Cheque sem contra ordem

5.170 visualizações

Publicada em

1 comentário
6 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.170
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
97
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
1
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cheque sem contra ordem

  1. 1. Cheque em branco, assinado e sem contra-ordem (*)Que descuido! Ninguém faz isso. Assinar cheque sem antes preenchê-lo não é prática decomércio. A razão é simples: o cheque é uma ordem de pagamento a vista e, por definição,se estiver assinado pelo titular da conta bancária, qualquer pessoa escreverá nele a quantiaque lhe convier e ao banco caberá a obrigação de pagá-lo, desde que haja fundos suficientese não exista contra-ordem. O propósito deste esboço não é ensinar sobre cheque. É, antes,dizer que, diferentemente do que se faz no mercado, Deus costuma entregar cheques embranco, assinados e sem contra-ordem, ao ser humano, para serem descontados contra umaconta cujo saldo é incalculável. Busca-se, também, levar o leitor a refletir: "O que eu fariase recebesse de Deus um cheque desses?"Lembra-se de Salomão? Ele recebeu um: "Em Gibeão apareceu o Senhor a Salomão denoite em sonhos, e disse-lhe: Pede o que queres que eu te dê." (1 Rs 3.5).Salomão havia recebido de Deus a incumbência de ser rei em Israel em lugar de seu pai,Davi. Tal cargo, ainda que encerrasse responsabilidade, constituía-se, também, em grandeprivilégio: não era a qualquer um que Deus comissionava com tamanha projeção.Pois bem, a oportunidade de ser rei em Israel já era uma dádiva de Deus. Como se nãobastasse, o Senhor ofereceu a Salomão um cheque em branco, assinado e sem contra-ordem: "Pede o que queres que eu te dê".Talvez fosse inócuo discutir aqui por que Deus teria concedido a Salomão presente duplo.Ele é Senhor e, como tal, faz o que quer e dá satisfação se quiser. Porém, meditar no valorescrito naquele cheque em branco é de suma importância. Salomão nos lega grande lição aoregistrar no cheque prioridades que se conformavam com a vontade de Deus.Salomão poderia ter preenchido o cheque com uma solicitação de vida longa, riqueza, avida de seus inimigos ou glória, caso estas coisas lhe estivessem em primazia. Mas não ofez. Pediu sabedoria. "Dá, pois, a teu servo um coração entendido para julgar o teu povo,para que prudentemente discirna entre o bem e o mal; porque, quem poderia julgar a esteteu tão grande povo?" (1 Rs 3.9).Deus se agradou do pedido de Salomão: "E pareceu bem aos olhos do Senhor o ter Salomãopedido tal coisa." (1 Rs 3.10) Por isso, o cheque foi "pago" alegremente e com acréscimos.Disse-lhe o Senhor: "Porquanto pediste isso, e não pediste para ti muitos dias, nemriquezas, nem a vida de teus inimigos, mas pediste entendimento para discernires o que éjusto, eis que faço segundo as tuas palavras. Eis que te dou um coração tão sábio eentendido, que antes de ti teu igual não houve, e depois de ti teu igual não se levantará.Também te dou o que não pediste, assim riquezas como glória; de modo que não haverá teuigual entre os reis, por todos os teus dias." (1 Rs 3.11-13).A regra é: "Deleita-te também no Senhor, e ele te concederá o que deseja o teu coração."(Sl 37.4). As palavras "deleita-te também no Senhor" aludem à conformação com a vontadede Deus, voluntariamente, sem qualquer imposição.
  2. 2. Por isso, uma tradução em português substitui a expressão "deleita-te no Senhor" por"coloca tua alegria no Senhor". De fato, se a nossa satisfação está em fazer a vontade deDeus, o valor que escrevermos no cheque será "pago" pelo Senhor, e com acréscimos.Paulo se refere a Deus como "àquele que é poderoso para fazer tudo muito maisabundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nósopera." (Ef 3.20).Infringir essa regra é desperdiçar a oportunidade de completar o cheque com um valorajustado ao anelo de Deus. Sobre isso, a Bíblia conta um episódio > curioso: Ao subir doEgito para o Negebe, Abrão era muito rico. Tinha gado, prata e ouro. Ló, seu sobrinho, quetambém seguiu com ele, tinha, de igual modo, rebanhos, gado e tendas. Conforme o relatosagrado, a terra não podia sustentá-los, para eles habitarem juntos; porque os seus benseram muitos, a ponto de haver contenda entre os pastores do gado de Abrão e os pastoresdo gado de Ló (Gn 13.6,7).Visando a solucionar o problema, Abrão propôs a Ló que se separassem, e deu a este odireito de escolha. Deus lhe estava concedendo, por intermédio do tio, a possibilidade depreencher o cheque com o valor adequado. Ló, porém, não o fez. "Então Ló levantou osolhos, e viu toda a planície do Jordão, que era toda bem regada (antes de haver o Senhordestruído Sodoma e Gomorra), e era como o jardim do Senhor, como a terra do Egito, atéchegar a Zoar. E Ló escolheu para si toda a planície do Jordão..." (Gn 13.10,11a).Em vez de anotar no cheque um valor condizente com o querer divino, Ló preferiu seguir odesejo de seus olhos. Por que teria ele cometido aquele equívoco? Há, na história, umdetalhe que responde à questão e não pode passar despercebido: Ao chegar ao Negebe,Abrão foi até Betel para invocar o nome do Senhor (Gn 13.3,4). A mesma atitude não seobserva em Ló. Por omitir-se na busca a Deus, Ló fez uma péssima escolha, embora a terrapara onde resolveu ir fosse agradabilíssima aos seus olhos. Resultado: Ló somente nãopereceu, quando da destruição das cidades de Sodoma e Gomorra, porque o Senhorrespondeu à intercessão de Abrão e o livrou. Deus quer que preenchamos cheque comoAbrão e Salomão, e não como Ló.Apesar da epígrafe, cumpre observar: há cheque para o qual Deus prefere emitir contra-ordem. Ele o havia assinado em branco, mas o valor escrito é tão contrário à Sua vontade ede tal modo maléfico ao portador do cheque que o bondoso Senhor recusa-se atendê-lo.Tiago explica isso quando diz: "Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes emvossos deleites.".(Tg 4.3). Pelo ensino de Tiago vê-se, também, que algumas vezes o valordo cheque está correto, mas não é pago por falta de fé do portador. Em outras palavras, ocheque não é apresentado ao "Banco". "Ora, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-aa Deus, que dá liberalmente a todos e não censura, e ser-lhe-á dada. Peça-a, porém, com fé,não duvidando; pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, que é sublevada eagitada pelo vento. Não pense tal homem que receberá do Senhor alguma coisa." (Tg 1.5-7).O que você tem feito com o cheque em branco que Deus o entregou?. Já registrou nele assuas prioridades? Quais são elas? Que tal analisá-las no tocante à sua adequação à vontade
  3. 3. de Deus? É conveniente realizar esses exames antes de apresentar o cheque ao "Banco"celestial para ser "pago".Lembre-se do que disseram os filhos de Coré: "o Senhor ... não negará bem algum aos queandam na retidão." (Sl 84.11) Jesus também ensinou: "Se vós permanecerdes em mim, e asminhas palavras permanecerem em vós, pedi o que quiserdes, e vos será feito." (Jo 15.7). (*) Pr. José Graciano Dias

×