Livro Digital e as Livrarias Brasileiras

2.911 visualizações

Publicada em

A visão das livrarias brasileiras sobre os desafios e oportunidades com relação ao comércio do livro digital

Publicada em: Educação
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.911
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.337
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
63
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • No começo, detalhes do curso e/ou livros/materiais necessários para uma aula/projeto.
  • Notas introdutórias.
  • Um design de programação para períodos/objetivos opcionais.
  • Objetivos da instrução e resultados esperados e/ou habilidades desenvolvidas com o aprendizado.
  • Uma lista de procedimentos e etapas, ou um slide da palestra com mídia.
  • Exemplo de gráfico.
  • Conclusão do curso, palestra etc.
  • Exemplo de gráfico.
  • Exemplo de gráfico.
  • Exemplo de gráfico.
  • Exemplo de gráfico.
  • Exemplo de gráfico.
  • Exemplo de gráfico.
  • Exemplo de gráfico.
  • Exemplo de gráfico.
  • Conclusão do curso, palestra etc.
  • Conclusão do curso, palestra etc.
  • Uma oportunidade para perguntas e discussões.
  • Livro Digital e as Livrarias Brasileiras

    1. 1. O Livro Digital e asLivrarias BrasileirasPerspectivas e alternativas navisão dos livreirosIdealização – Livrarias Leitura- (Marcus Telles)Preparação e Análise- Vivo de Livro ( GersonRamos)
    2. 2. Objetivos da Pesquisa Conhecer a opinião do livreiro brasileiro sobre o atual momento do mercado e seu futuro. Saber como ele está lidando com as mudanças resultantes do crescimento das vendas do livro digital. Entender como as livrarias podem se posicionar para permanecer no comércio de livros. Descobrir quais são e onde estão as oportunidades para o varejo de livros no Brasil.
    3. 3. Critérios  Pesquisa Quantitativa:  Embora dirigido a um número pequeno de participantes, a intenção era de se obter uma fotografia da opinião de participantes ativos no mundo dos livros, que pudesse ser quantificada e entendida para saber qual o pensamento dominante.  Em alguns casos as perguntas eram de múltipla escolha, em outros com uma resposta única, mas mesmo assim, em virtude do pequeno universo pesquisado, foi permitido manifestações espontâneas em alguns tópicos em que as questões ainda não tenham sido muito exploradas pelo próprio mercado editorial brasileiro.  Quando há incidência de um ponto de vista não considerado nas respostas prévias, estas observações estão apresentadas ao lado dos resultados quantificados.
    4. 4. Público Alvo Foram convidados à participar proprietários de pequenas e médias livrarias, executivos de grandes redes e profissionais envolvidos exclusivamente com o mercado de livros digitais, seja nas áreas de produção, comercialização ou distribuição de e-books. Buscando preservar o posicionamento estratégico destes profissionais e empresas, os participantes não são identificados, nem mesmo por grupos, apenas buscou-se abrir um leque de possibilidades que pudesse contemplar a diversidade de agentes envolvidos no varejo de livros físicos e digitais, evitando assim que um grupo com atuação dominante apenas em um das modalidades interferisse excessivamente no resultado. Foi utilizado um questionário on-line, no site SurveyMonkey.com, oferecendo como alternativas respostas já conhecidas pelo mercado para escolha do entrevistado, que acessou a pesquisa através de link enviado por e-mail.
    5. 5. Abrangência, Período e Modalidade daColeta Abrangência:  Não se buscou regionalizar a participação, considerando que a concentração do mercado de livros digitais nas regiões Sul e Sudeste é ainda maior que no mercado de livros impressos. Período de Coleta das Respostas  Início em 08/02/2013 Finalização em 06/03/2013 Forma da Coleta das Respostas  Foi utilizado um questionário on-line, no site SurveyMonkey.com, com recursos de controle de campos obrigatórios e totalizações automáticas. A Pesquisa foi acessada através de link enviado por e-mail.
    6. 6. Resumo Geral Foram propostas 11 perguntas. A última pergunta, não obrigatória, com espaço para depoimentos e comentários do respondentes foi preenchida por todos 18 participantes. Cada uma das perguntas será apresentada à seguir com suas análises
    7. 7. 1. No Brasil em 2012 o livro digital alcançou 0,5% do mercado e em 2013 deverá alcançar 2% do faturamento do mercado. Qual sua estimativa de participação porcentual do livro digital no mercado de livros do Brasil daqui 10 anos? Apenas 7 entrevistado s, consideram que o digital representará mais que 30% do mercado de livro, que é a média obtida nesta amostragem .Em um extremo há uma resposta que estipula que e-books atinjam 70%, no outro há a aposta queo digital daqui 10 anos será ainda menor do prevista para 2013, com apenas 1%.
    8. 8. 2. Selecione nas opções abaixo, a situação que melhor represente a posição e sua empresa em relação ao comércio de livros digitais neste momento . Mesmo considerando que o livro digital atinja 30% em 10 anos, ter quase ¼ dos livreiros sem que tenham feito algum movimento em direção à sua comercialização até o momento, sugere que este lojista imagina ou uma expansão do consumo atual dos livros impressos ou uma concentração ainda maior que há hoje p/ manter- se no negócio.Como o universo consultado está entre as empresas com maior exposição ao assunto, énatural que nenhum deles tenha desconsiderado a comercialização de e-books em algummomento, chama a atenção o número de participantes em vias de decidir por uminvestimento na área 47% = 8 empresas.
    9. 9. 3. Você acha que as lojas de livros digitais, que possuem seu próprio aparelho de leitura (e-readers) como por exemplo KindleStore(Amazon/Kindle), Kobo/Livraria Cultura(Kobo-Reader)) e I-Book Store(Apple-iPad) e Barnes&Noble(Nook) terão uma vantagem que não será possível recuperar sobre quem apenas comercializa os e-books?As incertezas sobre a eficácia dosmodelos atuais em operação, tambémparecem se materializar nadesconfiança sobre o “poder” dosatuais líderes do mercado no futuro.,por isso mais de 55 % acreditam queoutros dispositivos irão terpredominância sobre os devicesdedicados atualmente disponíveis.Interessante observar que quando amaior parte das respostas foipreenchida, ainda não havia sidopublicada a notícia sobre os prejuízosda B&N com o Nook em 2012.Convém lembrar a expectativa sobre aentrada do Gov. Federal na aquisiçãode conteúdos digitais, que podemodificar a liderança dos devicesatuais..
    10. 10. 4. Qual sua opinião sobre as livrarias venderem em suas lojas físicas os e- readers que pertençam às empresas que também comercializam os mesmos produtos que estão à venda em seus estabelecimentos?Normalmente temerosos de expor suas informações, surpreende que quase metade dos participantes entendaque fazer a comercialização de aparelhos de leitura digital de outras empresas em suas lojas para seus clientes,não seja um risco para seus próprios negócios, se somados aos 18% que declaram não ter ainda uma opiniãoformada sobre o assunto, abre-se um janela de oportunidades para que este modelo de operação seja estendidapelas demais livrarias, mas ao mesmo tempo pode expor este livreiro à uma transferência gradual de seusclientes para este “parceiro” eventual, quando este também for vendedor de produtos encontrados nas suas
    11. 11. 5. Com o crescimento do livro digital e a possível queda do livro impresso, ordene abaixo quais as áreas que deverão sofrer maior perda do livro impresso para o digital em até 10 anos. Use 1 para maior queda e 5 para a área de menor queda Quanto menor a nota total, maior o potencial de que o maior volume de vendas seja absorvido pelo livro digital. Obras de referências, como Universitários e Didáticos dominam a expectativa do mercado para que migrem para o digital, enquanto que o Infanto- Juvenis, por suas características gráficas especiais, acredita-se que o papel seja sua melhor mídia. A maior novidade é o entendimento que o livro religioso seja menos apropriado para o consumo digital.A posição intermediária dos livros de interesse geral, reflete possivelmente mais a situação do momento, já queapesar de ser o maior volume de títulos disponíveis no formato digital, ainda está muito distante da variedade
    12. 12. 6. Daqui 10 anos, qual será a participação das formas de aquisição de livros digitais no Brasil?(Digite um valor que corresponda ao % que cada opção poderá representar)Apesar de o universopesquisado estar abertopara o mercado digital,não estão muito confianteque a expansão do digitalaconteça de forma legal.Da mesma forma, aindahá uma expectativa quedonwload gratuito sejarepresentativo, atémesmo para iniciação naleitura digital, como jáocorre hoje.
    13. 13. 7. Na sua opinião, quais serão os mais importantes varejistas on-line do livro digital. Selecione um número que indique a posição no ranking que as empresas abaixo poderão ocupar, conforme sua avaliação.Para evitar indução de votos, as opções de respostas foram programadas para alteraçãorandômica, portanto cada um que clicava no link e iniciava à responder, tinha uma exibição deordem diferente das opções disponíveis. Estamos exibindo aqui quantos votos foram dados paracada opção até o 5º lugar, que representam evidentemente as maiores apostas dos entrevistados.Apesar de o número de respostas que apontam para a primeira posição serem exatamente iguais,tanto para Amazon quanto para a i-Bookstore da Apple, nas posições seguintes a empresa deSeattle levou boa vantagem, o que representa uma aposta de crescimento que ainda não seconcretizou. Se esta aposta dos entrevistados representar minimamente a experiência de comprado consumidor digital, as empresas brasileiras precisam agir rapidamente sobre as suas lojas parareverter este cenário, pois não se trata apenas de estar atrás dos gigantes internacionais, maspreocupa a diminuição expressiva de votantes que acreditam que estas empresas possam estarentre as 5 primeiras colocadas. Ao que parece que começou ainda pode brigar, mas para os novosplayers apenas um dos entrevistados crê que possa se posicionar entre os 5 primeiros., até
    14. 14. 8. Considerando uma provável queda dos livros impressos e conseqüentementeuma concentração de mercado, selecione um ou mais atributos que poderiam seros principais fatores positivos para que a livraria tradicional continue ativa nomercado. O livreiro brasileiro entende que os aspectos que determinam relacionamento interpessoal são determinantes para que a livraria brick & mortar enfrente seus concorrentes virtuais, assim como uma especialização e qualificação no atendimento podem se contrapor à uma venda on-line, talvez mais “fria”. Questão de múltiplas escolhas, permitia que todas as opções fossem assinaladas, mas era obrigatório que pelo menos uma fosse preenchida.
    15. 15. 9. Quais seriam pontos negativos que podem acarretar no fechamento de livrariastradicionais? Quando perguntado sobre os maiores agressores ao varejo de livros, questões mais técnicas e da gestão em si, ganham maior visibilidade entre os vilões do negócio. Apesar de disponível para inclusão de outros fatores negativos, ninguém acrescentou algum novo elemento.
    16. 16. 10. Em quais outras áreas ou ramos de atividades as livrarias deveriam investirpara o futuro? Também na exploração de outras atividades que permitam o espaço físico da livraria enfrentar os desafios do mercado, soluções que prestigiem convivência receberam ampla votação, em seguida itens que reforçam o conceito de varejo de produtos de entretenimento.
    17. 17. 11. Na sua opinião, os atuais proprietários de livrarias deveriaminvestir na abertura de novas lojas? Por que? A grande maioria dos participantes da pesquisa entende que a livraria física é, e ainda será um bom negócio. Entre as razões apresentadas para este otimismo, 9 citaram o fato de o mercado estar em expansão como motivos para continuar a aposta neste tipo de varejo, 3 acreditam que há espaço para lojas menores em cidades ainda não atingidas pelas livrarias tradicionais. 1 participantes entende que o livro digital não é uma ameaça. Esta visão ajuda a entender a qtde de empresas que ainda não está com ações mais
    18. 18. 11. Na sua opinião, os atuais proprietários de livrarias deveriaminvestir na abertura de novas lojas? Por que? As visões mais negativas, sejam os “Nãos” Taxativos ou a opinião “ Talvez” estão diretamente justificadas pela preocupação sobre as incertezas do investimento na estrutura de uma loja, há até mesmo uma manifestação considerando que a Lei do Preço Fixo seja imprescindível para a continuidade do modelo de negócio livraria
    19. 19. Conclusões  Algumas características específicas do país, demonstram um leque de oportunidades para o varejo de livros. Expansão do mercado consumidor, regiões inexploradas, associado à um entendimento que a convivência e outros fatores do relacionamento humano podem ser determinantes na preservação do mercado livreiro, demonstram que o Brasil ainda pode ver novas livrarias surgirem enquanto o mercado de livros digitais avança, com ou sem pirataria.  Investimentos na ambiência destas lojas portando são indispensáveis, preocupação crescente com aspectos gerenciais, fato que foi muito neglicenciado num passado recente são necessários para permanecer atuante.  E parceiros digitais devem encontrar menos
    20. 20. O Livro Digital e as Livrarias Brasileiras Perspectivas e alternativas na visão dos livreirosMais informações gerson@vivodelivro.com.brc/ Gerson Ramos www.vivodelivro.com.br

    ×