Meu primeiro beijo 1

158 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
158
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Meu primeiro beijo 1

  1. 1. MEU PRIMEIRO BEIJO ANTONIO BARRETO
  2. 2. GRUPO 6 Fernanda Gislaine Jacirema Maria Angela Maria Helena Regina
  3. 3. MEU PRIMEIRO BEIJO É dificil acreditar, mas meu primeiro beijo foi num ônibus, na volta da escola. E sabem comquem? Com o Cultura Inútil! Pode? Até que foi legal. Nem eu nem ele sabíamos exatamente oque era "o beijo". Só de filme. Estávamos virgens nesse assunto, e morrendo de medo. Masaprendemos. E foi assim... Não sei se numa aula de Biologia ou de Química, o Culta tinha me mandado um dos seusmilhares de bilhetinhos: " Você é a glicose do meu metabolismo. Te amo muito! Paracelso" E assinou com uma letrinha miúda: Paracelso. Paracelso era outro apelido dele. Assinou comletrinha tão minúscula que quase tive dó, tive pena, instinto maternal, coisas de mulher...Etambém não sei por que: resolvi dar uma chance pra ele, mesmo sem saber que tipo de lanceia rolar. No dia seguinte, depois do inglês, pediu pra me acompanhar até em casa. No ônibus, veio como seguinte papo: - Um beijo pode deixar a gente exausto, sabia? - Fiz cara de desentendida. Mas ele continuou: - Dependendo do beijo, a gente põe em ação 29 músculos, consome cerca de 12 calorias eacelera o coração de 70 para 150 batidas por minuto. - Aí ele tomou coragem e pegou naminha mão. Mas continuou salivando seus perdigotos: - A gente também gasta, na saliva, nada menos que 9 mg de água; 0,7 mg de albumina; 0,18 gde substâncias orgânica; 0,711 mg de matérias graxas; 0,45 mg de sais e pelo menos 250bactérias...
  4. 4.  Aí o bactéria falante aproximou o rosto do meu e, tremendo, tirouseus óculos, tirou os meus, e ficamos nos olhando, de pertinho.O bastante para que eu descobrisse que, sem os óculos, seusolhos eram bonitos e expressivos, azuis e brilhantes. E acheigostoso aquele calorzinho que envolvia o corpo da gente. Elebeijou a pontinha do meu nariz, fechei os olhos e senti suarespiração ofegante. Seus lábios tocaram os meus. Primeiro deleve, depois com mais força, e então nos abraçamos de bocascoladas, por alguns segundos. E de reperente o ônibus já havia chegado no ponto final e játínhamos transposto , juntos, o abismo do primeiro beijo. Desci, cheguei em casa, nos beijamos de novo no portão doprédio, e aí ficamos apaixonados por vária semanas. Até que omundo rolou, as luas vieram e voltaram, o tempo se esqueceudo tempo, as contas de telefone aumentaram, depoisdiminuíram...e foi ficando nisso. Normal. Que nem meu primeirobeijo. Mas foi inesquecível! BARRETO, Antonio. Meu primeiro beijo. Balada do primeiroamor. São Paulo: FTD, 1977. p. 134-6.
  5. 5. ANTES DA LEITURA *O texto aborda um foco temático: a experiência doprimeiro beijo.Que temas vocês consideramsignificativas para serem abordados em umapalestra ou uma discussão em grupo? *Vocês leram o texto 1, do caderno do Aluno,intitulado “Insegurança”.É possível estabeleceruma relação entre os textos? Porquê? *Vocês apreciaram o texto:”Meu primeiro beijo” .Emque momento vocês se identificaram com aemoção narrada pela protagonista? Comente
  6. 6. INTERFERÊNCIAS 1ª PAUSA É dificil acreditar, mas meu primeiro beijo foi numônibus, na volta da escola. E sabem com quem?Com o Cultura Inútil! Pode?( O que a denominaçãoCultura Inutil nos sugere?) 2ª PAUSA" Você é a glicose do meu metabolismo”.(Qualinterpretação podemos fazer dessa frase?é umaafirmação positiva ou negativa? Porque?) 3ªPAUSA Paracelso"( Porque será que as palavras estãojuntas nessa frase? De que forma podemosentendê-la?
  7. 7.  4ª PAUSA - Dependendo do beijo, a gente põe em ação 29músculos, consome cerca de 12 calorias e acelera ocoração de 70 para 150 batidas por minuto. - Aí eletomou coragem e pegou na minha mão. Mas continuousalivando seus perdigotos( Na sua opinião, qual osignificado dessa expressão?) 5ª PAUSA (...)Aí o bactéria falante aproximou ( O que será que apersonagem( narrador) quis dizer com essa expressão? 6ª PAUSA (...)já tínhamos transposto , juntos (O que vocêsentendem com essa expressão? Que ideia ela nos dá?)
  8. 8. DEPOIS DA LEITURA *O texto aborda um foco temático: a experiência do primeirobeijo. Que temas vocês consideram significativas para seremabordados em uma palestra ou uma discussão em grupo? *Vocês leram o texto 1, do caderno do Aluno, intitulado“Insegurança”.É possível estabelecer uma relação entre ostextos? Por quê? *Vocês apreciaram o texto: ”Meu primeiro beijo” .Em quemomento vocês se identificaram com a emoção narrada pelaprotagonista? Comente *Na leitura dos textos foi possível constatar que aadolescência é um período de transição e fragilidades. Emquais circunstâncias vocês sentem-se inseguros? *Como os pais, a família e a escola podem e devem contribuirpara essa processo de formação da consciência ética ecidadã na transição da infância para a adolescência, na visãodo autor do texto 2, caderno do aluno?
  9. 9.  *Na leitura dos textos foi possível constatar que aadolescência é um período de transição efragilidades. Em quais circunstâncias vocêssentem-se inseguros? *Como os pais, a família e a escola podem edevem contribuir para essa processo de formaçãoda consciência ética e cidadã na transição dainfância para a adolescência, na visão do autor dotexto 2, caderno do aluno?
  10. 10. INTERTEXTUALIDADE Intertextualidade: Poema Um beijoFoste o beijo melhor da minha vida,ou talvez o pior... Glória e tormento,contigo à luz subi do firmamento,contigo fui pela infernal descida!Morreste, e o meu desejo não te olvida:queimas-me o sangue, enches-me opensamento,e do teu gosto amargo me alimento,e rolo-te na boca malferida.Beijo extremo, meu prêmio e meu castigo,batismo e extrema-unção, naquele instantepor que, feliz, eu não morri contigo?Sinto-me o ardor, e o crepitar te escuto,beijo divino! e anseio delirante,na perpétua saudade de um minuto... Olavo BilacPoema

×