentro do meu coração, está a tua lei.” Romanos 2.17,18, o apóstolo Paulo considera que conhecer a Deus é a sua vontade. Ou seja, em sua lei Deus nos instruiu acerca da totalidade da sua vontade. “Ora, você leva o nome de judeu, apoia-se na Lei e orgulha-se de Deus. Você conhece a vontade de Deus e aprova o que é superior, porque é instruído pela Lei.” (2) A vontade soberana de Deus Esta é a vontade determinada de Deus. A vontade decretada de Deus. A vontade de Deus que é cumprida em sua totalidade. A vontade exclusiva de Deus. Ou seja, a vontade que não depende de outras coisas para acontecer ou para serem cumpridas. Essa é a vontade de Isaías 46.9,10: “Lembrai-vos das primeiras coisas dos tempos antigos, pois Eu sou Deus, e não há outro; eu sou Deus e outro não há como eu. Narro o fim desde o princípio e conto desde a antiguidade as coisas que acontecerão. Meu conselho permanecerá e eu farei toda a minha vontade.” Foi por causa dessa vontade que Deus criou o mundo. Foi por causa dessa vontade que Deus criou o homem. O homem não é obra do acaso, mas sim obra de um Deus pessoal, com vontade própria, que decidiu criar o homem por causa do seu imenso amor. É por causa dessa vontade soberana de Deus que Jó declara (Jó 42.2): “Bem sei que tudo podes, e nenhum dos teus planos pode ser frustrado.” (3) A vontade permissiva de Deus É aquela vontade que Deus permite, ou deixa acontecer, mesmo ele não querendo especificamente que aquilo aconteça. Essa é a vontade de Deus que permite com que as guerras aconteçam, que faz com que crianças morram de fome, catástrofes naturais destruam cidades e mais cidades, velhos sejam torturados, pais matem filhos, filhos matem pais. Essa vontade ela só acontece, por que depende dos outros para acontecer. É por que os homens não fazem a vontade perfeita de Deus, que Deus permite com que coisas contrárias a Sua vontade perfeita aconteçam. É pelo fato do homem se afastar tanto de Deus, se afastar tanto da vontade perfeita de Deus, que Deus poderia dar o pior “castigo” que o homem poderia ter: deixá-lo a sua própria sorte, a sua própria vontade. É Deus se ausentar de tal forma da vida do homem a tal de dizer: “Eu lavo as minhas mãos com vocês, e os deixo viver debaixo própria vontade de vocês”. Muitas vezes estamos vivendo em nossas vidas mais a vontade permissiva de Deus do que a sua vontade perfeita. E justamente por não viver a vontade perfeita de Deus, a vontade permissiva se faz presente em nossas vidas. (4) A vontade perfeita de Deus
  3. 3. Em Romanos 12.2 temos que: A vontade de Deus é boa, perfeita e agradável. Essa é a vontade que Deus quis revelar ao homem: a Sua vontade perfeita, a vontade revelada de Deus. Paulo diz que a vontade perfeita de Deus é boa e agradável. Ele não disse apenas que a vontade era perfeita, mas desagradável. Ou perfeita, mas não tão boa assim. Mas sim, boa, perfeita e agradável. Então se a vontade Deus é boa, perfeita e agradável, por que o homem não busca viver essa vontade? Por dois motivos: (1) Ou o homem não conhece essa vontade relevada de Deus (2) Ou o homem não desejar viver em sua vida essa vontade revelada de Deus E para os que estão lendo esse texto agora, o primeiro motivo já não será mais motivo por que em 1 Timóteo 2.4 e em 2 Pedro 3.9, Deus revela qual a sua vontade perfeita: “o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade”. (1 Tm 2.4) “Não retarda o Senhor a sua promessa, como alguns a julgam demorada; pelo contrário, ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento.” (2 Pe 3.9) Esta é o tema central da Bíblia: a revelação de Deus para a salvação do homem. Então se a partir de hoje não buscarmos viver essa vontade boa, perfeita e agradável é por que nós não queremos isso em nossas vidas. E da mesma forma como a vontade permissiva de Deus depende de outras coisas para serem cumpridas, a vontade revelada de Deus também depende de outros fatores para acontecer. Infelizmente, essa vontade não vem sido cumprida em sua totalidade. E por causa de dois motivos: (1) O homem não deseja ser salvo Romanos 3.23; 5.9 (2) O homem não deseja levar a vontade revelada de Deus a outros homens João 3.16 e Isaías 53.1-11 e mostram que Deus não poupou esforços para revelar a sua vontade aos homens. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (Jo 3.16) “Quem creu em nossa mensagem? E a quem foi revelado o braço do SENHOR? 2 Ele cresceu diante dele como um broto tenro, e como uma raiz saída de uma terra seca. Ele não tinha qualquer beleza ou majestade que nos atraísse, nada havia em sua aparência para que o desejássemos. 3 Foi desprezado e rejeitado pelos homens, um homem de dores e experimentado no sofrimento. Como alguém de quem os homens escondem o rosto, foi desprezado, e nós não o tínhamos em estima. 4 Certamente ele tomou sobre si as nossas enfermidades e sobre si levou as nossas doenças; contudo nós o consideramos castigado por Deus, por Deus atingido e afligido. 5 Mas ele foi transpassado por causa das nossas transgressões, foi esmagado por causa de nossas iniqüidades; o castigo que nos trouxe paz estava sobre ele, e pelas suas feridas fomos curados. Todos nós, tal qual ovelhas, nos desviamos, cada um
  4. 4. de nós se voltou para o seu próprio caminho; e o SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de todos nós. 7 Ele foi oprimido e afligido; e, contudo, não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado para o matadouro, e como uma ovelha que diante de seus tosquiadores fica calada, ele não abriu a sua boca. 8 Com julgamento opressivo ele foi levado. E quem pode falar dos seus descendentes? Pois ele foi eliminado da terra dos viventes; por causa da transgressão do meu povo ele foi golpeado. 9 Foi-lhe dado um túmulo com os ímpios, e com os ricos em sua morte, embora não tivesse cometido nenhuma violência nem houvesse nenhuma mentira em sua boca. 10 Contudo, foi da vontade do SENHOR esmagá-lo e fazê-lo sofrer, e, embora o SENHOR tenha feito da vida dele uma oferta pela culpa, ele verá sua prole e prolongará seus dias, e a vontade do SENHOR prosperará em sua mão. 11 Depois do sofrimento de sua alma, ele verá a luz e ficará satisfeito; pelo seu conhecimento meu servo justo justificará a muitos, e levará a iniqüidade deles.” (Is 53.1-11) Por causa da vontade revelada de Deus, Jesus precisou morrer. Jesus precisou deixar todas as coisas que Ele tinha no céu e vir à terra para cumprir a vontade do Deus. A vontade de Jesus foi fazer a vontade revelada de Deus. Se Jesus foi moído e morto na cruz do calvário foi por que Deus assim o quis e planejou desde o início para que a sua vontade pudesse ser revelada a nós: a salvação do homem através de Jesus. E nós, os salvos, o que temos feito em favor dessa revelação? Será que temos mostrado essa revelação ao mundo? Será que temos ido e revelado a outros, aquilo que Deus já revelou a nós? Ou será que agiremos como alguns que diz que não precisa ser feito coisa alguma já que a Graça de Deus é irresistível e que os eleitos em seu tempo se achegarão até o Senhor? Como pode a Graça de Deus não ter a abrangência do tamanho da abrangência do pecado? Se o pecado é universal (depravação total) como pode a Graça de Deus não ser? Como pode a obra expiatória de Cristo (maior prova de amor de todos os tempos) ser reduzida apenas aqueles que são "eleitos"? Se a vontade revelada de Deus é boa, perfeita e agradável, fica difícil crer que ela seja assim apenas para alguns. E eu termino com um texto que está em 2 Coríntios 5.15: “E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou.”

×