Lições Adultos Reavivamento e Reforma
Lição 9 - Reforma: consequência do reavivamento 24 a 31 de agosto
Sábado à tarde Ano...
do mar e da Síria; e eis que já estão em Hazazom-Tamar, que é En-Gedi. 3 Então, Josafá temeu e pôs-se a buscar o
SENHOR; e...
aquele que tudo lhe subordinou. Quando, porém, todas as coisas lhe estiverem sujeitas, então, o próprio Filho também se
su...
Até então, o cristianismo ocidental estava, na maior parte, fechado na tradição. Os dogmas da igreja ofuscaram os
ensiname...
versos nos ensinam sobre o caráter de Deus?
“Vi outro anjo voando pelo meio do céu, tendo um evangelho eterno para pregar ...
Conhecer: Os fatores que levaram à reforma nos tempos do rei Josafá, do apóstolo Paulo em Corinto e Éfeso, de Lutero e,
fi...
estas palavras de repreensão: “Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor” (Ap 2:4). Eles colocaram o
dev...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Reforma: consequência do reavivamento_Lição_original com textos_932013

604 visualizações

Publicada em

A lição original com os textos bíblicos tem como finalidade facilitar a leitura ou mesmo o estudo, os versos estão na sequência correta, evitando a necessidade de procurá-los, o que agiliza, para os que tem o tempo limitado, vc pode levá-la no ipad, no pendrive, celular e etc, ler a qualquer momento e em qualquer lugar que desejar, até sem a necessidade de estar conectado na internet.

Também facilita se for imprimir por usar bem menos tinta que a lição convencional.

Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nós abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2.

Bom Estudo!

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
604
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Reforma: consequência do reavivamento_Lição_original com textos_932013

  1. 1. Lições Adultos Reavivamento e Reforma Lição 9 - Reforma: consequência do reavivamento 24 a 31 de agosto Sábado à tarde Ano Bíblico: Jr 45–48 VERSO PARA MEMORIZAR: “Tanto o que santifica como os que são santificados, todos vêm de um só. Por isso, é que Ele não Se envergonha de lhes chamar irmãos” (Hb 2:11). Leituras da Semana: 2Cr 20:17-20; 1Co 6:19, 20; Ap 2:1-6; Rm 1:16, 17; Ap 14:6, 7, 12 Reavivamento é um processo contínuo. Diariamente nosso Senhor nos convida para a alegria de Sua presença. Assim como Israel foi alimentado com o maná que caiu do céu, Jesus estende um banquete espiritual para nós todos os dias. Dia a dia nossa mente é alimentada, nosso coração é refrigerado e revive quando nos ajoelhamos em silêncio diante do Seu trono, meditando na Sua Palavra. A verdadeira renovação espiritual leva a uma mudança em nossos padrões de pensamento, hábitos e estilo de vida. É o que chamamos de “reforma”. “Vós, pois, amados, prevenidos como estais de antemão, acautelai-vos; não suceda que, arrastados pelo erro desses insubordinados, descaiais da vossa própria firmeza; antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A Ele seja a glória, tanto agora como no dia eterno”. 2Pe 3:17, 18. RA O termo reforma se refere simplesmente a esse crescimento na graça. Significa permitir que o Espírito Santo harmonize todos os aspectos da nossa vida com a vontade de Deus. Nas áreas em que nos afastamos da obediência, o reavivamento desperta o desejo de agradar a Deus. A reforma nos leva a fazer escolhas para abandonar tudo que se interpõe entre nós e Ele. Domingo - O apelo do profeta para reforma Ano Bíblico: Jr 49, 50 Muitas vezes Deus enviou Seus profetas para conduzir Israel ao reavivamento. A reforma geralmente acompanhava esses tempos de reavivamento. É importante notar que, mesmo quando o povo de Deus se afastava dEle, ainda era Seu povo escolhido. Repetidamente, Ele enviava Seus mensageiros para guiá-lo de volta a Si. Os exemplos de reavivamento e reforma registrados no Antigo Testamento frequentemente têm características semelhantes. Reavivamento e reforma ocorreram no Antigo Testamento, quando houve um renovado e sincero compromisso de obedecer à vontade de Deus. Quando Israel “seguia o seu próprio caminho” e “cada um fazia o que achava mais reto” (Jz 21:25), Deus retirava Sua bênção e a nação enfrentava desastre e derrota. Certa ocasião em que o povo de Deus enfrentou um de seus maiores desafios, uma batalha contra os amonitas e moabitas, o rei Josafá mostrou notável liderança espiritual. Durante a crise, o rei tentou manter os olhos do povo focalizados no poder de Deus (2Cr 20:12). O rei reconheceu um ponto crítico na manutenção do reavivamento e reforma. Que conselho solene ele deu ao povo? Que padrão espiritual descobrimos ali para o reavivamento e reforma? 1. Leia 2 Crônicas 20:1-20 e resuma as instruções do rei Josafá a Judá. Jeosafá derrota Moabe e Amom 1 E sucedeu que, depois disso, os filhos de Moabe, e os filhos de Amom, e, com eles, alguns outros dos amonitas vieram à peleja contra Josafá. 2 Então, vieram alguns que deram aviso a Josafá, dizendo: Vem contra ti uma grande multidão dalém ramos@advir.comramos@advir.com
  2. 2. do mar e da Síria; e eis que já estão em Hazazom-Tamar, que é En-Gedi. 3 Então, Josafá temeu e pôs-se a buscar o SENHOR; e apregoou jejum em todo o Judá. 4 E Judá se ajuntou, para pedir socorro ao SENHOR; também de todas as cidades de Judá vieram para buscarem o SENHOR. 5 E pôs-se Josafá em pé na congregação de Judá e de Jerusalém, na Casa do SENHOR, diante do pátio novo. 6 E disse: Ah! SENHOR, Deus de nossos pais, porventura, não és tu Deus nos céus? Pois tu és dominador sobre todos os reinos das gentes, e na tua mão há força e poder, e não há quem te possa resistir. 7 Porventura, ó Deus nosso, não lançaste tu fora os moradores desta terra, de diante do teu povo de Israel, e não a deste à semente de Abraão, teu amigo, para sempre? 8 E habitaram nela e edificaram nela um santuário ao teu nome, dizendo: 9 Se algum mal nos sobrevier, espada, juízo, peste ou fome, nós nos apresentaremos diante desta casa e diante de ti; pois teu nome está nesta casa; e clamaremos a ti na nossa angústia, e tu nos ouvirás e livrarás. 10 Agora, pois, eis que os filhos de Amom e de Moabe e os das montanhas de Seir, pelos quais não permitiste que passasse Israel, quando vinham da terra do Egito, mas deles se desviaram e não o destruíram, 11 eis que nos dão o pago, vindo para lançar-nos fora da herança que nos fizeste herdar. 12 Ah! Deus nosso, porventura, não os julgarás? Porque em nós não há força perante esta grande multidão que vem contra nós, e não sabemos nós o que faremos; porém os nossos olhos estão postos em ti.13 E todo o Judá estava em pé perante o SENHOR, como também as suas crianças, as suas mulheres e os seus filhos. 14 Então, veio o Espírito do SENHOR, no meio da congregação, sobre Jaaziel, filho de Zacarias, filho de Benaías, filho de Jeiel, filho de Matanias, levita, dos filhos de Asafe, 15 e Jaaziel disse: Dai ouvidos todo o Judá, e vós, moradores de Jerusalém, e tu, ó rei Josafá. Assim o SENHOR vos diz: Não temais, nem vos assusteis por causa desta grande multidão, pois a peleja não é vossa, senão de Deus. 16 Amanhã, descereis contra eles; eis que sobem pela ladeira de Ziz, e os achareis no fim do vale, diante do deserto de Jeruel. 17 Nesta peleja, não tereis de pelejar; parai, estai em pé e vede a salvação do SENHOR para convosco, ó Judá e Jerusalém; não temais, nem vos assusteis; amanhã, saí-lhes ao encontro, porque o SENHOR será convosco. 18 Então, Josafá se prostrou com o rosto em terra; e todo o Judá e os moradores de Jerusalém se lançaram perante o SENHOR, adorando o SENHOR. 19 E levantaram-se os levitas, dos filhos dos coatitas e dos filhos dos coraítas, para louvarem o SENHOR, Deus de Israel, com voz muito alta. 20 E, pela manhã cedo, se levantaram e saíram ao deserto de Tecoa; e, saindo eles, pôs-se em pé Josafá e disse: Ouvi-me, ó Judá e vós, moradores de Jerusalém: Crede no SENHOR, vosso Deus, e estareis seguros; crede nos seus profetas e prosperareis. 2 Crônicas 20:1-20. RC. “Deus foi a força de Judá nessa crise e Ele é a força de Seu povo hoje. Não devemos confiar em príncipes, nem pôr o homem no lugar de Deus. Devemos lembrar que os seres humanos são falíveis e falhos, e que Aquele que tem todo o poder é nossa forte torre de defesa. Em qualquer emergência, devemos sentir que a batalha é dEle. Seus recursos são ilimitados, e as aparentes impossibilidades farão que a vitória seja ainda maior” (Ellen G. White, Profetas e Reis, p. 202). A experiência de Josafá ilustra a essência do reavivamento e reforma. Ele liderou e uniu Israel em um período de jejum, oração, confiança e obediência a Deus. Em seus momentos de estresse e desafios, como você pode aplicar os princípios espirituais revelados nessa história? Qual é a única maneira de realmente exercitar a fé? Segunda - Apelo para reforma em Corinto Ano Bíblico: Jr 51, 52 Na primeira carta de Paulo aos coríntios, ele manifestou grande preocupação em relação à condição espiritual deles. Muitos membros da igreja tinham se afastado do ideal de Deus. A situação era grave, incluindo imoralidade sexual que, de acordo com Paulo, não era vista nem mesmo entre os pagãos (1Co 5:1). Surgiu uma série de problemas que Paulo teve que enfrentar. Diante desse pano de fundo, não é difícil entender por que a igreja de Corinto necessitava de reavivamento e reforma. “Por toda parte se ouve que há imoralidade entre vocês, imoralidade que não ocorre nem entre os pagãos, a ponto de alguém de vocês possuir a mulher de seu pai”. 1Co 5:1. NVI 2. Que conselho Paulo deu aos coríntios sobre a vida espiritual deles? Qual é a ideia principal nos textos a seguir? 1Co 6:19, 20; 9:24-27; 13:13; 15:1, 2, 27, 28 “Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por preço. Agora, pois, glorificai a Deus no vosso corpo.” 1 Coríntios 6:19-20 RA “Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis. Todo atleta em tudo se domina; aqueles, para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, a incorruptível. Assim corro também eu, não sem meta; assim luto, não como desferindo golpes no ar. Mas esmurro o meu corpo e o reduzo à escravidão, para que, tendo pregado a outros, não venha eu mesmo a ser desqualificado.” 1 Coríntios 9:24-27 RA “Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor.” 1 Coríntios 13:13 RA “Irmãos, venho lembrar-vos o evangelho que vos anunciei, o qual recebestes e no qual ainda perseverais; por ele também sois salvos, se retiverdes a palavra tal como vo-la preguei, a menos que tenhais crido em vão.” 1 Coríntios 15:1-2 RA “Porque todas as coisas sujeitou debaixo dos pés. E, quando diz que todas as coisas lhe estão sujeitas, certamente, exclui ramos@advir.comramos@advir.com
  3. 3. aquele que tudo lhe subordinou. Quando, porém, todas as coisas lhe estiverem sujeitas, então, o próprio Filho também se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos.” 1 Coríntios 15:27-28 RA O apóstolo Paulo exortou-os a continuar firmes na fé e fazer da glória de Deus o principal objetivo de sua vida. Ele tranquilizou os coríntios quanto ao seu amor e assegurou-lhes que o poder de Deus era maior do que qualquer tentação que eles enfrentassem (1Co 10:13). 3. Como a igreja de Corinto respondeu ao conselho de Paulo? 2Co 7:8-12 “Porquanto, ainda que vos tenha contristado com a carta, não me arrependo; embora já me tenha arrependido (vejo que aquela carta vos contristou por breve tempo), agora, me alegro não porque fostes contristados, mas porque fostes contristados para arrependimento; pois fostes contristados segundo Deus, para que, de nossa parte, nenhum dano sofrêsseis. Porque a tristeza segundo Deus produz arrependimento para a salvação, que a ninguém traz pesar; mas a tristeza do mundo produz morte. Porque quanto cuidado não produziu isto mesmo em vós que, segundo Deus, fostes contristados! Que defesa, que indignação, que temor, que saudades, que zelo, que vindita! Em tudo destes prova de estardes inocentes neste assunto. Portanto, embora vos tenha escrito, não foi por causa do que fez o mal, nem por causa do que sofreu o agravo, mas para que a vossa solicitude a nosso favor fosse manifesta entre vós, diante de Deus.” 2 Coríntios 7:8-12 RA Paulo ficou muito feliz com a resposta dos coríntios. Embora ainda tivesse preocupações, ele escreveu: “Alegro-me porque, em tudo, posso confiar em vós” (2Co 7:16). Que mudança! Em sua primeira carta aos Coríntios, Paulo os repreendeu como “carnais”. Em sua segunda carta, ele expressou total confiança na nova experiência deles com Deus. O Espírito Santo trouxe renovação espiritual aos coríntios. Esse reavivamento trouxe uma reforma correspondente. A reforma os levou a hábitos, vidas e relacionamentos transformados. Os coríntios ainda enfrentaram desafios espirituais. Eles tiveram provações, mas fizeram avanços significativos em sua fé cristã. Reavivamento e reforma não são uma panaceia para resolver todos os nossos problemas espirituais. Eles fazem parte de uma contínua jornada de fé. Terça - Apelo no Apocalipse para reforma em Éfeso Ano Bíblico: Lamentações As sete igrejas descritas em Apocalipse 2 e 3 representam a igreja cristã ao longo dos séculos. Essa visão tem sido aceita por estudiosos da Bíblia através dos séculos. Teólogos adventistas do sétimo dia historicamente têm também assumido essa posição. O anjo instruiu João: “Escreve, pois, as coisas que viste, e as que são, e as que hão de acontecer depois destas” (Ap 1:19). A visão das sete igrejas diz respeito ao passado, presente e futuro. Ela registra os triunfos da igreja de Deus, assim como seus fracassos. Compartilha as vitórias da igreja, bem como suas derrotas. Embora as sete igrejas representem uma continuidade histórica da fé cristã através dos séculos, há lições vitais em cada uma dessas igrejas para o povo de Deus hoje. Éfeso, por exemplo, apresenta uma notável ilustração do apelo celestial em favor de reavivamento e reforma. 4. Leia Apocalipse 2:1-6. Quais são as virtudes dessa igreja? Quais são os problemas? “A o anjo da igreja em Éfeso escreve: Estas coisas diz aquele que conserva na mão direita as sete estrelas e que anda no meio dos sete candeeiros de ouro: Conheço as tuas obras, tanto o teu labor como a tua perseverança, e que não podes suportar homens maus, e que puseste à prova os que a si mesmos se declaram apóstolos e não são, e os achaste mentirosos; e tens perseverança, e suportaste provas por causa do meu nome, e não te deixaste esmorecer. Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor. Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras; e, se não, venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas. Tens, contudo, a teu favor que odeias as obras dos nicolaítas, as quais eu também odeio.” Apocalipse 2:1-6 RA Éfeso é equiparada com a igreja do Novo Testamento, de aproximadamente 31 d.C. a 100 d.C. Aqueles primeiros cristãos eram zelosos por sua fé. Eles trabalharam incessantemente pelo progresso do evangelho. Os discípulos foram zelosos em preservar a pureza doutrinária da igreja. Eles não tinham tolerância para com a heresia e eram ferozes defensores da verdade. No entanto, com o passar do tempo, os cristãos começaram a perder seu “primeiro amor”. Colocaram o dever no lugar da devoção. Fazer a obra de Jesus se tornou mais importante do que o relacionamento com Ele. Gradualmente, e de forma quase imperceptível, sua experiência com Jesus começou a enfraquecer. Eles estavam trabalhando arduamente para defender a fé, mas algo vital estava faltando em sua experiência espiritual. Havia extrema carência do amor por Jesus e de uns para com os outros. Como foi quando você conheceu Jesus? Como você pode manter o “primeiro amor”? Por que isso é tão importante? Que coisas ameaçam afastá-lo desse amor? Quarta - Apelo de Lutero para reforma Ano Bíblico: Ez 1–3 Quando pensamos na palavra reforma, nossa mente é naturalmente atraída para a Reforma Protestante e Martinho Lutero. ramos@advir.comramos@advir.com
  4. 4. Até então, o cristianismo ocidental estava, na maior parte, fechado na tradição. Os dogmas da igreja ofuscaram os ensinamentos de Jesus. A tradição se tornou mais citada do que as Escrituras. Multidões foram dominadas pelo medo, tendo pouca ou nenhuma certeza de salvação. Confusas e perplexas, lutavam para acreditar que Deus realmente desejava salvá-las. Foi nesse momento crucial da história religiosa que Deus levantou Martinho Lutero, entre outros, para conduzir Seu povo a uma reforma completa. Lutero tinha lutado com o sentimento de culpa durante anos até o momento em que brilhou a luz do evangelho. 5. Por que as palavras do livro de Romanos causaram impacto tão poderoso na vida de Lutero? Por que elas são vitais para nos conduzir a um reavivamento da fé e à reforma? Rm 1:16, 17; 3:21-25;5:6-11; 8:1-4 “Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego; visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito: O justo viverá por fé.” Romanos 1:16-17 RA “Mas agora, sem lei, se manifestou a justiça de Deus testemunhada pela lei e pelos profetas; justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo, para todos [e sobre todos] os que crêem; porque não há distinção, pois todos pecaram e carecem da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus, a quem Deus propôs, no seu sangue, como propiciação, mediante a fé, para manifestar a sua justiça, por ter Deus, na sua tolerância, deixado impunes os pecados anteriormente cometidos;” Romanos 3:21-25 RA “Porque Cristo, quando nós ainda éramos fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios. Dificilmente, alguém morreria por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém se anime a morrer. Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores. Logo, muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira. Porque, se nós, quando inimigos, fomos reconciliados com Deus mediante a morte do seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida; e não apenas isto, mas também nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, por intermédio de quem recebemos, agora, a reconciliação.” Romanos 5:6-11 RA “Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus. Porque a lei do Espírito da vida, em Cristo Jesus, te livrou da lei do pecado e da morte. Porquanto o que fora impossível à lei, no que estava enferma pela carne, isso fez Deus enviando o seu próprio Filho em semelhança de carne pecaminosa e no tocante ao pecado; e, com efeito, condenou Deus, na carne, o pecado, a fim de que o preceito da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito.” Romanos 8:1-4 RA “Os pecadores só podem ser justificados por Deus quando Ele lhes perdoa os pecados, suspende a punição que eles merecem e os trata como se realmente fossem justos e não houvessem pecado, dispensando-lhes o favor divino e tratando-os como se fossem justos. Eles são justificados unicamente pela justiça imputada por Cristo. O Pai aceita o Filho e, mediante o sacrifício expiatório de Seu Filho, aceita o pecador” (Ellen G. White, Mensagens Escolhidas, v. 3, p. 194). Entender a graça transforma a vida. É a própria essência do cristianismo. A imerecida graça de Deus é a pedra angular da nossa fé. Por meio da vida, morte, ressurreição e ministério sacerdotal de Jesus, o dom da vida eterna é nosso. Recebendo-o pela fé, temos a certeza da salvação. Reavivamento está relacionado com a apreciação diária do dom da graça. Não há nada mais espiritualmente edificante do que se alegrar diariamente na bondade e graça de Deus. Reforma é simplesmente viver essa graça em tudo o que fazemos. Pense no fato de que a salvação é encontrada no que Cristo fez por você. Por que essa verdade deve ser a base de todo reavivamento e reforma em sua vida? Quinta - Apelo do Céu por uma reforma no tempo do fim Ano Bíblico: Ez 4–7 A Igreja Adventista do Sétimo Dia é um movimento de reforma. Ela foi levantada por Deus para restaurar as verdades bíblicas perdidas de vista muitos séculos atrás. Embora o Espírito Santo tenha operado poderosamente por intermédio dos reformadores, havia verdades vitais que eles não compreenderam inteiramente. Deus ainda tinha mais verdades para revelar ao Seu povo. O Senhor não está interessado em nossa compreensão da verdade apenas para encher nossa mente com mais conhecimento religioso. Verdades bíblicas são janelas para Seu coração. Elas revelam algo sobre Seu caráter. Quanto mais claramente compreendemos as verdades de Sua Palavra, mais completamente entenderemos a profundidade de Seu amor. A falsa doutrina distorce o caráter do Senhor. A verdade desmascara as mentiras do diabo e revela quem ele realmente é. Desde o início do grande conflito no Céu, Satanás tentou difamar o caráter divino. Ele mentiu sobre as intenções de Deus para com Suas criaturas. Mas, na vida que Ele viveu, nas verdades que Ele ensinou e na morte que Ele experimentou, Jesus revelou como é realmente o Pai celestial. 6. Leia atentamente a divina mensagem de reavivamento e reforma para o tempo do fim (Ap 14:6, 7, 12). O que esses ramos@advir.comramos@advir.com
  5. 5. versos nos ensinam sobre o caráter de Deus? “Vi outro anjo voando pelo meio do céu, tendo um evangelho eterno para pregar aos que se assentam sobre a terra, e a cada nação, e tribo, e língua, e povo, dizendo, em grande voz: Temei a Deus e dai-lhe glória, pois é chegada a hora do seu juízo; e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas.” Apocalipse 14:6-7 RA “Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.” Apocalipse 14:12 RA A mensagem do “evangelho eterno” para o tempo do fim inclui um chamado para obedecer à vontade de Deus tendo em vista a hora do juízo. O juízo revela a todo o Universo a justiça e a misericórdia de Deus. Nesta época de crença na evolução, a mensagem de reforma também chama o povo de volta à adoração do Criador no verdadeiro sábado bíblico. O sábado é uma impressionante repreensão ao erro da evolução darwinista e para a representação cruel e violenta de Deus que ela apresenta. O que significa o fato de que o fundamento dessas mensagens é o “evangelho eterno”? Como você pode ter diariamente a certeza de que a mensagem do evangelho é para você? Por que é tão importante que você a reivindique diariamente? Sexta - Estudo adicional Ano Bíblico: Ez 8–10 “Precisa haver um reavivamento e uma reforma, sob a ministração do Espírito Santo. Reavivamento e reforma são duas coisas diversas. Reavivamento significa renovação da vida espiritual, um avivamento das faculdades da mente e do coração, uma ressurreição da morte espiritual. Reforma significa uma reorganização, uma mudança nas ideias e teorias, hábitos e práticas. A reforma não trará o bom fruto da justiça, a menos que seja ligada com o reavivamento do Espírito. Reavivamento e reforma devem efetuar a obra que lhes é designada e, em realizá-la, precisam se unir” (Ellen G. White, Mensagens Escolhidas, v. 1, p. 128). “Seja qual for sua profissão religiosa, unicamente os que, de coração, se fazem servos do mundo, é que agem, em matéria de religião, por conveniência e não por princípios. Devemos escolher o direito, porque é direito, e com Deus deixar as consequências. A homens de princípios, fé e ousadia, o mundo deve as grandes reformas. Por tais homens tem de ser levada avante a obra de reforma para este tempo” (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 460). Perguntas para reflexão 1. O que deve vir primeiro: reavivamento ou reforma? Por quê? 2. Por que reavivamento e reforma são, acima de tudo, um assunto do coração? Por que isso deve começar individualmente, com uma escolha consciente de renovar nossa caminhada com o Senhor? Qual é o perigo de esperar que a pessoa sentada ao seu lado no banco da igreja faça isso, ou esperar que isso seja iniciado pelo pastor? Por que você deve fazer agora a escolha de se entregar ainda mais plenamente ao Senhor? 3. Nada poderia neutralizar mais o chamado ao reavivamento e reforma do que um espírito áspero e crítico para com os que parecem não viver de acordo com os padrões que pensamos que eles deveriam viver. Como podemos evitar essa perigosa armadilha e, ao mesmo tempo, defender as verdades que nos foram confiadas? Respostas sugestivas: 1. O povo foi chamado a buscar ao Senhor por meio do jejum e oração; deviam crer em Deus e confiar nos Seus profetas. Assim teriam segurança e prosperidade. 2. Deviam glorificar a Deus no corpo, que é o templo do Espírito Santo; ter domínio próprio em tudo; submeter corpo e mente à disciplina espiritual; perseverar na fé, esperança e amor até a volta de Cristo. 3. Ficou arrependida e encontrou a salvação. Demonstrou dedicação, temor e justiça. 4. Trabalho, paciência, rejeição do mal e perseverança em promover o nome de Cristo. Problemas: deixou o primeiro amor, caiu e abandonou as primeiras obras. 5. Romanos mostra que somos salvos pela fé, independentemente de etnia e status social; o evangelho revela a justiça pela fé, à parte da lei. Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. Cristo vive para nos conduzir no caminho do perdão e santificação. 6. Deus é amor e justiça. Ele nos criou e nos salva com o evangelho eterno. Por isso, deve ser respeitado e glorificado. O juízo mostrará quem aceitou os mandamentos e a fé de Jesus. Texto-chave: 2 Crônicas 20:17-20 17 Nesta peleja, não tereis de pelejar; parai, estai em pé e vede a salvação do SENHOR para convosco, ó Judá e Jerusalém; não temais, nem vos assusteis; amanhã, saí-lhes ao encontro, porque o SENHOR será convosco. 18 Então, Josafá se prostrou com o rosto em terra; e todo o Judá e os moradores de Jerusalém se lançaram perante o SENHOR, adorando o SENHOR. 19 E levantaram-se os levitas, dos filhos dos coatitas e dos filhos dos coraítas, para louvarem o SENHOR, Deus de Israel, com voz muito alta. 20 E, pela manhã cedo, se levantaram e saíram ao deserto de Tecoa; e, saindo eles, pôs-se em pé Josafá e disse: Ouvi-me, ó Judá e vós, moradores de Jerusalém: Crede no SENHOR, vosso Deus, e estareis seguros; crede nos seus profetas e prosperareis. 2 Crônicas 20:17-20. RC. O aluno deverá... ramos@advir.comramos@advir.com
  6. 6. Conhecer: Os fatores que levaram à reforma nos tempos do rei Josafá, do apóstolo Paulo em Corinto e Éfeso, de Lutero e, finalmente, do movimento adventista. Sentir: O mais profundo desejo de crescer na graça, abandonar hábitos pecaminosos e se tornar mais semelhante a Jesus. Fazer: Seguir o conselho de Josafá: “Crede no Senhor, vosso Deus, e estareis seguros; crede nos seus profetas e prosperareis” (2Cr 20:20). O aluno deve aceitar também o fato de que as mensagens proféticas do Céu são relevantes para sua vida hoje e, pelo poder do Espírito Santo, viver em harmonia com Sua vontade revelada. Esboço I. Conhecer: Compreendendo a reforma A. Quando você pensa na palavra reforma, quais palavras lhe vêm à mente? Se alguém é chamado de reformador, que imagem você tem dessa pessoa? B. Como a Bíblia descreve a reforma? (2Pe 3:18.) C. Por que as igrejas de Corinto e Éfeso precisavam de reforma? O que precisava ser mudado? D. O que faz da Igreja Adventista do Sétimo dia um movimento de reforma? II. Sentir: Aplicando os princípios da reforma A. Que lições podemos aprender com o apelo de Josafá ao povo de Deus? B. No urgente apelo de Paulo aos coríntios, qual é a verdade mais importante para sua vida? C. Como a mensagem de João em Apocalipse 2 se relaciona com a igreja de Éfeso? III. Fazer: Agindo de acordo com o conhecimento A. Que passos precisamos dar quando Deus nos desperta o coração pelo ministério do Espírito Santo no reavivamento? B. Por que é mais fácil fazer uma declaração geral, tal como: “Senhor, eu entrego minha vida a Ti”, do que submeter a Jesus hábitos ou atitudes específicas indicadas pelo Espírito Santo? Resumo: Reforma é uma mudança em nosso pensamento pela qual vemos o pecado a partir da perspectiva divina e renunciamos a toda prática, hábito ou atitude que não estejam em harmonia com Sua vontade. Reforma não ocorre por meio de nossa força, mas pela presença e poder de convencimento do Espírito Santo. Ciclo do Aprendizado Motivação Focalizando a Palavra: Sofonias 2:11; 3:12, 13, 17 Conceito-chave para o crescimento espiritual: Sofonias apresentou um Deus maravilhoso que julgará o mundo inteiro. Ele não apenas anunciou a vinda do Dia do Senhor, mas declarou quem (e como) poderá suportar o dia do juízo. Em resultado, o remanescente fiel de todas as nações virá e adorará o único Deus verdadeiro. Somente para o professor: A lição desta semana enfatiza a imagem de Deus como Juiz que convida as pessoas a se arrependerem. Esse Deus preserva e salva os remanescentes das nações e de Judá, abraçando-os com Seu amor incomparável e alegre. Comentário Bíblico I. Crescimento espiritual (Recapitule com a classe 2Pe 3:18.) A ideia de crescer, encontrada na exortação de Pedro, “crescei na graça”, não é estática, mas ativa. A passagem poderia ser traduzida como “continuem crescendo na graça”. Esses primeiros cristãos tinham feito muito progresso na vida espiritual, mas deviam continuar a crescer. Eles poderiam dizer como Paulo: “Prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus” (Fp 3:14). A vida cristã é uma dinâmica aventura de crescimento, buscando refletir de modo mais completo a beleza do caráter de Jesus. Crescemos na graça quando a experimentamos diariamente em nossa vida. Desejamos “[crescer] em tudo nAquele que é a cabeça, Cristo” (Ef 4:15). À medida que crescemos na graça, o amor por Ele se torna mais forte e a gratidão por Seu sacrifício na cruz se aprofunda. Pense nisto: Quanto mais O conhecemos, mais O amamos, e quanto mais O amamos, mais a nossa vida é transformada. Esse é o caminho para o verdadeiro reavivamento e reforma. Como podemos crescer ativa e diariamente na graça? II. Ser antes de fazer (Recapitule com a classe Ap 2:1-6.) Encontramos nesse texto as características positivas da congregação em Éfeso, uma igreja que trabalhava. Seus líderes e membros trabalhavam até a exaustão. A palavra para “labor” em Apocalipse 2:2 é kopos, o que implica cansaço de árdua labuta. A igreja de Éfeso estava comprometida com a obra do Senhor. Eles não se esquivavam do dever ou responsabilidade. Essa igreja era doutrinariamente conservadora. Defendia vigorosamente a fé. Um grupo chamado nicolaítas, que, evidentemente, não acreditava na divindade de Cristo e desprezava a obediência, atormentava com sua heresia a igreja em Éfeso. A liderança da igreja confrontou esse grupo com a verdade da Palavra de Deus. Os efésios estavam preocupados com a pureza doutrinária da igreja. Eram fervorosos defensores da fé. No entanto, o Cristo vivo falou ramos@advir.comramos@advir.com
  7. 7. estas palavras de repreensão: “Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor” (Ap 2:4). Eles colocaram o dever no lugar da devoção e a obra de Cristo acima de Cristo. Eram ativos, mas não dedicados à oração. Cristo os chamou a fazer três coisas: lembrar, arrepender-se e voltar. Quando estamos espiritualmente vazios, Cristo nos chama a lembrar do tempo em que nosso coração estava preenchido com Sua graça. Ele pede que nos arrependamos da vida sem oração, da falta de estudo devocional da Bíblia e da perda de foco espiritual, e voltemos às práticas cristãs básicas que trazem força espiritual. Pense nisto: Cristianismo é conhecer Jesus e ser como Ele. Por que é fácil colocar o que fazemos por Jesus no lugar do tempo dedicado a conhecê-Lo pessoalmente? De onde vem o poder para a mudança? III. Comprometimento no tempo do fim (Recapitule com a classe Ap 14:6, 7.) Apocalipse 14:6, 7 apresenta a essência da mensagem adventista de reforma. Essa mensagem é um convite para voltar à verdade do evangelho eterno. Ellen G. White descreve de maneira linda o evangelho e a mensagem da justificação pela fé: “Que é justificação pela fé? É a atuação de Deus abatendo até ao pó a glória do homem, e fazendo por ele aquilo que não está em sua capacidade fazer por si mesmo. Quando o homem percebe sua completa desvalia, então está preparado para ser vestido com a justiça de Cristo”. A Fé Pela Qual Eu Vivo [MM 1959], p. 109. Essa mensagem da total suficiência de Sua graça redentora deve alcançar os confins da Terra antes da vinda de Jesus. A mensagem de reavivamento e reforma, que exalta a beleza de Jesus, é uma mensagem universal. Ela chama todos os homens e mulheres em todos os lugares a “glorificar” a Deus harmonizando a vida com Sua vontade, à luz do juízo final da Terra. É um chamado à verdadeira adoração, tendo o sábado em seu centro, como o eterno memorial de que Cristo criou o mundo. Pense nisto: O apelo final do Céu a um planeta em rebelião é uma mensagem de reforma física, mental e espiritual. Qual é a relação entre a saúde física e a espiritualidade? É importante guardar as avenidas da mente? Que impacto as atividades de lazer têm sobre o nosso relacionamento com Deus? Aplicação Pergunta para reflexão Em que área da vida você experimentou “reforma” ou mudança de atitudes e comportamentos? Você tem crescido na graça? Seja específico. Gostaria de compartilhar sua experiência? Especifique como suas atitudes e práticas de estilo de vida mudaram, à medida que o Espírito Santo lhe convenceu. Pergunta de aplicação Em quais áreas da vida o Espírito Santo tem sugerido que você faça mudanças? Passe alguns momentos meditando sobre essas áreas e entregue-as a Jesus, enquanto dedica dois minutos à oração silenciosa. Atividades práticas Somente para o professor: Encoraje a classe a participar das atividades devocionais a seguir, a fim de colocar em prática os princípios que estudamos durante a semana. 1. Com a Bíblia aberta, ore usando as palavras de Davi no Salmo 51. Leia em voz alta dois ou três versos cada dia. Peça que Deus aprofunde sua compreensão de como esses versos se aplicam à sua vida. Que a oração de Davi seja também a sua! 2. Leia o conhecido hino “Minha Entrega” (Hinário Adventista, 287) em sua devoção matinal e peça que o Espírito Santo aplique as palavras a seu coração: Cristo, bom Mestre, eis meu querer: Tua vontade sempre cumprir; Faze-me forte para vencer Duras fraquezas que possam vir. Cristo, bom Mestre, eis meu querer: Mais santidade sempre buscar; Faze-me firme, dá-me poder Para a verdade nunca deixar. Cristo, bom Mestre, eis meu querer: Todas as minhas faltas vencer; Faze-me rijo para lutar, Para a vitória sempre ganhar. Adelaide Pollard (1862-1934) e George Coles Stebbins (1846-1945) Planejando atividades: O que sua classe de Escola Sabatina pode fazer na próxima semana como resposta ao estudo da lição? ramos@advir.comramos@advir.com

×