Vivendo pela fé_1112015_GGR

192 visualizações

Publicada em

O Objetivo deste material e colocar os textos bíblicos diretos em negrito e sublinhado, somados aos escritos de Ellen White que trazem mais luz sobre o assunto, para facilitar o entendimento, e capacitar a responder as questões da lição com maior amplitude.

“Sempre darei a fonte, para que o conteúdo não seja anônimo, e todos tenham a oportunidade de achar, pesquisar e questionar”.

Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2.

Bom Estudo!

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
192
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Vivendo pela fé_1112015_GGR

  1. 1. Lições Adultos Provérbios Lição 11 - Vivendo pela fé 7 a 14 de março ❉ Sábado - “Quem teme ao homem cai em armadilhas, mas quem confia no Senhor está seguro”. Pv 29:25, NVI. Caso não estejais experimentados em discernir os ardis de Satanás, vossa única segurança está na oração. Abri todos os segredos do coração ao exame do Olhar infinito, e rogai a Deus que vos torne puros e fortes, armando-vos inteiramente para os grandes conflitos da vida. A fé aumenta com as batalhas contra as dúvidas; a virtude adquire mais vigor pela resistência à tentação. The Youth's Instructor, abril de 1873. ❉ Domingo - Guardar a lei Ano Bíblico: Js 1–4 ● 1. Leia Provérbios 28:4, 7 e 9. O que esses versos nos dizem sobre a importância da lei na nossa maneira de viver? Pv 28:4-9. (ACF); 4 Os que deixam a lei louvam o ímpio; porém os que guardam a lei contendem com eles. 5 Os homens maus não entendem o juízo, mas os que buscam ao SENHOR entendem tudo. 6 Melhor é o pobre que anda na sua integridade do que o de caminhos perversos ainda que seja rico. 7 O que guarda a lei é filho sábio, mas o companheiro dos desregrados envergonha a seu pai. 8 O que aumenta os seus bens com usura e ganância ajunta-os para o que se compadece do pobre. 9 O que desvia os seus ouvidos de ouvir a lei, até a sua oração será abominável. ► Quem despreza as leis de Deus está apoiando a rebeldia, os que à obedecem lutam contra ela. Pv 28:4. (cf. Gn 3:15; Sl 1:1-6; Ap 12:17; Ap 14:12). O que guarda a lei é filho sábio, mas o companheiro dos desregrados envergonha a seu pai. Pv 28:5. (cf. Ex 20:12; Pv 23:19-22; 1Pe 4:3-4). O que desvia os seus ouvidos de ouvir a lei de Deus, até a sua oração será abominável (Definição: odiosa, detestável, insuportável, execrável, que causa repulsa, horror). Pv 28:9. (cf. Jó 27:9; Sl 109:7; Is 8:16; 8:20; Mt 19:17; Jo 9:31; 15:10). Ninguém que tenha tido a luz da verdade entrará na cidade de Deus como transgressor dos mandamentos. Sua lei constitui o fundamento de Seu governo no Céu e na Terra. Se eles, intencionalmente, espezinharam e desprezaram Sua lei na Terra, não serão levados ao Céu para realizar a mesma obra ali; não haverá modificação do caráter quando Cristo vier. A edificação do caráter deve prosseguir durante o tempo da graça. Dia a dia suas ações são registradas nos livros do Céu, e no grande dia de Deus eles serão recompensados segundo as suas obras. Então será visto quem receberá a bênção. "Bem-aventurados aqueles que guardam os Seus mandamentos, para que tenham direito à árvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas." Apoc. 22:14, Almeida Antiga, margem. Os que atacam a lei de Deus estão guerreando contra o próprio Deus; e muitos que estão cheios de grande amargura contra o povo de Deus que guarda os mandamentos fazem o maior alarde de terem uma vida santa e sem pecado. Isto só pode ser explicado deste modo: eles não possuem um espelho a que possam olhar para descobrir por si mesmos a deformidade de seu caráter. Nem José, nem Daniel, e nenhum dos apóstolos afirmou estar sem pecado. Os homens que viveram mais perto de Deus, os homens que sacrificariam a própria vida de preferência a pecar intencionalmente contra Ele, os homens a quem Deus honrou com divina luz e poder, reconheceram que eram pecadores e indignos de Seus grandes favores. Sentiram sua debilidade, e, pesarosos por seus pecados, procuraram imitar o modelo Jesus Cristo. Fé e Obras, pp. 43-44. cf. Gn 3:15; Ap 12:17; 14:12; Pv 28:4; Ne 1:5; Sl 103:17-22; Mt 5:17-18; Jo 15:10; 1Jo 2:4; 5:2-3. ramos@advir.comramos@advir.com
  2. 2. A Lei de Deus Pode Ser Mudada? Muitos ensinadores religiosos afirmam que Cristo, pela Sua morte, aboliu a lei e, em virtude disso, estão os homens livres de seus requisitos. Alguns há que a representam como um jugo penoso; e em contraste com a servidão da lei apresentam a liberdade a ser desfrutada sob o evangelho. Não foi, porém, assim que profetas e apóstolos consideravam a santa lei de Deus. Disse Davi: "Andarei em liberdade, pois busquei os Teus preceitos." Sal. 119:45. O apóstolo Tiago, que escreveu depois da morte de Cristo, refere-se ao Decálogo como a "lei real" (Tia. 2:8) e a "lei perfeita da liberdade". Tia. 1:25. E o autor do Apocalipse, meio século depois da crucifixão, pronuncia uma bênção aos que guardam os Seus mandamentos, "para que tenham direito à árvore da vida e possam entrar na cidade pelas portas". Apoc. 22:14. A declaração de que Cristo por Sua morte aboliu a lei do Pai, não tem fundamento. Se tivesse sido possível mudar a lei ou pô-la de parte, não teria sido necessário que Cristo morresse para salvar o homem da pena do pecado. ... Separado e Reconciliado - É a obra da conversão e santificação reconciliar os homens com Deus, pondo-os em harmonia com os princípios de Sua lei. No princípio, o homem foi criado à imagem de Deus. Estava em perfeita harmonia com a natureza e com a lei de Deus; os princípios da justiça lhe estavam escritos no coração. O pecado, porém, alienou-o do Criador. Não mais refletia a imagem divina. O coração estava em guerra com os princípios da lei de Deus. "A inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser." Rom. 8:7. Mas "Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito" (João 3:16), para que o homem pudesse reconciliar-se com Ele. Mediante os méritos de Cristo a humanidade pode se restabelecer à harmonia com o Criador. O coração deve ser renovado pela graça divina; deve receber nova vida de cima. Essa mudança é o novo nascimento, sem o que, diz Jesus, o homem "não pode ver o reino de Deus". João 3:3. O primeiro passo na reconciliação com Deus, é a convicção do pecado. "Pecado é a transgressão da lei." I João 3:4. "Pela lei vem o conhecimento do pecado." Rom. 3:20. A fim de ver sua culpa, o pecador deve provar o caráter próprio pela grande norma divina de justiça. É um espelho que mostra a perfeição de um viver justo, habilitando o pecador a discernir seus defeitos de caráter. A lei revela ao homem os seus pecados, mas não provê remédio. Ao mesmo tempo que promete vida ao obediente, declara que a morte é a consequência para o transgressor. Unicamente o evangelho de Cristo o pode livrar da condenação ou contaminação do pecado. Deve ele exercer o arrependimento em relação a Deus, cuja lei transgrediu, e fé em Cristo, seu sacrifício expiatório. Obtém assim "remissão dos pecados dantes cometidos" (Rom. 3:25), e se torna participante da natureza divina. ... Estaria agora na liberdade de transgredir a lei de Deus? Diz Paulo: "Anulamos, pois, a lei pela fé? De maneira nenhuma! Antes, estabelecemos a lei." Rom. 3:31. "Nós que estamos mortos para o pecado, como viveremos ainda nele?" Rom. 6:2. E João declara: "Este é o amor de Deus: que guardemos os Seus mandamentos; ora, os Seus mandamentos não são penosos." I João 5:3. No novo nascimento o coração é posto em harmonia com Deus, ao colocar-se em conformidade com a Sua lei. Quando essa poderosa transformação se efetua no pecador, passou ele da morte para a vida, do pecado para a santidade, da transgressão e rebelião para a obediência e lealdade. Reavivamento e Seus Resultados, pp. 11-13. ❉ Segunda - Buscar o Senhor Ano Bíblico: Js 5–8 ● 2. Leia Gálatas 3:24 em seu contexto. De que forma a lei aponta para Jesus, a fim de que possamos ser “justificados por fé”? Gl 3:24. (kja); 24 Desse modo, a Lei se tornou nosso tutor a fim de nos conduzir a Cristo, para que por intermédio da fé fôssemos justificados. ► De maneira que a lei nos serviu de professor, para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados. Gl 3:24; 4:1-7; Rm 7:7-13. (cf. Mt 5:17; At 13:38; Rm 10:4; Tg 4:11). A lei nos mostra claramente que somos pecadores e que precisamos de Jesus Cristo como nosso único substituto é Salvador. At 4:12. (cf. Mt 1:21; At 10:43; 1Tm 2:5; 1Jo 2:12). "A lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados." Gál. 3:24. ramos@advir.comramos@advir.com
  3. 3. Nesta passagem, o Espírito Santo, pelo apóstolo, refere-se especialmente à lei moral. A lei nos revela o pecado, levando-nos a sentir nossa necessidade de Cristo e a fugirmos para Ele em busca de perdão e paz mediante o arrependimento para com Deus e a fé em nosso Senhor Jesus Cristo. ... A lei dos Dez Mandamentos não deve ser considerada tanto do lado proibitivo, como do lado da misericórdia. Suas proibições são a segura garantia de felicidade na obediência. Recebida em Cristo, ela opera em nós a purificação do caráter que nos trará alegria através dos séculos da eternidade. Para os obedientes é ela um muro de proteção. Contemplamos nela a bondade de Deus que, revelando aos homens os imutáveis princípios da justiça, procura resguardá-los dos males que resultam da transgressão. Não devemos olhar a Deus como aguardando o momento de punir o pecador por causa de seus pecados. O pecador mesmo acarreta sobre si a punição. Suas próprias ações dão princípio a uma cadeia de circunstâncias que trazem o resultado definido. Cada ato de transgressão reflete sobre o pecador, opera nele uma mudança de caráter e torna-lhe mais fácil transgredir de novo. Preferindo pecar, separam-se os homens de Deus, excluem-se do conduto de bênçãos, e o resultado certo é a ruína e morte. A lei é uma expressão do pensamento de Deus. Quando a recebemos em Cristo ela se torna nosso pensamento. Ergue-nos acima do poder dos desejos e tendências naturais, acima das tentações que levam ao pecado. "Muita paz têm os que amam a Tua lei, e para eles não há tropeço" (Sal. 119:165) - coisa alguma os levará a tropeçar. Não há paz na injustiça; os ímpios estão em guerra contra Deus. Aquele, porém, que recebe a justiça da lei em Cristo, está em harmonia com o Céu. "A misericórdia e a verdade se encontraram; a justiça e a paz se beijaram." Sal. 85: 10. Carta 96, 1896. “Qual é o testemunho de Paulo referente a Lei moral de Deus” O testemunho de Paulo, sobre a lei, é: "Que diremos, pois? É a lei pecado [o pecado está no homem, não na lei]? De modo nenhum! Mas eu não conheci o pecado senão pela lei; porque eu não conheceria a concupiscência, se a lei não dissesse: Não cobiçarás. Mas o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, despertou em mim toda a concupiscência: porquanto, sem a lei, estava morto o pecado. E eu, nalgum tempo, vivia sem lei, mas, vindo o mandamento, reviveu o pecado, e eu morri; e o mandamento que era para vida, achei eu que me era para morte. Porque o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, me enganou e, por ele, me matou. Rom. 7:7-11. O pecado não matou a lei, mas esta matou em Paulo a mente carnal. "Agora estamos livres da lei", declara ele, "pois morremos para aquilo em que estávamos retidos; para que sirvamos em novidade de espírito, e não na velhice da letra." Rom. 7:6. "Logo, tornou-se-me o bom em morte? De modo nenhum; mas o pecado, para que se mostrasse pecado, operou em mim a morte pelo bem; a fim de que pelo mandamento o pecado se fizesse excessivamente maligno." Rom. 7:13. "E assim a lei é santa, e o mandamento santo, justo e bom." Rom. 7:12. Paulo chama a atenção de seus ouvintes para a lei quebrantada, e mostra-lhes em que são culpados. Instrui-os como um mestre-escola instrui seus alunos, e mostra-lhes o caminho de volta para a fidelidade a Deus. Não há segurança nem repouso nem justificação na transgressão da lei. Não pode o homem esperar colocar-se inocente diante de Deus e em paz com Ele, mediante os méritos de Cristo, se ao mesmo tempo continua em pecado. Tem de deixar de transgredir, e tornar-se leal e verdadeiro. Ao olhar o pecador para o grande espelho moral, vê seus defeitos de caráter. Vê-se a si mesmo tal qual é, maculado, corrupto e condenado. Sabe, porém, ele que a lei não pode, de modo algum, remover a culpa ou perdoar ao transgressor. Tem de ir mais longe que isso. A lei é apenas o aio para levá-lo a Cristo. Tem de ele olhar para seu Salvador, o portador dos pecados. E ao ser-lhe revelado Cristo na cruz do Calvário, morrendo sob o peso dos pecados de todo o mundo, o Espírito Santo lhe mostra a atitude de Deus para com todos os que se arrependem de suas transgressões. "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna." João 3:16. Mensagens Escolhidas v. 1. pp. 212-213. ● 3. Leia Provérbios 28:5. Qual é a chave para que estejamos entre os que “entendem tudo”? Pv 28:5. (ACF); 5 Os homens maus não entendem o juízo, mas os que buscam ao SENHOR entendem tudo. ► Os homens maus não compreendem a justiça (conformidade com a lei) de Deus; mas os que buscam ao Senhor a entendem plenamente. Pv 28:5. cf. Sl 73:16-17; Ec 12:13-14; Is 8:16; Is 8:20; 1Co 2:14-15; Tg 1:5 ramos@advir.comramos@advir.com
  4. 4. "O temor do Senhor é o princípio da sabedoria." Prov. 9:10. "A revelação das Tuas palavras esclarece e dá entendimento aos simples." Sal. 119:130. "Se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e ser-lhe-á dada." Tia. 1:5. Essa promessa é de maior valia do que ouro e prata. Se com o coração humilde buscardes a direção divina em qualquer dificuldade ou embaraço que tiverdes, Sua palavra vos será garantida de que vos será dada resposta misericordiosa. E Sua palavra não pode falhar. Testemunhos Seletos, vol. 2, págs. 136 e 137. ❉ Terça - Palavras para o rico Ano Bíblico: Js 9–13 ● 4. Leia 1 João 2:15-17. Contra o que estamos sendo advertidos, e como podemos nos proteger do perigo ao qual esses versos se referem? 1Jo 2:15-17. (ACF); 15 Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. 16 Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. 17 E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre. ► O conselho divino em 1Jo 2:15-17 é: Deixem de amar este mundo mau e tudo o que ele lhes oferece, pois quando vocês amam estas coisas mostram que realmente não amam a Deus; (Rm 12:2; Gl 1:10; Tg 1:27; 4:4) porque todas estas coisas mundanas, estes maus desejos - a loucura pelo sexo, a ambição de comprar tudo o que atrai vocês e o orgulho que resulta da riqueza e do prestígio - não provêm de Deus, e sim deste mundo pecaminoso. (Tt 2:12); O mundo e a sua cobiça passam, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre. (Sl 90:10; Is 40:6; 1Co 7:31; Tg 1:10-11; 4:14; 1Pe 1:24). A conformidade com o mundo pode ser evitada pela verdade, pelo alimentar-se da Palavra de Deus, pelos seus princípios a circularem em toda a corrente vital e expressando essa palavra no caráter. Cristo, pelo apóstolo João, exorta-nos: "Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele." I João 2:15. Isto é linguagem positiva, mas é a medida divina do caráter de todo homem. Manuscrito 37, 1896. Se nos aventurarmos no terreno de Satanás não teremos nenhuma garantia de proteção de seu poder. Tanto quanto estiver em nós, devemos fechar todas as avenidas por onde o tentador possa ter acesso em nós. O Maior Discurso de Cristo, p. 171. Os prazeres mundanos são absorventes; e para desfrutar sua alegria momentânea muitos sacrificam a amizade do Céu, com sua paz, amor e alegria. Mas esses procurados objetos de deleite logo se tornam amargurantes, insatisfatórios. O Lar Adventista, p. 521. ❉ Quarta - Manual para os pobres Ano Bíblico: Js 14–17 ● 5. Leia Provérbios 29:13. O que está sendo discutido nesse texto? Pv 29:13. (NVI); 13 O pobre e o opressor têm algo em comum: O Senhor dá vista a ambos. ► O pobre e o opressor têm algo em comum; a luz (vida) que ilumina a ambos foi dada por Deus. Pv 29:13; 22:2. cf. Ex 22:25-26; Lv 25:35-37; 1Sm 2:7-8; Ne 5:5-7; Jó 31:15; 34:19; Sl 13:3; Pv 14:31; Mt 5:44-45; Ef 2:1; Tg 2:2-5 O único remédio para os pecados e sofrimentos dos homens é Cristo. Unicamente o evangelho de Sua graça pode curar os males que amaldiçoam a sociedade. A injustiça do rico para com o pobre, e o ódio dos pobres para com os ricos, ambos têm a raiz no egoísmo; e este, somente pode ser desarraigado pela submissão a Cristo. Ele, unicamente, substitui o cobiçoso coração do pecado pelo novo coração de amor. Preguem os ramos@advir.comramos@advir.com
  5. 5. servos de Cristo o evangelho com o Espírito enviado do Céu e como Ele trabalhem para o benefício dos homens. Então, hão de se manifestar no abençoar e soerguer a humanidade, resultados cuja realização seria totalmente impossível pelo poder humano. Parábolas de Jesus, pág. 254. ● 6. Qual é a mensagem de Provérbios 28:3? Pv 28:3. (Sec. XXI); 3 O pobre que oprime os pobres é como a chuva impetuosa que não deixa trigo nenhum. ► O pobre que se passa a ter mais condições financeiras e oprime os que são mais pobres do que ele, é como uma chuva violenta, destruindo o pouco que esses possuem. Pv 28:3. (conselho Dt 24:14). O pobre mais do que ninguém não deve oprimir a outro pobre, já que ele mesmo sabe o que é ser oprimido. Ex 22:21; 23:9; Pv 28:15-16; Mt 18:21-35 Deus havia também instruído a Moisés: "Se emprestares dinheiro ao Meu povo, ao pobre que está contigo, não te haverás com ele como um usurário; não lhe imporeis usura." Êxo. 22: 25. "A teu irmão não emprestarás à usura: nem à usura de dinheiro, à usura de comida, nem à usura de qualquer coisa que se empreste à usura." Deut. 23:19. Em outra ocasião Ele havia dito: "Quando entre ti houver algum pobre de teus irmãos, em algumas das tuas portas, na tua terra que o Senhor teu Deus te dá, não endurecerás o teu coração, nem fecharás a tua mão a teu irmão que for pobre; antes lhe abrirás de todo a tua mão, e livremente lhe emprestarás o que lhe falta, quanto baste para a sua necessidade." "Pois nunca cessará o pobre do meio da terra; pelo que te ordeno, dizendo: Livremente abrirás a tua mão para o teu irmão, para o teu necessitado, e para o teu pobre na tua terra." Deut. 15:7, 8 e 11. Profetas e Reis, p. 647. ● 7. Qual é a mensagem de Provérbios 28:6? Pv 28:6. (JFA-RC); 6 Melhor é o pobre que anda na sua sinceridade do que o de caminhos perversos, ainda que seja rico. ► Ser íntegro é melhor e mais importante do que ser rico e andar em caminhos perversos. cf. Sl 37:16; Pv 15:16; Mt 6:25-34; 1Tm 6:6-10; Hb 13:5 1Tm 6:6-10. (NVI); 6 De fato, a piedade com contentamento é grande fonte de lucro, (Pv 15:16; 16:8; Fp 4:11; Hb 13:5; Ap 2:9). 7 pois nada trouxemos para este mundo e dele nada podemos levar; (Jó 1:21; 27:19; Sl 49:17; Lc 12:15). 8 por isso, tendo o que comer e com que vestir-nos, estejamos com isso satisfeitos. (Sl 55:22; Pv 27:26; Mt 6:25; Lc 12:22; Fp 4:6; Hb 13:5; 1Pe 5:7). 9 Os que querem ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitos desejos descontrolados e nocivos, que levam os homens a mergulharem na ruína e na destruição, (Pv 11:28; Mt 13:22; Mc 4:19; Lc 8:14; Tg 5:1). 10 pois o amor ao dinheiro é raiz de todos os males. Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram a si mesmas com muitos sofrimentos. (Ex 23:8; Dt 16:19; Pv 15:16; Rm 7:7). O primeiro passo na vida é manter a mente fixa em Deus, ter sempre diante dos olhos o Seu temor. Um único desvio da integridade moral embota a consciência e abre a porta à tentação seguinte. "Quem anda em sinceridade anda seguro, mas o que perverte os seus caminhos será conhecido." É-nos ordenado amar a Deus sobre todas as coisas, e ao próximo como a nós mesmos; a diária experiência da vida, entretanto, mostra que essa lei é rejeitada. A sinceridade no trato e a integridade moral assegurarão o favor de Deus, e tornarão o homem uma bênção para si mesmo e para a sociedade; mas em meio da variedade de tentações que assaltam uma pessoa em qualquer parte para onde se vire, impossível é manter uma consciência limpa e a aprovação do Céu sem auxílio divino e o princípio de amar o que é reto por amor da própria justiça. Um caráter aprovado por Deus e pelo homem é preferível à riqueza. É preciso pôr-se um fundamento amplo e profundo, assentado na rocha - Cristo Jesus. Muitos há que professam trabalhar baseados no verdadeiro fundamento, e cuja frouxidão nos tratos mostra que estão construindo em areia movediça; mas a grande tempestade lhes varrerá o fundamento, e não terão refúgio. ... Veem porventura essas pessoas o futuro? Ou estão seus olhos demasiado fracos para ver, através da cerração carregada de corrupção do mundo, que a honra e a integridade não se galardoam em moedas deste mundo? Recompensará Deus a virtude meramente com o êxito mundano? Ele lhes tem os nomes gravados nas palmas de Suas mãos, como herdeiros de honras perduráveis, riquezas imperecíveis. Signs of the Times, 7 de fevereiro de 1884. ramos@advir.comramos@advir.com
  6. 6. E o salmista pergunta: "Senhor, quem habitará no Teu tabernáculo? quem morará no Teu santo monte? Aquele que anda em sinceridade, e pratica a justiça, e fala verazmente segundo o seu coração; aquele que não difama com a sua língua, nem faz mal ao seu próximo, nem aceita nenhuma afronta contra o seu próximo." Sal. 15:1- 3. Review and Herald, 12 de maio de 1910. ❉ Quinta - Amar a verdade Ano Bíblico: Js 18–21 Em todas as pessoas há uma tendência natural de ser mais sentimentais que práticas. Em vista desse fato, é importante que os pais, na educação dos filhos, lhes dirijam e eduquem a mente para amar a verdade, o dever e a abnegação, e para possuir nobre independência na escolha do que é direito, ainda que a maioria escolha estar errada. Orientação da Criança, pág. 424. ● 8. Leia Provérbios 29:15 (ver também v. 19). Que importante princípio é visto no texto, não só na área da educação, mas da vida em geral? Pv 29:15. (JFA-RC); 15 A vara e a repreensão dão sabedoria, mas o rapaz entregue a si mesmo envergonha a sua mãe. Pv 29:19. (JFA-RC); O servo não se emendará com palavras, porque, ainda que te entenda, não te atenderá. ► A vara (vara ou cetro na aplicação é autoridade Et 5:2; 8:4; Ap 12:5) da disciplina (1.º ensino, por preceito e exemplo. 2.º desaprovação pelo erro 3.º repreensão com amor indicando a direção correta. 4.º punição, castigo que é o resultado ou consequência escolhida pelo rebelde ao rejeitar a regra pre-estabelecida.) e as palavras da repreensão dão sabedoria (2Tm 3:16-17), mas a criança entregue aos seus próprios desejos envergonha a sua mãe. Pv 29:15. (cf. Pv 10:1; 13:24; 17:21, 25; 22:15; 23:13). Disciplina: Do Heb. Towkechah e towkachath; desaprovação, argumento, ensino, repreensão, reprimenda, censura, correção, punição, castigo. Criança: Do Heb. na Ìar; menino, moço, servo, jovem, servo, criado. ► Para corrigir o rebelde (o que é contra as leis, desregrado), você precisa algo mais do que simples palavras, quando ele não respeita a ordem, as autoridades e nem o ensino dos mais experientes. Pv 29:19. (cf. Pv 26:3; 10:13; 17:10; 19:25; Sl 32:9-10; 1Co 4:21). Nem todos têm aptidão para corrigir os errantes. Não têm bastante sabedoria para lidar com justiça, e ao mesmo tempo amar a misericórdia. Não se inclinam a ver a necessidade de misturar amor e terna compaixão com a fiel repreensão. Alguns são sempre desnecessariamente severos e não sentem a necessidade da ordem do apóstolo: "E compadecei-vos de alguns que estão na dúvida; salvai-os, arrebatando- os do fogo." Jud. 22 e 23. Testimonies, vol. 3, págs. 269 e 270. ❉ Sexta - Estudo adicional Ano Bíblico: Dt 29–31 “As leis de Deus têm seu fundamento na mais imutável retidão, e são constituídas de maneira que proverão a felicidade dos que as guardam. […] A religião põe os homens em relação pessoal com Deus, porém não de maneira exclusiva; pois os princípios do Céu devem ser vividos para que possam ajudar a beneficiar a humanidade” (Ellen G. White, Filhos e Filhas de Deus [MM 1956], 267). “A total negligência em educar os filhos para Deus tem perpetuado o mal e lançado nas fileiras do inimigo muitos que, com judicioso cuidado, poderiam ter sido coobreiros de Cristo. Ideias falsas e uma afeição tola e mal direcionada formaram traços que tornaram os filhos infelizes e desencantados, amargurando a vida dos pais e estendendo sua funesta influência de geração em geração. Uma criança a quem se permite seguir os próprios caminhos desonraria a Deus e envergonharia pai e mãe. […] Negligenciando o dever e condescendendo com os erros dos filhos, os pais cerram para si mesmos os portais da cidade de Deus” (Ellen G. White, Testemunhos Para a Igreja, v. 5, p. 325, 326). ramos@advir.comramos@advir.com

×