Jerome Seymour Bruner

2.493 visualizações

Publicada em

Biografia e parte da obra de Bruner.

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.493
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
137
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jerome Seymour Bruner

  1. 1. DISCENTES:ADRIANO MAMEDES SILVA NASCIMENTOGRACIELI DA SILVA HENICKAMIRTES CAMPOS PEREIRACUIABÁ/MTABRIL/2012DISCIPLINA: TEORIAS DE APRENDIZAGEMPROFESSORES: Dr. SÉRGIO ROBERTO DE PAULO E Dr. CARLOS RINALDI1IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências
  2. 2. (1915). Graduou-se naUniversidade deDuke, Durham (Carolina doNorte), em 1937 eposteriormente emHarvard, Cambridge(Massachusetts), em1941, obteve o título dedoutor em Psicologia e temsido chamado o pai daPsicologia Cognitiva, pois deuinicio aos estudos da mente 2IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências
  3. 3. Para Bruner, a aprendizagem é um processoque ocorre internamente e não como umproduto do ambiente, das pessoas ou de fatoresesternos. Sua teoria privilegia a CURIOSIDADE DOALUNO e o papel do professor como INSTIGADORdessa curiosidade, daí ser chamada de TEORIADA DESCOBERTA. O método de Bruner prevêestruturação das matérias de ensino, sequênciade apresentação dessas matérias, motivação ereforço.Fonte: Fontes de educação. 2001. disponível em www.histedbr.fae.unicamp.brIF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 3
  4. 4. A teoria cognitiva de Bruner tem alguns pontosanálogos à pesquisa do desenvolvimento infantil deJean Piaget, porém esta incorpora a transmissãosocial, o processo de identificação e a imitação noprocesso de desenvolvimento e formação, tendo alinguagem um papel amplificador das competênciascognitivas da criança. Lembrando que estedesenvolvimento depende da utilização de técnicasde elaboração da informação, como objetivocodificar a experiência, observando os váriossistemas de representação ao seu dispor.IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 4
  5. 5.  “é possível ensinar qualquer assunto, demaneira honesta, a qualquer criança emqualquer estágio de desenvolvimento” O desenvolvimento cognitivo depende dainteriorização dos acontecimentos num sistemade armazenamento que corresponde ao meioambiente; Necessidade de interações sistemáticas econtingentes com o(s) educador(es); Ensino é amplamente facilitado pela linguagem.IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 5
  6. 6. Processos de contingência6IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências
  7. 7. Tem espaço fundamental em sua teoria, pois:“ensinar é, em síntese, um esforço paramoldar o desenvolvimento” 1969, p. 19-21)“uma teoria de ensino versa, comefeito, sobre as várias maneiras de auxiliar odesenvolvimento” .IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 7
  8. 8. Para se referir à natureza do desenvolvimentointelectual, ele considera entre outros, osseguintes aspectos (1969 pp.19-20): “o desenvolvimento intelectual caracteriza-se por independência crescente da respostaem relação à natureza imediata do estímulo”8IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências
  9. 9.  “ o desenvolvimento intelectual baseia-se emabsorver eventos, em um sistema dearmazenamento, que corresponde ao meioambiente” “ o desenvolvimento intelectual é caracterizadopor crescente capacidade para lidar comalternativas simultaneamente, atender a váriassequencias ao mesmo tempo, distribuir tempo eatenção, de maneira apropriada, a todas essasdemandas múltiplas”9IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências
  10. 10. Bruner afirma que: O indivíduo ao se desenvolver adquire meios derepresentar no seu ambiente. Conservar em um modelo a experiênciadecorrente da estimulação do meio, e tambémde recuperar a informação por meio dessemesmo modelo. Suas representações são análogas aos períodosde desenvolvimento proposto por Piaget( pré-operacional/ Representação Ativa; operacionalconcreto/ Representação Icônica e operacionalformal/ Representação Simbólica).10IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências
  11. 11. IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 11Três tipos de representações:Respostas Motoras ou deAprendizagem InativaEtapas dodesenvolvimentocognitivo
  12. 12.  Representação ativa (pré-operacional):Período aproximado entre a aquisição dalinguagem e a manipulação de símbolos.Idade pré-escolar: 0 – 3 anos.IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 12ExperiênciaAção(manipulação)
  13. 13.  Representação icônica(operacional/concreto):Operação do tipo ação direta com objetos(podendo ser interiorizada e reversível)ouoperação mental de símbolos.Idade: 3 – 9 anos.IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 13ImagemOrganizaçãoperceptiva
  14. 14.  Representação simbólica (operação formal):UTILIZAÇÃO DE SÍMBOLOSCapacidade de tratar de possibilidades novas;operar com proposições hipotéticas dandoexpressão formal às ideias concretas.Idade: a partir dos 10 anos.IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 14
  15. 15. Bruner ressalta que uma teoria psicológicade aprendizagem além de ser descritivasdevem ser prescritivas, com o intuito deotimizar a aprendizagem, facilitar atransparência ou a recuperação deinformações além de estabelecer regrasconcernentes à melhor forma de obterconhecimentos e técnicas.IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 15
  16. 16. Para Bruner o aluno APRENDE POR SIMESMO E ISSO É O NÚCLEO DO PROCESSOINSTRUCIONAL E O EVENTO MAISIMPORTANTE, portanto deve-se organizar ascaracterísticas básicas de uma teoria deensino:Predisposições;Estruturas do conhecimento;Sequência;Reforço.IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 16
  17. 17. Deve apontar as experiênciasmais efetivas para implantar emum indivíduo a predisposiçãopara a aprendizagem.Especificar como deve serestruturado um conjunto deconhecimentos.Indicar qual a sequência maiseficiente para apresentar asmatérias a ser estudadas.Deter-se na natureza e naaplicação dos prêmios epunições.TEORIA DE ENSINOIF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 17
  18. 18.  Influência de fatores culturais, motivacionaise pessoais são considerados. Foco: predisposição para exploraralternativas, nesta há 3 fatores envolvidos,são eles:IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 18Ativação• Nível ótimo de incerteza• CuriosidadeManutenção• Regime de instrução apontando alternativas falsas ecorretas para a descobertaDireção• Conhecer o objetivo da tarefa• Conhecer a importância de verificar as alternativas
  19. 19.  Razões para ensinar a estrutura da matéria:1. Entender os fundamentos torna a matériamais compreensível.2. Aprender os princípios gerais oufundamentais assegura-nos de que a perdade memória não significa uma perdetotal, pois com o que nos fica – princípiogeral – podemos reconstruir ospormenores, quando for necessário.IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 19
  20. 20. 3. Compreender algo como exemplo específicode um caso mais geral, ou seja, criarmodelos para compreensão de outras coisassemelhantes.4. Reexames constantes para diminuir adistância entre o conhecimento “avançado”e o conhecimento “elementar”.IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 20
  21. 21. Matérias completamente desatualizadas, ouinsatisfatórias por se arrastarem com extremoatraso em relação ao desenvolvimento emdeterminado campo distância que pode serreduzida dependendo do relevo da estrutura quedermos ao conhecimento.IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 21
  22. 22. Características fundamentais da estrutura deuma matéria:• Formas de representação.• Economia na representação de um domíniode conhecimento está relacionada com aquantidade de informação a ser conservadana mente.• Potência efetiva de uma estrutura é acapacidade de relacionar assuntosaparentemente distintos – valor generativo.IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 22
  23. 23. Variáveis importantes no estabelecimento dasequência de uma matéria: Cabedal de informações Estágio de desenvolvimento Natureza da matéria Diferenças individuais Processo de descobertaIF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 23RepresentaçãoativaRepresentaçãoicônicaRepresentaçãosimbólica
  24. 24. É importante considerar quanto ao processo dadescoberta: É necessário especificar em qualquer nível:“... o nível de incerteza em que se deve apresentar omaterial ao aluno; deixando um nível de tensãorazoável que mantenha o aluno procurando eatento para a solução de problemas” (Oliveira, 1975, p.88).IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 24
  25. 25.  A aprendizagem depende do conhecimentode resultados, no momento e no local em queele pode ser utilizado para correção.IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 25
  26. 26. o conhecimento dos resultados é muitoimportante no processo de ensino-aprendizagem;a avaliação dos progressos e dasdificuldades, relativamente aos objetivospoderá ser confirmada ou corrigida nosfeedback;a aplicação de reforços, quer imediatos, ouposteriores quando necessário, é importantefazer intervir uma informação corretiva.IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 26
  27. 27. Bruner relaciona o desenvolvimento intelectual, professor ealuno e propõe que: “o desenvolvimento intelectual baseia-se numa interaçãosistemática e contingente, entre professor e aluno, na qual oprofessor, amplamente equipado com técnicas anteriormenteinventadas, ensina a criança.”Ainda destaca o papel da linguagem no ensino: “o ensino é altamente facilitado por meio da linguagem queacaba sendo não apenas meio de comunicação, mas oinstrumento que o estudante pode usar para ordenar o meioambiente”IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 27
  28. 28.  Bruner se conscientiza de que a educação nãoé neutra nem isolada, e sim profundamentepolítica(p. 92, Moreira). O ensino da estrutura das disciplinas perdefoco e passa ser necessário ensinar nocontexto dos problemas sociais. Foco no contexto social do aluno, seucotidiano.IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 28
  29. 29. Segundo Bruner, é possível ensinar tudo àscrianças, utilizando procedimentos adaptados aos estiloscognitivos e às suas necessidades.Defende que o conhecimento da estrutura das disciplinasexige a utilização das metodologias das ciências quesuportam as várias disciplinas. Necessita, porém que hajapredisposição por parte da criança em narrar, aguçar acuriosidade e reciprocidade para ir em busca decompetências ofertadas por uma estrutura de ensino comoprioridade, onde o aluno seja estimulado pordescobertas, obedecendo os diferentes níveis dedesenvolvimento.IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 29
  30. 30. PENSAMENTOTomada deconsciênciaO aluno aumentaa eficiênciaMat . e FísicaConexão doconhecimentoÊnfaseAssumeCorre riscode enganarConhecimentodo assuntoTraço daPersonalidadeAnalíticoSubmeter aanáliseAcerto porpalpiteidentificaçãoimitaçãoAutoconfiançaestruturaProfessorIntuitivoRecompensasintrínsecasPosteriormente decidida pelosmétodos usuais da provaCerto ouerradoAlcancesentidoÉ a compreensão oucognição imediataSob a forma deestímuloElaboraçãopormenorizadodo currículocompreensãoSem dependênciado aparelhoanalítico130IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências
  31. 31. MOTIVAÇÃO DAAPRENDIZAGEMExcelênciaMateriais que desafiem oaluno superior, sem destruira confiança e a vontade deaprender dos demaisQuais são essesNíveis?Comodespertar ointeresse?O queensinamos?Comoensinamos?Pesquisa eplanejamentopreliminarMotivaçãoCondição do organismo queinfluencia a direção/objetivodo comportamento, ou sejaimpulso interno que leva aaçãoDifícil, masnecessário paraatingirMelhorar ocurrículoescolarNível “ótimo” deatenção quedesperte paraatividade em classeImaginação eflexibilidadeIF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 31
  32. 32. Ato de aprender“qq assunto pode serensinado com eficiência, dealguma formaintelectualmente honesto, aqq criança, em qq estágio dedesenvolvimento”A CRIANÇA EMCONDIÇÕES DEAPRENDERRep.Simbólica-por símbolosContraria ousubstitui o que oindividuo sabiaimplícito ouexplicitamenteAquisição denovainformaçãoTransformação-desmarcar paraextrapolarRep. Ativa-experiência/açãoDesenvol-vimentointelectualO aluno aprende pordescobertas, onde descobrepor ele mesmo as estruturas,portanto obedece os níveis dedesenvolvimento intelectualAvaliaçãoEpisódios deaprendizagemCurrículoem EspiralRep. Icônica-reversibilidadeEquilíbrio entreas recompensasExtrínsecas eintrínsecasDuraçãoconformeo esforçoPode ser longoou curto - muitasou poucas ideiasConheci-mentoCompre-ensãoNeces-sidadeCapaci-dadenotasIF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 32
  33. 33. MeritocraciaO prof.: modelo ecomunicadorRECURSOSDIDÁTICOSQualificaçãoCompetitividadePerigo naênfaseMotivaçõesativaAudacioso, seguro, perspicaz e entusiasta.Prática delaboratório ecubos mat.Todos e qq recursos utilizadosnos contextos dosprocedimentos de ensinoAprend.humanísticaReforça comodispositivo/modeloFigura deidentificaçãoCom liberdadeparaDispositivosdramatizadosFilme eteatroMáquina queapresentaquestões comalternativasDispositivoautomatizantesDiversidadeCiência eTecnologiaFeedbackCorreçãoimediataPlanejamentoFenômenoou idéiaEnsinar AprenderElevar oprestigio domagistério“Ensinar é um meio admirável de aprender-se”Aumentar o nível intelectual sempreocupar com o êxito efetivoIF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 33
  34. 34. RecursosDidáticosESTRUTURASPrincípiosCultura: conjunto deferramentas com técnicase procedimentos paraentender seu mundo elidar com elePsi Cultura RelaçõesValoresCurrículoem EspiralPara que o aluno além de darrespostas conhecidas a novasituações dê tbém respostasEducaçãoenfatiza:ProfessorCurrículoEstruturaCapaz dedesafiar e tentarprogredirEnsinar pordescobertasPlanejarPoder daconsciência daatividade dereflexãoCom técnicasanteriormentepreparada, ensina oaprendizAmplitudede diálogoPrepara sequências de ensinocom estruturas calcadas nainteração prof/aluno que levaao desenvolvimentointelectualEnfatiza a estrut. damater., suas idéias erelaç. fundamentaisNegociaçãono contextoo socialConstituídospelos grandestemasTópicos sejamdesenv. váriasvezes em grausposterioresIF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 34
  35. 35.  BRUNER, Jerome Seymour. O Processo daeducação; tradução de Lólio Lourenço deOliveira. Ed 3ª. SP. Editora Nacional, 1972. MOREIRA, Antônio Marco. Teorias daAprendizagem. SP: EPU, 1999.35IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências
  36. 36. IF/UFMT Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências 36“...é possível ensinar qualquer assunto, de maneira honesta, a qualquercriança em qualquer estágio de desenvolvimento” (BRUNER, J.S. Umanova teoria de aprendizagem.1969)

×