Manual de RP BM RS

2.216 visualizações

Publicada em

Manual de RP da Brigada Militar, criado em 1982, digitalizado, considerando o cidadão cliente como o foco das atenções da Corporação. Já naquela época apresentava o policiamento Comunitário como uma ótima alternativa para otimizar e customizar os recursos da comunidade e os próprios integrantes de uma comunidade no combate à criminalidade. A Visão Sistêmica de segurança Pública já era defendida naquela época, onde a concepção de polícia tinha um outro enfoque.

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.216
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
61
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Manual de RP BM RS

  1. 1. O que são RELAÇÕES PÚBLICAS? QUEM FAZ? COMO FAZER? Gelson Vinadé Tenente Maio de 1982 Gelson Vinadé
  2. 2. O AUTOR Em 1981, depois de ter passado pelo 11° BPM (Porto Alegre), 5 ° RPMon (Santiago) e CPA/2 (Santa Maria) o autor foi transferido para a PM/5 (Seção de Comunicação Social), onde passou a ter uma macrovisão da Brigada Militar e a oportunidade de participar de inúmeros projetos ligado à área de Relações Públicas. Conhecendo melhor a realidade da Corporação, logo percebeu a necessidade de aproximá-la mais da Comunidade através de seu principal representante: o PM. Gelson Vinadé
  3. 3. Na época, inúmeras atividades eram realizadas buscando uma maior aproximação da Corporação com a comunidade, mas eram frutos de um esforço pessoal de oficiais e praças que acreditavam nessa idéia. Gelson Vinadé
  4. 4. Debatia-se, na época, um nova visão de polícia: mais próxima e integrada à comunidade. Uma polícia focada nas necessidades de sua comunidade e preparada para um atendimento mais individualizado Surgia, então, a figura do Policial de Quarteirão, como uma forma de fixar o PM em um espaço geográfico para que ele pudesse conhecer a comunidade e ser conhecido por ela, com os benefícios decorrentes de uma maior interação. Gelson Vinadé
  5. 5. Pensava-se em um policial ... com mais autonomia e liberdade de ação. com o foco no cidadão. melhor preparado para um atendimento diferenciado. consciente de seu papel como cidadão. identificado com as necessidades de sua comunidade. com mais empatia e flexibilidade de comportamento. capaz de gerenciar informações BM-Comunidade e vice-versa. Gelson Vinadé
  6. 6. Na época, via de regra, a prática era a rotatividade dos policiais em seus postos, impedindo assim uma maior aproximação entre os PM e as comunidades atingidas. Gelson Vinadé
  7. 7. Esse era um paradigma que, lamentavelmente, estava na contramão da história. o cidadão não era o foco de nossas ações. Gelson Vinadé
  8. 8. Contribuindo com essa nova forma de pensar polícia, o autor partiu para a elaboração de um manual escrito numa linguagem simples, de fácil assimilação Autodidata, e que abordasse situações do dia-a-dia de um Policial de Quarteirão. Gelson Vinadé
  9. 9. Foi assim que surgiu o manual... Gelson Vinadé
  10. 10. Gelson Vinadé
  11. 11. O manual foi aprovado pelo Comando-geral da Brigada Militar em 14 de maio de 1982 e suas idéias adotadas em toda a Corporação. Com uma edição de 40.000 exemplares o manual foi distribuído a todos os PM em atividade e às frações da BM em todos os níveis. Passou a ser utilizado nos cursos de formação da Corporação como fonte de consulta. Na época, outras Polícias Militares também o adotaram. Gelson Vinadé
  12. 12. Cabe registrar, mais uma vez, o apoio dado por Jerônimo Braga (na época tenente-coronel), José Hilário Retamozo (major) e dos demais oficiais, praças e funcionários da PM5, verdadeiros parceiros e amigos. Gelson Vinadé
  13. 13. Gelson Vinadé
  14. 14. NÓS SOMOS A BRIGADA MILITAR Gelson Vinadé
  15. 15. Toda a vez que um cidadão, um jornal, uma emissora de rádio ou televisão criticar a Brigada Militar, também estamos sendo criticados. Embora alguns não admitam, isto nos deixa aborrecidos. Todavia, quando um companheiro nosso é elogiado pela correção de atitudes, dignidade e boa educação, ou quando os serviços do OPM ou fração de tropa são elogiados e reconhecidos por todos, também estamos sendo elogiados, o que faz nos orgulharmos cada vez mais de nossa Corporação. SOMOS RESPONSÁVEIS PELA IMAGEM DA BRIGADA MILITAR PERANTE O PÚBLICO. O PRESTÍGIO DELA É O NOSSO PRESTÍGIO Gelson Vinadé
  16. 16. PM: ELO DE LIGAÇÃO ENTRE A BRIGADA MILITAR E O PÚBLICO Gelson Vinadé
  17. 17. Você, PM, é o principal elo de ligação entre a Brigada Militar e o público em geral. Sabe por quê? Porque é você que está diariamente de serviço na rua mantendo um contato direto com o público. Porque é você que está sendo constantemente observado, elogiado ou criticado por todos que o avistam. Você não está sendo visto simplesmente como um homem qualquer, e sim, como o representante da Lei. Como alguém encarregado de manter a ordem e assegurar a tranqüilidade da população. É você, através de um bom serviço, que faz as melhores Relações públicas da Corporação. QUALQUER FALHA EM SERVIÇO COMPROMETE A SUA PESSOA E O QUE VOCÊ REPRESENTA PARA O POVO: A BRIGADA MILITAR Gelson Vinadé
  18. 18. O QUE SÃO RELAÇÕES PÚBLICAS? Gelson Vinadé
  19. 19. São procedimentos efetuados para melhorar ou manter o conceito de uma determinada pessoa ou instituição junto às demais. Objetivam alcançar a compreensão, a amizade e a colaboração do público em geral, criando assim, condições favoráveis ao serviço. Gelson Vinadé
  20. 20. QUEM FAZ? Gelson Vinadé
  21. 21. Nós, em todos os níveis, somos os responsáveis pelas Relações Públicas da Corporação. Contudo, é você que trata diretamente com o público, e este, o vê não só como um representante da Lei, mas como o principal representante da Brigada Militar. Gelson Vinadé
  22. 22. COMO FAZER? Gelson Vinadé
  23. 23. Relações Públicas se faz através do bom trabalho e, para trabalhar bem, você precisa: DEMONSTRAR BOA EDUCAÇÃO MANTER-SE BEM INFORMADO MANTER-SE ATUALIZADO NA PROFISSÃO TRATAR AS PESSOAS COM COM ATENÇÃO E POLIDEZ AJUDAR AS PESSOAS CONHECER AO MÁXIMO O SERVIÇO A SER EXECUTADO CUIDAR DA APARÊNCIA EVITAR OS ATOS DE VIOLÊNCIA MANTER UM BOM RELACIONAMENTO COM A IMPRENSA Gelson Vinadé
  24. 24. Para trabalhar bem você precisa: DEMONSTRAR BOA EDUCAÇÃO Gelson Vinadé
  25. 25. Muita pessoas confundem “educação” com “instrução”, contudo existe uma grande diferença entre elas. A educação se refere à formação total da pessoa, desde o nascimento até o estágio atual. São todos os pequenos hábitos adquiridos, principalmente no convívio familiar. Já a instrução diz respeito aos conhecimentos que a pessoa adquire através da leitura, estudos ou cursos que realiza. Educação, portanto, é algo muito mais profundo que a instrução. Deu para você compreender a diferença? Pois bem, então será fácil compreender que uma pessoa pode ser bem educada sem ser instruída, assim como, ter uma boa instrução e não ser educada. Você pode demonstrar educação em pequenas atitudes: Gelson Vinadé
  26. 26. Para trabalhar bem você precisa: MANTER-SE BEM INFORMADO Gelson Vinadé
  27. 27. Vivemos numa época em que as pessoas constantemente são informadas de tudo que ocorre pelo mundo. Basta ligar o rádio, a televisão ou ler os noticiários de jornais e revistas para saber o que acontece nos locais mais distantes da terra. Sem dúvida alguma, as pessoas hoje são melhor e mais bem informadas que as de alguns anos atrás. ESTAR BEM INFORMADO É UMA AS EXIGÊNCIAS DE NOSSA PROFISSÃO Gelson Vinadé
  28. 28. Para trabalhar bem você precisa: MANTER-SE ATUALIZADO NA PROFISSÃO Gelson Vinadé
  29. 29. A Brigada Militar necessita estar sempre bem atualizada e ajustada às necessidades da época em que vive. Não esqueça que a Brigada Militar somos todos nós. Isto significa que é através de nossas atitudes, comportamento e amor à instituição, que manteremos nossa Corporação sempre bem disciplinada, unida e identificada com a época e com as aspirações do povo rio-grandense. Somente assim preservaremos as características que nos são peculiares há quase 150 anos. Leia tudo o que se referir ao seu serviço, adquira os manuais editados pela Corporação, ao ler os jornais dê uma atenção especial à parte policial. Sempre que houver dúvidas consulte um oficial ou graduado para esclarecê-las. FAÇA TODOS NOTAREM QUE VOCÊ É UM PM PREPARADO PARA QUAISQUER EXIGÊNCIAS DE SUA PROFISSÃO Gelson Vinadé
  30. 30. Para trabalhar bem você precisa: TRATAR AS PESSOAS COM ATENÇÃO E POLIDEZ Gelson Vinadé
  31. 31. Você já deve ter percebido que Durante o seu dia-a-dia muita gente o aborda solicitando informações ou alguma orientação qualquer. Isto é natural e faz parte do serviço, pois, afinal de contas, a imagem do PM desperta respeito e confiança. Seja atencioso e polido para com todos. Sempre demonstre interesse pelo caso exposto, isto é o mínimo que todos esperam de você. Caso não saiba dar a informação solicitada, não se preocupe. Você não é obrigado a ser um “sabe-tudo”, entretanto, não se limite a dizer que não sabe, indique o lugar onde a pessoa possa melhor informar-se. Gelson Vinadé
  32. 32. Agindo assim, você verá que todos ficarão tão agradecidos como se estivessem recebido a informação desejada. Viu como é fácil tornar-se simpático? Trate as pessoas por senhoria (senhor, senhora, senhorita,... ) e nunca esqueça que é muito importante manter uma atitude de respeito quando no trato, principalmente, com moças e senhoras. UM “QUÊ” DE SIMPATIA E EDUCAÇÃO DEVE ESTAR PRESENTE EM UM AGENTE DA LEI. UM PM ATENCIOSO TRANSMITE SIMPATIA E CONQUISTA TODOS QUE DELE SE ACERCAM. Gelson Vinadé
  33. 33. Para trabalhar bem você precisa: AJUDAR AS PESSOAS Gelson Vinadé
  34. 34. Todas as pessoas merecem sua ajuda e proteção, contudo, existem aquelas que pela sua inexperiência, condições físicas ou idade, exigem de você uma atenção especial. Estamos nos referindo à: CRIANÇAS GESTANTES PESSOAS IDOSAS DEFICIENTES FÍSICOS Auxiliar a atravessar a rua, a embarcar em um táxi, dar uma informação, enfim, existem várias gentilezas que não desmerecem ninguém, ao contrário, sensibilizam e conquistam a simpatia das pessoas que estão observando. Gelson Vinadé
  35. 35. (Folha da tarde 27.2.82) TRATE AS PESSOAS COMO GOSTARIA DE SER TRATADO Gelson Vinadé
  36. 36. Para trabalhar bem você precisa: CONHECER AO MÁXIMO O SERVIÇO A SER EXECUTADO Gelson Vinadé
  37. 37. É muito importante que você, antes de ser lançado ao serviço, tome conhecimento de todos os eventos que ocorrerão em seu setor, bem como, das providências que deverão ser tomadas em relação a eles. TENHA SEMPRE À MÃO UMA CADERNETA DE APONTAMENTOS E ANOTE TUDO QUE POSSA AUXILIÁ-LO. Exemplo: nomes de pessoas e ruas, eventos marcados para o dia, horários, veículos furtados, nome das instituições (hospitais, bancos etc.) localizados dentro do setor, relação das pessoas procuradas pela polícia, número dos telefones de emergência etc. Gelson Vinadé
  38. 38. Caso tenha dúvidas quanto a determinadas ordens ou tarefas solicite esclarecimentos ao graduado ou ao oficial de serviço. O PM QUE SABE O QUE FAZ TRANSMITE, ATRAVÉS DE SUAS ATITUDES FIRMES, SEGURANÇA E TRANQÜILIDADE. FAZ MELHOR QUEM SABE MAIS Gelson Vinadé
  39. 39. Para trabalhar bem você precisa: CUIDAR DA APARÊNCIA Gelson Vinadé
  40. 40. O corpo humano por si só transmite mensagens facilmente observadas por todos, não é verdade? Você logo nota quando uma pessoa esta braba, nervosa, aborrecida ou quando ela é desleixada consigo mesma, apenas pela maneira como se comporta, pela forma de gesticular e até de se vestir. A SUA APARÊNCIA PESSOAL É ALGO MUITO IMPORTANTE NO JULGAMENTO QUE AS PESSOAS FAZEM DE VOCÊ. Não se apresente fardado com a barba por fazer, com o uniforme sujo ou rasgado, cabelo comprido ou despenteado, coldre preso à cintura ao estilo cowboy... Tudo isso irá depor contra você. Gelson Vinadé
  41. 41. TENHA CUIDADO COM SUA MANEIRA DE AGIR, DE GESTICULAR E DE SE EXPRESSAR EM PÚBLICO. AFINAL, O POVO NÃO O VÊ SIMPLESMESTE COMO UM HOMEM, MAS, COMO O REPRESENTANTE DA LEI. O PM DESLEIXADO COM SUA APARÊNCIA PESSOAL DEIXA DE MERECER A CONFIANÇA DO PÚBLICO Gelson Vinadé
  42. 42. Para trabalhar bem você precisa: EVITAR OS ATOS DE VIOLÊNCIA Gelson Vinadé
  43. 43. Possuir educação e polidez, ser atencioso e cortês não exclui a possibilidade de ser enérgico. O emprego da energia deve ser dosado. Este é o ponto vital para o serviço. Qualquer excesso pode transformar a energia em violência, o que faz com que a maioria das pessoas se coloque a favor da vítima do PM arbitrário, por piores que sejam os antecedentes do infrator. Ao deter alguém, faça-o rápida e discretamente, para evitar aglomeração de gente ao seu redor. A tendência natural das pessoas é colocar-se contra as ações da polícia AO CESSAR A RESISTÊNCIA À PRISÃO TODA DEMONSTRAÇÃO DE FORÇA É COVARDIA E FAZ DA CORPORAÇÃO ALVO DE CRÍTICAS Gelson Vinadé
  44. 44. Para trabalhar bem você precisa: MANTER UM BOM RELACIONAMENTO COM A IMPRENSA Gelson Vinadé
  45. 45. Nem todos possuem ligação direta com a Brigada Militar e o que conhecem a nosso respeito é apenas aquilo que vêem, ouvem ou lêem através da imprensa (televisão, rádio, jornais e revistas). O bom relacionamento com os profissionais da imprensa (repórteres, fotógrafos, cinegrafistas, ...) é tão importante ao PM quanto o seu equipamento. Eles informam ao público tudo que ocorre dentro ou fora da comunidade. Gelson Vinadé
  46. 46. Entre os profissionais de imprensa é o repórter o mais importante, pois, assim como você, é ele quem trabalha em contato direto com o público. Sua missão é buscar as notícias onde quer que se encontrem, divulgando o que viu ou soube através de outras pessoas. Entre as notícias que mais interessam ao público em geral, destacamos: as que falam sobre esporte e, as que tratam de ocorrências policiais. Daí a atenção da imprensa e o seu interesse em torno das atividades da polícia, o que não significa que devemos considerar os repórteres intrusos ou inimigos. Gelson Vinadé
  47. 47. Informações como data, horário, local, breve histórico, nome dos PM que atenderam a ocorrência, prefixo das viaturas e outras, liberadas pelo Comando da Unidade, poderão ser fornecidas nos próprios locais de prestação de serviços, desde que o informante seja o comandante da fração empenhada (Sgt PM, Cb PM ou Sd PM mais antigo). Caso você não tenha condições de atender, encaminhe a solicitação do repórter ao seu superior imediato. Nos locais públicos a imprensa tem direito assegurado por lei de documentar os acontecimentos por meio fotografias. No caso de locais isolados pela Brigada Militar (casos de sinistros, calamidades, perturbações de ordem etc.), a reportagem fotográfica dentro da área fica condicionada à autorização do Comandante da fração empregada no evento. RELACIONAR-SE BEM COM A IMPRENSA SIGNIFICA PROCURAR A MÚTUA COMPREENSÃO PARA FACILITAR OS SERVIÇOS DE POLICIAR E BEM INFORMAR Gelson Vinadé
  48. 48. Gelson Vinadé
  49. 49. Gelson Vinadé
  50. 50. BIBLIOGRAFIA ÁVILA, Fernando Bastos. Pequena Enciclopédia de Moral e Civismo. 3.ed., Rio de Janeiro, FENAME, 1978. FERREIRA, Nilo Silva. O Patrulheiro urbano. Rio Grande do Sul, Brigada Militar, 1972. NORBERTO, Natalício. Jornalismo para principiantes. Rio de Janeiro, Tecnoprint, 1978. RABAÇA, Carlos Alberto & BARBOSA, Gustavo. Dicionário de Comunicação. Rio de Janeiro, Codecri, 1978. SANTOS, Franklin. Relações Públicas para o PM. Pernam- buco, PMPE, 1979. POLÍCIA MILITAR DE MINAS GERAIS. O PM: Agente Primeiro de Relações Públicas, s.n.t. 1980. Gelson Vinadé
  51. 51. Essas idéias evoluíram e conduziram à ações comunitárias mais abrangentes e interativas, levando a Corporação a repensar suas práticas e rever seus paradigmas. Gelson Vinadé
  52. 52. O autor teve a oportunidade de editar e promover, a partir daí, outras obras e atividades (seminários, workshops, cursos, palestras etc.) com o objetivo de instrumentalizar policiais nas suas relações comunitárias. Gelson Vinadé
  53. 53. Editado em abril de 1983, também foi adotado na Corporação como fonte de consulta obrigatória nos cursos de formação da época. Aborda as áreas de relações humanas, comunicação humana e relações públicas. Gelson Vinadé
  54. 54. Na Operação Golfinho 1992/93 foi realizado, de forma inédita, um treinamento específico para os profissionais que atuaram durante o período de veraneio, principalmente no Litoral Norte. O projeto atingiu, direta ou indiretamente, todos os PM, em treinamento presencial ou através de uma tarefa programada. Foram realizados vinte e dois treinamentos no Litoral Norte. O treinamento, teve uma carga-horária de quatorze horas e abordava Noções de Língua Espanhol e Turismo, Relações Públicas e Atendimento ao Público. Ao todo foram treinados diretamente 550 policiais e editado o Caderno de Tarefa Programada com uma tiragem de 3.000 unidades. Ênfase na idéia de policial-cidadão. Gelson Vinadé
  55. 55. Lançado em 1996, foi distribuído à todos os órgãos policiais da Brigada Militar. Simultaneamente foi realizado uma série de cursos e seminários sobre atendimento ao público e neurolinguística, atingindo um total de 330 policiais. Na oportunidade, foi firmado uma parceria com a Associação Brasileira de Relações Públicas, que forneceu os facilitadores. Ênfase na idéia de policial-cidadão. Gelson Vinadé
  56. 56. Cursos de Policiamento Comunitário em Gramado e Canela JUNHO E AGOSTO DE 2000 Gelson Vinadé
  57. 57. Nos meses de junho e agosto de 2000, quando no Comando da Região da Hortênsias, o autor editou, respectivamente, dois cursos de Policiamento Comunitário, difundindo assim as principais idéias sobre Polícia Cidadã. Participaram, além de policiais militares e civis, conselheiros tutelares, bombeiros voluntários e lideranças dos municípios de Gramado e Canela, num total de noventa e nove pessoas. Gelson Vinadé
  58. 58. Jornal de Gramado 18/8/00 Gelson Vinadé
  59. 59. Motivados pela repercussão positiva na região, relevância da proposta e a importância dos trabalhos desenvolvidos, o Sindicato de Hotelaria da Região e a Universidade de Caxias do Sul propuseram-se a editar uma obra sobre Policiamento Comunitário. Gelson Vinadé
  60. 60. A obra foi lançada em 10 de abril de 2002, em Gramado/RS, no Hotel Le Chateâu. Estiveram no lançamento do livro autoridades da região, representantes da Universidade de Caxias do Sul e do Sindicato de Hotelaria, o Comandante e o Subcomandante- geral da Brigada Militar e o Chefe do EMBM . O livro apresenta o Policiamento Comunitário como uma filosofia institucional e uma estratégia organizacional baseada nas relações com a comunidade. Apresenta os pressupostos básicos do policiamento comunitário, estratégias, diferenças entre o policiamento convencional e o comunitário e a valorização das relações interpessoais. Destaca o policial de linha como o principal agente de mudanças da organização policial sendo o elo de ligação entre a polícia e a comunidade. Na última parte apresenta instrumentos para auxiliar o policial no seu dia-a-dia. Gelson Vinadé
  61. 61. Ao falarmos em Polícia Comunitária, necessariamente, devemos pensar em POLICIAL COMUNITÁRIO e COMUNIDADE CIDADÃ Só conseguiremos os resultados desejados se houver uma mudança de paradigmas, concepções e idéias já arraigadas em nossa cultura onde o clientelismo ainda está muito presente. Gelson Vinadé
  62. 62. Hoje as questões ligadas a polícia não são mais exclusivas de policiais, ao contrário, as abordagens são multidisciplinares e dentro de uma visão sistêmica e holística. Gelson Vinadé
  63. 63. Há necessidade de capacitarmos POLÍCIA e COMUNIDADE para esse entendimento, pois somente juntas poderão fazer frente às questões de segurança pública, questões essas, na maioria das vezes, com suas causas na área social. Gelson Vinadé
  64. 64. Se faz necessário, para uma maior compreensão e incremento às ações de interação e integração algumas medidas, tais como: aumento da capacidade de articulação policial e comunitária gestão da informação gestão da comunicação gestão de relacionamentos gestão da prestação de serviços e atendimento Gelson Vinadé
  65. 65. Há necessidade do apoio técnico de várias áreas do conhecimento humano nessa jornada, pela complexidade das ações a serem implantadas e das medidas a serem tomadas. Entres essas áreas destaca-se: A SOCIOLOGIA, A PSICOLOGIA, A ANTROPOLOGIA e AS RELAÇÕES PÚBLICAS. Gelson Vinadé
  66. 66. A confiabilidade e a importância social dos serviços prestados por qualquer órgão policial vai depender, basicamente, de como as pessoas se sentem ao serem atendidas e integradas ao processo de prevenção e de busca de soluções para os problemas locais. Gelson Vinadé
  67. 67. “Policiamento Comunitário é uma filosofia e uma estratégia organizacional que proporciona uma nova parceria entre a população e a polícia.” Roberto Trojanowicz Gelson Vinadé
  68. 68. Autorizado a difusão do presente trabalho desde que mantida a configuração original. Gelson Vinadé
  69. 69. Texto, desenhos e montagem: Gelson Vinadé Gelson Vinadé
  70. 70. Gelson Vinadé , aposentou-se como Coronel da Brigada Militar/RS. E-mail: rp_gelsonvinade@yahoo.com.br Gelson Vinadé
  71. 71. FIM Gelson Vinadé

×