Respostas_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR

125 visualizações

Publicada em

O Objetivo deste material e colocar os textos bíblicos diretos em sublinhado, somados aos escritos de Ellen White que trazem mais luz sobre o assunto, para facilitar o entendimento, e capacitar a responder as questões da lição com maior amplitude.

“Sempre darei a fonte, para que o conteúdo não seja anônimo, e todos tenham a oportunidade de achar, pesquisar e questionar”.

Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2.

Bom Estudo!

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
125
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Respostas_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR

  1. 1. Dúvidas; Opiniões; Sugestões:Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comramos@advir.com Lição 12 - RESPOSTAS O Papel da Igreja na Comunidade Ministério urbano no tempo do fim 10 a 17 de setembro de 2016 ❉ Sábado à tarde VERSO PARA MEMORIZAR: “Busquem a prosperidade da cidade para a qual Eu os deportei e orem ao Senhor em favor dela, porque a prosperidade de vocês depende da prosperidade dela”. (Jr 29:7, NVI). 1Tm 2:1-4, (KJA); 1 Antes de tudo, recomendo que se façam súplicas, orações, intercessões e ações de graças, em favor de todas as pessoas; 2 pelos reis e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranquila e pacífica, com toda a piedade e dignidade. 3 Isto é bom e agradável diante de Deus, nosso Salvador, 4 o qual deseja que todas as pessoas sejam salvas e cheguem ao pleno conhecimento da verdade. cf. Jr 29:4-9; Rm 13:1-7; Tt 3:1-11; 1Pe 2:13-25; Jo 19:10-11. Através de Jeremias, Zedequias e todo o Judá, incluindo os que tinham sido levados para Babilônia, foram aconselhados a submeter-se pacificamente ao domínio temporário dos seus conquistadores. Era especialmente importante que os que estavam no cativeiro procurassem promover a paz da terra para a qual tinham sido levados. No entanto, isto era contrário às inclinações do coração humano. E Satanás, aproveitando-se das circunstâncias, fez com que surgissem entre o povo falsos profetas, tanto em Jerusalém como em Babilônia, que declaravam que o jugo do cativeiro em breve seria quebrado e o anterior prestígio da nação restaurado. … Deus, com terna compaixão, informou o Seu povo cativo dos planos que tinha para Israel. Ele sabia que, se os falsos profetas os convencessem a esperarem pela libertação num curto espaço de tempo, a sua posição em Babilônia tornar-se-ia muito difícil. Qualquer manifestação ou insurreição da sua parte despertaria a vigilância e a severidade das autoridades caldaicas, o que poderia levar à posterior restrição das suas liberdades. O resultado seria sofrimento e angústia. Ele desejava que se submetessem pacificamente à sua sorte, tornando a sua servidão tão agradável quanto possível. E o Seu conselho foi: “Construam casas para nelas habitarem; plantem hortas e comam do seu fruto. … Trabalhem pelo bem das cidades para onde vos levaram cativos. Peçam ao Senhor por elas, porque se essas cidades prosperarem, a prosperidade será vossa também.” Jer. 29:5- 7. – Profetas e Reis, pp. 293 e 294 (Ed. P. SerVir). Participe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosParticipe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  2. 2. Dúvidas; Opiniões; Sugestões:Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comramos@advir.com ❉ Domingo, 11 de setembro - A natureza das cidades 1. Em Atos 18:1-28 temos um exemplo de como Paulo plantava igrejas nas cidades. O que podemos aprender com o que ele fez ali? At 18:1-28, (KJA); 1 Logo depois desses acontecimentos, Paulo deixou Atenas e rumou para Corinto. 2 Chegando ali, encontrou um judeu chamado Áquila, natural do Ponto, que tinha acabado de chegar da Itália juntamente com sua esposa Priscila, pois Cláudio havia baixado um decreto intimando que todos os judeus se retirassem de Roma. Paulo, então, foi visitá-los. 3 E, percebendo que tinham a mesma profissão, Paulo passou a morar e trabalhar com eles, pois eram fabricantes de tendas. 4 Assim, todos os sábados ele argumentava na sinagoga, e convencia tanto a judeus quanto a gregos. Paulo dá tempo integral ao ensino 5 Depois que Silas e Timóteo chegaram da Macedônia, Paulo começou a consagrar todo o seu tempo ao ensino da Palavra, explicando aos judeus que Jesus é o Messias. 6 Contudo, como estes se opuseram e proferiram insultos graves, Paulo sacudiu a roupa e os sentenciou: “Caia sobre as vossas próprias cabeças toda a responsabilidade de vossas faltas”. Eu estou inocente quanto ao meu dever, e de agora em diante vou dedicar-me aos gentios. 7 Então, saindo da sinagoga, Paulo dirigiu-se à casa de Tício Justo, homem que obedecia a Deus e que morava ao lado da sinagoga. 8 Crispo, administrador da sinagoga, creu no Senhor, ele e toda a sua casa; e da multidão dos coríntios que o ouviam, muitos criam e eram batizados. 9 Numa certa noite, o Senhor falou com Paulo por meio de uma visão, dizendo: “Não tenhas medo! Continua pregando e não te cales. 10 Pois Eu estou contigo, e nenhuma pessoa ousará fazer-te mal ou ferir-te, porquanto tenho muita gente nesta cidade”. 11 Assim, Paulo permaneceu ali durante um ano e seis meses, ensinando a Palavra de Deus ao povo. Gálio não vê crime em Paulo 12 Quando, porém, Gálio era procônsul da Acaia, os judeus se levantaram unânimes contra Paulo, e o conduziram ao tribunal, 13 protestando: “Este persuade os homens a adorar a Deus de uma forma contrária à lei!” 14 No momento em que Paulo daria início à sua defesa, Gálio os admoestou: “Se, em realidade, houvesse, ó judeus, alguma afronta grave ou crime, certamente e com razão eu os ouviria. 15 Entretanto, visto que se trata de uma questão de palavras e nomes de sua própria lei, ora resolvei isso vós mesmos; pois não quero me dispor a ser juiz desses assuntos!” 16 E ordenou que fossem expulsos do tribunal. 17 Então, todos se voltaram contra Sóstenes, administrador da sinagoga e o espancaram em frente ao tribunal. Contudo, Gálio não expressou qualquer perturbação diante desse episódio. 18 Paulo ficou em Corinto por vários dias; por fim, despedindo-se dos irmãos, navegou para Síria, levando em sua companhia Priscila e Áquila. Porém, antes de embarcar, raspou a cabeça em Cencreia, por causa de um voto que havia feito. 19 Chegaram então a Éfeso, onde Paulo deixou Priscila e Áquila. Ele, no entanto, depois de entrar na sinagoga local, começou a pregar para os judeus. 20 Estes rogaram que permanecesse por mais algum tempo, todavia, ele não aquiesceu. 21 Mas, ao despedir-se deles, ponderou: “Se Deus quiser, voltarei para vós outros”. E, embarcando, partiu de Éfeso. 22 Assim que chegou a Cesareia, subiu até a Igreja para saudá-la e depois desceu para Antioquia. 23 Havendo passado algum tempo em Antioquia, Paulo partiu dali e viajou por toda a região da Galácia e da Frígia, encorajando todos os discípulos. Paulo em sua terceira missão 24 Enquanto isso, chegou a Éfeso um judeu, natural de Alexandria, chamado Apolo, homem eloquente e que acumulava grande experiência nas Escrituras. 25 Fora instruído no Caminho do Senhor e com notável fervor pregava e ensinava com exatidão a respeito de Jesus, ainda que tivesse apenas o conhecimento do batismo de João. 26 Apolo, portanto, começou a pregar com ousadia na sinagoga. E assim que Priscila e Áquila o ouviram, convidaram-no para uma visita à casa deles e lhe explicaram com acerto e clareza o Caminho de Deus. 27 Então, desejando ele viajar para a Acaia, os irmãos o animaram e escreveram aos discípulos solicitando que o recebessem. Quando chegou, ele auxiliou muito aos que pela graça haviam crido, 28 porquanto refutava veementemente os judeus em debates públicos, provando, por meio das Escrituras, que o Messias é Jesus. 1Co 9:20-23, (ACF 1753); 20 E fiz-me como judeu para os judeus, para ganhar os judeus; para os que estão debaixo da lei, como se estivesse debaixo da lei, para ganhar os que estão debaixo da lei. 21 Para os que estão sem lei, como se estivesse sem lei (não estando sem lei para com Deus, mas debaixo da lei de Cristo), para ganhar os que estão sem lei. 22 Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para Participe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosParticipe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  3. 3. Dúvidas; Opiniões; Sugestões:Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comramos@advir.com todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns. 23 E eu faço isto por causa do evangelho, para ser também participante dele. ❉ Resposta. 1. Deus chama “fabricantes de tendas”, missionários que estabeleçam novas igrejas enquanto ganham o próprio sustento. Lições importantes: trabalhar em equipe e planejar as atividades ao longo do tempo; perseverar quando pessoas rejeitam a mensagem; alcançar outras pessoas; usar diferentes estratégias e ambientes: sinagogas (templos), ir de casa em casa, etc; buscar orientação divina para o trabalho; suportar perseguição; concluir a missão e iniciar um novo desafio. O Senhor usará outras pessoas para continuar o trabalho que iniciamos. [Paulo] ilustrou de maneira prática o que podia ser feito por leigos consagrados, em muitos lugares onde as pessoas não estavam familiarizadas com as verdades do Evangelho. A sua atitude inspirou muitos trabalhadores humildes a desejar fazer o que lhes fosse possível para o avanço da causa de Deus, ao mesmo tempo que se mantinham a si mesmos com o trabalho diário. Áquila e Priscila não foram chamados a dar todo o seu tempo ao ministério evangélico. Todavia, esses humildes obreiros foram usados por Deus para mostrar mais perfeitamente a Apolo o caminho da verdade. O Senhor emprega vários instrumentos para a realização do Seu plano, e, enquanto alguns com talentos especiais são escolhidos para dedicar todas as suas energias à tarefa de ensinar e pregar o Evangelho, muitos outros, sobre quem mãos humanas nunca foram postas para ordenação, são chamados a desempenhar uma parte importante na salvação das pessoas. Há um vasto campo aberto diante do obreiro evangélico por conta própria. Muitos podem conseguir valiosas experiências no ministério, enquanto dedicam parte do tempo em atividades manuais, e, por este método, podem desenvolver-se obreiros eficientes para importantes serviços em campos necessitados. O voluntário e abnegado servo de Deus, que trabalha incansavelmente espalhando a palavra e a doutrina, leva sobre o coração um pesado fardo. Não mede o seu trabalho pelas horas. O salário não tem influência no trabalho, nem se desvia do seu dever por causa de condições desfavoráveis. Recebeu do Céu a sua missão, e do Céu espera a recompensa quando estiver concluída a obra que lhe foi confiada. – Atos dos Apóstolos, pp. 250 e 251 (Ed. P. SerVir). Em todo o mundo, são necessários mensageiros de misericórdia. Há necessidade de famílias cristãs que vão para localidades que estão em trevas e erro, … que tomem conhecimento das necessidades dos seus semelhantes e que trabalhem pela causa do Mestre. Se essas famílias se estabelecessem nos lugares escuros da Terra, lugares em que o povo está envolto em sombras espirituais, e deixassem a luz da vida de Cristo irradiar por meio delas, quão nobre seria a obra que se poderia realizar. Este trabalho requer sacrifício. Enquanto muitos esperam que sejam removidos todos os obstáculos, fica por fazer aquilo que poderiam efetuar, e multidões estão a morrer sem esperança e sem Deus. Alguns, por amor de vantagens comerciais, ou para adquirir conhecimentos científicos, arriscam-se a penetrar em regiões inóspitas, e a resistir de bom grado a sacrifícios e privações. Mas quão poucos estão dispostos, por amor dos seus semelhantes, a mudar a sua família para regiões carecidas do Evangelho! Alcançar as pessoas, onde quer que estejam e seja qual for a sua posição ou estado, e auxiliá-las por todos os modos possíveis – eis o verdadeiro ministério. Mediante esses esforços, podem conquistar corações, e abrir uma porta de acesso àqueles que estão a perecer. … O amor de Cristo, numa corrente que cura e vivifica, deve fluir da vossa vida. Ao procurarem atrair outros para o círculo do Seu amor, que a pureza da vossa linguagem, a abnegação do vosso serviço, o contentamento da vossa conduta sejam um testemunho do poder da Sua graça. Perante o mundo, Representem-no de forma tão pura e tão justa, que os homens O contemplem na Sua beleza. – A Ciência do Bom Viver, p. 103 (Ed. P. SerVir). ❉ Segunda, 12 de setembro - Ouvindo os gemidos 2. Leia Êxodo 2:23-25 e 6:5, Salmos 12:5, Romanos 8:22 e Jó 24:12. Que mensagem há nessas passagens para Participe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosParticipe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  4. 4. Dúvidas; Opiniões; Sugestões:Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comramos@advir.com nós? Ex 2:23-25, (ACF 1753); 23 E aconteceu, depois de muitos dias, que morrendo o rei do Egito, os filhos de Israel suspiraram por causa da servidão, e clamaram; e o seu clamor subiu a Deus por causa de sua servidão. 24 E ouviu Deus o seu gemido, e lembrou-se Deus da sua aliança com Abraão, com Isaque, e com Jacó; 25 E viu Deus os filhos de Israel, e atentou Deus para a sua condição . cf. 2Cr 7:14; Sl 1:6; 55:22; Is 58:6-11. Ex 6:5-6, (ACF 1753); 5 E também tenho ouvido o gemido dos filhos de Israel, aos quais os egípcios fazem servir, e lembrei-me da minha aliança. 6 Portanto dize aos filhos de Israel: Eu sou o SENHOR, e vos tirarei de debaixo das cargas dos egípcios, e vos livrarei da servidão, e vos resgatarei com braço estendido e com grandes juízos. Jó 24:12-13, (KJA); 12 Desde as cidades ouvem-se os gemidos dos que estão prestes a morrer, e a alma dos feridos clama; e, mesmo assim, Deus não escuta os seus pedidos de socorro. 13 Os perversos são adversários da luz, não conhecem os seus caminhos, nem permanecem nas suas veredas. cf. Is 59:1-2. ❉ Resposta. 2. Deus ouve nossos gemidos, vê nossos problemas e busca nos ajudar em nossas dificuldades. Devemos ser sensíveis ao clamor das pessoas que sofrem e buscar atender às suas necessidades. Deus chama cada membro da Igreja a dedicar sem reservas a sua vida ao serviço do Senhor. Ele pede uma decidida reforma. Toda a Criação geme sob a maldição. O povo de Deus deve colocar-se onde cresça na graça, sendo santificado no corpo, na alma e no espírito, pela verdade. Quando romperem com toda a ruinosa tolerância em matéria de saúde, terão uma percepção mais clara do que significa verdadeira piedade. Uma maravilhosa mudança será vista na experiência religiosa. – Conselhos Sobre Saúde, p. 579. Com graça no coração, os crentes devem fazer as obras de Cristo, colocando-se, de alma, corpo e espírito, ao Seu lado, como Sua mão humana, para distribuir o Seu amor aos que estão fora do aprisco. Os crentes devem associar-se uns aos outros em companheirismo cristão, considerando-se uns aos outros como irmãos e irmãs no Senhor. Devem amar-se uns aos outros como Cristo os amou. Devem ser luzes para Deus, brilhando na Igreja e no mundo, recebendo graça por graça, ao distribuírem aos outros. Assim são constantemente guardados em espiritual proximidade de Deus. Refletem a imagem de Cristo. O amor santificado é difusivo, recusando-se a ser limitado pelo lar ou pela Igreja. Ele procura salvar as almas que estão a perecer. Cada coração que tenha sentido o amor de um Salvador que perdoa o pecado encontra-se aliado a todos os outros corações cristãos. Os verdadeiros crentes unir-se-ão uns aos outros no trabalho pelas almas prestes a perecer. Não gastem os nossos pastores tempo e energia no trabalho pelos que conhecem a verdade. Em vez disso procurem os que estão fora do aprisco, e cada um deve estimular o outro à fervorosa ação em bem definidos e santificados esforços para salvar as pobres almas que estão a perecer nos seus pecados. – Medicina e Salvação, p. 316. ❉ Terça, 13 de setembro - Semeando e colhendo nas cidades 3. Leia Mateus 13:3-9, 18-23. Com base nessa parábola, como devemos ministrar e testemunhar às comunidades que estão à nossa volta, inclusive nas cidades? Mt 13:3-9, (Sec. XXI); 3 E falou-lhes muitas coisas por meio de parábolas, dizendo: O semeador saiu a semear. 4 Enquanto semeava, uma parte das sementes caiu à beira do caminho, e as aves vieram e a comeram. 5 Outra parte caiu em solo pedregoso, onde não havia muita terra, e logo brotou, pois a terra não era profunda; 6 Mas saiu o sol e a queimou; e, como não tinha raiz, secou. 7 Outra parte caiu entre espinhos, Participe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosParticipe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  5. 5. Dúvidas; Opiniões; Sugestões:Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comramos@advir.com os quais a sufocaram quando cresceram. 8 Mas outra parte caiu em terra boa e deu fruto; um grão produziu outros cem; outro, sessenta; e outro, trinta. 9 Quem tem ouvidos, ouça. Mt 13:18-23, (Sec. XXI); 18 Compreendei, pois, a parábola do semeador. 19 A todo o que ouve a palavra do reino e não a entende, vem o Maligno e tira o que lhe foi semeado no coração; esse é o que foi semeado à beira do caminho. 20 E o que foi semeado no solo pedregoso, esse é o que ouve a palavra e a recebe imediatamente com alegria; 21 mas não tem raiz em si mesmo e dura pouco. Quando vem a tribulação ou a perseguição por causa da palavra, logo tropeça. 22 E o que foi semeado entre os espinhos, esse é o que ouve a palavra, mas as preocupações do mundo e a sedução da riqueza sufocam a palavra, e ela não produz fruto. 23 Mas o que foi semeado em boa terra, esse é o que ouve a palavra e a entende; e dá fruto; e um produz cem; outro, sessenta; e outro, trinta. ❉ Resposta. 3. Devemos semear em todos os tipos de solos. Alguns são mais difíceis que outros, mas podemos trabalhar para que a beira do caminho, o solo rochoso e o solo espinhoso se tornem terra boa. O que fazer? Arar (classe bíblica e amizade cristã), aterrar (comunhão permanente, estudo bíblico profundo, trabalho missionário e amizades significativas) arrancar espinhos (programa intenso de comunhão, seminário sobre fidelidade, saúde, dons espirituais, sábado, finanças para Deus, amizades espirituais), etc. Nas grandes cidades, “homens de variados talentos devem ser usados... Novos métodos precisam ser introduzidos. O povo de Deus tem que despertar para as necessidades da época em que vive”. Evangelismo, p. 70. Nas cidades grandes há certas classes que não podem ser alcançadas pelas reuniões públicas. Essas têm de ser procuradas como o pastor procura as suas ovelhas perdidas. Esforço diligente e pessoal tem de ser envidado em seu favor. Se eles não quiserem vir ao banquete do Evangelho a que Cristo os convida, então os mensageiros de Deus devem-se acomodar às circunstâncias e levar-lhes a mensagem através do trabalho de casa em casa, estendendo assim o seu ministério aos caminhos e atalhos, dando ao mundo a última mensagem. Vão à casa mesmo dos que não manifestam nenhum interesse. Enquanto a doce voz da misericórdia convida o pecador, trabalhem com toda a energia do cérebro e do coração, como fez Paulo, que não cessou “noite e dia, de admoestar com lágrimas a cada um”. No dia de Deus, quantos nos enfrentarão, dizendo: “Estou perdido! Estou perdido! E nunca me advertiram; nunca me rogaram que fosse a Jesus. Se eu tivesse crido como vocês creem, teria acompanhado toda a alma destinada ao juízo que estivesse ao meu alcance, com orações e lágrimas e advertências.”… Luz, luz da Palavra de Deus – eis do que o povo necessita. Caso os mestres da Palavra sejam voluntários, o Senhor levá-los-á a uma relação íntima com o povo. Guiá-los-á aos lares daqueles que necessitam e desejam a verdade; e à medida que os servos de Deus se empenham na obra de procurar as ovelhas perdidas, são-lhes despertadas e vivificadas as faculdades espirituais. Sabendo que estão em harmonia com Deus, sentem-se ditosos e felizes. Sob a direção do Espírito Santo, obtêm uma experiência de inapreciável valor para eles. As suas faculdades intelectuais e morais atingem o mais alto desenvolvimento; pois é concedida graça em resposta à petição. – Evangelismo, pp. 433 e 434. O nosso povo comete um grande erro quando, depois de realizar uma reunião campal e juntar algumas almas, desarmam as tendas e julgam ter cumprido o seu dever. A sua obra apenas começou. Pregaram doutrinas novas e estranhas para o povo que os ouviu, e então deixaram a semente lançada para ser apanhada pelas aves, ou então, a murchar por falta de umidade. … Depois de o povo ter ouvido as razões da nossa fé, que comece a obra de casa em casa. Relacionem-se com o povo, e leiam para eles as preciosas palavras de Cristo. Exaltem Cristo crucificado entre eles, e em breve os que ouviram as mensagens de advertência dos ministros de Deus na tenda, e ficaram convictos, serão atraídos a indagar sobre o que ouviram. Este é o momento para apresentar as razões da nossa fé, com mansidão e temor, não um temor servil, porém um cauteloso temor para que não falem inadvertidamente. Apresentem a Participe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosParticipe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  6. 6. Dúvidas; Opiniões; Sugestões:Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comramos@advir.com verdade tal como é em Jesus, com toda a mansidão e humildade, ou seja, com simplicidade e sinceridade, dando o mantimento a seu tempo, e a cada homem a sua porção. – Evangelismo, pp. 431 e 432. ❉ Quarta, 14 de setembro - Envolvimento pessoal 4. Leia João 15:12, 13, Tiago 1:27 e Gálatas 6:2. Qual é a importância do envolvimento pessoal nos esforços evangelísticos sérios? Jo 15:12-13, (ACF 1753); 12 O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei. 13 Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos. Tg 1:27, (ACF 1753); 27 A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo. Gl 6:2, (ACF 1753); 2 Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo. ❉ Resposta. 4. Sem envolvimento pessoal não podemos nos amar uns aos outros e dedicar a vida às pessoas, a exemplo do que Cristo fez. A religião pura e sem mácula leva ao contato com os necessitados e ao serviço em favor deles. A lei de Cristo é que levemos as cargas uns dos outros. O Senhor me apresentou a obra que deve ser feita em nossas cidades. Os crentes nessas cidades podem trabalhar por Deus na vizinhança de seus lares. Devem trabalhar calmamente e com humildade, levando consigo, aonde quer que forem, a atmosfera do Céu. Se deixarem fora de vista o próprio eu, apontando sempre para Cristo, será então sentido o poder de sua influência. Quando o obreiro se entrega sem reservas ao serviço do Senhor, ganha uma experiência que o habilita para trabalhar para seu Mestre com êxito cada vez maior. A influência que o atraiu a Cristo, ajuda-o a atrair outros. Poderá nunca ser-lhe confiada a obra de orador público, mas nem por isso deixa de ser ministro de Deus; e sua obra testifica ser ele nascido de Deus. Não é o desígnio do Senhor que se deixe aos pastores a maior parte da obra de semear a semente da verdade. Homens que não são chamados para o ministério, devem ser animados a trabalhar pelo Mestre segundo suas várias habilidades. Centenas de homens e mulheres, agora ociosos, poderiam fazer obra digna de aceitação. Levando a verdade à casa de seus amigos e vizinhos, poderiam fazer grande obra para o Mestre. Deus não faz acepção de pessoas. Ele usa cristãos humildes e dedicados, mesmo que não tenham recebido instrução tão completa quanto alguns outros. Empenhem-se no serviço para Deus, fazendo trabalho de casa em casa. Assentados na intimidade do lar poderão — se forem humildes, discretos e piedosos — fazer mais para satisfazer as reais necessidades das famílias, do que o faria um ministro ordenado. Por que não sentem os crentes preocupação mais profunda, mais fervorosa pelos que estão afastados de Cristo? Por que não se reúnem dois ou três e instam com Deus pela salvação de determinada pessoa, e, em seguida, oram a respeito de outra? Formemos em nossas igrejas grupos para o serviço. Unam-se vários membros para trabalhar como pescadores de homens. Procurem arrebatar almas da corrupção do mundo para a salvadora pureza do amor de Cristo. A formação de pequenos grupos como base de esforço cristão, foi-me apresentada por Aquele que não pode errar. Se há na igreja grande número de membros, convém que se organizem em pequenos grupos a fim de trabalhar, não somente pelos membros da própria igreja, mas também pelos incrédulos. Se num lugar houver apenas dois ou três que conheçam a verdade, organizem-se num grupo de obreiros. Mantenham indissolúvel seu laço de união, apegando-se uns aos outros com amor e unidade, animando-se mutuamente para avançar, adquirindo cada qual ânimo e força com o auxílio dos outros. Manifestem eles paciência e longanimidade cristãs, não proferindo palavras precipitadas, mas empregando o talento da palavra para que uns aos outros se edifiquem na mais santa fé. Trabalhem com amor cristão pelos que se acham fora do redil, esquecendo-se a Participe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosParticipe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  7. 7. Dúvidas; Opiniões; Sugestões:Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comramos@advir.com si mesmos no empenho de ajudar a outros. Ao trabalharem e orarem em nome de Cristo, seu número aumentará, pois diz o Salvador: “Se dois de vós concordarem na Terra acerca de qualquer coisa que pedirem, isso lhes será feito por Meu Pai, que está nos Céus.” Mateus 18:19. Testemunhos para a Igreja, v. 7, p. 21, 22. Podem atingir às alturas para as quais o Espírito Santo vos chama. A verdadeira religião significa viver a Palavra na vossa vida prática. A vossa profissão pouco valor terá sem a execução prática da Palavra. “Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me.” Esta é a condição do discipulado. “Eis aqui o meu Servo, que escolhi, o meu amado em quem a minha alma se compraz: Porei sobre ele o meu Espírito, e anunciará aos gentios o juízo.” … A Igreja não tem sido devidamente educada para trabalhar fora do seu próprio povo. Muitas almas fora da Igreja poderiam ter sido iluminadas e muito mais luz trazida para a Igreja, se cada membro da Igreja, em cada país, que pretende ter a luz avançada da verdade, tivesse trabalhado de coração e alma e com a voz, a fim de ganhar almas para a verdade. Demasiado pouco trabalho está a ser feito pelos membros da Igreja em prol dos que necessitam da luz, dos que estão fora da Igreja dos Adventistas do Sétimo Dia. O Senhor declara: “Não esmagará a cana quebrada, e não apagará o morrão que fumega, até que faça triunfar o juízo; e no seu nome os gentios esperarão.” Os que cooperam com Jesus Cristo, reconhecerão que todas essas promessas se cumprem na sua própria experiência. O Senhor tem determinado o dever de cada alma. No Juízo, ninguém terá qualquer escusa a apresentar por não cumprir o seu dever. – Testemunhos Para Ministros e Obreiros Evangélicos, p. 127. Há possibilidades de fazerem para Jesus um trabalho com que nunca sonharam. O Cristão é um homem semelhante a Cristo, uma mulher que se assemelha a Cristo, ativos no serviço de Deus, presentes na reunião social, cuja presença também animará outros. A religião não consiste em obras, mas a religião atua; não está adormecida. A pura religião de Jesus é a fonte de onde procedem correntes de caridade, amor, sacrifício. … Tendo no coração o amor de Cristo, os lábios emitirão o Seu louvor e enaltecerão o Seu nome. Haverá uma pressão na alma cheia do amor de Cristo. … Apoiando-se firmemente em Deus pela oração e pela fé, a alma permanecerá firme na independência moral, todavia com bondade perfeita, perfeito amor. As tentações da sociedade são enfrentadas e resistidas, é mantida comunhão com Deus, e a comunhão entre a sua vida e Deus habilita-o a transmitir aos outros através das suas relações sociais as seletas bênçãos que o Céu tem para dar. … porém, o seu [dever] não termina aí. Deus requer mais. Ele requer de vós que amem assim como Cristo amou as pessoas. Requer de vós compaixão para com o sofredor, o errante, os que estão sujeitos às tentações de Satanás. Requer de vós bondade, cortesia até mesmo para com o desafortunado, uma generosa consideração para com os sentimentos dos outros. – Filhos e Filhas de Deus (Meditações Matinais), p. 271. ❉ Quinta, 15 de setembro - Alcançando as cidades 5. Qual é a importância do esforço para alcançar pessoas para Deus? 2Pe 3:9; 1Tm 2:4 2Pe 3:9-10, (NVI); 9 O Senhor não demora em cumprir a sua promessa, como julgam alguns. Pelo contrário, ele é paciente com vocês, não querendo que ninguém pereça, mas que todos cheguem ao arrependimento. 10 O dia do Senhor, porém, virá como ladrão. Os céus desaparecerão com um grande estrondo, os elementos serão desfeitos pelo calor, e a terra, e tudo o que nela há, será desnudada. 1Tm 2:1-4, (KJA); 1 Antes de tudo, recomendo que se façam súplicas, orações, intercessões e ações de graças, em favor de todas as pessoas; 2 pelos reis e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranquila e pacífica, com toda a piedade e dignidade. 3 Isto é bom e agradável diante de Deus, nosso Salvador, 4 o qual deseja que todas as pessoas sejam salvas e cheguem ao pleno conhecimento da verdade. Participe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosParticipe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  8. 8. Dúvidas; Opiniões; Sugestões:Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comramos@advir.com ❉ Resposta. 5. Nosso esforço é uma demonstração do amor e paciência do Senhor. Ele deseja que todos cheguem à salvação e ao conhecimento da verdade. Podemos ser Seus instrumentos nessa obra! “Não há mudança nas mensagens que Deus enviou no passado. O trabalho nas cidades é a obra essencial para este tempo. Quando o trabalho nas cidades for feito como Deus deseja, será posto em ação um poderoso movimento como nunca foi testemunhado”. Medicina e Salvação, p. 304. Leia Romanos 10:14, 15. O que essa passagem diz aos seguidores de Cristo? De que forma o texto se aplica a nós? Como podemos ser mais ativos nos esforços missionários e no ministério na região em que vivemos? Rm 10:14-15, (ARC); 14 Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem não ouviram? E como ouvirão, se não há quem pregue? 15 E como pregarão, se não forem enviados? Como está escrito: Quão formosos os pés dos que anunciam a paz, dos que anunciam coisas boas! … os heróis da fé de Deus são herdeiros de uma herança de maior valor do que qualquer riqueza terrestre – uma herança que satisfará os anelos da alma. Podem ser desconhecidos e não reconhecidos pelo mundo, mas estão inscritos nos registos do Céu como cidadãos celestiais, e possuirão exaltada grandeza, um peso eterno de glória. … A maior obra, o mais nobre esforço em que os homens se podem empenhar, é encaminhar pecadores ao Cordeiro de Deus. Ministros fiéis são colaboradores do Senhor na realização dos Seus desígnios. Deus diz- lhes: Ide, ensinai e pregai Cristo. Instruí e educai todos os que não conhecem a Sua graça, bondade e misericórdia. Ensinai ao povo. “Como pois invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem não ouviram? E como ouvirão se não há quem pregue?” [Romanos 10:14.] … Os obreiros de Cristo nunca devem pensar, muito menos falar em fracasso na sua obra. O Senhor Jesus é a nossa eficiência em todas as coisas; o Seu Espírito tem de ser a nossa inspiração; e ao nos colocarmos nas Suas mãos, para ser veículos de luz, os nossos meios de fazer bem nunca se esgotarão. Poderemos haurir da Sua plenitude, e receber daquela graça que desconhece limites. – Obreiros Evangélicos, pp. 18 e 19. Entre o povo de Deus não deve haver colonização. A palavra do Senhor para eles é: “Transbordarás para a direita e para a esquerda” (Isaías 54:3). Eles devem fazer semeaduras em todos os lugares. A verdade para este tempo deve ser proclamada em toda a parte. Aqueles em cujo coração brilhou a luz devem lembrar-se de que são obreiros de Deus, Suas testemunhas. Servir e Honrá-lo deve ser a sua ciência. Devem insistir com os outros para que guardem os Seus mandamentos e vivam. A obediência à Lei de Deus é a questão que provará o mundo. … A todos os povos, e nações, e tribos e línguas deve ser proclamada a verdade. Chegou o tempo de ser realizado muito trabalho dinâmico nas cidades e em todos os campos negligenciados e não penetrados. – Este Dia Com Deus. Meditações Matinais, 1980, p. 341. Reconhecem que cada ano milhares e milhares e dez vezes dez milhares de almas estão a perecer, a morrer nos seus pecados? As pragas e os juízos de Deus já estão a fazer a sua obra, e almas estão a caminhar para a ruína porque a luz da verdade não foi lançada sobre o seu caminho. Cremos realmente que devemos levar a Palavra de Deus a todo o mundo? Quem crê nisso? “Como pois invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem não ouviram? E como ouvirão se não há quem pregue?” Quem tem a fé que o habilitará a praticar esta palavra? Quem crê na luz que Deus deu? – Testemunhos Para Ministros e Obreiros Evangélicos, p. 398. Participe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosParticipe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos

×