05 formando psicólogos escolares no brasil, dificuldades e perspectivas

605 visualizações

Publicada em

PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
605
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

05 formando psicólogos escolares no brasil, dificuldades e perspectivas

  1. 1. Formando Psicólogos Escolares no Brasil, Dificuldades e Perspectivas gleydsonrocha@hotmail.com
  2. 2. Formar psicólogos escolares não é uma tarefa fácil O profissional além de ser bem formado em Psicologia deve ser muito bem formado para atuar em contextos educacionais; Ter domínio da dinâmica educacional: • Acompanhamento; • Avaliação • Intervenção em situação de grupos.
  3. 3. Formar Psicólogos no Brasil  Dificuldade e necessidades  O sistema educacional não tem condição de excelência;  Há agressões sociais aos cidadãos em desenvolvimento Dificuldades de formação Formação geral e específica Ausência de um modelos de ação profissional no Brasil Ausência de padrões éticos e profissionais difundidos e conhecidos pela comunidade
  4. 4. O currículo e a Formação do Psicólogo Escolar/Educacional Brasileiro A formação do psicólogo em geral, e também do psicólogo escolar/educacional, pressupõe uma relação entre a teoria e a prática de forma harmoniosa e consequente.
  5. 5. O currículo e a Formação do Psicólogo Escolar/Educacional Brasileiro  Falta de modelos adequados, modelos que garantam a especificidade da atuação em diferentes níveis e tipos de instituição de ensino.  Falta modelos Brasileiros Aumento da diferença Ser Psicólogo no Brasil Ser Psicólogo para o Brasil
  6. 6. A ausência de modelos para a atuação Profissional no Brasil O começo do Psi Escolar no Brasil se deu com profissionais que estavam imersos no sistema educacional; Na formação de professores Modelos essencialmente preventivo, trabalhava com a formação do professor em primeiro plano; Concomitante faziam atendimentos a situações de emergência na aprendizagem
  7. 7. O psicólogo escolar típico é aquele que acompanha a criança e o professor no seu principal ambiente, a escola, ou aquele que orienta, discute e planeja ações para professores ou outros agente educacionais A ausência de modelos para a atuação Profissional no Brasil
  8. 8. Os modelos de atuação para o psicólogo Escolar brasileiro devem ser estudados a partir de caracterizações das instituições educacionais, suas necessidades, seus problemas e suas fontes de recursos. Lê ultimo parágrafo da pag 84 A ausência de modelos para a atuação Profissional no Brasil
  9. 9. A Ausência de Padrões Éticos Profissionais Difundidos e Conhecidos pela comunidade
  10. 10. A Ausência de Padrões Éticos Profissionais Difundidos e Conhecidos pela comunidade Análisecríticadasprioridades paraoPsicólogoEscolar Têm um responsabilidade ética de exercer influências sobre as políticas sociais e educacionais Assegurar a criação de ambientes educacionais capazes de respeitar, valorizar os envolvidos no processo de ensinagem Analisar e desafiar a situação opressora que ocorre no interior das instituições (diferenças culturais e capacidades individuais.) Verificar inadequações na ação de educadores
  11. 11. A Ausência de Padrões Éticos Profissionais Difundidos e Conhecidos pela comunidade Ser Psicólogo Escolar para o Brasil Defender os direito dos educandos ao atendimento de suas necessidade e à promoção de seu desenvolvimento É estar perto do docente no seu dia-a-dia Acompanhando o docente entendendo o que se passa com ele Conhecer as necessidades psicológicas dos educandos É acompanhar o docentes em enfrentar dificuldades com técnicas e sabedoria
  12. 12. Convido a todos a sair por de trás dos birôs e das sala
  13. 13. Torna-se Psicólogo Escolar é nunca chegar a ser um Psicólogo Escolar, pois para responder às mudanças sociais no contexto educacional, nunca se está pronto... É preciso que se construa a cada dia. Fagan (1996)
  14. 14. Vamos começar o debate? A defesa de um modelo para a atuação do Psicólogo@ Escolar A defesa que não deve haver um modelo para a atuação do Psicolog@ Escolar

×