Ginga canvas (2ª rodada)

210 visualizações

Publicada em

O Business Model Canvas é a ferramenta de gerenciamento estratégico utilizada pela maioria dos empreendedores de startups do mundo inteiro. Através de um quadro, ou mapa visual, o empreendedor consegue esboçar sem modelo de negócios de forma rápida e visual. Nesse curso você irá aprender a esboçar o seu modelo de negócios, e preencher de forma criativa o mapa do seu negócio.

Publicada em: Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
210
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ginga canvas (2ª rodada)

  1. 1. Da ideia ao negócio
  2. 2. Pedro Teixeira
  3. 3. TRABALHA NA REDE DE HOTÉIS “ORTEGA INN” (REDE NACIONAL DE HOTÉIS COM MAIS DE 50 EMPREENDIMENTOS) É DIRETOR DE ESTRATÉGIA E PLANEJAMENTO ESTÁ ENCARREGADO DE PLANEJAR O ANO DE 2016 PARA A REDE PRECISA DE PENSAR EM TODOS ASPECTOS DO NEGÓCIO (OPERAÇÃO, FINANÇAS, MARKETING, PORTFÓLIO DE PRODUTOS, PESSOAS, GESTÃO, LOGÍSTICA)
  4. 4. ALFREDO TINHA A SUA DISPOSIÇÃO: HISTÓRICO DA EMPRESA FLUXO DE CAIXA MKT SHARE PESQUISA DE SATISFAÇÃO DE CLIENTES ANÁLISE DE CONCORRENTES
  5. 5. COM BASE NOS DADOS, ALFREDO TRABALHOU POR 3 MESES NA ELABORAÇÃO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ANUAL, O QUAL FOI DESDOBRADO EM AÇÕES TÁTICAS E OPERACIONAIS PARA TODA A REDE.
  6. 6. • QUER ABRIR UMA POUSADA EM TIRADENTES CHAMADA “RECANTO DO MARAJÓ” • É O PRINCIPAL EMPREENDEDOR DA POUSADA • ESTÁ CUIDANDO DE TODO O PROCESSO DE ABERTURA • PRECISA DE PENSAR EM TODOS ASPECTOS DO NEGÓCIO (OPERAÇÃO, FINANÇAS, MARKETING, PORTFÓLIO DE PRODUTOS, PESSOAS, GESTÃO, LOGÍSTICA)
  7. 7. RAFAEL TINHA A SUA DISPOSIÇÃO: •APOIO DO SEBRAE •DADOS DE MERCADO NA INTERNET •BENCHMARKING DE OUTRAS POUSADAS DA REGIÃO
  8. 8. • RAFAEL FEZ SUA PESQUISA E EM 3 MESES MONTOU UM PLANO DE NEGÓCIOS DETALHADO PARA A EMPRESA 1. Sumário Executivo 1.1. Descrição do projeto 1.2. Dados dos empreendedores, perfis e atribuições 2. Apresentação da Empresa 2.1. Dados do empreendimento 2.2. Setor de atividades 2.3. Forma jurídica 2.4. Enquadramento tributário 2.5. Capital social 3. Plano de Marketing 3.1. Descrição dos principais produtos 3.2. Estudo dos clientes 3.3. Estudo dos concorrentes 3.4. Estudo dos fornecedores 3.5. Estratégias promocionais 3.6. Estrutura de comercialização 4. Plano Operacional 4.1. Localização do negócio 4.2. Layout /arranjo físico 4.3. Capacidade produtiva e/ou comercial 4.4. Processo de produção e /ou comercialização 4.5. Necessidade de pessoal 5. Plano Financeiro 5.1. Estimativa do investimento total 5.1.1 Estimativa dos investimentos fixos 5.1.2 Estimativa dos investimentos financeiros 5.1.3 Estimativa dos investimentos pré- operacionais 5.1.4 Estimativa do investimento total (resumo) 5.2. Estimativa do faturamento mensal da empresa 5.3. Estimativa dos custos com materiais e/ou insumos 5.4. Apuração do custo dos materiais e/ou mercadorias vendidas 5.5. Estimativa dos custos de comercialização 5.6. Estimativa dos custos com mão-de-obra 5.7. Estimativa do custo com depreciação 5.8. Estimativa dos custos fixos mensais 5.9. Demonstrativo de resultados 5.10. Indicadores de viabilidade
  9. 9. • TRABALHA NO HOTEL“PARADISE” EM PORTO DE GALINHAS • É COORDENADORA DE PROJETOS DE ATIVIDADES PARA OS HÓSPEDES • ESTÁ CUIDANDO DA ELABORAÇÃO DE SERVIÇOS PARA UM NOVO PÚBLICO (MELHOR IDADE) • PRECISA DE PENSAR EM TODOS ASPECTOS DOS SERVIÇOS (OPERAÇÃO, FINANÇAS, MARKETING, PORTFÓLIO DE PRODUTOS, PESSOAS, GESTÃO, LOGÍSTICA) Claúdia
  10. 10. • CLAUDIA TINHA A SUA DISPOSIÇÃO: • DADOS DAS ATIVIDADES DE SERVIÇOS PARA CRIANÇAS • DADOS DAS ATIVIDADES DE SERVIÇOS PARA CASAIS • BENCHMARKING DE OUTROS HOTÉIS
  11. 11. CLÁUDIA FEZ SUA PESQUISA E EM 3 MESES MONTOU UM PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE UM NOVO SERVIÇO. ATIVIDADES 1. MANHÃ Caminhada Cavalgada Hidroginástica marinha Pesca 2. TARDE Karaokê Dança na piscina Escuna Sessão de cinema 3. NOITE Bingo Lual Observação de estrels PLANO DE MARKETING Descrição dos principais produtos Estudo dos clientes Estudo dos concorrentes Estudo dos fornecedores Estratégias promocionais Estrutura de comercialização PLANO FINANCEIRO Estimativa do investimento total Estimativa dos investimentos fixos estimativa dos investimentos financeiros Estimativa dos investimentos pré- operacionais Estimativa do investimento total (resumo) Estimativa do faturamento mensal da empresa Estimativa dos custos com materiais e/ou insumos Apuração do custo dos materiais e/ou mercadorias vendidas Estimativa dos custos de comercialização Estimativa dos custos com mão-de-obra Estimativa do custo com depreciação Estimativa dos custos fixos mensais Demonstrativo de resultados Indicadores de viabilidade
  12. 12. ALFREDO 3 MESES DE TRABALHO PRECISOU PENSAR EM OPERAÇÃO, FINANÇAS, MARKETING, PORTFÓLIO DE PRODUTOS, PESSOAS, GESTÃO, LOGÍSTICA PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DADOS VALIDADOS PELOS CLIENTES DA EMPRESA RAFAEL 3 MESES DE TRABALHO PRECISOU PENSAR EM OPERAÇÃO, FINANÇAS, MARKETING, PORTFÓLIO DE PRODUTOS, PESSOAS, GESTÃO, LOGÍSTICA PLANO DE NEGÓCIOS DADOS SEM VALIDAÇÃO DOS CLIENTES DA EMPRESA CLÁUDIA 3 MESES DE TRABAHO PRECISOU PENSAR EM OPERAÇÃO, FINANÇAS, MARKETING, PORTFÓLIO DE PRODUTOS, PESSOAS, GESTÃO, LOGÍSTICA PLANEJAMENTO DE UM NOVO SERVIÇO DADOS SEM VALIDAÇÃO DOS CLIENTES DA EMPRESA QUEM POSSUI MAIOR POSSIBILIDADE DE ACERTO NO PLANEJAMENTO FEITO?
  13. 13. A TAXA CAMBIAL MUDAR DRASTICAMENTE E DIMINUIREM PELA METADE OS TURISTAS NO BRASIL? O SALÁRIO MÍNIMO DOBRAR AUMENTANDO OS CUSTOS COM PESSOAL? SURGIREM SITES DE AGENDAMENTO DE VIAGENS MUDANDO A FORMA DE CONSUMO DOS VIAJANTES E ALTERANDO AS RECEITAS DA REDE? E se…
  14. 14.  OS CLIENTES ACHAREM A DIÁRIA DA POUSADA NOS FINS DE SEMANA MUITO CARA?  SURGIR UM CUSTO COM DEDETIZAÇÃO NÃO PREVISTO?  ABRIR UMA OUTRA POUSADA NO MESMO QUARTEIRÃO? E se…
  15. 15. • OS MEIOS DE DIVULGAÇÃO UTILIZADOS NÃO ATRAIREM O PÚBLICO DA MELHOR IDADE? • A NECESSIDADE DE PESSOAL PARA ESSE PÚBLICO FOR BEM DIFERENTE DA QUANTIDADE NECESSÁRIA PARA CASAIS? • AS NECESSIDADES DE ATIVIDADES FOREM DIFERENTES DAS PREVISTAS? E se…
  16. 16. QUANTO MAIS IMPREVISÍVEL O CENÁRIO, MAIS DIFÍCIL A ELABORAÇÃO DE PLANEJAMENTOS DETALHADOS
  17. 17. Plano de negócio é uma obra de planejamento dinâmico que descreve um empreendimento, projeta estratégias operacionais e de inserção no mercado e prevê os resultados financeiros - E. Bolson
  18. 18. UM PLANEJAMENTO MUITO DETALHADO PODE “ENGESSAR” A EMPRESA TORNANDO-A CEGA PARA OPORTUNIDADES E POUCO ÁGIL PARA CONTORNAR ADVERSIDADES
  19. 19. POR OUTRO LADO, SEM PLANEJAMENTO ALGUM A EMPRESA FICA COMPLETAMENTE PERDIDA E PERDE EFICIÊNCIA
  20. 20. Startups não são versões menores das empresas. Suas ações não são desdobradas de acordo com planos pré-definidos. Steve Blank “ “
  21. 21. STARTUPS  NOVO PRODUTO  NOVAS FORMAS DE SE RELACIONAR COM OS CLIENTES  NOVAS FORMAS DE RECEITA  NOVOS CUSTOS  SEM HISTÓRICO PRÓPRIO  SEM MODELO DE NEGÓCIOS VALIDADO
  22. 22. COMPLEXIDADE DO CENÁRIO • QUANTIDADE E SIMILARIDADE DE OFERTAS • FACILIDADE DE DIFUSÃO E BUSCA DE INFORMAÇÃO • FACILIDADE DE CÓPIA • IMPACTO DIA-A-DIA DAS PESSOAS • ESTILO DE VIDA DIRECIONADOR DO CONSUMO • BUSCA POR MODELOS MAIS SUSTENTÁVEIS • DESCRENÇA NO MUNDO CORPORATIVO • PAPEL DAS CORPORAÇÕES NA SOLUÇÃO DE PROBLEMAS SOCIAIS
  23. 23. PLANO DE NEGÓCIOS MODELO DE NEGÓCIOSX  PLANO DE NEGÓCIO PROVÊ UM GRANDE QUANTIDADE DE INFORMAÇÕES SOBRE O NEGOCIO.  REQUER UM ESTUDO PROFUNDO DO MERCADO.  DETALHA EXAUSTIVAMENTE CADA ASPECTO DO NEGÓCIO.  EXTREMAMENTE CUSTOSO.  PREVÊ POSIÇÕES FUTURAS DE LUCRO, CUSTO E INVESTIMENTO.  DESCONSIDERA MUDANÇAS NO MERCADO.  DIFÍCIL DE SER COMPARTILHADO E COMPREENDIDO.  REPRESENTAÇÃO ENXUTA DO PLANO DE NEGÓCIO.  PROVÊ SOMENTE AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS AO MOMENTO ATUAL.  BAIXO CUSTO.  FÁCIL COMPREENSÃO E COMPARTILHAMENTO.  PODE SER AJUSTADO ON-THE-FLY.  PODER SER REPLICADO PARA CADA SEGMENTO DE MERCADO.  NÃO É UM DOCUMENTO “OFICIAL”.
  24. 24. Segmentos de mercado Fluxo de receitas Relacionamento com clientesProposta de Valor Atividades Chave Parceiros chave Recursos chave Estrutura de custos Canais BUSINESS MODEL CANVAS
  25. 25. BUSINESS MODEL GENERATION AUTORES: Alexander Osterwalder & Yves Pigneur CO-CRIADORES: 470 colaboradores de 47 países DESIGNER: Alan Smith, The movement
  26. 26. ESTUDOS DE CASO  APPLE LANÇOU EM 2001 O SEU MEDIA PLAYER, O IPOD  JUNTO COM O HARDWARE ELA LANÇOU A PLATAFORMA DE COMERCIALIZAÇÃO DE MÍDIAS, O ITUNES  MODIFICARAM DRASTICAMENTE A INDÚSTRIA DA MÚSICA  A APPLE CONSEGUIU ASSOCIAR O SEU PRODUTO COM UM DESIGN JÁ RECONHECIDO A UM MODELO DE NEGÓCIOS POTENTE
  27. 27. COMEÇARAM A MANUFATURA DOS CONHECIDOS BLOCOS DE MONTAR EM 1949 PÚBLICO PRINCIPALMENTE DE CRIANÇAS VÁRIOS MODELOS TEMÁTICOS NA HISTÓRIA (PIRATAS, STAR WARS, INDIANA JONES, SUPER HERÓIS, ETC) EM 2005 COMEÇARAM A LEGO FATORY, UMA PLATAFORMA ONDE OS PRÓPRIOS USUÁRIOS PODIAM GERAR MODELOS UTILIZARAM O MODELO DE CALDA LONGA NAS VENDAS
  28. 28. O QUE É OS CLIENTES SÃO O CORAÇÃO DE QUALQUER EMPRESA. SEM CLIENTES, NENHUMA EMPRESA PODE SOBREVIVER POR MUITO TEMPO. PARA MELHOR SATISFAZER OS CLIENTES, UMA EMPRESA PODE AGRUPÁ-LOS EM SEGMENTOS DISTINTOS, COM NECESSIDADES COMUNS, COMPORTAMENTOS COMUNS, OU OUTROS ATRIBUTOS. PERGUNTAS CHAVE  PUBLICO ALVO  PARA QUEM ESTAMOS CRIANDO VALOR?  QUAIS SÃO AS CARACTERÍSTICAS DESTE(S) SEGMENTO(S)?  QUEM SÃO OS NOSSOS POTENCIAIS CLIENTES SEGMENTO DE CLIENTES
  29. 29. Atividades-chave Proposta de Valor Relacionamento com o cliente Segmentos de cliente Estrutura de Custos Fluxos de receitas Parceiros-chave Recursos-chave Canais
  30. 30. Atividades-chave Proposta de Valor Relacionamento com o cliente Segmentos de cliente Estrutura de Custos Fluxos de receitas Parceiros-chave Recursos-chave Canais
  31. 31. AGORA É A SUA VEZ
  32. 32. O QUE É A PROPOSTA DE VALOR É O FATOR QUE FAZ QUE UM CLIENTE ESCOLHA ENTRE UMA E OUTRA EMPRESA. SUA FINALIDADE É SOLUCIONAR UM PROBLEMA O SATISFAZER UMA NECESSIDADE DO CLIENTE. AS PROPOSTAS DE VALOR SÃO UM CONJUNTO DE PRODUTOS OU SERVIÇOS QUE SATISFAZEM AS NECESSIDADES DE UM SEGMENTO DE MERCADO DETERMINADO. PERGUNTAS CHAVE  QUAL PROPOSTA DE VALOR ENTREGAMOS?  QUE PROBLEMAS DE NOSSOS CLIENTES ESTAMOS AJUDANDO RESOLVER?  QUAIS SÃO AS NECESSIDADES QUE ESTAMOS SATISFAZENDO?  QUE PACOTES DE PRODUTOS E SERVIÇOS QUE ESTAMOS OFERECENDO PARA CADA SEGMENTO DE CLIENTES? PROPOSTA DE VALOR
  33. 33. Atividades-chave Proposta de Valor Relacionamento com o cliente Segmentos de cliente Estrutura de Custos Fluxos de receitas Parceiros-chave Recursos-chave Canais
  34. 34. Atividades-chave Proposta de Valor Relacionamento com o cliente Segmentos de cliente Estrutura de Custos Fluxos de receitas Parceiros-chave Recursos-chave Canais
  35. 35. AGORA É A SUA VEZ
  36. 36. O QUE É NESTA PARTE SE DESCREVE COMO UMA EMPRESA ATINGE O SEU SEGMENTOS DE CLIENTES PARA ENTREGAR UMA PROPOSTA DE VALOR. OS CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO, COMUNICAÇÃO E VENDAS ESTABELECEM O CONTATO DA EMPRESA COM OS CLIENTES. SÃO PONTOS DE CONTATO COM OS CLIENTES QUE DESEMPENHAM UM PAPEL IMPORTANTE NA EXPERIÊNCIA DO CLIENTE PERGUNTAS CHAVE  QUE CANAIS PREFEREM NOSSO SEGMENTO DE MERCADO? COMO ESTABELECER CONTATO COMO OS CLIENTES?  COMO É A INTEGRAÇÃO DE NOSSOS CANAIS? QUAIS FUNCIONAM MELHOR?  QUAIS SÃO OS MAIS EFICIENTES X CUSTOS?  COMO SE INTEGRAM AO DIA A DIA DE NOSSOS CLIENTES? CANAIS
  37. 37. Atividades-chave Proposta de Valor Relacionamento com o cliente Segmentos de cliente Estrutura de Custos Fluxos de receitas Parceiros-chave Recursos-chave Canais
  38. 38. Atividades-chave Proposta de Valor Relacionamento com o cliente Segmentos de cliente Estrutura de Custos Fluxos de receitas Parceiros-chave Recursos-chave Canais
  39. 39. O QUE É NESTA PARTE SE DESCREVE COMO UMA EMPRESA ATINGE O SEU SEGMENTOS DE CLIENTES PARA ENTREGAR UMA PROPOSTA DE VALOR. OS CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO, COMUNICAÇÃO E VENDAS ESTABELECEM O CONTATO DA EMPRESA COM OS CLIENTES. SÃO PONTOS DE CONTATO COM OS CLIENTES QUE DESEMPENHAM UM PAPEL IMPORTANTE NA EXPERIÊNCIA DO CLIENTE PERGUNTAS CHAVE  QUE CANAIS PREFEREM NOSSO SEGMENTO DE MERCADO? COMO ESTABELECER CONTATO COMO OS CLIENTES?  COMO É A INTEGRAÇÃO DE NOSSOS CANAIS? QUAIS FUNCIONAM MELHOR?  QUAIS SÃO OS MAIS EFICIENTES X CUSTOS?  COMO SE INTEGRAM AO DIA A DIA DE NOSSOS CLIENTES? CANAIS
  40. 40. AGORA É A SUA VEZ
  41. 41. O QUE É NESTE BLOCO SE DESCREVE OS DIFERENTES TIPO DE RELAÇÕES QUE ESTABELECE UMA EMPRESA COM DETERMINADOS SEGMENTADOS DE MERCADO. COMO A EMPRESA ATRAI, MANTEM E AUMENTA AS RECEITAS VINDAS DE CADA CLIENTE. PERGUNTAS CHAVE  QUE TIPO DE RELACIONAMENTO QUE CADA SEGMENTO DE CLIENTES ESPERA TER PARA ESTABELECER E MANTER SUA PREFERÊNCIA?  ATUALMENTE QUAIS TEMOS ESTABELECIDO? QUAL SÃO OS CUSTOS DELES?  COMO ELES SÃO INTEGRADOS COM O RESTO DO NOSSO MODELO DE NEGÓCIO? RELACIONAMENTO COM O CLIENTE
  42. 42. Atividades-chave Proposta de Valor Relacionamento com o cliente Segmentos de cliente Estrutura de Custos Fluxos de receitas Parceiros-chave Recursos-chave Canais
  43. 43. Atividades-chave Proposta de Valor Relacionamento com o cliente Segmentos de cliente Estrutura de Custos Fluxos de receitas Parceiros-chave Recursos-chave Canais
  44. 44. AGORA É A SUA VEZ
  45. 45. O QUE É NESTE PASSO DESCREVEMOS AS RECEITAS QUE REPRESENTA O DINHEIRO QUE UMA EMPRESA GERA DE CADA SEGMENTO DE MERCADO (OS CUSTOS DEVEM SER SUBTRAÍDOS DAS RECEITAS PARA CRIAR GANHOS) SE OS CLIENTES COMPREENDEM O CORAÇÃO DE UM MODELO DE NEGÓCIO, O FLUXO DE CAIXA SÃO SUAS ARTÉRIAS. PERGUNTAS CHAVE  QUE VALOR OS NOSSOS CLIENTES REALMENTE ESTÃO DISPOSTOS A PAGAR?  POR QUE É QUE ELES PAGAM ATUALMENTE? COMO QUE ELES ESTÃO ATUALMENTE PAGANDO?  COMO É QUE ELES PREFEREM PAGAR? FLUXO DE RECEITAS
  46. 46. Atividades-chave Proposta de Valor Relacionamento com o cliente Segmentos de cliente Estrutura de Custos Fluxos de receitas Parceiros-chave Recursos-chave Canais
  47. 47. Atividades-chave Proposta de Valor Relacionamento com o cliente Segmentos de cliente Estrutura de Custos Fluxos de receitas Parceiros-chave Recursos-chave Canais
  48. 48. AGORA É A SUA VEZ
  49. 49. O QUE É TODO MODELO DE NEGÓCIO EXIGE RECURSOS-CHAVE. ESTES RECURSOS PERMITEM QUE UMA EMPRESA CRIE E OFEREÇA UMA PROPOSTA DE VALOR, QUE ALCANCE MERCADOS E MANTENHA RELAÇÕES COM SEGMENTOS DE CLIENTES. PERGUNTAS CHAVE QUE RECURSOS-CHAVES EXIGEM:  NOSSAS PROPOSTAS DE VALOR?  E NOSSOS CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO?  NOSSOS CANAIS DE RELACIONAMENTO COM O CLIENTE?  NOSSAS FONTES DE RECEITA? RECURSOS CHAVE
  50. 50. Atividades-chave Proposta de Valor Relacionamento com o cliente Segmentos de cliente Estrutura de Custos Fluxos de receitas Parceiros-chave Recursos-chave Canais
  51. 51. Atividades-chave Proposta de Valor Relacionamento com o cliente Segmentos de cliente Estrutura de Custos Fluxos de receitas Parceiros-chave Recursos-chave Canais
  52. 52. AGORA É A SUA VEZ
  53. 53. O QUE É NESTE PASSO SE DESCREVEM AS ATIVIDADES E PROCESSOS CHAVES MAIS IMPORTANTES NECESSÁRIOS QUE DEVE TER PARA ATINGIR SEU OBJETIVO. CADA MODELO DE NEGÓCIO EXIGE UMA SÉRIE DE ATIVIDADES-CHAVE. ESTAS SÃO AS AÇÕES MAIS IMPORTANTES QUE UMA EMPRESA DEVE TOMAR PARA OPERAR COM SUCESSO. PERGUNTAS CHAVE  QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS ATIVIDADES QUE EXIGEM...  NOSSA PROPOSTA DE VALOR?  E NOSSOS CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO?  NOSSO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE?  E AS FONTES DE RECEITA? ATIVIDADES CHAVE
  54. 54. Atividades-chave Proposta de Valor Relacionamento com o cliente Segmentos de cliente Estrutura de Custos Fluxos de receitas Parceiros-chave Recursos-chave Canais
  55. 55. Atividades-chave Proposta de Valor Relacionamento com o cliente Segmentos de cliente Estrutura de Custos Fluxos de receitas Parceiros-chave Recursos-chave Canais
  56. 56. AGORA É A SUA VEZ
  57. 57. O QUE É NESTE PASSO SE DESCREVE A REDE DE FORNECEDORES E PARCEIROS NECESSÁRIAS PARA NOSSO MODELO DE NEGÓCIOS. AS EMPRESAS FAZEM PARCERIAS, POR MUITAS RAZÕES, E PARCERIAS ESTÃO SE TORNANDO UMA PEDRA ANGULAR DE MUITOS MODELOS DE NEGÓCIOS. AS EMPRESAS CRIAM ALIANÇAS PARA OTIMIZAR SEUS MODELOS DE NEGÓCIOS, E REDUZIR O RISCO, OU PARA ADQUIRIR RECURSOS. PERGUNTAS CHAVE  QUAIS SÃO OS NOSSOS PRINCIPAIS PARCEIROS?  QUAIS SÃO OS NOSSOS PRINCIPAIS FORNECEDORES?  OS RECURSOS-CHAVE QUE ESTAMOS ADQUIRINDO DE PARCEIROS?  QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS ATIVIDADES QUE OS PARCEIROS REALIZAM? PARCEIROS CHAVE
  58. 58. Atividades-chave Proposta de Valor Relacionamento com o cliente Segmentos de cliente Estrutura de Custos Fluxos de receitas Parceiros-chave Recursos-chave Canais
  59. 59. Atividades-chave Proposta de Valor Relacionamento com o cliente Segmentos de cliente Estrutura de Custos Fluxos de receitas Parceiros-chave Recursos-chave Canais
  60. 60. AGORA É A SUA VEZ
  61. 61. O QUE É AQUI SE DESCREVE TODOS OS CUSTOS NECESSÁRIOS PARA O FUNCIONAMENTO DO MODELO DE NEGÓCIO. A CRIAÇÃO E ENTREGA DE VALOR, MANTER O RELACIONAMENTO COM OS CLIENTES, TODOS ESTES PASSOS TEM UM CUSTO. TAIS CUSTOS PODEM SER CALCULADOS DE FORMA RELATIVAMENTE FÁCIL DEPOIS DA DEFINIÇÃO DOS RECURSOS-CHAVE, ATIVIDADES-CHAVE, E PARCERIAS IMPORTANTES PERGUNTAS CHAVE  QUAIS SÃO OS CUSTOS MAIS IMPORTANTES INERENTES AOS NOSSOS NEGÓCIOS MODELO?  QUAIS SÃO OS RECURSOS-CHAVE MAIS CAROS?  QUAIS SÃO AS ATIVIDADES-CHAVE MAIS CARAS? ESTRUTURA DE CUSTO
  62. 62. Atividades-chave Proposta de Valor Relacionamento com o cliente Segmentos de cliente Estrutura de Custos Fluxos de receitas Parceiros-chave Recursos-chave Canais
  63. 63. Atividades-chave Proposta de Valor Relacionamento com o cliente Segmentos de cliente Estrutura de Custos Fluxos de receitas Parceiros-chave Recursos-chave Canais
  64. 64. Organização: Pedro Teixeira pedro@troposlab.com www.troposlab.com Facebook.com/troposlab Instagram.com/troposlab

×