2011 10 20_senai_cetiqt

2.107 visualizações

Publicada em

Apresentação na Semana de Produção da Faculdade SENAI CETIQT - A Gestão do Conhecimento como precursora da Inovação

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

2011 10 20_senai_cetiqt

  1. 1. Gestão do Conhecimento Organizacional como precursora da Inovação Jackson PollockRio de Janeiro -20 de outubro de 2011 ApresentaçãoSEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  2. 2. Obs. : Os pontos de vista aqui apresentados são exclusivamente do autor e não representam necessariamente os do SENAI/CETIQT, nem os da Eletrobras Furnas, da SBGC, do PPED/UFRJ ou de qualquer instituição com a qual ele esteja, ou tenha estado, ligado por qualquer laço de afiliação, prestação de serviços ou contratação.Rio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 2SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  3. 3. Quem é o palestrante? Fernando L. Goldman – pesquisador da Dinâmica do Conhecimento Organizacional, da Inovação e da Competitividade, doutorando em Políticas Públicas, Estratégias e Desenvolvimento pelo PPED/IE/UFRJ, mestre em Engenharia de Produção da UFF, MBA em Gestão Empresarial pela FGV e engenheiro eletricista pela UFRJ. Ex-Diretor Regional (Rio de Janeiro) da SBGC - Sociedade Brasileira de Gestão do Conhecimento (2007-2011). Engenheiro da Eletrobras FurnasRio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 3SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  4. 4. Nosso objetivo: Provocar a discussão Vamos falar sobre: o modelo linear da inovação; inovação em modelos de negócios; uma nova visão da inovação; a teoria da criação do conhecimento organizacional; ferramentas sociais e redes; liderança nas empresas inovadoras.Rio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 4SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  5. 5. O Modelo Linear da Inovação Science, the Endless Frontier e Vannevar Bush – 1945; paradigma de política científica e tecnológica, final dos 1950; modelo da dinâmica da inovação adotado pela maioria dos países industrializadosRio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 5SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  6. 6. O Modelo Linear da Inovação Este modelo dominou o pensamento sobre a C&T até recentemente; O problema é que é muito usado, até hoje, por muitas de nossas empresas e alguns definidores de políticas públicas.Rio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 6SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  7. 7. O Modelo Linear da Inovação Nesta visão, a inovação nasce da pesquisa científica e o posicionamento estratégico da empresa define os investimentos em P&D* suficientes à criação de conhecimento organizacional. * Pesquisa Aplicada e Desenvolvimento ExperimentalRio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 7SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  8. 8. O Modelo Linear da Inovação negligencia as atividades externas à P&D; considera a inovação tecnológica como um ato de produção, em lugar de um processo social contínuo; A relação entre empresas e inovação é complexa, dinâmica e com vários níveis.* *LAM, A. Organizational Inovation. In: FAGERBERG, J.; MOWERY, D. C.; NELSON, R. Oxford Handbook of Innovation. Oxford University Press, 2005.Rio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 8SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  9. 9. Inovação em modelos de negócios Vem se percebendo a necessidade das empresas criarem modelos de negócios inovadores. Não apenas a simples criação de produtos e processos* *TEECE, D. J. Business Models, Business Strategy and Innovation. Long Range Planning 43, 2010.Rio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 9SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  10. 10. Uma nova visão da Inovação A analogia da água para o conhecimento não funciona; o simples processamento ou acúmulo de informações não propicia a inovação; todo o processo de inovação tem origem exatamente nas crenças subjetivas das pessoas ou em suas imagens do mundo; objetividade X subjetividade (Polanyi)Rio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 10SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  11. 11. Uma nova visão da Inovação O conhecimento é inerentemente paradoxal: é uma construção individual, fruto de um produto social (produto da comunidade) e não é passível de ser gerenciado no sentido usual da palavra ‘Gestão’.Rio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 11SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  12. 12. A KM* como área multidisciplinar: Cada vez mais, a sociedade moderna percebe a atual revolução em torno do uso do conhecimento e vem buscando formas de lidar com esta nova realidade. As disciplinas tradicionais (engenharias, administração, economia etc.) se consolidaram no uso dos fatores clássicos de produção; * KM – Knowledge ManagementRio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 12SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  13. 13. O Conhecimento Organizacional Afinal, de que conhecimento estamos falando? Lidar com o Conhecimento Organizacional envolve capacitações de coordenar a criação (especialização) e o uso (integração) de diferentes conhecimentos*. Qual a relação entre Inovação e Gestão do Conhecimento? *DEMSETZ, H. The Theory of the Firm Revisited, v. 4 n. 1 Journal of Law, Economics, and Organization, p. 141-161, 1988.Rio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 13SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  14. 14. Contextualizando Educação Corporativa Gestão do Conhecimento e da Informação Fator de Produção Fator de Produção Trabalho Conhecimento Organizacional Capacitações intelectuais Capacitações Dinâmicas dos indivíduos da empresaRio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 14SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  15. 15. Uma nova visão da Inovação The Knowledge-Creating Company de Ikujiro Nonaka e Hirotaka Takeuchi How Japanese Companies Create the Dynamics of Innovation (1995)Rio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 15SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  16. 16. Uma nova visão da Inovação O livro mais referenciado sobre Gestão do Conhecimento não é sobre Gestão do Conhecimento. Ele fala sobre a dinâmica da inovação.Rio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 16SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  17. 17. Uma nova visão da Inovação Como todo marco: – é mais citado do que lido; e – mais lido do que bem entendido.Rio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 17SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  18. 18. Uma nova visão da Inovação ...é só um dos muitos elementos de uma teoria em construção A Teoria da Criação do Conhecimento OrganizacionalRio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 18SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  19. 19. O que diz a TCCO ? A inovação é fruto da criação dinâmica do Conhecimento Organizacional* *NONAKA, I.; TOYAMA, R.; KONNO, N. SECI, Ba and Leadership: a unified Model of Dynamic Knowledge Creation, Long Range Planning, v.33, p. 5-34, 2000Rio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 19SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  20. 20. Knowledge Management ? Diferentes abordagens de KM Abordagens Abordagens do Mainstream mais atuais K é visto como estático Dinâmica do K Não se sustentam Longevidade da empresaRio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 20SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  21. 21. Qual a natureza da empresa ? Empresas processam informações. (Simon) Empresas criam conhecimento. (Nonaka)Rio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 21SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  22. 22. Criação de Conhecimento Organizacional: Capacitação de uma empresa: criar conhecimento, disseminá-lo e incorporá-lo a produtos, serviços e sistemas.Rio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 22SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  23. 23. Conhecimento Explícito e Tácito O Conhecimento Explí- O Conhecimento Tácito cito é objetivo, é subjetivo, sendo organizado e estrutu- principalmente rado, podendo ser baseado na vivência. disponibilizado em Ele está incorporado documentos, bases de nas pessoas na forma dados, vídeos de de memórias, modelos treinamento e outros mentais, impressões, canais, tradicionais ou know-how prático etc. não, de compartilha- mento de informações. www.kmgoldman.blogspot.com Não são dois tipos de conhecimento; São duas dimensões do mesmo conhecimento.Rio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 23SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  24. 24. Como acontece a inovação na TCCO?Rio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 24SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  25. 25. O paradoxo do Conhecimento ? Embora individual, o conhecimento é um produto social “ As pessoas que interagem , em determinado contexto histórico e social, compartilham informações a partir das quais constroem o conhecimento social como uma realidade que, por sua vez, influencia seu discernimento, comportamento e atitude” (Berger; Luckmann, 1966) O Conhecimento Organizacional é um tema complexo e multidisciplinar. 25Rio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 25SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  26. 26. Na TCCO, uma empresa inovadora é a que : cria conhecimento continuamente a partir do conhecimento tácito dos seus indivíduos; inova por meio da síntese, um processo dialético, contínuo e dinâmico, que se nutre dos paradoxos; converte socialmente o conhecimento tácito em explícito e vice-versa.Rio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 26SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  27. 27. O que é o Conhecimento ? A forma como você define conhecimento define como você o administra (Verna Allee) A correta diferenciação entre Dados, Informação e Conhecimento DIKW não é funcional para a TCCO 27Rio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 27SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  28. 28. O conhecimento em 3 propriedades 28Rio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 28SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  29. 29. A visão da TCCO da Inovação Os modelos mentais dos indivíduos são transformados durante o processo informacional configurando novos estados de conhecimento. De forma análoga, as empresas criam continuamente conhecimento, configurando novos estados de Conhecimento Organizacional.Rio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 29SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  30. 30. A Obsolescência do Conhecimento Produtos, Serviços e Queda na Processos Obsoletos Competitividade Organização Obsoleta Grupos Obsoletos Consequências da Diminuição nos Pessoas Obsoletas Obsolescência de resultados Conhecimentos para as operacionais Organizações Fonte: Adaptado de Drucker (1995) Incapacidade de inovar diante das informações intra ou extra organização Pressão dos Stakeholders Perda da capacidade Perda da capacidade de reter de investimento em talentos já existentes (pessoas) renovação (pessoas) 30Rio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 30SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  31. 31. Ferramentas sociais e redes A criação do conhecimento como fenômeno sócio construtivista se dá pela interação entre pessoas de uma comunidade. Ferramentas sociais possibilitam a comunicação de informações, acelerando a troca e interação. Tudo que é vivo se organiza em redesRio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 31SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  32. 32. Liderança nas Empresas Inovadoras Rompimento com o Taylorismo (The Long Tail); Progredir mais do que TQM; Habilidades para lidar com Intangíveis; Mais habilidades de pesquisa; Mas o gerente não é um pesquisador acadêmico; Pesquisador está em busca de uma Teoria; Gerente está em busca de um Método; Mais importante: Não existe “Receita de bolo”.Rio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 32 32SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman
  33. 33. Dúvidas ? www.kmgoldman.blogspot.com http://www.slideshare.net/goldman Engº Fernando Goldman Email: fernandogoldman@yahoo.com.brRio de Janeiro -20 de outubro de 2011 Apresentação 33SEPRO SENAI/CETIQT Fernando Goldman

×