SlideShare uma empresa Scribd logo
Racionalização e Balanceamento do Trabalho
Construção do novo Sistema
Reengenharia
Um sistema administrativo, que
através do rompimento com
antigas regras e modos de
realizar tarefas, reorganiza e
modifica processos,
metodologias de trabalho e a
forma como uma organização
conduz o seu negócio.
“A reengenharia não pode ser planeada
meticulosamente e realizada em
pequenos e cautelosos passos. É uma
proposição tudo-ou-nada com um
resultado incerto. Ainda assim, a maioria
das empresas não têm outra alternativa se
não a de reunir a coragem para fazê-lo.”
(Michael Hammer)
Passos da Reengenharia
• Questionar todos os passos e métodos utilizados
no desenvolvimento do processo produtivo de
uma função, do momento em que é definido o
objetivo até o seu alcance. Visando melhorar
estes mesmos processos;
• Definir a estratégia;
• Recolher as informações sobre necessidades e
expectativas do negócio.A fim de mapear os
processos que requerem melhorias;
• Feito isso, os gestores poderão vislumbrar quais
são os pontos que devem ser optimizados e os
que serão descartados, caso não tenham valor
real para a organização.
Reengenharia
- Implementação de novas metodologias
e tecnologias que permitam:
- Reduzir custos e desperdícios;
- Aumentar a velocidade da produção
de bens materiais;
- Assim como a rapidez com que dão
feedback e apresentam soluções para
os problemas do cliente interno e
externo.
Ford vs Mazda
- Ford: Novos equipamentos informáticos que permitiriam reduzir o gasto com
pessoal no departamento contabilístico (compras, contabilidade, armazém) em
20%, passando de 500 colaboradores para 400.
- Mazda: Empregava (proporcionalmente) 5 vezes menos empregados do que a
Ford, para realizar o mesmo trabalho mais barato e mais rápido.
Ford vs Mazda
Resultado: Ford reduziu o número de colaboradores naquele
departamento em 75%. Além de acabar com os problemas
de incompatibilidade entre os valores apresentados no
registo físico e no registo financeiro, tornando o controle de
material mais fácil e a informação financeira mais precisa.
Reengenharia RH
Hammer e Champy, apresentam as seguintes etapas do
processo de reingenharia aplicado aos Recursos Humanos:
1.Definir o portfólio de competências para obter os
objetivos e níveis de desempenho desejados;
2.Identificar e determinar os gaps entre as competências
que os colaboradores detém e as que precisam
desenvolver para alcançar um alto desempenho;
3.Planear como irão desenvolver essas competências
em função das necessidades de cada função.
Reengenharia de Processos e Benchmarking
O Benchmarking envolve investigação
aprofundada sobre as melhores práticas
seguidas pelos líderes do sector, para
perceber como estas empresas
alcançaram a excelência nos seus
processos, através da comparação do
tempo a que se leva a produzir/realizar
tarefas, o custo que estas implicam e a
qualidade dos outputs.
Reengenharia de Processos e Benchmarking
Os benefícios da utilização destas metodologias vêm
principalmente em duas áreas:
1. Processos de seleção de pessoas, que precisam ser
redesenhados, são elaborados após estudos de
benchmarking em vez de simplesmente a tentar
arbitrariamente procurar especialistas da área para
ocupar os cargos.
2. A reengenharia é sempre feita de tal forma, que o
processo global deve ter como foco o cliente final.
Portanto, o benchmarking pode melhorar este processo,
trazendo as experiências das empresas líderes.
Racionalização
Racionalização do Trabalho e RH
- Eliminação da Duplicidade: A mesma
actividade for executada em partes
diferentes do processo;
- Eliminação da Burocracia: Remover
tarefas administrativas, aprovações e
documentos desnecessários ou
duplicação dos mesmos.
Padronização dos Processos
É a aplicação de normas fixas para
homogeneizar ciclos de produção e obter
redução de custos e aumento de eficiência.
- PRINCÍPIO DA EXECUÇÃO: Significa distribuir
distintamente atribuições e responsabilidades,
para que a execução do trabalho seja
disciplinada.
- PRINCÍPIO DO CONTROLE: Significa controlar
o trabalho para se certificar de que ele está a
ser executado de acordo com os métodos
estabelecidos e segundo o plano previsto.
Simplificação e Layout
A racionalização dos processos parte da
procura pela minimização ou até a não
necessidade do processo.
O layout é o posicionamento no espaço de
departamentos opostos de trabalho, de modo
a minimizar o custo satisfazendo um conjunto
de restrições. A forma como os recursos estão
distribuídos pode influenciar muito na
eficiência da organizaçao.
Fluxograma do Processo
O gráfico de fluxo de processo é uma
técnica usada para registrar um processo de
maneira compacta, a fim de tornar possível
a sua efectiva compreensão e posterior
melhoria. O fluxograma serve para
identificar a sequência de processos bem
definidos das fases do processo produtivo.
Fluxograma do Processo
• A padronização da representação dos
métodos e os procedimentos de trabalhos;
• Maior rapidez na descrição dos métodos
de trabalho;
• Facilidade na localização e a identificação
dos aspectos mais importantes;
• Maior flexibilidade;
• Melhor grau de análise.
Fluxograma do Processo
• American Society of Mechanical Engineers (ASME) introduziu
como padrão apenas cinco símbolos, que podem ser descritos
como:
1. Operação: Existe quando um objecto é modificado
intencionalmente;
2. Transporte: Toda vez que se desloca um objecto de um local
para o outro, excepto quando o movimento é parte integral de
uma operação;
3. Inspecção: Consiste em examinar um objecto tanto para
identificação, como para contagem e verificação da sua
qualidade;
4. Espera: Ocorre quando o material pára dentro do processo
produtivo, seja porque esta a aguardar um transporte para a
operação seguinte;
5. Armazenamento: Ocorre quando o material é colocado num
local préviamente definido para o armazenamento dos
materiais. O material permanece parado até que seja retirado.
Balanceamento do Trabalho
Conceito, praticabilidade e etapas
“Balancear é equilibrar os diferentes postos que compõem
uma linha, de forma a fazê-los trabalhar em sintonia com a
demanda, preferencialmente com o mesmo tempo unitário.
Quando isso ocorre, o balanceamento é chamado de
balanceamento perfeito, procurando oferecer uma visão
simplificada do balanceamento.”
Balanceamento de processos: Este tem como objectivo alinhar
todos os elementos que deste fazem parte de forma a criar
sintonia entre os mesmos visando a diminuição de tempos
mortos e desperdício de tempo e recursos.
Praticabilidade: Um processo é composto por uma série de
fases que se complementam, sendo necessário analisar e
avaliar todas as fases de forma sequencial de modo a
encontrar um novo modo de operar.
Etapas
Segundo Davis (2001) as etapas do Balanceamento são:
1. Especificar a relação sequencial entre as tarefas, utilizando
um diagrama de precedência; (A)
2. Determinar o tempo de ciclo necessário;
3.Determinar o número mínimo teórico de estações de
trabalho;
4.Selecionar uma regra básica na qual as tarefas têm de ser
alocadas às estações de trabalho e uma regra secundária
para desempatar;
5.Delegar tarefas, uma de cada vez, à primeira estação, até
que a soma dos tempos seja igual ao tempo de ciclo. Repetir o
processo nas estações seguintes;
6.Avaliar a eficiência.
Balanceamento e Processos
Cada documento gasta determinado tempo para
executar a tarefa que lhe cabe, sendo imprescindível a
constante verificação na melhoria efetiva dos processos,
na procura de eficiência administrativa e
consequentemente organizacional.
Quando um processo não produz o resultado esperado,
geralmente o fracasso no desempenho da organizaçao
em termos de processos e procedimentos ficam por
conta de fatores externos.
Segundo GOLDRATT & COX (1986), existem dois
fenómenos presentes em todos os ambientes.
- Eventos independentes: as tarefas possuírem uma
sequência de operações que são interdependentes, ou
seja, determinado processo tem de ser realizado antes
que outro possa começar, um evento subsequente só
pode realizar-se depois que outras atividades anteriores
a ele ocorram.
- Flutuações estatísticas: As dependências
decorrentes de interações entre
processos que disputam um mesmo
recurso (informaçao), este está
relacionado com a imprevisibilidade de
que certos eventos irão sempre ocorrer e
resultam de diversos acontecimentos que
não podem ser previstos com exatidão,
como:
- pontualidade
- qualidade de materiais comprados,
- quebra de máquinas,
- disponibilidade de ferramentas,
- absentísmo,
- ausência de material para processar,
- capabilidade do equipamento
- variações no comportamento do
operador.
Arquitectura dos processos
- A partir dos 1º ensaios de Taylor a atenção voltou-se para comportamentos administrativos, parâmetros
comparativos de desempenho de processos, definição de perfis e as capacidades dos operadores, como
formas de estabelecer domínio em determinada área ou unidade, mantendo e aperfeiçoando a
funcionalidade de processos de negócios.
- Essa funcionalidade deriva da especialização dos activos e a prática das suas competências, e como
contribuem para consolidar áreas funcionais.
Assim toda análise sistemática de procedimentos administrativos é suportada por conceitos de eficiência,
especialização e avaliação de processos de trabalhos, etc.
Fluxos e processos administrativos
Um mapa conceitual reúne as ferramentas necessárias permitindo organizar e representar o conhecimento, numa
estrutura cognitiva que, pode ser descrita como uma série de conceitos organizados de forma hierárquica.
A funcionalidade de um processo, tem uma visão para dois vectores quanto ao seu resultado:
• Valor de uso: que se refere a um bem ou serviço que cumpre seu papel para o qual foi produzido;
• Valor de estima: que se refere a um desejo de posse, melhor representado num bem e menos em serviço.
Os modelos de aperfeiçoamento de processos consistem numa melhoria sistemática para ajudar uma
organização a realizar avanços significativos na forma de operar os seus processos de negócio, e focando a
eliminação de desperdícios e excesso de burocracia, visando a melhoria das operações de RH.
Ciclos de tempo- Eficiência
O estudo do tempo é a premissa básica para a determinação de um balanceamento eficiente.
Esta é tida como uma etapa crucial para determinar o balanceamento, e a análise do tempo das atividades e processo.
Com esta análise é possível determinar a variação das atividades que por consequência gera uma variação no fluxo de
produção.
Para Tapping et al. (2002), o tempo de ciclo é o tempo do início de uma operação até a operação estar completada, ou
seja, é o tempo de processamento de um dado processo.
Ao analisar os elementos de trabalho, é possível obter o tempo de ciclo de cada processo dentro do seu percurso.
O estudo do tempo possui outras finalidades, tais como:
- Estabelecer padrões que serão utilizados na eficiencia dos processo;
- Determinar a capacidade de organização da empresa;
- Determina o tempo necessário do processo em cada estação de forma a que este tenha o efeito pelo que foi eleborado;
- Fornece dados para o estudo do balanceamento dos processos.
Para realizar o balanceamento de determinado processo é necessário conhecer o takt time do processo, ), o takt time é o
ritmo da acção, ou seja, é a taxa em que o processo vai desde o ponto A ao ponto B equacionando todoas as paragens e
passagens por pontos secundários
Desta descrição do role das secções por onde passa o documento, surge a verificação de que há certas etapas que se
podem excluir, inserindo-se etapas mais eficientes, ou seja o processo é sujeito a uma reformulação mais eficiente visando a
diminuição do desperdício de tempo, espaço e recursos.
Fluxograma - Estudo de Caso
Ciclos de tempo- Eficiência
Este estudo caso sintetiza como as técnicas de revisão e melhoria de processos podem
proporcionar uma maior performance aos diversos processos administrativos como
forma de garantir e atender as necessidades da empresa. Neste caso, é apresentada
uma visão de racionalização de processos de recursos humanos.
Processo Alvo: O processo alvo é o Recrutamento, Seleção e Contratação de
colaboradores.
Problema: O elevado nível de acréscimo de trabalho requereu a contratação de
pessoal para suportar o crescimento da empresa, porém o tempo do processo de
recrutamento levado a cabo pelo departamento de RH para colocar os novos
colaboradores era muito demorado.
Diagnóstico: Foram identificadas 9 etapas críticas no atual processo de recrutamento
de novos colaboradores. Através das matrizes de recursos de processos foram
identificados os tempos de processamentos em cada uma das etapas, as
capacidades de produção de cada área de trabalho e a complexidade das
operações individuais nas mesmas. Também, foram identificados os perfis dos
profissionais que operam o processo em todas as áreas de trabalho no que se refere a
nível funcional, nível de qualificação, perfil de comportamento individual, nível de
motivação. Por fim, foram avaliadas as ferramentas de tecnologia que suportavam o
processo, bem como os padrões de trabalho aliados ou não a estas ferramentas.
Ciclos de tempo- Eficiência
Este estudo caso sintetiza como as técnicas de revisão e melhoria de processos
podem proporcionar uma maior performance aos diversos processos
administrativos como forma de garantir e atender as necessidades da empresa.
Neste caso, é apresentada uma visão de racionalização de processos de recursos
humanos.
Ações Implementadas: Racionalizou-se o fluxo de ações e procedimentos
inerentes à contratação de novos colaboradores, através da reorganização da
sequência do processo, o que levou à elimina de atividades obrigatórias que
despendiam um gasto de energia desnecessário.
Introduziu-se nova forma de transporte de informação e de documentação, com
o recurso a ferramentas eletrónicas como o e-mail, de forma a reduzir e eliminar o
tempo de transporte de documentos e de informação.
Resultados: Com as ações implementadas verificou-se uma redução significativa
no número de operações e de demoras, o que resultou numa redução de 36,9%
no tempo do ciclo do processo de recrutamento, desde o pedido ao Diretor de
Recursos Humanos até a efetivação da contratação dos novos colaboradores.
Racionalização e Balanceamento do Trabalho - Construção do novo Sistema
Racionalização e Balanceamento do Trabalho - Construção do novo Sistema
Racionalização e Balanceamento do Trabalho - Construção do novo Sistema
Racionalização e Balanceamento do Trabalho - Construção do novo Sistema

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O registo nacional de processos de negócio da administração pública como inst...
O registo nacional de processos de negócio da administração pública como inst...O registo nacional de processos de negócio da administração pública como inst...
O registo nacional de processos de negócio da administração pública como inst...
Jorge Janeiro
 
Aula 06 recursos humano
Aula 06 recursos humanoAula 06 recursos humano
Aula 06 recursos humano
Homero Alves de Lima
 
Bpm curso governanca_deprocessos
Bpm curso governanca_deprocessosBpm curso governanca_deprocessos
Bpm curso governanca_deprocessos
Adinilson Martins
 
Modelação de processos de negócio análise comparativa de linguagens
Modelação de processos de negócio   análise comparativa de linguagensModelação de processos de negócio   análise comparativa de linguagens
Modelação de processos de negócio análise comparativa de linguagens
Rosa Domingues
 
Eventograma, Infograma e Funcionagrama
Eventograma, Infograma e FuncionagramaEventograma, Infograma e Funcionagrama
Eventograma, Infograma e Funcionagrama
Érica Rangel
 
MINICURSO: Modelagem de processo em Unidades de Informação
MINICURSO: Modelagem de processo em Unidades de InformaçãoMINICURSO: Modelagem de processo em Unidades de Informação
MINICURSO: Modelagem de processo em Unidades de Informação
Fabrícia Carla Sobral
 
Procedimento de auditoria de gestao
Procedimento de auditoria de gestaoProcedimento de auditoria de gestao
Procedimento de auditoria de gestao
Universidade Pedagogica
 
Po 11 - manualizacao
Po 11 - manualizacaoPo 11 - manualizacao
Po 11 - manualizacao
lrdamasceno
 
Aulas - Análise de Processos - 2005 - Prof. Sergio.Jr
Aulas - Análise de Processos - 2005 - Prof. Sergio.JrAulas - Análise de Processos - 2005 - Prof. Sergio.Jr
Aulas - Análise de Processos - 2005 - Prof. Sergio.Jr
Sergio Luis Seloti Jr
 
OMS UnB 01_2013 - Aula 11 - Diagrama de Escopo e Interface de Processos
OMS UnB 01_2013 - Aula 11 - Diagrama de Escopo e Interface de ProcessosOMS UnB 01_2013 - Aula 11 - Diagrama de Escopo e Interface de Processos
OMS UnB 01_2013 - Aula 11 - Diagrama de Escopo e Interface de Processos
Euller Barros
 
Ciclo Deming
Ciclo DemingCiclo Deming
Ciclo Deming
araana
 
00 tipos de_auditoria
00 tipos de_auditoria00 tipos de_auditoria
00 tipos de_auditoria
Portal_do_Estudante_aud
 
A01 - Gestao por Processos (visao geral) v2
A01 - Gestao por Processos (visao geral) v2A01 - Gestao por Processos (visao geral) v2
A01 - Gestao por Processos (visao geral) v2
Saulo Oliveira
 
Booklet Estudo do Trabalho final
Booklet Estudo do Trabalho finalBooklet Estudo do Trabalho final
Booklet Estudo do Trabalho final
CLT Valuebased Services
 
ORGANIZAÇÃO, SISTEMAS E MÉTODOS – OSM
ORGANIZAÇÃO, SISTEMAS E MÉTODOS – OSMORGANIZAÇÃO, SISTEMAS E MÉTODOS – OSM
ORGANIZAÇÃO, SISTEMAS E MÉTODOS – OSM
Cursos Profissionalizantes
 
Caderno - Processos Organizacionais
Caderno - Processos OrganizacionaisCaderno - Processos Organizacionais
Caderno - Processos Organizacionais
Cadernos PPT
 
Analise da distribuicao do trabalho o&m
Analise da distribuicao do trabalho o&mAnalise da distribuicao do trabalho o&m
Analise da distribuicao do trabalho o&m
tembito
 
Orçamento Empresarial
Orçamento EmpresarialOrçamento Empresarial
Orçamento Empresarial
Acies Consultoria Empresarial
 
Curso BPMN e Gestao por Processos de Negocios
Curso BPMN e Gestao por Processos de NegociosCurso BPMN e Gestao por Processos de Negocios
Curso BPMN e Gestao por Processos de Negocios
Grupo Treinar
 
Aula 5 avaliação e desempenho dos processos organizacionais
Aula 5   avaliação e desempenho dos processos organizacionaisAula 5   avaliação e desempenho dos processos organizacionais
Aula 5 avaliação e desempenho dos processos organizacionais
Katiana Diniz
 

Mais procurados (20)

O registo nacional de processos de negócio da administração pública como inst...
O registo nacional de processos de negócio da administração pública como inst...O registo nacional de processos de negócio da administração pública como inst...
O registo nacional de processos de negócio da administração pública como inst...
 
Aula 06 recursos humano
Aula 06 recursos humanoAula 06 recursos humano
Aula 06 recursos humano
 
Bpm curso governanca_deprocessos
Bpm curso governanca_deprocessosBpm curso governanca_deprocessos
Bpm curso governanca_deprocessos
 
Modelação de processos de negócio análise comparativa de linguagens
Modelação de processos de negócio   análise comparativa de linguagensModelação de processos de negócio   análise comparativa de linguagens
Modelação de processos de negócio análise comparativa de linguagens
 
Eventograma, Infograma e Funcionagrama
Eventograma, Infograma e FuncionagramaEventograma, Infograma e Funcionagrama
Eventograma, Infograma e Funcionagrama
 
MINICURSO: Modelagem de processo em Unidades de Informação
MINICURSO: Modelagem de processo em Unidades de InformaçãoMINICURSO: Modelagem de processo em Unidades de Informação
MINICURSO: Modelagem de processo em Unidades de Informação
 
Procedimento de auditoria de gestao
Procedimento de auditoria de gestaoProcedimento de auditoria de gestao
Procedimento de auditoria de gestao
 
Po 11 - manualizacao
Po 11 - manualizacaoPo 11 - manualizacao
Po 11 - manualizacao
 
Aulas - Análise de Processos - 2005 - Prof. Sergio.Jr
Aulas - Análise de Processos - 2005 - Prof. Sergio.JrAulas - Análise de Processos - 2005 - Prof. Sergio.Jr
Aulas - Análise de Processos - 2005 - Prof. Sergio.Jr
 
OMS UnB 01_2013 - Aula 11 - Diagrama de Escopo e Interface de Processos
OMS UnB 01_2013 - Aula 11 - Diagrama de Escopo e Interface de ProcessosOMS UnB 01_2013 - Aula 11 - Diagrama de Escopo e Interface de Processos
OMS UnB 01_2013 - Aula 11 - Diagrama de Escopo e Interface de Processos
 
Ciclo Deming
Ciclo DemingCiclo Deming
Ciclo Deming
 
00 tipos de_auditoria
00 tipos de_auditoria00 tipos de_auditoria
00 tipos de_auditoria
 
A01 - Gestao por Processos (visao geral) v2
A01 - Gestao por Processos (visao geral) v2A01 - Gestao por Processos (visao geral) v2
A01 - Gestao por Processos (visao geral) v2
 
Booklet Estudo do Trabalho final
Booklet Estudo do Trabalho finalBooklet Estudo do Trabalho final
Booklet Estudo do Trabalho final
 
ORGANIZAÇÃO, SISTEMAS E MÉTODOS – OSM
ORGANIZAÇÃO, SISTEMAS E MÉTODOS – OSMORGANIZAÇÃO, SISTEMAS E MÉTODOS – OSM
ORGANIZAÇÃO, SISTEMAS E MÉTODOS – OSM
 
Caderno - Processos Organizacionais
Caderno - Processos OrganizacionaisCaderno - Processos Organizacionais
Caderno - Processos Organizacionais
 
Analise da distribuicao do trabalho o&m
Analise da distribuicao do trabalho o&mAnalise da distribuicao do trabalho o&m
Analise da distribuicao do trabalho o&m
 
Orçamento Empresarial
Orçamento EmpresarialOrçamento Empresarial
Orçamento Empresarial
 
Curso BPMN e Gestao por Processos de Negocios
Curso BPMN e Gestao por Processos de NegociosCurso BPMN e Gestao por Processos de Negocios
Curso BPMN e Gestao por Processos de Negocios
 
Aula 5 avaliação e desempenho dos processos organizacionais
Aula 5   avaliação e desempenho dos processos organizacionaisAula 5   avaliação e desempenho dos processos organizacionais
Aula 5 avaliação e desempenho dos processos organizacionais
 

Destaque

Seminário sobre racionalização assufrgs e cis atualizado
Seminário sobre racionalização assufrgs e cis atualizadoSeminário sobre racionalização assufrgs e cis atualizado
Seminário sobre racionalização assufrgs e cis atualizado
Silvio Corrêa
 
Mini curso sobre agilidade - IFSul - Sapucaia
Mini curso sobre agilidade - IFSul - SapucaiaMini curso sobre agilidade - IFSul - Sapucaia
Mini curso sobre agilidade - IFSul - Sapucaia
Cristina Silveira Otto
 
Aula de leiaute
Aula de leiauteAula de leiaute
Aula de leiaute
Gabriel Castelo Branco
 
Racionalização
RacionalizaçãoRacionalização
Racionalização
Carla Teixeira
 
Aula 2 ucam ipa 2014.1 - epa - taylor e fayol
Aula 2   ucam ipa 2014.1 - epa - taylor e fayolAula 2   ucam ipa 2014.1 - epa - taylor e fayol
Aula 2 ucam ipa 2014.1 - epa - taylor e fayol
Angelo Peres
 
12. Racionalização de Processos
12. Racionalização de Processos12. Racionalização de Processos
12. Racionalização de Processos
Luiz Carlos Bueno
 
Administração japonesa
Administração japonesaAdministração japonesa
Administração japonesa
P30
 
App ciências ambientais - síntese
App   ciências ambientais - sínteseApp   ciências ambientais - síntese
App ciências ambientais - síntese
Camila Silva
 
Unidade 2.1 planejamento t+ítico do layout
Unidade 2.1   planejamento t+ítico do layoutUnidade 2.1   planejamento t+ítico do layout
Unidade 2.1 planejamento t+ítico do layout
Daniel Moura
 
Adm Producao
Adm ProducaoAdm Producao
Lista de exercícios equações irracionais - II unidade
Lista de exercícios   equações irracionais - II unidadeLista de exercícios   equações irracionais - II unidade
Lista de exercícios equações irracionais - II unidade
Cinthia Oliveira Brito da Silva
 
Importância do Layout Interno
Importância do Layout InternoImportância do Layout Interno
Importância do Layout Interno
Ruy Carneiro Giraldes Neto
 
Racionalização
RacionalizaçãoRacionalização
Racionalização
Carla Teixeira
 
To 02 Administracao Cientifica De Taylor
To 02   Administracao Cientifica De TaylorTo 02   Administracao Cientifica De Taylor
To 02 Administracao Cientifica De Taylor
edgarklein
 
Racionalização
RacionalizaçãoRacionalização
Racionalização
leilamaluf
 
Equações 1º grau simples e com parenteses
Equações 1º grau   simples e com parentesesEquações 1º grau   simples e com parenteses
Equações 1º grau simples e com parenteses
Rita Sousa
 
Exercícios resolvidos de problemas de equações do 2º grau
Exercícios resolvidos de problemas de equações do 2º grauExercícios resolvidos de problemas de equações do 2º grau
Exercícios resolvidos de problemas de equações do 2º grau
André Luís Nogueira
 
Aula Gestão da Produção e Logística: Arranjo Físico
Aula Gestão da Produção e Logística: Arranjo FísicoAula Gestão da Produção e Logística: Arranjo Físico
Aula Gestão da Produção e Logística: Arranjo Físico
Wilian Gatti Jr
 
1ª lista de exercícios 9º ano(equações do 2º grau - incompletas)
1ª lista de exercícios   9º ano(equações do 2º grau - incompletas)1ª lista de exercícios   9º ano(equações do 2º grau - incompletas)
1ª lista de exercícios 9º ano(equações do 2º grau - incompletas)
Ilton Bruno
 
Unidade 6 - Arranjo físico e fluxo
Unidade 6 -  Arranjo físico e fluxoUnidade 6 -  Arranjo físico e fluxo
Unidade 6 - Arranjo físico e fluxo
Daniel Moura
 

Destaque (20)

Seminário sobre racionalização assufrgs e cis atualizado
Seminário sobre racionalização assufrgs e cis atualizadoSeminário sobre racionalização assufrgs e cis atualizado
Seminário sobre racionalização assufrgs e cis atualizado
 
Mini curso sobre agilidade - IFSul - Sapucaia
Mini curso sobre agilidade - IFSul - SapucaiaMini curso sobre agilidade - IFSul - Sapucaia
Mini curso sobre agilidade - IFSul - Sapucaia
 
Aula de leiaute
Aula de leiauteAula de leiaute
Aula de leiaute
 
Racionalização
RacionalizaçãoRacionalização
Racionalização
 
Aula 2 ucam ipa 2014.1 - epa - taylor e fayol
Aula 2   ucam ipa 2014.1 - epa - taylor e fayolAula 2   ucam ipa 2014.1 - epa - taylor e fayol
Aula 2 ucam ipa 2014.1 - epa - taylor e fayol
 
12. Racionalização de Processos
12. Racionalização de Processos12. Racionalização de Processos
12. Racionalização de Processos
 
Administração japonesa
Administração japonesaAdministração japonesa
Administração japonesa
 
App ciências ambientais - síntese
App   ciências ambientais - sínteseApp   ciências ambientais - síntese
App ciências ambientais - síntese
 
Unidade 2.1 planejamento t+ítico do layout
Unidade 2.1   planejamento t+ítico do layoutUnidade 2.1   planejamento t+ítico do layout
Unidade 2.1 planejamento t+ítico do layout
 
Adm Producao
Adm ProducaoAdm Producao
Adm Producao
 
Lista de exercícios equações irracionais - II unidade
Lista de exercícios   equações irracionais - II unidadeLista de exercícios   equações irracionais - II unidade
Lista de exercícios equações irracionais - II unidade
 
Importância do Layout Interno
Importância do Layout InternoImportância do Layout Interno
Importância do Layout Interno
 
Racionalização
RacionalizaçãoRacionalização
Racionalização
 
To 02 Administracao Cientifica De Taylor
To 02   Administracao Cientifica De TaylorTo 02   Administracao Cientifica De Taylor
To 02 Administracao Cientifica De Taylor
 
Racionalização
RacionalizaçãoRacionalização
Racionalização
 
Equações 1º grau simples e com parenteses
Equações 1º grau   simples e com parentesesEquações 1º grau   simples e com parenteses
Equações 1º grau simples e com parenteses
 
Exercícios resolvidos de problemas de equações do 2º grau
Exercícios resolvidos de problemas de equações do 2º grauExercícios resolvidos de problemas de equações do 2º grau
Exercícios resolvidos de problemas de equações do 2º grau
 
Aula Gestão da Produção e Logística: Arranjo Físico
Aula Gestão da Produção e Logística: Arranjo FísicoAula Gestão da Produção e Logística: Arranjo Físico
Aula Gestão da Produção e Logística: Arranjo Físico
 
1ª lista de exercícios 9º ano(equações do 2º grau - incompletas)
1ª lista de exercícios   9º ano(equações do 2º grau - incompletas)1ª lista de exercícios   9º ano(equações do 2º grau - incompletas)
1ª lista de exercícios 9º ano(equações do 2º grau - incompletas)
 
Unidade 6 - Arranjo físico e fluxo
Unidade 6 -  Arranjo físico e fluxoUnidade 6 -  Arranjo físico e fluxo
Unidade 6 - Arranjo físico e fluxo
 

Semelhante a Racionalização e Balanceamento do Trabalho - Construção do novo Sistema

Aula 02 Assistente de RH - Comunicação Social I - Processos de Comunicação.pdf
Aula 02 Assistente de RH - Comunicação Social I - Processos de Comunicação.pdfAula 02 Assistente de RH - Comunicação Social I - Processos de Comunicação.pdf
Aula 02 Assistente de RH - Comunicação Social I - Processos de Comunicação.pdf
Patrick271412
 
Simulação Manual de Posto de Lavagem de Carros Teoria das Filas
Simulação Manual de Posto de Lavagem de Carros Teoria das FilasSimulação Manual de Posto de Lavagem de Carros Teoria das Filas
Simulação Manual de Posto de Lavagem de Carros Teoria das Filas
DIEGOALMEIDA195
 
Processos Organizacionais
Processos Organizacionais Processos Organizacionais
Processos Organizacionais
Pedro Luis Moraes
 
Mapeamento e padronização de processos.pdf
Mapeamento e padronização de processos.pdfMapeamento e padronização de processos.pdf
Mapeamento e padronização de processos.pdf
AroldoMenezes1
 
PLANO DE AULA 3 - SENAC - GESTÃO E NEGOCIOS - JAN 24.doc
PLANO DE AULA 3 - SENAC - GESTÃO E NEGOCIOS - JAN 24.docPLANO DE AULA 3 - SENAC - GESTÃO E NEGOCIOS - JAN 24.doc
PLANO DE AULA 3 - SENAC - GESTÃO E NEGOCIOS - JAN 24.doc
GivaldoBatistaMoroBo
 
PROCESSOS ORGANIZACIONAIS - SENAC - TÉC - LOGÍSTICA.ppt
PROCESSOS ORGANIZACIONAIS - SENAC - TÉC - LOGÍSTICA.pptPROCESSOS ORGANIZACIONAIS - SENAC - TÉC - LOGÍSTICA.ppt
PROCESSOS ORGANIZACIONAIS - SENAC - TÉC - LOGÍSTICA.ppt
Glegson souza
 
PROCESSOS ORGANIZACIONAIS - representação
PROCESSOS ORGANIZACIONAIS  - representaçãoPROCESSOS ORGANIZACIONAIS  - representação
PROCESSOS ORGANIZACIONAIS - representação
RicardodeQueirozMach
 
PROCESSOS ORGANIZACIONAIS e ADMINISTRATIVOS.ppt
PROCESSOS ORGANIZACIONAIS e ADMINISTRATIVOS.pptPROCESSOS ORGANIZACIONAIS e ADMINISTRATIVOS.ppt
PROCESSOS ORGANIZACIONAIS e ADMINISTRATIVOS.ppt
OzaiasCarvalho
 
GESTÃO DE PROCESSOS.pptx
GESTÃO DE PROCESSOS.pptxGESTÃO DE PROCESSOS.pptx
GESTÃO DE PROCESSOS.pptx
YuriCota2
 
Gestão processo BMP
Gestão processo BMPGestão processo BMP
Gestão processo BMP
Armando Ferreira Alvferreira
 
Guia de mapeamento de processos
Guia de mapeamento de processosGuia de mapeamento de processos
Guia de mapeamento de processos
neliapires
 
Erika questionario pt 2 (Eng Software III).
Erika questionario pt  2 (Eng Software III).Erika questionario pt  2 (Eng Software III).
Erika questionario pt 2 (Eng Software III).
Érika Santos
 
Benchmarking e resultados
Benchmarking e resultadosBenchmarking e resultados
Benchmarking e resultados
Universidade Federal Fluminense
 
Apêndice I- Workshop Gestão de Processos.pptx
Apêndice I- Workshop Gestão de Processos.pptxApêndice I- Workshop Gestão de Processos.pptx
Apêndice I- Workshop Gestão de Processos.pptx
JaquelineSakon
 
Apendice -Gestão de Processos - via pptx
Apendice -Gestão de Processos - via pptxApendice -Gestão de Processos - via pptx
Apendice -Gestão de Processos - via pptx
camilaaragao1
 
Os desafios do empreendedor
Os desafios do empreendedorOs desafios do empreendedor
Os desafios do empreendedor
Alessandra Aparecida Sanches
 
Modulo 2 - Execução de programas e projectos do desporto (GPPD)
Modulo 2 - Execução de programas e projectos do desporto (GPPD)Modulo 2 - Execução de programas e projectos do desporto (GPPD)
Modulo 2 - Execução de programas e projectos do desporto (GPPD)
Ana Marques
 
Reengenharia de processos de negócios.
Reengenharia de processos de negócios.Reengenharia de processos de negócios.
Reengenharia de processos de negócios.
Bruno Belem
 
sap-hr-recursos-humanos
  sap-hr-recursos-humanos  sap-hr-recursos-humanos
sap-hr-recursos-humanos
Denner Andrade
 
APOSTILA DE MANUTENÇÃO ELÉTRICA
APOSTILA DE MANUTENÇÃO ELÉTRICAAPOSTILA DE MANUTENÇÃO ELÉTRICA
APOSTILA DE MANUTENÇÃO ELÉTRICA
Benedicto Reinaldo
 

Semelhante a Racionalização e Balanceamento do Trabalho - Construção do novo Sistema (20)

Aula 02 Assistente de RH - Comunicação Social I - Processos de Comunicação.pdf
Aula 02 Assistente de RH - Comunicação Social I - Processos de Comunicação.pdfAula 02 Assistente de RH - Comunicação Social I - Processos de Comunicação.pdf
Aula 02 Assistente de RH - Comunicação Social I - Processos de Comunicação.pdf
 
Simulação Manual de Posto de Lavagem de Carros Teoria das Filas
Simulação Manual de Posto de Lavagem de Carros Teoria das FilasSimulação Manual de Posto de Lavagem de Carros Teoria das Filas
Simulação Manual de Posto de Lavagem de Carros Teoria das Filas
 
Processos Organizacionais
Processos Organizacionais Processos Organizacionais
Processos Organizacionais
 
Mapeamento e padronização de processos.pdf
Mapeamento e padronização de processos.pdfMapeamento e padronização de processos.pdf
Mapeamento e padronização de processos.pdf
 
PLANO DE AULA 3 - SENAC - GESTÃO E NEGOCIOS - JAN 24.doc
PLANO DE AULA 3 - SENAC - GESTÃO E NEGOCIOS - JAN 24.docPLANO DE AULA 3 - SENAC - GESTÃO E NEGOCIOS - JAN 24.doc
PLANO DE AULA 3 - SENAC - GESTÃO E NEGOCIOS - JAN 24.doc
 
PROCESSOS ORGANIZACIONAIS - SENAC - TÉC - LOGÍSTICA.ppt
PROCESSOS ORGANIZACIONAIS - SENAC - TÉC - LOGÍSTICA.pptPROCESSOS ORGANIZACIONAIS - SENAC - TÉC - LOGÍSTICA.ppt
PROCESSOS ORGANIZACIONAIS - SENAC - TÉC - LOGÍSTICA.ppt
 
PROCESSOS ORGANIZACIONAIS - representação
PROCESSOS ORGANIZACIONAIS  - representaçãoPROCESSOS ORGANIZACIONAIS  - representação
PROCESSOS ORGANIZACIONAIS - representação
 
PROCESSOS ORGANIZACIONAIS e ADMINISTRATIVOS.ppt
PROCESSOS ORGANIZACIONAIS e ADMINISTRATIVOS.pptPROCESSOS ORGANIZACIONAIS e ADMINISTRATIVOS.ppt
PROCESSOS ORGANIZACIONAIS e ADMINISTRATIVOS.ppt
 
GESTÃO DE PROCESSOS.pptx
GESTÃO DE PROCESSOS.pptxGESTÃO DE PROCESSOS.pptx
GESTÃO DE PROCESSOS.pptx
 
Gestão processo BMP
Gestão processo BMPGestão processo BMP
Gestão processo BMP
 
Guia de mapeamento de processos
Guia de mapeamento de processosGuia de mapeamento de processos
Guia de mapeamento de processos
 
Erika questionario pt 2 (Eng Software III).
Erika questionario pt  2 (Eng Software III).Erika questionario pt  2 (Eng Software III).
Erika questionario pt 2 (Eng Software III).
 
Benchmarking e resultados
Benchmarking e resultadosBenchmarking e resultados
Benchmarking e resultados
 
Apêndice I- Workshop Gestão de Processos.pptx
Apêndice I- Workshop Gestão de Processos.pptxApêndice I- Workshop Gestão de Processos.pptx
Apêndice I- Workshop Gestão de Processos.pptx
 
Apendice -Gestão de Processos - via pptx
Apendice -Gestão de Processos - via pptxApendice -Gestão de Processos - via pptx
Apendice -Gestão de Processos - via pptx
 
Os desafios do empreendedor
Os desafios do empreendedorOs desafios do empreendedor
Os desafios do empreendedor
 
Modulo 2 - Execução de programas e projectos do desporto (GPPD)
Modulo 2 - Execução de programas e projectos do desporto (GPPD)Modulo 2 - Execução de programas e projectos do desporto (GPPD)
Modulo 2 - Execução de programas e projectos do desporto (GPPD)
 
Reengenharia de processos de negócios.
Reengenharia de processos de negócios.Reengenharia de processos de negócios.
Reengenharia de processos de negócios.
 
sap-hr-recursos-humanos
  sap-hr-recursos-humanos  sap-hr-recursos-humanos
sap-hr-recursos-humanos
 
APOSTILA DE MANUTENÇÃO ELÉTRICA
APOSTILA DE MANUTENÇÃO ELÉTRICAAPOSTILA DE MANUTENÇÃO ELÉTRICA
APOSTILA DE MANUTENÇÃO ELÉTRICA
 

Mais de Giulia Pizzignacco

Connective - The Hospitality Advice Network
Connective - The Hospitality Advice NetworkConnective - The Hospitality Advice Network
Connective - The Hospitality Advice Network
Giulia Pizzignacco
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
Giulia Pizzignacco
 
Ética, Responsabilidade Social & SSHT
Ética, Responsabilidade Social & SSHTÉtica, Responsabilidade Social & SSHT
Ética, Responsabilidade Social & SSHT
Giulia Pizzignacco
 
Desenvolvimento do Potencial
Desenvolvimento do PotencialDesenvolvimento do Potencial
Desenvolvimento do Potencial
Giulia Pizzignacco
 
Organisations and their changing environment
Organisations and their changing environmentOrganisations and their changing environment
Organisations and their changing environment
Giulia Pizzignacco
 
Change the Incentives, Engage the Whole Organization
Change the Incentives, Engage the Whole OrganizationChange the Incentives, Engage the Whole Organization
Change the Incentives, Engage the Whole Organization
Giulia Pizzignacco
 
Objetivos, Agentes e Processos do Desenvolvimento Organizacional?
Objetivos, Agentes e Processos do Desenvolvimento Organizacional?Objetivos, Agentes e Processos do Desenvolvimento Organizacional?
Objetivos, Agentes e Processos do Desenvolvimento Organizacional?
Giulia Pizzignacco
 
Profissão Programador Web e Multimédia
Profissão Programador Web e MultimédiaProfissão Programador Web e Multimédia
Profissão Programador Web e Multimédia
Giulia Pizzignacco
 
Riscos da Profissão Cozinheiro
Riscos da Profissão CozinheiroRiscos da Profissão Cozinheiro
Riscos da Profissão Cozinheiro
Giulia Pizzignacco
 
Análise e Gestão de Competências
Análise e Gestão de CompetênciasAnálise e Gestão de Competências
Análise e Gestão de Competências
Giulia Pizzignacco
 
Conflito e Negociação
Conflito e NegociaçãoConflito e Negociação
Conflito e Negociação
Giulia Pizzignacco
 
Analise SWOT
Analise SWOTAnalise SWOT
Analise SWOT
Giulia Pizzignacco
 

Mais de Giulia Pizzignacco (12)

Connective - The Hospitality Advice Network
Connective - The Hospitality Advice NetworkConnective - The Hospitality Advice Network
Connective - The Hospitality Advice Network
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
 
Ética, Responsabilidade Social & SSHT
Ética, Responsabilidade Social & SSHTÉtica, Responsabilidade Social & SSHT
Ética, Responsabilidade Social & SSHT
 
Desenvolvimento do Potencial
Desenvolvimento do PotencialDesenvolvimento do Potencial
Desenvolvimento do Potencial
 
Organisations and their changing environment
Organisations and their changing environmentOrganisations and their changing environment
Organisations and their changing environment
 
Change the Incentives, Engage the Whole Organization
Change the Incentives, Engage the Whole OrganizationChange the Incentives, Engage the Whole Organization
Change the Incentives, Engage the Whole Organization
 
Objetivos, Agentes e Processos do Desenvolvimento Organizacional?
Objetivos, Agentes e Processos do Desenvolvimento Organizacional?Objetivos, Agentes e Processos do Desenvolvimento Organizacional?
Objetivos, Agentes e Processos do Desenvolvimento Organizacional?
 
Profissão Programador Web e Multimédia
Profissão Programador Web e MultimédiaProfissão Programador Web e Multimédia
Profissão Programador Web e Multimédia
 
Riscos da Profissão Cozinheiro
Riscos da Profissão CozinheiroRiscos da Profissão Cozinheiro
Riscos da Profissão Cozinheiro
 
Análise e Gestão de Competências
Análise e Gestão de CompetênciasAnálise e Gestão de Competências
Análise e Gestão de Competências
 
Conflito e Negociação
Conflito e NegociaçãoConflito e Negociação
Conflito e Negociação
 
Analise SWOT
Analise SWOTAnalise SWOT
Analise SWOT
 

Último

Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfilApostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Carlos Eduardo Coan Junior
 
Informativo Agronômico n11 v1.0 - Seringueira (ppt).pdf
Informativo Agronômico n11 v1.0 - Seringueira (ppt).pdfInformativo Agronômico n11 v1.0 - Seringueira (ppt).pdf
Informativo Agronômico n11 v1.0 - Seringueira (ppt).pdf
edsonfrancojunior99
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
Paulo Emerson Pereira
 
O legado democrático de Portugal no Brasil, enfatizando sua contribuição para...
O legado democrático de Portugal no Brasil, enfatizando sua contribuição para...O legado democrático de Portugal no Brasil, enfatizando sua contribuição para...
O legado democrático de Portugal no Brasil, enfatizando sua contribuição para...
Paulo Dalla Nora Macedo
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
rihabkorbi24
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Paulo Emerson Pereira
 

Último (6)

Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfilApostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
Apostila GOOGLE MEU NEGÓCIO-Passo a passo detalhado para criar um novo perfil
 
Informativo Agronômico n11 v1.0 - Seringueira (ppt).pdf
Informativo Agronômico n11 v1.0 - Seringueira (ppt).pdfInformativo Agronômico n11 v1.0 - Seringueira (ppt).pdf
Informativo Agronômico n11 v1.0 - Seringueira (ppt).pdf
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
 
O legado democrático de Portugal no Brasil, enfatizando sua contribuição para...
O legado democrático de Portugal no Brasil, enfatizando sua contribuição para...O legado democrático de Portugal no Brasil, enfatizando sua contribuição para...
O legado democrático de Portugal no Brasil, enfatizando sua contribuição para...
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
 

Racionalização e Balanceamento do Trabalho - Construção do novo Sistema

  • 1. Racionalização e Balanceamento do Trabalho Construção do novo Sistema
  • 2. Reengenharia Um sistema administrativo, que através do rompimento com antigas regras e modos de realizar tarefas, reorganiza e modifica processos, metodologias de trabalho e a forma como uma organização conduz o seu negócio. “A reengenharia não pode ser planeada meticulosamente e realizada em pequenos e cautelosos passos. É uma proposição tudo-ou-nada com um resultado incerto. Ainda assim, a maioria das empresas não têm outra alternativa se não a de reunir a coragem para fazê-lo.” (Michael Hammer)
  • 3. Passos da Reengenharia • Questionar todos os passos e métodos utilizados no desenvolvimento do processo produtivo de uma função, do momento em que é definido o objetivo até o seu alcance. Visando melhorar estes mesmos processos; • Definir a estratégia; • Recolher as informações sobre necessidades e expectativas do negócio.A fim de mapear os processos que requerem melhorias; • Feito isso, os gestores poderão vislumbrar quais são os pontos que devem ser optimizados e os que serão descartados, caso não tenham valor real para a organização.
  • 4. Reengenharia - Implementação de novas metodologias e tecnologias que permitam: - Reduzir custos e desperdícios; - Aumentar a velocidade da produção de bens materiais; - Assim como a rapidez com que dão feedback e apresentam soluções para os problemas do cliente interno e externo.
  • 5. Ford vs Mazda - Ford: Novos equipamentos informáticos que permitiriam reduzir o gasto com pessoal no departamento contabilístico (compras, contabilidade, armazém) em 20%, passando de 500 colaboradores para 400. - Mazda: Empregava (proporcionalmente) 5 vezes menos empregados do que a Ford, para realizar o mesmo trabalho mais barato e mais rápido.
  • 6. Ford vs Mazda Resultado: Ford reduziu o número de colaboradores naquele departamento em 75%. Além de acabar com os problemas de incompatibilidade entre os valores apresentados no registo físico e no registo financeiro, tornando o controle de material mais fácil e a informação financeira mais precisa.
  • 7. Reengenharia RH Hammer e Champy, apresentam as seguintes etapas do processo de reingenharia aplicado aos Recursos Humanos: 1.Definir o portfólio de competências para obter os objetivos e níveis de desempenho desejados; 2.Identificar e determinar os gaps entre as competências que os colaboradores detém e as que precisam desenvolver para alcançar um alto desempenho; 3.Planear como irão desenvolver essas competências em função das necessidades de cada função.
  • 8. Reengenharia de Processos e Benchmarking O Benchmarking envolve investigação aprofundada sobre as melhores práticas seguidas pelos líderes do sector, para perceber como estas empresas alcançaram a excelência nos seus processos, através da comparação do tempo a que se leva a produzir/realizar tarefas, o custo que estas implicam e a qualidade dos outputs.
  • 9. Reengenharia de Processos e Benchmarking Os benefícios da utilização destas metodologias vêm principalmente em duas áreas: 1. Processos de seleção de pessoas, que precisam ser redesenhados, são elaborados após estudos de benchmarking em vez de simplesmente a tentar arbitrariamente procurar especialistas da área para ocupar os cargos. 2. A reengenharia é sempre feita de tal forma, que o processo global deve ter como foco o cliente final. Portanto, o benchmarking pode melhorar este processo, trazendo as experiências das empresas líderes.
  • 11. Racionalização do Trabalho e RH - Eliminação da Duplicidade: A mesma actividade for executada em partes diferentes do processo; - Eliminação da Burocracia: Remover tarefas administrativas, aprovações e documentos desnecessários ou duplicação dos mesmos.
  • 12. Padronização dos Processos É a aplicação de normas fixas para homogeneizar ciclos de produção e obter redução de custos e aumento de eficiência. - PRINCÍPIO DA EXECUÇÃO: Significa distribuir distintamente atribuições e responsabilidades, para que a execução do trabalho seja disciplinada. - PRINCÍPIO DO CONTROLE: Significa controlar o trabalho para se certificar de que ele está a ser executado de acordo com os métodos estabelecidos e segundo o plano previsto.
  • 13. Simplificação e Layout A racionalização dos processos parte da procura pela minimização ou até a não necessidade do processo. O layout é o posicionamento no espaço de departamentos opostos de trabalho, de modo a minimizar o custo satisfazendo um conjunto de restrições. A forma como os recursos estão distribuídos pode influenciar muito na eficiência da organizaçao.
  • 14. Fluxograma do Processo O gráfico de fluxo de processo é uma técnica usada para registrar um processo de maneira compacta, a fim de tornar possível a sua efectiva compreensão e posterior melhoria. O fluxograma serve para identificar a sequência de processos bem definidos das fases do processo produtivo.
  • 15. Fluxograma do Processo • A padronização da representação dos métodos e os procedimentos de trabalhos; • Maior rapidez na descrição dos métodos de trabalho; • Facilidade na localização e a identificação dos aspectos mais importantes; • Maior flexibilidade; • Melhor grau de análise.
  • 16. Fluxograma do Processo • American Society of Mechanical Engineers (ASME) introduziu como padrão apenas cinco símbolos, que podem ser descritos como: 1. Operação: Existe quando um objecto é modificado intencionalmente; 2. Transporte: Toda vez que se desloca um objecto de um local para o outro, excepto quando o movimento é parte integral de uma operação; 3. Inspecção: Consiste em examinar um objecto tanto para identificação, como para contagem e verificação da sua qualidade; 4. Espera: Ocorre quando o material pára dentro do processo produtivo, seja porque esta a aguardar um transporte para a operação seguinte; 5. Armazenamento: Ocorre quando o material é colocado num local préviamente definido para o armazenamento dos materiais. O material permanece parado até que seja retirado.
  • 18. Conceito, praticabilidade e etapas “Balancear é equilibrar os diferentes postos que compõem uma linha, de forma a fazê-los trabalhar em sintonia com a demanda, preferencialmente com o mesmo tempo unitário. Quando isso ocorre, o balanceamento é chamado de balanceamento perfeito, procurando oferecer uma visão simplificada do balanceamento.” Balanceamento de processos: Este tem como objectivo alinhar todos os elementos que deste fazem parte de forma a criar sintonia entre os mesmos visando a diminuição de tempos mortos e desperdício de tempo e recursos. Praticabilidade: Um processo é composto por uma série de fases que se complementam, sendo necessário analisar e avaliar todas as fases de forma sequencial de modo a encontrar um novo modo de operar.
  • 19. Etapas Segundo Davis (2001) as etapas do Balanceamento são: 1. Especificar a relação sequencial entre as tarefas, utilizando um diagrama de precedência; (A) 2. Determinar o tempo de ciclo necessário; 3.Determinar o número mínimo teórico de estações de trabalho; 4.Selecionar uma regra básica na qual as tarefas têm de ser alocadas às estações de trabalho e uma regra secundária para desempatar; 5.Delegar tarefas, uma de cada vez, à primeira estação, até que a soma dos tempos seja igual ao tempo de ciclo. Repetir o processo nas estações seguintes; 6.Avaliar a eficiência.
  • 20. Balanceamento e Processos Cada documento gasta determinado tempo para executar a tarefa que lhe cabe, sendo imprescindível a constante verificação na melhoria efetiva dos processos, na procura de eficiência administrativa e consequentemente organizacional. Quando um processo não produz o resultado esperado, geralmente o fracasso no desempenho da organizaçao em termos de processos e procedimentos ficam por conta de fatores externos. Segundo GOLDRATT & COX (1986), existem dois fenómenos presentes em todos os ambientes. - Eventos independentes: as tarefas possuírem uma sequência de operações que são interdependentes, ou seja, determinado processo tem de ser realizado antes que outro possa começar, um evento subsequente só pode realizar-se depois que outras atividades anteriores a ele ocorram. - Flutuações estatísticas: As dependências decorrentes de interações entre processos que disputam um mesmo recurso (informaçao), este está relacionado com a imprevisibilidade de que certos eventos irão sempre ocorrer e resultam de diversos acontecimentos que não podem ser previstos com exatidão, como: - pontualidade - qualidade de materiais comprados, - quebra de máquinas, - disponibilidade de ferramentas, - absentísmo, - ausência de material para processar, - capabilidade do equipamento - variações no comportamento do operador.
  • 21. Arquitectura dos processos - A partir dos 1º ensaios de Taylor a atenção voltou-se para comportamentos administrativos, parâmetros comparativos de desempenho de processos, definição de perfis e as capacidades dos operadores, como formas de estabelecer domínio em determinada área ou unidade, mantendo e aperfeiçoando a funcionalidade de processos de negócios. - Essa funcionalidade deriva da especialização dos activos e a prática das suas competências, e como contribuem para consolidar áreas funcionais. Assim toda análise sistemática de procedimentos administrativos é suportada por conceitos de eficiência, especialização e avaliação de processos de trabalhos, etc.
  • 22. Fluxos e processos administrativos Um mapa conceitual reúne as ferramentas necessárias permitindo organizar e representar o conhecimento, numa estrutura cognitiva que, pode ser descrita como uma série de conceitos organizados de forma hierárquica. A funcionalidade de um processo, tem uma visão para dois vectores quanto ao seu resultado: • Valor de uso: que se refere a um bem ou serviço que cumpre seu papel para o qual foi produzido; • Valor de estima: que se refere a um desejo de posse, melhor representado num bem e menos em serviço. Os modelos de aperfeiçoamento de processos consistem numa melhoria sistemática para ajudar uma organização a realizar avanços significativos na forma de operar os seus processos de negócio, e focando a eliminação de desperdícios e excesso de burocracia, visando a melhoria das operações de RH.
  • 23. Ciclos de tempo- Eficiência O estudo do tempo é a premissa básica para a determinação de um balanceamento eficiente. Esta é tida como uma etapa crucial para determinar o balanceamento, e a análise do tempo das atividades e processo. Com esta análise é possível determinar a variação das atividades que por consequência gera uma variação no fluxo de produção. Para Tapping et al. (2002), o tempo de ciclo é o tempo do início de uma operação até a operação estar completada, ou seja, é o tempo de processamento de um dado processo. Ao analisar os elementos de trabalho, é possível obter o tempo de ciclo de cada processo dentro do seu percurso. O estudo do tempo possui outras finalidades, tais como: - Estabelecer padrões que serão utilizados na eficiencia dos processo; - Determinar a capacidade de organização da empresa; - Determina o tempo necessário do processo em cada estação de forma a que este tenha o efeito pelo que foi eleborado; - Fornece dados para o estudo do balanceamento dos processos. Para realizar o balanceamento de determinado processo é necessário conhecer o takt time do processo, ), o takt time é o ritmo da acção, ou seja, é a taxa em que o processo vai desde o ponto A ao ponto B equacionando todoas as paragens e passagens por pontos secundários Desta descrição do role das secções por onde passa o documento, surge a verificação de que há certas etapas que se podem excluir, inserindo-se etapas mais eficientes, ou seja o processo é sujeito a uma reformulação mais eficiente visando a diminuição do desperdício de tempo, espaço e recursos.
  • 25. Ciclos de tempo- Eficiência Este estudo caso sintetiza como as técnicas de revisão e melhoria de processos podem proporcionar uma maior performance aos diversos processos administrativos como forma de garantir e atender as necessidades da empresa. Neste caso, é apresentada uma visão de racionalização de processos de recursos humanos. Processo Alvo: O processo alvo é o Recrutamento, Seleção e Contratação de colaboradores. Problema: O elevado nível de acréscimo de trabalho requereu a contratação de pessoal para suportar o crescimento da empresa, porém o tempo do processo de recrutamento levado a cabo pelo departamento de RH para colocar os novos colaboradores era muito demorado. Diagnóstico: Foram identificadas 9 etapas críticas no atual processo de recrutamento de novos colaboradores. Através das matrizes de recursos de processos foram identificados os tempos de processamentos em cada uma das etapas, as capacidades de produção de cada área de trabalho e a complexidade das operações individuais nas mesmas. Também, foram identificados os perfis dos profissionais que operam o processo em todas as áreas de trabalho no que se refere a nível funcional, nível de qualificação, perfil de comportamento individual, nível de motivação. Por fim, foram avaliadas as ferramentas de tecnologia que suportavam o processo, bem como os padrões de trabalho aliados ou não a estas ferramentas.
  • 26. Ciclos de tempo- Eficiência Este estudo caso sintetiza como as técnicas de revisão e melhoria de processos podem proporcionar uma maior performance aos diversos processos administrativos como forma de garantir e atender as necessidades da empresa. Neste caso, é apresentada uma visão de racionalização de processos de recursos humanos. Ações Implementadas: Racionalizou-se o fluxo de ações e procedimentos inerentes à contratação de novos colaboradores, através da reorganização da sequência do processo, o que levou à elimina de atividades obrigatórias que despendiam um gasto de energia desnecessário. Introduziu-se nova forma de transporte de informação e de documentação, com o recurso a ferramentas eletrónicas como o e-mail, de forma a reduzir e eliminar o tempo de transporte de documentos e de informação. Resultados: Com as ações implementadas verificou-se uma redução significativa no número de operações e de demoras, o que resultou numa redução de 36,9% no tempo do ciclo do processo de recrutamento, desde o pedido ao Diretor de Recursos Humanos até a efetivação da contratação dos novos colaboradores.