Suportando a provação_342014_GGR

192 visualizações

Publicada em

O Objetivo deste material e colocar os textos bíblicos diretos em negrito e sublinhado, somados aos escritos de Ellen White que trazem mais luz sobre o assunto, para facilitar o entendimento, e capacitar a responder as questões da lição com maior amplitude.

“Sempre darei a fonte, para que o conteúdo não seja anônimo, e todos tenham a oportunidade de achar, pesquisar e questionar”.

Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2.

Bom Estudo!

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
192
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Suportando a provação_342014_GGR

  1. 1. Lições Adultos Carta de Tiago Lição 3 - Suportando a provação 11 a 18 de outubro Sábado - “Bem-aventurado o homem que suporta, com perseverança, a provação; porque, depois de ter sido aprovado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor prometeu aos que O amam. Tg 1:12. A mais forte tentação não pode desculpar o pecado. Por grande que seja a pressão exercida sobre a mente, a transgressão é ato nosso. Não está no poder da Terra nem do inferno, obrigar a quem quer que seja a fazer o mal. Satanás nos ataca nos pontos mais fracos, mas não precisamos ser vencidos. Por severo e inesperado que seja o ataque, Deus nos proveu auxílio, e em Sua força podemos vencer. Na hora da maior necessidade, quando o desânimo domina a vida, então é que Jesus Se aproxima bem perto. A hora da necessidade do homem é a oportunidade de Deus. Ele vê nosso perigo e nos provê auxílio. Sem ser visto por nós, Ele nos salva do inimigo. Louvemo-Lo a toda hora. Review and Herald, 18 de abril de 1907. Os que se volvem para Deus de espírito, alma e coração, nEle encontrarão tranquila segurança. ... Ele sabe justamente o que necessitamos, justamente o que nos é possível suportar, e dar-nos-á graça para resistir a toda prova. ... Minha constante oração é para que chegue a maior proximidade de Deus. Manuscrito 20, 1892. Os que submetem a vida a Sua direção e a Seu serviço, jamais se verão colocados numa posição para a qual Ele não haja tomado providências. Seja qual for nossa situação, se somos cumpridores de Sua Palavra, temos um Guia a nos dirigir o caminho. A Ciência do Bom Viver, págs. 248 e 249. Domingo - A raiz da tentação Ano Bíblico: Mt 24–26 1. Leia Tiago 1:13, 14. Onde a tentação se origina e como esse conhecimento pode ser útil em nossa luta contra o pecado? 13 Quando tentado, ninguém deve dizer: Sou tentado por Deus, pois Deus não pode ser tentado pelo mal e a ninguém tenta. 14 Mas cada um é tentado quando atraído e seduzido por seu próprio desejo. Tg 1:13-14, Séc XXI "E não nos deixes cair em tentação; mas livra-nos do mal." Mat. 6:13. A tentação é um estímulo a pecar, e isto não procede de Deus, mas de Satanás, e do mal que há em nosso próprio coração. "Deus não pode ser tentado pelo mal e a ninguém tenta." Tia. 1:13. Satanás procura levar-nos à tentação, a fim de que o mal que existe em nosso caráter se possa revelar perante os homens e os anjos, de modo que ele nos reivindique como seus. Na simbólica profecia de Zacarias, vê-se Satanás à direita do Anjo do Senhor, acusando Josué, o sumo sacerdote, o qual está vestido de vestidos sujos, e resistindo (o diabo) à obra que o Anjo deseja fazer em favor dele. Isto representa a atitude de Satanás para com toda alma a quem Cristo busca atrair para Si. O inimigo nos induz ao pecado, e depois nos acusa em face do universo celeste como indignos do amor de Deus. Mas "o Senhor disse a Satanás: O Senhor te repreende, ó Satanás; sim, o Senhor, que escolheu Jerusalém, te repreende; não é este um tição tirado do fogo?" Zac. 3:2. E disse a Josué: "Eis que tenho feito com que passe de ti a tua iniquidade e te vestirei de vestes novas." Zac. 3:4. Deus, em Seu grande amor, procura desenvolver em nós as preciosas graças do Seu Espírito. Permite que enfrentemos obstáculos, perseguições e dificuldades, não como uma maldição, mas como a maior bênção de nossa vida. Toda tentação resistida, toda provação valorosamente suportada, traz-nos uma nova experiência, levando-nos avante na obra da edificação do caráter. A alma que, mediante o poder divino, resiste à tentação, revela ao mundo e ao universo celeste a eficácia da graça de Cristo. O Maior Discurso de Cristo, 117-118. 2. Leia Efésios 6:17; Salmo 119:11; Lucas 4:8. Que tema comum é visto nesses textos, e como isso se relaciona à questão da vitória sobre a tentação? rraammooss@@aaddvviirr..ccoomm
  2. 2. Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; Ef 6:17, Séc XXI Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti. Salmo 119:11, ACF E Jesus, respondendo, disse-lhe: Vai-te para trás de mim, Satanás; porque está escrito: Adorarás o SENHOR teu Deus, e só a ele servirás. Lc 4:8, ACF. “O plano da redenção visa à nossa completa libertação do poder de Satanás. Cristo separa sempre do pecado a alma contrita. Veio para destruir as obras do diabo, e tomou providências para que o Espírito Santo fosse comunicado a toda pessoa arrependida, para guardá-la de pecar”. O Desejado de Todas as Nações, p. 311. "Vem o príncipe do mundo", disse Jesus; "ele nada tem em Mim." João 14:30. Nada havia nEle que correspondesse aos sofismas de Satanás. Ele não consentia com o pecado. Nem por um pensamento cedia à tentação. O mesmo se pode dar conosco. A humanidade de Cristo estava unida à divindade; estava habilitado para o conflito, mediante a presença interior do Espírito Santo. E veio para nos tornar participantes da natureza divina. Enquanto a Ele estivermos ligados pela fé, o pecado não mais terá domínio sobre nós. Deus nos toma a mão da fé, e a leva a apoderar-se firmemente da divindade de Cristo, a fim de atingirmos a perfeição de caráter. E a maneira por que isso se realiza, Cristo no-la mostrou. Por que meio venceu no conflito contra Satanás? - Pela Palavra de Deus. Unicamente pela Palavra pôde resistir à tentação. "Está escrito", dizia. E são-nos dadas "grandíssimas e preciosas promessas, para que por elas fiqueis participantes da natureza divina, havendo escapado da corrupção, que pela concupiscência há no mundo". II Ped. 1:4. Toda promessa da Palavra de Deus nos pertence. "De tudo que sai da boca de Deus" havemos de viver. Quando assaltados pela tentação, não olheis às circunstâncias, ou à fraqueza do próprio eu, mas ao poder da Palavra. Pertence-vos toda a sua força. "Escondi a Tua Palavra no meu coração", diz o Salmista, "para eu não pecar contra Ti." Sal. 119:11. "Pela Palavra dos Teus lábios me guardei das veredas do destruidor." Sal. 17:4. O Desejado de Todas as nações, 123. Temos todavia uma obra a fazer a fim de resistirmos à tentação. Aqueles que não querem ser presa dos ardis de Satanás devem bem guardar as entradas da alma; devem evitar ler, ver, ou ouvir aquilo que sugira pensamentos impuros. A mente não deve ser deixada a divagar ao acaso em todo o assunto que o adversário das almas possa sugerir. "Cingindo os lombos do vosso entendimento", diz o apóstolo Pedro, "sede sóbrios, ... não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância; mas, como é santo Aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver." I Ped. 1:13-15. Diz Paulo: "Tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai." Filip. 4:8. Isto exigirá oração fervorosa e incessante vigiar. Devemos ser auxiliados pela influência permanente do Espírito Santo, que atrairá a mente para cima, e habituá-la-á a ocupar-se com coisas puras e santas. E devemos fazer estudo diligente da Palavra de Deus. "Como purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a Tua Palavra. Escondi a Tua Palavra no meu coração," diz o salmista, "para eu não pecar contra Ti." Sal. 119:9 e 11. Patriarcas e Profetas, pág. 460. Segunda - Quando a cobiça concebe Ano Bíblico: Mt 27, 28 3. Leia Tiago 1:13-15. Quando a tentação se torna pecado? 13 Ninguém, sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta. 14 Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência. 15 Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte. Tg 1:13-15, ACF Toda desobediência leva o ser humano à condenação, provocando o desagrado divino. Os pensamentos do coração são discernidos por Deus. Quando os pensamentos impuros são acariciados, não necessitam ser expressos em palavras ou atos para consumar o pecado e trazer condenação à alma. Sua pureza é manchada, e o tentador triunfou. rraammooss@@aaddvviirr..ccoomm
  3. 3. Todo homem é tentado quando atraído e engodado por suas próprias concupiscências. É desviado do caminho da virtude e do verdadeiro bem por seguir as próprias inclinações. Se a juventude possuísse integridade moral, as mais poderosas tentações inutilmente lhe seriam apresentadas. É a ação de Satanás tentar-vos; é vossa a de ceder-lhe. Não se acha no poder de todo o exército satânico o forçar o tentado a transgredir. Não há desculpa para o pecado. Enquanto alguns dos jovens estão desperdiçando suas energias em vaidade e extravagância, outros estão disciplinando a mente, acumulando conhecimentos, revestindo-se da armadura para empenhar-se na batalha da vida, decididos a torná-la um sucesso. Não poderão, no entanto, ter êxito na vida, por mais alto que tentem galgar, a menos que concentrem em Deus as suas afeições. Se se voltarem para o Senhor de todo o coração, rejeitando as lisonjas dos que desejem, no mínimo grau, enfraquecer-lhes o desígnio de proceder retamente, terão força e confiança em Deus. Mensagens aos Jovens, 429-430. 4. Leia Gênesis 3:1-6. A experiência de Eva ilustra vividamente o conflito com o pecado. Que passos a levaram ao pecado? 1 Ora, a serpente era mais astuta que todas as alimárias do campo que o SENHOR Deus tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda a árvore do jardim? 2 E disse a mulher à serpente: Do fruto das árvores do jardim comeremos, 3 Mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis para que não morrais. 4 Então a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis. 5 Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal. 6 E viu a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento; tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela. Gn 3:1-6, ACF Os anjos haviam advertido Eva de que tivesse o cuidado de não se afastar do esposo enquanto se ocupavam com seu trabalho diário no jardim; junto dele estaria em menor perigo de tentação, do que se estivesse sozinha. Mas, absorta em sua aprazível ocupação, inconscientemente se desviou de seu lado. Percebendo que estava só, sentiu uma apreensão de perigo, mas afugentou seus temores, concluindo que ela possuía sabedoria e força suficientes para discernir o mal e resistir-lhe. Esquecida do aviso do anjo, logo se achou a contemplar, com um misto de curiosidade e admiração, a árvore proibida. O fruto era muito belo, e ela perguntava a si mesma porque seria que Deus os privara do mesmo. Era então a oportunidade do tentador. Como se fosse capaz de distinguir as cogitações de seu espírito, a ela assim se dirigiu: "É assim que Deus disse: Não comereis de toda a árvore do jardim?" Gên. 3:1. Eva ficou surpresa e admirada quando assim pareceu ouvir o eco de seus pensamentos. ... À pergunta ardilosa do tentador, ela responde: "Do fruto das árvores do jardim comeremos, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: não comereis dele, nem nele tocareis, para que não morrais". Então a serpente disse à mulher: "Certamente não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal." … Tal tem sido a obra de Satanás desde os dias de Adão até o presente, e com a mesma tem ele prosseguido com grande êxito. Ele tenta os homens a desconfiarem do amor de Deus, e a duvidarem de Sua sabedoria. Está constantemente procurando despertar um espírito de irreverente curiosidade, um inquieto, inquiridor desejo de penetrar os segredos da sabedoria e poder divinos. Em seus esforços para pesquisarem o que Deus foi servido recusar-lhes, multidões descuidam-se das verdades que Ele revelou, e que são essenciais para a salvação. Patriarcas e Profetas, págs. 53-55. Terça - Toda boa dádiva e todo dom perfeito Ano Bíblico: Mc 1–3 5. Como a representação de Tiago acerca do novo nascimento se compara com as descrições feitas por Paulo e Pedro? Tt 3:5-7; 1Pe 1:23 16 Não erreis, meus amados irmãos. 17 Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação. 18 Segundo a sua vontade, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como primícias das suas criaturas. Tg 1:16-18, ACF 5 Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo, 6 Que abundantemente ele derramou sobre nós por Jesus Cristo nosso Salvador; 7 Para que, sendo justificados pela sua graça, sejamos feitos rraammooss@@aaddvviirr..ccoomm
  4. 4. herdeiros segundo a esperança da vida eterna. Tt 3:5-7, ACF Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva, e que permanece para sempre. 1Pe 1:23, ACF O plano de Cristo é o único que é seguro. Ele declara: "Eis que faço novas todas as coisas". Apoc. 21:5. "Se alguém está em Cristo, é nova criatura." II Cor. 5:17. … A religião de remendos não tem o menor valor diante de Deus. Ele requer todo o coração. SDA Bible Commentary, vol. 6, pág. 1.101. A mudança do coração representada pelo novo nascimento somente poderá ser levada a efeito pela atuação efetiva do Espírito Santo. ... O orgulho e o amor-próprio resistem ao Espírito de Deus; toda inclinação natural do ser humano se opõe à transformação da altivez e soberba na mansidão e humildade de Cristo. Se quisermos, porém, andar no caminho de vida eterna, não devemos escutar as insinuações do eu. Com humildade e contrição devemos suplicar a nosso Pai celestial: "Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova em mim um espírito reto." Sal. 51:10. À medida que recebemos a divina luz e cooperamos com a iniciativa do Céu, somos "nascidos de novo" e livres da mancha do pecado pelo poder de Cristo. The Youth's Instructor, 9 de setembro de 1897. O grandioso poder do Espírito Santo realiza uma completa transformação no caráter do homem, fazendo dele uma nova criatura em Cristo Jesus. ... As palavras e os atos expressam o amor do Salvador. Nenhum deles disputa o lugar mais elevado. O eu é renunciado. O nome de Jesus é escrito em tudo o que se diz e que se faz. Review and Herald, 10 de junho de 1902. Não é isto, a transformação do homem, o maior milagre que se pode realizar? O que não poderia fazer o instrumento humano quando pela fé se apossa do poder divino? Testimonies, vol. 9, pág. 152. Quarta - Tardio para falar Ano Bíblico: Mc 4–6 6. Leia Tiago 1:19, 20. Que ponto importante ele apresenta nesse texto? 19 Portanto, meus amados irmãos, todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar. 20 Porque a ira do homem não opera a justiça de Deus. Tg 1:19-20, ACF A mansidão, na escola de Cristo, é um dos assinalados frutos do Espírito. É uma virtude produzida pelo Espírito Santo como agente santificador, e habilita seu possuidor a controlar, em todo tempo, um temperamento impulsivo e impetuoso. Quando a virtude da mansidão é acalentada pelos que, por natureza, são de uma disposição irritadiça e colérica, eles farão os maiores esforços para dominar seu infeliz temperamento. Cada dia ganharão domínio próprio, até que seja vencido o que é rude e dessemelhante a Jesus. Tornam-se cada vez mais semelhantes ao Modelo Divino, até poderem obedecer à ordem inspirada: "Pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar." Tia. 1:19. Quando alguém alega estar santificado e, no entanto, em palavras e ações, pode ser representado pela fonte impura que emite águas amargas, podemos seguramente dizer: Essa pessoa está enganada. Ela precisa aprender o próprio alfabeto do que constitui a vida de um cristão. Alguns que professam ser servos de Cristo têm, por tão longo tempo, acalentado o espírito de aspereza, que parecem amar o elemento profano e ter prazer em proferir palavras que desgostam e irritam. Tais homens precisam converter-se antes que Cristo os reconheça como Seus filhos. A mansidão é o adorno interior a que Deus atribui grande valor. O apóstolo fala dela como sendo mais excelente e valiosa do que ouro, pérolas ou vestuário dispendioso. O adorno exterior apenas embeleza o corpo mortal, ao passo que a virtude da mansidão adorna o coração e põe o homem finito em conexão com o Deus infinito. Este é o ornamento da própria escolha de Deus. Aquele que ornamentou os céus com as esferas de luz prometeu que, pelo mesmo Espírito, "adornará os mansos com a salvação". Sal. 149:4. Os anjos do Céu registrarão como melhor adornados aqueles que se revestem do Senhor Jesus Cristo e andam com Ele em mansidão e humildade de espírito. Review and Herald, 18 de janeiro de 1881. “Quando todas as outras vozes silenciam e, em sossego, esperamos diante dEle, o silêncio da alma torna mais distinta a voz de Deus. Ele nos manda: ‘Aquietai-vos e sabei que Eu sou Deus’” (Sl 46:10). A Ciência do Bom Viver, p. 58. 7. O que as seguintes passagens ensinam sobre as palavras? Pv 15:1; Is 50:4; Ef 4:29; 5:4; Cl 4:6 rraammooss@@aaddvviirr..ccoomm
  5. 5. A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira. Pv 15:1, ACF O Senhor DEUS me deu uma língua erudita, para que eu saiba dizer a seu tempo uma boa palavra ao que está cansado. Ele desperta-me todas as manhãs, desperta-me o ouvido para que ouça, como aqueles que aprendem. Is 50:4, ACF Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem. Ef 4:29, ACF Não haja obscenidade nem conversas tolas nem gracejos imorais, que são inconvenientes, mas, ao invés disso, ação de graças. Ef 5:4, NVI A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como vos convém responder a cada um. Cl 4:6, ACF O apóstolo, vendo a tendência que havia, de abusar do dom da fala, dá instruções quanto ao seu uso. "Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe", diz ele, "mas só a que for boa para promover a edificação." Palavra "torpe" aqui quer dizer qualquer palavra que dê impressão deprimente aos princípios santos e à religião pura, qualquer comunicação que ofusque a doutrina de Cristo, e apague da mente a verdadeira simpatia e amor. Inclui sugestões impuras, que, a menos que se lhes resista instantaneamente, levam a grave pecado. Sobre cada um se impõe o dever de impedir o caminho às comunicações corruptas. É propósito de Deus que apareça em Seus filhos a glória de Cristo. Em todos os Seus ensinamentos, Cristo apresentou princípios puros, inadulterados. Ele não pecou, nem em Seus lábios se achou engano. Constantemente deles fluíam verdades santas, enobrecedoras. Falava como nunca homem algum falou, com uma ênfase que comovia o coração. ... A palavra nunca esmorecia em Seus lábios. Com destemor expunha a hipocrisia de sacerdotes e príncipes, fariseus e saduceus. … A grande responsabilidade que envolve o dom da fala é plenamente revelada na Palavra de Deus. "Por tuas palavras serás justificado e por tuas palavras serás condenado" (Mat. 12:37), declarou Cristo. E o salmista pergunta: "Senhor, quem habitará no Teu tabernáculo? quem morará no Teu santo monte? Aquele que anda em sinceridade, e pratica a justiça, e fala verazmente segundo o seu coração; aquele que não difama com a sua língua, nem faz mal ao seu próximo, nem aceita nenhuma afronta contra o seu próximo." Sal. 15:1-3. Review and Herald, 12 de maio de 1910. Quinta - Salvos pelo acolhimento da Palavra Ano Bíblico: Mc 7–9 8. Leia Tiago 1:21. Qual é a função da “Palavra” na vida do cristão? Por isso, rejeitando toda a imundícia e superfluidade de malícia, recebei com mansidão a palavra em vós enxertada, a qual pode salvar as vossas almas. Tg 1:21, ACF Há homens que ouvem, mas não aprendem a lição como alunos diligentes. Têm aparência de piedade, mas não são crentes. Não conhecem a verdade pela prática. Não receberam a palavra implantada. "Pelo que, rejeitando toda imundícia e acúmulo de malícia, recebei com mansidão a palavra em vós enxertada, a qual pode salvar a vossa alma. E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos. Porque, se alguém é ouvinte da palavra e não cumpridor, é semelhante ao varão que contempla ao espelho o seu rosto natural; porque se contempla a si mesmo, e foi-se, e logo se esqueceu de como era." Tia. 1:21-24. Ele não aceitou a impressão causada em sua mente ao comparar seu modo de ação com o grande espelho moral. Não viu seus defeitos de caráter. Não se reformou, e esquecendo tudo a respeito da impressão causada, não seguiu o caminho de Deus, e, sim, o seu caminho, permanecendo irregenerado. Ouvi qual é a única maneira correta de todo ser humano proceder se quiser desfrutar uma experiência segura e completa. "Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecido, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito [pois há uma obra a ser feita, que é negligenciada com risco da alma]. Se alguém entre vós cuida ser religioso e não refreia a sua língua, antes, engana o seu coração, a religião desse é vã. A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e guardar-se da corrupção do mundo." Tia. 1:25-27. Efetuai isto, como prova de religião pura e sem mácula, e a bênção de Deus seguir-se-á infalivelmente. Fundamentos da Educação Cristã, 460-461. rraammooss@@aaddvviirr..ccoomm

×