Itu de re..

2.560 visualizações

Publicada em

seminario itu de repeticao

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.560
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.676
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Itu de re..

  1. 1. ITU DE REPETIÇÃO: COMOCONDUZIR ?Residente : Bethânia Maia (R2)Orientadora: Ana Luiza Araújo
  2. 2. INTRODUÇÃO• ITU é a presença de micro-organismos no tratourinário, levando a uma resposta inflamatóriaque pode atingir tanto o trato urinário baixo(bexiga e uretra) como o alto (rins e ureteres).• 50 a 70% das mulheres vão ter uma infecção dotrato urinário durante sua vida• 20 a 30% vão ter episódios recorrentes.Manual de Uroginecologia e cirurgia vaginal, Febrasgo , 2010
  3. 3. CLASSIFICAÇÃOCISTITE :Colonização bacteriana da bexiga e uretra.PIELONEFRITE :Acometimento dos ureteres, parênquima e pelve renal.BACTERIÚRIA ASSINTOMÁTICA:Presença de bacteriúria significativa (acima de 100.000 colonias/ml) em mulheressem sintomas.ITU RECORRENTE :Refere-se a duas ou mais infecções em seis meses ou três ou mais infecçõesem 1 ano.Manual de Uroginecologia e cirurgia vaginal, Febrasgo , 2010
  4. 4. REINFECÇÃO X RECAIDA• RECAIDA :- Estirpe infectante semelhante à infecção anterior- Ocorre em até duas semanas após o final do tratamento dainfecção original• REINFECÇÃO:- Ocorre em mais de duas semanas após o tto , independentese há semelhança do agenteRecorrent urinary tract infection ,Up to date
  5. 5. FISIOPATOLOGIA• O principal mecanismo de colonização é porascendência de bactérias oriundas do tratogastrointestinal .• 80 – 90 % E. Coli• 5-15 % Staphylococcos saprophyticus• 5-10 % proteus / klesbisiela /pseudomonasManual de Uroginecologia e cirurgia vaginal, Febrasgo , 2010
  6. 6. QUADRO CLÍNICO• Sintomas:• Disúria• Polaciúria• Urgência miccional• Dor em região hipogástrica.Manual de Uroginecologia e cirurgia vaginal, Febrasgo , 2010
  7. 7. Diagnóstico• CLÍNICO• LABORATORIAL : em casos em que a clínica não éesclarecedora- EAS :Piúria, leucocitúria , hematúria , esterase e nitrito positivo (achados sugestivos)- URINOCULTURA :crescimento de mais de 100.000 colônias/ml- ANTIBIOGRAMA- EXAMES DE IMAGEM: importante na investigação de casos recorrentesManual de Uroginecologia e cirurgia vaginal, Febrasgo , 2010
  8. 8. FATORES DE RISCO• Biológico ou fator genético :- História familiar- Tipagem sanguínea• Relações sexuais :• Espermicida /diafragma :• Primeira ITU antes dos 15 anos• Bexiga neurogênica• Menopausa• Diabetes• Idade avançada• Prolapso de orgãos pélvicos• Resíduo pós-miccional elevado: esvaziamento vesical incompleto• AVC, demência• Uso de drogas com efeito anticolinérgico• Incontinência fecalRecorrent urinary tract infection ,Up to date / O
  9. 9. -MUDANÇAS COMPORTAMENTAIS-PROFILAXIA ANTIMICROBIANA Contínua Pós-coito Auto – medicaçãoRecorrent urinary tract infection ,Up to date
  10. 10. MUDANÇAS COMPORTAMENTAIS• Contracepção• Micção pós –coito• Aumento da ingesta hídrica• Estrogênio tópico na vaginaRecorrent urinary tract infection ,Up to date
  11. 11. PROFILAXIA ANTIMICROBIANA• A escolha da abordagem vai depender dafrequência , padrão de recorrência e preferênciado paciente.• A escolha do antibiótico deve se basear no padrãode suscetibilidade e das estirpes da itu anterior.• Assegurar erradicação da infecção comurinocultura negativa após 1/ 2 semanas dotratamentoRecorrent urinary tract infection ,Up to date
  12. 12. PROFILAXIA CONTINUAGuidelines on urological infections, 2010
  13. 13. PROFILAXIA POS - COITO• Indicada quando os episódios de cistite estão diretamenterelacionados com a atividade sexual.Guidelines on urological infections, 2010
  14. 14. AUTO–MEDICAÇÃOBoa relação médico - pacienteRedução da exposição a antibioticoterapia• Fosfomicina Tromedol 3g dose única• Sulfametoxazol+trimetropin 800/160mg 01 comp. 12/12h 3 dias• Norfloxacino 400mg um comp. 12/12 hs 3 dias• Ciprofloxacino 500mg um comp. 12/12 hs 3 dias• Nitrofurantoína 100mg um comp. 6/6 hs 7 diasManual de Uroginecologia e cirurgia vaginal, Febrasgo , 2010
  15. 15. Artigo Original: Etiologia e perfil de resistência dasbactérias isoladas a partir de uroculturas oriundas demulheres acima dos 18 anosEtiology and bacterial resistance profile of urinary tract infection in women older than 18in Recife, BrazilVera Magalhães Professora titular de Doenças Infecciosas e Parasitárias da Universidade Federal de PernambucoRodolfo Brilhante Farias Universidade Federal de Pernambuco. Bolsista do CNPq (PIBIC).Guilherme Agra Universidade Federal de PernambucoAna Luiza Magalhães de Andrade Lima Faculdade Boa Viagem - Instituto Materno-Infantil Professor FernandoFigueira.
  16. 16. CRANBERRY• Efeito anti aderência bacteriana• Protoantocinidina que exerce ligações tipo A• Composição eficaz : mínimo de36 mg de protoantocinidina• Evitar em paciente em usode warfarim
  17. 17. Copyright: The Cochrane LibraryCranberries for preventing urinary tract infectionsJepson Ruth G, Williams Gabrielle, Craig JonathanC .;Jepson Ruth G, Williams Gabrielle, Craig Jonathan CCochrane Database of Systematic Reviews, Issue 2, 2013SUCO DE CRAMBERRY : 300ML / DIAOUTROS PRODUTOS : 36 MG DE PROTOANTOCINIDINASFOI OBSERVADA REDUÇÃO DA RECORRÊNCIA DE ITU, PORÉM OSRESULTADOS NÃO SÃO ESTATITICAMENTE SIGNIFICATIVOSMAIOR EFICÁCIA DO SUCO EM COMPARAÇAO A OUTROS PRODUTOSDE CRAMBERRY ( HIDRATAÇÃO ?)
  18. 18. -100 MULHERES ENTRE 18 –40 ANOS-REDUÇÃO DE 50 % DE ITU COMPARADA AO GRUPO PLACEBO.Produção de peróxido de hidrogênio que é microbicida para E. coli e outrosuropatógenosManutenção de Ph ácidoBloqueio de áreas de aderência• somente um estudo mostrou benef’icios Pro ducao depeoxido de hidrogenio
  19. 19. b•Vacina com múltiplos uropatógenos imunogênicos de mucosa•Induzem imunoglobulina G e Imunoglobulina A•Mínimos efeitos adversos•Redução da recorrência por 6 meses
  20. 20. GESTAÇÃO• ITU é a complicação mais comum da gestação• Os organismos causadores são similares aos da não grávida( 80% E. coli )• Fatores Predisponentes :- Aumento do fluxo plasmático renal- Aumento da taxa de filtração glomerular- Aumento do diâmetro e hipotonia ureteral- Hipotonia vesical• Estão relacionados ao risco aumentado de partoprematuro, baixo peso ao nascer e mortalidade perinatal.Doenças do sistema urinário, Rezende Obstetrícia 11 ed.. P. 591 – 602
  21. 21. GESTAÇÃOINDICAÇÃO DE PROFILAXIA :• Mulheres com história de ITU recorrente antes dagestação• Dois ou mais episódios de bacteriúria recorrente• Dois ou mais episódios de cistite ou um episódio decistite associada a fatores de risco para complicações (diabetes , litíase )• Após o primeiro episódio de pielonefriteRotinas Assistênciais da Maternidade Escola da UFRJ – INFECÇÃO URINÁRIA AGUDA .
  22. 22. GESTAÇÃO• ESQUEMAS :- nitrofurantoína 100 mg VO a noite- cefalexina 250 mg VO a noite• A profilaxia deve ser realizada até o final dagestação• Considerar a profilaxia pós coito sempre quehouver relação dos episódios com a relaçãosexualRotinas Assistênciais da Maternidade Escola da UFRJ – INFECÇÃO URINÁRIA AGUDA .
  23. 23. CONCLUSÃO• A escolha do tratamento de ITU de repetiçãodeve ser individualizado .• Importante orientar sobre medidascomportamentais• Observar sempre o padrão de resistênciabacteriana .
  24. 24. BIBLIOGRAFIA• MONTENEGRO, C. A. B.; BRAGA, A.; REZENDEFILHO, J.Doenças do sistema urinário In:RIBEIRA C. S;RIELLA C.M, J. Rezende obstetrícia. 11.ed. Rio de Jaeiro: GuanabaraKoogan, 2013. p.597-602• Recorrent urinary tract infection ,Up to date,2010• DENNIS L.KASPER; FAUCI ANTHONI S; DAN L. LONGO ;Infecçoes do trato urinário e pielonefrite , HARRISON MEDICINAINTERNA- VOL 2 , 16 ED. PAG : 1797 -1804.• Manual de Uroginecologia e cirurgia vaginal, Febrasgo , 2010• Rotinas Assistênciais da Maternidade Escola da UFRJ –INFECÇÃO URINÁRIA AGUDA .

×