O slideshow foi denunciado.
Introdução a
composição para
games
USANDO REAPER E SONIGEN MODULAR
Principios básicos
 O que é:
 Música
 Linguagem sonora subjetiva, que transmite ideias, sentimentos e reforça ou modifi...
Propriedades do som
Duração
O quanto o som se propaga no
tempo
Intensidade
O volume ou massa de ar
deslocada pela pressão ...
Propriedades do som
Timbre
A coloratura, ou como nosso
ouvido percebe determinados
sons
Espacialidade
A capacidade de noss...
Articulação ou envelope
 Attack (ataque)
 É a fase inícial do som. Quando o executante bate em um tambor, inicia uma arc...
 Obs¹: Em um sintetizador, se desejarmos reproduzir o som de um instrumento real,
ele deve reproduzir o mais fielmente po...
Este é um perfil típico de um
instrumento de corda pinçada,
como uma guitarra. O som surge
rapidamente com intensidade
ele...
Melodia
Sequencia de notas uma a uma
em determinado periodo de
tempo
Harmonia
Sequencia de notas Simultaneas
em determinad...
Introdução a DAW
(DIGITAL AUDIO WORKSTATION)
Introdução a DAW
(Digital Audio Workstation)
 O que é
 DAWs são ferramentas especificas para edição de audio. Elas possu...
Reaper
 Principios básicos
 Como instalar (http://www.reaper.fm/)
 Instalando
 Devices de audio
 MIDI
 Principais fu...
 Usando os plugins do reaper.
 Plugins nativos (JS)
 Plugins externos
 Principais plugins
 Equalizador
 Compressor
 Reverb
 Delay
 Limitador
 Filtros
 Hi pass
 Med pass
 Low pass
 I...
Sintetizador Modular
 O que é
 É um tipo de sintetizador, normalmente analógico, que consiste em vários
módulos. Eles po...
 Osciladores
 Pulsaw
 Wavetable
 Supersaw
 Syncrosc
 Noise
 Polysine
 Processadores
 MultiFilter
 CombFilter
 M...
Prática
 Bpm 60 a 120
 Tom: C maior
Introdução a composição para games
Introdução a composição para games
Introdução a composição para games
Introdução a composição para games
Introdução a composição para games
Introdução a composição para games
Introdução a composição para games
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Introdução a composição para games

215 visualizações

Publicada em

Oficina realizada no Estácio Game Day no dia 20/11/15

Publicada em: Arte e fotografia
  • Seja o primeiro a comentar

Introdução a composição para games

  1. 1. Introdução a composição para games USANDO REAPER E SONIGEN MODULAR
  2. 2. Principios básicos  O que é:  Música  Linguagem sonora subjetiva, que transmite ideias, sentimentos e reforça ou modifica imagens através dos sons e suas propriedades  Som  Ondas mecanicas que necessitam de formas fisicas para se propagar
  3. 3. Propriedades do som Duração O quanto o som se propaga no tempo Intensidade O volume ou massa de ar deslocada pela pressão do ar Altura A frequencia ou velocidade de vibração das massas de ar
  4. 4. Propriedades do som Timbre A coloratura, ou como nosso ouvido percebe determinados sons Espacialidade A capacidade de nossos ouvidos de reconhecer a localização dos sons Articulação ou envelope A “assinatura” do som.
  5. 5. Articulação ou envelope  Attack (ataque)  É a fase inícial do som. Quando o executante bate em um tambor, inicia uma arcada em um violino, sopra um clarinete, ele inicia o ataque. O tempo para ir do silêncio até aIntensidade total da nota pode variar. Instrumentos de sopro, por exemplo, podem produzir ataques muito suaves, com notas ligadas umas às outras (técnica conhecida comolegato) ou notas de início brusco e totalmente separadas umas das outras (staccato). Instrumentos de corda com arco podem ter ataques muito suaves, fazendo uma única nota crescer do silêncio até uma intensidade muito elevada ao longo de vários segundos.  Decay (Decaimento)  Em alguns casos, após o ataque o som sofre um decaimento de intensidade antes de se estabilizar. Em um instrumento de sopro, por exemplo, isso pode se dever à força inicial necessária para colocar a palheta em vibração, após o que, a força para manter a nota soando é menor e ocorre um decaimento até a intensidade desejada. Normalmente o decaimento é um fenômeno muito rápido (de alguns céntésimos a menos de um décimo de segundo). Decaimentos costumam acontecer principalmente em instrumentos de cordas tais como o piano e de percussão.  Sustain (Sustentação)  Corresponde ao tempo de duração da nota musical. Na maior parte dos instrumentos este tempo pode ser controlado pelo executante. A intensidade é então mantida no mesmo nível, como as notas da trompa e da flauta. Alguns instrumentos (principalmente os de percussão) não permitem controlar a duração. Em alguns casos o som nem chega a se sustentar e o decaimento inicial já leva o som diretamente ao seu relaxamento.  Release (Relaxamento)  Final da nota, quando a intensidade sonora diminui até desaparecer completamente. Pode ser muito rápido, como em um instrumento de sopro, quando o instrumentista corta bruscamente o fluxo de ar ou quando a pele de um tambor é silenciada com a mão. Também pode ser muito lento, como em um gongo ou um piano com o pedal de sustentação acionado. Nestes casos a nota pode permanecer soando por vários segundos antes de desaparecer completamente.
  6. 6.  Obs¹: Em um sintetizador, se desejarmos reproduzir o som de um instrumento real, ele deve reproduzir o mais fielmente possível o envelope deste instrumento. Para que o som produzido se pareça com o som de um instrumento de cordas, percussão, sopro, etc, o músico deve ajustar os tempos do perfil ADSR, controlando a duração de cada um destes períodos. Sons de instrumentos inexistentes também podem ser criados através do uso de perfis que um instrumento acústico não poderia produzir, como por exemplo, um tempo de ataque muito longo ou notas que podem ser sustentadas por vários minutos.
  7. 7. Este é um perfil típico de um instrumento de corda pinçada, como uma guitarra. O som surge rapidamente com intensidade elevada, sofre um pequeno decaimento. Depois disso a corda mantêm a vibração por um tempo e a nota termina com um repouso suave. O som diminui lentamente até sumir. Alguns instrumentos, como a trompa ou a flauta nos exemplos acima, praticamente não possuem decaimento significativo. A nota parte diretamente do ataque para a fase de sustentação e assimpermanece até que o sopro termina. Exemplo típico de um instrumento de percussão em que a nota praticamente não se sustenta, indo direto do ataque para o relaxamento.
  8. 8. Melodia Sequencia de notas uma a uma em determinado periodo de tempo Harmonia Sequencia de notas Simultaneas em determinado periodo de tempo Ritmo Pulsação. Repetição de marcações em determinado periodo de tempo
  9. 9. Introdução a DAW (DIGITAL AUDIO WORKSTATION)
  10. 10. Introdução a DAW (Digital Audio Workstation)  O que é  DAWs são ferramentas especificas para edição de audio. Elas possuem ferramentas para criação, edição, gravação, sintese e demais formas de se trabalhar e editar um audio  Principais DAWs no mercado  NUENDO  CUBASE  PROTOOLS (padrão)  REAPER
  11. 11. Reaper  Principios básicos  Como instalar (http://www.reaper.fm/)  Instalando  Devices de audio  MIDI  Principais funções.  Gravação  Composição  Edição de audio  Edição de MIDI  Edição multipista  Efeitos
  12. 12.  Usando os plugins do reaper.  Plugins nativos (JS)  Plugins externos
  13. 13.  Principais plugins  Equalizador  Compressor  Reverb  Delay  Limitador  Filtros  Hi pass  Med pass  Low pass  Instalando mais plugins no reaper
  14. 14. Sintetizador Modular  O que é  É um tipo de sintetizador, normalmente analógico, que consiste em vários módulos. Eles podem ser conectados juntos através de cabos, em determinada ordem, para criar um sistema.
  15. 15.  Osciladores  Pulsaw  Wavetable  Supersaw  Syncrosc  Noise  Polysine  Processadores  MultiFilter  CombFilter  Moduladores  ADSFR  LFO  Constant  Controllers  Controler  Velocity  Keymap  Unisson  NoteRandom  Math  Mixers  Amplifier  Xfader  VoiceMixer  Effects  Delay  Chorus  Miscelaneous  Scope Principios Básicos (aplicados ao Sonigen)
  16. 16. Prática  Bpm 60 a 120  Tom: C maior

×