A trajetória do reformador.
Parte I – 03/10/13
Uma apresentação com base nas palavras introdutórias de
Nestor Beck no livr...
Martinho Lutero: sua trajetória.
Parte I:

Parte II:

 Fermento

 Reforma Pacífica

 Docência

 Tumultos

 A Descober...
Hans Luther e Margarethe Lindemann
Fermento









10/11/1493 – Mansfeld.
Escolas.
Universidade de Erfurt.
Influência renascentista.
Ingresso no most...
Docência




Duque eleitor Frederico da
Saxônia: “Tinha
compreendido que estava na
educação o futuro da sua
terra, despr...
Intervenção

 Qual

a
importância
da
formação
acadêmica
de Martinho
Lutero?
Duas passagens do
primeiro capítulo
aos Romanos
perturbavam
Lutero; as quais
eram:
“A justiça de Deus
se revela no
evangel...
Justiça de Deus
O Conflito






95 teses: 31/10/1517.
Objetivo: provocar
debate.
Carta para: bispos
Alberto de Mogúncia e
Jerônimo Sc...
Vídeo música: Vagalumes (Pollo)
Apoio e Oposição









“Lutero viu-se envolvido num processo que terminou
por excluí-lo da igreja. Só não foi esm...
Apelo Frustrado




Imperador Carlos V (1500-1558)
Dieta de Worms (1521)
Beck: “Lutero, já excomungado pelo papa e
pres...
Em Custódia
• Frederico simulou seqüestro de
Lutero.
• Castelo de Warthburgo.
• Lutero = cavaleiro Jorge.
• Apoio de Filip...
496 Anos da Reforma: 31/10/2013
Cruz preta = a fé no
crucificado nos salva.

Campo celestial (azul) =
começo da alegria
ce...
“Martinho Lutero pertence não à igreja
apenas, mas à sociedade também. A igreja
cristã, enquanto existir, não deixará de
o...
Perfil
 Dotado de consciência moral










sensível.
Não era tolerante para consigo.
Não compactuava com o que
r...
Vamos assistir o filme, provavelmente, no
próximo dia 31 de outubro.
No auditório Magdalena Arce Daon
Três pilares da Reforma:
Martinho Lutero: sua trajetória.
Apresentação I:

Apresentação II:

 Fermento

 Reforma Pacífica

 Docência

 Tumultos...
T100 a trajetória do reformador martinho lutero 03.10.13
T100 a trajetória do reformador martinho lutero 03.10.13
T100 a trajetória do reformador martinho lutero 03.10.13
T100 a trajetória do reformador martinho lutero 03.10.13
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

T100 a trajetória do reformador martinho lutero 03.10.13

530 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
530
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
26
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

T100 a trajetória do reformador martinho lutero 03.10.13

  1. 1. A trajetória do reformador. Parte I – 03/10/13 Uma apresentação com base nas palavras introdutórias de Nestor Beck no livro Pelo Evangelho de Cristo. Gerson Dieter Prates Capelão
  2. 2. Martinho Lutero: sua trajetória. Parte I: Parte II:  Fermento  Reforma Pacífica  Docência  Tumultos  A Descoberta  Consolidação  O Conflito  Protesto  Apoio e Oposição  Confissão  Apelo Frustrado  Três Lustros  Em Custódia  Guerra e Paz  Perfil  Resultados
  3. 3. Hans Luther e Margarethe Lindemann
  4. 4. Fermento       10/11/1493 – Mansfeld. Escolas. Universidade de Erfurt. Influência renascentista. Ingresso no mosteiro da ordem de São Agostinho (em Erfurt). Universidade de Wittenberg.
  5. 5. Docência   Duque eleitor Frederico da Saxônia: “Tinha compreendido que estava na educação o futuro da sua terra, desprovida de riquezas naturais expressivas.” Como doutor, substituto de João Staupitz, em interpretação das Escrituras Sagradas.
  6. 6. Intervenção  Qual a importância da formação acadêmica de Martinho Lutero?
  7. 7. Duas passagens do primeiro capítulo aos Romanos perturbavam Lutero; as quais eram: “A justiça de Deus se revela no evangelho” e “O justo viverá por fé”(Rm 1.17). Beck: “Depois de muito pesquisar e meditar, afirma, Deus teve compaixão dele, e passou a perceber a conexão das duas passagens. Compreendeu então que a justiça de Deus revelada no evangelho precisa ser entendida no sentido passivo, a saber, que Deus justifica por sua misericórdia e pela fé como está escrito: “O justo viverá pela fé.””
  8. 8. Justiça de Deus
  9. 9. O Conflito     95 teses: 31/10/1517. Objetivo: provocar debate. Carta para: bispos Alberto de Mogúncia e Jerônimo Schulze de Banderburgo. Problema das indulgências diretamente ligado ao bispo Alberto.
  10. 10. Vídeo música: Vagalumes (Pollo)
  11. 11. Apoio e Oposição       “Lutero viu-se envolvido num processo que terminou por excluí-lo da igreja. Só não foi esmagado, porque obteve apoio de várias partes.” Apoio do duque eleitor Frederico. Ordem dos Agostinhos, reunida em Heidelberg, deu razão ao Reformador. Vários monges aderiram a causa. Em Leipzig, houve o confronto no debate o Dr. Lutero e o Dr. João Eck (um hábil polemista). A igreja condenou imediatamente Lutero porque este fez afirmações de erros do papa.
  12. 12. Apelo Frustrado    Imperador Carlos V (1500-1558) Dieta de Worms (1521) Beck: “Lutero, já excomungado pelo papa e pressionado pelo imperador, não se julgou em condições de retirar o que havia escrito. Só poderia retratar-se no caso de ser convencido de erro, com argumentos da Escritura e da razão. Não sendo este o caso, sua consciência permanecia cativa à palavra de Deus.”
  13. 13. Em Custódia • Frederico simulou seqüestro de Lutero. • Castelo de Warthburgo. • Lutero = cavaleiro Jorge. • Apoio de Filipe Melanchton, clero, nobreza e intelectuais. Beck: “Encorajado pelos amigos, Lutero se pôs a traduzir o Novo Testamento do grego para o alemão fluente, exato e comunicativo. Realizou o trabalho em poucos meses. A tradução foi revisada por uma equipe de trabalho e provida de prefácios para ajudar os leitores a entender o texto. Foi publicada em setembro de 1522 e se tornou sucesso popular. Segundo alegavam os adversários, leigos incultos passaram a discutir teologia com padres e monges.”
  14. 14. 496 Anos da Reforma: 31/10/2013 Cruz preta = a fé no crucificado nos salva. Campo celestial (azul) = começo da alegria celestial; esperança. Com o coração é que se crê e a cruz mantém a fé viva no coração. Anel de ouro = a garantia de que a salvação no Céu perdura para sempre. Rosa branca com folhas verdes = Espírito Santo que, pela fé, produz alegria, conforto e paz. Rosa de Lutero
  15. 15. “Martinho Lutero pertence não à igreja apenas, mas à sociedade também. A igreja cristã, enquanto existir, não deixará de ocupar-se com este monge e professor que desencadeou o chamado cisma do ocidente. (...) Em torno de Lutero há muita divergência e controvérsia. Para entendê-lo como personagem da história, é preciso ler suas obras. É preciso ouvir o homem, não tanto o que dele disseram os outros.”
  16. 16. Perfil  Dotado de consciência moral       sensível. Não era tolerante para consigo. Não compactuava com o que reconhecesse como erro ou injustiça. Era compassivo. Tinha coração para o pobre povo alemão iludido e extorquido. Homem de coragem e fé. Fé e confiança total naquele que chamava “meu Senhor Jesus Cristo”. Era homem de extraordinária capacidade de comunicação.
  17. 17. Vamos assistir o filme, provavelmente, no próximo dia 31 de outubro. No auditório Magdalena Arce Daon
  18. 18. Três pilares da Reforma:
  19. 19. Martinho Lutero: sua trajetória. Apresentação I: Apresentação II:  Fermento  Reforma Pacífica  Docência  Tumultos  A Descoberta  Consolidação  O Conflito  Protesto  Apoio e Oposição  Confissão  Apelo Frustrado  Três Lustros  Em Custódia  Guerra e Paz  Perfil  Resultados

×