A criação concluída_Resumo_Liç_312013_Esc_Sab.

292 visualizações

Publicada em

O Objetivo do resumo da lição não é substituí-la, pelo contrário e dar mais amplitude ao estudo do tema.

A ideia e colocar os textos bíblicos diretos que respondam as questões da lição, somados aos escritos de Ellen White que dão luz sobre o assunto,  eu procuro comentar o minimo possível, só detalhes referentes as questões e algumas definições todas em azul, pois se os textos forem realmente claros, que é intenção, não há necessidade de ficar comentando, e a aplicação, como e mais extensa, procuro fazer na nossa classe.

“Sempre darei a fonte, para que o conteúdo não seja anônimo, e todos tenham a oportunidade de achar, pesquisar e questionar”.

“Esse é o objetivo, que as pessoas estudem, debatam o assunto e entendam o que o Senhor tem revelado a nós como Seu povo escolhido”.

Que... Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe ; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação. Sal. 67:1-2. 

Bom Estudo!

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
292
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A criação concluída_Resumo_Liç_312013_Esc_Sab.

  1. 1. A criação concluídaLição 3 12 a 19 de janeiroVERSO PARA MEMORIZAR: “Havendo Deus terminado no dia sétimo a Sua obra, que fizera, descansou nesse dia de toda a Sua obra que tinha feito” (Gn 2:2).Perceba o relato de Paulo sobre Gn 2:2, relacionando o repouso da alma que se obtêm com a entrega plena a Cristo coma integração da vida ao propósito eterno de Deus ao dia sétimo.Porque, em certo lugar, disse assim do dia sétimo: E repousou Deus de todas as suas obras no sétimo dia. E outra vezneste lugar: Não entrarão no meu repouso. Visto, pois, que resta que alguns entrem nele e que aqueles a quem primeiroforam pregadas as boas-novas não entraram por causa da desobediência, determina, outra vez, um certo dia, Hoje, dizendopor Davi, muito tempo depois, como está dito: Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais o vosso coração. Porque, seJosué lhes houvesse dado repouso, não falaria, depois disso, de outro dia. Portanto, resta ainda um repouso para opovo de Deus. Porque aquele que entrou no seu repouso, ele próprio repousou de suas obras, como Deus dassuas. Procuremos, pois, entrar naquele repouso, para que ninguém caia no mesmo exemplo de desobediência.Heb. 4:4-11.E vi outro anjo voar pelo meio do céu, e tinha o evangelho eterno, para o proclamar aos que habitam sobre a terra, e a todanação, e tribo, e língua, e povo, dizendo com grande voz: Temei a Deus e dai-lhe glória, porque vinda é a hora do seujuízo. E adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas. Apoc. 14:6-7.Porque em seis dias fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo que neles há e ao sétimo dia descansou;portanto, abençoou o SENHOR o dia do sábado e o santificou. Êxo. 20:11.Por tanto a orientação divina é adorai o criador reconhecendo o memorial que estabeleceu o 7 0 dia, pois “havendo Deusterminado no dia sétimo a sua obra, que fizera, descansou nesse dia de toda a sua obra que tinha feito. E abençoou Deuso dia sétimo e o santificou; porque nele descansou de toda a obra que, como Criador, fizera”. (Gên. 2:1-3) Gên. 2:1-3.Objetivo: Se aprofundar no conhecimento relacionado aos três últimos dias da criação e do repouso estabelecido nosétimo. Domingo: Sol, Lua e estrelas1. Que ações são mencionadas no quarto dia da criação? Como devemos entender isso, especialmente em face da nossaatual compreensão do mundo físico? Gn 1:14-19Disse também Deus: Haja luzeiros no firmamento dos céus, para fazerem separação entre o dia e a noite; esejam eles para sinais, para estações, para dias e anos. E sejam para luzeiros no firmamento dos céus, paraalumiar a terra. E assim se fez. Fez Deus os dois grandes luzeiros: o maior para governar o dia, e o menor paragovernar a noite; e fez também as estrelas. E os colocou no firmamento dos céus para alumiarem a terra, paragovernarem o dia e a noite e fazerem separação entre a luz e as trevas. E viu Deus que isso era bom. Houvetarde e manhã, o quarto dia. (Gên. 1:14-19)A natureza fala aos sentidos, declarando que há um Deus vivo, Criador e supremo Governador de tudo. "Os céusmanifestam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das Suas mãos. Um dia faz declaração a outro dia, e umanoite mostra sabedoria a outra noite." Sal. 19:1 e 2. A beleza que reveste a Terra é um sinal do amor de Deus. Patriarcase Profetas, 48.O Sol, a Lua, e as estrelas são luminares, luzeiros para alumiar a terra, estão no firmamento dos céus, para fazeremseparação entre o dia e a noite; para sinais, para estações, para dias e anos e para manifestarem a glória de Deus eanunciar as obra das Suas mãos.Em Gênesis 1:1, Moisés escolheu a dedo o verbo bara’ (“criar”). Ele poderia ter utilizado dois outros verbos hebraicosasah (“fazer”) ou yatsar (“formar”), mas usou especificamente bara’ que, segundo o comentário da Bíblia de Jerusalém,por exemplo, “é reservado à ação criadora de Deus, diferente da ação produtora do homem” Comentário CPB.Estes versos Gên. 1:14-19 não possuem o termo criou (bara’); ex nihilo “do nada” para estes corpos celestes do quartodia. A palavra usada aqui é asah, que é “fazer, “pôr em prática”, “executar, realizar, manufaturar, produzir” etc, commatéria já por Ele anteriormente criada, como por exemplo o firmamento ou expansão referente a águas e águas no 2 0dia; e a terra e o mar no 30, a matéria já estava, houve tão somente a separação, exatamente como no 1 0 com a luz e astrevas “E viu Deus que era boa a luz; e fez Deus separação entre a luz e as trevas ”. Gên. 1:4 e depois o próprio homemque formou no sexto, com o pó da terra) seguindo então a este critério, pôs em prática, fez com que os luzeiros tivessemo efeito desejado em “suas ordenadas revoluções” agora dentro do planeta, que estava ainda envolto sobre grossasnuvens, e indicou suas funções.“A glória de Deus nos céus, os mundos inumeráveis em suas ordenadas revoluções, o equilíbrio das grossasnuvens, os mistérios da luz e do som, do dia e da noite, tudo estava patente ao estudo dos nossos primeiros pais”.Patriarcas e Profetas, p. 44.Veremos com mais detalhes por que este item é tão essencial em “O dia literal” na parte de quinta deste resumo. ramos@advir.com
  2. 2. Uma interpretação razoável é que Moisés descreveu a criação como ele a viu. Se o seu ponto de vista fosse o deuma pessoa sobre a superfície da Terra, observando a atividade criadora de Deus, pareceria a ele como seDeus realmente colocasse os corpos celestes no firmamento no quarto dia, quando eles se tornaramvisíveis como entidades distintas, pela primeira vez. Harold Coffin “Origin by Design”, publicado em 1983 pelaReview and Herald Publishing Association.Luminaria – O substantivo plural luminaria, luminarium, significa "luminares", "astros", "os luzeiros do céu", e porextensão "luz", "candeia", "vela acesa", "lâmpada", e também "frestas", "janelas".Os luminares – o Sol, a Lua, e as estrelas – tornam-se visíveis para o observador sobre a superfície do planeta, após ararefação da atmosfera provocada pela separação entre águas de cima e águas de baixo, completada no terceiro dia. Tudose passa como se tivessem sido então abertas "frestas", ou "janelas" através do firmamento, permitindo assim avisualização clara desses corpos celestes, cuja luz anteriormente devia ser percebida somente de maneira difusa.Após a visualização clara do Sol, da Lua e das estrelas, completa-se a separação entre dia e noite, e esses corpos celestespassam a servir para propósitos bem definidos tendo em vista o plano traçado por Deus para a nossa Terra como habitaçãopara o ser humano a ser logo criado. A revolução aparente desses astros com relação à Terra assinalaria o tempo, nosentido de dias, de estações, e de anos, e marcaria também circunstâncias e conjunturas que profetizariam os desígnios deDeus no caso de vir a se desenrolar na Terra o plano da redenção. O Relato da criação nas edições católicas da bíblia. Segunda: Criação das aves e animais marinhos2. Existe evidência bíblica para uma criação feita de modo aleatório? Gn 1:20-23Longe da teoria do acaso, vemos na criação um planejamento minucioso, tanto referente aos dias, vemos aqui que o 2 0dia (Firmamento ou céu) serviu de base para o 5 0 (para as aves voarem por ele) como o 3 0 (Separação entre terra e mar)para o 60 (para que a terra produzi-se seres vivos) como em relação as várias espécies criadas com criatividade eperfeição, copiadas pelos maiores designers humanos em todos os seus seguimentos, navegação, aviação, robótica, etc.A palavra hebraica yam, traduzida aqui por “águas”, é aplicada a um oceano, mar, lago, lagoa, rio, regato, poço ounascente. O termo yam inclui tudo isto.Nossas versões estão incorretas na tradução: “Produzam as águas abundantemente”. Sharats sherets podeunicamente significar: “Sejam as águas cheias de enxames”. A origem dos animais aquáticos e alados não é reveladaneste capítulo. É dito simplesmente que lhes foi ordenado aparecer na água e no ar, respectivamente. Todavia, emGênesis 2:19 torna-se claro que os animais voadores originaram-se “saindo da terra” Gênesis 2:19 - “Havendo,pois, o Senhor Deus formado da terra todos os animais do campo e todas as aves dos céus, trouxe-os ao homem ...”.“Estudos sobre Criacionismo”, página 194 a 217, edição sem data, da Casa Publicadora Brasileira, Santo André, S. P. Terça: Criação dos animais terrestresDe acordo com Gênesis 1:24-31, os animais terrestres e os seres humanos foram criados no sexto dia. Assim como existeuma correlação entre o segundo e o quinto dia, uma correlação também é vista entre a separação da terra e do mar, noterceiro dia, e a povoação da terra no sexto dia. Isso lembra novamente a sequência ordenada e intencional dos eventosda criação, coerente com um Deus de ordem (compare com 1Co 14:33).Disse também Deus: Produza a terra seres viventes, conforme a sua espécie: animais domésticos, répteis eanimais selváticos, segundo a sua espécie. E assim se fez. E fez Deus os animais selváticos, segundo a suaespécie, e os animais domésticos, conforme a sua espécie, e todos os répteis da terra, conforme a suaespécie. E viu Deus que isso era bom. Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossasemelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre todaa terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra. Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus ocriou; homem e mulher os criou. E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra esujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra. E disseDeus ainda: Eis que vos tenho dado todas as ervas que dão semente e se acham na superfície de toda a terra e todas asárvores em que há fruto que dê semente; isso vos será para mantimento. E a todos os animais da terra, e a todas asaves dos céus, e a todos os répteis da terra, em que há fôlego de vida, toda erva verde lhes será para mantimento. Eassim se fez. Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom. Houve tarde e manhã, o sexto dia. (Gên. 1:24-31)Pois Deus não é Deus de desordem, mas de paz. Como em todas as congregações dos santos, (1 Cor. 14:33)3. Como a expressão “segundo a sua espécie”, ou uma expressão equivalente é aplicada em outros textos bíblicos?Como esses exemplos nos ajudam a entender essa expressão em Gênesis 1? Gn 6:20; 7:14; Lv 11:14-22Das aves segundo as suas espécies, do gado segundo as suas espécies, de todo réptil da terra segundo assuas espécies, dois de cada espécie virão a ti, para os conservares em vida. (Gên. 6:20)eles, e todos os animais segundo as suas espécies, todo gado segundo as suas espécies, todos os répteisque rastejam sobre a terra segundo as suas espécies, todas as aves segundo as suas espécies, todos ospássaros e tudo o que tem asa. (Gên. 7:14)o milhano e o falcão, segundo a sua espécie, todo corvo, segundo a sua espécie, o avestruz, a coruja, a gaivota, o gavião,segundo a sua espécie, o mocho, o corvo marinho, a íbis, a gralha, o pelicano, o abutre, a cegonha, a garça, segundoa sua espécie, a poupa e o morcego. Todo inseto que voa, que anda sobre quatro pés será para vós outros abominação. ramos@advir.com
  3. 3. Mas de todo inseto que voa, que anda sobre quatro pés, cujas pernas traseiras são mais compridas, para saltar com elassobre a terra, estes comereis. Deles, comereis estes: a locusta, segundo a sua espécie, o gafanhoto devorador,segundo a sua espécie, o grilo, segundo a sua espécie, e o gafanhoto, segundo a sua espécie. (Lev. 11:14-22)O termo genus "raça", "espécie", gênero", "família", "tronco" agrega em sí "gênero", especies, "espécie", não havendodiferença alguma entre elas. Significa então dizer que na escritura “segundo a sua espécie” é “de vários tipos” "em todaa sua variedade".A expressão “segundo a sua espécie”, ou equivalente, não deve ser interpretada como uma regra de reprodução. Aocontrário, ela se refere ao fato de que havia diversos tipos de criaturas envolvidas nas respectivas histórias. Algumastraduções da Bíblia usam a expressão “de vários tipos”, que parece mais fiel ao contexto. Em vez de se referir à fixidezdas espécies, a expressão se refere à diversidade de criaturas criadas no sexto dia. Desde o tempo da criação,tem havido muitos tipos de plantas e animais. “Estudos sobre Criacionismo”, página 194 a 217, edição sem data, daCasa Publicadora Brasileira, Santo André, S. P.Não há um ancestral único de todos os animais terrestres. Em vez disso, Deus criou muitas linhagens distintas eseparadas. LES.Aqui como no caso das plantas do terceiro dia, temos uma criação imediata. Em vez de chamar diretamente àexistência as criaturas terrestres por meio de Sua palavra, o Criador capacitou a terra para produzí-las. O“porquê” podemos não perceber, mas sabemos que elas vieram do pó e devem voltar ao pó. A ordem à terra é totse,“fazer surgir de”. Esta ordem é inteiramente idêntica à declaração do verso 12, que a terra produzisse as plantas.As criaturas que apareceram no sexto dia são descritas com o mesmo título geral que as formas que voam e os animaisaquáticos. Elas são chamadas nephesh, “almas viventes”, porque a coisa que anima, a alma, é o seu aspectopreeminente. Estas formas terrestres são nomeadas em três classes.Primeiro são os behemah, ou “animais domésticos”, que são frequentemente chamados de gado. A palavra behemahvem de uma raiz que tem a significação de “ser mudo”. Isto, todavia, não serve para estabelecer certos grupos à parte,porque a todos os animais falta o poder da fala articulada.O segundo grupo são os remes, palavra tirada de uma raiz que significa “mover-se velozmente”, ou “rastejar”. Atradução “répteis” é demasiadamente estreita, porque não deixa lugar para os maiores répteis e anfíbios da terra.Poderia parecer que remes incluísse tudo o que se move sobre a terra, como serpentes, lagartixas e aranhas.A terceira classe é chayyath haarets, ou “bestas feras da terra”, nome apropriado por causa da sua geral liberdadede movimento na terra. Nunca esta classificação pretendeu satisfazer os biólogos taxonomistas, mas para as pessoasnão treinadas cientificamente ela é satisfatória, pois dá um quadro geral, variado, que é suficiente para lembrartodos os tipos de animais terrestres. “Estudos sobre Criacionismo”, página 194 a 217, edição sem data, da CasaPublicadora Brasileira, Santo André, S. P. Quarta: Trabalho acabado4. Leia Gênesis 2:1-3. Observe especialmente o verso 1, que enfatiza a conclusão de tudo o que Deus tinha feito. Por queisso é tão importante em nossa compreensão do significado do sétimo dia?Assim, pois, foram acabados os céus e a terra e todo o seu exército . E, havendo Deus terminado no dia sétimo asua obra, que fizera, descansou nesse dia de toda a sua obra que tinha feito. E abençoou Deus o dia sétimo e osantificou; porque nele descansou de toda a obra que, como Criador, fizera. (Gên. 2:1-3)Em seis dias a grande obra da Criação se cumprira, "Os céus, e a Terra e todo o seu exército foram acabados." Gên. 2:1;"E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom." Gên. 1:31. E "descansou no sétimo dia de toda Sua obra,que tinha feito. E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; porque nele descansou de toda a Sua obra". Gên. 2:2 e 3.Formando a semana juntamente com o sábado Deus completara toda a Sua obra.A criação estava agora completa. "Os céus, e a Terra e todo o seu exército foram acabados." Gên. 2:1 "E viu Deustudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom." Gên. 1:31. O Éden florescia sobre a Terra. Adão e Eva tinham francoacesso à árvore da vida. Nenhuma mancha de pecado ou sombra de morte deslustrava a formosa criação. "As estrelas daalva juntas alegremente cantavam, e todos os filhos de Deus rejubilavam." Jó 38:7.O grande Jeová lançara os fundamentos da Terra; ornamentara o mundo inteiro nas galas da beleza, e enchera-o decoisas úteis ao homem; criara todas as maravilhas da Terra e do mar. Em seis dias a grande obra da Criação se cumprira.E Deus "descansou no sétimo dia de toda Sua obra, que tinha feito. E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; porquenele descansou de toda a Sua obra, que Deus criara e fizera". Gên. 2:2 e 3. Deus olhou com satisfação para a obra deSuas mãos. Tudo era perfeito, digno de seu Autor divino; e Ele descansou, não como alguém que estivesse cansado, massatisfeito com os frutos de Sua sabedoria e bondade, e com as manifestações de Sua glória.Depois de repousar no sétimo dia, Deus o santificou, ou pô-lo à parte, como dia de repouso para o homem. Seguindo oexemplo do Criador, deveria o homem repousar neste santo dia, a fim de que, ao olhar para o céu e para aTerra, pudesse refletir na grande obra da criação de Deus; e para que, contemplando as provas dasabedoria e bondade de Deus, pudesse seu coração encher-se de amor e reverência para com o Criador.No Éden, Deus estabeleceu o memorial de Sua obra da criação, depondo a Sua bênção sobre o sétimo dia. O sábado foiconfiado a Adão, pai e representante de toda a família humana. Sua observância deveria ser um ato de grato ramos@advir.com
  4. 4. reconhecimento, por parte de todos os que morassem sobre a Terra, de que Deus era seu Criador e legítimoSoberano; de que eles eram a obra de Suas mãos, e súditos de Sua autoridade. Assim, a instituição erainteiramente comemorativa, e foi dada a toda a humanidade. Nada havia nela prefigurativo, ou de aplicação restrita aqualquer povo.Deus viu que um repouso era essencial para o homem, mesmo no Paraíso. Ele necessitava pôr de lado seus própriosinteresses e ocupações durante um dia dos sete, para que pudesse de maneira mais ampla contemplar asobras de Deus, e meditar em Seu poder e bondade. Necessitava de um sábado para, de maneira maisvívida, o fazer lembrar de Deus, e para despertar-lhe gratidão, visto que tudo quanto desfrutava e possuíaviera das benignas mãos do Criador.Era o desígnio de Deus que o sábado encaminhasse a mente dos homens à contemplação de Suas obrascriadas. A natureza fala aos sentidos, declarando que há um Deus vivo, Criador e supremo Governador detudo. "Os céus manifestam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das Suas mãos. Um dia faz declaração aoutro dia, e uma noite mostra sabedoria a outra noite." Sal. 19:1 e 2. A beleza que reveste a Terra é um sinal doamor de Deus. Podemos vê-Lo nas colinas eternas, nas árvores altaneiras, no botão que se entreabre, e nas delicadasflores. Tudo nos fala de Deus. O sábado, apontando sempre para Aquele que tudo fez, ordena aos homens abrirem ogrande livro da natureza, e rastrear ali a sabedoria, o poder e o amor do Criador. Patriarcas e Profetas, 47-48.Quando foram postos os fundamentos da Terra, ... foi então lançado o fundamento do sábado. (Jó 38:6 e 7;Gên. 2:1-3.) Bem pode esta instituição reclamar a nossa reverência; não foi ordenada por nenhuma autoridade humana,e não repousa sobre tradições humanas; foi estabelecida pelo Ancião de Dias e ordenada por Sua eterna Palavra. OGrande Conflito, pág. 455.5. De acordo com Jesus, qual é o propósito do sábado? Mc 2:27, 28E acrescentou: O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado; de sorte que oFilho do Homem é senhor também do sábado. (Mar. 2:27-28)Deus reservou o sétimo dia como um período de repouso para o homem, para bem do homem mesmo,assim como para glória Sua. Ele viu que as necessidades do homem exigiam um dia de repouso da labuta e docuidado, que sua saúde e vida seriam postas em perigo, sem um período de abandono do trabalho e da ansiedade dosseis dias. Testemunhos Seletos, vol. 1, pág. 175.Quando foram colocados os fundamentos da Terra, foi colocado também o fundamento do sábado. Quando asestrelas da alva cantaram juntas e todos os filhos de Deus se rejubilaram, Deus viu que o sábado era essencial paraAdão e Eva, mesmo no Paraíso. Ao dar-lhes o sábado, Deus levou em consideração a sua saúde espiritual efísica.Deus criou o mundo em seis dias literais e no sétimo dia literal descansou de toda a obra que tinha feito, e tomou alento.Assim, deu Ele ao ser humano seis dias para trabalhar. ... Ao separar dessa maneira o sábado, Deus deu ao mundoum memorial. Ele não separou um dia ou qualquer dia entre os sete, mas um dia determinado, o sétimo. Aoobservamos o sábado, demonstramos reconhecer a Deus como o Deus vivo, Criador do céu e da Terra. Carta31, 1898.E "o Senhor criou os céus e a terra", e então? "E descansou no sétimo dia" e "santificou-o", dando-o para que oobservasses como memorial de Deus - um memorial de que Ele é o Deus vivo que criou os Céus lá em cima ea Terra sobre a qual vivemos. Ele criou as majestosas árvores e revestiu cada flor. Deu a cada uma seus matizes, e oSenhor do Céu criou os seres humanos, dando-lhes o sábado. A quem? A toda a posteridade de Adão; foi umadádiva para toda a sua posteridade. Tivessem eles sido sempre obedientes ao quarto mandamento, não teria havidoum único infiel no mundo, porque ele testifica que "fez o Senhor os céus, a terra, o mar e tudo o que neles há."Manuscrito 10, 1894 (Sermons and Talks, vol. 1, págs. 232-235). Quinta: O dia literal6. Quais são os componentes dos dias da criação? Alguma coisa nos versos indica que esses não foram dias literais de 24horas? Gn 1:5, 8, 31Chamou Deus à luz Dia e às trevas, Noite. Houve tarde e manhã, o primeiro dia. (Gên. 1:5)E chamou Deus ao firmamento Céus. Houve tarde e manhã, o segundo dia. (Gên. 1:8)Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom. Houve tarde e manhã, o sexto dia. (Gên. 1:31)Aqui o mesmo critério usado para definir dia, deve necessariamente ser usado; rotação do planeta (horas) mais a (luzsolar) “tarde e manhã” ou “o se pôr e o nascer-do-sol”, que dá a base para este assunto. Isso é observado durante toda a10 semana e em todas as consecutivas até o fim dos tempos, se não fosse assim qual seria a referência para dia e depoissemana? começando de uma forma e terminado de outra.É interessante notar que no verso 5 a palavra “dia”, (yom) é usada em dois sentidos. Dia (yom) quando usado com“noite” (layelah) deve referir-se à parte clara do dia, mais ou menos doze horas. Quando é feita a declaração deque o “dia” (yom) terminou, a mesma palavra é usada para significar um período de vinte e quatro horas.“Estudos sobre Criacionismo”, página 194 a 217, edição sem data, da Casa Publicadora Brasileira, Santo André, S. P.Ver mais detalhes neste resumo na lição passada (Resumo_212013) “Haja luz”no 10 dia da criação. ramos@advir.com
  5. 5. 7. Que indicação temos de que todos os sete dias da semana da criação foram dias literais? Lv 23:3Seis dias trabalhareis, mas o sétimo será o sábado do descanso solene, santa convocação; nenhuma obrafareis; é sábado do SENHOR em todas as vossas moradas. (Lev. 23:3)Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra, mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR, teu Deus ; não farás nenhumaobra, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiroque está dentro das tuas portas. Porque em seis dias fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo que neles há e aosétimo dia descansou; portanto, abençoou o SENHOR o dia do sábado e o santificou. Êxo. 20:9-11.O conselho divino é que devemos trabalhar durante seis dias e no sétimo, descansar conforme o mandamento “ Edescansaram no sábado, em obediência ao mandamento”. Luc. 23:56. NVI. Sendo assim, trata-se de uma semana literal,com dias literais.Se cada dia da semana da criação não fosse um período de 24 horas, não teríamos como explicar de onde proveio o ciclodos dias da semana. Independentemente do dia que observássemos - sexta-feira, sábado ou domingo - teríamosdificuldade para explicar a origem de qualquer dia de repouso, sem a sua vinculação ao ciclo semanal estabelecido nasemana da criação. “Origin by Design” Harold Coffin, Ph.D., foi professor de Paleontologia da Andrews University."Fui então transportada para a Criação, e foi-me mostrado que a primeira semana, na qual Deus operou aobra da Criação em seis dias e descansou no sétimo dia, foi exatamente como qualquer outra semana . Ogrande Deus em seis dias de Criação e dia de repouso, mediu o primeiro ciclo como amostra para as semanasseguintes até o fim dos tempos. ... Deus nos dá o resultado de Sua obra ao final de cada dia literal." ...Os primeiros seis dias de cada semana são dados ao homem para que trabalhe neles, porque Deusempregou o mesmo período da primeira semana na obra da criação. O sétimo dia Deus reservou como dia dedescanso, em comemoração de Seu descanso durante o mesmo período de tempo, após haver realizado a obrada criação em seis dias. Spiritual Gifts, vol. 3, págs. 90-93."O sofisma quanto a ser o mundo criado em um período de tempo indefinido, é uma das falsidades de Satanás. Deus falaà família humana em linguagem que eles podem compreender. ... Quando o Senhor declara que fez o mundo emseis dias e descansou no sétimo, quer dizer o dia de vinte e quatro horas, que Ele assinalou pelo nascer e opôr-do-sol."– Carta 31, 1898. Ellen G. White, Testemunhos para Ministros e Obreiros Evangélicos, 135 e 136."Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a Terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portantoabençoou o Senhor o dia do sábado, e o santificou." Êxo. 20:8-11. Esta razão parece bela e impõe-se quandocompreendemos serem literais os dias da criação. Os seis primeiros dias de cada semana são dados aoshomens para o trabalho, porque Deus empregou o mesmo período da primeira semana na obra da criação.… "Pela palavra do Senhor foram feitos os céus, e todo o exército deles pelo espírito da Sua boca." "Porque falou, e tudose fez; mandou, e logo tudo apareceu." Sal. 33:6 e 9. A Bíblia não admite longas eras em que a Terra vagarosamenteevoluiu do caos. De cada dia consecutivo da criação, declara o registro sagrado que consistiu de tarde emanhã, como todos os outros dias que se seguiram. No final de cada dia dá-se o resultado da obra do Criador. Faz-se esta declaração no fim do relato da primeira semana: "Estas são as origens do céu e da Terra, quando foram criados."Gên. 2:4. Mas isto não confere a ideia de que os dias da criação eram diversos de dias literais. Cada dia foichamado uma origem ou geração, porque nele Deus gerou, ou produziu alguma nova porção de Sua obra. Patriarcas eProfetas, 111-112.“Mas a suposição dos incrédulos, de que a realização dos eventos da primeira semana exigiu sete períodosextensos e indefinidos, atinge diretamente o fundamento do sábado do quarto mandamento. Ela tornaindefinido e obscuro o que Deus deixou muito claro. É o pior tipo de infidelidade, pois para muitos que professamcrer no relato da criação, essa é uma infidelidade disfarçada”. Spiritual Gifts [Dons Espirituais], v. 3, p. 91).Pretende-se que milhões de anos fossem necessários para que a Terra evoluísse do caos; e com o fim deacomodar a Bíblia a esta suposta revelação da ciência, supõe-se que os dias da criação fossem períodosvastos. ... Tal conclusão é absolutamente infundada. Educação, págs. 128 e 129.Sem a história da Bíblia, a geologia não pode provar nada. Vestígios encontrados na Terra dão evidência de um estado decoisas que difere do atual em muitos aspectos. Mas o tempo de sua existência e durante quanto tempo essascoisas têm estado na Terra só devem ser deduzidos pela história da Bíblia. ... Quando os homens deixam aPalavra de Deus a respeito da história da Criação e procuram explicar as obras criadas por Deus valendo-sede princípios naturais, eles se encontram num ilimitado oceano de incertezas. Deus nunca revelou aos mortaisexatamente como realizou a obra da Criação em seis dias literais. As obras criadas por Ele são tão incompreensíveiscomo Sua existência. ...A ciência humana jamais poderá explicar Suas obras prodigiosas. Deus determinou que homens, animais eárvores, muitas vezes maiores dos que agora existem sobre a Terra, e outras coisas, fossem sepultados na Terra porocasião do Dilúvio, e preservados ali, para evidenciar ao homem que os habitantes do mundo antigopereceram numa inundação. Deus tencionava que o descobrimento dessas coisas na Terra estabelecesse afé dos homens na história inspirada. Mas os homens, com o seu vão raciocínio, fazem mau uso dessas coisas que,de acordo com o desígnio de Deus, deviam levá-los a exaltá-Lo. Spiritual Gifts, vol. 3, págs. 90-96. ramos@advir.com
  6. 6. Sexta: Estudo adicionalConclusão: Em “A criação concluída” aprendi que …Domingo – O Sol, Lua e estrelas são luminares, luzeiros para alumiar a terra, estão no firmamento dos céus, parafazerem separação entre o dia e a noite; para sinais, para estações, para dias e anos e para manifestarem a glória deDeus e anunciar as obra das Suas mãos.Em Gênesis 1:1, Moisés escolheu a dedo o verbo bara’ (“criar”). Ele poderia ter utilizado dois outros verbos hebraicosasah (“fazer”) ou yatsar (“formar”), mas usou especificamente bara’ que, segundo o comentário da Bíblia de Jerusalém,por exemplo, “é reservado à ação criadora de Deus, diferente da ação produtora do homem” Comentário CPB.Estes versos Gên. 1:14-19 não possuem o termo criou (bara’); ex nihilo “do nada” para estes corpos celestes do quartodia. A palavra usada aqui é asah, que é “fazer, “pôr em prática”, “executar, realizar, manufaturar, produzir” etc, commatéria já por Ele anteriormente criada, como por exemplo o firmamento ou expansão referente a águas e águas no 2 0dia; e a terra e o mar no 30, a matéria já estava, houve tão somente a separação, exatamente como no 1 0 com a luz e astrevas “E viu Deus que era boa a luz; e fez Deus separação entre a luz e as trevas ”. Gên. 1:4 e depois o próprio homemque formou no sexto, com o pó da terra) seguindo então a este critério, pôs em prática, fez com que os luzeiros tivessemo efeito desejado em “suas ordenadas revoluções” agora dentro do planeta, que estava ainda envolto sobre grossasnuvens, e indicou suas funções.“A glória de Deus nos céus, os mundos inumeráveis em suas ordenadas revoluções, o equilíbrio das grossas nuvens, osmistérios da luz e do som, do dia e da noite, tudo estava patente ao estudo dos nossos primeiros pais”. Patriarcas eProfetas, p. 44.Segunda – A Criação das aves e animais marinhos longe da teoria do acaso, vemos um planejamento minucioso,tanto referente aos dias, vemos aqui que o 2 0 dia (Firmamento ou céu) serviu de base para o 5 0 (para as aves voarem porele) como o 30 (Separação entre terra e mar) para o 6 0 (para que a terra produzi-se seres vivos) como em relação asvárias espécies criadas com criatividade e perfeição, copiadas pelos maiores designers humanos em todos os seusseguimentos, navegação, aviação, robótica, etc.A palavra hebraica yam, traduzida aqui por “águas”, é aplicada a um oceano, mar, lago, lagoa, rio, regato, poço ounascente. O termo yam inclui tudo isto. “Estudos sobre Criacionismo”, página 194 a 217, edição sem data, da CasaPublicadora Brasileira, Santo André, S. P.Terça - Criação dos animais terrestres: O termo genus "raça", "espécie", gênero", "família", "tronco" agrega em sí"gênero", especies, "espécie", não havendo diferença alguma entre elas. Significa então dizer que na escritura “segundoa sua espécie” é “de vários tipos” "em toda a sua variedade".A expressão “segundo a sua espécie”, ou equivalente, não deve ser interpretada como uma regra de reprodução. Aocontrário, ela se refere ao fato de que havia diversos tipos de criaturas envolvidas nas respectivas histórias. Algumastraduções da Bíblia usam a expressão “de vários tipos”, que parece mais fiel ao contexto. Em vez de se referir à fixidezdas espécies, a expressão se refere à diversidade de criaturas criadas no sexto dia. Desde o tempo da criação, temhavido muitos tipos de plantas e animais. “Estudos sobre Criacionismo”, página 194 a 217, edição sem data, da CasaPublicadora Brasileira, Santo André, S. P.Quarta - Trabalho acabado Em seis dias a grande obra da Criação se cumprira, "Os céus, e a Terra e todo o seu exércitoforam acabados." Gên. 2:1; "E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom." Gên. 1:31. E "descansou nosétimo dia de toda Sua obra, que tinha feito. E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; porque nele descansou detoda a Sua obra". Gên. 2:2 e 3. Formando a semana juntamente com o sábado Deus completara toda a Sua obra.Quando foram postos os fundamentos da Terra, ... foi então lançado o fundamento do sábado. (Jó 38:6 e 7; Gên. 2:1-3.)Bem pode esta instituição reclamar a nossa reverência; não foi ordenada por nenhuma autoridade humana, e nãorepousa sobre tradições humanas; foi estabelecida pelo Ancião de Dias e ordenada por Sua eterna Palavra. O GrandeConflito, pág. 455.Quinta - O dia literal: O primeiro passo é definir dia, deve necessariamente ser usado; rotação do planeta (horas) mais a(luz solar) “tarde e manhã” ou “o se pôr e o nascer-do-sol”, que dá a base para este assunto. Isso é observado durantetoda a 10 semana e em todas as consecutivas até o fim dos tempos, se não fosse assim qual seria a referência para dia edepois semana? começando de uma forma e terminado de outra.“Quando o Senhor declara que fez o mundo em seis dias e descansou no sétimo, quer dizer o dia de vinte e quatro horas,que Ele assinalou pelo nascer e o pôr-do-sol.”– Carta 31, 1898."Fui então transportada para a Criação, e foi-me mostrado que a primeira semana, na qual Deus operou a obra daCriação em seis dias e descansou no sétimo dia, foi exatamente como qualquer outra semana. O grande Deus em seisdias de Criação e dia de repouso, mediu o primeiro ciclo como amostra para as semanas seguintes até o fim dos tempos.Spiritual Gifts, vol. 3, págs. 90-93.O conselho divino é que devemos trabalhar durante seis dias e no sétimo, descansar conforme o mandamento “ Edescansaram no sábado, em obediência ao mandamento”. Luc. 23:56. NVI . Sendo assim, trata-se de uma semana literal,com dias literais. ramos@advir.com

×