“Todos os seres humanos nascem
 livres e iguais em dignidade e em
 direitos. Dotados de razão e de
 consciência, devem agi...
Pobreza

 Afecta principalmente as mulheres:
 Possuem em, média, salários mais baixos;
 São mais afectadas pelo desempr...
Violência
Definição:
 Qualidade ou estado do que é violento;
 Acto de violentar;
 Força empregada contra o direito natu...
Violência Doméstica
              Violência
             emocional e
             psicológica




 Violência              ...
Violência Doméstica
 “Como qualquer conduta ou omissão de
  natureza criminal, repetida e/ou intensa ou
  não, que inflij...
“Se não és minha
    não és de
    ninguém”
Violência doméstica Contra as
           Mulheres
 “Qualquer acto de violência baseado no
  género de que resulte ou poss...
Ciclo da violência


 3ª fase -                1ª fase -
  Lua de                 Aumento
   mel                   da tens...
Porquê é que não se mete um ponto
                  final?
 “Afinal ele é o pai dos meus filhos”
 “Foi só desta vez”
 “...
Factores dificultadores
 Crenças culturais;
 Minimização da violência sofrida, associada a
  atitudes de passividade e c...
Factores dificultadores

 Valorização da unidade familiar e sentimento de
  fracasso pessoal em caso e de ruptura conjuga...
Factores dificultadores

 Isolamento social
 Falta de confiança na eficácia das instituições
 Falta de conhecimento sob...
“Até que a morte nos separe”
VIOLÊNCIA DOMÉSTICA
Sexo da vítima
2007                         2008



             1%

       12%                                 12%

     ...
Idade da vítima
2007                        2008




       28%           26%
                           18-35   27%      ...
Estado Civil
2007                                  2008
                         Solteiro/a

                         Casa...
 A UMAR criou o Observatório das Mulheres
    Assassinadas em 2004.
   Os objectivos passam por:
   Conhecer os números...
2007
  e
2008
Tipo agressor
        2007
                     Marido/
                     Companheiro/
                     Namorado/
 ...
Idade da vítima

2007              2008
25
20
                        8% 7%
15                                    18-23
  ...
Idade do agressor

2007           2008
8              18
               16
7              14
6              12
5          ...
Legislação de protecção
Lei nº61/91 de Agosto
 Lei de protecção às mulheres vítimas de
  violência, garantindo a sua salv...
Associação de Apoio à Vítima
È uma instituição particular de solidariedade
  social. Tem como objectivo contribuir para a
...
União de Mulheres Alternativa e Resposta
È uma associação de mulheres constituída em
  12 de Setembro de 1976. Organização...
Trabalho Final Do 1ºPeriodo
Trabalho Final Do 1ºPeriodo
Trabalho Final Do 1ºPeriodo
Trabalho Final Do 1ºPeriodo
Trabalho Final Do 1ºPeriodo
Trabalho Final Do 1ºPeriodo
Trabalho Final Do 1ºPeriodo
Trabalho Final Do 1ºPeriodo
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Trabalho Final Do 1ºPeriodo

660 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Trabalho Final Do 1ºPeriodo

  1. 1. “Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade” Artigo 1º - Carta Universal dos Direitos Humanos
  2. 2. Pobreza  Afecta principalmente as mulheres:  Possuem em, média, salários mais baixos;  São mais afectadas pelo desemprego;  Têm menos protecção social;  As idosas encontram-se muitas vezes em situações precárias;  As mães, em famílias monoparentais, são responsáveis pelas crianças
  3. 3. Violência Definição:  Qualidade ou estado do que é violento;  Acto de violentar;  Força empregada contra o direito natural de outrem;  Acção em que se faz uso de força bruta; crueldade;  Força; intensidade;  Prepotência; tirania; coacção. Fonte: Diciopédia 09
  4. 4. Violência Doméstica Violência emocional e psicológica Violência Violência sexual física
  5. 5. Violência Doméstica  “Como qualquer conduta ou omissão de natureza criminal, repetida e/ou intensa ou não, que inflija sofrimentos físicos, sexuais, psicológicos ou económicos, de modo directo ou indirecto, a qualquer pessoa que resida habitualmente no mesmo espaço doméstico ou que, não residindo, seja cônjuge ou ex-cônjuge, companheiro ou ex- companheiro, namorado ou ex-namorado, ou progenitor de descendente comum, ou esteja, ou tivesse estado, em situação parecida.”  Fonte: APAV
  6. 6. “Se não és minha não és de ninguém”
  7. 7. Violência doméstica Contra as Mulheres  “Qualquer acto de violência baseado no género de que resulte ou possa resultar sofrimento ou lesão física, sexual ou psicológica para as mulheres, incluindo a ameaça da prática de tais actos, a coacção ou privação arbitrária de liberdade, quer ocorram na esfera pública quer na privada”  Fonte: Agenda Global, Plataforma de Acção de Pequim, 1995
  8. 8. Ciclo da violência 3ª fase - 1ª fase - Lua de Aumento mel da tensão 2ª fase - Explosão de violência
  9. 9. Porquê é que não se mete um ponto final?  “Afinal ele é o pai dos meus filhos”  “Foi só desta vez”  “Está cansado”  “Está com problemas no trabalho”  “Bebeu de mais”  “Não volta a acontecer”  “A culpa é minha eu é que o incomodei”  “O casamento é para toda a vida”  “Não ele muda, está arrependido”
  10. 10. Factores dificultadores  Crenças culturais;  Minimização da violência sofrida, associada a atitudes de passividade e culpabilidade;  Crenças na mudança do comportamento do agressor;  Dependência emocional da vítima em relação ao agressor, reforçada pelo medo do desconhecido e da solidão;  Dependência económica da vítima
  11. 11. Factores dificultadores  Valorização da unidade familiar e sentimento de fracasso pessoal em caso e de ruptura conjugal.  Sentimento de lealdade para com o cônjuge/ companheiro  Medo de perder o contacto com os filhos, de que estes sejam retirados da sua guarda, que sejam entregues a outra pessoa.  Medo de represálias ou retaliações por parte do cônjuge/ companheiro em caso de abandono da relação
  12. 12. Factores dificultadores  Isolamento social  Falta de confiança na eficácia das instituições  Falta de conhecimento sobre os apoios e recursos disponíveis na comunidade
  13. 13. “Até que a morte nos separe”
  14. 14. VIOLÊNCIA DOMÉSTICA
  15. 15. Sexo da vítima 2007 2008 1% 12% 12% Femino Masculino ñs/ñr 87% 88%
  16. 16. Idade da vítima 2007 2008 28% 26% 18-35 27% 23% 36-45 46-55 55+ 15% 21% 14% 19% Ns/nr 14% 13%
  17. 17. Estado Civil 2007 2008 Solteiro/a Casado/a 4% 4% 8% 9% 6% 18% União de 5% 17% 3% facto 4% Viúvo/a 14% 13% Divorciado/a 47% 48% Separado/a Ñs/ñr
  18. 18.  A UMAR criou o Observatório das Mulheres Assassinadas em 2004.  Os objectivos passam por:  Conhecer os números dos homicídios, em consequência, da violência doméstica;  Identificar o historial da vítima;  Compreender os percursos de resistência e/saída das vítimas da relação violenta e identificar o que falhou;  Conhecer a forma como a jurisprudência trata os casos.
  19. 19. 2007 e 2008
  20. 20. Tipo agressor 2007 Marido/ Companheiro/ Namorado/ Relações de 2008 intimidade/Ex- 0% Ex-marido 2% 2% 5% namorado/ Ex- 5% companheiro / Ex- 5% amante 9% Desconhecido 19% Descendentes 54% directos 28% 71% Outros familiares
  21. 21. Idade da vítima 2007 2008 25 20 8% 7% 15 18-23 21% 24-35 10 36-50 5 43% 50+ 0 Desconhecida 21%
  22. 22. Idade do agressor 2007 2008 8 18 16 7 14 6 12 5 10 4 8 6 3 4 2 2 1 0 0
  23. 23. Legislação de protecção Lei nº61/91 de Agosto  Lei de protecção às mulheres vítimas de violência, garantindo a sua salvaguarda.  Aprovada em 11 de Junho de 1991.  No mandato de Presidente da República de Mário Soares.  Primeiro-ministro, Aníbal Cavaco Silva.
  24. 24. Associação de Apoio à Vítima È uma instituição particular de solidariedade social. Tem como objectivo contribuir para a informação, protecção e apoio aos cidadão vitima s de infracções penais
  25. 25. União de Mulheres Alternativa e Resposta È uma associação de mulheres constituída em 12 de Setembro de 1976. Organização não governamental, esta representada no conselho Consultivo da CIDM, desde 1977. Nasceu da participação activa das mulheres com o 25 de Abril de 1974 e da necessidade sentida, por muitas delas, de criarem uma associação que lutasse pelos seus direitos, naquele novo contexto político.

×