Aula de Topografia

1.252 visualizações

Publicada em

Aulas iniciais de topografia

Publicada em: Engenharia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.252
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
90
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula de Topografia

  1. 1. CONCEITOS GERAIS
  2. 2. TOPOGRAFIA Definição: Importância: a palavra "Topografia" deriva das palavras gregas "topos" (lugar) e "graphen" (descrever), o que significa, a descrição exata e minuciosa de um lugar. ela é a base de qualquer projeto e de qualquer obra realizada por engenheiros ou arquitetos.
  3. 3. TOPOGRAFIA TOPOMETRIA PLANIMETRIA OU PLACOMETRIA ALTIMETRIA OU HIPSOMETRIA TOPOLOGIA OU GEOMORFOGENIA TAQUEOMETRIA FOTOGRAMETRIA TERRESTRE OU FOTOGRAFIA AÉREA OU AEROFOTOGRAMETRIA GONIOMETRIA
  4. 4. TOPOMETRIA: A Topometria trata de medidas das grandezas lineares e angulares que definem a posição dos pontos topográficos, tanto nos planos horizontais e/ou verticais. A – Planimetria: Na Planimetria, as medidas, tanto lineares como angulares, são efetuadas em planos horizontais, obtendo-se ângulos e distâncias horizontais, não levando em consideração o relevo. B. - Altimetria: As medidas são efetuadas num plano vertical, onde se obtêm os ângulos azimutais e verticais e as distâncias horizontais e verticais (diferença de nível).
  5. 5. TOPOLOGIA: Os trabalhos da altimetria juntado a planimetria dão origem às plantas planialtimétricas. FOTOGRAMETRIA: A Aerofotogrametria é o método de levantamento utilizado para grandes glebas de Terra. Emprega aparelhagens moderníssimas, e cada vez mais aperfeiçoadas, acopladas em aviões, fornecendo fotografias orientadas da superfície da Terra, que podem ser de dois tipos: eixos verticais e inclinados.
  6. 6. 1.1.3. ERROS EM TOPOGRAFIA a) Naturais: são aqueles ocasionados por fatores ambientais b) Instrumentais: são aqueles ocasionados por defeitos ou imperfeições dos instrumentos ou aparelhos utilizados nas medições. c) Pessoais: são aqueles ocasionados pela falta de cuidado do operador. c.1) catenária: c.2) verticalidade das balizas: c.3) Horizontalidade do diastímetro: c.4) Desvio do alinhamento:
  7. 7. DESENHO TOPOGRÁFICO E ESCALA
  8. 8.  O desenho topográfico nada mais é do que a projeção de todas as medidas obtidas no terreno sobre o plano do papel.  Neste desenho, os ângulos são representados em verdadeira grandeza (VG) e as distâncias são reduzidas segundo uma razão constante. "L" = representa qualquer comprimento linear real, medido sobre o terreno. "" = representa um comprimento linear gráfico qualquer, medido sobre o papel, e que correspondente ao comprimento medido sobre o terreno. "M" = é denominado Título ou Módulo da escala e representa o inverso de ( / L).
  9. 9. A escala pode ser apresentada sob a forma de: - fração : 1/100, 1/2000 etc. ou -proporção : 1:100, 1:2000 etc. Podemos dizer ainda que a escala é: - de ampliação : quando  > L (Ex.: 2:1) - natural : quando  = L (Ex.: 1:1) - de redução : quando  < L (Ex.: 1:50)
  10. 10. 2.1 Escala natural A escala natural é quando o desenho for do mesmo tamanho da peça. Teremos a escala assim representadas: 1:1 – (escala um por um) Ex: uns lápis, uma borracha, podem ser desenhados no mesmo tamanho, isto é, escala 1:1 2.2 Escala de redução A escala é de redução quando o desenho de um objeto, por exemplo, uma casa, um armário, um mapa, for feito menor que o tamanho do mesmo. Exemplo: o desenho de uma cadeira terá que ser reduzido para caber no papel. Ex. 1:2, 1:50 . Embora o desenho esteja reduzido as medidas continuam reais.
  11. 11. 2.3 Escala de ampliação A escala é de ampliação quando o objeto real é pequeno, e se deseja desenhar em tamanho maior. Uma peça de relógio, por exemplo: 5:1, 10:1 Desenho - 5:1 - objeto
  12. 12. 2.5. Principais Escalas e suas Aplicações ESCALA EQUIVALÊNCIA EMPREGO 1 km (terreno) 1 cm (desenho) 1/100 10 m 1m Detalhes de edifícios, Terraplenagem, etc. 1/200 5 m 2 m 1/250 4 m 2,5 m 1/500 2 m 5 m Planta de fazenda 1/1000 1 m 10 m Planta de uma vila 1/2000 0,50 m 20 m Planta de uma propriedade, planta cadastral 1/1250 0,80 m 12,5 m Antigo cadastro 1/2500 0,40 m 25 m 1/5000 0,20 m 50 m Planta pequena cidade 1/10.000 0,10 m 100 m Planta de grande propriedade 1/50.000 0,02 m 500 m Carta de diversos países 1/100.000 0,01 m 1.000 m Carta de grandes países 1/200.000 0,005 m 2.000 m Carta aeronáutica 1/500.000 0,002 m 5.000 m Carta reduzida (grande carta inter- Nacional do mundo) 1/1.000.000 0,001 m 10.000 m
  13. 13. GRANDEZAS MEDIDAS EM UM LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO
  14. 14. 3.1. Grandezas Angulares São elas: - Ângulo Horizontal (Hz): é medido entre as projeções de dois alinhamentos do terreno, no plano horizontal.
  15. 15. - Ângulo Vertical (α): é medido entre um alinhamento do terreno e o plano do horizonte. Pode ser ascendente (+) ou descendente (-), conforme se encontre acima (aclive) ou abaixo (declive) deste plano.
  16. 16. 3.2. Grandezas Lineares São elas: - Distância Horizontal (DH): - Distância Inclinada (DI): é a distância medida entre dois pontos, no plano horizontal. - Distância Vertical ou Diferença de Nível (DV ou DN): é a distância medida entre dois pontos, num plano vertical que é perpendicular ao plano horizontal. é a distância medida entre dois pontos, em planos que seguem a inclinação da superfície do terreno.
  17. 17. UNIDADES DE MEDIDA Em Topografia, são medidas duas espécies de grandezas, as lineares e as angulares, mas, na verdade, outras duas espécies de grandezas são também trabalhadas, as de superfície e as de volume.
  18. 18. 4.1. Unidades de Medida Linear  1 polegada = 2,75 cm = 0,0275 m  1 polegada inglesa = 2,54 cm = 0,0254 m  1 pé = 30,48cm = 0,3048 m  1 jarda = 91,44cm = 0,9144m  1 milha brasileira = 2200 m  1 milha terrestre/inglesa = 1609,31 m 4.2. Unidades de Medida Angular  Para as medidas angulares têm-se a seguinte relação: 360º = 400g = 2 π
  19. 19. 4.3. Unidades de Medida de Superfície  1 are = 100 m2  1 acre = 4.046,86 m2  1 hectare (ha) = 10.000 m2  1 alqueire paulista (menor) = 2,42 ha = 24.200 m2  1 alqueire mineiro (geométrico) = 4,84 ha = 48.400 m2 4.4. Unidades de Medida de Volume  litro = 0,001 m3
  20. 20. MEDIÇÃO DE DISTÂNCIAS
  21. 21. 5.1. MÉTODO DE MEDIÇÃO DE DISTÂNCIAS HORIZONTAIS: ♦ - medidas diretas: uma medida é considerada ‘direta’ se o instrumento usado na medida apoiar-se no terreno ao longo do alinhamento, ou seja, se for aplicado no terreno ao longo do alinhamento; ♦ - medidas indiretas: uma medida é considerada ‘indireta’ no caso da obtenção do comprimento de um alinhamento através de medida de outras grandezas com ele relacionada matematicamente; ♦ - medidas eletrônicas: é o caso do comprimento de um alinhamento ser obtido através de instrumento que utilizam o comprimento de onda do espectro eletromagnético ou através de dados emitidos por satélites.
  22. 22. 5.2 DISPOSITIVOS UTILIZADOS NA MEDIÇÃO DE DISTÂNCIAS a) Fita e Trena de Aço
  23. 23. b)Trena de Fibra de Vidro
  24. 24. c) Piquetes e estacas e) Balizas
  25. 25. 5.4. Métodos de Medida com Diastímetros
  26. 26. 5.4.2 VÁRIOS LANCES - PONTOS VISÍVEIS
  27. 27. 5.4.3 Traçado de Perpendiculares b.1)Triângulo Retângulo  Este método consiste em passar por um ponto A, de um alinhamento AB conhecido, uma perpendicular.  Utilizando-se os doze (12) primeiros metros de uma trena, dispõe-se, respectivamente, dos lados 3, 4 e 5 metros de um triângulo retângulo.
  28. 28. • Como indicado na figura abaixo, o 0 e 12 metros estariam coincidentes em C, situado a 3 metros do ponto A. O 7 metro (soma dos lados 3 e 4) e representado pelo ponto D, se ajusta facilmente em função dos pontos A e C já marcados
  29. 29. b.2)Triângulo Isósceles  Como indicado na figura abaixo, o 0 e 12 metros estariam coincidentes em C. O 2 m estaria sobre o alinhamento AB à esquerda de C, definindo o ponto D. O 10 metro estaria sobre o alinhamento AB à direita de C, definindo o ponto E. O ponto F, definido pelo 6 metro, se ajusta facilmente em função dos pontos D e E já marcados.
  30. 30. 5.4.4. Transposição de Obstáculos 5.4.4.1 Pontos extremos do alinhamento não intervisíveis Assim, para que a distância AB possa ser determinada, escolhe-se um ponto C qualquer do terreno de onde possam ser avistados os pontos A e B. Medem-se as distâncias CA e CB e, a meio caminho de CA e de CB são marcados os pontos D e E. A distância DE também deve ser medida.
  31. 31. 5.4.4.2 Pontos extremos do alinhamento visíveis A medida de um alinhamento que corta um brejo, um lago, uma lagoa, ou uma depressão ou uma voçoroca exige que se contorne o obstáculo, através de perpendiculares e paralelas obtidas por ângulos retos podem ser demarcadas com corrente e baliza, utilizando-se os processos dos triângulos retângulos ou isósceles
  32. 32. 5.4.2 Erros de aferição da trena n m r l cxl l = onde: lr = comprimento real da linha; c = comprimento da trena é o valor encontrado ao compará-la como uma trena correta; lm = comprimento medido com a trena não aferida; ln = comprimento nominal da trena represento o valor que ele deveria ter.

×