GUILHERME NOVITA
RM DE MAMAS
QUANDO SOLICITAR?
INDICAÇÕES
• Pesquisa de carcinoma oculto
• Avaliação de implantes
• Rastreamento de mulheres de alto risco
• Suspeita de ...
d algorithm for clinical application of MRI breast in newly diagnosed breast cancer based on curren
The American Journal o...
CARCINOMA OCULTO
CARCINOMA OCULTO
Frasson A et al. Doenças da Mama Edição de Bolso Baseada em Evidências, Ed. Atheneu, 2013
CARCINOMA OCULTO
Frasson A et al. Doenças da Mama Edição de Bolso Baseada em Evidências, Ed. Atheneu, 2013
AVALIAÇÃO DE IMPLANTES
ECOGRAFIA
RESSONÂNCIA
MAGNÉTICA
MAMOGRAFIA
Não detecta rutura intracapsular
↓ Sensibilidade rutura extracapsular
↑ Especif...
US SEGUNDO LOOK
• RESULTADO BIÓPSIA: carcinoma ductal invasor grau III;
• RESULTADO IMUNO: RE (-) / RP(-) / HER2 (-);
RASTREAMENTO EM ALTO RISCO
↑BENEFÍCIOS
• Cicatriz x recidiva
• Assimetrias x lobular
• Cisto denso x nódulo sólido
• Lesão em única incidência
• Lesõ...
Incompatibilidade BX
Assimetria
focal na
MG
Tem exames
anteriores ?
não
Tem tradução
na US ?
sim
sim
sim
É palpável
clínicamente ?
Estável há <...
Assimetria x Lobular
CONTROLE DE TERAPIA NEOADJUVANTE
rPC
Hylton NM et al, Radiology, 2012; 263(3): 663-72.
CONTROLE DE TERAPIA NEOADJUVANTE
DOENÇA MAMÁRIA RESIDUAL
Hylton NM et al, Radiology, 2012; 263(3): 663-72.
CONTROLE DE TERAPIA NEOADJUVANTE
Hylton NM et al, Radiology, 2012; 263(3): 663-72.
SITUAÇÃO CLÍNICA
• 52 anos, assintomática.
DÚVIDA: DEVO PEDIR RM DE MAMAS ?
SITUAÇÃO CLÍNICA
Mc Laughlin AS et King TA. Breast Diseases, 2010; 21(3):204-7.
CONTROVÉRSIAS
A FAVOR:
• Exame de imagem mais
sensível.
• P...
ACURÁCIA
Houssami N et al., J Clin Oncol, 2008; 26(19): 3248-58.
METANÁLISE
MAMA IPSILATERAL
19 ESTUDOS (2.610 PACIENTES)
16% 12.8%...
Brennan ME et al., J Clin Oncol, 2009; 27(33): 5640-49.
METANÁLISE
MAMA CONTRALATERAL
22 ESTUDOS (3.253 PACIENTES)
9.3% 4....
DISPONIBILIDADE
E
CUSTO
Kuhl C et al., Breast, 2007; 16: S34-S44.
ARGUMENTOS DEFINITIVOS
• RM é usada com liberalidade em
lombalgias e enxaquecas....
ATRASO
NA CIRURGIA
Krishnan M et al., Am J Roentgenol, 2008; 190: A31-A34.
ATRASO NA CIRURGIA
70 pacientes (44 com RM)
41
27
Dias antes da ci...
Bleicher RJ et al., J Am Coll Surg, 2009; 209(2): 180-295.
ATRASO NA CIRURGIA
577 pacientes (130 com RM)
129.9
56.9
107.5
...
AUMENTO DE
MASTECTOMIAS
Houssami N et al., J Clin Oncol, 2008; 26(19): 3248-58.
METANÁLISE
MAMA IPSILATERAL
19 ESTUDOS (2.610 PACIENTES)
8.1%
11.3...
Bleicher RJ et al., J Am Coll Surg, 2009; 209(2): 180-295.
AUMENTO DE MASTECTOMIAS
• Grupo com RM teve ↑ 1,8 na taxa de
ma...
AUMENTO DE MASTECTOMIAS
45% 44%
41%
37% 37% 36%
30%
37%
44% 43%
11%
13%
19%
22%
0%
10%
20%
30%
40%
50%
1997 2000 2003 2006...
BENEFÍCIOS
CLÍNICOS
TAXA DE REOPERAÇÕES
Bleicher RJ et al., J Am Coll Surg, 2009; 209(2): 180-295.
TAXA DE REOPERAÇÕES
COORTE HISTÓRICA
577 pacientes (130 com RM)...
Pengel KE et al., Breast Cancer Res Treat, 2009; 116: 161-169.
TAXA DE REOPERAÇÕES
COORTE HISTÓRICA
349 pacientes (173 com...
Mann RM et al., Breast Cancer Res Treat, 2010; 119: 415-22.
TAXA DE REOPERAÇÕES
COORTE HISTÓRICA
267 casos de CLI (99 com ...
Tumbull L et al., Lancet, 2010; 375: 563-71.
COMICE TRIAL
ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO
Sem RM
807 mulheres
RM
816 mulheres
R...
Tumbull L et al., Lancet, 2010; 375: 563-71.
COMICE TRIAL
ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO
Com RM Sem RM
CIRURGIA CONSERVADORA 9...
Tumbull L et al., Lancet, 2010; 375: 563-71.
COMICE TRIAL
ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO
13%
19%
15%
19%
Margem positiva Reope...
Peters NHGM et al., Eur J Cancer, 2011; 47: 879-86.
MONET TRIAL
ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO
Sem RM
211 mulheres
RM
208 mulh...
Peters NHGM et al., Eur J Cancer, 2011; 47: 879-86.
MONET TRIAL
ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO
Houssami N et al. Ann Surg, 2013; 257: 249-55.
METANÁLISE
Houssami N et al. Ann Surg, 2013; 257: 249-55.
METANÁLISE
Houssami N et al. Ann Surg, 2013; 257: 249-55.
METANÁLISE
Gao et al., Int J Radiat Oncol Biiol Phys, 2003; 56: 1038-45.
METANÁLISE
MAMA CONTRALATERAL
22 ESTUDOS (3.253 PACIENTES)
4...
RASTREAMENTO CONTRALATERAL
COORTE HISTÓRICA PAREADA
756 PACIENTES (215 COM RM) ; SEGUIMENTO: 4,6 ANOS
6% 6%
3%
6%
0%
10%
2...
Fischer U et al., Eur Radiol, 2004; 14: 1725-31.
RECIDIVAS LOCAIS
COORTE HISTÓRICA
224 casos (86 com RM)
1.2%
6.5%
Com RM ...
RECIDIVA LOCAL
COORTE HISTÓRICA PAREADA
756 PACIENTES (215 COM RM) ; SEGUIMENTO: 4,6 ANOS
3% 3%
2%
4%
0%
2%
4%
6%
8%
10%
5...
Tumbull L et al., Lancet, 2010; 375: 563-71.
Drew PJ et al. 31st San Antonio - Oral Presentation – abstract 51.
COMICE TRI...
CONCLUSÕES
• DADOS ATUAIS NÃO JUSTIFICAM O USO DA RM.
• DANOS COMPROVADOS ; BENEFÍCIOS TEÓRICOS.
• NÃO HÁ SUBGRUPOS COM IN...
Saiba mais no site:
Clínica
URL: http://www.clinicaonline.net/39df8c0536
Palestra de Guilherme Novita
URL: https://www.you...
Rm pré operatória - Câncer de Mama
Rm pré operatória - Câncer de Mama
Rm pré operatória - Câncer de Mama
Rm pré operatória - Câncer de Mama
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Rm pré operatória - Câncer de Mama

294 visualizações

Publicada em

Tudo o que as mulheres precisam saber antes da operação do Câncer de mama, RM pré operatória.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
294
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Rm pré operatória - Câncer de Mama

  1. 1. GUILHERME NOVITA RM DE MAMAS QUANDO SOLICITAR?
  2. 2. INDICAÇÕES • Pesquisa de carcinoma oculto • Avaliação de implantes • Rastreamento de mulheres de alto risco • Suspeita de recidiva ou doença residual • Discordância entre exames • Controle após terapia neoadjuvante • Antes de cirurgias conservadoras
  3. 3. d algorithm for clinical application of MRI breast in newly diagnosed breast cancer based on curren The American Journal of Surgery, Vol 197
  4. 4. CARCINOMA OCULTO
  5. 5. CARCINOMA OCULTO Frasson A et al. Doenças da Mama Edição de Bolso Baseada em Evidências, Ed. Atheneu, 2013
  6. 6. CARCINOMA OCULTO Frasson A et al. Doenças da Mama Edição de Bolso Baseada em Evidências, Ed. Atheneu, 2013
  7. 7. AVALIAÇÃO DE IMPLANTES
  8. 8. ECOGRAFIA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA MAMOGRAFIA Não detecta rutura intracapsular ↓ Sensibilidade rutura extracapsular ↑ Especificadade rutura extracapsular (98%) ↓ Sens / Espec rutura intracapsular (60%) ↑ Sens / Espec rutura extracapsular (95%) ↑ Sens / Espec rutura intracapsular (90%) ↓ Sens / Espec rutura extracapsular (80%) AVALIAÇÃO DE IMPLANTES
  9. 9. US SEGUNDO LOOK • RESULTADO BIÓPSIA: carcinoma ductal invasor grau III; • RESULTADO IMUNO: RE (-) / RP(-) / HER2 (-);
  10. 10. RASTREAMENTO EM ALTO RISCO
  11. 11. ↑BENEFÍCIOS • Cicatriz x recidiva • Assimetrias x lobular • Cisto denso x nódulo sólido • Lesão em única incidência • Lesões múltiplas • Lesões parede • Mastopatia diabética • Incompatibilidade BX • Lesão palpável  BENEFÍCIOS • Mastite x Ca inflamatório • Distorção da arquitetura • Microcalcificações EXAMES INCONCLUSIVOS
  12. 12. Incompatibilidade BX
  13. 13. Assimetria focal na MG Tem exames anteriores ? não Tem tradução na US ? sim sim sim É palpável clínicamente ? Estável há <3 anos Estável há >3 anos Aumento da lesão Rastreamento de rotina Seguimento em 6 meses Biópsia percutânea Assimetria explicada por cisto simples Assimetria explicada por nódulo Rastreamento de rotina Biópsia percutânea não Rastreamento de rotina Biópsia percutânea negativa Fazer RM positiva não Seguimento em 6 meses
  14. 14. Assimetria x Lobular
  15. 15. CONTROLE DE TERAPIA NEOADJUVANTE rPC Hylton NM et al, Radiology, 2012; 263(3): 663-72.
  16. 16. CONTROLE DE TERAPIA NEOADJUVANTE DOENÇA MAMÁRIA RESIDUAL Hylton NM et al, Radiology, 2012; 263(3): 663-72.
  17. 17. CONTROLE DE TERAPIA NEOADJUVANTE Hylton NM et al, Radiology, 2012; 263(3): 663-72.
  18. 18. SITUAÇÃO CLÍNICA • 52 anos, assintomática. DÚVIDA: DEVO PEDIR RM DE MAMAS ?
  19. 19. SITUAÇÃO CLÍNICA
  20. 20. Mc Laughlin AS et King TA. Breast Diseases, 2010; 21(3):204-7. CONTROVÉRSIAS A FAVOR: • Exame de imagem mais sensível. • Permite melhor seleção de paciente para CC. • Deve aumentar eficácia das cirurgias: – ↓ reoperações. – ↓ recidivas locais. – Melhorar sobrevida?. CONTRA: • Pouco disponível. • Alto custo. • Atraso na cirurgia. • Aumenta número de mastectomias. • Benefícios clínicos não comprovados.
  21. 21. ACURÁCIA
  22. 22. Houssami N et al., J Clin Oncol, 2008; 26(19): 3248-58. METANÁLISE MAMA IPSILATERAL 19 ESTUDOS (2.610 PACIENTES) 16% 12.8% 0% 10% 20% 30% Maior detecção Indicações precisas de cirurgia ACURÁCIA: 86% - 99% VPP: 66% VP/FP= 1,91
  23. 23. Brennan ME et al., J Clin Oncol, 2009; 27(33): 5640-49. METANÁLISE MAMA CONTRALATERAL 22 ESTUDOS (3.253 PACIENTES) 9.3% 4.1% 1.5% 2.6% 0.0% 10.0% 20.0% 30.0% Total de achados Câncer CDIS CI VPP: 47,9% T médio: 6,9 mm Maioria pN0 (17/18) OBS: 11,9% DE CA INCIDENTAL EM RM NEGATIVA
  24. 24. DISPONIBILIDADE E CUSTO
  25. 25. Kuhl C et al., Breast, 2007; 16: S34-S44. ARGUMENTOS DEFINITIVOS • RM é usada com liberalidade em lombalgias e enxaquecas. • Custo no tratamento do câncer de mama: 0,4% - 2%. • Biópsias podem ser feitas por localização intraoperatória.
  26. 26. ATRASO NA CIRURGIA
  27. 27. Krishnan M et al., Am J Roentgenol, 2008; 190: A31-A34. ATRASO NA CIRURGIA 70 pacientes (44 com RM) 41 27 Dias antes da cirurgia Com RM Sem RM P=0,001
  28. 28. Bleicher RJ et al., J Am Coll Surg, 2009; 209(2): 180-295. ATRASO NA CIRURGIA 577 pacientes (130 com RM) 129.9 56.9 107.5 38.1 Tempo total Tempo após a Bx Dias antes da cirurgia Com RM Sem RM P=0,011 P=0,01
  29. 29. AUMENTO DE MASTECTOMIAS
  30. 30. Houssami N et al., J Clin Oncol, 2008; 26(19): 3248-58. METANÁLISE MAMA IPSILATERAL 19 ESTUDOS (2.610 PACIENTES) 8.1% 11.3% 7.0% 5.4% 1.1% 5.9% 0.0% 5.0% 10.0% 15.0% Conversão para mastectomia Ressecção mais ampla Total Correta Incorreta
  31. 31. Bleicher RJ et al., J Am Coll Surg, 2009; 209(2): 180-295. AUMENTO DE MASTECTOMIAS • Grupo com RM teve ↑ 1,8 na taxa de mastectomia. • ↑ 1,8 nas mastectomias entre 2004-2007 comparado a 1994-1998. McGuire KP et al., Ann Surg Oncol, 2009; 16(suppl 1): 24. • SEER: ↑ 4,2% a 11% nas mastectomias contralaterais entre 1998 e 2003. Tuttle TM et al., J Clin Oncol, 2007; 25: 5203-09.
  32. 32. AUMENTO DE MASTECTOMIAS 45% 44% 41% 37% 37% 36% 30% 37% 44% 43% 11% 13% 19% 22% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 1997 2000 2003 2006 Mastectomias RM pré-op Katipamula R et al., J Clin Oncol, 2009; 27(25): 4082-88.
  33. 33. BENEFÍCIOS CLÍNICOS TAXA DE REOPERAÇÕES
  34. 34. Bleicher RJ et al., J Am Coll Surg, 2009; 209(2): 180-295. TAXA DE REOPERAÇÕES COORTE HISTÓRICA 577 pacientes (130 com RM) 21.60% 13.80% Margens positivas Com RM Sem RM P=0,20
  35. 35. Pengel KE et al., Breast Cancer Res Treat, 2009; 116: 161-169. TAXA DE REOPERAÇÕES COORTE HISTÓRICA 349 pacientes (173 com RM) 13.80% 19.40% Margens positivas Com RM Sem RM P=0,17
  36. 36. Mann RM et al., Breast Cancer Res Treat, 2010; 119: 415-22. TAXA DE REOPERAÇÕES COORTE HISTÓRICA 267 casos de CLI (99 com RM) 27% 45% 7% 9% 46% 23% Taxa de reoperações Mastectomia inicial BCS→Mast Com RM Sem RM P=0,753P=0,010 P=0,013
  37. 37. Tumbull L et al., Lancet, 2010; 375: 563-71. COMICE TRIAL ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO Sem RM 807 mulheres RM 816 mulheres R 1623 mulheres
  38. 38. Tumbull L et al., Lancet, 2010; 375: 563-71. COMICE TRIAL ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO Com RM Sem RM CIRURGIA CONSERVADORA 92% 98% Peso do setor 54g 51g MASTECTOMIAS 7% 1%
  39. 39. Tumbull L et al., Lancet, 2010; 375: 563-71. COMICE TRIAL ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO 13% 19% 15% 19% Margem positiva Reoperação Com RM Sem RM p=0,77p=NS OBSERVAÇÕES: DIFERENÇA NO CUSTO = U$ 440 p/pessoa SEM DIFERENÇA EM 133 CLI (Χ2:0,13, p=0,72)
  40. 40. Peters NHGM et al., Eur J Cancer, 2011; 47: 879-86. MONET TRIAL ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO Sem RM 211 mulheres RM 208 mulheres R 418 mulheres
  41. 41. Peters NHGM et al., Eur J Cancer, 2011; 47: 879-86. MONET TRIAL ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO
  42. 42. Houssami N et al. Ann Surg, 2013; 257: 249-55. METANÁLISE
  43. 43. Houssami N et al. Ann Surg, 2013; 257: 249-55. METANÁLISE
  44. 44. Houssami N et al. Ann Surg, 2013; 257: 249-55. METANÁLISE
  45. 45. Gao et al., Int J Radiat Oncol Biiol Phys, 2003; 56: 1038-45. METANÁLISE MAMA CONTRALATERAL 22 ESTUDOS (3.253 PACIENTES) 4.1% 3.0% 6.1% 9.1% 12.0% 0% 10% 20% 30% Brennan et al. 5 anos 10 anos 15 anos 20 anos VPP: 47,9% T médio: 6,9 mm Maioria pN0 (17/18) Brennan ME et al., J Clin Oncol, 2009; 27(33): 5640-49.
  46. 46. RASTREAMENTO CONTRALATERAL COORTE HISTÓRICA PAREADA 756 PACIENTES (215 COM RM) ; SEGUIMENTO: 4,6 ANOS 6% 6% 3% 6% 0% 10% 20% 30% 5 anos 8 anos Com RM Sem RM p=0,39 Solin et al., J Clin Oncol, 2008; 26(3): 386-391.
  47. 47. Fischer U et al., Eur Radiol, 2004; 14: 1725-31. RECIDIVAS LOCAIS COORTE HISTÓRICA 224 casos (86 com RM) 1.2% 6.5% Com RM Sem RM p<0,001 MUITOS VIESES RL NO GRUPO SEM RM MAIOR QUE A MÉDIA
  48. 48. RECIDIVA LOCAL COORTE HISTÓRICA PAREADA 756 PACIENTES (215 COM RM) ; SEGUIMENTO: 4,6 ANOS 3% 3% 2% 4% 0% 2% 4% 6% 8% 10% 5 anos 8 anos Com RM Sem RM p=0,32 Solin et al., J Clin Oncol, 2008; 26(3): 386-391.
  49. 49. Tumbull L et al., Lancet, 2010; 375: 563-71. Drew PJ et al. 31st San Antonio - Oral Presentation – abstract 51. COMICE TRIAL OBJETIVO SECUNDÁRIO SEGUIMENTO MÉDIO: 3,1 ANOS 94% 96% 90% 95% 100% Com RM Sem RM SOBREVIDA LIVRE DE DOENÇA p=NS
  50. 50. CONCLUSÕES • DADOS ATUAIS NÃO JUSTIFICAM O USO DA RM. • DANOS COMPROVADOS ; BENEFÍCIOS TEÓRICOS. • NÃO HÁ SUBGRUPOS COM INDICAÇÃO ROTINEIRA. • NECESSIDADE DE ESTUDOS RANDOMIZADOS. NÃO É POSSÍVEL AFIRMAR QUE A RM NÃO É BENÉFICA
  51. 51. Saiba mais no site: Clínica URL: http://www.clinicaonline.net/39df8c0536 Palestra de Guilherme Novita URL: https://www.youtube.com/watch?v=VdV_EXZpvwA LinkedIn URL: https://br.linkedin.com/pub/guilherme-novita-garcia/34/6a/607 Facebook URL: https://www.facebook.com/guilherme.novitagarcia Guilherme Novita Garcia URL: http://guilhermenovitagarcia.com.br/

×