As últimas coisas: Jesus e os salvosLição 12                                                                              ...
Segunda: O santuário celestial: parte 2O ritual do santuário terrestre revelava três fases da salvação: sacrifício substit...
4. Como a purificação das coisas celestiais se relaciona com a obra sacerdotal no santuário terrestre, no Dia daExpiação? ...
Quarta: Esperando o advento6. Quais serão as diferenças entre os salvos e os perdidos no tempo da volta de Jesus? Qual é a...
"Vem a hora", disse Cristo, "em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a Sua voz. E... sairão." João 5:28 e 29.Aquel...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

As últimas coisas: Jesus e os salvos_Resumo_Liç_1242012_Esc_Sab.

445 visualizações

Publicada em

O Objetivo do resumo da lição não é substituí-la, pelo contrário e dar mais amplitude ao estudo do tema.

A ideia e colocar os textos bíblicos diretos que respondam as questões da lição, somados aos escritos de Ellen White que dão luz sobre o assunto,  eu procuro comentar o minimo possível, só detalhes referentes as questões e algumas definições todas em azul, pois se os textos forem realmente claros, que é intenção, não há necessidade de ficar comentando, e a aplicação, como e mais extensa, procuro fazer na nossa classe.

“Sempre darei a fonte, para que o conteúdo não seja anônimo, e todos tenham a oportunidade de achar, pesquisar e questionar”.

“Esse é o objetivo, que as pessoas estudem, debatam o assunto e entendam o que o Senhor tem revelado a nós como Seu povo escolhido”.

Que... Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe ; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação. Sal. 67:1-2. 

Bom Estudo!

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
445
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

As últimas coisas: Jesus e os salvos_Resumo_Liç_1242012_Esc_Sab.

  1. 1. As últimas coisas: Jesus e os salvosLição 12 15 a 22 de dezembro VERSO PARA MEMORIZAR: “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, evenham, assim, os tempos do refrigério pela presença do Senhor. E envie Ele a Jesus Cristo, que já dantes vos foipregado, o qual convém que o Céu contenha até aos tempos da restauração de tudo, dos quais Deus falou pela boca de todos os Seus santos profetas, desde o princípio” (At 3:19-21, RC).As condições para se obter a misericórdia de Deus são simples, justas e razoáveis . O Senhor não requer de nósfazermos alguma coisa difícil a fim de termos o perdão dos pecados. Não precisamos fazer longas e penosasperegrinações, ou levar a efeito dolorosas penitências, para confiar nossa vida ao Deus do Céu ou para expiar nossatransgressão; mas aquele que confessa e abandona o pecado achará misericórdia. Spiritual Gifts, vol. 1, pág. 37.O arrependimento compreende tristeza pelo pecado e afastamento do mesmo. Não renunciaremos aopecado enquanto não reconhecermos a sua malignidade; enquanto dele não nos afastarmos sinceramente,não haverá em nós uma mudança real da vida. Caminho a Cristo, pág. 23.Em torno de Sua vinda agrupam-se as glórias daquela "restauração de tudo", de que "Deus falou pela boca detodos os Seus santos profetas desde o princípio". Atos 3:21. Quebrar-se-á então o prolongado domínio do mal; "osreinos do mundo" tornar-se-ão "de nosso Senhor e de Seu Cristo, e Ele reinará para todo o sempre". Apoc. 11:15. "Aglória do Senhor se manifestará", e toda carne juntamente a verá. "O Senhor Jeová fará brotar a justiça e o louvor paratodas as nações." Ele será por "coroa gloriosa, e por grinalda formosa, para os restantes de Seu povo". Isa. 40:5; 61:11;28:5. O Grande conflito, 301.Objetivo: Entender que o ministério de Cristo no santuário celestial, Sua segunda vinda e a ressurreição dos mortos sãotodas partes fundamentais do plano divino de amor e salvação, tudo em benefício não só da humanidade, mas de todo ouniverso, através da eliminação do mal e a "restauração de tudo". At 3:19-21. Domingo: O santuário celestial: parte 11. Leia Hebreus 8:1-5. Qual é o ponto principal ensinado nesses versos?Ora, o essencial das coisas que temos dito é que possuímos tal sumo sacerdote, que se assentou à destra do trono daMajestade nos céus, como ministro do santuário e do verdadeiro tabernáculo que o Senhor erigiu, não o homem . Pois todosumo sacerdote é constituído para oferecer tanto dons como sacrifícios; por isso, era necessário que também esse sumo sacerdotetivesse o que oferecer. Ora, se ele estivesse na terra, nem mesmo sacerdote seria, visto existirem aqueles que oferecem osdons segundo a lei, os quais ministram em figura e sombra das coisas celestes, assim como foi Moisés divinamenteinstruído, quando estava para construir o tabernáculo; pois diz ele: Vê que faças todas as coisas de acordo com o modeloque te foi mostrado no monte. (Heb. 8:1-5)- O essencial das coisas é que temos em Jesus, um Sumo Sacerdote perfeito, e que intercede por nós no santuáriocelestial, o verdadeiro tabernáculo que o Senhor erigiu, não o homem.Quando Moisés estava prestes a construir o santuário no deserto, foi advertido: "Olha, faze tudo conforme o modelo que,no monte, se te mostrou." Heb. 8:5. Em Sua lei, Deus nos deu o modelo. A edificação de nosso caráter deveoperar-se segundo "o modelo que, no monte, se te mostrou". A lei é a grande norma de justiça. Representa ocaráter de Deus e é a prova de nossa lealdade a Seu governo . E ela nos é revelada, em toda a sua beleza eexcelência, na vida de Cristo. Conselhos aos Professores, Pais e Estudantes, p. 62.Deus o chamara ao monte e lhe revelara as coisas celestiais. O Senhor o cobrira com Sua glória, a fim de quepudesse ver o modelo, e segundo ele foram feitas todas as coisas.Assim a Israel, a quem desejava tornar Seu lugar de habitação, revelara Seu glorioso ideal de caráter . O modelolhes fora mostrado no monte, quando a lei havia sido dada no Sinai, e o Senhor passara perante Moisés,proclamando: "Jeová, o Senhor, Deus misericordioso e piedoso, tardio em iras e grande em beneficência e verdade; queguarda a beneficência em milhares; que perdoa a iniquidade, e a transgressão e o pecado." Êxo. 34:6 e 7.Israel preferira seus próprios caminhos. Não haviam edificado segundo o modelo; mas Cristo, o verdadeiro templopara habitação de Deus, moldara cada detalhe de Sua vida terrestre em harmonia com o ideal divino . Disse Ele:"Deleito-Me em fazer a Tua vontade, ó Deus Meu; sim, a Tua lei está dentro do Meu coração." Sal. 40:8. Assim nossocaráter deve ser formado para "morada de Deus em Espírito". Efés. 2:22. E cumpre-nos fazer "tudo conforme omodelo", isto é, Aquele que "padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as Suas pisadas". I Ped. 2:21. ODesejado de Todas as Nações. Pag. 208-209.Por meio de Cristo deveria cumprir-se o propósito de que era um símbolo o tabernáculo - aquela construção gloriosa,com suas paredes de ouro luzente refletindo em matizes do arco-íris as cortinas bordadas de querubins; o aroma doincenso, sempre a queimar, a invadir tudo; os sacerdotes vestidos de branco imaculado, e no profundo mistério docompartimento interior, acima do propiciatório, entre as figuras de anjos prostrados em adoração, a glória do Santíssimo.Em tudo Deus desejava que Seu povo lesse o Seu propósito para com o ser humano. Era o mesmo propósito muitomais tarde apresentado pelo apóstolo Paulo, falando pelo Espírito Santo:"Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo deDeus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo." (I Co 3:16 e 17). Educação, 35 e 36. ramos@advir.com
  2. 2. Segunda: O santuário celestial: parte 2O ritual do santuário terrestre revelava três fases da salvação: sacrifício substitutivo, mediação sacerdotal e juízo.A Bíblia ensina que todas as três fases da salvação são incorporadas no ministério de Cristo em favor dos pecadores.2. Como a morte de Cristo na cruz satisfaz o aspecto substitutivo da salvação? Is 53:6; Rm 3:24, 25; 2Co 5:21Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o SENHOR fez cair sobre ele ainiquidade de nós todos. (Isa. 53:6)sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus, a quem Deus propôs, noseu sangue, como propiciação, mediante a fé, para manifestar a sua justiça, por ter Deus, na sua tolerância, deixadoimpunes os pecados anteriormente cometidos; (Rom. 3:24-25)Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus. (2 Cor. 5:21)- O SENHOR fez cair sobre ele toda a iniquidade, ele o fez pecado por nós; fomos assim justificados gratuitamente, porsua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus, a quem Deus propôs, no seu sangue, como propiciação,mediante a fé.1) O Sacrifício substitutivo: Mat. 27.33-51; Heb. 13.12, (no Pátio, ou na Terra), consiste no ministério terrestre de cristoJesus; Nascimento, vida, morte e ressurreição, de 5 ou 4 Ac, até 31 dc.Paulo mostrou quão intimamente havia Deus ligado o sacrifício expiatório com as profecias referentes Àqueleque devia, como um cordeiro, ser "levado ao matadouro". O Messias devia dar a Sua vida como "expiação dopecado". Olhando através dos séculos as cenas do sacrifício expiatório do Salvador, o profeta Isaías testificara que oCordeiro de Deus "derramou a Sua alma na morte, e foi contado com os transgressores; mas Ele levou sobre Si o pecadode muitos, e pelos transgressores intercede". Isa. 53:7, 10 e 12.O Salvador profetizado devia vir, não como um rei temporal, para livrar a nação judaica de opressores terrestres, mascomo um homem entre homens, para viver uma vida de pobreza e humildade, e ser afinal desprezado, rejeitado e morto.O Salvador predito nas Escrituras do Antigo Testamento devia oferecer-Se como um sacrifício em favor daraça caída, cumprindo assim cada requisito da lei quebrantada. NEle os tipos sacrificais deviam encontrar seuantítipo, e Sua morte na cruz devia emprestar significado à inteira dispensação judaica. Atos dos Apóstolos,227-228.“Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras” (I Cor. 15:3).3. O que a Bíblia diz a respeito de Cristo e da mediação em favor dos pecadores? 1Tm 2:5; Hb 7:25Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem, (1 Tim. 2:5)Por isso, também pode salvar totalmente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para intercederpor eles. (Heb. 7:25)- Há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem, somente Ele pode salvar totalmente osque por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles.2) Mediação sacerdotal ou Intercessão: Dan. 8.14; Efés. 2:13-18; Heb. 2:17-18; 4:14-16; 7:17, 25; 8:1-2; 9:24; 10:19-23,(no Lugar Santo, ou no céu), consiste no ministério celeste após Sua ressurreição e ascensão, de 31 dc até a conclusãodo juízo, até pouco antes deste momento Ele ministra como intercessor, pois ainda há salvação, “ Enquanto se diz: Hoje,se ouvirdes a sua voz, não endureçais o vosso coração” Heb. 3:15.Depois de Sua ascensão, nosso Salvador iniciaria Sua obra como nosso Sumo Sacerdote. Diz Paulo: "Cristo nãoentrou num santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo Céu, para agora comparecer por nósperante a face de Deus." Heb. 9:24. Assim como o ministério de Cristo devia consistir em duas grandes divisões,ocupando cada uma delas um período de tempo e tendo um lugar distinto no santuário celeste , semelhantemente oministério típico consistia em duas divisões - o serviço diário e o anual - e a cada um deles era dedicado umcompartimento do tabernáculo. Patriarcas e Profetas, 357.“O ministério do sacerdote, durante o ano todo, no primeiro compartimento do santuário, "para dentro do véu" queformava a porta e separava o lugar santo do pátio externo, representa o ministério em que entrou Cristo aoascender ao Céu. Era a obra do sacerdote no ministério diário, a fim de apresentar perante Deus o sangue da ofertapelo pecado, bem como o incenso que ascendia com as orações de Israel. Assim pleiteava Cristo com Seu sangue,perante o Pai, em favor dos pecadores, apresentando também, com o precioso aroma de Sua justiça, as orações doscrentes arrependidos. Esta era a obra ministerial no primeiro compartimento do santuário celeste.” - O GrandeConflito, 420-421.Pensai em Jesus. Ele está em Seu santuário, não em estado de solidão, mas cercado por milhares e milharesde anjos celestiais que aguardam executar Seu mandado. E ordena-os a ir e trabalhar em favor do maisfraco que põe a confiança em Deus. Grandes e pequenos, ricos e pobres têm o mesmo auxílioprovidenciado. Review and Herald, 29 de maio de 1900. ramos@advir.com
  3. 3. 4. Como a purificação das coisas celestiais se relaciona com a obra sacerdotal no santuário terrestre, no Dia daExpiação? Hb 9:23Era necessário, portanto, que as figuras das coisas que se acham nos céus se purificassem com tais sacrifícios, mas aspróprias coisas celestiais, com sacrifícios a eles superiores. (Heb. 9:23)- A obra sacerdotal no santuário terrestre era apenas um símbolo ou sombra da realidade celeste que consiste, naeliminação de todo o mal através do plano da redenção.3) Juízo ou purificação do santuário Dan. 8.14; 7.9-10; Apoc. 14:6-7; 20:11-15, (no santo dos santos ou santíssimo, nocéu), consiste no ministério celeste iniciado em 22 de outubro de 1844 ocupando agora a função de juiz, conjuntamentecom a já em exercício de intercessor, e que ambas se encerram com o fechamento da porta da graça.“Assim como o sacerdote entrava no lugar santíssimo uma vez ao ano, para purificar o santuário terrestre,entrou Jesus no lugar santíssimo do celestial, no fim dos 2.300 dias de Daniel 8, em 1844, para fazer umaexpiação final por todos os que pudessem ser beneficiados por Sua mediação, e assim purificar osantuário.” - Primeiros Escritos, 253.Em 1844, com a terminação dos 2300 dias, não mais existia o santuário terrestre havia já séculos; portanto, o santuáriocelestial era o único que poderia ser trazido à luz nessa declaração: "Até duas mil e trezentas tardes e manhãs; e osantuário será purificado." Dan. 8:14. Mas, como o santuário celestial necessitava de purificação? Retornandoàs Escrituras, os estudantes das profecias aprenderam que a purificação não era uma remoção deimpurezas físicas, pois isso devia ser realizado com sangue e, portanto, devia ser uma purificação dopecado. Assim diz o apóstolo: "Era bem necessário que as figuras das coisas que estão no Céu assim se purificassem [osangue de animais]; mas as próprias coisas celestiais com sacrifícios melhores do que estes [o precioso sangue deCristo]." Heb. 9:23. História da redenção, 377.No grande dia da paga final, os mortos devem ser "julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo assuas obras". Apoc. 20:12. Então, pela virtude do sangue expiatório de Cristo, os pecados de todo o verdadeiroarrependido serão eliminados dos livros do Céu. Assim o santuário estará livre ou purificado, do registro depecado. No tipo, esta grande obra de expiação, ou cancelamento de pecados, era representada pelas cerimônias do diada expiação, a saber, pela purificação do santuário terrestre, a qual se realizava pela remoção dos pecados com que eleficara contaminado, remoção efetuada pela virtude do sangue da oferta para o pecado.Assim como na expiação final os pecados dos verdadeiros arrependidos serão apagados dos registros doCéu, para não mais serem lembrados nem virem à mente, assim no serviço típico eram levados ao deserto,para sempre separados da congregação. Patriarcas e Profetas, págs. 357-358.Do Santo dos Santos, prossegue a grandiosa obra de instrução. Os anjos de Deus estão-se comunicando comigo.Cristo oficia no santuário. Nós não O acompanhamos até o interior do santuário como deveríamos. Cristo e osanjos atuam no coração dos filhos dos homens. A igreja do Céu, unida à igreja da Terra, está combatendo o bomcombate neste mundo. Deve haver uma purificação da alma aqui na Terra, em harmonia com a purificação dosantuário no Céu, efetuada por Cristo. Carta 37, 1887. Maranata o Senhor Vem - MM 1977, p. 247. Terça: A segunda vinda de Cristo5. Como o cancelamento dos pecados se relaciona com a purificação do santuário? At 3:19-21Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados, a fim de que, da presença doSenhor, venham tempos de refrigério, e que envie ele o Cristo, que já vos foi designado, Jesus, ao qual énecessário que o céu receba até aos tempos da restauração de todas as coisas, de que Deus falou por boca dosseus santos profetas desde a antiguidade. (Atos 3:19-21)- É no santuário celeste que cristo ministra o perdão ou purificação, se houver confissão, arrependimento e conversão,serão cancelados os pecados e seremos participantes da “ restauração de todas as coisas”, por ocasião da segundavinda de cristo.Cristo pede... para Seu povo, não somente perdão e justificação, amplos e completos, mas participação emSua glória e assento sobre o Seu trono. O Grande Conflito, pág. 484.Cristo foi manifestado como Salvador dos homens. As pessoas não deviam confiar de modo algum em suaspróprias obras, em sua própria justiça ou em si mesmas, e, sim, no Cordeiro de Deus que tira os pecados domundo. NEle foi revelado o Advogado junto ao Pai. Por Seu intermédio foi feito o convite: "Vinde, então, e argüi-me, diz oSenhor; ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejamvermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã." Isa. 1:18. Este convite tem repercutido através dos temposaté os nossos dias. Que o orgulho, a estima ou justiça próprias não impeçam a alguém de confessar seus pecados, paraque possa fazer jus à promessa: "O que encobre as suas transgressões nunca prosperará; mas o que as confessa e deixaalcançará misericórdia." Prov. 28:13. Não oculteis nada a Deus e não negligencieis a confissão de vossas faltasaos irmãos quando eles têm alguma ligação com elas. "Confessai as vossas culpas uns aos outros e orai uns pelosoutros, para que sareis." Tia. 5:16. Muitos pecados não são confessados, e ter-se-á de enfrentá-los no dia do ajuste final;é muito melhor reconhecer os pecados agora, confessá-los e abandoná-los, enquanto o Sacrifício expiatóriointercede em nosso favor. Não tenhais aversão a aprender a vontade de Deus sobre este assunto. O bem-estar devossa alma, a unidade de vossos irmãos podem depender da atitude que tomais nestas coisas. "Humilhai-vos, pois,debaixo da potente mão de Deus, para que, a seu tempo, vos exalte, lançando sobre Ele toda a vossa ansiedade, porqueEle tem cuidado de vós." I Ped. 5:6 e 7. Fundamentos da Educação Cristã, 239. ramos@advir.com
  4. 4. Quarta: Esperando o advento6. Quais serão as diferenças entre os salvos e os perdidos no tempo da volta de Jesus? Qual é a importância dessamensagem para nós? Como essas palavras podem nos ajudar em nossa vida prática? 1Ts 5:1-11Irmãos, relativamente aos tempos e às épocas, não há necessidade de que eu vos escreva; pois vós mesmos estais inteiradoscom precisão de que o Dia do Senhor vem como ladrão de noite. Quando andarem dizendo: Paz e segurança, eis quelhes sobrevirá repentina destruição, como vêm as dores de parto à que está para dar à luz; e de nenhum modo escaparão.Mas vós, irmãos, não estais em trevas, para que esse Dia como ladrão vos apanhe de surpresa; porquanto vóstodos sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite, nem das trevas. Assim, pois, não durmamos comoos demais; pelo contrário, vigiemos e sejamos sóbrios. Ora, os que dormem dormem de noite, e os que seembriagam é de noite que se embriagam. Nós, porém, que somos do dia, sejamos sóbrios, revestindo-nos dacouraça da fé e do amor e tomando como capacete a esperança da salvação ; porque Deus não nos destinou para a ira,mas para alcançar a salvação mediante nosso Senhor Jesus Cristo, que morreu por nós para que, quer vigiemos, querdurmamos, vivamos em união com ele. Consolai-vos, pois, uns aos outros e edificai-vos reciprocamente, comotambém estais fazendo. (1 Ts 5:1-11)- Os salvos andam na luz, são sóbrios e vigilantes, usam a couraça da fé e do amor e o capacete da esperança desalvação. - Os que se perdem por negligencia são apanhados de surpresa, acreditam em falsos profetas que se desviamdos mandamentos e andam dizendo: Paz e segurança, sendo que a revelação divina adverte de repentina destruição;andam em trevas por rejeitarem a cristo que é a luz do mundo; embriagam-se ou ficam entorpecidos com os prazeresdeste tempo, não percebendo que o fim é certo, e está próximo.Surgirão embusteiros com teorias que não têm fundamento na Palavra de Deus. Devemos elevar a bandeira que contéma inscrição: “Os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.” Apocalipse 14:12. Devemos guardar firme até ao fim aconfiança que desde o princípio tivemos. Ninguém procure diluir a verdade com uma mescla de enganos. Ninguémprocure demolir o fundamento de nossa fé ou estragar o tecido introduzindo na teia fios de invenção humana. Nenhumfio de panteísmo deve ser inserido na teia. A sensualidade, ruinosa para a alma e o corpo, sempre é o resultado de inseriresses fios na teia. Este Dia com Deus, p. 340.7. Qual é o propósito dos “sinais dos tempos”? Jo 13:19; 14:29Desde já vos digo, antes que aconteça, para que, quando acontecer, creiais que EU SOU. (João 13:19)Disse-vos agora, antes que aconteça, para que, quando acontecer, vós creiais. (João 14:29)- Desenvolver a fé e a confiança na Palavra de Deus, com a vinda das aflições, sua fé deve ganhar em experiência com oSenhor e a cada prova fortalecer-se cada vez mais.Cristo advertiu os Seus discípulos relativamente ao que haveriam de encontrar em seu trabalho como evangelistas. Elesabia quais seriam seus sofrimentos, quais as provações e dificuldades que seriam chamados a suportar.Não lhes queria ocultar o conhecimento acerca do que teriam que enfrentar, a fim de que as dificuldades,vindo inesperadamente, não lhes abalassem a fé. "Eu vo-lo disse agora, antes que aconteça, para que, quandoacontecer, vós acrediteis", disse Ele. Com a vinda das aflições, sua fé deveria fortalecer-se e não debilitar-se.Haveriam então de dizer uns aos outros: "Ele nos disse que isso haveria de vir, e o que devemos fazer para resistir."Testemunhos Seletos, vol. 3, p. 398. Quinta: Morte e ressurreição8. O que a Bíblia ensina sobre a ressurreição no momento da volta de Cristo? 1Ts 4:13-16 | 1Co 15:13-25 | Rm 8:11 | Fp 3:20, 21Não queremos, porém, irmãos, que sejais ignorantes com respeito aos que dormem, para não vos entristecerdescomo os demais, que não têm esperança. Pois, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também Deus,mediante Jesus, trará, em sua companhia, os que dormem. Ora, ainda vos declaramos, por palavra do Senhor, isto: nós,os vivos, os que ficarmos até à vinda do Senhor, de modo algum precederemos os que dormem. Porquanto o Senhormesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortosem Cristo ressuscitarão primeiro; (1 Ts 4:13-16)... Mas, de fato, Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem . Visto que a morteveio por um homem, também por um homem veio a ressurreição dos mortos. Porque, assim como, em Adão, todosmorrem, assim também todos serão vivificados em Cristo. Cada um, porém, por sua própria ordem: Cristo, asprimícias; depois, os que são de Cristo, na sua vinda. ... (1 Cor. 15:13-25)Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse mesmo que ressuscitou aCristo Jesus dentre os mortos vivificará também o vosso corpo mortal, por meio do seu Espírito, que em vóshabita. (Rom. 8:11)Pois a nossa pátria está nos céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, o qual transformará onosso corpo de humilhação, para ser igual ao corpo da sua glória, segundo a eficácia do poder que ele tem de atésubordinar a si todas as coisas. (Filip. 3:20-21)Porque cristo vive, temos a certeza do amanhã, Jesus morreu e ressuscitou, assim também Deus, mediante Jesus, trará,em sua companhia, os que dormiram na fé. Os mortos em Cristo ressuscitarão!O Doador da vida chamará Sua adquirida possessão na primeira ressurreição dos mortos, e até àquela horatriunfante, quando a última trombeta soar e o vasto exército sair para a eterna vitória, todo santo que dorme o sono damorte será guardado como jóia preciosa, conhecida de Deus por nome. Pelo poder do Salvador que neles habitavaquando vivos, e por terem sido participantes da natureza divina, eles são ressuscitados dentre os mortos .Carta 65a, 1894. ramos@advir.com
  5. 5. "Vem a hora", disse Cristo, "em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a Sua voz. E... sairão." João 5:28 e 29.Aquela voz há de ressoar por todas as moradas dos mortos; e todo santo que dorme em Jesus despertará esairá de sua prisão. Então à virtude de caráter que recebemos da justiça de Cristo nos unirá à verdadeira grandeza damais elevada ordem. Review and Herald, 20 de setembro de 1898.A voz do Filho de Deus chama os santos que dormem. ... Do cárcere da morte vêm eles, revestidos de glóriaimortal, clamando: "Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitória?" I Cor. 15:55. O GrandeConflito, 644.9. Se a ressurreição significa a destruição do poder da morte, por que só é possível alcançá-la “em Cristo”? 2Tm 1:8-10Não te envergonhes, portanto, do testemunho de nosso Senhor, nem do seu encarcerado, que sou eu; pelo contrário, participacomigo dos sofrimentos, a favor do evangelho, segundo o poder de Deus, que nos salvou e nos chamou com santavocação; não segundo as nossas obras, mas conforme a sua própria determinação e graça que nos foi dada emCristo Jesus, antes dos tempos eternos, e manifestada, agora, pelo aparecimento de nosso Salvador Cristo Jesus, oqual não só destruiu a morte, como trouxe à luz a vida e a imortalidade, mediante o evangelho, (2 Tim. 1:8-10)Nossa salvação não é segundo as nossas obras, mas conforme a sua graça que nos foi dada em Cristo Jesus, antes dostempos eternos, o qual não só destruiu a morte, como trouxe à luz a vida e a imortalidade, mediante o evangelho .“Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá; e todo aquele que vivee crê em mim nunca morrerá. Crês tu isso?” Jo. 11:25-26.A imortalidade, prometida ao homem sob condição de obediência, foi perdida pela transgressão. Adão não poderiatransmitir à sua posteridade aquilo que não possuía; e não poderia haver esperança alguma para a raçadecaída, se, pelo sacrifício de Seu Filho, Deus não houvesse trazido a imortalidade ao seu alcance. Ao passoque "a morte passou a todos os homens, por isso que todos pecaram", Cristo "trouxe à luz a vida e a incorrupção peloevangelho". Rom. 5:12; II Tim. 1:10. E unicamente por meio de Cristo pode a imortalidade ser obtida. DisseJesus: "Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não terá a vida." João 3:36. Todohomem pode alcançar a posse desta inapreciável bênção, se satisfizer as condições. Todos os que, "com perseverançaem fazer bem, procuram glória, e honra e incorrupção", receberão "vida eterna". Rom. 2:7. O Grande Conflito, 533. Sexta: Estudo adicionalConclusão: Em “As últimas coisas: Jesus e os salvos” aprendi que …O ministério de Cristo no santuário celestial, Sua segunda vinda e a ressurreição dos mortos são todas partesfundamentais do plano divino de amor e salvação, tudo em benefício não só da humanidade, mas de todo o universo,através da eliminação do mal e a "restauração de tudo". At 3:19-21.Domingo - O santuário celestial: parte 1: O essencial das coisas é que temos em Jesus, um Sumo Sacerdote perfeito,e que intercede por nós no santuário celestial, o verdadeiro tabernáculo que o Senhor erigiu, não o homem.Segunda - O santuário celestial: parte 2: O SENHOR fez cair sobre ele toda a iniquidade, ele o fez pecado por nós;fomos assim justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus, a quem Deuspropôs, no seu sangue, como propiciação, mediante a fé.Há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem, somente Ele pode salvar totalmente osque por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles.A obra sacerdotal no santuário terrestre era apenas um símbolo ou sombra da realidade celeste que consiste, naeliminação de todo o mal através do plano da redenção.Terça - E no santuário celeste que cristo ministra o perdão ou purificação, se houver confissão, arrependimento econversão, serão cancelados os pecados e seremos participantes da “restauração de todas as coisas”, por ocasião d Asegunda vinda de Cristo.Quarta - Esperando o advento: Os salvos andam na luz, são sóbrios e vigilantes, usam a couraça da fé e do amor e ocapacete da esperança de salvação.Os que se perdem por negligencia são apanhados de surpresa, acreditam em falsos profetas que se desviam dosmandamentos e andam dizendo: Paz e segurança, sendo que a revelação divina adverte de repentina destruição; andamem trevas por rejeitarem a cristo que é a luz do mundo; embriagam-se ou ficam entorpecidos com os prazeres destetempo, não percebendo que o fim é certo, e está próximo.É vital desenvolver a fé e a confiança na Palavra de Deus, e com a vinda das aflições, nossa fé deve ganhar emexperiência com o Senhor e a cada prova fortalecer-se cada vez mais, como o ouro provado no fogo.Quinta - Morte e ressurreição: Porque cristo vive, temos a certeza do amanhã, Jesus morreu e ressuscitou, assimtambém Deus, mediante Jesus, trará, em sua companhia, os que dormiram na fé. Os mortos em Cristo ressuscitarão!Nossa salvação não é segundo as nossas obras, mas conforme a sua graça que nos foi dada em Cristo Jesus, antes dostempos eternos, o qual não só destruiu a morte, como trouxe à luz a vida e a imortalidade, mediante o evangelho.“Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá; e todo aquele quevive e crê em mim nunca morrerá. Crês tu isso?” Jo. 11:25-26. ramos@advir.com

×