Acad 0_tabelario._2013docx

552 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
552
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Acad 0_tabelario._2013docx

  1. 1. 2013 TABELÁRIO DO DEODATO ORIENTAÇÃO PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETOS ELÉTRICOS RESIDENCIAIS. PROF DEODATO E N G E N H A R I A S - E L É T R I C A E C I V I L
  2. 2. Prof DEODATO TABELÁRIO Em construção ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO 28-02-2013 TABELAS USADAS PARA ORIENTAR OS PROJETOS ELÉTRICOS RESIDENCIAIS. CONSTAM TAMBÉM NOTAS DA ABNT E NORMAS TÉCNICAS. FEVEREIRO 2013
  3. 3. Prof DEODATO DUTOS DE DISTRIBUIÇÃO
  4. 4. Prof DEODATO DUTOS DE DISTRIBUIÇÃO QUADROS DE DISTRIBUIÇÃO
  5. 5. Prof DEODATO INTERRUPTORES
  6. 6. Prof DEODATO INTERRUPTORES.
  7. 7. Prof DEODATO TOMADAS
  8. 8. Prof DEODATO LUMINÁRIAS, REFLETORES E LÂMPADAS
  9. 9. Prof DEODATO NÚMERO MÍNIMO DE TOMADAS POR CÔMODO Cada cômodo das residências deverá ter tantas tomadas, quantos forem os aparelhos elétricos a serem instalados/ligados dentro do mesmo. Uma sala de estar, por exemplo, deve ter tomada individual de uso geral para o televisor, os aparelhos de som, vídeo, abajures, aspirador de pó, etc. A Norma vigente, a NBR 5410/97 determina as seguintes quantidades mínimas de Tomadas de Uso Geral em uma residência: • 1 tomada por cômodo para área igual ou menor do que 6 m²; • 1 tomada para cada 5 m, ou fração de perímetro, para áreas maiores que 6 m²; • 1 tomada para cada 3,5 m ou fração de perímetro para copas, cozinhas, copas- cozinhas, áreas de serviço, lavanderias, sendo que acima de cada bancada de 30cm ou mais, deve ser prevista pelo menos uma tomada; • 1 tomada em sub-solos, sótãos, garagens e varandas de 1000VA; • 1 tomada junto ao lavatório, em banheiros. O NÚMERO DE TOMADAS DEVE SER ESTABELECIDO DE ACORDO COM O AMBIENTE E OS EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS QUE PODEM SER UTILIZADOS, TABELA DAS QUANTIDADES DE TOMADAS DE USO GERAL POR PERÍMETRO Copas , copas cozinhas e áreas de serviço
  10. 10. Prof DEODATO NÚMERO MÍNIMO DE TOMADAS EM FUNÇÃO DA ÁREA CONSTRUIDA QUANTIDADE MÍMIMA DE TOMADAS PARA BANHEIROS QUANTIDADE MÍNIMA DE TOMADAS PARA SUBSOLOS, VARANDAS E GARAGENS
  11. 11. Prof DEODATO TOMADAS DE USO ESPECÍFICO Considerar a carga do equipamento elétrico a ser ligado, fornecida pelo Fabricante; Calcular a carga a partir da tensão nominal, da corrente nominal e do fator de potência do equipamento elétrico. TABELA DE VALORES PARA TOMADAS DE USO ESPECÍFICO EQUIPAMENTO P(W) T(H) KWh MES AR 7.000 BTU`S 1.130 8 271 AR 7.500 BTU`S 1.200 8 288 AR 8.000 BTU`S 1.300 8 312 AR 9.000 BTU`S 1.400 8 336 AR 10.000 BTU`S 1.500 8 360 AR 12.000 BTU`S 1.700 8 408 AR 14.000 BTU`S 1.900 8 456 AR 18.000 BTU`S 2.650 8 636 AR 21.000 BTU`S 3.100 8 744 AR 30.000 BTU`S 4.600 8 1.104 APARELHO DE SOM 100 4 12 BEBEDOURO ELÉTRICO 100 16 48 CAFETEIRA ELÉTRICA PEQUENA 500 1 15 CHAPEIRA ELÉTRICA 5.000 1 150 CHUVEIRO ELÉTRICO 2.500 0,5 37 ENCERADEIRA 400 3 36 FERRO ELÉTRICO AUTOMÁTICO 1.200 0,5 18 FORNO DE MICRO ONDAS 1.140 1 34 FREEZER HORIZONTAL 170 L 90 16 43 FREEZER HORIZONTAL 220 L 120 16 58 FREEZER HORIZONTAL 320 150 16 72 EQUIPAMENTO P(W) T(H) KWhMES
  12. 12. Prof DEODATO FREEZER HORIZONTAL 480 750 16 360 FREEZER VERTICAL 120 L 90 16 43 FREEZER VERTICAL 280 L 150 16 72 FRIGOBAR 80 16 38 GELADEIRA COMUM 253 L 90 16 43 GELADEIRA COMUM 310 L 120 16 58 GELADEIRA DUPLEX 430 L 150 16 72 GELADEIRA TRIPLEX 430 L 150 16 72 LAMPADA 20 W 20 2 1 LAMPADA 40 W 40 2 2 LAMPADA 60 W 60 2 4 LAMPADA 100 W 100 2 6 LAMPADA 150 W 150 2 9 LIQUIDIFICADOR 200 0,5 3 MAQUINA LAVAR PRATOS 1.200 0,5 18 MAQUINA LAVAR ROUPAS 1.000 1 30 MICRO COMPUTADOR 100 2 6 TELEVISOR 100 10 30 VENTILADOR PEQUENO 100 6 18 VENTILADOR GRANDE 250 6 45 VIDEO CASSETE 30 2 2 ILUMINAÇÃO A iluminação adequada deve ser calculada de acordo com a Norma vigente NBR413/92 “Iluminação de Interiores ”, da ABNT. Entretanto a Norma NBR 5410/97 estabelece como alternativa que para determinar as cargas de iluminação em unidades consumidoras residenciais, poderão ser adotados os seguintes critérios: Em cômodos ou dependências com área igual ou inferior a 6 m² deve ser prevista uma carga mínima de 100 VA. Em cômodos ou dependências com área superior a 6 m² deve ser prevista uma carga mínima de 100 VA para os primeiros 6 m², acrescidas de 60 VA para cada
  13. 13. Prof DEODATO aumento de 4 m². OBS: Os valores apurados correspondem à potência destinada a iluminação para o efeito de dimensionamento dos circuitos elétricos e não necessariamente à potência nominal das lâmpadas. POTÊNCIA DE ILUMINAÇÃO DOS CÔMODOS EM FUNÇÃO DA ÁREA
  14. 14. Prof DEODATO TABELA PARA DIMENSIONAMENTO DE ILUMINAÇÃO E RELAÇÃO DE POTÊNCIAS ENTRE DIFERENTES TIPOS DE LÂMPADAS. DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES Pela NBR 5410/04, não é permitido utilizar num circuito de iluminação, um condutor com seção menor que 1,5mm², que, pela tabela de capacidade de condução de corrente de condutores, suporta até 15,5A. Para facilitar os cálculos monte para cada um dos projetos, uma tabela semelhante a que vem a seguir:
  15. 15. Prof DEODATO MODELOS DE TABELAS QUE COMPÕE OS PROJETOS ELÉTRICOS. TABELA DE POTÊNCIA INSTALADA QUADRO DAS POTÊNCIAS POR CÔMODOS
  16. 16. Prof DEODATO SEÇÃO MÍNIMA E IDENTIFICAÇÃO DOS CONDUTORES DE COBRE. As seções mínimas dos condutores de cobre para a Fase, o Neutro e para o condutor de Proteção (PE) Terra, definidas pela Norma NBR 5410/97, deverão ser: a) Condutor Fase - Circuito de iluminação: 1,5 mm² b) Circuito de Força - Tomadas de Uso Geral ou Específico: 2,5 mm² c) Condutor Neutro- este condutor deve possuir a mesma seção (mm²) que o condutor Fase, nos seguintes casos: - Em circuitos monofásicos a 2 e 3 condutores e bifásicos a 3 condutores, qualquer que seja a seção(mm²); - Em circuitos trifásicos, quando a seção dos condutores Fase for inferior a 25 mm²; Observação: A Norma vigente, a NBR 5410/97, estabelece também, outro modo para o dimensionamento do condutor Neutro, que não se aplica aqui. d) Condutor de Proteção (PE) - este condutor, deverá ser dimensionado de acordo com a Tabela . RELAÇÃO ENTRE A SEÇÃO DOS CONDUTORES DE UM MESMO CIRCUITO
  17. 17. Prof DEODATO TABELA DA CAPACIDADE DE CONDUÇÃO DE CORRETENTE PELOS CONDUTORES. TABELA DAS TEMPERATURAS CARACTERÍSTICAS DE CONDUTORES USADOS NAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RESIDENCIAIS. (NBR 5410/97)
  18. 18. Prof DEODATO CONDUTORES CARREGADOS DE ACORDO COM O TIPO DE CIRCUITO. FATOR DE AGRUPAMENTO Atenção: os fatores de correção de agrupamento e temperatura foram calculados admitindo-se todos os condutores vivos permanentemente carregados com 100% de sua carga.
  19. 19. Prof DEODATO CAPACIDADE DE CONDUÇÃO DE CORRENTE, EM AMPERES, PARA CONDUTORES DE COBRE ISOLADOS COM PVC, TEMP. AMBIENTE DE 30ºC E TEMP. DE 70ºC NO CONDUTOR.

×