SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
Cidades Imaginárias
Sonhos de uma realidade em crise
A IDEIA DO PROJETO ‘CIDADE’
Para Norberto Bobbio
Ki-Gompa tibetana Micenas do séc. XV a.C.
Origem da Pólis - em torno de 1.000 a.C, durante a época monárquica
(tempos homéricos), mas também crê que possa ter se organizado ao
final da criação da Democracia, em torno do século 500 a.C. (era
platônica)
As Cidades se formam ao redor de santuários célebres, mas crescem
com o comércio marítimo que, enriquecendo uma classe urbana,
formará a Oligarquia – só ricos com acesso ao poder.
A palavra política deriva de politikós, do grego, e diz respeito àquilo que
é da cidade, da pólis – sua organização, avanços e problemas.
ORIGEM DA CIDADE ANTIGA
segundo FUSTEL de COULANGE
Varanasi no Ganges Persépolis – Cidade templo Macho Picchu
crematório Persia (Irã) Peru
ATENAS – A CIDADE PADRÃO
Acrópole religiosa Ágora das reuniões
CALÍPOLIS - a cidade ideal de PLATÃO
• CALÍPOLIS (Cidade Bela) é uma organização que se apoia na ideia de
JUSTIÇA.
• A FELICIDADE é um bem COLETIVO construída pela RAZÃO, o domínio das
PAIXÕES, a elevação do espírito pela EDUCAÇÃO e a MÚSICA, e um sentido
de serenidade onde todos funcionam para o todo.
• Um COLETIVO não aceita grandes diferenças de riqueza ou de privilégios, e
para tanto, a EDUCAÇÃO começa cedo – nos primeiros 10 anos. Depois disso
o contato com o mundo irá definir aptidões e CLASSES SOCIAIS: Agricultores
e Artesãos na base, Guerreiros na defesa externa e interna, e os Filósofos
como dirigentes (depois dos 50 anos).
• AGATHON – é o espírito do Coletivo acima do individual, que determinará
tanto a reprodução sexual quanto a produção pelo trabalho de sua classe.
• Toda essa construção é garantida pela FILOSOFIA, que lembrará os cidadãos
o bem maior como valor, e o risco da ilusão, pela ALEGORIA DA CAVERNA.
No Século V a.C., o declínio da cultura grega e a crítica
de PLATÃO e o MITO da CAVERNA
Jerusalém: cidade idealizada pelos Hebreus
Criada no Céu Tomada por Hebreus No século I dC Ocupação dos Cruzados
CIDADES MEDIEVAIS
ataques, impostos, abandono, fome e peste
DELÍRIOS UTÓPICOS
País da Cocanha Milenarismo: retomada de Jerusalem
Mundo da abundância e da preguiça Crença na palavra sagrada
RENASCIMENTO
sonhos racionais para cidades justas
A Cidade do Sol Civitas Veri Cristianópolis (Tommaso
Campanella) (Bartolomeo del Bene) (Valentinus Andrae)
CIDADES IMAGINÁRIAS
no RENASCIMENTO
• CIDADE DO SOL: Apoiada sobre três qualidades fundamentais:
Potência-Sabedoria e Amor. Deveria ser conduzida por uma Príncipe-
Sacerdote chamado SOL, auxiliado por 3 ajudantes: Pon (Potência:
guerreiros); Sin (Sapiência: artes liberais, políticos e cientistas); e Mor
(Amor: educação, alimentação, moradia, vestuário, reprodução).
Cidade protegida com 7 muralhas como os planetas (da época);
propõe avanços tecnológicos modernos como o uso de carros
movidos a velas.
• CIVITAS VERI :Cidade da Verdade (1609) – Com cinco portais, um para
cada sentido: ver, sentir, cheirar, escutar, paladar – que conduzem aos
Templos da Inteligência e da Sabedoria, no Centro. Inspirado na Ética a
Nicômaco de Aristóteles, descreve a Sabedoria sendo provocada por
Cupido, Baco, Gula e luxúria (influência dos pecados cristãos).
•Christianópolis (1619) – Baseado em teorias da Rosacruz,
Alquimia, Kabala e do Cristianismo exotérico. De cunho socialista,
propõe a difusão da Educação com ênfase nas Ciências e nas Artes. Seus
habitantes tinham de abandonar a inveja, a cobiça e a luxúria.
Cidades Modernas
com o fim dos Feudos:
Formação do Estado e Mercado único
IDADE MODERNA
O Racionalismo e o Renascimento
Ideias utópicas ganham contornos das ciências
Ilha de Utopia de Morus Afresco em Urbino
IDADE MODERNA e a Rev. Francesa
Teorias Políticas e o Socialismo Utópico
Cooperativismo, disciplina solidária, sem pecado, todas as formas de
realização pessoal, inclusive sexual.
Charles Fourier Robert Owen
Falanstérios Comunidades
UTOPIAS MODERNISTAS BRASILEIRAS
MATRIARCADO DE PINDORAMA - Oswald de Andrade no
Manifesto Antropófago - Visão de uma Idade de ouro onde a
posse coletiva dos Homens das Florestas substituiriam a usura, a
centralização de poder e a negação do ócio (o neg-ócio), pelo ócio
em comunhão com a natureza. Lançado em 1928, sob influência
de PAGU, ataca estruturas religiosas e políticas, conclamando a
Revolução Caraíba!
DEMOCRACIA RACIAL - de Gilberto Freyre no estudo Casa Grande
e Senzala de 1933, revoluciona os estudos da Formação da
Sociedade Brasileira, combatendo a visão aristocrática, alegando
que a grandeza da CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA estava, justamente,
no fato de ser miscigenada e não mantida europeia ou ‘pura’.
• Essa ideia convenceu e ganhou os textos oficiais do MEC desde a
Era Getúlio Vargas, mas o convívio com maduro e sereno com a
velha herança escravagista, é uma bela utopia que é ensinada,
mas é negada pela discriminação existente até hoje.
RACISMO e Campanhas oficiais
GRANDES GUERRAS DO SÉCULO XX
O PROJETO IGUALITÁRIO PARAMILITAR: Nazista, Comunista e Fascista
Stazi Nazista Sede de KGB Praça Vermelha Palácio do Catete no RJ
O PROJETO SOCIALISTA
IGUALDADE, FLUXO E TRABALHO
BARCELONA VILLE-RADIEUSE PEDREGULHO RJ
Projeto urbanístico Le Corbusier Le Corbusier Affonso Eduardo Reidy
A MONOTONIA DO PROJETO MODERNISTA
Ordem - impessoalidade -hierarquia espacial – eficiência
RECIFE LISBOA SÃO PAULO
DETERIORAÇÃO DA IDEIA DE CIDADE
O COLETIVO SE DIVORCIA
MOBILIDADE BARULHO AGRUPAMENTOS VIOLÊNCIA
CIDADES UTÓPICAS DO FUTURO
Entre os Delírios e ideias Ecológicas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1 01 a cultura do ágora
1 01 a cultura do ágora1 01 a cultura do ágora
1 01 a cultura do ágoraVítor Santos
 
Grécia e Roma - Tópicos
Grécia e Roma - TópicosGrécia e Roma - Tópicos
Grécia e Roma - Tópicosdmflores21
 
Imaginario simbolico da criação
Imaginario simbolico da criaçãoImaginario simbolico da criação
Imaginario simbolico da criaçãoINSS
 
Antiguidade Clássica - História
Antiguidade Clássica - HistóriaAntiguidade Clássica - História
Antiguidade Clássica - Históriamigueldrj
 
2 Prova semestral de História - 1.6 gabarito
2 Prova semestral de História - 1.6 gabarito2 Prova semestral de História - 1.6 gabarito
2 Prova semestral de História - 1.6 gabaritoKellyCarvalho2011
 
Arte Literária 2) Humanismo
Arte Literária 2) HumanismoArte Literária 2) Humanismo
Arte Literária 2) HumanismoAna Luiza Panzera
 
Lit humanismo-renasc-classicismo português - profª katty
Lit  humanismo-renasc-classicismo português - profª kattyLit  humanismo-renasc-classicismo português - profª katty
Lit humanismo-renasc-classicismo português - profª kattyKatty Rasga
 
Aula 04 a cidade medieval [revisado em 20160921]
Aula 04 a cidade medieval [revisado em 20160921]Aula 04 a cidade medieval [revisado em 20160921]
Aula 04 a cidade medieval [revisado em 20160921]glauci coelho
 
Cultura medieval filé
Cultura medieval filéCultura medieval filé
Cultura medieval filémundica broda
 
3˚ano: exercícios Grécia
3˚ano: exercícios Grécia3˚ano: exercícios Grécia
3˚ano: exercícios GréciaKerol Brombal
 
A pax romana e a eirene do Cristo
A pax romana e a eirene do CristoA pax romana e a eirene do Cristo
A pax romana e a eirene do CristoIsrael serique
 
Banco de questoes de Historia Completo Prof. Marco Aurelio Gondim [gondim.net]
Banco de questoes de Historia Completo Prof. Marco Aurelio Gondim [gondim.net]Banco de questoes de Historia Completo Prof. Marco Aurelio Gondim [gondim.net]
Banco de questoes de Historia Completo Prof. Marco Aurelio Gondim [gondim.net]Marco Aurélio Gondim
 

Mais procurados (20)

1 01 a cultura do ágora
1 01 a cultura do ágora1 01 a cultura do ágora
1 01 a cultura do ágora
 
Mundo Primitivo-2021
Mundo Primitivo-2021Mundo Primitivo-2021
Mundo Primitivo-2021
 
Grécia e Roma - Tópicos
Grécia e Roma - TópicosGrécia e Roma - Tópicos
Grécia e Roma - Tópicos
 
gastronomia
gastronomiagastronomia
gastronomia
 
O feudalismo
O feudalismoO feudalismo
O feudalismo
 
Imaginario simbolico da criação
Imaginario simbolico da criaçãoImaginario simbolico da criação
Imaginario simbolico da criação
 
Cultura medieval
Cultura medievalCultura medieval
Cultura medieval
 
3 grecia.gabarito
3 grecia.gabarito3 grecia.gabarito
3 grecia.gabarito
 
Antiguidade Clássica - História
Antiguidade Clássica - HistóriaAntiguidade Clássica - História
Antiguidade Clássica - História
 
Guião 2 7º
Guião 2 7ºGuião 2 7º
Guião 2 7º
 
2 Prova semestral de História - 1.6 gabarito
2 Prova semestral de História - 1.6 gabarito2 Prova semestral de História - 1.6 gabarito
2 Prova semestral de História - 1.6 gabarito
 
Arte Literária 2) Humanismo
Arte Literária 2) HumanismoArte Literária 2) Humanismo
Arte Literária 2) Humanismo
 
Lit humanismo-renasc-classicismo português - profª katty
Lit  humanismo-renasc-classicismo português - profª kattyLit  humanismo-renasc-classicismo português - profª katty
Lit humanismo-renasc-classicismo português - profª katty
 
Aula 04 a cidade medieval [revisado em 20160921]
Aula 04 a cidade medieval [revisado em 20160921]Aula 04 a cidade medieval [revisado em 20160921]
Aula 04 a cidade medieval [revisado em 20160921]
 
Cultura medieval filé
Cultura medieval filéCultura medieval filé
Cultura medieval filé
 
3˚ano: exercícios Grécia
3˚ano: exercícios Grécia3˚ano: exercícios Grécia
3˚ano: exercícios Grécia
 
2013 1o
2013   1o2013   1o
2013 1o
 
A pax romana e a eirene do Cristo
A pax romana e a eirene do CristoA pax romana e a eirene do Cristo
A pax romana e a eirene do Cristo
 
O Humanismo
O Humanismo O Humanismo
O Humanismo
 
Banco de questoes de Historia Completo Prof. Marco Aurelio Gondim [gondim.net]
Banco de questoes de Historia Completo Prof. Marco Aurelio Gondim [gondim.net]Banco de questoes de Historia Completo Prof. Marco Aurelio Gondim [gondim.net]
Banco de questoes de Historia Completo Prof. Marco Aurelio Gondim [gondim.net]
 

Destaque

A utopia da cidade ideal, modernidade, controle e tensão no cotidiano de brag...
A utopia da cidade ideal, modernidade, controle e tensão no cotidiano de brag...A utopia da cidade ideal, modernidade, controle e tensão no cotidiano de brag...
A utopia da cidade ideal, modernidade, controle e tensão no cotidiano de brag...Aldair José Batista Guarani Kaiowá
 
Livrocompleto joseafonsodasilva-cursodedireitoconstitucionalpositivo
Livrocompleto joseafonsodasilva-cursodedireitoconstitucionalpositivoLivrocompleto joseafonsodasilva-cursodedireitoconstitucionalpositivo
Livrocompleto joseafonsodasilva-cursodedireitoconstitucionalpositivoElle Melo
 
DIREITO CONSTITUCIONAL CONTEMPORÂNEO
DIREITO CONSTITUCIONAL CONTEMPORÂNEODIREITO CONSTITUCIONAL CONTEMPORÂNEO
DIREITO CONSTITUCIONAL CONTEMPORÂNEORhaíza Bastos
 
Friede, Reis - Ciência do Direito, norma, interpretação e hermêneutica jurídi...
Friede, Reis - Ciência do Direito, norma, interpretação e hermêneutica jurídi...Friede, Reis - Ciência do Direito, norma, interpretação e hermêneutica jurídi...
Friede, Reis - Ciência do Direito, norma, interpretação e hermêneutica jurídi...Escola Paulista de Direito
 
Avaliação de Filosofia - Platão e Aristóteles
Avaliação de Filosofia - Platão e AristótelesAvaliação de Filosofia - Platão e Aristóteles
Avaliação de Filosofia - Platão e AristótelesRafael Oliveira
 
Virtude, ética platão
Virtude, ética platãoVirtude, ética platão
Virtude, ética platãoIvan Milmann
 
3 ética em aristóteles
3 ética em aristóteles3 ética em aristóteles
3 ética em aristótelesErica Frau
 
A etica das virtudes
A etica das virtudesA etica das virtudes
A etica das virtudesdidapgdy
 
GPDH FACELI Norberto Bobbio - A Era dos Direitos
GPDH FACELI Norberto Bobbio - A Era dos DireitosGPDH FACELI Norberto Bobbio - A Era dos Direitos
GPDH FACELI Norberto Bobbio - A Era dos DireitosJordano Santos Cerqueira
 
Introdução à Ética Filosófica
Introdução à Ética FilosóficaIntrodução à Ética Filosófica
Introdução à Ética FilosóficaCursoDeFerias
 
Introdução à Filosofia - Aristóteles
Introdução à Filosofia - AristótelesIntrodução à Filosofia - Aristóteles
Introdução à Filosofia - AristótelesDiego Sampaio
 

Destaque (19)

A utopia da cidade ideal, modernidade, controle e tensão no cotidiano de brag...
A utopia da cidade ideal, modernidade, controle e tensão no cotidiano de brag...A utopia da cidade ideal, modernidade, controle e tensão no cotidiano de brag...
A utopia da cidade ideal, modernidade, controle e tensão no cotidiano de brag...
 
Bobbio
BobbioBobbio
Bobbio
 
Livrocompleto joseafonsodasilva-cursodedireitoconstitucionalpositivo
Livrocompleto joseafonsodasilva-cursodedireitoconstitucionalpositivoLivrocompleto joseafonsodasilva-cursodedireitoconstitucionalpositivo
Livrocompleto joseafonsodasilva-cursodedireitoconstitucionalpositivo
 
Maquiavel - O Principe
Maquiavel - O PrincipeMaquiavel - O Principe
Maquiavel - O Principe
 
DIREITO CONSTITUCIONAL CONTEMPORÂNEO
DIREITO CONSTITUCIONAL CONTEMPORÂNEODIREITO CONSTITUCIONAL CONTEMPORÂNEO
DIREITO CONSTITUCIONAL CONTEMPORÂNEO
 
Friede, Reis - Ciência do Direito, norma, interpretação e hermêneutica jurídi...
Friede, Reis - Ciência do Direito, norma, interpretação e hermêneutica jurídi...Friede, Reis - Ciência do Direito, norma, interpretação e hermêneutica jurídi...
Friede, Reis - Ciência do Direito, norma, interpretação e hermêneutica jurídi...
 
Avaliação de Filosofia - Platão e Aristóteles
Avaliação de Filosofia - Platão e AristótelesAvaliação de Filosofia - Platão e Aristóteles
Avaliação de Filosofia - Platão e Aristóteles
 
Ética
Ética Ética
Ética
 
Virtude, ética platão
Virtude, ética platãoVirtude, ética platão
Virtude, ética platão
 
3 ética em aristóteles
3 ética em aristóteles3 ética em aristóteles
3 ética em aristóteles
 
A etica das virtudes
A etica das virtudesA etica das virtudes
A etica das virtudes
 
Aristóteles
AristótelesAristóteles
Aristóteles
 
GPDH FACELI Norberto Bobbio - A Era dos Direitos
GPDH FACELI Norberto Bobbio - A Era dos DireitosGPDH FACELI Norberto Bobbio - A Era dos Direitos
GPDH FACELI Norberto Bobbio - A Era dos Direitos
 
Introdução à Ética Filosófica
Introdução à Ética FilosóficaIntrodução à Ética Filosófica
Introdução à Ética Filosófica
 
Introdução à Filosofia - Aristóteles
Introdução à Filosofia - AristótelesIntrodução à Filosofia - Aristóteles
Introdução à Filosofia - Aristóteles
 
éTica aristotélica
éTica  aristotélicaéTica  aristotélica
éTica aristotélica
 
Ética Aristóteles
Ética AristótelesÉtica Aristóteles
Ética Aristóteles
 
Apresentação aristóteles
Apresentação aristótelesApresentação aristóteles
Apresentação aristóteles
 
Ética 3º ano
Ética   3º anoÉtica   3º ano
Ética 3º ano
 

Semelhante a Cidades imaginárias - hit da cidade por suas utopias

Cidadania e democracia na antiguidade grecia
Cidadania e democracia na antiguidade greciaCidadania e democracia na antiguidade grecia
Cidadania e democracia na antiguidade greciaJonas Araújo
 
SJSXXI - Cap 17 - A questão urbana - Parte I.ppt
SJSXXI - Cap 17 - A questão urbana - Parte I.pptSJSXXI - Cap 17 - A questão urbana - Parte I.ppt
SJSXXI - Cap 17 - A questão urbana - Parte I.pptIdalmaSantos1
 
A História do Brasil para quem tem Pressa - Marcos Costa..pdf
A História do Brasil para quem tem Pressa - Marcos Costa..pdfA História do Brasil para quem tem Pressa - Marcos Costa..pdf
A História do Brasil para quem tem Pressa - Marcos Costa..pdfJorginho2000
 
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)Bruno Marques
 
Idade Antiga e suas caracteristicas.pptx
Idade Antiga e suas caracteristicas.pptxIdade Antiga e suas caracteristicas.pptx
Idade Antiga e suas caracteristicas.pptxRafaelWilianDaSilva
 
IntroduçãO2
IntroduçãO2IntroduçãO2
IntroduçãO2rogerio
 
FICHA DE LEITURA - TURISMO
FICHA DE LEITURA - TURISMOFICHA DE LEITURA - TURISMO
FICHA DE LEITURA - TURISMOabarros
 
A Baixa Idade Média (7º Ano - 2016)
A Baixa Idade Média (7º Ano - 2016)A Baixa Idade Média (7º Ano - 2016)
A Baixa Idade Média (7º Ano - 2016)Nefer19
 
ApresentaçãO !
ApresentaçãO !ApresentaçãO !
ApresentaçãO !guestf0d90d
 
O Renascimento
O RenascimentoO Renascimento
O RenascimentoJoão Lima
 

Semelhante a Cidades imaginárias - hit da cidade por suas utopias (20)

Historia da arte unip
Historia da arte unipHistoria da arte unip
Historia da arte unip
 
Arte e cultura
Arte e culturaArte e cultura
Arte e cultura
 
Cidadania e democracia na antiguidade grecia
Cidadania e democracia na antiguidade greciaCidadania e democracia na antiguidade grecia
Cidadania e democracia na antiguidade grecia
 
SJSXXI - Cap 17 - A questão urbana - Parte I.ppt
SJSXXI - Cap 17 - A questão urbana - Parte I.pptSJSXXI - Cap 17 - A questão urbana - Parte I.ppt
SJSXXI - Cap 17 - A questão urbana - Parte I.ppt
 
A História do Brasil para quem tem Pressa - Marcos Costa..pdf
A História do Brasil para quem tem Pressa - Marcos Costa..pdfA História do Brasil para quem tem Pressa - Marcos Costa..pdf
A História do Brasil para quem tem Pressa - Marcos Costa..pdf
 
O renascimento
O renascimentoO renascimento
O renascimento
 
O renascimento
O renascimentoO renascimento
O renascimento
 
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
 
Periodização da história
Periodização da históriaPeriodização da história
Periodização da história
 
Periodização da história
Periodização da históriaPeriodização da história
Periodização da história
 
Periodização da história
Periodização da históriaPeriodização da história
Periodização da história
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Idade Antiga e suas caracteristicas.pptx
Idade Antiga e suas caracteristicas.pptxIdade Antiga e suas caracteristicas.pptx
Idade Antiga e suas caracteristicas.pptx
 
INTRODUÇÃO À LITERATURA
INTRODUÇÃO À LITERATURAINTRODUÇÃO À LITERATURA
INTRODUÇÃO À LITERATURA
 
IntroduçãO2
IntroduçãO2IntroduçãO2
IntroduçãO2
 
Guia de estudo Humanismo 1314
Guia de estudo Humanismo 1314Guia de estudo Humanismo 1314
Guia de estudo Humanismo 1314
 
FICHA DE LEITURA - TURISMO
FICHA DE LEITURA - TURISMOFICHA DE LEITURA - TURISMO
FICHA DE LEITURA - TURISMO
 
A Baixa Idade Média (7º Ano - 2016)
A Baixa Idade Média (7º Ano - 2016)A Baixa Idade Média (7º Ano - 2016)
A Baixa Idade Média (7º Ano - 2016)
 
ApresentaçãO !
ApresentaçãO !ApresentaçãO !
ApresentaçãO !
 
O Renascimento
O RenascimentoO Renascimento
O Renascimento
 

Último

DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETODouglasVasconcelosMa
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 

Último (20)

DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 

Cidades imaginárias - hit da cidade por suas utopias

  • 1. Cidades Imaginárias Sonhos de uma realidade em crise
  • 2. A IDEIA DO PROJETO ‘CIDADE’ Para Norberto Bobbio Ki-Gompa tibetana Micenas do séc. XV a.C. Origem da Pólis - em torno de 1.000 a.C, durante a época monárquica (tempos homéricos), mas também crê que possa ter se organizado ao final da criação da Democracia, em torno do século 500 a.C. (era platônica) As Cidades se formam ao redor de santuários célebres, mas crescem com o comércio marítimo que, enriquecendo uma classe urbana, formará a Oligarquia – só ricos com acesso ao poder. A palavra política deriva de politikós, do grego, e diz respeito àquilo que é da cidade, da pólis – sua organização, avanços e problemas.
  • 3. ORIGEM DA CIDADE ANTIGA segundo FUSTEL de COULANGE Varanasi no Ganges Persépolis – Cidade templo Macho Picchu crematório Persia (Irã) Peru
  • 4. ATENAS – A CIDADE PADRÃO Acrópole religiosa Ágora das reuniões
  • 5. CALÍPOLIS - a cidade ideal de PLATÃO • CALÍPOLIS (Cidade Bela) é uma organização que se apoia na ideia de JUSTIÇA. • A FELICIDADE é um bem COLETIVO construída pela RAZÃO, o domínio das PAIXÕES, a elevação do espírito pela EDUCAÇÃO e a MÚSICA, e um sentido de serenidade onde todos funcionam para o todo. • Um COLETIVO não aceita grandes diferenças de riqueza ou de privilégios, e para tanto, a EDUCAÇÃO começa cedo – nos primeiros 10 anos. Depois disso o contato com o mundo irá definir aptidões e CLASSES SOCIAIS: Agricultores e Artesãos na base, Guerreiros na defesa externa e interna, e os Filósofos como dirigentes (depois dos 50 anos). • AGATHON – é o espírito do Coletivo acima do individual, que determinará tanto a reprodução sexual quanto a produção pelo trabalho de sua classe. • Toda essa construção é garantida pela FILOSOFIA, que lembrará os cidadãos o bem maior como valor, e o risco da ilusão, pela ALEGORIA DA CAVERNA.
  • 6. No Século V a.C., o declínio da cultura grega e a crítica de PLATÃO e o MITO da CAVERNA
  • 7. Jerusalém: cidade idealizada pelos Hebreus Criada no Céu Tomada por Hebreus No século I dC Ocupação dos Cruzados
  • 8. CIDADES MEDIEVAIS ataques, impostos, abandono, fome e peste
  • 9. DELÍRIOS UTÓPICOS País da Cocanha Milenarismo: retomada de Jerusalem Mundo da abundância e da preguiça Crença na palavra sagrada
  • 10. RENASCIMENTO sonhos racionais para cidades justas A Cidade do Sol Civitas Veri Cristianópolis (Tommaso Campanella) (Bartolomeo del Bene) (Valentinus Andrae)
  • 11. CIDADES IMAGINÁRIAS no RENASCIMENTO • CIDADE DO SOL: Apoiada sobre três qualidades fundamentais: Potência-Sabedoria e Amor. Deveria ser conduzida por uma Príncipe- Sacerdote chamado SOL, auxiliado por 3 ajudantes: Pon (Potência: guerreiros); Sin (Sapiência: artes liberais, políticos e cientistas); e Mor (Amor: educação, alimentação, moradia, vestuário, reprodução). Cidade protegida com 7 muralhas como os planetas (da época); propõe avanços tecnológicos modernos como o uso de carros movidos a velas. • CIVITAS VERI :Cidade da Verdade (1609) – Com cinco portais, um para cada sentido: ver, sentir, cheirar, escutar, paladar – que conduzem aos Templos da Inteligência e da Sabedoria, no Centro. Inspirado na Ética a Nicômaco de Aristóteles, descreve a Sabedoria sendo provocada por Cupido, Baco, Gula e luxúria (influência dos pecados cristãos). •Christianópolis (1619) – Baseado em teorias da Rosacruz, Alquimia, Kabala e do Cristianismo exotérico. De cunho socialista, propõe a difusão da Educação com ênfase nas Ciências e nas Artes. Seus habitantes tinham de abandonar a inveja, a cobiça e a luxúria.
  • 12. Cidades Modernas com o fim dos Feudos: Formação do Estado e Mercado único
  • 13. IDADE MODERNA O Racionalismo e o Renascimento Ideias utópicas ganham contornos das ciências Ilha de Utopia de Morus Afresco em Urbino
  • 14. IDADE MODERNA e a Rev. Francesa Teorias Políticas e o Socialismo Utópico Cooperativismo, disciplina solidária, sem pecado, todas as formas de realização pessoal, inclusive sexual. Charles Fourier Robert Owen Falanstérios Comunidades
  • 15. UTOPIAS MODERNISTAS BRASILEIRAS MATRIARCADO DE PINDORAMA - Oswald de Andrade no Manifesto Antropófago - Visão de uma Idade de ouro onde a posse coletiva dos Homens das Florestas substituiriam a usura, a centralização de poder e a negação do ócio (o neg-ócio), pelo ócio em comunhão com a natureza. Lançado em 1928, sob influência de PAGU, ataca estruturas religiosas e políticas, conclamando a Revolução Caraíba! DEMOCRACIA RACIAL - de Gilberto Freyre no estudo Casa Grande e Senzala de 1933, revoluciona os estudos da Formação da Sociedade Brasileira, combatendo a visão aristocrática, alegando que a grandeza da CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA estava, justamente, no fato de ser miscigenada e não mantida europeia ou ‘pura’. • Essa ideia convenceu e ganhou os textos oficiais do MEC desde a Era Getúlio Vargas, mas o convívio com maduro e sereno com a velha herança escravagista, é uma bela utopia que é ensinada, mas é negada pela discriminação existente até hoje.
  • 17. GRANDES GUERRAS DO SÉCULO XX O PROJETO IGUALITÁRIO PARAMILITAR: Nazista, Comunista e Fascista Stazi Nazista Sede de KGB Praça Vermelha Palácio do Catete no RJ
  • 18. O PROJETO SOCIALISTA IGUALDADE, FLUXO E TRABALHO BARCELONA VILLE-RADIEUSE PEDREGULHO RJ Projeto urbanístico Le Corbusier Le Corbusier Affonso Eduardo Reidy
  • 19. A MONOTONIA DO PROJETO MODERNISTA Ordem - impessoalidade -hierarquia espacial – eficiência RECIFE LISBOA SÃO PAULO
  • 20. DETERIORAÇÃO DA IDEIA DE CIDADE O COLETIVO SE DIVORCIA MOBILIDADE BARULHO AGRUPAMENTOS VIOLÊNCIA
  • 21. CIDADES UTÓPICAS DO FUTURO Entre os Delírios e ideias Ecológicas