Aqu eci men to   Glo bal Tornados e Furacões Apresentado por:  Fábio nº 9  Gonçalo nº 10  Ricardo nº 19
Furacões  Tornados <ul><li>Em meteorologia, um  furacão   (no Oceano Atlântico),  ciclone   (no Índico) ou  tufão  (no Pac...
Escala Dos Furacões <ul><li>Categoria 1  </li></ul><ul><li>Ventos (km/h): 119 - 153 ;   Nível do mar (m): 1,2 – 1,6  ; Pre...
Escala Dos Tornado <ul><li>Escala de danos: A escala Fujita-person foi elaborada pelos cientistas Theodore fujita e Allan ...
Furacão Katrina <ul><li>O  Furacão Katrina  foi um grande furacão, uma tempestade tropical que alcançou a categoria 5 da E...
Furacão Dennis <ul><li>O  furacão Dennis  durou de 4 de Julho a 13 de Julho de 2005 no atlântico oeste. A sua intensidade ...
Furacão Dean <ul><li>Começa na segunda semana de Agosto de 2007. Na manhã de 13 de Agosto, o Centro Nacional de Furacões r...
Furacão Felix <ul><li>Segundo furacão de categoria 5 da temporada de furacões no Atlântico de 2007. Formado de uma depress...
 
 
END
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Catástrofes Naturais

11.920 visualizações

Publicada em

Trabalho de grupo 7

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.920
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
146
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
239
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Catástrofes Naturais

  1. 1. Aqu eci men to Glo bal Tornados e Furacões Apresentado por: Fábio nº 9 Gonçalo nº 10 Ricardo nº 19
  2. 2. Furacões Tornados <ul><li>Em meteorologia, um furacão (no Oceano Atlântico), ciclone (no Índico) ou tufão (no Pacífico) é um tipo de sistema de baixa-pressão que geralmente se forma nas regiões trópicas, onde constitui uma parte importante do sistema de circulação atmosférica ao mover calor da região equatorial para as latitudes mais altas. </li></ul><ul><li>Estruturalmente, um furacão é uma grande área giratória de nuvens e actividades de tempestade. A fonte de energia primária de um furacão é o lançamento de calor pela condensação de vapor de água, que condensa a altitude elevadas. Por causa disto, um furacão pode ser considerado como uma máquina de calor vertical gigante. </li></ul><ul><li>Os ingredientes para um furacão incluem uma perturbação de tempo preexistente, oceanos tropicais mornos com temperatura superior a 26°C, humidade ventos relativamente fortes nas regiões mais altas da atmosfera. </li></ul><ul><li>Um tornado é um pequeno, porém, intenso redemoinho de vento, formado por um centro de baixa pressão durante tempestades. Se o redemoinho chega a alcançar o chão, a repentina queda na pressão atmosférica e os ventos de alta velocidade (que podem alcançar mais de 350 km/h) fazem com que o tornado destrua quase tudo o que encontrar no meio de seu caminho. </li></ul>
  3. 3. Escala Dos Furacões <ul><li>Categoria 1 </li></ul><ul><li>Ventos (km/h): 119 - 153 ; Nível do mar (m): 1,2 – 1,6 ; Pressão barométrica (hPa): Menor que 980. </li></ul><ul><li>Categoria 2 </li></ul><ul><li>Ventos (km/h): 154 - 177 ; Nível do mar (m): 1,7 – 2,5 ; Pressão barométrica (hPa): 965–979. </li></ul><ul><li>Categoria 3 </li></ul><ul><li>Ventos (km/h): 178 - 209 ; Nível do mar (m): 2,6 – 3,8 ; Pressão barométrica (hPa): 945–964. </li></ul><ul><li>Categoria 4 </li></ul><ul><li>Ventos (km/h): 210 - 249 ; Nível do mar (m): 3,9 – 5,5 ; Pressão barométrica (hPa): 920–944. </li></ul><ul><li>Categoria 5 </li></ul><ul><li>Ventos (km/h): mais de 249 ; Nível do mar (m): Mais que 5,5 ; Pressão barométrica (hPa): Menor que 920. </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  4. 4. Escala Dos Tornado <ul><li>Escala de danos: A escala Fujita-person foi elaborada pelos cientistas Theodore fujita e Allan Person afim de classificar os tornados de acordo com os dano provocados . </li></ul><ul><li>Escala Fujita-Person </li></ul><ul><li>Categoria: F0 tem como efeitos danos em chaminés, galhos de árvores partidos. Velocidade dos ventos chegam atingir de 64-116 km/h. </li></ul><ul><li>Categoria: F1 tem como efeitos arrancar caravanas das suas bases. As velocidades dos ventos atingem entre 117-180 Km/h. </li></ul><ul><li>Categoria: F2 tem como efeitos arrancar arvores do solo. As velocidades dos ventos chegam a atingem entre 181-253 Km/h </li></ul><ul><li>Categoria: F3 tem como efeitos danificar tectos e paredes e virar comboios. As velocidades dos ventos atingem entre 254-332 Km7h. </li></ul><ul><li>Categoria: F4 tem como efeitos quebrar paredes solidamente construídas. As velocidades dos ventos chegam a atingir entre 333-418 km/h. </li></ul><ul><li>Categoria :F5 tem como efeitos arrancar casas de alicerces e arrasta-las a uma grande distância. As velocidades dos ventos chegam a atingis ventos chegam a atingir entre 420-512 Km/h. </li></ul>
  5. 5. Furacão Katrina <ul><li>O Furacão Katrina foi um grande furacão, uma tempestade tropical que alcançou a categoria 5 da Escala de Furacões de Saffir-Simpson. Os ventos do furacão alcançaram mais de 280 quilómetros por hora, e causaram grandes prejuízos na região litorânea do sul dos Estados Unidos, especialmente em torno da região metropolitana de Nova Orleães, em 29 de Agosto de 2005 onde mais de um milhão de pessoas foram evacuadas. O furacão passou pelo sul da Florida, causando em torno de dois bilhões de dólares de prejuízo e causando seis mortes directas. </li></ul>
  6. 6. Furacão Dennis <ul><li>O furacão Dennis durou de 4 de Julho a 13 de Julho de 2005 no atlântico oeste. A sua intensidade em Cuba em 8 de Julho era de categoria 4 e ao chegar a Florida regrediu a categoria 3, de acordo com a Escala de Furacões de Saffir-Simpson. Dennis foi um ciclone tropical, afectou o Haiti, Jamaica, Cuba, Florida, Alabama, Mississípi, Geórgia, Tennessee e a região de Ohio com ventos de 150 mph (240 km/h), pressão atmosférica de 930 (hPA). Causou 89 mortes e estragos de 4 a 6 bilhões de dólares. </li></ul>
  7. 7. Furacão Dean <ul><li>Começa na segunda semana de Agosto de 2007. Na manhã de 13 de Agosto, o Centro Nacional de Furacões reconheceu a organização do sistema e o classificou como depressão tropical Quatro enquanto ele estava a mais de 2400 km a leste das Pequenas Antilhas. Ele varreu a costa sul da Jamaica em 19 de Agosto, como um furacão de categoria 4 na Escala de Furacões de Saffir-Simpson. Dean continuou em direcção à Península de Iucatã. As condições favoráveis da porção oeste do Mar do Caribe permitiram Dean a se intensificar e alcançar, no dia seguinte, o nível máximo previsto pela escala de furacões de Saffir-Simpson, um furacão de categoria 5. </li></ul>
  8. 8. Furacão Felix <ul><li>Segundo furacão de categoria 5 da temporada de furacões no Atlântico de 2007. Formado de uma depressão tropical em 31 de Agosto de 2007, ele atravessou as Pequenas Antilhas em 1 de Setembro antes de adquirir o status de furacão. 3 de Setembro Félix foi elevado para a categoria 5, segundo a escala de furacões Saffir-Simpson; por volta das 21:00 UTC nesse mesmo dia o furacão enfraqueceu-se, passando para a categoria 4, mas se refortaleceu para a categoria 5 às 10:40 UTC de 4 de Setembro. Félix atingiu o nordeste da Nicarágua, próximo à fronteira com Honduras. Foram atribuídas ao Félix 133 mortes. </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  9. 11. END

×