SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 35
ORIENTAÇÃO PNAIC-2014
Orientadora:
MARIA DAS GRAÇAS S. DE SOUSA
4º Encontro
Educação Matemática
Inclusiva
Educação Matemática Inclusiva
Objetivos:
1. Ampliar conhecimentos sobre aspectos legais
referentes à Educação Especial na perspectiva da
Educação Inclusiva;
2. Aprofundar conhecimentos sobre encaminhamentos
destinados aos alunos que fazem parte do público
alvo da Educação Especial.
3. Ampliar conhecimentos sobre espaços de
aprendizagem dos alunos com necessidades
educacionais especiais no contexto da inclusão
escolar, ou seja, a trabalho da escola comum
articulada com o atendimento educacional
especializado – AEE;
4. Compreender a importância de um trabalho
considerando as diferenças dos alunos com ações
voltadas a promover o acesso, participação e
aprendizagem dos mesmos;
Temas a serem trabalhados
• Uma sociedade que exclui, é uma escola...
• A questão do currículo e da... Escola?
Sociedade?
• A inclusão escolar: aspectos legais e sociais
• Os alienígenas da sala, da aula...
• As tecnologias digitais e assitivas:
acessibilidade, participação e aprendizagem.
INICIANDO A CONVERSA
• Vídeo CORDAS
• Texto: Iniciando a conversa
Atividade
• Texto: Uma Ilha de Inclusão no Mar de
exclusão? De Roberto Carlos Vianna e
Rosane Aparecida Favoreto da Silva,
das páginas 7 a 10 do caderno de
inclusão.
SABERES SOBRE EDUCAÇÃO
ESPECIAL
• A Educação Especial é uma modalidade
de ensino que perpassa toda a Educação
Básica, não se caracterizando como um
nível de ensino e nem substituindo a
escolarização.
Educação Infantil
Ensino Fundamental
Ensino Médio
Ensino Superior
Ed. de Jovens e Adultos
Educação Indígena
Educação do Campo
Educação Quilombola
TRANSVERSALIDADE DA EDUCAÇÃO
ESPECIAL
DA LEGALIDADE
• A Educação Inclusiva é regulada por várias Leis, mas
podemos dizer que ela encontra seu fundamento na
Constituição Federal de 1988, que determina a
igualdade de condições para o acesso e permanência
na escola para todos e, também, a oferta de
Atendimento Educacional Especializado, no ensino
regular preferencialmente.
• A oferta do Atendimento Educacional
Especializado (AEE) é uma das ações que tem
proporcionado mudanças significativas na
organização da escola e na qualidade das
respostas dadas às necessidades dos alunos.
Além da Constituição Federal de 1988, o AEE
está fundamentado nos seguintes documentos:
• Decreto Federal Nº 7611/2011 que dispõe sobre
a oferta deste atendimento, como também sobre
a distribuição de recursos do FUNDEB no que
se refere ao cômputo de dupla matrícula dos
alunos, ou seja, a matrícula concomitante no
ensino regular e no atendimento educacional
especializado;
O que é o AEE?
Atendimento Educacional Especializado
• AEE é um serviço da educação especial que "[...]
identifica, elabora e organiza recursos pedagógicos e de
acessibilidade, que eliminem as barreiras para a plena
participação dos alunos, considerando suas
necessidades específicas" (SEESP/MEC, 2008).
• O AEE complementa e/ou suplementa a formação do
aluno, visando a sua autonomia na escola e fora dela,
constituindo oferta obrigatória pelos sistemas de ensino.
É realizado, de preferência, nas escolas comuns, em um
espaço físico denominado Sala de Recursos
Multifuncionais. Portanto, é parte integrante do projeto
político pedagógico da escola.
Quem são atendidos no AEE?
• Alunos com deficiência: aqueles [...] que
têm impedimentos de longo prazo de
natureza física, mental, intelectual ou
sensorial, os quais em interação com
diversas barreiras, podem obstruir sua
participação plena e efetiva na sociedade
em igualdade de condições com as
demais pessoas (ONU, 2006).
Alunos com transtornos globais
do desenvolvimento:
• Aqueles que apresentam alterações
qualitativas das interações sociais
recíprocas e na comunicação, um
repertório de interesses e atividades
restrito, estereotipado e repetitivo.
Incluem-se nesse grupo alunos com
autismo, síndromes do espectro do
autismo e psicose infantil. (MEC/SEESP
2008)
Alunos com altas
habilidades/superdotação:
• Aqueles que demonstram potencial
elevado em qualquer uma das seguintes
áreas, isoladas ou combinadas:
intelectual, acadêmica, liderança,
psicomotricidade e artes, além de
apresentar grande criatividade,
envolvimento na aprendizagem e
realização de tarefas em áreas de seu
interesse (MEC/SEESP, 2008).
• Há alunos que frequentarão o AEE mais vezes na semana e
outros, menos. Não existe um roteiro, um guia, uma fórmula de
atendimento previamente indicada e, assim sendo, cada aluno
terá um tipo de recurso a ser utilizado, uma duração de
atendimento, um plano de ação que garanta sua participação e
aprendizagem nas atividades escolares.
• Na organização do AEE, é possível atender aos alunos em
pequenos grupos, se suas necessidades forem comuns a
todos
AEE em Comunicação aumentativa
e alternativa - CAAAEE em Língua Portuguesa para
alunos com surdez
IMPORTANTE
• As políticas destinadas à Educação Inclusiva
direcionam suas ações para o atendimento de
questões específicas, mas é importante que os
professores saibam que o processo de ensino e
aprendizagem dos alunos com deficiência,
transtornos globais do desenvolvimento e altas
habilidades/superdotação não é atribuição somente
dos professores que atuam no AEE. O professor do
ensino regular deverá planejar suas aulas
considerando os direitos de aprendizagem dos alunos
e realizando um trabalho articulado com seus colegas
que atuam no AEE, ou seja, trata-se de uma proposta
de trabalho que envolve a escola, um trabalho em
equipe.
Nossa realidade:
• No município de Cariacica, além do
trabalho oferecido nas salas de recursos
multifuncionais pelos professores de
Atendimento Educacional Especializado
há professora colaboradora das ações
inclusivas em cada escola que apresentou
a demanda para a Coordenação de
Diversidade e Inclusão Educacional
Como seria o currículo do aluno
com deficiência na sala de aula?
• Jogo: Adaptação para alunos com
diferentes deficiências (atividade de
grupo)
Jogos e atividades que
favorecem o desenvolvimento
e a aprendizagem do aluno com
Deficiência Intelectual
JOGO GÊNIUS (Adaptação)
Categoria: Memória e Atenção. Serve para
trabalhar a Capacidade de Atenção,
Concentração, Senso direcional e Memória
Visual.
Objetivo: Trabalhar a percepção e
memorização na utilização do raciocínio lógico.
Aplicação: Deve ser dado cartelas
diferenciando as posições das cores das bolas,
para ser memorizado.
Depois o jogador repetirá a sequência de cores
sem que veja a cartela.
CAIXA PARA SELEÇÃO DE CORES
Categoria:Percepção, Atenção e Classificação. Serve para
trabalhar a Capacidade de Atenção, percepção e classificação
das cores.
Objetivo: Estimular o reconhecimento de noções das cores.
Aplicação: O aluno separará as tampinhas em cada local
indicado, observando as cores corretamente. Será incentivado
que o aluno fale o nome das cores, e relacione com o seu
cotidiano.
RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO- Utilizando
dominó
Categoria: Raciocínio Lógico. Serve para trabalhar
a Capacidade de contagem e soma utilizando objeto
concreto.
Objetivo: Trabalhar a operação matemática com a
utilização do lúdico.
Aplicação: Fazer a soma das cartelas utilizando-se
das peças de dominó para contagem.
O que é a comunicação alternativa?
A área da tecnologia assistiva que se destina especificamente à
ampliação de habilidades de comunicação é denominada
de Comunicação Alternativa (CA). A comunicação alternativa destina-
se a pessoas sem fala ou sem escrita funcional ou em defasagem entre
sua necessidade comunicativa e sua habilidade de falar e/ou escrever.
Com o objetivo de ampliar ainda mais o repertório comunicativo que
envolve habilidades de expressão e compreensão, são organizados e
construídos auxílios externos como cartões de comunicação, pranchas
de comunicação, pranchas alfabéticas e de palavras, vocalizadores ou o
próprio computador que, por meio de software específico, pode tornar-se
uma ferramenta poderosa de voz e comunicação. Os recursos de
comunicação de cada pessoa são construídos de forma totalmente
personalizada e levam em consideração várias características que
atendem às necessidades deste usuário.
Cartões de Comunicação
Maneira simples de mostrar símbolos em um espaço compacto.
Os cartões são geralmente organizados em fichários, presos em argolas
ou em porta-cartão,
de modo que seja possível manuseá-lo facilmente.
Os símbolos são disponibilizados em formato de cartões e são bastante
úteis na sala de aula (na construção da rotina com a turma).
A utilização dos cartões de comunicação alternativa com o objetivo de
aumentar a participação do alunos com deficiência física
nas atividades pedagógicas proposta para a turma e nos trabalhos em
grupo. Será fundamental que os cartões de comunicação
tenham um vocabulário que corresponda às atividades e conteúdos e
também expressões comumente utilizadas em sala pelos colegas.
A audiodescrição consiste na transformação de imagens em
palavras para que informações chave transmitidas
visualmente não passem despercebidas e possam também
ser acessadas por pessoas cegas ou com baixa visão.
O recurso, cujo objetivo é tornar os mais variados tipos de
materiais audiovisuais (peças de teatro, filmes, programas de
TV, espetáculos de dança, etc.) acessíveis a pessoas não-
videntes, estimulando a independência e autonomia dos
mesmos.
Através da audiodescrição a pessoa recebe a informação
contida na imagem ao mesmo tempo em que esta aparece,
possibilitando que a pessoa cega desfrute integralmente da
obra, seguindo a trama e captando a narrativa da mesma
forma que a pessoa vidente.
AUDIODESCRIÇÃO
Esta descrição deve contemplar os seguintes requisitos:
1. Identificar o sujeito, objeto ou cena a ser descrita - O
que/quem;
2. Localizar o sujeito, objeto ou cena a ser descrita Onde;
3. Empregar adjetivos para qualificar o sujeito, objeto ou
cena da descrição Como;
4. Empregar verbos para descrever a ação e advérbio para:
- Descrever as circunstâncias da ação - Faz o que/como;
- Utilizar o advérbio para referenciar o tempo em que ocorre
a ação - Quando;
5. Identificar os diversos enquadramentos da imagem;
Através da audiodescrição no uso pedagógico é
possível viabilizar o acesso aos conteúdos escolares,
filmes e/ ou outras atividades as pessoas com deficiência
visual, minimizando as barreiras inerentes ao acesso nos
acervos bibliográficos, audiovisuais e etc.
Nosso próximo encontro...
Educação Matemática Inclusiva

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

100548961 projeto-da-educacao-inclusiva
100548961 projeto-da-educacao-inclusiva100548961 projeto-da-educacao-inclusiva
100548961 projeto-da-educacao-inclusivaAdrianoAbreu AldaIris
 
PNAIC - Caderno de Educação inclusiva
PNAIC - Caderno de Educação inclusivaPNAIC - Caderno de Educação inclusiva
PNAIC - Caderno de Educação inclusivaRosilane
 
Slides da reunião com professores
Slides da reunião com professoresSlides da reunião com professores
Slides da reunião com professoresdriminas
 
Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoMagda Marques
 
Tea intervenção em contextos educativos
Tea intervenção em contextos educativosTea intervenção em contextos educativos
Tea intervenção em contextos educativoscraeditgd
 
Exemplo de um Plano de Ação da Biblioteca Escolar
Exemplo de um Plano de Ação da Biblioteca EscolarExemplo de um Plano de Ação da Biblioteca Escolar
Exemplo de um Plano de Ação da Biblioteca EscolarAna Ferreira
 
Indisciplina escolar
Indisciplina escolarIndisciplina escolar
Indisciplina escolarCarla Choffe
 
Atendimento Educacional Especializado
Atendimento Educacional EspecializadoAtendimento Educacional Especializado
Atendimento Educacional Especializadoceciliaconserva
 
Plano de atendimento educacional especializado para aluno tgd
Plano de atendimento educacional especializado para aluno tgdPlano de atendimento educacional especializado para aluno tgd
Plano de atendimento educacional especializado para aluno tgdLucinaldo Tenório
 
Formação continuada de professores
Formação continuada de professoresFormação continuada de professores
Formação continuada de professoresditadoida
 
Acolhimento: Princípio a Prática Inclusiva
Acolhimento: Princípio a Prática InclusivaAcolhimento: Princípio a Prática Inclusiva
Acolhimento: Princípio a Prática InclusivaCamila Freitas
 
Pedagogia montessoriana - Características e curiosidades.
Pedagogia montessoriana - Características e curiosidades.Pedagogia montessoriana - Características e curiosidades.
Pedagogia montessoriana - Características e curiosidades.thayseehausen
 
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptxO PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptxAnaRocha812480
 
Projeto Político Pedagógico
Projeto Político PedagógicoProjeto Político Pedagógico
Projeto Político Pedagógicoprofessorfj2012
 
Roteiro para Plano de Aula
Roteiro para Plano de AulaRoteiro para Plano de Aula
Roteiro para Plano de AulaGraça Sousa
 

Mais procurados (20)

100548961 projeto-da-educacao-inclusiva
100548961 projeto-da-educacao-inclusiva100548961 projeto-da-educacao-inclusiva
100548961 projeto-da-educacao-inclusiva
 
Pauta
PautaPauta
Pauta
 
PNAIC - Caderno de Educação inclusiva
PNAIC - Caderno de Educação inclusivaPNAIC - Caderno de Educação inclusiva
PNAIC - Caderno de Educação inclusiva
 
Slides da reunião com professores
Slides da reunião com professoresSlides da reunião com professores
Slides da reunião com professores
 
Resumo aula nota 10
Resumo   aula nota 10Resumo   aula nota 10
Resumo aula nota 10
 
Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógico
 
Líder de turma formação.pptx
Líder de turma formação.pptxLíder de turma formação.pptx
Líder de turma formação.pptx
 
Tea intervenção em contextos educativos
Tea intervenção em contextos educativosTea intervenção em contextos educativos
Tea intervenção em contextos educativos
 
Exemplo de um Plano de Ação da Biblioteca Escolar
Exemplo de um Plano de Ação da Biblioteca EscolarExemplo de um Plano de Ação da Biblioteca Escolar
Exemplo de um Plano de Ação da Biblioteca Escolar
 
Indisciplina escolar
Indisciplina escolarIndisciplina escolar
Indisciplina escolar
 
Atendimento Educacional Especializado
Atendimento Educacional EspecializadoAtendimento Educacional Especializado
Atendimento Educacional Especializado
 
Plano de atendimento educacional especializado para aluno tgd
Plano de atendimento educacional especializado para aluno tgdPlano de atendimento educacional especializado para aluno tgd
Plano de atendimento educacional especializado para aluno tgd
 
Deficiências
DeficiênciasDeficiências
Deficiências
 
Formação continuada de professores
Formação continuada de professoresFormação continuada de professores
Formação continuada de professores
 
Acolhimento: Princípio a Prática Inclusiva
Acolhimento: Princípio a Prática InclusivaAcolhimento: Princípio a Prática Inclusiva
Acolhimento: Princípio a Prática Inclusiva
 
Projeto Libras
Projeto LibrasProjeto Libras
Projeto Libras
 
Pedagogia montessoriana - Características e curiosidades.
Pedagogia montessoriana - Características e curiosidades.Pedagogia montessoriana - Características e curiosidades.
Pedagogia montessoriana - Características e curiosidades.
 
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptxO PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
 
Projeto Político Pedagógico
Projeto Político PedagógicoProjeto Político Pedagógico
Projeto Político Pedagógico
 
Roteiro para Plano de Aula
Roteiro para Plano de AulaRoteiro para Plano de Aula
Roteiro para Plano de Aula
 

Destaque

Ed inclusiva
Ed inclusivaEd inclusiva
Ed inclusivaweleslima
 
PNAIC EDUCAÇÃO ESPECIAL
PNAIC EDUCAÇÃO ESPECIALPNAIC EDUCAÇÃO ESPECIAL
PNAIC EDUCAÇÃO ESPECIALGlória Melo
 
Aee apresentacao
Aee apresentacaoAee apresentacao
Aee apresentacaoluiscmf
 
Plano de Ação do AEE
Plano de Ação do AEEPlano de Ação do AEE
Plano de Ação do AEEPatricia Bampi
 
Slide educação especial
Slide educação especialSlide educação especial
Slide educação especialAndreia Gomes
 
O Atendimento Educacional Especializado- AEE nas Escolas
O Atendimento Educacional Especializado- AEE nas EscolasO Atendimento Educacional Especializado- AEE nas Escolas
O Atendimento Educacional Especializado- AEE nas Escolasguest3d615bd
 
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.Instituto Consciência GO
 
Ensinando matemática para deficientes visuais
Ensinando matemática para deficientes visuaisEnsinando matemática para deficientes visuais
Ensinando matemática para deficientes visuaistaiane dias
 
jogos matemáticos
jogos matemáticosjogos matemáticos
jogos matemáticoshome
 
Sala de recursos multifuncionais
Sala de recursos multifuncionaisSala de recursos multifuncionais
Sala de recursos multifuncionaisSandrastos
 
Educação inclusiva: feitos e efeitos
Educação inclusiva: feitos e efeitosEducação inclusiva: feitos e efeitos
Educação inclusiva: feitos e efeitosThiago de Almeida
 
Histórico da Educação Especial
Histórico da Educação EspecialHistórico da Educação Especial
Histórico da Educação EspecialVera Zacharias
 
Pedagogia da educação inclusiva
Pedagogia da educação inclusivaPedagogia da educação inclusiva
Pedagogia da educação inclusivaCarina Zandonai
 
Deficiência Visual e Educação.
Deficiência Visual e Educação.Deficiência Visual e Educação.
Deficiência Visual e Educação.unidadebetinho
 

Destaque (20)

Ed inclusiva
Ed inclusivaEd inclusiva
Ed inclusiva
 
PNAIC EDUCAÇÃO ESPECIAL
PNAIC EDUCAÇÃO ESPECIALPNAIC EDUCAÇÃO ESPECIAL
PNAIC EDUCAÇÃO ESPECIAL
 
Aee apresentacao
Aee apresentacaoAee apresentacao
Aee apresentacao
 
Plano de Ação do AEE
Plano de Ação do AEEPlano de Ação do AEE
Plano de Ação do AEE
 
AEE
AEEAEE
AEE
 
Slide educação especial
Slide educação especialSlide educação especial
Slide educação especial
 
O Atendimento Educacional Especializado- AEE nas Escolas
O Atendimento Educacional Especializado- AEE nas EscolasO Atendimento Educacional Especializado- AEE nas Escolas
O Atendimento Educacional Especializado- AEE nas Escolas
 
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
 
Ensinando matemática para deficientes visuais
Ensinando matemática para deficientes visuaisEnsinando matemática para deficientes visuais
Ensinando matemática para deficientes visuais
 
Síntese do caderno
Síntese do cadernoSíntese do caderno
Síntese do caderno
 
jogos matemáticos
jogos matemáticosjogos matemáticos
jogos matemáticos
 
Sala de recursos multifuncionais
Sala de recursos multifuncionaisSala de recursos multifuncionais
Sala de recursos multifuncionais
 
Salas de Recursos Multifuncionais
Salas de Recursos MultifuncionaisSalas de Recursos Multifuncionais
Salas de Recursos Multifuncionais
 
Sala de Recursos Multifuncionais
Sala de Recursos MultifuncionaisSala de Recursos Multifuncionais
Sala de Recursos Multifuncionais
 
Educação inclusiva: feitos e efeitos
Educação inclusiva: feitos e efeitosEducação inclusiva: feitos e efeitos
Educação inclusiva: feitos e efeitos
 
Histórico da Educação Especial
Histórico da Educação EspecialHistórico da Educação Especial
Histórico da Educação Especial
 
Pedagogia da educação inclusiva
Pedagogia da educação inclusivaPedagogia da educação inclusiva
Pedagogia da educação inclusiva
 
A INCLUSÃO ESCOLAR
A  INCLUSÃO ESCOLAR A  INCLUSÃO ESCOLAR
A INCLUSÃO ESCOLAR
 
IDEB Ultimas atividades
IDEB Ultimas atividadesIDEB Ultimas atividades
IDEB Ultimas atividades
 
Deficiência Visual e Educação.
Deficiência Visual e Educação.Deficiência Visual e Educação.
Deficiência Visual e Educação.
 

Semelhante a Educação Matemática Inclusiva

ATENDIMENTO-EDUCACIONAL-ESPECIALIZADO (1).pdf
ATENDIMENTO-EDUCACIONAL-ESPECIALIZADO (1).pdfATENDIMENTO-EDUCACIONAL-ESPECIALIZADO (1).pdf
ATENDIMENTO-EDUCACIONAL-ESPECIALIZADO (1).pdfeligialenecastro2018
 
Encontro Educação Especial
Encontro Educação EspecialEncontro Educação Especial
Encontro Educação EspecialMayraPalmeira2
 
o aluno com deficiência física e a escola
o aluno com deficiência física e a escolao aluno com deficiência física e a escola
o aluno com deficiência física e a escolaprofessorasdaoficina
 
Atendimento educacional especializado.ppt2 libera limes-4-7-11congresso 2011
Atendimento educacional especializado.ppt2   libera limes-4-7-11congresso 2011Atendimento educacional especializado.ppt2   libera limes-4-7-11congresso 2011
Atendimento educacional especializado.ppt2 libera limes-4-7-11congresso 2011Wildete Silva
 
O Designer Instrucional Como Um Lapidário: Da Lapidação Do Conteúdo Bruto À T...
O Designer Instrucional Como Um Lapidário: Da Lapidação Do Conteúdo Bruto À T...O Designer Instrucional Como Um Lapidário: Da Lapidação Do Conteúdo Bruto À T...
O Designer Instrucional Como Um Lapidário: Da Lapidação Do Conteúdo Bruto À T...Fernanda Tess
 
Educação especial
Educação especialEducação especial
Educação especialEducação
 
Experiência com o ensino de plano cartesiano
Experiência com o ensino de plano cartesianoExperiência com o ensino de plano cartesiano
Experiência com o ensino de plano cartesianoAilton Barcelos
 
Experiência com o ensino de plano cartesiano
Experiência com o ensino de plano cartesianoExperiência com o ensino de plano cartesiano
Experiência com o ensino de plano cartesianoAilton Barcelos
 
Experiencias inclusivas-rede_municipal_de_ensino_de_flori
Experiencias inclusivas-rede_municipal_de_ensino_de_floriExperiencias inclusivas-rede_municipal_de_ensino_de_flori
Experiencias inclusivas-rede_municipal_de_ensino_de_floriLoiane Matos
 
EDUCAÇÃO INCLUSIVA RESUMO
EDUCAÇÃO INCLUSIVA RESUMOEDUCAÇÃO INCLUSIVA RESUMO
EDUCAÇÃO INCLUSIVA RESUMOJose Eduardo
 
Artigo Desvendando o Mistério Estratégias de Ensino Inclusivas para Alunos Au...
Artigo Desvendando o Mistério Estratégias de Ensino Inclusivas para Alunos Au...Artigo Desvendando o Mistério Estratégias de Ensino Inclusivas para Alunos Au...
Artigo Desvendando o Mistério Estratégias de Ensino Inclusivas para Alunos Au...BiaMarucci
 
Jornadas Pedagógicas - Educação Especial - Agrupamento de Escolas Vasco Santana
Jornadas Pedagógicas - Educação Especial - Agrupamento de Escolas Vasco SantanaJornadas Pedagógicas - Educação Especial - Agrupamento de Escolas Vasco Santana
Jornadas Pedagógicas - Educação Especial - Agrupamento de Escolas Vasco SantanaMartinho Torres
 
Apresentação educação especial nas Jornadas Pedagógicas
Apresentação educação especial nas Jornadas PedagógicasApresentação educação especial nas Jornadas Pedagógicas
Apresentação educação especial nas Jornadas PedagógicasMartinho Torres
 

Semelhante a Educação Matemática Inclusiva (20)

Aee. sala multifuncional
Aee. sala multifuncionalAee. sala multifuncional
Aee. sala multifuncional
 
ATENDIMENTO-EDUCACIONAL-ESPECIALIZADO (1).pdf
ATENDIMENTO-EDUCACIONAL-ESPECIALIZADO (1).pdfATENDIMENTO-EDUCACIONAL-ESPECIALIZADO (1).pdf
ATENDIMENTO-EDUCACIONAL-ESPECIALIZADO (1).pdf
 
Encontro Educação Especial
Encontro Educação EspecialEncontro Educação Especial
Encontro Educação Especial
 
o aluno com deficiência física e a escola
o aluno com deficiência física e a escolao aluno com deficiência física e a escola
o aluno com deficiência física e a escola
 
Sobre o IHA
Sobre o IHASobre o IHA
Sobre o IHA
 
Salas de Recursos Multifuncionais
Salas de Recursos Multifuncionais Salas de Recursos Multifuncionais
Salas de Recursos Multifuncionais
 
Artigo ed esp prot.
Artigo ed esp prot.Artigo ed esp prot.
Artigo ed esp prot.
 
Artigo ed esp prot.
Artigo ed esp prot.Artigo ed esp prot.
Artigo ed esp prot.
 
Atendimento educacional especializado.ppt2 libera limes-4-7-11congresso 2011
Atendimento educacional especializado.ppt2   libera limes-4-7-11congresso 2011Atendimento educacional especializado.ppt2   libera limes-4-7-11congresso 2011
Atendimento educacional especializado.ppt2 libera limes-4-7-11congresso 2011
 
O Designer Instrucional Como Um Lapidário: Da Lapidação Do Conteúdo Bruto À T...
O Designer Instrucional Como Um Lapidário: Da Lapidação Do Conteúdo Bruto À T...O Designer Instrucional Como Um Lapidário: Da Lapidação Do Conteúdo Bruto À T...
O Designer Instrucional Como Um Lapidário: Da Lapidação Do Conteúdo Bruto À T...
 
Educação especial
Educação especialEducação especial
Educação especial
 
Experiência com o ensino de plano cartesiano
Experiência com o ensino de plano cartesianoExperiência com o ensino de plano cartesiano
Experiência com o ensino de plano cartesiano
 
Experiência com o ensino de plano cartesiano
Experiência com o ensino de plano cartesianoExperiência com o ensino de plano cartesiano
Experiência com o ensino de plano cartesiano
 
Experiencias inclusivas-rede_municipal_de_ensino_de_flori
Experiencias inclusivas-rede_municipal_de_ensino_de_floriExperiencias inclusivas-rede_municipal_de_ensino_de_flori
Experiencias inclusivas-rede_municipal_de_ensino_de_flori
 
Orientações sobre avaliação do aluno da Educação Especial
Orientações sobre avaliação do aluno da Educação EspecialOrientações sobre avaliação do aluno da Educação Especial
Orientações sobre avaliação do aluno da Educação Especial
 
EDUCAÇÃO INCLUSIVA RESUMO
EDUCAÇÃO INCLUSIVA RESUMOEDUCAÇÃO INCLUSIVA RESUMO
EDUCAÇÃO INCLUSIVA RESUMO
 
Artigo Desvendando o Mistério Estratégias de Ensino Inclusivas para Alunos Au...
Artigo Desvendando o Mistério Estratégias de Ensino Inclusivas para Alunos Au...Artigo Desvendando o Mistério Estratégias de Ensino Inclusivas para Alunos Au...
Artigo Desvendando o Mistério Estratégias de Ensino Inclusivas para Alunos Au...
 
Educação Inclusiva
Educação InclusivaEducação Inclusiva
Educação Inclusiva
 
Jornadas Pedagógicas - Educação Especial - Agrupamento de Escolas Vasco Santana
Jornadas Pedagógicas - Educação Especial - Agrupamento de Escolas Vasco SantanaJornadas Pedagógicas - Educação Especial - Agrupamento de Escolas Vasco Santana
Jornadas Pedagógicas - Educação Especial - Agrupamento de Escolas Vasco Santana
 
Apresentação educação especial nas Jornadas Pedagógicas
Apresentação educação especial nas Jornadas PedagógicasApresentação educação especial nas Jornadas Pedagógicas
Apresentação educação especial nas Jornadas Pedagógicas
 

Mais de Graça Sousa

Plano de-aula-mat3-01num05
Plano de-aula-mat3-01num05Plano de-aula-mat3-01num05
Plano de-aula-mat3-01num05Graça Sousa
 
Plano de-aula-mat3-01num04
Plano de-aula-mat3-01num04Plano de-aula-mat3-01num04
Plano de-aula-mat3-01num04Graça Sousa
 
Plano de-aula-mat3-01num02
Plano de-aula-mat3-01num02Plano de-aula-mat3-01num02
Plano de-aula-mat3-01num02Graça Sousa
 
Plano de-aula-mat3-01num01
Plano de-aula-mat3-01num01Plano de-aula-mat3-01num01
Plano de-aula-mat3-01num01Graça Sousa
 
MAT 4º ANO EF-2020
 MAT 4º ANO EF-2020 MAT 4º ANO EF-2020
MAT 4º ANO EF-2020Graça Sousa
 
PNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOSPNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOSGraça Sousa
 
PNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOSPNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOSGraça Sousa
 
PNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOSPNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOSGraça Sousa
 
PNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOSPNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOSGraça Sousa
 
PNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOSPNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOSGraça Sousa
 
PNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOSPNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOSGraça Sousa
 
PNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOSPNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOSGraça Sousa
 
PNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOSPNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOSGraça Sousa
 
Simulado 1 ano - LP
Simulado 1 ano - LPSimulado 1 ano - LP
Simulado 1 ano - LPGraça Sousa
 
Simulado 1 ano-MAT
Simulado 1 ano-MATSimulado 1 ano-MAT
Simulado 1 ano-MATGraça Sousa
 
"Se Todas as Coisas Fossem Mães"
"Se Todas as Coisas Fossem Mães""Se Todas as Coisas Fossem Mães"
"Se Todas as Coisas Fossem Mães"Graça Sousa
 
O Livro da Familia
O Livro da FamiliaO Livro da Familia
O Livro da FamiliaGraça Sousa
 
Livrinho Os Indiozinhos
Livrinho Os IndiozinhosLivrinho Os Indiozinhos
Livrinho Os IndiozinhosGraça Sousa
 
Livrinho Sítio 2014
Livrinho Sítio 2014Livrinho Sítio 2014
Livrinho Sítio 2014Graça Sousa
 

Mais de Graça Sousa (20)

Plano de-aula-mat3-01num05
Plano de-aula-mat3-01num05Plano de-aula-mat3-01num05
Plano de-aula-mat3-01num05
 
Plano de-aula-mat3-01num04
Plano de-aula-mat3-01num04Plano de-aula-mat3-01num04
Plano de-aula-mat3-01num04
 
Plano de-aula-mat3-01num02
Plano de-aula-mat3-01num02Plano de-aula-mat3-01num02
Plano de-aula-mat3-01num02
 
Plano de-aula-mat3-01num01
Plano de-aula-mat3-01num01Plano de-aula-mat3-01num01
Plano de-aula-mat3-01num01
 
MAT 4º ANO EF-2020
 MAT 4º ANO EF-2020 MAT 4º ANO EF-2020
MAT 4º ANO EF-2020
 
Indiozinhos
IndiozinhosIndiozinhos
Indiozinhos
 
PNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOSPNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOS
 
PNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOSPNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOS
 
PNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOSPNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOS
 
PNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOSPNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOS
 
PNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOSPNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOS
 
PNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOSPNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOS
 
PNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOSPNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOS
 
PNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOSPNAIC/LP-2013-CADERNOS
PNAIC/LP-2013-CADERNOS
 
Simulado 1 ano - LP
Simulado 1 ano - LPSimulado 1 ano - LP
Simulado 1 ano - LP
 
Simulado 1 ano-MAT
Simulado 1 ano-MATSimulado 1 ano-MAT
Simulado 1 ano-MAT
 
"Se Todas as Coisas Fossem Mães"
"Se Todas as Coisas Fossem Mães""Se Todas as Coisas Fossem Mães"
"Se Todas as Coisas Fossem Mães"
 
O Livro da Familia
O Livro da FamiliaO Livro da Familia
O Livro da Familia
 
Livrinho Os Indiozinhos
Livrinho Os IndiozinhosLivrinho Os Indiozinhos
Livrinho Os Indiozinhos
 
Livrinho Sítio 2014
Livrinho Sítio 2014Livrinho Sítio 2014
Livrinho Sítio 2014
 

Último

Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 

Último (20)

Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 

Educação Matemática Inclusiva

  • 1. ORIENTAÇÃO PNAIC-2014 Orientadora: MARIA DAS GRAÇAS S. DE SOUSA 4º Encontro Educação Matemática Inclusiva
  • 2.
  • 4. 1. Ampliar conhecimentos sobre aspectos legais referentes à Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva; 2. Aprofundar conhecimentos sobre encaminhamentos destinados aos alunos que fazem parte do público alvo da Educação Especial. 3. Ampliar conhecimentos sobre espaços de aprendizagem dos alunos com necessidades educacionais especiais no contexto da inclusão escolar, ou seja, a trabalho da escola comum articulada com o atendimento educacional especializado – AEE; 4. Compreender a importância de um trabalho considerando as diferenças dos alunos com ações voltadas a promover o acesso, participação e aprendizagem dos mesmos;
  • 5. Temas a serem trabalhados • Uma sociedade que exclui, é uma escola... • A questão do currículo e da... Escola? Sociedade? • A inclusão escolar: aspectos legais e sociais • Os alienígenas da sala, da aula... • As tecnologias digitais e assitivas: acessibilidade, participação e aprendizagem.
  • 6. INICIANDO A CONVERSA • Vídeo CORDAS • Texto: Iniciando a conversa
  • 7. Atividade • Texto: Uma Ilha de Inclusão no Mar de exclusão? De Roberto Carlos Vianna e Rosane Aparecida Favoreto da Silva, das páginas 7 a 10 do caderno de inclusão.
  • 8. SABERES SOBRE EDUCAÇÃO ESPECIAL • A Educação Especial é uma modalidade de ensino que perpassa toda a Educação Básica, não se caracterizando como um nível de ensino e nem substituindo a escolarização.
  • 9. Educação Infantil Ensino Fundamental Ensino Médio Ensino Superior Ed. de Jovens e Adultos Educação Indígena Educação do Campo Educação Quilombola TRANSVERSALIDADE DA EDUCAÇÃO ESPECIAL
  • 10. DA LEGALIDADE • A Educação Inclusiva é regulada por várias Leis, mas podemos dizer que ela encontra seu fundamento na Constituição Federal de 1988, que determina a igualdade de condições para o acesso e permanência na escola para todos e, também, a oferta de Atendimento Educacional Especializado, no ensino regular preferencialmente.
  • 11. • A oferta do Atendimento Educacional Especializado (AEE) é uma das ações que tem proporcionado mudanças significativas na organização da escola e na qualidade das respostas dadas às necessidades dos alunos. Além da Constituição Federal de 1988, o AEE está fundamentado nos seguintes documentos: • Decreto Federal Nº 7611/2011 que dispõe sobre a oferta deste atendimento, como também sobre a distribuição de recursos do FUNDEB no que se refere ao cômputo de dupla matrícula dos alunos, ou seja, a matrícula concomitante no ensino regular e no atendimento educacional especializado;
  • 12. O que é o AEE? Atendimento Educacional Especializado • AEE é um serviço da educação especial que "[...] identifica, elabora e organiza recursos pedagógicos e de acessibilidade, que eliminem as barreiras para a plena participação dos alunos, considerando suas necessidades específicas" (SEESP/MEC, 2008). • O AEE complementa e/ou suplementa a formação do aluno, visando a sua autonomia na escola e fora dela, constituindo oferta obrigatória pelos sistemas de ensino. É realizado, de preferência, nas escolas comuns, em um espaço físico denominado Sala de Recursos Multifuncionais. Portanto, é parte integrante do projeto político pedagógico da escola.
  • 13. Quem são atendidos no AEE? • Alunos com deficiência: aqueles [...] que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais em interação com diversas barreiras, podem obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas (ONU, 2006).
  • 14. Alunos com transtornos globais do desenvolvimento: • Aqueles que apresentam alterações qualitativas das interações sociais recíprocas e na comunicação, um repertório de interesses e atividades restrito, estereotipado e repetitivo. Incluem-se nesse grupo alunos com autismo, síndromes do espectro do autismo e psicose infantil. (MEC/SEESP 2008)
  • 15. Alunos com altas habilidades/superdotação: • Aqueles que demonstram potencial elevado em qualquer uma das seguintes áreas, isoladas ou combinadas: intelectual, acadêmica, liderança, psicomotricidade e artes, além de apresentar grande criatividade, envolvimento na aprendizagem e realização de tarefas em áreas de seu interesse (MEC/SEESP, 2008).
  • 16. • Há alunos que frequentarão o AEE mais vezes na semana e outros, menos. Não existe um roteiro, um guia, uma fórmula de atendimento previamente indicada e, assim sendo, cada aluno terá um tipo de recurso a ser utilizado, uma duração de atendimento, um plano de ação que garanta sua participação e aprendizagem nas atividades escolares. • Na organização do AEE, é possível atender aos alunos em pequenos grupos, se suas necessidades forem comuns a todos AEE em Comunicação aumentativa e alternativa - CAAAEE em Língua Portuguesa para alunos com surdez
  • 17. IMPORTANTE • As políticas destinadas à Educação Inclusiva direcionam suas ações para o atendimento de questões específicas, mas é importante que os professores saibam que o processo de ensino e aprendizagem dos alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação não é atribuição somente dos professores que atuam no AEE. O professor do ensino regular deverá planejar suas aulas considerando os direitos de aprendizagem dos alunos e realizando um trabalho articulado com seus colegas que atuam no AEE, ou seja, trata-se de uma proposta de trabalho que envolve a escola, um trabalho em equipe.
  • 18. Nossa realidade: • No município de Cariacica, além do trabalho oferecido nas salas de recursos multifuncionais pelos professores de Atendimento Educacional Especializado há professora colaboradora das ações inclusivas em cada escola que apresentou a demanda para a Coordenação de Diversidade e Inclusão Educacional
  • 19. Como seria o currículo do aluno com deficiência na sala de aula? • Jogo: Adaptação para alunos com diferentes deficiências (atividade de grupo)
  • 20. Jogos e atividades que favorecem o desenvolvimento e a aprendizagem do aluno com Deficiência Intelectual
  • 21. JOGO GÊNIUS (Adaptação) Categoria: Memória e Atenção. Serve para trabalhar a Capacidade de Atenção, Concentração, Senso direcional e Memória Visual. Objetivo: Trabalhar a percepção e memorização na utilização do raciocínio lógico. Aplicação: Deve ser dado cartelas diferenciando as posições das cores das bolas, para ser memorizado. Depois o jogador repetirá a sequência de cores sem que veja a cartela.
  • 22.
  • 23. CAIXA PARA SELEÇÃO DE CORES Categoria:Percepção, Atenção e Classificação. Serve para trabalhar a Capacidade de Atenção, percepção e classificação das cores. Objetivo: Estimular o reconhecimento de noções das cores. Aplicação: O aluno separará as tampinhas em cada local indicado, observando as cores corretamente. Será incentivado que o aluno fale o nome das cores, e relacione com o seu cotidiano.
  • 24.
  • 25. RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO- Utilizando dominó Categoria: Raciocínio Lógico. Serve para trabalhar a Capacidade de contagem e soma utilizando objeto concreto. Objetivo: Trabalhar a operação matemática com a utilização do lúdico. Aplicação: Fazer a soma das cartelas utilizando-se das peças de dominó para contagem.
  • 26.
  • 27. O que é a comunicação alternativa? A área da tecnologia assistiva que se destina especificamente à ampliação de habilidades de comunicação é denominada de Comunicação Alternativa (CA). A comunicação alternativa destina- se a pessoas sem fala ou sem escrita funcional ou em defasagem entre sua necessidade comunicativa e sua habilidade de falar e/ou escrever. Com o objetivo de ampliar ainda mais o repertório comunicativo que envolve habilidades de expressão e compreensão, são organizados e construídos auxílios externos como cartões de comunicação, pranchas de comunicação, pranchas alfabéticas e de palavras, vocalizadores ou o próprio computador que, por meio de software específico, pode tornar-se uma ferramenta poderosa de voz e comunicação. Os recursos de comunicação de cada pessoa são construídos de forma totalmente personalizada e levam em consideração várias características que atendem às necessidades deste usuário.
  • 28. Cartões de Comunicação Maneira simples de mostrar símbolos em um espaço compacto. Os cartões são geralmente organizados em fichários, presos em argolas ou em porta-cartão, de modo que seja possível manuseá-lo facilmente. Os símbolos são disponibilizados em formato de cartões e são bastante úteis na sala de aula (na construção da rotina com a turma). A utilização dos cartões de comunicação alternativa com o objetivo de aumentar a participação do alunos com deficiência física nas atividades pedagógicas proposta para a turma e nos trabalhos em grupo. Será fundamental que os cartões de comunicação tenham um vocabulário que corresponda às atividades e conteúdos e também expressões comumente utilizadas em sala pelos colegas.
  • 29.
  • 30.
  • 31. A audiodescrição consiste na transformação de imagens em palavras para que informações chave transmitidas visualmente não passem despercebidas e possam também ser acessadas por pessoas cegas ou com baixa visão. O recurso, cujo objetivo é tornar os mais variados tipos de materiais audiovisuais (peças de teatro, filmes, programas de TV, espetáculos de dança, etc.) acessíveis a pessoas não- videntes, estimulando a independência e autonomia dos mesmos. Através da audiodescrição a pessoa recebe a informação contida na imagem ao mesmo tempo em que esta aparece, possibilitando que a pessoa cega desfrute integralmente da obra, seguindo a trama e captando a narrativa da mesma forma que a pessoa vidente. AUDIODESCRIÇÃO
  • 32. Esta descrição deve contemplar os seguintes requisitos: 1. Identificar o sujeito, objeto ou cena a ser descrita - O que/quem; 2. Localizar o sujeito, objeto ou cena a ser descrita Onde; 3. Empregar adjetivos para qualificar o sujeito, objeto ou cena da descrição Como; 4. Empregar verbos para descrever a ação e advérbio para: - Descrever as circunstâncias da ação - Faz o que/como; - Utilizar o advérbio para referenciar o tempo em que ocorre a ação - Quando; 5. Identificar os diversos enquadramentos da imagem; Através da audiodescrição no uso pedagógico é possível viabilizar o acesso aos conteúdos escolares, filmes e/ ou outras atividades as pessoas com deficiência visual, minimizando as barreiras inerentes ao acesso nos acervos bibliográficos, audiovisuais e etc.
  • 33.