<ul><ul><li>Implementação do Novo programa de Português para o Ensino Básico </li></ul></ul><ul><li>A docente:  Lurdes Nun...
 
Organização programática  do  1.º Ciclo Guião de análise
 
Este ciclo privilegia um desenvolvimento integrado nas actividades e áreas do saber. Visa facultar aos alunos a apropriaçã...
 
Embora se constitua um ciclo único, entende-se aqui que o 1.º Ciclo compreende, pela sua especificidade dois momentos: Pri...
uma função  de  capacitação   dos alunos para se exprimirem de modo mais fluente e ajustado às situações (p. ex.: relatand...
Nele apresentam-se como fundamentais: a aprendizagem de novas convenções sobre o modo como o texto escrito se organiza, o ...
Compreensão do oral:  1.º e 2.º anos - Saber escutar para reproduzir pequenas mensagens e para cumprir ordens e pedidos. -...
1.º e 2. Anos - Falar de forma clara e audível. - Esperar a sua vez, saber pedir a palavra. - Formular pedidos e perguntas...
TEXTOS LITERÁRIOS E PARALITERÁRIOS: TEXTOS NÃO LITERÁRIOS: . narrativas de literatura portuguesa clássica e contemporânea ...
TEXTOS LITERÁRIOS E PARALITERÁRIOS: TEXTOS NÃO LITERÁRIOS: - de aventuras - fantásticas - com forte ligação ao real . text...
No que se refere à  escrita , a aprendizagem das correspondências som/letra e a compreensão das diferentes funções da escr...
Consideram-se 3 fases no processo de produção de textos: A Planificação  – Aqui equaciona-se o objectivo da comunicação, o...
Para o desenvolvimento da autonomia da escrita, numa fase inicial, o espaço sala de aula deve conter referencias expostos ...
Os alunos devem viver situações variadas, aprendendo a produzir diferentes tipos de texto para que desenvolvam da melhor m...
<ul><li>1º e 2º anos (1º momento) </li></ul><ul><ul><li>A nível do plano Fonológico </li></ul></ul><ul><li>Actividades que...
<ul><ul><li>Plano lexical e semântico </li></ul></ul><ul><li>Aquisição de vocabulário (por temas, áreas de interesse, rela...
<ul><li>3º e 4º anos (2º momento) </li></ul><ul><ul><li>Plano fonológico  – utilizar os diferentes tipos de entoação em ac...
<ul><ul><li>Plano lexical e semântico  – transformar frases afirmativas em frases negativas – não, nunca – e vice-versa. <...
Este ciclo  privilegia um desenvolvimento integrado nas actividades e áreas do saber. Visa facultar aos alunos a apropriaç...
Organização programática  do  2.º Ciclo Guião de análise
 
 
<ul><li>Momento de confronto dos alunos com uma realidade completamente diferente daquela com que estava habituado a traba...
<ul><li>Nível global de desempenho esperado num aluno que conclua o segundo ciclo: </li></ul><ul><ul><li>O aluno deve ser ...
<ul><ul><li>Curso de Formação  Programa estruturado por ciclo; </li></ul></ul><ul><ul><li>Dividido por competências especí...
Compreensão do oral:  No segundo ciclo espera-se que, como no primeiro ciclo, o aluno seja capaz de escutar, para organiza...
Expressão oral:  Enquanto que no primeiro ciclo o aluno é confrontado com a necessidade de recorrer às estruturas elementa...
<ul><li>O programa prevê uma grande flexibilidade na escolha dos textos a tratar, sendo a selecção dos mesmos da responsab...
<ul><ul><li>Progressão (pretende-se passar do que os alunos já conhecem para um patamar gerador de curiosidade, de interes...
Escrever para responder a diferentes propostas de trabalho, recorrendo a técnicas de selecção, registo, organização e tran...
Produzir textos coerentes e coesos em português padrão, com tema de abertura e fecho congruente, com uma demarcação clara ...
Promover momentos específicos de trabalho em oficina de escrita, apoiando os alunos na planificação, textualização e revis...
Algumas sugestões: Actividades visando o contacto com as diferentes variedades do português; Recurso a listas de palavras ...
Exercícios para o estabelecimento de relações classe-elemento e parte-todo; Participação na elaboração de glossários e lis...
<ul><ul><li>Utilizar criticamente a Internet na busca e no tratamento de informação multimodal, em função de diferentes ob...
Organização programática  do  3.º Ciclo Guião de análise
 
Organização por Competências:  - Compreensão/expressão oral - Leitura - Escrita - Conhecimento explícito da Língua
(pp 73,94, 112, 131) Alargamento e complexificação de formas de raciocínio, de organização e de comunicação de saberes e p...
Conjunto alargado de textos – escritos, falados, visuais, do quotidiano e dos média: ampliar conhecimentos, construção e p...
(pp149 e 150) …  escrita pessoal e escrita criativa, respondendo de forma concreta às dificuldades dos alunos; Alargamento...
<ul><li>Papel do professor nas diferentes etapas da escrita processual.  (pp149 a 151) </li></ul><ul><ul><li>Criação de op...
Descritores de desempenho/conteúdos/notas: Classes de palavras  - B3 – do 1ºCiclo (p56), para B3 – do 2ºCiclo (p94) e o 3º...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

1.º módulo da formação - material produzido

4.448 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.448
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
110
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

1.º módulo da formação - material produzido

  1. 1. <ul><ul><li>Implementação do Novo programa de Português para o Ensino Básico </li></ul></ul><ul><li>A docente: Lurdes Nunes Bessa </li></ul>
  2. 3. Organização programática do 1.º Ciclo Guião de análise
  3. 5. Este ciclo privilegia um desenvolvimento integrado nas actividades e áreas do saber. Visa facultar aos alunos a apropriação de procedimentos e instrumentos de acesso à informação, nomeadamente a utilização das TIC (tecnologias da informação e comunicação) e de construção do conhecimento, bem como aprendizagens significativas, essenciais no seu crescimento pessoal e social.
  4. 7. Embora se constitua um ciclo único, entende-se aqui que o 1.º Ciclo compreende, pela sua especificidade dois momentos: Primeiro momento : Composto pelos dois anos iniciais as aprendizagens devem desenvolver nos alunos comportamentos verbais e não verbais adequados a situações de comunicação com diferentes graus de formalidade. A comunicação oral desempenha, nesta etapa, uma dupla função: uma função de carácter adaptativo ao novo ambiente escolar e à consequente integração dos alunos numa nova comunidade de aprendizagem;
  5. 8. uma função de capacitação dos alunos para se exprimirem de modo mais fluente e ajustado às situações (p. ex.: relatando acontecimentos, retendo a informação relevante, formulando perguntas e respostas, etc.). É também neste momento em que os alunos tomam consciência das relações essenciais entre a língua falada e a língua escrita.
  6. 9. Nele apresentam-se como fundamentais: a aprendizagem de novas convenções sobre o modo como o texto escrito se organiza, o uso correcto da pontuação, o alargamento do repertório lexical e o domínio de uma sintaxe mais elaborada. Em simultâneo, deve processar-se a aprendizagem gradual de procedimentos de compreensão e de interpretação textual, associados à promoção do desenvolvimento linguístico dos alunos, à sua formação como leitores e à ampliação do conhecimento experiencial sobre a vida e sobre o mundo.
  7. 10. Compreensão do oral: 1.º e 2.º anos - Saber escutar para reproduzir pequenas mensagens e para cumprir ordens e pedidos. - Prestar atenção a breves discursos sobre assuntos que lhe são familiares, retendo o essencial da mensagem. - Compreender o essencial de histórias contadas, de poemas e de textos da tradição oral. 3.º e 4.º anos - Saber escutar, para organizar e reter informação essencial, discursos breves em português padrão com algum grau de formalidade. - Distinguir entre facto e opinião, informação implícita e explícita, o que é essencial do que é acessório.
  8. 11. 1.º e 2. Anos - Falar de forma clara e audível. - Esperar a sua vez, saber pedir a palavra. - Formular pedidos e perguntas tendo em conta a situação e o interlocutor. - Narrar situações vividas e imaginadas. 3.º e 4.º anos - Pedir e tomar a palavra e respeitar o tempo de palavra dos outros. - Planificar e apresentar exposições breves sobre temas variados. - Produzir breves discursos orais em português padrão com vocabulário e estruturas gramaticais adequados.
  9. 12. TEXTOS LITERÁRIOS E PARALITERÁRIOS: TEXTOS NÃO LITERÁRIOS: . narrativas de literatura portuguesa clássica e contemporânea (originais ou adaptações) . narrativas de literaturas de países de língua oficial portuguesa (originais ou adaptações) . narrativas de literatura universal, clássica e contemporânea (originais ou adaptações) . textos de literatura popular e tradicional (cancioneiro, contos, mitos, fábulas, lendas…) . narrativas de literatura para a infância, portuguesas e estrangeiras: . textos dos media (notícia, reportagem, entrevista, publicidade) . textos de manuais escolares; textos científicos; textos de enciclopédias, de glossários, de dicionários… . cartas, correio electrónico, SMS, convites, avisos, recados . blogue, fórum . textos instrucionais: regulamentos, receitas, regras, normas . índices, ficheiros, catálogos . roteiros, mapas, legendas . planos, agendas, esquemas, gráficos
  10. 13. TEXTOS LITERÁRIOS E PARALITERÁRIOS: TEXTOS NÃO LITERÁRIOS: - de aventuras - fantásticas - com forte ligação ao real . textos dramáticos . poemas, canções . biografias; autobiografias . descrições, retratos, auto-retratos . banda desenhada . diários; memórias . relatos de viagem . relato histórico . adaptações para filmes e séries de televisão de obras de literatura para infância ou outras adequadas e esta faixa etária.
  11. 14. No que se refere à escrita , a aprendizagem das correspondências som/letra e a compreensão das diferentes funções da escrita serão o ponto de partida, sempre em estreita relação com a aprendizagem da leitura. A aprendizagem da escrita implica o desenvolvimento de três competências: a competência gráfica (relativa ao desenho das letras); a competência ortográfica (relativa ao domínio das convenções da escrita); a competência compositiva (relativa aos modos de organização das expressões linguísticas para formar um texto). As duas primeiras competências devem ser automatizadas o mais cedo possível para permitir à criança maior disponibilidade para investir nas tarefas que dizem respeito à competência compositiva.
  12. 15. Consideram-se 3 fases no processo de produção de textos: A Planificação – Aqui equaciona-se o objectivo da comunicação, o tipo de texto mais adequado, geram-se ideias e elabora-se um plano. A textualização – Corresponde à redacção do texto segundo um plano previamente elaborado. Seleccionamos o vocabulário, organizamos as frases, a organização das palavras em frases, em parágrafos e em texto, ou seja, fazemos com que o texto seja coerente. A revisão – Fazemos uma leitura para aperfeiçoamento do texto. A realização destas tarefas não é linear podendo ocorrer em diferentes momentos do processo de escrita. Aquando da textualização realizam-se também tarefas de planificação e revisão.
  13. 16. Para o desenvolvimento da autonomia da escrita, numa fase inicial, o espaço sala de aula deve conter referencias expostos que possibilitem à criança descobrir, de forma cada vez mais autónoma, a informação que precisa para produzir os seus escritos. A partir de textos escritos pelas crianças promover-se-á a reflexão em interacção, orientada pelo professor, com vista à expansão e ao aperfeiçoamento dos mesmos.
  14. 17. Os alunos devem viver situações variadas, aprendendo a produzir diferentes tipos de texto para que desenvolvam da melhor maneira a competência da escrita. As situações da escrita criadas deverão ser o mais expressivas possível para que as crianças interiorizem as diferentes funcionalidades da escrita e se apropriem dos diferentes tipos de texto. Para valorizar as produções dos alunos deverão ser criadas contornos que possibilitem a sua divulgação, nomeadamente blogues, jornais de turma e de escola etc. O papel do professor deverá ser de regulador, orientador e de apoio.
  15. 18. <ul><li>1º e 2º anos (1º momento) </li></ul><ul><ul><li>A nível do plano Fonológico </li></ul></ul><ul><li>Actividades que permitam a identificação do número de palavras numa frase, o número de sílabas e fonemas numa palavra. </li></ul><ul><ul><li>Plano Morfológico </li></ul></ul><ul><li>Utilizar a flexão dos nomes, adjectivos e verbos na produção de frases e de pequenos textos. </li></ul><ul><ul><li>Plano das classes de palavras </li></ul></ul><ul><li>Elaborar descrições utilizando adjectivos </li></ul><ul><ul><li>Plano sintáctico </li></ul></ul><ul><li>Actividades de expansão e redução de frases. </li></ul><ul><li>Aplicar a noção de concordância sujeito-predicado na produção de frases </li></ul>
  16. 19. <ul><ul><li>Plano lexical e semântico </li></ul></ul><ul><li>Aquisição de vocabulário (por temas, áreas de interesse, relativo ao conhecimento do Mundo. </li></ul><ul><li>Lista de sinónimos, antónimos, de famílias de palavras, como suporte à produção oral e escrita. </li></ul><ul><ul><li>Plano discursivo e textual </li></ul></ul><ul><li>Actividades que permitam descobrir algumas diferenças entre texto oral e texto escrito: gestos, olhares, pausas, repetições. </li></ul><ul><ul><li>Plano das representações gráfica e ortográfica </li></ul></ul><ul><li>Actividades que permitam descobrir algumas regularidades. Ex: a ocorrência de “m” antes de “p”ou “b”; o “s” entre vogais. </li></ul><ul><li>A ordem alfabética: na consulta de dicionários ilustrados; na construção de listas de palavras. </li></ul>
  17. 20. <ul><li>3º e 4º anos (2º momento) </li></ul><ul><ul><li>Plano fonológico – utilizar os diferentes tipos de entoação em actividades de expressão oral </li></ul></ul><ul><ul><li>Plano Morfológico – verbos regulares e verbos regulares mais frequentes: dizer, estar, fazer, ir, poder, querer, ser, ter. </li></ul></ul><ul><ul><li>Plano das classes das palavras – verificação experimental do valor do adjectivo em textos (nos seus diferentes graus). </li></ul></ul><ul><ul><li>Utilizar pronomes para evitar repetição dos nomes. </li></ul></ul><ul><ul><li>Plano sintáctico – possibilitar a descoberta do núcleo de cada constituinte da frase (nome-GN; verbo-GV). </li></ul></ul>
  18. 21. <ul><ul><li>Plano lexical e semântico – transformar frases afirmativas em frases negativas – não, nunca – e vice-versa. </li></ul></ul><ul><ul><li>Listas de sinónimos, antónimos de famílias de palavras, mapas semânticos como suporte à produção oral e escrita. </li></ul></ul><ul><ul><li>Plano de representação gráfica e ortografia – actividades </li></ul></ul><ul><li>que permitam utilizar os sinais de pontuação para: representar aspectos da entoação, delimitar constituintes da frase, representar tipos de frase. </li></ul><ul><ul><li>Aplicar os acentos gráficos, diacríticos e sinais auxiliares da escrita na produção de textos. </li></ul></ul>
  19. 22. Este ciclo privilegia um desenvolvimento integrado nas actividades e áreas do saber. Visa facultar aos alunos a apropriação de procedimentos e instrumentos de acesso à informação, nomeadamente a utilização das TIC (tecnologias da informação e comunicação) e de construção do conhecimento, bem como aprendizagens significativas, essenciais no seu crescimento pessoal e social.
  20. 23. Organização programática do 2.º Ciclo Guião de análise
  21. 26. <ul><li>Momento de confronto dos alunos com uma realidade completamente diferente daquela com que estava habituado a trabalhar: </li></ul><ul><ul><li>Pluralidade de disciplinas; </li></ul></ul><ul><ul><li>Pluralidade de professores; </li></ul></ul><ul><ul><li>Sistema de gestão de controlo do tempo mais rígido e fragmentado. </li></ul></ul>
  22. 27. <ul><li>Nível global de desempenho esperado num aluno que conclua o segundo ciclo: </li></ul><ul><ul><li>O aluno deve ser demonstrar um raciocínio mais formal baseado na actividade experimental, em princípios lógicos e em generalizações, revelando um domínio progressivo do português padrão. Pretende-se que a complexificação dos conteúdos seja, igualmente acompanhada por um desenvolvimento progressivo da autonomia e capacidade crescente de utilização de recursos variados. </li></ul></ul>
  23. 28. <ul><ul><li>Curso de Formação Programa estruturado por ciclo; </li></ul></ul><ul><ul><li>Dividido por competências específicas perfeitamente interligadas; </li></ul></ul><ul><ul><li>Para cada competência específica são apresentados: descritores de desempenho, conteúdos e algumas notas; </li></ul></ul><ul><ul><li>Assenta no princípio da progressão entre ciclos e dentro do próprio ciclo: 5º ano (momento de consolidação do primeiro ciclo, 6º ano (alicerces para o 3º ciclo). </li></ul></ul>
  24. 29. Compreensão do oral: No segundo ciclo espera-se que, como no primeiro ciclo, o aluno seja capaz de escutar, para organizar e reter informação, sendo que a extensão dos discursos, assim como o seu grau de formalidade estão sujeitos a uma maior complexidade. Pretende-se, igualmente, que o aluno, para além de distinguir factos de opiniões, esteja apto a interpretar, emitir e fundamentar opiniões e argumentos, adoptando uma postura mais reflexiva e crítica.
  25. 30. Expressão oral: Enquanto que no primeiro ciclo o aluno é confrontado com a necessidade de recorrer às estruturas elementares do português padrão para se expressar, no segundo ciclo, é esperada uma maior complexidade e formalidade nas estruturas utilizadas. Não só é necessário comunicar oralmente, mas também se espera que sejam capazes de organizar o seu discurso de uma forma coerente, fundamentada e adequada aos objectivos e destinatários.
  26. 31. <ul><li>O programa prevê uma grande flexibilidade na escolha dos textos a tratar, sendo a selecção dos mesmos da responsabilidade do professor, obedecendo a cinco critérios, a saber: </li></ul><ul><ul><li>Representatividade e qualidade dos textos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Integridade das obras (é crucial que se respeitem a autoria, a fonte e outros dados de identificação ou origem. Evitar cortes ou adaptações); </li></ul></ul><ul><ul><li>Diversidade textual (experimentar textos com finalidades e funcionalidades diferentes, utilizando vários recursos – TIC, literacia visual apoiada em imagens; </li></ul></ul>
  27. 32. <ul><ul><li>Progressão (pretende-se passar do que os alunos já conhecem para um patamar gerador de curiosidade, de interesse e entusiasmo pelo que descobrem e mobilizam; </li></ul></ul><ul><ul><li>Intertextualidade (levar os alunos a perceber que o texto não vive por si só, alertando para a existência de redes transtextuais em q se processa a citação, a absorção e a transformação de textos). </li></ul></ul><ul><li>Objectivos: Pretende-se intensificar a curiosidade e o desejo de pensar e de conhecer. Espera-se que os alunos consigam constituir-se como uma comunidade de leitores, de intérpretes e de divulgadores de textos. </li></ul>
  28. 33. Escrever para responder a diferentes propostas de trabalho, recorrendo a técnicas de selecção, registo, organização e transmissão de informação; Utilizar com autonomia processos de planificação, textualização e revisão com recurso a instrumentos de apoio e recursos informáticos; Escrever em termos pessoais e criativos, em diferentes suportes e num registo adequado ao leitor visado, adoptando as convenções próprias do tipo de texto;
  29. 34. Produzir textos coerentes e coesos em português padrão, com tema de abertura e fecho congruente, com uma demarcação clara de parágrafos e períodos e com uso correcto da ortografia e da pontuação.
  30. 35. Promover momentos específicos de trabalho em oficina de escrita, apoiando os alunos na planificação, textualização e revisão dos textos. Assim como, promover, apoiar, regular e orientar na selecção dos recursos a utilizar para a produção do texto.
  31. 36. Algumas sugestões: Actividades visando o contacto com as diferentes variedades do português; Recurso a listas de palavras para exercitar a voz e o ouvido na manipulação de sons e na identificação de fonemas; Manipulação de palavras com sequências de duas vogais que não pertencem à mesma sílaba; Reconstrução e reinvenção de palavras com base na alteração da estrutura silábica; Actividades para descoberta, comparação e distinção de diferentes processos de formação de palavras compostas; Exercícios de pronominalização; Actividades em laboratório de língua; Jogos de linguagem, leitura de poemas lúdicos, para observar e manipulação de palavras polissémicas. Consulta de dicionários e manipulação de informação lexicográfica;
  32. 37. Exercícios para o estabelecimento de relações classe-elemento e parte-todo; Participação na elaboração de glossários e listas organizadas de termos; produção de textos, em Oficina de Escrita; Transformação de frases afirmativas dos diferentes tipos em frases negativas e vice-versa. Actividades para descoberta e identificação de palavras com significado negativo que determinam a polaridade negativa nas frases em que ocorrem; Actividades de descoberta, produção ou interpretação de diferentes tipos enunciados de acordo com o objectivo discursivo, focando a atenção dos alunos nos seguintes aspectos: selecção de verbos performativos ou de verbos que exprimam adequadamente o propósito ilocutório; modo verbal; advérbios; interjeições; entoação (modo oral); sinais de pontuação (modo escrito); Transformação do discurso directo em indirecto.
  33. 38. <ul><ul><li>Utilizar criticamente a Internet na busca e no tratamento de informação multimodal, em função de diferentes objectivos de estudo; </li></ul></ul><ul><ul><li>Utilizar programas informáticos tendo em vista uma apresentação cuidada de trabalhos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Utilizar programas de processamento e edição de texto para as tarefas de revisão da escrita; </li></ul></ul><ul><ul><li>Trocar e partilhar informação por via electrónica, respeitando regras de comportamento no uso da Internet; </li></ul></ul><ul><ul><li>Ser crítico, relativamente ao uso das TIC no acesso à informação, na resolução de problemas ou na produção de trabalho criativo. </li></ul></ul>
  34. 39. Organização programática do 3.º Ciclo Guião de análise
  35. 41. Organização por Competências: - Compreensão/expressão oral - Leitura - Escrita - Conhecimento explícito da Língua
  36. 42. (pp 73,94, 112, 131) Alargamento e complexificação de formas de raciocínio, de organização e de comunicação de saberes e pontos de vista: 2º Ciclo - situação nova, identificação e reconhecimento (Classes de palavras, B3, p 94); 3º Ciclo - continuação, alargamento, aprofundamento e complexidade progressivos (Classes de palavras, B3, p131)
  37. 43. Conjunto alargado de textos – escritos, falados, visuais, do quotidiano e dos média: ampliar conhecimentos, construção e partilha de uma cultura literária (pp 136 a 139).
  38. 44. (pp149 e 150) … escrita pessoal e escrita criativa, respondendo de forma concreta às dificuldades dos alunos; Alargamento do trabalho a nível linguístico e textual; Diversificação das actividades propostas aos alunos; … escreve-se para escrever melhor; Circulação dos escritos produzidos; Confronto de textos para tomada de consciência das diferentes tipologias;
  39. 45. <ul><li>Papel do professor nas diferentes etapas da escrita processual. (pp149 a 151) </li></ul><ul><ul><li>Criação de oportunidades pela selecção do corpus, </li></ul></ul><ul><ul><li>Fazer da sala de aula um espaço de reflexão, de construção e de partilha dos sentidos do texto, </li></ul></ul><ul><ul><li>Apoio na interiorização de mecanismos de auto correcção, </li></ul></ul><ul><ul><li>Promover, apoiar, regular, orientar na selecção de recursos. </li></ul></ul><ul><li>Actividades que promovem a transformação do conhecimento explícito da língua. </li></ul><ul><ul><li>Experiências e saberes dos alunos relativos ao uso da língua dentro e fora da escola, </li></ul></ul><ul><ul><li>Estudo sistematizado sobre a língua – reflexão sistemática. (pp 129,135, 150,151). </li></ul></ul>
  40. 46. Descritores de desempenho/conteúdos/notas: Classes de palavras - B3 – do 1ºCiclo (p56), para B3 – do 2ºCiclo (p94) e o 3º Ciclo (p131): Alargamento, sistematização e consolidação – do geral para o particular. Nota-se o emprego de uma linguagem mais complexa e que exige maior profundidade.

×