SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 5
Baixar para ler offline
Deus e a revelação
Lição 2                                                                                                             6 a 13 de outubro

VERSO PARA MEMORIZAR:“Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, nestes
 últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, pelo qual também fez o Universo” (Hb
                                                          1:1, 2).

A Bíblia toda é uma revelação, pois toda revelação aos seres humanos vem por intermédio de Cristo e nEle se centraliza .
Deus tem falado a nós por meio de Seu Filho, a quem pertencemos pela criação e redenção. Manuscrito 129, 1905.

A Bíblia não nos é dada em elevada linguagem sobre-humana. A fim de chegar aos homens onde eles se encontram,
Jesus revestiu-Se da humanidade. A Bíblia precisa ser dada na linguagem dos homens. Tudo quanto é humano é
imperfeito. Significações diversas são expressas pela mesma palavra; não há uma palavra para cada ideia distinta. A
Bíblia foi dada para fins práticos.
Diferentes são os cunhos mentais. As expressões e declarações não são compreendidas da mesma maneira por todos.
Alguns entendem as declarações das Escrituras segundo sua mente e casos especiais. As prevenções, os preconceitos e
as paixões têm forte influência para obscurecer o entendimento e confundir a mente mesmo ao ler as palavras da Santa
Escritura. …
A Bíblia foi escrita por homens inspirados, mas não é a maneira de pensar e exprimir-Se de Deus . Esta é da humanidade.
Deus, como escritor, não Se acha representado. Os homens dirão muitas vezes que tal expressão não é própria de Deus.
Ele, porém, não Se pôs à prova na Bíblia em palavras, em lógica, em retórica. Os escritores da Bíblia foram os
instrumentos de Deus, não Sua pena. Olhai os diversos escritores.
Não são as palavras da Bíblia que são inspiradas, mas os homens é que o foram . A inspiração não atua nas palavras do
homem ou em suas expressões, mas no próprio homem que, sob a influência do Espírito Santo, é possuído de
pensamentos. As palavras, porém, recebem o cunho da mente individual. A mente divina é difusa. A mente divina, bem
como Sua vontade, é combinada com a mente e a vontade humanas; assim as declarações do homem são a Palavra de
Deus. Mensagens Escolhidas, vol. 1, págs. 20 e 21.

Objetivo: Entender que a bíblia foi dada para orientar nosso procedimento diário, é o revelador da vontade de Deus, ela
testifica de jesus Jo. 5:39, é a única estabelecida como regra de fé e prática. Mat. 4:4.


                                                Domingo: A doutrina da Escritura

1. Como os autores do Novo Testamento consideravam as Escrituras? 2Pe 1:19-21

Temos, assim, tanto mais confirmada a palavra profética, e fazeis bem em atendê-la, como a uma candeia que brilha em
lugar tenebroso, até que o dia clareie e a estrela da alva nasça em vosso coração, sabendo, primeiramente, isto: que
nenhuma profecia da Escritura provém de particular elucidação; porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por
vontade humana; entretanto, homens [santos] falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo. (2 Ped. 1:19-21)

- Da mesma forma que os do Antigo testamento Sal. 119:105; Prov. 6:23; Sal. 19:8, como uma lâmpada para guiar os pés
dos que andam em meio a lugares tenebrosos.

Os que realmente amam a Deus têm evidências interiores de que são amados por Ele, de que têm comunhão com Cristo,
de que seu coração é aquecido por ardente amor para com Ele. A verdade para este tempo é aceita com firme confiança.
Review and Herald, 12 de maio de 1896.

2. Quais são a utilidade e o propósito da Bíblia? 2Tm 3:16, 17

Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na
justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra. (2 Tim. 3:16-17)

- Toda a Escritura (tanto o Antigo quanto o Novo Testamento) é útil para o ensinar, repreender, corrigir e para adquirir experiencia
na prática na justiça; para que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente capacitado a praticar toda boa obra.

Em Sua Palavra, Deus conferiu aos homens o conhecimento necessário à salvação. As Santas Escrituras devem ser
aceitas como autorizada e infalível revelação de Sua vontade. Elas são a norma do caráter, o revelador das doutrinas, a
pedra de toque da experiência religiosa. O Grande Conflito, p. 9.

3. Que verdades cruciais sobre as Escrituras e sua autoridade podemos aprender com Jesus? Mt 4:4, 7, 10;22:41-46; Jo 10:34, 35

Jesus, porém, respondeu: Está escrito: Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de
Deus. (Mat. 4:4)
Respondeu-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor, teu Deus. (Mat. 4:7)
Então, Jesus lhe ordenou: Retira-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto.
(Mat. 4:10)


                                                        ramos@advir.com
... Se Davi, pois, lhe chama Senhor, como é ele seu filho? E ninguém lhe podia responder palavra, nem ousou alguém, a
partir daquele dia, fazer-lhe perguntas. (Mat. 22:41-46)
Replicou-lhes Jesus: Não está escrito na vossa lei: Eu disse: sois deuses? Se ele chamou deuses àqueles a quem foi
dirigida a palavra de Deus, e a Escritura não pode falhar, (João 10:34-35)

- O homem viverá de toda palavra que procede da boca de Deus, e é a bíblia que revela está palavra, ao estudar e
praticar seus ensinos recebemos base sólida para que sejamos protegidos dos enganos do inimigo
Os que ouvem as palavras de Cristo e obedecem a elas estão edificando sobre a rocha, e quando vier a tempestade, sua
casa não desabará. Obterão a vida eterna pela fé em Jesus Cristo. Os que são ouvintes mas não praticantes de Suas
palavras, estão edificando sobre o fundamento da incerteza, que é de areia, e serão surpreendidos pela calamidade.
Manuscrito 27, 1886.


                                                Segunda: A natureza da inspiração

4. Que aparentes diferenças existem nos relatos da morte de Judas? At 1:18; Mt 27:5

(Ora, este homem adquiriu um campo com o preço da iniquidade; e, precipitando-se, rompeu-se pelo meio, e todas as
suas entranhas se derramaram; (Atos 1:18)

Então, Judas, atirando para o santuário as moedas de prata, retirou-se e foi enforcar-se. (Mat. 27:5)

- Em Mat. 27:5 diz que “retirou-se e foi enforcar-se”, em Atos “precipitando-se, rompeu-se pelo meio, e todas as suas
entranhas se derramaram” o Verbo precipitar, tem também o sentido de inchar; dando o significado de que depois de se
enforcar, e até que o encontraram seu corpo inchou e se rompeu.

"A Bíblia aponta a Deus como seu autor; no entanto, foi escrita por mãos humanas, e no variado estilo de seus diferentes
livros apresenta as características dos diversos escritores. As verdades reveladas são todas dadas por inspiração de Deus
(II Tim. 3:16); acham-se, contudo, expressas em palavras de homens. O Ser infinito, por meio de Seu Santo Espírito
derramou luz na mente e no coração de Seus servos. Deu sonhos e visões, símbolos e figuras; e aqueles a quem a
verdade foi assim revelada, corporificaram, eles próprios, o pensamento em linguagem humana.
"Os Dez Mandamentos foram proferidos pelo próprio Deus, e escritos por Sua própria mão. São de composição divina e
não humana. Mas a Bíblia, com suas verdades dadas por Deus expressas na linguagem dos homens, apresenta uma
união do divino com o humano. Tal união existia na natureza de Cristo, que era o Filho de Deus e o Filho do homem.
Assim, é verdade quanto à Bíblia, como acerca de Cristo, que 'o Verbo Se fez carne, e habitou entre nós'. João 1:14.
"Escritos em diferentes séculos, por homens que diferiam largamente em posições e em ocupação, bem como nos dotes
mentais e espirituais, os livros da Bíblia apresentam vasto contraste no estilo, assim como diversidade quanto à natureza
dos assuntos desenvolvidos. Formas diferentes de expressão foram empregadas pelos vários escritores; muitas vezes a
mesma verdade é apresentada de maneira mais impressionante por um que por outro. E ao apresentarem vários
escritores um assunto sob diversos aspectos e relações, poderá talvez parecer ao leitor superficial, descuidoso ou
possuído de preconceitos, ser discrepância ou contradição, aquilo em que o estudioso refletido, reverente, de mais clara
visão, discerne o fundamento harmônico.
Sendo tratada por pessoas diferentes, a verdade é apresentada nos seus diversos aspectos. Um escritor apresenta os
pontos que se harmonizam com sua experiência ou com sua capacidade de percepção e apreciação, ao passo que outro
prefere encarar a verdade por outro prisma. Todos eles, porém, atuam sob a direção do mesmo Espírito para apresentar
aquilo que mais particular impressão exerce sobre o seu espírito, resultando daí uma variedade de aspectos da mesma
verdade, mas perfeitamente harmônicos entre si. As verdades assim reveladas formam um todo perfeito que
admiravelmente se adapta às necessidades humanas em todas as condições e experiências da vida.
Deus escolheu comunicar Sua verdade ao mundo através de pessoas, que Ele mesmo, pelo Seu Espírito, habilitou e
autorizou para realizarem Sua obra. Ele guiou a mente na escolha do que dizer e escrever. O tesouro foi confiado a vasos
de barro, sem, contudo, perder coisa alguma de sua origem celestial. O testemunho é transmitido mediante a imperfeita
expressão da linguagem humana, conservando todavia o seu caráter de testemunho de Deus; e o obediente, crente filho
de Deus nele contempla a glória do poder divino, cheio de graça e de verdade. Mensagens Escolhidas, v. 1 pp. 25-26.


                        Terça: O mistério do Deus triúno (Devido a necessidade atual do tema, estendi o assunto)

- Este assunto não é um mistério para nos, pelo contrário é parte integrante de nossas doutrinas fundamentais, disse
Jesus: “A vós é dado conhecer os mistérios do Reino de Deus”. Luc. 8:10.

- É de nossa competência e responsabilidade “Que os homens nos considerem como ministros, de Cristo (pessoas que
exercem funções específicas relacionadas com seus dons, para serem participantes dentro do plano da salvação, e que tem autoridade e
responsabilidades concedidas pelo governo divino), e despenseiros (que distribuem aos que tem necessidade de entender) dos mistérios de
Deus”. I Cor. 4:1. (Ler o testemunho de Paulo em Efésios 3:1:12).

5. Que verdade fundamental sobre Deus foi apresentada por Moisés? Dt 6:4; Mc 12:29

Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR. (Deut. 6:4)

E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste. (João 17:3)


                                                         ramos@advir.com
Respondeu Jesus: O principal é: Ouve, ó Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor! (Mar. 12:29)

E sabemos que já o Filho de Deus é vindo e nos deu entendimento para conhecermos o que é verdadeiro; e no que é
verdadeiro estamos, isto é, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna. (I Jo. 5:20)

Ora, o Senhor é Espírito; e onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade. II Cor. 3:17.

Deus é Espírito. Jo. 4:24

Mas, quando vier o Consolador, que eu da parte do Pai vos hei de enviar, aquele Espírito (O Senhor ou Deus II Cor. 3:17;
Jo. 4:24) da verdade (ou Verdadeiro), que procede do Pai, testificará de mim. Jo. 14:15-17; 15:26; 16:13.

- Moisés apresenta a Deus (o Pai) como sendo o único Senhor Deut. 6:4, o Deus verdadeiro ou da verdade Sal. 31:5, João
diz por revelação que este é Jesus (o Filho) I Jo. 5:20, temos textos que dizem que (o Espírito) da verdade ou verdadeiro
Jo. 14:15-17; 15:26; 16:13, é o Senhor II Cor. 3:17; Jo. 4:24 mas não é um? A definição está no comentário abaixo.

6. O que a Bíblia explica sobre a realidade interior (a pluralidade) de Deus? Gn 1:26; 3:22; 11:7; Jo 1:1-3, 18; 20:28, 2Co 13:13;Mt 28:19

Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança ... (Gên. 1:26)
Então, disse o SENHOR Deus: Eis que o homem se tornou como um de nós, conhecedor do bem e do mal... (Gên. 3:22)
Vinde, desçamos e confundamos ali a sua linguagem, para que um não entenda a linguagem de outro. (Gên. 11:7)
No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as
coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez. (João 1:1-3)
Ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou. (João 1:18)
Respondeu-lhe Tomé: Senhor meu e Deus meu! (João 20:28)
Todos os santos vos saúdam. A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo sejam
com vós todos. Amém! (2 Cor. 13:13 ou 14)
Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; (Mat.
28:19)

- A Bíblia afirma explicitamente que a divindade, o poder eterno, universal e absoluto, ou governo celeste é uma unidade de
seres ou personalidades distintas, cada um exercendo uma função especifica no plano de salvar o homem, essas funções
são claramente repartidas em três; Na Criação Gên. 1:1-2; 1:26 (“Elohim” do Heb. 'KI Deus Criador no plural Gên. 1:1, el
singular de 'E'lôhîm (tem o mesmo significado que 'Kl) veja “Ouve, ó Israel; o Senhor nosso Deus é o único Senhor”. Deut. 6:4 “único”
e “um só” a palavra é do Heb. “echad” unidade composta, a mesma palavra de Gên. 2:24), (paticipação do Filho) Jo. 1:1-3, 14; Col.
1:15-17; Heb. 1:2 (paticipação do Espírito Santo) Jó 33:4; Jó 26:13; Salmo 33:6 (Algumas traduções definem como sopro ou
vento, nomes e símbolos apropriados para o Espírito Santo usados no decorrer de toda a bíblia) na rebelião da torre de babel Gên.
11:5-7, na encarnação Mat. 1:18, 20; Lucas 1:35; no batismo de Jesus Mateus 3:16-17; na comissão evangélica Mateus
28:19; na ressurreição de Jesus (Pai) Atos 3:26; Atos 17:30-31 (Filho) Jo. 10:17-18; João 2:19-21; I Jo. 5:20; (Espírito santo)
Romanos 8:11; I Cor. 6: 14, o relacionamento que devemos ter com “Elohim”, o único “echad” Deus, é bem definido pela
benção apostólica 2 Coríntios 13:13. (algumas bíblias estão como verso 14).

De uma forma bem objetiva podemos afirmar que: O Pai nos ama e envia o filho Jo. 3:16; o Filho nos ama e dá sua vida
como sacrifício Mat. 20:28; Jo. 10:11; 15:13; I Jo. 3:16; e o Espírito Santo que também nos ama Rom. 8:26-27, o amor
divino que recebemos e agora manifestamos foi concedido por ele "Mas o fruto (ou resultado na vida) do Espírito é: o amor
..." Gál. 5:22, “pelo amor que o Espírito dá" (ou concede). Rom. 15:30. NTLH, a função do Espírito Santo é distintamente
revelada por Cristo: "E quando Ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça, e do juízo." João 16:8, ele dedica
sua vida a cuidar, proteger, ensinar, e capacitar o homem a viver a vida de cristo, sem o qual o propósito do Pai em enviar
ao filho, e o sacrifício de cristo não teria nenhum efeito prático.

Deus ... Tríuno; Trino; Triplo; Trinitário; Tríplice; Composto por três; Trindade a expressão tanto faz, o fato é, que o conceito
diz a verdade, o governo divino é único “echad” uma unidade composta por três personalidades distintas, com funções
específicas, unidos em propósito, pensamento e caráter.

Os que se unem ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, que mostram por sua vida que não mais estão seguindo o rumo que
seguiam antes de se unirem a esses instrumentos divinos, receberão sabedoria do alto. Não dependem da sabedoria
humana. A fim de lidar corretamente com o mundo, como membros da família real, filhos do rei celestial, os cristãos devem
sentir a necessidade de um poder que só vem dos agentes celestiais que se comprometem a trabalhar em favor do ser
humano.
Depois de formarmos uma união com o grande triplo poder, consideraremos com sagrada reverência nosso dever para com
os membros da família de Deus. Buscaremos responder à oração: ‘seja feita a Tua vontade assim na Terra como no Céu’,
por uma vida pura, santificada, mostrando ao mundo como é feita no Céu a vontade de Deus” (Signs of the Times, 19 de
junho, 1901).

"Há três pessoas vivas pertencentes à Divindade celeste; em nome destes três grandes poderes - o Pai, o Filho e o Espírito
Santo - os que recebem a Cristo por fé viva são batizados, e esses poderes cooperarão com os súditos obedientes do Céu
                                                           ramos@advir.com
em seus esforços para viver a nova vida em Cristo. Special Testimonies, Série B, Nº 7, págs. 62 e 63. (1905) Citado em
Evangelismo, pág. 616.

Cumpre-nos cooperar com os três poderes mais altos no Céu - o Pai, o Filho e o Espírito Santo - e esses poderes atuarão
por nosso intermédio, fazendo-nos coobreiros de Deus. Evangelismo, p. 617.

Declaração admirável! A unidade existente entre Cristo e Seus discípulos não destrói a personalidade de nenhum deles,
são um no propósito, no pensamento, no caráter, mas não em pessoa. Assim é que Deus e Cristo são um. Testemunhos
Seletos, Vol. 3 p. 267.

                                             Quarta: Atributos do nosso Criador

7. Qual é o papel da Bíblia na convicção acerca da existência de Deus? Qual é a importância da fé? Hb 11:6;Rm 10:17

- As Escrituras ensinam que Deus se manifestou, deu-se a conhecer, Seus atributos invisíveis, eterno poder e dividade tem
sido vista e revelada claramente através de Sua criação, deixando os homens sem ter como se desculpar diante do juízo.
pois o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou. At 14:17; Pois desde a criação
do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo
compreendidos por meio das coisas criadas, de forma que tais homens são indesculpáveis; Sl 19:1 Rom. 1:19-20.

A sabedoria divina e a inesgotável graça foram claramente expostas pelas obras da criação de Deus. Pela natureza e pelas
experiências da vida, foram os homens ensinados a respeito de Deus. Parábolas de Jesus, p. 22.

De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele
existe e que se torna galardoador dos que o buscam. (Heb. 11:6)

Não devemos apresentar ao Senhor nossas petições para provar se Ele cumpre Sua palavra, mas porque as cumpre; não
para provar que Ele nos ama, mas porque nos ama... A fé reclama as promessas de Deus, e produz frutos de
obediência... Não é ter fé pretender o favor do Céu, sem cumprir as condições sob as quais é concedida a misericórdia. A
fé genuína baseia-se nas promessas e providências das Escrituras. O Desejado de Todas as Nações, p. 126.

De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus. (Rom. 10:17)
- A fé ou confiança vem por dar ouvidos, atender a palavra de Deus , por que a pessoa, pela prática vai tendo resultados e
confiando cada vez mais, sabe por si mesma que Senhor é verdadeiro pois cumpre tudo que promete, e ela vai agora feliz
em busca de novas experiências. Tg. 1:22-25; Mt. 7:21; Rm. 2:13; 1Jo 3:7; Lc. 6:46; Lc. 11:28; Jo 13:17.

Deus nos convida a verificar por nós mesmos a veracidade de Sua Palavra, a fidelidade de Suas promessas. Ele nos
convida: "Provai e vede que o Senhor é bom." Sal. 34:8. Em lugar de confiar nas palavras de outros, devemos provar por
nós mesmos. Ele afirma: "Pedi, e recebereis." João 16:24. Suas promessas serão cumpridas. Nunca falharam; isso jamais
acontecerá. Caminho a Cristo, págs. 111 e 112.

8. Quais são alguns dos atributos de Deus? Que atributos você encontrou na Palavra? Ml 3:6; Tg 1:17; 1Jo 4:8,16; 2Cr 6:18

Porque eu, o SENHOR, não mudo; por isso, vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos. (Mal. 3:6)

Toda boa dádiva e todo dom perfeito são lá do alto, descendo do Pai das luzes , em quem não pode existir variação ou
sombra de mudança. (Tia. 1:17)

Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor. (1 João 4:8)

E nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós. Deus é amor, e aquele que permanece no amor permanece
em Deus, e Deus, nele. (1 João 4:16)

Mas, de fato, habitaria Deus com os homens na terra? Eis que os céus e até o céu dos céus não te podem conter, quanto
menos esta casa que eu edifiquei. (2 Crôn. 6:18)

- Nos textos citados acima encontramos que em Deus não há mudança nem sombra de variação; Ele é a origem da luz e
da perfeição; Deus é amor, é transcendente, infinito e todo poderoso.


                                                 Quinta: As ações de Deus

9. O que os textos a seguir dizem sobre outras ações de Deus na Terra, especialmente no contexto do grande conflito? Gn
11:9 | Gn 19:24 | Êx 3:1-14 | Jo 3:16 | 1Ts 4:17

- Os textos mencionam: A Confusão de línguas em Babel; destruição de Sodoma e Gomorra; A libertação Israel do Egito;
a vinda de cristo para morrer em nosso lugar; e que Jesus voltará para buscar os salvos e eliminar o pecado e a morte.
Há um estudo de história que não é condenável. A história sagrada era um dos estudos das escolas dos profetas. No
registro de Seu trato com as nações, foram delineadas as pegadas de Jeová. Assim, hoje em dia cumpre-nos considerar
Seu trato com as nações da Terra. Devemos ver na História o cumprimento da profecia, estudar as operações da

                                                     ramos@advir.com
Providência nos grandes movimentos reformatórios, e entender o progresso dos acontecimentos ao ver as nações
mobilizando-se para o final combate do grande conflito. Tal estudo proporcionará amplas e compreensivas visões da vida.
Conselhos para os Pais, Professores e Estudantes, pp. 379-380.

Nas atividades do povo de Deus, sempre houve tempos de prova e teste, e Deus não determinou que protegêssemos
homens, mulheres e jovens das vicissitudes que provam o caráter. Deus revelará sua atuação e concederá Seus atributos
às pessoas humildes que O buscam. Satanás também revelará suas operações e concederá a cada pessoa que ele tenta
os seus atributos, suas malignas suspeitas, suas palavras más e acusadoras contra os irmãos.
A partir desse estado de coisas, o Senhor não poderá possivelmente proteger aqueles que se colocam ao lado do inimigo,
pois Ele não compele a mente humana. Concede Seus brilhantes raios de luz como uma lâmpada para guiar e conduzir
todos os que andam nos raios que dEle procedem. Essa lâmpada, a Sua Palavra, é luz para nossos pés. Mas se as
pessoas desprezam o caminho iluminado pelos raios celestes e escolhem um caminho que venha ao encontro de seu
coração natural, tropeçarão nas trevas, sem saber onde tropeçam ou por quê. Acusarão e odiarão as próprias pessoas
que fizeram caminho reto para seus pés. Carta 16, 1897.


                                                         Sexta: Estudo adicional

Conclusão: Em “Deus e a revelação” aprendi que …

A bíblia foi dada para orientar nosso procedimento diário, é o revelador da vontade de Deus, ela testifica de jesus Jo.
5:39, é a única estabelecida como regra de fé e prática. Mat. 4:4.

- A doutrina da Escritura da mesma forma que foi ensinada aos do Antigo testamento Sal. 119:105; Prov. 6:23; Sal. 19:8,
chega a nos hoje; ela é como uma lâmpada para guiar os pés dos que andam em meio a lugares tenebrosos. II Ped. 1:19.

Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na
justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra. II Tim. 3:16-17.

Jesus, porém, respondeu: Está escrito: Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de
Deus. (Mat. 4:4) O homem viverá de toda palavra que procede da boca de Deus, e é a bíblia que revela está palavra, ao
estudar e praticar seus ensinos recebemos base sólida para que sejamos protegidos dos enganos do inimigo.

“Toda a escritura” e “toda palavra que procede da boca de Deus”, faz referência tanto o Antigo quanto o Novo
Testamento, nenhuma das partes deve ser desconsiderada, elas se fundem e se completam, “Porque tudo que dantes foi
escrito para nosso ensino foi escrito, para que, pela paciência e consolação das Escrituras, tenhamos esperança”. Rom.
15:4. (1Co 10:11; Luc. 18:31).

- A natureza da inspiração: Deus Se agradou em comunicar Sua verdade ao mundo por meio de pessoas, e Ele mesmo,
pelo Seu Espírito, qualificou e habilitou homens para realizar essa obra. Ele guiou a mente na escolha do que dizer e
escrever. O tesouro foi confiado a vasos de barro, mas é, contudo, de origem celestial. O testemunho é transmitido
mediante a imperfeita expressão da linguagem humana, porém é o testemunho de Deus, e o filho de Deus, crente e
submisso, contempla nele a glória de um divino poder, cheio de graça e verdade. O Grande Conflito, p. 8.

- O mistério do Deus triúno: Trino; Triplo; Trinitário; Tríplice; Composto por três; Trindade a expressão tanto faz, o fato é,
que o conceito diz a verdade, o governo divino é único “echad” uma unidade composta por três personalidades distintas,
com funções específicas, unidos em propósito, pensamento e caráter.

Este assunto não é um mistério para nos, pelo contrário é parte integrante de nossas doutrinas fundamentais, d isse
Jesus: “A vós é dado conhecer os mistérios do Reino de Deus”. Luc. 8:10.

E de nossa competência e responsabilidade “Que os homens nos considerem como ministros, de Cristo (pessoas que exercem
funções específicas relacionadas com seus dons, para serem participantes dentro do plano da salvação, e que tem autoridade e responsabilidades
concedidas pelo governo divino), e despenseiros (que distribuem aos que tem necessidade de entender) dos mistérios de Deus”. I Cor. 4:1.
(Ler o testemunho de Paulo em Efésios 3:1:12). Veja a definição é o comentário completo na Lição de Terça deste resumo.

- Atributos do nosso Criador: As Escrituras ensinam que Deus se manifestou, deu-se a conhecer, Seus atributos invisíveis,
eterno poder e dividade tem sido vista e revelada claramente através de Sua criação, deixando os homens sem ter como
se desculpar diante do juízo. Rom. 1:19-20.

A fé ou confiança vem por dar ouvidos, atender a palavra de Deus, por que a pessoa, pela prática vai tendo resultados e
confiando cada vez mais, sabe por si mesma que Senhor é verdadeiro pois cumpre tudo que promete, e ela vai agora
feliz em busca de novas experiências. Tg. 1:22-25; Mt. 7:21; Rm. 2:13; 1Jo 3:7; Lc. 6:46; Lc. 11:28; Jo 13:17.

Nos textos citados na lição encontramos que em Deus não há mudança nem sombra de variação; Ele é a origem da luz e
da perfeição; Deus é amor, é transcendente, infinito e todo poderoso.

- As ações de Deus: No registro de Seu trato com as nações, foram delineadas as pegadas de Jeová. Assim, hoje em dia
cumpre-nos considerar Seu trato com as nações da Terra. Devemos ver na História o cumprimento da profecia, estudar
as operações da Providência nos grandes movimentos reformatórios, e entender o progresso dos acontecimentos ao ver
as nações mobilizando-se para o final combate do grande conflito. Conselhos para os Pais, Professores e Estudantes, pp.
379-380.



                                                            ramos@advir.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

DUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL III
 DUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL III DUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL III
DUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL IIICristiane Patricio
 
Lição 1 - Inspiração divina e autoridade da Bíblia
Lição 1 - Inspiração divina e autoridade da BíbliaLição 1 - Inspiração divina e autoridade da Bíblia
Lição 1 - Inspiração divina e autoridade da BíbliaErberson Pinheiro
 
Bíblia: Palavra de Deus ou de homens?
Bíblia: Palavra de Deus ou de homens?Bíblia: Palavra de Deus ou de homens?
Bíblia: Palavra de Deus ou de homens?Noimix
 
Lição 3 – A Natureza dos Demônios – Agentes da Maldade no Mundo Espiritual
Lição 3 – A Natureza dos Demônios – Agentes da Maldade no Mundo EspiritualLição 3 – A Natureza dos Demônios – Agentes da Maldade no Mundo Espiritual
Lição 3 – A Natureza dos Demônios – Agentes da Maldade no Mundo EspiritualÉder Tomé
 
Revelação Geral e Revelação Especial
Revelação Geral e Revelação EspecialRevelação Geral e Revelação Especial
Revelação Geral e Revelação EspecialAlberto Simonton
 
Só YHWH é digno de adoração
Só YHWH é digno de adoraçãoSó YHWH é digno de adoração
Só YHWH é digno de adoraçãoJean Francesco
 
5º módulo 1ª aula
5º módulo   1ª aula5º módulo   1ª aula
5º módulo 1ª aulaJoel Silva
 
Ebd a Inspiração Divina da Bíblia
Ebd a Inspiração Divina da BíbliaEbd a Inspiração Divina da Bíblia
Ebd a Inspiração Divina da BíbliaNey Bellas
 
2022 1º trimestre adulto lição 01
2022 1º trimestre adulto lição 012022 1º trimestre adulto lição 01
2022 1º trimestre adulto lição 01JoelSilva477650
 
Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia
Inspiração Divina e Autoridade da BíbliaInspiração Divina e Autoridade da Bíblia
Inspiração Divina e Autoridade da BíbliaMárcio Martins
 
4º módulo 4ª aula
4º módulo   4ª aula4º módulo   4ª aula
4º módulo 4ª aulaJoel Silva
 
Revista adulto de professor 3ºtrimestre 2017
Revista adulto de professor 3ºtrimestre 2017Revista adulto de professor 3ºtrimestre 2017
Revista adulto de professor 3ºtrimestre 2017Andrew Guimarães
 
2º módulo 3ª aula
2º módulo   3ª aula2º módulo   3ª aula
2º módulo 3ª aulaJoel Silva
 
5º módulo 2ª aula
5º módulo   2ª aula5º módulo   2ª aula
5º módulo 2ª aulaJoel Silva
 
4º trimestre 2015 jovens lição 01
4º trimestre 2015 jovens lição 014º trimestre 2015 jovens lição 01
4º trimestre 2015 jovens lição 01editorjovens
 

Mais procurados (19)

DUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL III
 DUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL III DUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL III
DUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL III
 
Testes e curiosidades bíblicas celso brasil
Testes e curiosidades bíblicas   celso brasilTestes e curiosidades bíblicas   celso brasil
Testes e curiosidades bíblicas celso brasil
 
Lição 1 - Inspiração divina e autoridade da Bíblia
Lição 1 - Inspiração divina e autoridade da BíbliaLição 1 - Inspiração divina e autoridade da Bíblia
Lição 1 - Inspiração divina e autoridade da Bíblia
 
Bíblia: Palavra de Deus ou de homens?
Bíblia: Palavra de Deus ou de homens?Bíblia: Palavra de Deus ou de homens?
Bíblia: Palavra de Deus ou de homens?
 
Lição 3 – A Natureza dos Demônios – Agentes da Maldade no Mundo Espiritual
Lição 3 – A Natureza dos Demônios – Agentes da Maldade no Mundo EspiritualLição 3 – A Natureza dos Demônios – Agentes da Maldade no Mundo Espiritual
Lição 3 – A Natureza dos Demônios – Agentes da Maldade no Mundo Espiritual
 
Lição 2 Revelação de Deus
Lição 2   Revelação de DeusLição 2   Revelação de Deus
Lição 2 Revelação de Deus
 
Apostasia
ApostasiaApostasia
Apostasia
 
Revelação Geral e Revelação Especial
Revelação Geral e Revelação EspecialRevelação Geral e Revelação Especial
Revelação Geral e Revelação Especial
 
Só YHWH é digno de adoração
Só YHWH é digno de adoraçãoSó YHWH é digno de adoração
Só YHWH é digno de adoração
 
5º módulo 1ª aula
5º módulo   1ª aula5º módulo   1ª aula
5º módulo 1ª aula
 
Ebd a Inspiração Divina da Bíblia
Ebd a Inspiração Divina da BíbliaEbd a Inspiração Divina da Bíblia
Ebd a Inspiração Divina da Bíblia
 
2022 1º trimestre adulto lição 01
2022 1º trimestre adulto lição 012022 1º trimestre adulto lição 01
2022 1º trimestre adulto lição 01
 
Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia
Inspiração Divina e Autoridade da BíbliaInspiração Divina e Autoridade da Bíblia
Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia
 
ORATÓRIA SACRA
ORATÓRIA SACRAORATÓRIA SACRA
ORATÓRIA SACRA
 
4º módulo 4ª aula
4º módulo   4ª aula4º módulo   4ª aula
4º módulo 4ª aula
 
Revista adulto de professor 3ºtrimestre 2017
Revista adulto de professor 3ºtrimestre 2017Revista adulto de professor 3ºtrimestre 2017
Revista adulto de professor 3ºtrimestre 2017
 
2º módulo 3ª aula
2º módulo   3ª aula2º módulo   3ª aula
2º módulo 3ª aula
 
5º módulo 2ª aula
5º módulo   2ª aula5º módulo   2ª aula
5º módulo 2ª aula
 
4º trimestre 2015 jovens lição 01
4º trimestre 2015 jovens lição 014º trimestre 2015 jovens lição 01
4º trimestre 2015 jovens lição 01
 

Semelhante a Deus revela Sua vontade

A MÚSICA A SERVIÇO DAS TREVAS E A SERVIÇO DA LUZ
A MÚSICA A SERVIÇO DAS TREVAS E A SERVIÇO DA LUZA MÚSICA A SERVIÇO DAS TREVAS E A SERVIÇO DA LUZ
A MÚSICA A SERVIÇO DAS TREVAS E A SERVIÇO DA LUZCristiane Patricio
 
ETA LEADERSHIP MÓDULO 1 AULA 02.pptx.pdf
ETA LEADERSHIP MÓDULO 1 AULA 02.pptx.pdfETA LEADERSHIP MÓDULO 1 AULA 02.pptx.pdf
ETA LEADERSHIP MÓDULO 1 AULA 02.pptx.pdfAlexDoAprisco1
 
Profecias - Eis que te digo: Leia a Bíblia
Profecias - Eis que te digo: Leia a BíbliaProfecias - Eis que te digo: Leia a Bíblia
Profecias - Eis que te digo: Leia a BíbliaHarbety Júnior
 
O Grande Conflito
O Grande ConflitoO Grande Conflito
O Grande Conflitofrenjr
 
Lição 01 - O Deus Todo-Poderoso se revelou
Lição 01 - O Deus Todo-Poderoso se revelouLição 01 - O Deus Todo-Poderoso se revelou
Lição 01 - O Deus Todo-Poderoso se revelouÉder Tomé
 
DUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL I
DUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL IDUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL I
DUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL ICristiane Patricio
 
50. enigmas da bíblia
50. enigmas da bíblia50. enigmas da bíblia
50. enigmas da bíbliapohlos
 
lLIÇÃO 1 : "A carta aos hebreus e a excelência de cristo"
lLIÇÃO 1 : "A carta aos hebreus e a excelência de cristo"lLIÇÃO 1 : "A carta aos hebreus e a excelência de cristo"
lLIÇÃO 1 : "A carta aos hebreus e a excelência de cristo"Hilda Helena Heringer
 
Assembléia de catequese 2013
Assembléia de catequese 2013Assembléia de catequese 2013
Assembléia de catequese 2013Liana Plentz
 
07. como deus nos fala
07. como deus nos fala07. como deus nos fala
07. como deus nos falapohlos
 
09. como deus trabalha
09. como deus trabalha09. como deus trabalha
09. como deus trabalhapohlos
 

Semelhante a Deus revela Sua vontade (20)

GUERRA
GUERRAGUERRA
GUERRA
 
A MÚSICA A SERVIÇO DAS TREVAS E A SERVIÇO DA LUZ
A MÚSICA A SERVIÇO DAS TREVAS E A SERVIÇO DA LUZA MÚSICA A SERVIÇO DAS TREVAS E A SERVIÇO DA LUZ
A MÚSICA A SERVIÇO DAS TREVAS E A SERVIÇO DA LUZ
 
Autoridade das escrituras
Autoridade das escriturasAutoridade das escrituras
Autoridade das escrituras
 
ETA LEADERSHIP MÓDULO 1 AULA 02.pptx.pdf
ETA LEADERSHIP MÓDULO 1 AULA 02.pptx.pdfETA LEADERSHIP MÓDULO 1 AULA 02.pptx.pdf
ETA LEADERSHIP MÓDULO 1 AULA 02.pptx.pdf
 
Profecias - Eis que te digo: Leia a Bíblia
Profecias - Eis que te digo: Leia a BíbliaProfecias - Eis que te digo: Leia a Bíblia
Profecias - Eis que te digo: Leia a Bíblia
 
O Grande Conflito
O Grande ConflitoO Grande Conflito
O Grande Conflito
 
Lição 01 - O Deus Todo-Poderoso se revelou
Lição 01 - O Deus Todo-Poderoso se revelouLição 01 - O Deus Todo-Poderoso se revelou
Lição 01 - O Deus Todo-Poderoso se revelou
 
DUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL I
DUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL IDUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL I
DUREZA DA LEI NOS DEIXA SEM GRAÇA - VÓL I
 
50. enigmas da bíblia
50. enigmas da bíblia50. enigmas da bíblia
50. enigmas da bíblia
 
lLIÇÃO 1 : "A carta aos hebreus e a excelência de cristo"
lLIÇÃO 1 : "A carta aos hebreus e a excelência de cristo"lLIÇÃO 1 : "A carta aos hebreus e a excelência de cristo"
lLIÇÃO 1 : "A carta aos hebreus e a excelência de cristo"
 
Assembléia de catequese 2013
Assembléia de catequese 2013Assembléia de catequese 2013
Assembléia de catequese 2013
 
Dom de profecia
Dom de profeciaDom de profecia
Dom de profecia
 
07. como deus nos fala
07. como deus nos fala07. como deus nos fala
07. como deus nos fala
 
Deus criador dos céus e da terra
Deus   criador dos céus e da terraDeus   criador dos céus e da terra
Deus criador dos céus e da terra
 
Aula 3 e 4 Bibliologia.pdf
Aula 3 e 4 Bibliologia.pdfAula 3 e 4 Bibliologia.pdf
Aula 3 e 4 Bibliologia.pdf
 
Bibliologia 2
Bibliologia 2Bibliologia 2
Bibliologia 2
 
Discipulado
DiscipuladoDiscipulado
Discipulado
 
O MINISTÉRIO PROFÉTICO
O MINISTÉRIO PROFÉTICOO MINISTÉRIO PROFÉTICO
O MINISTÉRIO PROFÉTICO
 
Doutrina da palavra
Doutrina da palavraDoutrina da palavra
Doutrina da palavra
 
09. como deus trabalha
09. como deus trabalha09. como deus trabalha
09. como deus trabalha
 

Mais de Gerson G. Ramos

Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGRLição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGRGerson G. Ramos
 
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGRLição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGRGerson G. Ramos
 
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGRRespostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGRGerson G. Ramos
 
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGRLição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGRGerson G. Ramos
 
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGRRespostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGRGerson G. Ramos
 
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGRLição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGRGerson G. Ramos
 
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGRRespostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGRGerson G. Ramos
 
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGRLição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGRGerson G. Ramos
 
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGRRespostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGRGerson G. Ramos
 
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGRLição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGRGerson G. Ramos
 
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGRRespostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGRGerson G. Ramos
 
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGRLição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGRGerson G. Ramos
 
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGRRespostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGRGerson G. Ramos
 
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGRLição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGRGerson G. Ramos
 
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGRLição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGRGerson G. Ramos
 
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGRRespostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGRGerson G. Ramos
 
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGRLição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGRGerson G. Ramos
 
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGRRespostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGRGerson G. Ramos
 
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGRLição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGRGerson G. Ramos
 
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGRRespostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGRGerson G. Ramos
 

Mais de Gerson G. Ramos (20)

Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGRLição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
 
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGRLição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
 
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGRRespostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
 
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGRLição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
 
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGRRespostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
 
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGRLição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
 
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGRRespostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
 
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGRLição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
 
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGRRespostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
 
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGRLição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
 
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGRRespostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
 
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGRLição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
 
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGRRespostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
 
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGRLição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
 
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGRLição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
 
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGRRespostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
 
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGRLição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
 
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGRRespostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
 
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGRLição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
 
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGRRespostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
 

Último

AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024RaniereSilva14
 
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxLição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxCelso Napoleon
 
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...silvana30986
 
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresEvangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresAntonino Silva
 
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalLIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalAmaroJunior21
 
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaWillemarSousa1
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoRicardo Azevedo
 
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptx
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptxCURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptx
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptxWerquesonSouza
 
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EGÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EMicheleRosa39
 

Último (10)

AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
 
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxLição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
 
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
 
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresEvangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
 
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalLIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
 
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
 
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptx
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptxCURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptx
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptx
 
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EGÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
 
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.pptFluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
 

Deus revela Sua vontade

  • 1. Deus e a revelação Lição 2 6 a 13 de outubro VERSO PARA MEMORIZAR:“Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, pelo qual também fez o Universo” (Hb 1:1, 2). A Bíblia toda é uma revelação, pois toda revelação aos seres humanos vem por intermédio de Cristo e nEle se centraliza . Deus tem falado a nós por meio de Seu Filho, a quem pertencemos pela criação e redenção. Manuscrito 129, 1905. A Bíblia não nos é dada em elevada linguagem sobre-humana. A fim de chegar aos homens onde eles se encontram, Jesus revestiu-Se da humanidade. A Bíblia precisa ser dada na linguagem dos homens. Tudo quanto é humano é imperfeito. Significações diversas são expressas pela mesma palavra; não há uma palavra para cada ideia distinta. A Bíblia foi dada para fins práticos. Diferentes são os cunhos mentais. As expressões e declarações não são compreendidas da mesma maneira por todos. Alguns entendem as declarações das Escrituras segundo sua mente e casos especiais. As prevenções, os preconceitos e as paixões têm forte influência para obscurecer o entendimento e confundir a mente mesmo ao ler as palavras da Santa Escritura. … A Bíblia foi escrita por homens inspirados, mas não é a maneira de pensar e exprimir-Se de Deus . Esta é da humanidade. Deus, como escritor, não Se acha representado. Os homens dirão muitas vezes que tal expressão não é própria de Deus. Ele, porém, não Se pôs à prova na Bíblia em palavras, em lógica, em retórica. Os escritores da Bíblia foram os instrumentos de Deus, não Sua pena. Olhai os diversos escritores. Não são as palavras da Bíblia que são inspiradas, mas os homens é que o foram . A inspiração não atua nas palavras do homem ou em suas expressões, mas no próprio homem que, sob a influência do Espírito Santo, é possuído de pensamentos. As palavras, porém, recebem o cunho da mente individual. A mente divina é difusa. A mente divina, bem como Sua vontade, é combinada com a mente e a vontade humanas; assim as declarações do homem são a Palavra de Deus. Mensagens Escolhidas, vol. 1, págs. 20 e 21. Objetivo: Entender que a bíblia foi dada para orientar nosso procedimento diário, é o revelador da vontade de Deus, ela testifica de jesus Jo. 5:39, é a única estabelecida como regra de fé e prática. Mat. 4:4. Domingo: A doutrina da Escritura 1. Como os autores do Novo Testamento consideravam as Escrituras? 2Pe 1:19-21 Temos, assim, tanto mais confirmada a palavra profética, e fazeis bem em atendê-la, como a uma candeia que brilha em lugar tenebroso, até que o dia clareie e a estrela da alva nasça em vosso coração, sabendo, primeiramente, isto: que nenhuma profecia da Escritura provém de particular elucidação; porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens [santos] falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo. (2 Ped. 1:19-21) - Da mesma forma que os do Antigo testamento Sal. 119:105; Prov. 6:23; Sal. 19:8, como uma lâmpada para guiar os pés dos que andam em meio a lugares tenebrosos. Os que realmente amam a Deus têm evidências interiores de que são amados por Ele, de que têm comunhão com Cristo, de que seu coração é aquecido por ardente amor para com Ele. A verdade para este tempo é aceita com firme confiança. Review and Herald, 12 de maio de 1896. 2. Quais são a utilidade e o propósito da Bíblia? 2Tm 3:16, 17 Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra. (2 Tim. 3:16-17) - Toda a Escritura (tanto o Antigo quanto o Novo Testamento) é útil para o ensinar, repreender, corrigir e para adquirir experiencia na prática na justiça; para que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente capacitado a praticar toda boa obra. Em Sua Palavra, Deus conferiu aos homens o conhecimento necessário à salvação. As Santas Escrituras devem ser aceitas como autorizada e infalível revelação de Sua vontade. Elas são a norma do caráter, o revelador das doutrinas, a pedra de toque da experiência religiosa. O Grande Conflito, p. 9. 3. Que verdades cruciais sobre as Escrituras e sua autoridade podemos aprender com Jesus? Mt 4:4, 7, 10;22:41-46; Jo 10:34, 35 Jesus, porém, respondeu: Está escrito: Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus. (Mat. 4:4) Respondeu-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor, teu Deus. (Mat. 4:7) Então, Jesus lhe ordenou: Retira-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto. (Mat. 4:10) ramos@advir.com
  • 2. ... Se Davi, pois, lhe chama Senhor, como é ele seu filho? E ninguém lhe podia responder palavra, nem ousou alguém, a partir daquele dia, fazer-lhe perguntas. (Mat. 22:41-46) Replicou-lhes Jesus: Não está escrito na vossa lei: Eu disse: sois deuses? Se ele chamou deuses àqueles a quem foi dirigida a palavra de Deus, e a Escritura não pode falhar, (João 10:34-35) - O homem viverá de toda palavra que procede da boca de Deus, e é a bíblia que revela está palavra, ao estudar e praticar seus ensinos recebemos base sólida para que sejamos protegidos dos enganos do inimigo Os que ouvem as palavras de Cristo e obedecem a elas estão edificando sobre a rocha, e quando vier a tempestade, sua casa não desabará. Obterão a vida eterna pela fé em Jesus Cristo. Os que são ouvintes mas não praticantes de Suas palavras, estão edificando sobre o fundamento da incerteza, que é de areia, e serão surpreendidos pela calamidade. Manuscrito 27, 1886. Segunda: A natureza da inspiração 4. Que aparentes diferenças existem nos relatos da morte de Judas? At 1:18; Mt 27:5 (Ora, este homem adquiriu um campo com o preço da iniquidade; e, precipitando-se, rompeu-se pelo meio, e todas as suas entranhas se derramaram; (Atos 1:18) Então, Judas, atirando para o santuário as moedas de prata, retirou-se e foi enforcar-se. (Mat. 27:5) - Em Mat. 27:5 diz que “retirou-se e foi enforcar-se”, em Atos “precipitando-se, rompeu-se pelo meio, e todas as suas entranhas se derramaram” o Verbo precipitar, tem também o sentido de inchar; dando o significado de que depois de se enforcar, e até que o encontraram seu corpo inchou e se rompeu. "A Bíblia aponta a Deus como seu autor; no entanto, foi escrita por mãos humanas, e no variado estilo de seus diferentes livros apresenta as características dos diversos escritores. As verdades reveladas são todas dadas por inspiração de Deus (II Tim. 3:16); acham-se, contudo, expressas em palavras de homens. O Ser infinito, por meio de Seu Santo Espírito derramou luz na mente e no coração de Seus servos. Deu sonhos e visões, símbolos e figuras; e aqueles a quem a verdade foi assim revelada, corporificaram, eles próprios, o pensamento em linguagem humana. "Os Dez Mandamentos foram proferidos pelo próprio Deus, e escritos por Sua própria mão. São de composição divina e não humana. Mas a Bíblia, com suas verdades dadas por Deus expressas na linguagem dos homens, apresenta uma união do divino com o humano. Tal união existia na natureza de Cristo, que era o Filho de Deus e o Filho do homem. Assim, é verdade quanto à Bíblia, como acerca de Cristo, que 'o Verbo Se fez carne, e habitou entre nós'. João 1:14. "Escritos em diferentes séculos, por homens que diferiam largamente em posições e em ocupação, bem como nos dotes mentais e espirituais, os livros da Bíblia apresentam vasto contraste no estilo, assim como diversidade quanto à natureza dos assuntos desenvolvidos. Formas diferentes de expressão foram empregadas pelos vários escritores; muitas vezes a mesma verdade é apresentada de maneira mais impressionante por um que por outro. E ao apresentarem vários escritores um assunto sob diversos aspectos e relações, poderá talvez parecer ao leitor superficial, descuidoso ou possuído de preconceitos, ser discrepância ou contradição, aquilo em que o estudioso refletido, reverente, de mais clara visão, discerne o fundamento harmônico. Sendo tratada por pessoas diferentes, a verdade é apresentada nos seus diversos aspectos. Um escritor apresenta os pontos que se harmonizam com sua experiência ou com sua capacidade de percepção e apreciação, ao passo que outro prefere encarar a verdade por outro prisma. Todos eles, porém, atuam sob a direção do mesmo Espírito para apresentar aquilo que mais particular impressão exerce sobre o seu espírito, resultando daí uma variedade de aspectos da mesma verdade, mas perfeitamente harmônicos entre si. As verdades assim reveladas formam um todo perfeito que admiravelmente se adapta às necessidades humanas em todas as condições e experiências da vida. Deus escolheu comunicar Sua verdade ao mundo através de pessoas, que Ele mesmo, pelo Seu Espírito, habilitou e autorizou para realizarem Sua obra. Ele guiou a mente na escolha do que dizer e escrever. O tesouro foi confiado a vasos de barro, sem, contudo, perder coisa alguma de sua origem celestial. O testemunho é transmitido mediante a imperfeita expressão da linguagem humana, conservando todavia o seu caráter de testemunho de Deus; e o obediente, crente filho de Deus nele contempla a glória do poder divino, cheio de graça e de verdade. Mensagens Escolhidas, v. 1 pp. 25-26. Terça: O mistério do Deus triúno (Devido a necessidade atual do tema, estendi o assunto) - Este assunto não é um mistério para nos, pelo contrário é parte integrante de nossas doutrinas fundamentais, disse Jesus: “A vós é dado conhecer os mistérios do Reino de Deus”. Luc. 8:10. - É de nossa competência e responsabilidade “Que os homens nos considerem como ministros, de Cristo (pessoas que exercem funções específicas relacionadas com seus dons, para serem participantes dentro do plano da salvação, e que tem autoridade e responsabilidades concedidas pelo governo divino), e despenseiros (que distribuem aos que tem necessidade de entender) dos mistérios de Deus”. I Cor. 4:1. (Ler o testemunho de Paulo em Efésios 3:1:12). 5. Que verdade fundamental sobre Deus foi apresentada por Moisés? Dt 6:4; Mc 12:29 Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR. (Deut. 6:4) E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste. (João 17:3) ramos@advir.com
  • 3. Respondeu Jesus: O principal é: Ouve, ó Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor! (Mar. 12:29) E sabemos que já o Filho de Deus é vindo e nos deu entendimento para conhecermos o que é verdadeiro; e no que é verdadeiro estamos, isto é, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna. (I Jo. 5:20) Ora, o Senhor é Espírito; e onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade. II Cor. 3:17. Deus é Espírito. Jo. 4:24 Mas, quando vier o Consolador, que eu da parte do Pai vos hei de enviar, aquele Espírito (O Senhor ou Deus II Cor. 3:17; Jo. 4:24) da verdade (ou Verdadeiro), que procede do Pai, testificará de mim. Jo. 14:15-17; 15:26; 16:13. - Moisés apresenta a Deus (o Pai) como sendo o único Senhor Deut. 6:4, o Deus verdadeiro ou da verdade Sal. 31:5, João diz por revelação que este é Jesus (o Filho) I Jo. 5:20, temos textos que dizem que (o Espírito) da verdade ou verdadeiro Jo. 14:15-17; 15:26; 16:13, é o Senhor II Cor. 3:17; Jo. 4:24 mas não é um? A definição está no comentário abaixo. 6. O que a Bíblia explica sobre a realidade interior (a pluralidade) de Deus? Gn 1:26; 3:22; 11:7; Jo 1:1-3, 18; 20:28, 2Co 13:13;Mt 28:19 Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança ... (Gên. 1:26) Então, disse o SENHOR Deus: Eis que o homem se tornou como um de nós, conhecedor do bem e do mal... (Gên. 3:22) Vinde, desçamos e confundamos ali a sua linguagem, para que um não entenda a linguagem de outro. (Gên. 11:7) No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez. (João 1:1-3) Ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou. (João 1:18) Respondeu-lhe Tomé: Senhor meu e Deus meu! (João 20:28) Todos os santos vos saúdam. A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo sejam com vós todos. Amém! (2 Cor. 13:13 ou 14) Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; (Mat. 28:19) - A Bíblia afirma explicitamente que a divindade, o poder eterno, universal e absoluto, ou governo celeste é uma unidade de seres ou personalidades distintas, cada um exercendo uma função especifica no plano de salvar o homem, essas funções são claramente repartidas em três; Na Criação Gên. 1:1-2; 1:26 (“Elohim” do Heb. 'KI Deus Criador no plural Gên. 1:1, el singular de 'E'lôhîm (tem o mesmo significado que 'Kl) veja “Ouve, ó Israel; o Senhor nosso Deus é o único Senhor”. Deut. 6:4 “único” e “um só” a palavra é do Heb. “echad” unidade composta, a mesma palavra de Gên. 2:24), (paticipação do Filho) Jo. 1:1-3, 14; Col. 1:15-17; Heb. 1:2 (paticipação do Espírito Santo) Jó 33:4; Jó 26:13; Salmo 33:6 (Algumas traduções definem como sopro ou vento, nomes e símbolos apropriados para o Espírito Santo usados no decorrer de toda a bíblia) na rebelião da torre de babel Gên. 11:5-7, na encarnação Mat. 1:18, 20; Lucas 1:35; no batismo de Jesus Mateus 3:16-17; na comissão evangélica Mateus 28:19; na ressurreição de Jesus (Pai) Atos 3:26; Atos 17:30-31 (Filho) Jo. 10:17-18; João 2:19-21; I Jo. 5:20; (Espírito santo) Romanos 8:11; I Cor. 6: 14, o relacionamento que devemos ter com “Elohim”, o único “echad” Deus, é bem definido pela benção apostólica 2 Coríntios 13:13. (algumas bíblias estão como verso 14). De uma forma bem objetiva podemos afirmar que: O Pai nos ama e envia o filho Jo. 3:16; o Filho nos ama e dá sua vida como sacrifício Mat. 20:28; Jo. 10:11; 15:13; I Jo. 3:16; e o Espírito Santo que também nos ama Rom. 8:26-27, o amor divino que recebemos e agora manifestamos foi concedido por ele "Mas o fruto (ou resultado na vida) do Espírito é: o amor ..." Gál. 5:22, “pelo amor que o Espírito dá" (ou concede). Rom. 15:30. NTLH, a função do Espírito Santo é distintamente revelada por Cristo: "E quando Ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça, e do juízo." João 16:8, ele dedica sua vida a cuidar, proteger, ensinar, e capacitar o homem a viver a vida de cristo, sem o qual o propósito do Pai em enviar ao filho, e o sacrifício de cristo não teria nenhum efeito prático. Deus ... Tríuno; Trino; Triplo; Trinitário; Tríplice; Composto por três; Trindade a expressão tanto faz, o fato é, que o conceito diz a verdade, o governo divino é único “echad” uma unidade composta por três personalidades distintas, com funções específicas, unidos em propósito, pensamento e caráter. Os que se unem ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, que mostram por sua vida que não mais estão seguindo o rumo que seguiam antes de se unirem a esses instrumentos divinos, receberão sabedoria do alto. Não dependem da sabedoria humana. A fim de lidar corretamente com o mundo, como membros da família real, filhos do rei celestial, os cristãos devem sentir a necessidade de um poder que só vem dos agentes celestiais que se comprometem a trabalhar em favor do ser humano. Depois de formarmos uma união com o grande triplo poder, consideraremos com sagrada reverência nosso dever para com os membros da família de Deus. Buscaremos responder à oração: ‘seja feita a Tua vontade assim na Terra como no Céu’, por uma vida pura, santificada, mostrando ao mundo como é feita no Céu a vontade de Deus” (Signs of the Times, 19 de junho, 1901). "Há três pessoas vivas pertencentes à Divindade celeste; em nome destes três grandes poderes - o Pai, o Filho e o Espírito Santo - os que recebem a Cristo por fé viva são batizados, e esses poderes cooperarão com os súditos obedientes do Céu ramos@advir.com
  • 4. em seus esforços para viver a nova vida em Cristo. Special Testimonies, Série B, Nº 7, págs. 62 e 63. (1905) Citado em Evangelismo, pág. 616. Cumpre-nos cooperar com os três poderes mais altos no Céu - o Pai, o Filho e o Espírito Santo - e esses poderes atuarão por nosso intermédio, fazendo-nos coobreiros de Deus. Evangelismo, p. 617. Declaração admirável! A unidade existente entre Cristo e Seus discípulos não destrói a personalidade de nenhum deles, são um no propósito, no pensamento, no caráter, mas não em pessoa. Assim é que Deus e Cristo são um. Testemunhos Seletos, Vol. 3 p. 267. Quarta: Atributos do nosso Criador 7. Qual é o papel da Bíblia na convicção acerca da existência de Deus? Qual é a importância da fé? Hb 11:6;Rm 10:17 - As Escrituras ensinam que Deus se manifestou, deu-se a conhecer, Seus atributos invisíveis, eterno poder e dividade tem sido vista e revelada claramente através de Sua criação, deixando os homens sem ter como se desculpar diante do juízo. pois o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou. At 14:17; Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das coisas criadas, de forma que tais homens são indesculpáveis; Sl 19:1 Rom. 1:19-20. A sabedoria divina e a inesgotável graça foram claramente expostas pelas obras da criação de Deus. Pela natureza e pelas experiências da vida, foram os homens ensinados a respeito de Deus. Parábolas de Jesus, p. 22. De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam. (Heb. 11:6) Não devemos apresentar ao Senhor nossas petições para provar se Ele cumpre Sua palavra, mas porque as cumpre; não para provar que Ele nos ama, mas porque nos ama... A fé reclama as promessas de Deus, e produz frutos de obediência... Não é ter fé pretender o favor do Céu, sem cumprir as condições sob as quais é concedida a misericórdia. A fé genuína baseia-se nas promessas e providências das Escrituras. O Desejado de Todas as Nações, p. 126. De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus. (Rom. 10:17) - A fé ou confiança vem por dar ouvidos, atender a palavra de Deus , por que a pessoa, pela prática vai tendo resultados e confiando cada vez mais, sabe por si mesma que Senhor é verdadeiro pois cumpre tudo que promete, e ela vai agora feliz em busca de novas experiências. Tg. 1:22-25; Mt. 7:21; Rm. 2:13; 1Jo 3:7; Lc. 6:46; Lc. 11:28; Jo 13:17. Deus nos convida a verificar por nós mesmos a veracidade de Sua Palavra, a fidelidade de Suas promessas. Ele nos convida: "Provai e vede que o Senhor é bom." Sal. 34:8. Em lugar de confiar nas palavras de outros, devemos provar por nós mesmos. Ele afirma: "Pedi, e recebereis." João 16:24. Suas promessas serão cumpridas. Nunca falharam; isso jamais acontecerá. Caminho a Cristo, págs. 111 e 112. 8. Quais são alguns dos atributos de Deus? Que atributos você encontrou na Palavra? Ml 3:6; Tg 1:17; 1Jo 4:8,16; 2Cr 6:18 Porque eu, o SENHOR, não mudo; por isso, vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos. (Mal. 3:6) Toda boa dádiva e todo dom perfeito são lá do alto, descendo do Pai das luzes , em quem não pode existir variação ou sombra de mudança. (Tia. 1:17) Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor. (1 João 4:8) E nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós. Deus é amor, e aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus, nele. (1 João 4:16) Mas, de fato, habitaria Deus com os homens na terra? Eis que os céus e até o céu dos céus não te podem conter, quanto menos esta casa que eu edifiquei. (2 Crôn. 6:18) - Nos textos citados acima encontramos que em Deus não há mudança nem sombra de variação; Ele é a origem da luz e da perfeição; Deus é amor, é transcendente, infinito e todo poderoso. Quinta: As ações de Deus 9. O que os textos a seguir dizem sobre outras ações de Deus na Terra, especialmente no contexto do grande conflito? Gn 11:9 | Gn 19:24 | Êx 3:1-14 | Jo 3:16 | 1Ts 4:17 - Os textos mencionam: A Confusão de línguas em Babel; destruição de Sodoma e Gomorra; A libertação Israel do Egito; a vinda de cristo para morrer em nosso lugar; e que Jesus voltará para buscar os salvos e eliminar o pecado e a morte. Há um estudo de história que não é condenável. A história sagrada era um dos estudos das escolas dos profetas. No registro de Seu trato com as nações, foram delineadas as pegadas de Jeová. Assim, hoje em dia cumpre-nos considerar Seu trato com as nações da Terra. Devemos ver na História o cumprimento da profecia, estudar as operações da ramos@advir.com
  • 5. Providência nos grandes movimentos reformatórios, e entender o progresso dos acontecimentos ao ver as nações mobilizando-se para o final combate do grande conflito. Tal estudo proporcionará amplas e compreensivas visões da vida. Conselhos para os Pais, Professores e Estudantes, pp. 379-380. Nas atividades do povo de Deus, sempre houve tempos de prova e teste, e Deus não determinou que protegêssemos homens, mulheres e jovens das vicissitudes que provam o caráter. Deus revelará sua atuação e concederá Seus atributos às pessoas humildes que O buscam. Satanás também revelará suas operações e concederá a cada pessoa que ele tenta os seus atributos, suas malignas suspeitas, suas palavras más e acusadoras contra os irmãos. A partir desse estado de coisas, o Senhor não poderá possivelmente proteger aqueles que se colocam ao lado do inimigo, pois Ele não compele a mente humana. Concede Seus brilhantes raios de luz como uma lâmpada para guiar e conduzir todos os que andam nos raios que dEle procedem. Essa lâmpada, a Sua Palavra, é luz para nossos pés. Mas se as pessoas desprezam o caminho iluminado pelos raios celestes e escolhem um caminho que venha ao encontro de seu coração natural, tropeçarão nas trevas, sem saber onde tropeçam ou por quê. Acusarão e odiarão as próprias pessoas que fizeram caminho reto para seus pés. Carta 16, 1897. Sexta: Estudo adicional Conclusão: Em “Deus e a revelação” aprendi que … A bíblia foi dada para orientar nosso procedimento diário, é o revelador da vontade de Deus, ela testifica de jesus Jo. 5:39, é a única estabelecida como regra de fé e prática. Mat. 4:4. - A doutrina da Escritura da mesma forma que foi ensinada aos do Antigo testamento Sal. 119:105; Prov. 6:23; Sal. 19:8, chega a nos hoje; ela é como uma lâmpada para guiar os pés dos que andam em meio a lugares tenebrosos. II Ped. 1:19. Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra. II Tim. 3:16-17. Jesus, porém, respondeu: Está escrito: Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus. (Mat. 4:4) O homem viverá de toda palavra que procede da boca de Deus, e é a bíblia que revela está palavra, ao estudar e praticar seus ensinos recebemos base sólida para que sejamos protegidos dos enganos do inimigo. “Toda a escritura” e “toda palavra que procede da boca de Deus”, faz referência tanto o Antigo quanto o Novo Testamento, nenhuma das partes deve ser desconsiderada, elas se fundem e se completam, “Porque tudo que dantes foi escrito para nosso ensino foi escrito, para que, pela paciência e consolação das Escrituras, tenhamos esperança”. Rom. 15:4. (1Co 10:11; Luc. 18:31). - A natureza da inspiração: Deus Se agradou em comunicar Sua verdade ao mundo por meio de pessoas, e Ele mesmo, pelo Seu Espírito, qualificou e habilitou homens para realizar essa obra. Ele guiou a mente na escolha do que dizer e escrever. O tesouro foi confiado a vasos de barro, mas é, contudo, de origem celestial. O testemunho é transmitido mediante a imperfeita expressão da linguagem humana, porém é o testemunho de Deus, e o filho de Deus, crente e submisso, contempla nele a glória de um divino poder, cheio de graça e verdade. O Grande Conflito, p. 8. - O mistério do Deus triúno: Trino; Triplo; Trinitário; Tríplice; Composto por três; Trindade a expressão tanto faz, o fato é, que o conceito diz a verdade, o governo divino é único “echad” uma unidade composta por três personalidades distintas, com funções específicas, unidos em propósito, pensamento e caráter. Este assunto não é um mistério para nos, pelo contrário é parte integrante de nossas doutrinas fundamentais, d isse Jesus: “A vós é dado conhecer os mistérios do Reino de Deus”. Luc. 8:10. E de nossa competência e responsabilidade “Que os homens nos considerem como ministros, de Cristo (pessoas que exercem funções específicas relacionadas com seus dons, para serem participantes dentro do plano da salvação, e que tem autoridade e responsabilidades concedidas pelo governo divino), e despenseiros (que distribuem aos que tem necessidade de entender) dos mistérios de Deus”. I Cor. 4:1. (Ler o testemunho de Paulo em Efésios 3:1:12). Veja a definição é o comentário completo na Lição de Terça deste resumo. - Atributos do nosso Criador: As Escrituras ensinam que Deus se manifestou, deu-se a conhecer, Seus atributos invisíveis, eterno poder e dividade tem sido vista e revelada claramente através de Sua criação, deixando os homens sem ter como se desculpar diante do juízo. Rom. 1:19-20. A fé ou confiança vem por dar ouvidos, atender a palavra de Deus, por que a pessoa, pela prática vai tendo resultados e confiando cada vez mais, sabe por si mesma que Senhor é verdadeiro pois cumpre tudo que promete, e ela vai agora feliz em busca de novas experiências. Tg. 1:22-25; Mt. 7:21; Rm. 2:13; 1Jo 3:7; Lc. 6:46; Lc. 11:28; Jo 13:17. Nos textos citados na lição encontramos que em Deus não há mudança nem sombra de variação; Ele é a origem da luz e da perfeição; Deus é amor, é transcendente, infinito e todo poderoso. - As ações de Deus: No registro de Seu trato com as nações, foram delineadas as pegadas de Jeová. Assim, hoje em dia cumpre-nos considerar Seu trato com as nações da Terra. Devemos ver na História o cumprimento da profecia, estudar as operações da Providência nos grandes movimentos reformatórios, e entender o progresso dos acontecimentos ao ver as nações mobilizando-se para o final combate do grande conflito. Conselhos para os Pais, Professores e Estudantes, pp. 379-380. ramos@advir.com