Como Passar em Provas e Concursos III

1.284 visualizações

Publicada em

Como Passar em Provas e Concursos

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.284
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
76
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Como Passar em Provas e Concursos III

  1. 1. Como ser aprovado emprovas, exames e concursosn ativando a memórian encontrando as condições ideais para o estudon dominando assuntos difíceisn aprendendo mais depressan antes, durante e depois das provas: como agirn & outras informações essenciais ao candidato
  2. 2. Mathias GonzalezComo ser aprovado emprovas, exames e concursosn ativando a memórian encontrando as condições ideais para o estudon dominando assuntos difíceisn aprendendo mais depressan antes, durante e depois das provas: como agirn & outras informações essenciais ao candidato
  3. 3. Todos os direitos desta edição reservadosSCN, Quadra 5, Bloco A, Brasília Shopping, Torre Sul13.º andar, sala 1304Telefones (061) 328-8010Fax: (061) 327-6610CEP 70715-900Gonzalez, Mathias.Como passar em provas, exames e concursos. – Brasília:Projecto Editorial, 2003.82 p.ISBN 85-88401-36-31. Provas. 2. Concursos de admissão. 3. Psicologia –Aprovação. I. Título.CDD 153PreparaçãoArlene de MedeirosElisabete VinasRones LimaCapaRones LimaFotolitosPrelo
  4. 4. Nada de grande se fez sem paixão.(Hegel)
  5. 5. 7SumárioUm sonho de gerações, 9Um só caminho, 11Todos têm chance, 11Conselhos importantes, 11A superaprendizagem pela sugestão mental, 15Superlembrança, 14Voltando à questão da hipnose, 15Exercícios para ativar a supermemória, 19Exercício 1 – Relaxar a mente antes de estudar, 21EXERCÍCIO 2 – Relaxar a mente antes da prova, 25Como escolher o material de estudo, 29A seleção do material didático, 31Apostilas, 32Livros, 34Provas anteriores, 35Cadernos, lápis, etc., 36
  6. 6. Fatores que limitam ou impedem a aprendizagem, 39Fatores ambientais, 39Luminosidade, 41Postura do corpo, 42A melhor condição para o estudo, 44Outros fatores que dificultam a aprendizagem, 44Fatores psicofisiológicos, 44Doenças, 46Quociente de Inteligência (QI), 48Fatores antipedagógicos, 50Como dominar assuntos difíceis, 53Textos “espinhosos”, 55Recomendações importantes, 57Técnicas para aprender mais depressa, 59Lutando contra o tempo, 61A técnica do silêncio, 62A técnica fonodidática, 64A técnica Perguntas x respostas, 66A técnica de estudo com cartões, 67A técnica teatral, 67Recomendações importantes, 70Que vençam os melhores!, 71O que se deve e o que não se deve fazer antes,durante e depois das provas, 71O que se deve fazer, 72O que não se deve fazer, 74O comportamento do candidato durante aprova, 76O que fazer depois da prova, 77
  7. 7. 9Todos os anos, centenas de concursos públicossão realizados no País. Várias instituições federais, mu-nicipais e estaduais abrem suas portas ao ingresso de no-vos servidores. E desde o momento em que jornais eemissoras de TV e rádio noticiam a abertura do concur-so, acorrem aos locais de inscrição avalanches de candi-datos, todos sequiosos da conquista de um lugar ao sol.Parece ser este no Brasil o grande sonho de to-das as gerações, contemporâneas e passadas: ingressarno serviço público. Há a idéia fixa de que o servidoraufere vantagens, trabalha menos do que no setor pri-vado e tem emprego estável.São milhares os que querem a todo custo ingres-sar no setor público, mesmo que para assumir cargosde baixo nível. Afinal, pensam eles, depois de lá estar,as vantagens aparecerão.Um sonho degerações
  8. 8. 10Mathias GonzalezMas até que ponto são verdadeiros os benefíciosque se tem ao ingressar no serviço público? É fato quese“trabalhapouco”?Ossaláriossãocompensadores?Existea tão propalada estabilidade no emprego?Certamente muitosservidores nãoconcordarãocomessas proposições, tão largamente disseminadas. Sabemeles que muitas empresas públicas desenvolvem ativi-dades tão ou mais extenuantes e difíceis que as deempresas privadas.Há também o mito dos super-salários. De modogeral, acredita-se que todo funcionário público ganhebons e altos salários. Na verdade, o que se vê é queempresas particulares pagam melhores salários a seusexecutivos, em comparação a cargos similares no setorpúblico.Talvez o único item que se justifique seja o daestabilidade no emprego, uma vez que dificilmentehaverá demissão em massa sem justificativas fortes porparte do governo. Mesmo quando um determinadoórgão é extinto, os servidores são alocados em outrasinstituições, sem prejuízo para os salários.O emprego público é, sem dúvida, o sonho demuitos jovens e adultos, e por esse motivo os concur-sos públicos são os mais procurados e a concorrênciatão grande. Sabe-se de fatos curiosos e até lamentáveisem matéria de concurso público. A exemplo: inscreve-ram-se, para preenchimento de dez vagas para auxiliarde serviços gerais numa prefeitura do interior, 45 médi-cos, 27 engenheiros, 130 professores, 20 economistas,64 advogados e mais outros 150 profissionais liberais dediversas áreas, de um total de 2.137 candidatos. O salá-rio na época equivalia a dois salários mínimos!
  9. 9. 11Como passar em provas, exames e concursosUm só caminhoO concurso público é institucional, por essa razãoexiste de acordo com a lei. O Estado deve facultar atodos os cidadãos a oportunidade de ingresso no serviçopúblico, quer seja ele federal, estadual ou municipal. Sevocê realmente deseja ingressar num órgão público,só há um caminho: o concurso.Todos têm chanceNão pense que em todo concurso em que seinscreverem milhares de candidatos suas chances deaprovação serão remotas. O sucesso dependerá unica-mente de seus conhecimentos e do esforço que vocêfizer para estar à altura da competição. Saiba que todospossuem a mesma chance, mas poucos a aproveitarãosatisfatoriamente.Conselhos importantesAo se decidir a prestar um concurso público, te-nha em conta as seguintes observações:1. você precisa estar convicto de que gostará dafunção que irá desempenhar, caso aprovado;2. depois de vencida a primeira etapa de classifica-ção, você terá de se submeter a um exame de saúde. Edeverá estar saudável; caso contrário, de nada valerá aaprovação nas provas de conhecimento;3. a sua documentação terá de estar em dia logoapós o resultado do concurso. Muitos órgãos fazem achamada dos aprovados num tempo relativamente cur-to. Se faltar algum documento, você poderá perder avaga;
  10. 10. 12Mathias Gonzalez4. empresas públicas costumam checar as infor-mações que o candidato apresenta na ficha de inscri-ção. Cuidado para não fornecer dados falsos ou in-completos. Se depois de aprovado ficar constatado quehouve má-fé no preenchimento das informações, ocandidato poderá não ingressar no serviço público,pelo menos não naquela instituição;5. você pode pensar que a sua vida particular nãointeressa ao governo, mas é bom saber que algumasempresas públicas não dão emprego a pessoas que játiveram passagem pela polícia, foram processadas porcheques sem fundos, envolveram-se com contrabando,tóxico, roubos ou assassinatos. Títulos protestados, porexemplo, podem vetar o ingresso de muitos candida-tos aprovados. Se sua ficha não está “limpa”, é bomprovidenciar limpeza rápida muito antes de se inscre-ver. A boa conduta, dizem os especialistas, é um avalpara o candidato;6. você deve estar atento para as aptidões exigi-das para a segunda etapa de um concurso, tais comohabilitação para operar determinados tipos de máqui-nas ou dirigir certos tipos de veículo, conhecimentosde digitação e outros relacionados com a atividade aser desempenhada. Muitos candidatos são reprovadosnessa fase por não atenderem às exigências de aptidão;7. informe-se detalhadamente quanto aos locaisonde você possivelmente prestará serviço. Muitos con-cursos deslocam servidores recém-admitidos para ci-dades distantes, no interior, ou até os transferem paraoutros Estados da Federação. Verifique se essas mu-danças de residência não comprometerão a vida escolarde seus filhos ou seus projetos pessoais;
  11. 11. 13Como passar em provas, exames e concursos8. o salário do servidor público sofre descontosregulamentares diversos. Saiba que o valor líquido nuncaé divulgado, mas você pode calcular em média 15% a 20%a menos do que está anunciado para obter o valor real.Leve em consideração também que, da data de divulgaçãodo concurso até a efetiva contratação, o salário poderásofrer correções.9. Não crie expectativas de que logo após a ins-crição será realizado o concurso. Às vezes as provaslevam até um ano para ocorrer. Do mesmo modo, de-pois dos exames, há casos em que os resultados de-moram meses para serem divulgados. Há ainda um tem-po de espera para a convocação, que pode durar meses.10. ao receber o seu cartão de inscrição, faça umacópia autenticada e guarde o original em segurança.Caso venha a perder o original – e na impossibilidadede obter outro – talvez você consiga ingressar na salade provas apresentando a cópia autenticada.12. Não se deixe abater por informações que re-velam a existência de milhares de candidatos. Pesquisasmostram que 20 a 30% dos inscritos não comparecemàs provas ou chegam atrasados. Dentre os 70% a 80%restantes, pelo menos 60% não se preparam suficien-temente. Isso aponta para cerca de 90% de candidatos“fora de combate”. Apenas 10% do total é que levarãoas provas a sério. Esteja entre eles. Essa é uma forterazão para você se animar a estudar com afinco.
  12. 12. 15A superaprendizagempela sugestão mentalAtualmente não existe uma única pessoa esclare-cida que duvide da existência de faculdades adormecidasem nossa mente. Pesquisas científicas têm levado a sé-rio a ioga e a hipnose, e a parapsicologia tem desvendadoalguns antigos mistérios.Mas em que esses estudos científicos podem ajudara aprender com pouco esforço? Será que existem técnicaseficientes que façam a “supermemória” aflorar?Para algumas pessoas, não é mais novidade quepraticamente todos nós podemos, sob o efeito da hip-nose, recordar fatos do passado com clareza espantosa.Sabe-se de pessoas que, sob hipnose, foram capazesde recordar fatos da infância e da adolescência comose tivessem acontecido ontem. Todavia, essas mesmas
  13. 13. 16Mathias Gonzalezpessoas, sem o efeito da hipnose, eram incapazes derecordar a refeição que fizeram no dia anterior. Ora,isto confirma que a hipnose realmente funciona! Ecomo fazê-la funcionar para que recordemos assuntosque estão sendo questionados numa prova? Será queisso de fato é possível?Tendo conhecido a hipnose no meu curso depsicologia, constatei ser possível a um estudante sobhipnose recordar toda a matéria estudada, respondendocom absoluta precisão às perguntas que lhe são feitas.Realizei experiências com amigos e pacientes queficaram surpresos com os resultados. Entretanto, não épossível a um candidato fazer provas sob hipnose. Issoé impraticável! Isto porque é necessária a presença doterapeuta para conduzir a pessoa hipnotizada. De acordocom o regulamento dos concursos, apenas o candidatoinscrito é que pode realizar a prova. É proibida a partici-pação de outras pessoas.SuperlembrançaA hipnose é apenas uma das formas práticas deobter uma “superlembrança”. Só pode ser empregadapor um terapeuta treinado (psicólogo, psiquiatra) e, emtermos de aprendizagem, pode ajudar apenas no senti-do de reforçar a autoconfiança do estudante.A autoconfiança é, na verdade, uma poderosa molapropulsora para melhorar a aprendizagem. Todos sa-bem que os atletas de um time de futebol, quandorecebem incentivos e sugestões de seu treinador (Va-mos vencer, somos os melhores, vamos vencer!), parecem maisdispostos e apresentam melhores resultados.
  14. 14. 17Como passar em provas, exames e concursosNas diversas modalidades de competição, os atletassabem que a autoconfiança é fator de sucesso. Quantomais ouvirem palavras como Você vai vencer!, mais ânimo egarra demonstrarão. Obviamente não se trata apenas desugestão, mas sim de reforço psicológico ao esforço físicodispensado nos treinos.De nada vale a um atleta ficar repetindo para si mes-mo Vou vencer, vou vencer! se, paralelamente a essa sugestão,não treinar com dedicação e entusiasmo.Voltando à questão da hipnoseDe que modo podemos ativar a nossa “super-memória” a ponto de lembrar tudo quanto gostaría-mos, principalmente na hora de um concurso? A res-posta é: aprenda a sugestionar-se.Nem todos podem pagar um psicólogo para levá-los à hipnose e, após algumas sessões de terapia, con-seguir autoconfiança e entusiasmo para estudar. Mastodos podem usar os exercícios que testei em dezenasde pessoas com absoluto sucesso.Os exercícios visam apenas a fazer você relaxar aomáximo para que, durante esse estágio, seu inconscientereceba sugestões positivas. É o estado alfa. Deixarei delado as razões pelas quais esse processo funciona. Essetema é complexo e tomaria certamente todo o livro.Minha finalidade é colocar em suas mãos um métodoextremamente simples e prático, a ser usado no míni-mo cinco vezes por semana, com o propósito de me-lhorar a sua memória e despertar em você a “super-memória” na ocasião em que estiver fazendo uma prova.A primeira etapa dos exercícios está relacionada aomomento em que você vai aprender. A memória funciona
  15. 15. Mathias Gonzalez18como uma gaveta imensa, na qual você joga milhares decoisas por dia, a cada mês e durante anos. Nessa gaveta,tudo fica desarrumado e em tamanha desordem que, noinstante em que você deseja achar alguma coisa, leva umtempo enorme para encontrar, e às vezes até desiste deprocurar.A nossa memória é muito perecida com isso. Osassuntos mais recentes ficam na “superfície”, assimcomo os últimos objetos jogados na gaveta. Assim,recordar um fato recente se torna mais fácil do quelembrar de fatos do passado longínquo.Você pode estar dizendo agora: “Eu me recordocom mais facilidade de fatos passados do que de fatosrecentes”. Isso pode acontecer, mas só em situaçõesespeciais ou, melhor dizendo, “marcantes”. É o mes-mo que você jogar em sua gaveta um objeto brilhantee atraente. Mesmo ficando lá no fundo, coberto poroutros objetos de menor importância, você poderá achá-lo quando desejar.A lembrança de fatos do passado longínquo sónos ocorre quando eles nos marcaram de alguma for-ma. Por essa razão, algumas pessoas conseguem se re-cordar de fatos da infância remota.Comentarei em um outro capítulo que o interesseé um ativador do poder de retenção da memória. Dessemodo, no momento em que você decidir estudar, deveestar extremamente motivado; caso contrário, o assun-to ficará misturado na sua “gaveta mental” como algosem valor e, no instante em que você quiser recuperá-lo, será difícil encontrar.
  16. 16. Exercícios para ativara supermemória
  17. 17. 21EXERCÍCIO 1Relaxar a mente antes de estudarÉ como se você fosse buscar um espaço reser-vado na “gaveta” para guardar os assuntos que irá es-tudar. É necessário acalmar a mente, repousar o espí-rito das agitações, ansiedades, preocupações e tudo maisque possa intervir na sua capacidade retentiva.1. Isole-se em um lugar sem ruídos, onde nãopossa ser interrompido.2. Deite-se ou sente-se o mais relaxadamente pos-sível. Se preferir deitar, que seja de costas voltadaspara o apoio, com os braços ao lado do corpo.3. Feche os olhos para ajudar na concentração.Imagine que está olhando para o alto de sua cabeça.4. Observe a sua respiração. Concentre-se no arfrio que entra em seus pulmões e perceba como essemesmo ar sai quente. Perceba como seu estômago in-fla juntamente com os seus pulmões. Fique atento aosom de sua respiração.Respire o mais profundamente que puder.
  18. 18. 22Mathias Gonzalez5. Após alguns minutos de inteiro abandono e deficar apenas observando a sua respiração, diga em vozbaixa: relaxe, relaxe, relaxe. Ao dizer isso, sinta seu corpointeiro relaxando por completo. Bastará você repetiressas palavras para seu corpo obedecer. Nas primeirastentativas, pode ser que não ocorra relaxamento total;porém, com o passar dos dias, seu corpo obedeceráprontamente a estas sugestões.6. Quando sentir que corpo e mente estão tran-qüilos, calmos e relaxados, diga as seguintes frases,procurando sentir a emoção do que elas representamna sua vida:Eu adoro aprender, minha mente aprende comeficiência e facilidade. Atingirei todos os meusobjetivos. Tudo o quanto irei estudar agora fi-cará gravado em minha memória e podereilembrar do que estudei quando desejar. Tenhoboa memória, aprendo com facilidade.Algumas pessoas perguntam quanto tempo sedeve ficar observando a respiração, repetindo relaxe,relaxe, relaxe, ou reiterando as sugestões. Digo-lhes queno máximo 20 minutos devem ser gastos em todo oexercício. Saiba aproveitar o seu tempo. As sugestõessão importantes, mas não terão validade alguma se vocênão souber transformá-las em realidade, dedicando-seaos estudos.Após se sentir confiante, logo que acabar o exer-cício, entregue-se à leitura dos assuntos do programaestabelecido para o concurso e faça valer a sugestãoque deu a si mesmo! Pense sempre nos benefíciosque terá se for aprovado.
  19. 19. 23Como passar em provas, exames e concursosVeja-se sempre como um vencedor. Mantenha aimagem de si mesmo como a de alguém que já foiaprovado, mas, enquanto o dia do concurso não chega,você deve estudar o máximo que puder. Faça dissouma verdadeira guerra de vida ou morte. Entregue-seao prazer de estudar, sinta vontade de saber mais. Égostoso quando se abre um livro e se sabe tudo o quenele está escrito. É sensacional responder corretamentea qualquer pergunta que nos façam acerca de determi-nados assuntos. Ficamos com uma sensação de impor-tância e superioridade gratificantes.
  20. 20. 25EXERCÍCIO 2Relaxar a mente antes da provaSe você já participou de algum concurso, sabecomo se sentiu antes de receber as provas, durante orecebimento e depois que começou a responder asquestões. O nervosismo é evidente e a ansiedade,imensa. As mãos começam a transpirar. Alguns sentemdistúrbios intestinais, outros têm acessos de tosse ouespirram terrivelmente. Alguns pigarreiam sem parar.Há aqueles que fumam como loucos. Poucos são osque se conservam calmos, tranqüilos e sorridentes deverdade (muitos sorriem de nervosismo).O momento da prova é um momento sublime. Éo instante em que você deve estar o mais tranqüilopossível, sem ansiedade, nervosismo ou afobação. Éum momento tão importante que mereceu considera-ções especiais em um capítulo deste livro: O que vocêdeve fazer antes, durante e depois das provas.Este exercíciovai fazê-lo relaxar a tal ponto que será como se você
  21. 21. 26Mathias Gonzalezestivesse realizando uma auto-hipnose. Sua mente tra-rá à tona todas as respostas que você necessita. Vamosa ele.1. Sente-se na posição correta de quem vai es-crever ou assistir a uma aula. Feche os olhos (não seimporte com as outras pessoas, elas pensarão que vocêestá adormecendo).2. Respire o mais profundamente que puder, inician-do por observar sua respiração. Faça isso sem pressa.3. Repita mentalmente para si mesmo: relaxe, rela-xe, relaxe. Sinta seu corpo tranqüilo e rapidamente vocêestará em estado alfa.4. Repita para si mesmo, mentalmente:Terei as respostas certas para todas as per-guntas. Lembrarei de tudo que preciso saber.Minha memória está alerta; minha mente, lúcidae tranqüila.É bom que você tenha praticado inúmeras vezes oExercício 1, pois assim terá condicionado sua mente a talponto que, no momento em que começar a dar as respos-tas, ficará surpreso de como se lembrará com facilidadedo que estudou.É importante lembrar que a memória (a sua, porexemplo) jamais poderá recuperar informações que nãoforam colocadas lá. É como ocorre com a gaveta: sevocê não guardou dentro dela um barbante azul, nãoadiantará vasculhá-la, pois lá não o encontrará.É fundamental que você leia todos os assuntosmencionados no programa. Alimente a sua memóriacom todas as coisas que você presume serão impor-tantes para a prova. Releia dezenas de vezes os textos
  22. 22. 27Como passar em provas, exames e concursosde difícil compreensão. Só assim os registrará em suamemória, e as chances de lembrar dos assuntos estu-dados será grande.De nada valerão os exercícios se não houverdedicação, de sua parte, para estudar os assuntos doprograma. De um modo geral, os exercícios visam alivrá-lo da ansiedade, do nervosismo, ou seja, dos blo-queios que impedem a aprendizagem.Sempre que você for realizar uma tarefa que exi-ja grande esforço de sua mente, faça alguns minutosde concentração.Recorde-se dos exercícios e repita as frases afir-mativas. Não é necessário repetir aquelas que sugeri.Crie você mesmo novas frases que gerem em sua men-te autoconfiança e entusiasmo. Essa é a maneira maissegura de aprender tudo o que você deseja.
  23. 23. Como escolher omaterial de estudo
  24. 24. 31A seleção do material didáticoSe você já fez a sua inscrição para um determina-do concurso ou já foi informado sobre a data da pro-va, eis o momento de escolher o material que vaiutilizar para estudar.Um construtor, após elaborar o projeto de umacasa e delimitar na planta o tamanho e localização doscômodos, só poderá iniciar seu trabalho quando tivero material, ou pelo menos parte dele, a seu dispor; docontrário, a casa não sairá do projeto.Assim como o construtor usará pedras, areia, ci-mento e tijolos para edificar a casa, você precisará terà mão livros, apostila e informações variadas sobre ostemas que deverá aprender. Isto pode parecer uma ta-refa simples. Saiba, porém, que a qualidade do materialque escolher será determinante para que você alcanceum bom resultado. Um construtor que use material deterceira categoria construirá uma casa de péssima qua-lidade, incapaz de suportar as intempéries.
  25. 25. 32Mathias GonzalezO programa do concurso será, a partir de agora, asua “planta baixa” e você deverá tê-lo sempre à mãoenquanto estuda; caso contrário, poderá esquecer-sede algum assunto importante. Imagine o que acontece-ria se, no dia de inaugurar a casa, com todos osconvidados reunidos para comemorar e brindar, porum descuido do construtor, ela não tivesse portas, eviesse uma ventania...Às vezes isso ocorre com candidatos a concursos.Estudam muitos assuntos e se esquecem de algunsque são indispensáveis. A falha reside em não usar oprograma como roteiro de estudo.Todos os concursos oferecem aos candidatos, nomomento da inscrição, um programa detalhado, especifi-cando todos os assuntos importantes a serem estudados.Guarde-o consigo e, caso o perca, procure a entidaderesponsável pela inscrição para conseguir outro progra-ma, ou peça-o emprestado a uma pessoa amiga que tam-bém tenha feito a inscrição. Alguns jornais especializadoscostumam publicar o edital do concurso na íntegra. Veri-fique na redação desses jornais quais as edições em queforam publicados o edital e o programa do concurso. Essaé uma maneira prática de recuperar o que foi perdido.Todavia, o melhor a fazer é tirar algumas cópias do pro-grama assim que o tiver em mãos. Prevenindo-se contra oextravio, você terá assegurado o primeiro grande passopara o sucesso.ApostilasAntes mesmo de o programa de um concurso serdivulgado, você encontrará, espalhadas por bancas de
  26. 26. 33Como passar em provas, exames e concursosrevistas, livrarias e pontos de camelôs, apostilas que su-postamente contêm “todo o programa oficial”.Você deve adquirir essas apostilas antes de ter emmãos o programa entregue diretamente pelo órgão respon-sável pelo concurso.É preciso que você saiba que 70% das apostilaslançadas no mercado são mal elaboradas, cheias deerros e inadequadas ao estudo. Muitas (as melhores)não passam de cópias malfeitas de textos de livros ede apostilas antigas, coisa que qualquer um pode fazer.Tenha muita cautela ao pagar preços exorbitantespor apostilas. Elas nem sempre valem o preço do pa-pel. Não existe fiscalização de órgãos públicos no sen-tido de coibir abusos ou assegurar qualidade mínimaao material comercializado por pretensos professorese elaboradores de apostilas.A maior parte das apostilas à venda sãoconfeccionadas às pressas. E tudo indica que seus ela-boradores têm o propósito de resumir assuntos quedeveriam ser estudados em profundidade. Assim é queaconselho a máxima atenção na escolha de uma aposti-la. Siga as recomendações apresentadas a seguir e teráêxito:n compare os assuntos do programa oficial com asmatérias e assuntos constantes da apostila. Algumas nãosão completas; outras possuem sumários falsos que dãoao leitor precipitado a impressão de que a apostila contémtodo o conteúdo do programa;n verifique totalmente a apostila e, se possível,procure identificar a quantidade de matéria existentepara cada assunto. Se perceber que não fizeram umaexposição detalhada de cada item do programa oficial,
  27. 27. 34Mathias Gonzaleznão adquira a apostila, pois de qualquer modo teria depesquisar em outros livros para complementar seusconhecimentos;n em praticamente todas as cidades existem em-presas, cursinhos e professores tradicionalmenteconhecidos por elaborarem boas apostilas. Caso nãoexistam cursinhos tradicionais que dêem prévia segu-rança quanto ao material a adquirir, esteja atento paraos conselhos aqui expostos;n cuidado com preços exorbitantes. Nem sem-pre o mais caro é o melhor. Compare os preços dasdiversas apostilas que encontrar disponíveis. Opte sem-pre pela mais completa;n esteja atento à encadernação da apostila. Algu-mas são tão mal encadernadas que soltam as folhasapós a primeira leitura. A não ser que você possa re-encadernar o material adquirido, evite o descontenta-mento de perder páginas importantes;n antes de comprar uma apostila, certifique-sede que todas as páginas estão perfeitas, pois não é raroocorrerem defeitos de impressão.LivrosSe você quer realmente ser aprovado em con-curso, saiba que os livros serão as mais importantesferramentas de trabalho que lhe conduzirão ao êxito.Quais os livros que você deve selecionar para o seuestudo? Onde encontrá-los?As respostas estão nas orientações a seguir:1. cuidado com livros antigos e desatualizados.Muitos estudam nesses livros e acabam obtendo
  28. 28. 35Como passar em provas, exames e concursosinformações ultrapassadas. A não ser que você nãoencontre edições novas contendo os assuntos quedeseja, jamais estude em livros com mais de cinco anosde publicação. É obrigatório, em todos os livros didá-ticos, constar a data de publicação. Procure-a na fichacatalográfica ou em algum ponto das primeiras páginasda obra, antes do sumário.Freqüente bibliotecas públicas ou aquelas dasentidades que estão promovendo o concurso e façaum levantamento dos livros que lhe interessam. Sepuder tomá-los emprestado, não hesite. Pesquise e façaanotações a partir desses livros, e compre um exem-plar daqueles que julgar mais importantes.É sempre bom ter diversos livros que tratem dosmesmos assuntos. A linguagem de certos autores é pordemais técnica e pode dificultar a compreensão. Tendoem mãos vários textos, você terá a facilidade de fazercomparações e adotar o que for mais claro e objetivo.Provas anterioresÉ certo que a maioria dos concursos públicosnão divulga a posteriori o resultado das provas ou fazcomentários sobre elas. Julgo essa atitude um desres-peito para com os candidatos, que deveriam ao menossaber que nota ou classificação obtiveram.A maioria dos concursos apenas divulga a famosa“lista dos aprovados”. Seria bom se também exibissemas provas com seus respectivos gabaritos. Isso auxiliariaoutros candidatos a terem idéia do tipo de prova e doenfoque dado aos assuntos mais importantes.Se você vai prestar exame vestibular, é semprebom pegar provas de dois ou três concursos anteriores
  29. 29. 36Mathias Gonzaleze identificar os assuntos mais solicitados. As questõesmais difíceis devem ser objeto de maior atenção. Des-taque nos seus livros e apontamentos os principaisassuntos de provas anteriores para poder nortear seusestudos.Quando se tratar de exames escolares ou acadê-micos, você também pode pesquisar sobre os assuntoscom colegas de outras turmas que se submeteram atestes semelhantes e, a partir daí, saber dos assuntosmais solicitados pelo professor da disciplina. Você tam-bém pode estudar a partir de testes ou provas realiza-dos em outras turmas do mesmo curso.Mesmo que você não possa dispor de provas deconcursos passados, converse com pessoas que já sesubmeteram aos testes.Suponhamos que você vai fazer um concursopara fiscal do ICMS. Será bom descobrir a data em queo órgão realizou seu último concurso e contactar comos fiscais do ICMS nele aprovados. É quase certo queeles lhe darão ótimas informações sobre os assuntosmais solicitados na prova, a não ser que o concursotenha-se realizado há muitos anos.Pessoas aprovadas e já empregadas sentem orgu-lho em ajudar os aspirantes. Se você disser que precisadesesperadamente de orientação, seus futuros colegasnão lhe negarão ajuda.Cadernos, lápis, etc.Selecionar o material de estudo é uma tarefa muitoimportante quando você quer, de fato, se preparar parater sucesso. Alguns cadernos não são práticos nemfuncionais. Você deve adquirir cadernos de tamanho
  30. 30. 37Como passar em provas, exames e concursosmédio (grandes jamais) com acabamento em espiral.Além de poder abri-los à vontade, terá a possibilidadede retirar folhas sem danificá-los.Escolha cadernos com no máximo 200 folhas.Ficará mais fácil transportá-los numa bolsa.Lápis, borracha, canetas e pincéis também de-vem fazer parte do material selecionado para seu estu-do. Não se esqueça de colocar tudo em um estojo, quepode ser até mesmo uma pequena sacola de pano quevocê mesmo confeccione. Cuide para que na boca dosaquinho haja um barbante para amarrá-lo. Assim seuslápis e canetas estarão bem guardados e disponíveis aqualquer hora. Algumas pessoas gastam 20% do tem-po que deveriam usar para estudar à procura dessesmateriais, que parecem sumir exatamente no momentoem que se precisa deles.Borracha, apontador, régua, compasso e ou-tros instrumentos de estudo devem estar sempre àmão quando as matérias a serem estudadas reque-rerem o uso deles. Não se pode conceber que umcandidato à prova de geometria não estude munidode réguas, compasso, transferidor, lápis e borra-cha. Infelizmente algumas pessoas o fazem e,lamentavelmente, nunca são aprovadas.Uma boa calculadora pode ajudar muito du-rante os seus estudos. A única observação a fazeré que, se ela não puder ser usada durante a prova,então será melhor abandoná-la desde já, pois o can-didato precisará de muita prática nas operações sim-ples de somar, multiplicar, subtrair e dividir. Nãose deixe viciar no uso da calculadora. Há pessoasque, devido a isso, têm de tal forma o raciocínio
  31. 31. 38Mathias Gonzalezembotado que são incapazes de fazer uma simplesoperação aritmética.Quando você tiver certeza de que permitirão o usode calculadoras de bolso durante a realização de umaprova, então comece a usá-las desde a fase preparatória.Canetas finas de várias cores, do tipo hidrocor,devem fazer parte de seu material de estudo, pois sem-pre poderão ser usadas para sublinhar e destacar in-formações importantes. Dê preferência às cores vivas,como vermelho, verde e azul.Todo material de estudo deve ser acondicionadonuma pasta ou caixa que seja de uso exclusivo. Nãomisture os livros selecionados para o seu programa deestudo com romances ou outro tipo de literatura (amenos que os romances façam parte do material). Éimportante você ter tudo reservado e selecionado.Estudar parece ser algo divertido, e realmente é, massomente se você levar a sério. É o mesmo que vocêdesejar jogar uma partida de xadrez e ter à mão o tabu-leiro e todas as peças, sem faltar uma.
  32. 32. 39Fatores que limitam ouimpedem a aprendizagemPor que algumas pessoas sentem dificuldades emaprender? Por que outras conseguem bons resultadosem provas e testes, tendo às vezes estudado por pou-co tempo. Por que muitas, mesmo tendo se dedicado ahoras de estudo, jamais conseguem resultados positi-vos? O fator inteligência influi na aprendizagem ou éde pouca relevância? Esses pontos serão esclarecidosao longo deste capítulo, à medida que você tomar co-nhecimento dos principais fatores que interferem ne-gativamente no processo de aprendizagem. São eles:Fatores ambientaisTemperatura excessivamente baixa ou alta, noambiente de estudo, provoca desconforto físico e,
  33. 33. 40Mathias Gonzalezconseqüentemente, psicológico, interferindo na con-centração. Ao isolar-se para estudar, cuide para que atemperatura ambiente esteja agradável e suas roupas,adequadas e confortáveis.Correntes de ar ou abafamento provocam altera-ções fisiológicas no corpo humano e interferem nosistema nervoso, levando quase sempre ao nervosismo,que gera bloqueios da memória. Quer esteja em casaou numa sala de aula, evite sentar-se próximo a janelasonde o sol ou o vento frio possam incomodá-lo. Nãotenha constrangimento de pedir para que desliguem oar-condicionado, o ventilador ou fechem as janelas, sevocê sentir frio.Caso sinta calor excessivo, ligue o ventilador ouo ar-condicionado, ou procure um lugar mais frescoonde se sinta melhor. Todos nós temos ótima tempe-ratura média. Alguns preferem temperatura mais quente;outros, mais fria. Ao estudar, providencie para que oambiente esteja em temperatura agradável. As roupastambém ajudam a controlar a temperatura corporal. Paranão parecer egoísta e privilegiado em detrimento davontade da maioria, use sempre casacos em ambientescom ar-refrigerado. Você se sentirá confortável e, aomesmo tempo, terá respeitado o desejo das demais pes-soas que se encontram no mesmo recinto.Ventos fortes também atrapalham qualquer leitor in-teressado. Evite estudar ao ar livre, sobretudo em lugarespropensos a ventania. As páginas dos livros e cadernosnão obedecerão a sua vontade, e sim à do vento, que travaráverdadeira luta com você. Evite esse tipo de batalha.Deixe o vento ficar onde quiser, menos no seu am-biente de estudo. Embora seja agradável estudar ao ar livre,
  34. 34. 41Como passar em provas, exames e concursostemos de evitar todos os fatores de interferência que omeio pode causar.LuminosidadeA luminosidade é também fator importante paraa aprendizagem. Salas mal iluminadas ou com brilhoexcessivo não apenas interferem no sistema nervoso(irritando-o), como também diminuem o interesse doaluno. A luz forte lhe cansará os olhos rapidamente,ao contrário do que aconteceria se utilizasse a lumino-sidade adequada.Evite lâmpadas amarelas ou a vapor de mercúrio(elas são mais fortes). Dê preferência a lâmpadas fluo-rescentes (tubulares). Descobriu-se em pesquisas re-centes que o brilho dessas lâmpadas não interfere naleitura.Faça um teste consigo mesmo e descubra quetipo de luz artificial melhor se adapta ao seu caso. Pes-quisa que eu mesmo realizei em uma turma de 120alunos de segundo grau comprovou que 80% delespreferiam as lâmpadas fluorescentes às demais. Paraque você consiga ler durante longo período de tempofaz-se necessária a luminosidade ideal, nem muito in-tensa, nem muito fraca.Postura do corpoA postura corporal é outro fator que interfere naaprendizagem. Ao sentar-se numa cadeira muito dura,você mudará instintivamente de posição, à procura deconforto. Enquanto seu corpo sofre com o descon-forto, sua mente sai de sintonia, ou seu sistema nervoso
  35. 35. 42Mathias Gonzalezentra em estresse. Procure sentar-se corretamente aoposicionar-se para estudar, quer numa sala de aula,quer em casa.A postura ideal é aquela em que você se sentaereto, com as costas no espaldar da cadeira, mantendoos ombros nivelados e o pescoço firme.Ao escrever ou tomar notas de uma aula, provi-dencie para que o papel esteja bem posicionado, dolado em que você escreve, sempre mantendo-o umpouco inclinado (oblíquo) em relação ao seu braço.Não se debruce sobre o papel.Evite também assentos muito confortáveis,como poltronas, que acabarão por relaxá-lo excessi-vamente, fazendo com que você adormeça após al-gum tempo. O mesmo pode ocorrer quando se estu-da deitado. A posição cômoda de uma cama fará oseu inconsciente, condicionado a dormir naquela po-sição, se sentir sonolento.Ruídos estridentes, compassados ou não, são ex-tremamente estressantes para qualquer um. O nossosistema auditivo precisa estar livre de excitações dequalquer espécie para que a mente trabalhe com efici-ência. Você pode fazer um teste e estudar primeira-mente num ambiente barulhento e depois em outrotranqüilo, para então avaliar os resultados de sua apren-dizagem.O ruído da TV, do rádio ou de outros aparelhosinterfere negativamente na concentração. Estudiososafirmam que a mente consciente só consegue fixar asinformações quando a concentração é total. Isso querdizer que se introduzirmos sinais sonoros e visuais,simultaneamente, em nossa memória, ela terá dificuldade
  36. 36. 43Como passar em provas, exames e concursosem fixar todas as impressões recebidas. Ora poderáfixar impressões sonoras, ora impressões visuais. Issoequivale a dizer que enquanto você estiver lendo umlivro num ambiente cheio de ruídos, sua mente oscilaráquanto à fixação das impressões que chegam até ela.Por alguns segundos, você “se esquecerᔠdaquilo quelê para dar atenção àquilo que ouve. Isso ocorrerá du-rante todo o tempo em que durarem os ruídos. Estespoderão às vezes até eliminar completamente o seuinteresse por aquilo que você está lendo.Esse fato ocorre com freqüência quando seestuda com aparelho sonoro tocando música. Certascanções nos arrebatam o espírito a ponto deesquecermos por completo daquilo que estamos estu-dando, e, quando nos damos conta, já se passaram mui-tos minutos ou até horas.Se você quiser obter o máximo de rendimentonos seus momentos de estudo, desligue todos osaparelhos de som e elimine ao máximo os ruídos.Existem outras interferências visuais ou táteisque prejudicam a aprendizagem. Poderíamos citar,por exemplo, o fato de a todo instante você ter deatender ao telefone que toca, ou à campainha, dei-xando a leitura de lado.Nesses intervalos, sua mente perderá o “fioda meada”; sua concentração ficará prejudicada e,conseqüentemente, você não aprenderá tanto quan-to deseja.Quando no ambiente em que você estuda exis-tem pessoas que ficam andando de um lado para ou-tro, entrando ou saindo da sala, essa movimentaçãodistrai a mente e você perde a concentração.
  37. 37. 44Mathias GonzalezProcure a melhor condição de estudoEvite perturbações durante o período de estudo.Numa sala de aula (caso você freqüente algum cursi-nho preparatório), não se sente no fundo, ou próximoa colegas que gostem de conversar.Os piores lugares para se assistir às aulas são:n no fundo da sala (má audição e má visibilidadedo quadro-negro);n próximo a colegas tagarelas;n em frente a janelas (distraem a mente e osolhos);n em frente a portas (distrações e correntes de ar);n nas laterais (que podem dificultar a visão doquadro);n muito próximo ao quadro (o corpo pode ficarem posição incômoda).Outros fatores que dificultam a aprendizagemVejamos agora outros fatores que dificultam aaprendizagem.Fatores psicofisiológicosCertos fatores ambientais estão entrelaçados comfatores psicofisiológicos, tais como ruídos, postura cor-poral, etc. Isto porque o ambiente provoca modifica-ções fisiológicas e psicológicas nos indivíduos.Entretanto, independentemente do local, outras cau-sas interferem negativamente no processo de aprendi-zagem, sendo possível também eliminá-las ou tratá-laspara que se consiga melhor aproveitamento dos perío-dos de estudo.
  38. 38. 45Como passar em provas, exames e concursosO sono, quando ocorre nos momentos adequados,ou seja, no instante em que o corpo precisa recarregaras células nervosas com energia, por um período quevaria entre seis e nove horas diárias, é tido como sau-dável e natural. Todavia, quando ocorre exatamentenos momentos de estudo, então algo de errado estáacontecendo.Do mesmo modo que você não deve estudarquando estiver sonolento, pare as atividades intelectuaisse sentir sono. As duas coisas não podem ser concilia-das. Alunos que dormem poucas horas por dia dificil-mente conseguem bons resultados nos exames, cons-tatou recentemente pesquisa realizada nos EstadosUnidos.O melhor é descobrir o período ideal de sonoque se deve dar ao corpo, e preenchê-lo totalmente.Durma o suficiente para quando for estudar não sentirsono. Se isso acontecer, desperte de qualquer maneira.Existem algumas formas de fazer isso, uma delas étomar um rápido banho frio, ou um café quente. Acafeína age como estimulante do sistema nervoso, bas-tando uma xícara grande para despertá-lo do sonoiminente.Evite misturar café com bebidas alcoólicas ouCoca-Cola, como fazem alguns. Não é raro os hospi-tais receberem pessoas drogadas com essas misturas.O café puro é uma recomendação antiga e tem efeitopsicológico nos estudantes. O simples fato de acredi-tar que vão ficar despertos após ingerir uma xícara decafé acaba sugestionando-os. Eles ficam realmente des-pertos... antes mesmo de a cafeína atingir o sistemanervoso.
  39. 39. 46Mathias GonzalezO cansaço físico e mental é algo comum nosdias de hoje. Todos vivem cansados do corre-corrediário e dificilmente conseguem recompor as energiasantes de iniciar um período de estudo.O rendimento escolar de alunos que freqüentamcursos noturnos é 30% mais baixo do que o rendi-mento dos que estudam pela manhã e 20% menor doque o daqueles que estudam no turno vespertino.Isso deve estar relacionado ao desgaste físico eemocional que alguns alunos sentem ao longo de umdia ou um turno de trabalho. É óbvio que pela manhãas energias estão intactas, sendo consumidas gradati-vamente nas atividades do dia-a-dia. É de se esperarque uma pessoa cansada tenha a sua capacidade deaprender reduzida. Minha recomendação é que vocêprocure descansar, repousar pelo menos alguns minu-tos antes de iniciar o período de estudo.Relaxar a mente e o corpo é fácil. E só requertreino. Com o passar do tempo, isto será automático,bastando você deitar e fechar os olhos. Descanse otempo necessário; caso contrário, de nada adiantará em-pregar o seu tempo para estudar. O seu rendimento éo que importa. Melhor é estudar 30 minutos diários eaprender tudo do que fazê-lo por duas horas e nãoaprender nada.DoençasAs doenças são outro fator bloqueador da apren-dizagem, do mesmo modo como o cansaço debilita oorganismo, deixando-o sem disposição e apático. Sequer estudar para aprender, cure as dores de cabeça eo mal-estar antes de sentar-se para ler. Dificilmente
  40. 40. 47Como passar em provas, exames e concursosuma pessoa sentindo dores (de estômago, cabeça, den-tes, ouvidos...) ou qualquer outro tipo de mal-estar terárendimento satisfatório nos estudos.Faça exames médicos para eliminar males crôni-cos. Muitas pessoas sentem dor de cabeça ao iniciarleituras ou, decorridos alguns minutos, sentem imensocansaço mental. Um bom oftalmologista indicará len-tes adequadas para uma leitura agradável.A ansiedade é outro terrível fator de bloqueio daaprendizagem. Existem muitas causas para a ansiedade:n preocupações;n angústias;n inseguranças;n medos;n intranqüilidade.Quando nossa mente está tomada por um dessesestados de ânimo ficamos “ansiosos”. Baseados numalei da física, que afirma que dois corpos não podemocupar o mesmo lugar no espaço, deduzimos que amente não pode absorver informações e conhecimen-tos se estiver “preenchida” por sentimentos fortes.Você sabe o quanto isso é verdadeiro, pois, quan-do estamos com algum tipo de problema, dificilmenteconseguimos nos concentrar numa exposição em salade aula, a menos que o assunto nos seja do mais altointeresse.Nossas preocupações “enchem-nos” a mente, im-pedindo-a de absorver novas informações ou apren-der com precisão. O melhor a fazer é tomar consciên-cia da importância do período de estudo. Nada, coisaalguma deve se misturar a esse momento.
  41. 41. 48Mathias GonzalezDecida que não dará importância aos seus pro-blemas e ansiedades por 30 minutos, só depois volte aocupar-se com eles. Recuse-se a se deixar levar pelodevaneio enquanto estuda. Obrigue-se a voltar ao iní-cio das atividades todas as vezes que se der conta deque não estava totalmente concentrado.O desinteresse está entre os fatores que limitame bloqueiam a aprendizagem. Se não houver de suaparte interesse em aprender, de pouco valerão as téc-nicas empregadas, a eloqüência do professor ou a ri-queza do material didático. Só aprendemos aquilo quenos interessa. Não há meio termo.Este livro só está sendo lido por você porqueapresenta algo que lhe interessa; caso contrário, estariaempoeirando na prateleira da livraria.Se você estiver, mesmo que momentaneamente,desinteressado das técnicas de como aprender a estu-dar, você o lerá sem fixar-lhe o conteúdo. Você teriaolhado as páginas, as letras e as palavras, mas as idéiasnão teriam sido absorvidas por sua memória, por suamente consciente. Seu precioso tempo teria sido des-perdiçado. Para superar esse bloqueio, só há uma coisaa fazer: acenda a chama do interesse por tudo o quevocê precisa aprender. Assim aprenderá facilmente.Quociente de Inteligência (QI)O Quociente de Inteligência é também um fatorlimitador de algumas aprendizagens.Certa corrente de psicólogos não aceita o fatode que a memória de um indivíduo determina o seuQuociente de Inteligência. Dizem os partidários des-sa teoria que a memória e a inteligência são distintas
  42. 42. 49Como passar em provas, exames e concursose independentes. Isto pressupõe que um indivíduopossa ter notável habilidade para encontrar solu-ções a problemas, mas possua péssima memória.Outra corrente de psicólogos, porém (e incluo-me nela), admite que a memória e a inteligência estãointerligadas e que a aprendizagem só ocorre quandoambas estão em um nível considerado normal dentroda média internacional.Creio que você, possuindo boa memória e inteli-gência dentro da média (QI = 110), terá mais facilidadeem aprender do que outros que estejam abaixo da média.E a facilidade tenderá a aumentar quanto maiores foremo QI e a capacidade retentiva da memória de umindivíduo.Fica então estabelecida a polêmica, uma vezque tanto a memória quanto a inteligência são men-suradas por padrões globais.O que interessa, todavia, é saber que uma pes-soa com QI baixo terá dificuldade de aprender.Resta saber se é possível aperfeiçoar a inteligênciae, assim, conseguir melhor rendimento nos estu-dos. Sou partidário de que qualquer indivíduo podemelhorar a sua inteligência se exercitar constante-mente o raciocínio.Quanto mais estiver envolvido em encontrarsoluções e respostas, mais e mais se ampliará suacapacidade intelectiva e de compreensão.O hábito da leitura e da exposição de idéiasatravés da escrita ajudam a desenvolver o raciocínioe, conseqüentemente, melhoram o poder de apren-dizagem.
  43. 43. 50Mathias GonzalezFatores antipedagógicosFatores antipedagógicos são aqueles relacionadoscom a precariedade do material de estudo, com a formacomo ele é apresentado.Material ilegível bloqueia e reduz a capacidade decompreensão do estudante. Letras muito pequenas, bor-radas,apagadasoumalimpressasconstituembarreirasparaa boa leitura e impedem a absorção do conhecimento.Evite adquirir livros com essas características.Um vocabulário difícil e cheio de termos desco-nhecidos também diminui em muito a capacidade deaprendizagem. Desperdiça-se um tempo precioso naconsulta a dicionários e, desse modo, perde-se a con-centração e o “fio da meada”, tão importantes quandose lê um texto. Prefira autores que se expressem clara enaturalmente àqueles que tornam os assuntos comple-xos pelo uso de linguagem erudita e rebuscada. Porvezes encontramos textos tão difíceis que mesmo es-pecialistas têm dificuldade em entendê-los. Quando setratar de livros técnicos, o ideal é ter à mão um dicioná-rio específico da ciência que se precisa estudar. Supo-nhamos que você tenha de estudar para um concursona área de biomedicina. Obviamente seus livros versa-rão sobre temas científicos ligados à medicina e à biolo-gia, fazendo-se necessário o uso de dicionários de bio-logia e medicina para entender os termos técnicos.Quando você está em sala de aula tentando apren-der certos assuntos mas não consegue ouvir o profes-sor, dificilmente dirá que aprendeu alguma coisa, nãoé mesmo? Para evitar esse bloqueio, posicione-se numadistância que permita ouvir nitidamente tudo quanto é
  44. 44. 51Como passar em provas, exames e concursostransmitido; caso contrário, terá enorme perda de tem-po e desgaste mental, e precisará estudar outra veztoda a matéria.Alguns professores possuem cacoetes horríveisque bloqueiam, distraem ou irritam alguns alunos maissensíveis. Eis alguns deles:n ficar andando de um lado para outro sem parar;n repetir a toda hora expressões como “estãoentendendo?”, “certo?”, “tá?”; realmente”, etc;n passar constantemente a língua nos lábios;n usar roupas ou fazer gestos sensuais.Comportamentos que tais podem distrair, em boaparte do tempo, a mente dos estudantes, conduzindo-os ao estresse e desviando a atenção do principal mo-tivo que os levou à sala de aula. Dificilmente podere-mos bloquear os cacoetes dos professores, mas pode-mos aprender a focalizar a nossa mente no que nosinteressa. Veremos isso no próximo capítulo.Todas as interferências negativas, quer doambiente, do material, psicológicas ou provocadas poroutras pessoas são desafios que necessitam ser venci-dos, se quisermos aprender rapidamente.Vivemos num mundo onde tudo deve ser feitoàs pressas. Ninguém quer perder um minuto sequer davida. Palavras que se ouve com muita freqüência são:Não tenho tempo!Somos obrigados a aprender muita coisa empouco tempo. Comemos, dormimos, estudamos, traba-lhamos em ritmo veloz. Até o lazer é usufruído àspressas. A pressa é nossa companheira nas relaçõesamorosas e com os amigos, no nosso descanso; enfim,
  45. 45. Mathias Gonzalez52em praticamente todas as nossas atividades. E o quetemos lucrado com isso?Acidentes, úlceras, divórcios, tumultos, rancores,ignorância, etc. Veja a raiz psicológica desses males eencontrará a pressa como fator capital. Não somos tãobons quanto poderíamos se fazemos tudo às pressas.Algumas coisas requerem paciência e o compasso certopara se tornarem perfeitas. Uma árvore pode ser esti-mulada a produzir antes do tempo certo, mas dificil-mente produzirá bons frutos.No próximo capítulo, estudaremos as formasseguras para que você desenvolva a concentração aomáximo e assim possa superar as distrações impostaspelo ambiente quando não puder evitá-las ou elimi-ná-las.
  46. 46. Como dominarassuntos difíceis
  47. 47. 55Textos “espinhosos”Não há um único estudante que jamais tenha en-contrado um assunto difícil, que nunca tenha lido erelido um texto inúmeras vezes e até desistido de en-tendê-lo. Este poderia ser chamado de “um assuntodifícil”. Como estudar matérias e temas tão complica-dos? Existe um modo de torná-los mais fáceis?Vamos entender estas e outras questões impor-tantes.A primeira coisa que você deve fazer ao estudarum assunto considerado difícil é dividi-lo em partesmenores. É um método utilizado para ingerir, por exem-plo, grandes alimentos: parti-los em pequenos pedaços.Quando você lê um texto muito grande, deveestar atento ao cabeçalho. Observe também os subtí-tulos. Estes costumam dar uma idéia básica do conteú-do de cada parte do tema principal. Vejamos umexemplo:Digamos que a matéria que você vai estudar éOrganização Social e Política do Brasil.
  48. 48. Mathias Gonzalez56Ao iniciar a leitura do livro, você encontrará títu-los e subtítulos.Primeiro título encontrado: Organização social.Ao ler esse título, você fica sabendo que o textoque se segue a ele falará apenas sobre a “organizaçãosocial” (não está incluída aí a “organização política”).Primeiro subtítulo encontrado no texto: Conceitos.Conceitos são opiniões formadas sobre algumacoisa. Neste caso, o subtítulo indica que o texto quese segue trará diversas opiniões (conceitos) sobre osignificado de “organização social”.Segundo subtítulo: Tipos de sociedade.Creio não precisar tecer comentários mais exten-sos acerca deste subtítulo. Após observar a enumera-ção das formas de sociedade encontradas no Brasil,continuamos a leitura e encontramos um novo subtí-tulo: A pirâmide social brasileira.Atento aos títulos e subtítulos, recorrendo aomesmo assunto em outros livros ou enciclopédias, con-sultando a internet, você vai penetrando lenta e gradu-almente na matéria. Ao dominar com segurança umtópico, passe ao seguinte. Repita-o mentalmente atéter a convicção de que o aprendeu e memorizou.A “digestão” dos assuntos deverá ser feita aospoucos. “Mastigue” os assuntos com toda paciência,até ter certeza de que já os triturou suficientemente.Procedendo assim, você não terá dificuldades para iravançando até o final.
  49. 49. RECOMENDAÇÕES IMPORTANTESn Sempre que possível, peça a um amigo paraesclarecer dúvidas acerca de assuntos difíceis. Talvez umprofessor possa, em poucos minutos, explicar com clarezaalgo que você levaria semanas para entender.n Quando o assunto for difícil, leia vários autoresque falem sobre o mesmo tema. Em alguns casos, a lingua-gem torna complicados assuntos de fácil entendimento.n Divida o texto em pequenas etapas. Avancesem pressa, à medida que for dominando as pequenaspartes. Esta é a maneira correta de estudar qualquerassunto, seja ele difícil ou não.n Tenhaàmãoumbomdicionárioparatirardúvidasquanto a palavras e expressões desconhecidas. A compre-ensão da linguagem facilita o entendimento das idéias.n Procure captar a idéia central de cada tema.Descubra o que o autor está querendo provar ou mos-trar. Todos os assuntos têm um objetivo. Descubra,tão logo quanto possa, as idéias-chave e memorize-as.n Reserve um maior espaço de tempo aos te-mas complicados e intercale-os com os mais fáceis. Sevocê estudar duas matérias muito difíceis simultanea-mente ou com pequeno intervalo de tempo entre elas,cansará a mente e baixará seu rendimento.
  50. 50. Mathias Gonzalez58n Copie de memória as idéias básicas dos temasestudados. Faça anotações principais como se estivesseexplicando a alguém através de uma carta. Use suaspróprias palavras para reforçar o que aprendeu.n Não se esqueça de que uma idéia ou conheci-mento “antigo” deve associar-se a “novos” conhecimen-tos. À medida que for estudando, faça encadeamentos ecomparações mentais. Desse modo, você conseguirá fi-xar mais rapidamente aquilo que estudar.n Repita com mais freqüência o estudo dos te-mas que considerar difíceis. Sua memória terá de serimpregnada com mais repetições para que retenha du-radouramente os conhecimentos adquiridos.n Faça muitas perguntas sobre o tema que con-siderar complicado. De posse de um questionário, vocêverá que não existe assunto difícil, mas sim assuntomal estudado. As perguntas são pequenos fragmentosda matéria. Memorizando perguntas e respostas, vocêterá dominado num piscar de olhos qualquer assunto,por mais intrincado que ele lhe pareça à primeira vista.
  51. 51. Técnicas para aprendermais depressa
  52. 52. 61Lutando contra o tempoVocê escolheu todo o material para estudar?Livros, apostilas, cadernos, canetas, lápis, etc.?Será que falta alguma coisa?O programa está à vista? Ele representa o mapacom os caminhos que você trilhará durante o seu perío-do de estudo. Mas surgem outras perguntas curiosas:n Como aprender mais depressa esse montão deassuntos?n Por onde devo começar?n Por quanto tempo devo estudar cada matéria?Depois de analisar as diversas formas de estudoutilizadas por candidatos vencedores de concursos ede aperfeiçoar as minhas próprias técnicas, descobrique se pode ajudar qualquer pessoa a aprender maisdepressa. Isto é o que irei demonstrar neste capítulo.
  53. 53. 62Mathias GonzalezA técnica do silêncioNada perturba mais um estudante do que obarulho. Carros passando e buzinando lá fora, otelefone que não pára de tocar, o som no volumemáximo, a TV ligada, pessoas andando de um ladopara o outro; enfim, mil barulhos que distraem,interrompem e limitam a aprendizagem de qualquermortal.Não adianta dizer que você é capaz de se con-centrar em meio a todo esse barulho. Testes recentesdemonstram que estudantes que se isolam completa-mente de ruídos conseguem aprender três vezes maisdepressa do que aqueles que não estudam em silênciototal.Quer notar como sua mente se concentra muitomelhor na leitura de um texto se estiver ausente deruídos? Faça este experimento:Coloque os polegares um em cada ouvido,fazendo uma pequena pressão sobre eles, demodo a isolar o ruído existente a sua volta. Semtirar os polegares dos ouvidos, faça com que osdedos médios das duas mãos se toquem sobresua testa. Apóie os cotovelos sobre a mesa ondedeve estar este livro e continue a leitura.É sempre bom lembrar que você nunca deveestudar deitado, ou numa posição em que poderá ador-mecer facilmente. Afinal, você quer dormir ou querestudar para ser aprovado em concurso?Esta técnica de isolamento de ruído ajuda, emmuito, pessoas que moram em lugares com altos ní-veis de poluição sonora ou que possuem vizinhos
  54. 54. 63Como passar em provas, exames e concursosmal-educados, que deixam seus aparelhos de som emvolume máximo.Todas as vezes que você for ler alguma coisa epuder deixar o material sobre uma mesa, use os dedospolegares para diminuir o ruído, mesmo que ele nãoseja muito grande.Para abafar os ruídos, você também pode usarfones de ouvido, daqueles que se introduzem no canalauditivo externo. Evite, porém, enfiar no ouvido peda-ços de algodão ou objetos pontiagudos que possameventualmente ficar presos ou ferir partes sensíveis.O mais saudável é que você, ao sentar-se paraestudar (nunca se deite), previna-se contra os ruídosindesejáveis. Reserve seus momentos de estudo comoa coisa mais importante da sua vida. Desligue a campa-inha do telefone. Feche as janelas que deixam entrarruído excessivo. Desligue qualquer tipo de aparelhosonoro e, se houver algum grilo fazendo aquele baru-lhinho enervante, descubra onde ele está e expulse-ode casa ou do ambiente de estudo. Você precisa desilêncio... sem grilo algum.Algumas pessoas não conseguem ficar por umahora em absoluto silêncio porque seu sistema nervosoparece ter-se condicionado ao barulho. Mas o fato éque o ruído é prejudicial à aprendizagem eficaz. Osistema nervoso precisa estar relaxado e tranqüilo paraque você possa assimilar melhor aquilo que estuda.No início, quando começar a praticar a “técnicado silêncio”, você descobrirá que houve significativamelhora no seu poder de concentração, mesmo quenão tape os ouvidos.
  55. 55. 64Mathias GonzalezSe você quer extrair o maior rendimento possí-vel do tempo que dedica aos estudos, então isole-seacusticamente ao máximo. Se puder vedar as frestaspor onde entra o ruído externo, faça-o. É bom lembrarque o ambiente onde você estuda deve ser o maisagradável possível em termos de temperatura, lumi-nosidade, etc.A técnica fonodidáticaComo o próprio nome sugere, fonodidática signifi-ca utilizar-se de aparelhos sonoros (gravador) para apren-der. Para usar esta técnica, você terá que dispor de:n um pequeno aparelho gravador;n um fone de ouvido; en fitas cassetes.Infelizmente matérias como matemática e geo-metria não podem ser estudadas com o auxílio dessatécnica, por motivos óbvios. Ela é válida, entretanto,para toda e qualquer outra disciplina cujo conteúdopossa ser gravado.Vejamos a seguir como dar os primeiros passos.n Selecioneumassuntoimportantedoseuprograma.n Escolha os textos das apostilas e dos livrosrelacionados a esse assunto. Dê preferência aos quese apresentem em linguagem clara e objetiva.n Isole-se num quarto sem ruídos ou interfe-rências para realizar as gravações.n Regule seu aparelho para que a gravação fi-que em ótimo nível.n Leia os textos de forma compassada e clara.
  56. 56. 65Como passar em provas, exames e concursosQuando perceber que um tópico é mais importante,repita-o várias vezes.n Use fita de uma hora (30 minutos de cada lado) eescreva à lápis os temas gravados. Assim você poderá rapi-damente selecioná-las para estudo.n Não grave mais do que três temas em cadalado da fita, a não ser que seja absolutamente necessário.Pronto! Você já gravou a primeira fita para iniciarseu estudo utilizando a técnica fonodidática. Resta agorasaber como e quando utilizá-la.n Depois que você estudar os temas escolhidospara gravação, sente-se confortavelmente (nunca sedeite), coloque os fones e ouça a fita.n Quando estiver descansando (horário de al-moço, antes de dormir) ouça as gravações feitas.n Durante viagens (de casa para o trabalho, paraa escola ou voltando de ambos), principalmente se forum período superior a 30 minutos, leve o seu gravadore ouça as fitas.Alguns alunos perguntam-me se poderiam utili-zar as gravações durante o período em que estives-sem dormindo, para acelerar a aprendizagem, e a res-posta é NÃO. NUNCA. Pesquisas feitas em vários paí-ses do mundo com métodos de aprendizagem duranteo sono provaram que eles são ineficazes. Assim, nãose recomenda a utilização das fitas enquanto se dor-me, mas no período de vigília, tantas vezes quantopossível.
  57. 57. 66Mathias GonzalezA técnica a seguir pode ser usada em combina-ção com esta, com resultados quase milagrosos. Nossamemória auditiva deve ser estimulada constantemente.E essa técnica visa a despertar e incentivar o uso des-sa memória.Não use fitas gravadas quando estiver fazendooutra coisa que requeira atenção e envolvimento,tal como datilografar, escrever, conversar, etc.É muito provável que a compreensão da fitafique comprometida se você fizer duas coisas simul-taneamente. Quando estudar usando essa técnica,não desenvolva outra atividade.A técnica Perguntas x respostasO princípio desta técnica consiste no fato de quetodos os testes e provas realizados em concursos sãoconstituídos de perguntas. Ora, se os elaboradores dasprovas vão escolher várias perguntas dos mesmos assun-tos que você está estudando, se você também fizer váriasperguntas e aprender as respostas, é muito provável quealgumas delas venham a ser as mesmas do concurso.O primeiro passo para executar a técnica pergun-tas x respostas é selecionar o material que contém osassuntos do programa. Suponhamos que o assunto sejaO ESTUDO DOS VERBOS da língua portuguesa.Recorte pequenos cartões com o tamanho máxi-mo de 8cmx11cm. Dobrando uma folha de papel ofí-cio três vezes, você obterá pedaços de papel aproxima-damente com essas dimensões. São o tamanho ideal.Escreva na frente do cartão as perguntas e, no verso,as respostas. Com o tema VERBO, a pergunta pode ser:
  58. 58. 67Como passar em provas, exames e concursosO que é verbo?Resposta:Palavra que exprime ação, estado ou fenômeno.Tendo em mãos a gramática, você só terá o traba-lho de formular as perguntas e copiar a resposta decada uma delas no verso do cartão. O ideal é fazerperguntas que abranjam todos os assuntos.A técnica de estudos com cartõesSe você puder levar para todos os lugares ummínimo de 50 perguntas, poderá aproveitar os momen-tos em que fica à espera, ou em que não há nada afazer, e estudar uma a uma.Leia a pergunta e tente lembrar da resposta, casoconsiga, durante dez vezes consecutivas (marque umtracinho no canto do cartão).Então é o momento de retirar do grupo de per-guntas as questões já aprendidas.Grave-as também na fita, para ajudar na fixação.Faça um intervalo de dez segundos após cada pergun-ta para em seguida gravar a resposta. Quando estiverouvindo as perguntas, tente antecipar as respostas, fa-lando para si mesmo, em um tom de voz baixo.Todas as vezes que você estudar com os cartões,tenha à mão caneta ou lápis para assinalar as vezes emque acerta as respostas. Quando estiver estudando emgrupo, use as perguntas para testar e avaliar seus co-nhecimentos.A técnica teatralEsta é uma técnica que funciona quando se estu-da em grupo. Nunca, no entanto, estude com mais de
  59. 59. 68Mathias Gonzaleztrês pessoas. O rendimento cai em muito quando onúmero de pessoas é superior a três. Mesmo com essenúmero reduzido, é necessário que alguém coordeneas atividades, para que não haja dispersão. É precisoque todos estejam imbuídos do espírito de aprenderpara valer e não gastem tempo conversando acerca deassuntos que não têm nada a ver com o objetivo dareunião.Vamos aos passos para executar a técnica teatral.n Consiga um pequeno quadro de giz para utili-zar durante os estudos.n Peça que seus amigos (dois no máximo) estu-dem em silêncio junto com você um assunto previa-mente escolhido.n Após terminar a leitura silenciosa, que não devedurar mais que 30 minutos, sorteie o primeiro “professor”para dar aula aos dois componentes do grupo.n Cada membro do grupo deverá falar tudo oque for capaz de lembrar sobre o assunto estudado,podendo recorrer apenas a uma ficha de consulta quetenha feito para orientar-se durante a exposição.n O tempo para cada expositor não deve ultra-passar 15 minutos, para que não se torne cansativa aaula, que será repetida por todos os participantes.n Durante a exposição de cada elemento do grupo,os demais devem participar, fazendo perguntas para tirardúvidas. Podem ainda fazer correções, caso o expositorcometa algum equívoco. Na dúvida, deve-se consultar omaterial de estudo, prosseguindo normalmente a aula.O quadro de giz deve ser usado como se numaaula de verdade, onde os expositores farão observa-ções, cálculos, etc.
  60. 60. 69Como passar em provas, exames e concursosSeguindo esses passos, você e seus amigos esta-rão aptos a realizar uma excelente prova em qualquerconcurso. É bom salientar que se as exposições feitaspor cada elemento do grupo forem de bom nível, osresultados serão espetaculares.Alguns estudantes são capazes de dar aulas para umaplatéia “invisível” quando não encontram parceiros paraestudar. Você pode experimentar também, se for o caso.Vale a intenção.Após o estudo em grupo usando a técnica teatral,todos os participantes devem elaborar um pequeno teste,contendo no máximo dez questões, e trocá-los entre si.Provavelmente haverá coincidências em algumas questões;todavia, isso servirá de reforço positivo.
  61. 61. RECOMENDAÇÕES IMPORTANTESSeja qual for a técnica que você utilize para estudar,saiba que a atitude mental, o ambiente e o material contammuito. Os companheiros também (quando usar a técnicateatral) devem ser escolhidos a dedo. Jamais escolha pes-soas desinteressadas ou que demonstrem pouca seriedade.As brincadeiras fora de hora acabarão por transfor-mar o período de estudo num “recreio” permanente. Casonão consiga bons resultados com um grupo de parceiros,desista e procure outros. O que conta são os objetivos emetas. Você se prepara para vencer num concurso, e fará oque for necessário para atingir esse propósito.Muitas pessoas dizem sempre que não têm tempopara estudar; porém, se estiverem atentas aos momentosque passam diante do televisor, na janela olhando o mo-vimento, conversando longamente ao telefone, ou fazen-donulidades,descobrirãoo quantodesperdiçamde tempo.Procure empregar suas horas de folga para estudar e sepreparar para o concurso desejado. Saiba que hora a hora,dia a dia, mês a mês o separam do dia D, no qual estarásentado diante de uma prova cheia de perguntas esperan-do por suas respostas.
  62. 62. 71Que vençam os melhores!O que se deve e o que não se deve fazer antes,durante e depois das provasNormalmente costuma-se pensar que o mais im-portante é o que se faz antes e durante as provas deum concurso, esquecendo-se do “depois”. Todas asfases, porém, são importantes.Sem dúvida, o que se faz “durante” é o que conta,mas sem um bom “antes” nada poderia ter sido feito.Vamos supor que você está a duas semanas da datamarcada para a grande prova do concurso. Você já estu-dou todas as matérias, já revisou as partes que julga maisimportantes, e está preparado para enfrentar o dia “D”.Será necessário tomar alguma precaução? Ou basta es-perar o dia da prova e mostrar no papel que é um dosmelhores candidatos? Bem, acho que isto não é tudo.
  63. 63. 72Mathias GonzalezÉ quase tudo. Há ainda algumas coisas que você pre-cisa fazer antes das provas.O que se deve fazern Na última semana, faça um programa pessoalpara revisar os assuntos em que se considera mais fra-co. Estude durante um ou dois dias da semana cadamatéria do programa. Caso uma semana seja poucotempo, programe então as duas últimas para essa revi-são geral. Tire as dúvidas que ainda restarem comalguém mais experiente.n Avise a seus familiares, amigos, enfim, a todasas pessoas que convivem com você sobre o dia e ahora da sua prova, pois você poderá se distrair e es-quecer, como não raro ocorre com muitos candidatos.Alguns só lembram do exame quando sai o resultado.Para ficar mais seguro, faça o seguinte: vá a uma agên-cia dos Correios e passe um telegrama pré-datado parasi próprio com a observação de que o telegrama deveser entregue em determinada data (que deve ser umdia antes da prova).Os Correios dispõem desse serviço, e não custamais do que um telegrama comum. Uma sugestão demensagem do seu telegrama: “AMANHà NÃO ESQUEÇADA PROVA DO CONCURSO, ÀS... HORAS”. Esta é a maneirainfalível de você não esquecer a data da prova. OsCorreios nunca falham quando se trata de telegramaspré-datados.n Na última semana que antecede a data do cur-so, alimente-se bem, variando os alimentos. Coma bas-tante proteínas, sais minerais e vitaminas. Leite, ovos,
  64. 64. 73Como passar em provas, exames e concursoscarnes, cereais e frutas fornecerão energias nervosassuficientes para enfrentar o desgaste da prova. Não sedescuide da alimentação.n No dia anterior ao da prova, faça uma “sa-batina” consigo mesmo. Caso tenha elaborado per-guntas que enfoquem todos os assuntos, tente acer-tar todas. Peça a outra pessoa que as faça a você.Com esse instrumento, você reavivará na memóriaassuntos que há muito não estudava.n Durma bastante e bem no dia que antecede aprova. Suas energias devem estar no pico positivo.n Antes de dormir, leia alguma coisa que julgueimportante. Todas as coisas que pensamos antes dedormir lembramos logo que despertamos.n Faça o exercício 2 do capítulo “A superapren-dizagem pela sugestão mental”, deste livro. Sua menteficará relaxada o suficiente para raciocinar com eficá-cia no momento em que estiver fazendo a prova.n Previna-se com lápis, caneta, borracha e ou-tros instrumentos que se fizerem necessários. Calcu-ladoras de bolso ou régua com tabuada nem sempresão aceitos em concursos. Você deve informar-se an-tecipadamente se são aceitos ou não. De qualquermodo, é bom estar prevenido com material de reserva,para o caso de um deles falhar. Faça uma checagemantes de entrar na sala de provas.n Faça uma checagem no automóvel no dia, anteri-or ao do concurso, principalmente se irá utilizá-lo. Há ca-sos de candidatos que perderam o horário das provas porficarem retidos no trajeto, com o automóvel sem gasolina,com pneu furado e sem sobressalentes, etc. Evite os con-tratempos, prevenindo-se e checando possíveis falhas.
  65. 65. 74Mathias Gonzalezn Antes do dia do concurso, vá ao local onde asprovas serão realizadas. Alguns candidatos, por nãoobterem informação correta do local onde farão a pro-va, acabam chegando atrasados ou perdendo o con-curso por se dirigirem a local errado.n Antes de sair para fazer a prova, faça uma checa-gem nos documentos, principalmente verifique o CAR-TÃO DE INSCRIÇÃO e a CARTEIRA DE IDENTIDADE. Semesses documentos você pode ser impedido de prestar oconcurso.n Comoúltimoconselho,porfavor, ponhaumdes-pertador para acordá-lo com tempo de sobra. Se tiverdois despertadores, coloque ambos para despertar na horadesejada. Cuide para que um deles seja de corda, poisalguns relógios ligados à corrente elétrica, quando ocorrefalta de energia (mesmo por um segundo), desregulam ohorário programado para despertar. Previna-se contra osgolpes do destino.n É natural que você já conheça muitas dessasrecomendações, porém nunca é demais falar sobre elas.O que não se deve fazern Não viaje nos dias que antecedem o da prova.Pode haver algum contratempo que o impeça de retor-nar no momento exato ou com folga para checar ositens importantes.n Não coma demais nos dias que antecedes oda prova. Saiba que distúrbios intestinais e diversostipos de mal-estar conseguem eliminar muitos can-didatos, antes mesmo de se sentarem para fazer aprova. Evite comidas gordurosas, pesadas ou aque-las que você não tem hábito de comer.
  66. 66. 75Como passar em provas, exames e concursosn Não durma tarde na noite que antecede o diado concurso. Lembre-se de que suas energias devemestar no ponto máximo, e o sono é importantíssimopara que isso ocorra.n Não tome nenhuma bebida alcoólica, nem cal-mantes de espécie alguma, principalmente se esta nãofor uma prescrição médica para aquele dia. O entorpe-cimento do seu sistema nervoso não ajudará no racio-cínio, que se tornará lento. E você tenderá a fazerconfusões perigosas no momento de responder àsquestões.n Drogas, orgias sexuais, ou qualquer outra coi-sa que provoque desgaste físico e psicológico devemser evitadas ao menos um dia antes do concurso.n Evite aborrecimentos, discussões e contrarie-dades no dia anterior ao da prova. Sua mente precisaestar feliz, segura e autoconfiante.n Saia de casa o mais cedo possível para evitarengarrafamentos, acidentes inesperados, e a conseqüenteperda do horário estabelecido como limite para os can-didatos chegarem ao local da prova. Esta é uma reco-mendação muito importante. Quando você tem pres-sa, costuma esquecer coisas, provocar confusões, etc.Evite isso. Não saia tarde de casa. Tenha tempo paraseguir relaxado.n Não fume antes do início da prova. Algumaspessoas ficam nervosas e fumam sem parar. Psicologi-camente isso pode ter algum resultado positivo, masos efeitos do cigarro sobre a memória são negativos.Se puder não fumar, não fume.
  67. 67. 76Mathias GonzalezO comportamento do candidato durante a provaDurante a prova, será fundamental a tranqüilida-de e a atenção, bem como adotar uma postura de obje-tividade e precisão quando da resolução das questões.Apresento a seguir alguns conselhos que ajudarão nessemomento importantíssimo.n Relaxe (exercício 2 do capítulo “A superapren-dizagem pela sugestão mental”). Assim que tomar seulugar, inicie o exercícios de relaxamento, até o instanteem que começarem a distribuição das provas.n Esteja atento às instruções dadas pelos orientado-res do concurso quanto ao tempo máximo de cada prova.n Confira as questões da prova, verificando seestão em ordem, legíveis e completas.n Não inicie apressadamente as respostas àsquestões. Em geral o tempo regulamentar para a reali-zação da prova é suficiente para respondê-la. Tenhacalma, relaxe.n Responda primeiramente às questões de quetenha conhecimento absoluto. Não deixe para depoisaquilo acerca do qual tem certeza. As perguntas quenão souber responder a princípio, deixe para o final.n Não marque a resposta certa no cartão de res-postas simultaneamente à resolução das questões. Deixepara marcar o cartão como última etapa.n Leia e releia com atenção cada pergunta. Apressa leva cerca de 10% dos concorrentes a erraremquestões fáceis. Só depois de ter certeza de que en-tendeu a pergunta, dê a resposta.n Não “cole” num concurso, mesmo que você nãosaiba responder a algumas questões.
  68. 68. 77Como passar em provas, exames e concursosn Não dê “cola” ou facilite para que concorren-tes conheçam suas respostas. Lembre-se de que umconcurso é um teste pessoal, e não uma prova de equipe.O risco de ser flagrado por um fiscal e perder a prova,por estar “fazendo o bem”, é muito grande. Deixe suasvirtudes de “bom samaritano” em casa, ou para outrasocasiões menos arriscadas. Além do mais, é o seu fu-turo que está em jogo.n Quando se tratar de prova de redação, faça-aprimeiro numa folha de rascunho. Agindo assim, vocêterá oportunidade de fazer revisões ortográficas, etc.Faça primeiramente a prova de redação. Atribua a simesmo um tempo exato para essa atividade e não vámuito além dele.n Ao fazer as famosas “continhas” numa provade matemática, não confie no primeiro resultado. Façase possível (se perceber que tem tempo) duas vezesum mesmo cálculo. Assim evitará erros banais que pre-judicariam seu desempenho.n No momento em que marcar as respostas cer-tas no cartão de respostas (se houver), faça-o com cau-tela, conferindo a numeração da prova com a do car-tão ou folha de resposta. Evite erros provocados pelapressa, ansiedade ou falta de atenção.n Não queira ser o primeiro a entregar a prova.O concurso é para testar os seus conhecimentos so-bre as matérias apresentadas no programa, não paratestar sua agilidade em responder provas. Lembre-sede que a pressa é inimiga terrível da perfeição.n Controle o tempo que gasta na prova. Se dei-xar muitas questões para o final, ou perder muito tem-po tentando resolver uma única questão, acabará tendo
  69. 69. 78Mathias Gonzalezde “chutar” respostas. Esteja atento ao tempo que lheresta. Só assim conseguirá bom rendimento no horárioprevisto.n Antes de entregar a prova, verifique se preen-cheu corretamente seus dados pessoais e a assinou cor-retamente. Muitos candidatos têm provas anuladas pornelas não constarem dados obrigatórios de identificação.n Preencha os espaços destinados a sua identi-ficação (nome, número, etc.) com cautela, para queestejam corretos. Use sempre caneta para preenchê-los, a não ser que seja exigência do concurso o preen-chimento a lápis. Escrever à caneta é sempre uma ga-rantia a mais.n Ao marcar em cartões de resposta que serão“lidos” em computador, ou cartões perfurados, use omaterial adequado;n Alguns concursos (vestibulares, por exemplo)usam as respostas erradas para contagem de pontos nega-tivos. Se tiver certeza de que usarão esse critério, não dêrespostas a questões que desconheça.n Nas provas em que a avaliação é feita conside-rando somente respostas certas, não deixe questões embranco. Arrisque. Desse modo, poderá eventualmenteacertar algumas questões que seriam perdidas se vocênão as respondesse.Bem, você já fez a sua prova. E agora? Será queé necessário fazer algum outro sacrifício? Ou será quejá é possível comemorar? Não, ainda não. Você podeaté ficar feliz por ter conseguido bons resultados, masoutros candidatos certamente também os obtiveram.Que vença o melhor! Mas logo que passe a afli-ção da prova, qual deve ser seu comportamento?
  70. 70. 79Como passar em provas, exames e concursosO que fazer depois da provaÉ preciso não descuidar quanto às providênciasque é necessário tomar depois da prova. Tenha sem-pre a consciência de que a vitória só estará asseguradadepois que você tomar posse no novo cargo. Veja aquio que fazer depois da prova.n Informe-se da provável data em que darão oresultado do concurso. Caso você não seja chamadopor telegrama, saberá procurar informações no mo-mento certo, nem muito antes, nem muito depois.n Caso o concurso seja dividido em etapas, saibaqual é a etapa seguinte (digitação, estenografia, conduçãode veículos, operação de máquinas e equipamentos, tes-tes de aptidão física, etc.) e prepare-se para ela.n Continue cuidando da saúde, pois chegará odia em que você deverá mostrar que está saudável ebem cuidado. Todos os concursos públicos fazem exa-mes de saúde. Normalmente pedem exames de urina,fezes, sangue. Muitos candidatos não passam nessesexames. O ideal é cuidar da saúde, consultando umclínico geral para ver se há alguma coisa errada. Al-guns concursos fazem exames oftalmológicos. Se vocêtem alguma deficiência auditiva ou visual, é bom con-sultar um especialista. Uma boa alimentação evitaráanemia.n Verifique se seus documentos, tais como certi-ficados de conclusão de cursos, carteira profissional eoutros que serão necessários para sua efetiva contrata-ção ou ingresso no órgão desejado estão em ordem. Porfalta de apresentação, em tempo hábil, de documentosexigidos, muitos candidatos aprovados perdem a vaga.
  71. 71. 80Mathias Gonzalezn Nunca é desnecessário alertar para que vocêesteja ciente dos prazos-limite para a apresentação dedocumentos, ou para comparecimento ao órgão para oqual prestou concurso. Compareça nas datas marcadase nos horários certos. Seja pontual.Fazendo todas estas coisas, seguindo estas reco-mendações, se você de fato estudou com dedicação équase certo que seu nome estará na relação dos apro-vados.Faça uma lista com o que julgar fundamental reali-zar antes, durante e depois das provas, e esteja semprechecando essa lista. Pode ser que você tenha boa memó-ria, mas o esquecimento é algo natural e humano. Eviteesquecer coisas essenciais; por isso, tome nota!Mesmo que você tenha consciência de haver feitouma boa prova, não saia espalhando a novidade aosquatro ventos, você pode se decepcionar. Um concur-so, principalmente quando é importante, atrai centenase até milhares de candidatos. Todos querem ser apro-vados, e o empenho de alguns para conseguir isso émuitas vezes igual ou superior ao seu. Leve em consi-deração os seguintes fatos:1. para ser aprovado, é necessário obter pontosacima da média;2. haverá sempre um limite de vagas a serem pre-enchidas. Você pode ter errado apenas uma ou duasquestões, mas se havia dez vagas e dez pessoas nãoerraram uma só questão, você ficará de fora. Mesmoconsciente de que fez uma boa prova, deixe a euforiapara o dia do resultado.
  72. 72. 81Como passar em provas, exames e concursosE SE VOCÊ FOI VENCEDOR...PARABÉNS, O MÉRITO É TODO SEU!Agora é cuidar para ser um excelente servidorpúblico.

×