Seminario canadian recovered

782 visualizações

Publicada em

Seminário de residência médica

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
782
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seminario canadian recovered

  1. 1. Cecília Oliveira Pereira R1 - Mastologia SEMINÁRIO HUCFF RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO: ANÁLISE CRÍTICA DO CANADIAN NATIONAL BREAST SCREENING STUDY Maio / 2014
  2. 2. RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO: ANÁLISE CRÍTICA DO CANADIAN NATIONAL BREAST SCREENING STUDY • Objetivo da apresentação: Demonstrar o quão superestimados podem ser os benefícios do rastreio mamográfico.
  3. 3. RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO: ANÁLISE CRÍTICA DO CANADIAN NATIONAL BREAST SCREENING STUDY História da Mamografia 1913 Primeira radiografia mamária feita por Albert Salomon, cirurgião Alemão, ele radiografou peças cirúrgicas, obtidas de cirurgias de mastectomia e encontrou pequenos pontos “denominados de microcalcificações”. 1930 Herrman Vogel descreveu como diferenciar tecidos sadios de tecidos doentes 1949 Raul Leborgne concluiu que
  4. 4. RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO: ANÁLISE CRÍTICA DO CANADIAN NATIONAL BREAST SCREENING STUDY 1962 Robert Egan publica 53 casos de carcinoma oculto detectados em 2000 exames de mamografia e criou uma equipe de médicos e técnicos treinados e especializados em mamografia. 1966 A GE cria a primeira máquina para realizar mamografia. Era um tripé com uma câmara especial. 1966 O primeiro modelo comercial do "Senographe" (“pintura do seio”, em francês), como foi denominado.
  5. 5. RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO: ANÁLISE CRÍTICA DO CANADIAN NATIONAL BREAST SCREENING STUDY 1971 1º mamógrafo do Brasil - IBBC 2014 Mamógrafo atual
  6. 6. RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO: ANÁLISE CRÍTICA DO CANADIAN NATIONAL BREAST SCREENING STUDY Estratégias: Diagnóstico precoce “down staging” Auto exame x palpação ocasional Rastreamento Oportunístico x organizado Detecção precoce INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER (Brasil). Controle do Câncer de Mama: Documento do Consenso. Rio de Janeiro, 2004. A recomendação para as mulheres de 50 a 69 anos é a realização da mamografia a cada dois anos e do exame clínico das mamas anual. *A sociedade brasileira de mastologia recomenda mamografia e exame físico anual das mamas a partir dos 40 anos Segundo tipo mais frequente no mundo, o câncer de mama é o mais comum entre as mulheres. No Brasil, as taxas de mortalidade por câncer de mama continuam elevadas, muito provavelmente porque a doença ainda é diagnosticada em estádios avançados. Na população mundial, a sobrevida média após cinco anos é de 61%.
  7. 7. RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO: ANÁLISE CRÍTICA DO CANADIAN NATIONAL BREAST SCREENING STUDY A importância da imagem • A mamografia é recomendada para: rastreamento de mulheres assintomáticas, avaliação diagnóstica, acompanhamento de mulheres sintomáticas e monitoramento de grupos de alto risco . Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.664, DE 29 DE ABRIL DE 2008. Dispõe sobre a efetivação de ações de saúde que assegurem a prevenção, a detecção, o tratamento e o seguimento dos cânceres do colo uterino e de mama, no âmbito do Sistema Único de Saúde – SUS. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1o As ações de saúde previstas no inciso II do caput do art. 7o da Lei no 8.080, de 19 de setembro de 1990, relativas à prevenção, detecção, tratamento e controle dos cânceres do colo uterino e de mama são asseguradas, em todo o território nacional, nos termos desta Lei. Art. 2o O Sistema Único de Saúde – SUS, por meio dos seus serviços, próprios, conveniados ou contratados, deve assegurar: I – a assistência integral à saúde da mulher, incluindo amplo trabalho informativo e educativo sobre a prevenção, a detecção, o tratamento e controle, ou seguimento pós-tratamento, das doenças a que se refere o art. 1o desta Lei; II – a realização de exame citopatológico do colo uterino a todas as mulheres que já tenham iniciado sua vida sexual, independentemente da idade; III – a realização de exame mamográfico a todas as mulheres a partir dos 40 (quarenta) anos de idade; IV – o encaminhamento a serviços de maior complexidade das mulheres cujos exames citopatológicos ou mamográficos ou cuja observação clínica indicarem a necessidade de complementação diagnóstica, tratamento e seguimento pós-tratamento que não puderem ser realizados na unidade que prestou o atendimento; V – os subseqüentes exames citopatológicos do colo uterino e mamográficos, segundo a periodicidade que o órgão federal responsável pela efetivação das ações citadas nesta Lei deve instituir. Parágrafo único. Os exames citopatológicos do colo uterino e mamográficos poderão ser complementados ou substituídos por outros quando o órgão citado no inciso V do caput deste artigo assim o determinar. Art. 3o Esta Lei entra em vigor após decorrido 1 (um) ano de sua publicação. Brasília, 29 de abril de 2008; 187o da Independência e 120o da República. LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA José Gomes Temporão Este texto não substitui o publicado no DOU de 30.4.2008. Portaria MS/GM nº 1.253, de 12/11/2013 Art. 2º Fica incluída na Tabela de Procedimentos do SUS a REGRA CONDICIONADA (código 005) que condiciona excepcionalmente o tipo de financiamento do procedimento 02.04.03.018-8- mamografia bilateral para rastreamento, pelo Fundo de Ações Estratégicas e Compensação (FAEC). Parágrafo único. Esta regra será aplicada quando o procedimento de que trata o caput deste artigo for realizado em pessoa com a idade recomendada pelo Ministério da Saúde compreendida entre 50 a 69 anos.
  8. 8. RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO: ANÁLISE CRÍTICA DO CANADIAN NATIONAL BREAST SCREENING STUDY Fatores determinates do prognóstico do Câncer de mama • Historicamente o volume do tumor é um dos fatores mais importantes com relação ao prognóstico da doença. Sabemos que pacientes com tumores menores de 1,0 cm têm entre 10% a 20% de possibilidade de comprometimento linfonodal e que pacientes com tumores menores de 1,0 cm com linfonodos negativos têm uma sobrevida livre de doença em 10 anos de 90% Buitrago; Farid, Uemura; Gilberto, Sena; Maria Cristina Ferreira. Fatores prognósticos em câncer de mama. Com. Ciências Saúde - 22 Sup 1:S69-S82, 2011
  9. 9. RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO: ANÁLISE CRÍTICA DO CANADIAN NATIONAL BREAST SCREENING STUDY Early diagnosis x Over-diagnosis x False positive Over diagnosis - É o diagnóstico dos cânceres que nunca se manifestariam clinicamente durante a vida de uma paciente seja lá pelo fato de que o tumor não iria crescer ou por que a mesma iria falecer de outras causas antes da expressão da doença. Consequências: Cirurgiasquimioterapiaradioterapiaconsequências emocionais
  10. 10. RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO: ANÁLISE CRÍTICA DO CANADIAN NATIONAL BREAST SCREENING STUDY O rastreamento na faixa etária de 50 a 70 anos, quando realizado bienalmente em mamógrafos com tecnologia convencional, apresentou maior benefício em termos de proteção radiológica ao ser avaliado por meio da relação benefício–risco.
  11. 11. RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO: ANÁLISE CRÍTICA DO CANADIAN NATIONAL BREAST SCREENING STUDY
  12. 12. RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO: ANÁLISE CRÍTICA DO CANADIAN NATIONAL BREAST SCREENING STUDY Canadian National Breast Screening Study • Objetivos: comparar a incidência do câncer de mama e a mortalidade ao longo de 25 anos em mulheres entre 40-59 anos que se submeteram a rastreio com mamografia e exame físico com as que se submeteram a apenas exame físico. • Materiais e métodos: foram selecionadas de forma randomizada durante 5 anos, 89.835 mulheres entre 40-59 anos em 6 províncias do Canadá (Nova Escócia, Quebec, Ontario, Manitoba, Alberta e Colúmbia Britânica). • Resultados: ? • Conclusão: ?
  13. 13. RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO: ANÁLISE CRÍTICA DO CANADIAN NATIONAL BREAST SCREENING STUDY Anthony B Miller, Claus Wall, Cornelia J Baines, Teresa To, Steven A. Twenty five year follow-up for breast cancer incidence and mortality of the Canadian National Breast Screening Study: randomised screening trial . BMJ 2014;348:g366 doi: 10.1136/bmj.g366 (Published 11 February 2014) Desenho do estudo
  14. 14. Grupo mamografia n= 666 Grupo controle n= 524 RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO: ANÁLISE CRÍTICA DO CANADIAN NATIONAL BREAST SCREENING STUDY Anthony B Miller, Claus Wall, Cornelia J Baines, Teresa To, Steven A. Twenty five year follow-up for breast cancer incidence and mortality of the Canadian National Breast Screening Study: randomised screening trial . BMJ 2014;348:g366 doi: 10.1136/bmj.g366 (Published 11 February 2014)
  15. 15. RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO: ANÁLISE CRÍTICA DO CANADIAN NATIONAL BREAST SCREENING STUDY Anthony B Miller, Claus Wall, Cornelia J Baines, Teresa To, Steven A. Twenty five year follow-up for breast cancer incidence and mortality of the Canadian National Breast Screening Study: randomised screening trial . BMJ 2014;348:g366 doi: 10.1136/bmj.g366 (Published 11 February 2014)
  16. 16. RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO: ANÁLISE CRÍTICA DO CANADIAN NATIONAL BREAST SCREENING STUDY Anthony B Miller, Claus Wall, Cornelia J Baines, Teresa To, Steven A. Twenty five year follow-up for breast cancer incidence and mortality of the Canadian National Breast Screening Study: randomised screening trial . BMJ 2014;348:g366 doi: 10.1136/bmj.g366 (Published 11 February 2014) Breast Cancer specific mortality, by assignment to mammography or control arms (all participants) Taxa de sobrevivência (durante os 25 anos do estudo): • 77,1% para tumores <2cm e 54,1% para tumores > 2cm • 70.6% para tumores do grupo da mamografia e 62,8% para tumores no grupo controle
  17. 17. RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO: ANÁLISE CRÍTICA DO CANADIAN NATIONAL BREAST SCREENING STUDY “Os resultados do estudo estão alinhados com a realidade dos países desenvolvidos”
  18. 18. RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO: ANÁLISE CRÍTICA DO CANADIAN NATIONAL BREAST SCREENING STUDY
  19. 19. RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO: ANÁLISE CRÍTICA DO CANADIAN NATIONAL BREAST SCREENING STUDY Distribuição dos mamógrafos no Brasil Fonte: DENASUS/MS 2011 “It is time to stop blaming mammography screening for over-diagnosis and over-treatment in an effort to deny women access to screening.” Daniel B. Kopans, professor of radiology at the Harvard Medical School
  20. 20. RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO: ANÁLISE CRÍTICA DO CANADIAN NATIONAL BREAST SCREENING STUDY Qualidade da imagem american college of radiology e society of breast imaging
  21. 21. RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO: ANÁLISE CRÍTICA DO CANADIAN NATIONAL BREAST SCREENING STUDY H. Gilbert Welch MD, MPH Screening Mammography and Overdiagnosis.San Antonio Breast Cancer Symposium – December 10-14-2013
  22. 22. RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO: ANÁLISE CRÍTICA DO CANADIAN NATIONAL BREAST SCREENING STUDY H. Gilbert Welch MD, MPH Screening Mammography and Overdiagnosis. San Antonio Breast Cancer Symposium – December 10-14-2013 As pesquisas estimam que a cada 10.000 mulheres por volta de seus 40 anos que realizarem mamografia anual, 190 serão diagnosticadas com câncer de mama, e dessas, 5 irão evitar a morte devido ao screening mamográfico, e 25 irão morrer independente de terem realizado o rastreio, o restante irá sobreviver graças aos avanços no tratamento .
  23. 23. RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO: ANÁLISE CRÍTICA DO CANADIAN NATIONAL BREAST SCREENING STUDY JAKE MILLER The Mammography Dilemma - Complex benefits and harms of mammography require individualized approach. April 1, 2014 Revisão de trabalhos internacionais dos últimos 50 anos para avaliar os benefícios dos rastreamento mamográfico.
  24. 24. RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO: ANÁLISE CRÍTICA DO CANADIAN NATIONAL BREAST SCREENING STUDY • UK NHS Breast Screening Program • Mulheres de 47 – 73 anos • Identifica a população de maior risco de desenvolver câncer de mama de acordo com a faixa etária. • Afirma que existe benefício em realizar a mamografia de rastreio
  25. 25. RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO: ANÁLISE CRÍTICA DO CANADIAN NATIONAL BREAST SCREENING STUDY Discussões finais • “one size fits all” ? • Early diagnosis compensa o over-diagnosis? • Podemos projetar a nossa esse estudo para a nossa realidade?
  26. 26. RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO: ANÁLISE CRÍTICA DO CANADIAN NATIONAL BREAST SCREENING STUDY Canadian National Breast Screening Study • Objetivos: comparar a incidência e mortalidade ao longo de 25 anos em mulheres entre 49-50 anos que se submeteram a rastreio com mamografia e exame físico com as que se submeteram a apenas exame físico. • Materiais e métodos: foram selecionadas de forma randomizada durante 5 anos, 89.835 mulheres entre 40-59 anos em 6 províncias do Canadá (Nova Escócia, Quebec, Ontario, Manitoba, Alberta e Colúmbia Britânica). • Objetivos: mensurar o número de mortes por câncer de mama. • Resultados: Os achados para mulheres entre 40 -49 anos e para mulheres entre 50 -59 anos foram bastante similares. Conclusão: Mamografia anual em mulheres entre 40 – 59 anos não reduz a mortalidade de câncer de mama em detrimento ao exame físico anual, quando a terapia adjuvante estiver disponível, sempre que necessária.
  27. 27. RASTREAMENTO MAMOGRÁFICO: ANÁLISE CRÍTICA DO CANADIAN NATIONAL BREAST SCREENING STUDY
  28. 28. BIBLIOGRAFIA • von Karsa L, Arrossi S. Development and implementation of guidelines for quality assurance in breast cancer screening: The European experience. Salud Publica Mex 2013;55:318-328 • Robert A. Smith, Vilma Cokkinides, Durado Brooks, Debbie Saslow, Otis W. Brawley. Cancer Screening in the United States, 2010 - A Review of Current American Cancer Society Guidelines and Issues in Cancer Screening. CA CANCER J CLIN 2010; 60:99–119 ,VOLUME 60 NUMBER 2 MARCH/APRIL 2010 • Buitrago; Farid, Uemura; Gilberto, Sena; Maria Cristina Ferreira. Fatores prognósticos em câncer de mama. Com. Ciências Saúde - 22 Sup 1:S69-S82, 2011 • Anthony B Miller, Claus Wall, Cornelia J Baines, Teresa To, Steven A. Twenty five year follow-up for breast cancer incidence and mortality of the Canadian National Breast Screening Study: randomised screening trial . BMJ 2014;348:g366 doi: 10.1136/bmj.g366 (Published 11 February 2014) • BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Rastreamento (Série A: Normas e Manuais Técnicos. Cadernos de Atenção Primária nº29). Brasília, 2010. • Lydia E. Pace, MD, MPH1; Nancy L. Keating, MD, MPH2,3 [+] Author Affiliations. A Systematic Assessment of Benefits and Risks to Guide Breast Cancer Screening Decisions. JAMA. 2014;311(13):1327-1335. doi:10.1001/jama.2014.1398 • H. Gilbert Welch MD, MPH Screening Mammography and Overdiagnosis.San Antonio Breast Cancer Symposium – December 10-14-2013

×