Equipe de F&O 2013.2
Criando uma EJ
Nome Sobrenome
Cargo - EJ
Assessora de Fomento
& Orientação - FEJEMG
Como surgiu o MEJ?
Movimento Empresa Júnior
1ª EJ na
França
• 1967
1ª EJ no
Brasil
• 1987
FEJEMG
• 1995
Brasil
Júnior
• 20...
Associação civil
Sem fins lucrativos
Gerida por alunos
Foco em capacitação
Orientação de profissionais
O que é uma EJ?
Por que fundar uma EJ?
Diferencial no mercado
Empreendedorismo
Liderança
Contatos
Estratégia
Confederação Brasileira de Empresas Juniores
Representar e desenvolver o MEJ a nível nacional
Garantir uma cultura de qual...
Missão
Visão
Panorama no Brasil
1.200 EJs
27.000 empresários juniores
PIB Junior de 8,5 milhões
14 Federações
2.500 projetos por ano
Prazer, FEJEMG!
Conheça quem representa as EJs em Minas Gerais
Lavras, 1995 – I EMEJ
Consolidação de relacionamento
entre as EJs de Minas Gerais
Interação e união das empresas
Fomento d...
Quem somos
9 cidades
48 empresas juniores federadas
12 em processo de federação
15 universidades
Conselho Administrativo
Formado por 48 EJs, representa mais de 1.200 empresários juniores
Reconhecidos pela integração da Federação, fazemos disso
nossa força para crescer e nos desenvolvermos
A Maior do Mundo
3112 inscritos
1,5 inscrições por segundo
Integração
+
comunicacao@fejemg.org.br
Integração
Ok...
Mas o que a FEJEMG oferece?
Diretoria de
Desenvolvimento
Consultores de
Desenvolvimento
Regulamentação
Auditoria de documentos
Ferramentas de sucesso
Práticas bem sucedidas
Networking
INTEJs
Benchmarking
SAEJ
MaréVermelha.org
Representatividade na Brasil Júnior
Experiência para auxiliar na solução de problemas
Trabalho em prol das Empresas
Como funciona?
Contato Inicial
Assessores de Fomento & Orientação
Gerente de Operações
Shirley Canabrava
Yuri Sette
Rafael Barroso
Giulia...
Vontade
Equipe
O Processo de fundação de uma empresa júnior
depende diretamente da força de vontade do grupo
A Brasil Júni...
!
DNA Jr.
CNEJ
Código de Ética
Instituição de Ensino Superior
Qualquer trabalho deverá ser
feito com o auxílio de um ou
mais professores do curso ao
qual...
Trabalho em equipe
Status
Prazo
Responsável
Faça benchmarking
Contate outras EJs
Busque práticas e orientações
Estude a estrutura interna
Estude os portfólios
Aprovei...
Estrutura Organizacional
Presidência
Diretoria
Administrativo
Financeiro
Gerência
Diretoria de
Marketing
Gerência
Diretori...
Estatuto
Documento que rege o funcionamento geral da empresa
Baseado no modelo de estatuto
para associações sem fins lucra...
Estatuto
Etapa demorada
Exige cuidado, atenção e dedicação
Deverá ser aprovado em Assembléia
Geral dos estudantes do curso
Deverá ser realizada para aprovacão da
criação da nova EJ, da primeira Diretoria
e votação do Estatuto
Deverá ser convocad...
Deverão ser registrados em um Cartório de
Títulos e Documentos e das Pessoas Jurídicas
A Ata deverá ser assinada por todos...
Razão Social: nome devidamente registrado sob o qual uma
pessoa jurídica se individualiza e exerce suas atividadas
Nome fa...
Antes da confirmação da
Razão Social e do Nome
Fantasia, é necessário
realizar uma busca prévia
do nome no Cartório de
Reg...
Para registro do CNPJ:
Ficha de Cadastro de Pessoa Jurídica,
adquirida no site da Receita Federal
Cópia do estatuto autent...
Para obtenção do alvará:
Cópia do estatuto
Cópia do cartão do CNPJ (provisório)
Cópia do Contrato de Comodato
Firmado entre a IES e a EJ, na figura de dois
representantes legais, um para cada parte envolvida
Consolidar a parceria fi...
Muitas etapas serão percorridas até aqui e, se forem cumpridas com
sucesso, a EJ estará legalmente habilitada para começar...
fomento.orientacao@fejemg.org.br
Nome Sobrenome
www.fejemg.org.br
www.marevermelha.org
@fejemg
www.facebook.com/fejemg
Criação de Novas EJs
Criação de Novas EJs
Criação de Novas EJs
Criação de Novas EJs
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Criação de Novas EJs

606 visualizações

Publicada em

Explicação do processo de fundação de uma Empresa Júnior no Estado de Minas Gerais.

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
606
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
34
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • A primeira EJ surgiu na França, em 1967, e a partir da iniciativa que deu certo, o movimento começou a difundir-se por toda a Europa. No entanto, chegou ao Brasil apenas em 1987, quando as primeiras EJs surgiram na FGV e na FAAP, no Estado de São Paulo. As EJs começaram a surgir em todo o país, e, em 1995, foi criada a FEJEMG, Federação de Empresas Juniores de Minas Gerais. Assim como em Minas, surgiram outras Federações, que, em 2003, se uniram, criando a Brasil Júnior.
  • Toda EJ deve ter um contador, principalmente para ajudar na criação da EJ. Paga-se impostos e a cobrança por projetos é para manter a EJ e não obter lucros.
  • Diferencial no mercado por conhecimento, entendimento e familiaridade com ferramentas de qualidade e de gestão
  • A BJ é a instância máxima do MEJ nacional, com objetivo de representar todas as EJs e Federações, bem como regulamentá-las e desenvolvê-las, fortalecendo o MEJ e aumentando sua visibilidade.Contato maior através das federações.Garantir o mínimo de qualidade e padrão é com o Selo EJ, através do envio de documentos para saber se a EJ tem o mínimo de estrutura e regulamentação
  • Os dados apresentados são dados do senso identidade 2010, projeto realizado pela BJ que recolhe os dados das EJs do Brasil e avalia diversos critérios. Apesar do grande número de EJs identificadas no ano de 2010, esse número aumenta a cada dia, e a BJ ainda não consegue abranger todo o MEJ nacional, contanto hoje com cerca de 170 EJs. É importante ressaltar que quando uma EJ torna-se federada à federação do seu estado, automaticamente passa a fazer parte da rede da BJ.C&I são questionários respondidos por EJs e Empresários do Brasil inteiro, para que a BJ saiba mais
  • É importante notar a interdisciplinaridade, com cursos das áreas de exatas, humanas e saúde.
  • Frisar bem os verbos, que determinam as ações primordiais da federação nesse período.
  • Frisar o alinhamento da FEJEMG a Brasil Júnior, já que a própria visão conta com a sustentabilidade que é um dos focos da BJ.E também frisar a parte de integrar e desenvolver ejs, e não só federá-las para aumentar o numero de federadas a fejemg. Enfatizar a questão da busca pela qualidade ao aumentar Ejs, tanto nas empresas quanto na federação.
  • Acesso a toda prestação de conta, todas as ejs cooperam entre se para um crescimento conjunto e continuo.
  • Encontro Mundial de EJ’sBrasil em 2012Organizado por FEJEMG e RioJunior7 coordenadorias, 4 da FEJEMGEquipe formada pelas 2 federações
  • A Diretoria de Desenvolvimento da FEJEMG atuaatravés dos Consultores de Desenvolvimento. Osconsultorestêm a função de prestarconsultoria e aconselhamentoàs EJs nasdiversasperspectivas de gestão de umaempresa, de acordo com a demanda, necessidade e pontos de melhoria da Empresa. Sãotrabalhadasquestõescomogerenciamento de projetos, planejamentoestratégico, precificação, recursoshumanos e mercado. Taisconsultorestambémtrabalham com o alinhamento das EJs com osprogramas da Brasil Junior e a disseminação da ExcelênciaemGestão.
  • Existedentro da BrasilJúnior um programa de orientação e adequaçãojurídica, conhecidocomoSelo EJ, cujoobjetivo é certificarque as empresasjunioresestãoregulamentadasfrente a legislaçãobrasileira e quepossuemumaestruturamínima de funcionamento. Ositenssãodefinidos com base no quetraz o ConceitoNacional de EmpresaJúnior (CNEJ), que tem o intuito de determinar o formatomínimocapaz de assegurar a confiabilidade dos serviçosprestadosportodas as empresasjunioresbrasileiras, alinhá-lasaoseupapelnasociedade e aocompromisso do Movimento com o desenvolvimento. Desta forma, reúnem-seumasérie de critériosfundamentais a uma EJ com o nível de qualidadeesperadopelaConfederação. A BrasilJúniorsolicitaanualmente a apresentaçãodestesdocumentosparaaveriguação e realiza a auditoria paraconferir a veracidade dos mesmos. A FEJEMG ofereceauxílio e orientação a todas as EJs federadas, de modoquepossam se adequar e principalmente, quepossam se manteradequadasaoscritériosadministrativos do Selo EJ. O Selo EJ é importantenaregulamentação do MEJ perante o governo, demonstrandoque o movimento é organizado, regulamentado, e oferecequalidadenaprestação de serviços.
  • Com o intuito de articular a realização de benchmarking e levardesenvolvimentopara as EJs, foidesenvolvido um canal de atendimentopersonalizadoconhecidocomo SAEJ – Serviço de AtendimentoaoEmpresário Junior. Através de plantões no Skype, osassessoresfazemmediação de benchmarking a partir das solicitações das EJs. O Serviço de Atendimentoofereceaoempresáriojúnior a oportunidade de tercontato com a Federação e com outrasEmpresas, fortalecendosuaintegração à FEJEMG. Outraferramentautilizadapela FEJEMG é seu canal no LiveStream, no qualsãoapresentados cases das diversasempresasfederadas e treinamentos online, principalmentequantoaoSelo EJ. O blog da FEJEMG, conhecidocomo Maré Vermelha, possuitodo o seuconteúdoproduzidopelasEmpresasJunioresfederadas. O espaçopodemserutilizadoparaque as EJs e osEmpresáriospossamconhecerpráticas de sucesso e paracompartilharexperiências com osdemais. O Maré Vermelhapodeseracessado no link < http://marevermelha.org/>.
  • As empresasjunioresfederadas à FEJEMG sãoautomaticamenteconfederadas à BrasilJúnior (ConfederaçãoBrasileira de EmpresasJuniores). Seuobjetivo é tornar o MEJ um movimentoreconhecidopordiversosatores da sociedadeporcontribuirpara o desenvolvimento do paíspormeio da formação de profissionaisdiferenciais. Essaconfederaçãoindicaque a EJ tem regularidadejurídica, reconhecimento da instituição de ensino e infraestruturaadequados, demonstrando, entre outrascoisas, qualidade, seriedade e compromisso com as atividades e exigênciascabíveis a umaEmpresaJúnior. As empresasfederadas à FEJEMG possuemrepresentatividadeperante a sociedade, a instituição de ensino, o governo e o mercado. Além disso, o MEJ mineiro é representadopela FEJEMG nadefinição dos rumosestratégicos do Movimentonacional.
  • Fazer uma introdução mesmo de que agora serão apresentados todos os passos do processo, e tudo mais.
  • É legal destacar aqui a importância de muita vontade, determinação e compromisso nestas etapas iniciais. Vale a pena chamar a atenção disso porque, não que o processo de fundação de uma empresa seja difícil, mas com o tempo ele pode se tornar um pouco cansativo. Sem muita vontade e interesse de todo o grupo as coisas podem desandar no meio do caminho. (VER DNA Jr. Página 15)
  • Vale a pena frisar aqui que os estudantes, na apresentação aos professores, devem frisar a importância de uma empresa júnior dentro do departamento, principalmente como forma de proporcionar aos seus estudantes o contato com a realidade de uma empresa, preparando-os dessa forma, melhor para o mercado de trabalho, além de proporcionar aos estudantes o contato com a prática que, infelizmente, não é tão trabalhada nos cursos de graduação hoje no Brasil. Chamar atenção também para o fato de os estudantes interessados deverão estar organizados, e definirem corretamente as ações a serem tomadas, desde este começo, para que professores não sejam esquecidos e questões não sejam trabalhadas de forma errada ou diferente de professor para professor. É necessário também que os estudantes consigam apoio total de alguns professores, para que estes possam auxiliá-los nas próximas etapas do processo, podendo vir a ser, possivelmente, os coordenadores e/ou responsáveis pela empresa júnior após sua fundação. Colegiado de Professores: devem apresentar a proposta de criação para os professores e alunos. Sem o aval do coordenador do curso, não é possível a criação. Nessa reunião de apresentação, será feita a ata de fundação – fazer a ata, redigir e assinar. Ordem de assinatura: diretores da facul, coordenador de curso, professor, membros da EJ, alunos presentes.Busca de dois professores orientadores. Marcar apresentação para professores e alunos
  • Citar que para divisão de tarefas pode ser feita uma planilha simples do Excel, onde serão descritas, em uma lista, as atividades a serem feitas, os responsáveis pela execução desta atividade, o prazo limite e a situação em que esta atividade se encontra, se já foi concluída, se está pendente ou em andamento. Sugestão: Esta planilha poderá ser disponibilizada para o grupo envolvido, incluindo estudantes e professores, através do Google Docs, uma ferramenta muito útil e que permite o acompanhamento e monitoramento das atividades por todos.
  • As empresasfederadaspossuemestaoportunidade de maneirafácil e constante. A grandeintegração entre as EJs federadaspermiteestatroca de informações e boas práticas, interessante a todas as empresasquequeremsempremelhorarseusprocessos e atividades. Além disso, a federaçãopossibilitaqueesse benchmarking sejarealizadonãoapenas com EJs do mesmoestado, mas também com EJs de todo o país, umavezque é facilitadora da realização de INTEJs (Intercâmbio entre as EmpresasJuniores), e também no quedizrespeito a participaçãoemeventos do MEJ nacional. Outro pontofavorecido com a federação é o networking entre osempresáriosjuniores. Com umaparticipaçãoativa no movimento, as EJs tem a oportunidade de contato com outrasEmpresasJunioresqueestiveramemsituaçõessimilares à suaouqueapresentamculturasorganizacionaisheterogêneas e têmmuito a aprender. Além disso, é possívelmanter a lista de contatossempreatualizada e ativa com profissionais e parceiros das maisdiversasáreas.
  • Citar que: Esta definição de cargos antes de qualquer outro passo inicial é importante pois ajudará no direcionamento das próximas atividades entre os estudantes envolvidos, de acordo com as características inerentes a cada cargo. A maioria das EJ´s se organizam internamente respeitando as seguintes Diretorias: Diretoria de Projetos, Diretoria de Marketing, Diretoria Administrativo Financeiro ou Jurídico Financeiro, e Gestão de Pessoas ou Recursos Humanos, sendo que existem outras, como por exemplo, a Diretoria de Relações Públicas e é claro, a Presidência. Vale destacar que nem sempre estas diretorias são mantidas, e que se sugeri é que, durante o benchmarking, estas questões sejam levantadas com as EJ´s procuradas, para ver o que melhor se enquadra na realidade na qual a EJ se encontra. Vale chamar atenção pro fato das gerências e assessorias, que também variam de EJ para EJ.
  • Tudoqueacontecenaempresa,deveestar no estatuto, poiséneleque se respalda as ações e acontecimentos da empresa
  • Deixar bem clara a importância do estatuto e de como deve ser feito, fundamentado na realidade da empresa, do curso, do mercado, área de atuação, etc. Frisar aqui o benchmarking como ferramenta que possibilita o acesso ao estatuto de outras EJs.
  • **ATA DIGITALIZADA** CARTÓRIO (DADOS)Na reunião de apresentação da proposta de criação, o Estatuto e a Diretoria Executiva deverão ser aprovados, juntamente com a proposta.Antes de convocar, deve-se ter o aval de diretor/coordenador do curso
  • Alguns detalhes em cartório variam de região para região. Frise a importância deles entrarem em contato com os cartórios da cidade solicitando informações e quais os documentos necessários.A ata de fundação deverá ser assinada por todos os presentes.O Estatuto não, apenas pelos envolvidos na EJ – no caso, os 6 interessados.O Presidente é o representante legal da EJ, que responderá juridicamente pela EJ.
  • Pode ser definido em uma reunião da comissão dos estudantes que irão compor a Diretoria Executiva da nova EJ. **ASSOCIAÇÃONão colocar “consultoria” na razão social.
  • Busca prévia do nome: detectar a existência ou não de empresas juniores com nomes idênticos!
  • CHAMAR ATENÇÃO PARA ESTE FATO: Dependendo da região onde a nova empresa júnior se encontra, outros documentos podem ser requisitados, tanto para o Alvará de Licença quanto para aquisição do CNPJ. Cabe aos membros envolvidos procurar sempre o máximo de orientação e instrução possível, para que nenhuma etapa seja esquecida ou feita de maneira errada, despendendo mais tempo e esforços gastos para consertar possíveis erros.
  • Desejar boa sorte e incentivar, motivar mesmo o grupo para que eles consigam alcançar os resultados!
  • Criação de Novas EJs

    1. 1. Equipe de F&O 2013.2 Criando uma EJ
    2. 2. Nome Sobrenome Cargo - EJ Assessora de Fomento & Orientação - FEJEMG
    3. 3. Como surgiu o MEJ? Movimento Empresa Júnior 1ª EJ na França • 1967 1ª EJ no Brasil • 1987 FEJEMG • 1995 Brasil Júnior • 2003
    4. 4. Associação civil Sem fins lucrativos Gerida por alunos Foco em capacitação Orientação de profissionais O que é uma EJ?
    5. 5. Por que fundar uma EJ? Diferencial no mercado Empreendedorismo Liderança Contatos Estratégia
    6. 6. Confederação Brasileira de Empresas Juniores Representar e desenvolver o MEJ a nível nacional Garantir uma cultura de qualidade e de padrão estrutural mínimo às empresas juniores
    7. 7. Missão
    8. 8. Visão
    9. 9. Panorama no Brasil 1.200 EJs 27.000 empresários juniores PIB Junior de 8,5 milhões 14 Federações 2.500 projetos por ano
    10. 10. Prazer, FEJEMG! Conheça quem representa as EJs em Minas Gerais
    11. 11. Lavras, 1995 – I EMEJ Consolidação de relacionamento entre as EJs de Minas Gerais Interação e união das empresas Fomento do MEJ Desenvolvimento e fortalecimento Representação Benchmarking
    12. 12. Quem somos 9 cidades 48 empresas juniores federadas 12 em processo de federação 15 universidades
    13. 13. Conselho Administrativo Formado por 48 EJs, representa mais de 1.200 empresários juniores
    14. 14. Reconhecidos pela integração da Federação, fazemos disso nossa força para crescer e nos desenvolvermos A Maior do Mundo
    15. 15. 3112 inscritos 1,5 inscrições por segundo Integração +
    16. 16. comunicacao@fejemg.org.br Integração
    17. 17. Ok... Mas o que a FEJEMG oferece?
    18. 18. Diretoria de Desenvolvimento Consultores de Desenvolvimento
    19. 19. Regulamentação Auditoria de documentos Ferramentas de sucesso Práticas bem sucedidas
    20. 20. Networking INTEJs Benchmarking SAEJ MaréVermelha.org
    21. 21. Representatividade na Brasil Júnior Experiência para auxiliar na solução de problemas Trabalho em prol das Empresas
    22. 22. Como funciona?
    23. 23. Contato Inicial Assessores de Fomento & Orientação Gerente de Operações Shirley Canabrava Yuri Sette Rafael Barroso Giulia Berbel
    24. 24. Vontade Equipe O Processo de fundação de uma empresa júnior depende diretamente da força de vontade do grupo A Brasil Júnior aconselha que a equipe inicial seja composta por até 6 estudantes
    25. 25. ! DNA Jr. CNEJ Código de Ética
    26. 26. Instituição de Ensino Superior Qualquer trabalho deverá ser feito com o auxílio de um ou mais professores do curso ao qual a EJ está vinculada Uma sede deverá ser disponibilizada para a empresa, se possível, com auxílio para aquisição da infra- estrutura mínima necessária Apresente a proposta de criação da EJ ao colegiado da IES, para conhecimento e maior envolvimento de todos os professores
    27. 27. Trabalho em equipe Status Prazo Responsável
    28. 28. Faça benchmarking Contate outras EJs Busque práticas e orientações Estude a estrutura interna Estude os portfólios Aproveite documentos
    29. 29. Estrutura Organizacional Presidência Diretoria Administrativo Financeiro Gerência Diretoria de Marketing Gerência Diretoria de Projetos Gerência Diretoria de Gestão de Pessoas Gerência Diretoria de Qualidade Gerência
    30. 30. Estatuto Documento que rege o funcionamento geral da empresa Baseado no modelo de estatuto para associações sem fins lucrativos Diretrizes e definições da empresa júnior
    31. 31. Estatuto Etapa demorada Exige cuidado, atenção e dedicação Deverá ser aprovado em Assembléia Geral dos estudantes do curso
    32. 32. Deverá ser realizada para aprovacão da criação da nova EJ, da primeira Diretoria e votação do Estatuto Deverá ser convocada com um prazo considerável de antecedência e ser direcionada a todos os envolvidos no departamento do curso
    33. 33. Deverão ser registrados em um Cartório de Títulos e Documentos e das Pessoas Jurídicas A Ata deverá ser assinada por todos os presentes, com CPF abaixo da assinatura O Estatuto deverá ser assinado pelo Diretor Presidente, com firma reconhecida em cartório
    34. 34. Razão Social: nome devidamente registrado sob o qual uma pessoa jurídica se individualiza e exerce suas atividadas Nome fantasia: utilizado para exposição ao público, seja ele seus clientes, alunos, professores e demais interessados
    35. 35. Antes da confirmação da Razão Social e do Nome Fantasia, é necessário realizar uma busca prévia do nome no Cartório de Regitro Civil das Pessoas Jurídicas Só com a Certidão de Busca Prévia do nome é possível proceder o registro Registro do nome
    36. 36. Para registro do CNPJ: Ficha de Cadastro de Pessoa Jurídica, adquirida no site da Receita Federal Cópia do estatuto autenticado pelo cartório Cópia da ata de fundação, do CPF, do RG e do comprovante de residência de todos os membros da Diretoria Executiva Entrega dos documentos a um contador
    37. 37. Para obtenção do alvará: Cópia do estatuto Cópia do cartão do CNPJ (provisório) Cópia do Contrato de Comodato
    38. 38. Firmado entre a IES e a EJ, na figura de dois representantes legais, um para cada parte envolvida Consolidar a parceria firmada entre a IES e a EJ sobre a aquisição de um local para sede da empresa
    39. 39. Muitas etapas serão percorridas até aqui e, se forem cumpridas com sucesso, a EJ estará legalmente habilitada para começar a funcionar! Fiquem atentos à legislação específica de cada cidade
    40. 40. fomento.orientacao@fejemg.org.br Nome Sobrenome www.fejemg.org.br www.marevermelha.org @fejemg www.facebook.com/fejemg

    ×