SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 33
ERGONOMIA
INFORMACIONAL E IHC
Interação Humano-Computador
Rosendy Jess Fernandez Galabo
rj@fgalabo.com
@zndgalabo
Atividades básicas do design de IHC
PESQUISA DE USUÁRIO
O que estudam, qual idade, o que sabem, como vivem?
Hoje! No Globo Repórter

Passos básicos de uma pesquisa de
usuários (UNGER e CHANDLER,2009)
1. Defina os seus grupos de usuários primários – Isso
envolve a criação de uma estrutura que descreve os
principais tipos de usuários para quem você está
projetando.
2. Planeje o envolvimento do usuário – Isso inclui a
escolha de uma ou mais técnicas de envolvimento de
grupos de usuário na pesquisa.
3. Conduza a pesquisa
4. Valide as definições do seu grupo de usuário –
Solidificar o modelo de grupos.
5. Crie requisições de usuário – São declarações dos
recursos e funções que o projeto pode incluir
Técnicas para coleta de dados
• Entrevistas
• Questionários
• Estudos de campo e
investigação
contextual
• Grupos de foco
• Teste de usabilidade
Defina os seus grupos de usuários
(UNGER e CHANDLER, 2009)
• Uma maneira de começar é criar uma definição
inicial ou provisória dos usuários para os
quais você estará projetando. Isso descreve os
grupos de usuários primários do seu site, que
podem ajudá-lo a focar nos esforços da sua
pesquisa para os papéis
certos, a demografia ou outras
variáveis que podem ter um
impacto sobre como será a
experiência dos usuários em
seu site.
Defina os seus grupos de usuários
(UNGER e CHANDLER, 2009)
Passos básicos para definir os seus grupos de usuário
1. Crie uma lista de atributos que o ajudarão a definir os
diferentes usuários do seu site
2. Discuta os atributos com aqueles na empresa que
têm contato com os tipos relevantes de usuários
3. Priorize os atributos que parecem ter o maior impacto
sobre o porquê e como um usuário potencial usaria o
seu site ou aplicação.
4. Defina os grupos de usuário que focarão na pesquisa
e no design
Defina os seus grupos de usuários
(UNGER e CHANDLER, 2009)
Listar os atributos mais comuns dos usuários que podem ter
impacto sobre a experiência do uso do site, tais como:
• Objetivos primários - Por que acessam o site e o que eles
estão tentando fazer.
• Papéis – Este pode ser definido de várias maneiras, pode unir
os papéis ao objetivo primário, podem ser subdivididos por
diferentes necessidades ou estilo.
• Demografia – Incluindo idade, sexo, família
(solteiro, casado, filhos), nível salarial e região.
• Experiência incluindo nível educacional – Nível de
familiaridade com tecnologias relevantes, nível de
conhecimento do assunto e frequência de uso.
• Atributos organizacionais – Tamanho da empresa, tipo de
trabalho, estabilidade e os padrões de trabalho
Priorizar e definir
• Quais atributos listados
possui maior influência
sobre como e por que
diferentes grupos de
usuários podem usar o
site?
• Focalize nos atributos que
terão maior impacto nos
objetivos ou no
comportamento do
usuário.
ORGANIZAÇÃO DO
ESPAÇO PROBLEMA
Utilizando representações para o design
Técnicas de análise contextual
Análise dos dados
• Uma parte importante de qualquer método de análise ou
design são os modelos e as representações utilizados
para registrar o que foi aprendido ou definido.
• Existem diversas representações e modelos utilizados
para registrar, organizar, refinar e analisar dados
coletados. (BARBOSA e SILVA, 2010)
• Perfil do usuário
• Personas
• Cenários
• Análise de tarefas
• Análise hierárquica de tarefas
• GOMS
• Árvores de Tarefas
Concorrentes
Perfil do usuário (BARBOSAe SILVA,2010)
• É uma descrição detalhada das características dos
usuários cujos objetivos devem ser apoiados pelo
sistema projetado
• Um perfil de usuário é caracterizado por dados sobre o
próprio usuário, dados sobre sua relação com
tecnologia, sobre seu conhecimento do domínio do
produto e tarefas que deverá realizar utilizando o produto.
• Uma vez que a faixa de respostas para cada uma das
características e a porcentagem de usuários nessa
faixa tiverem sido determinadas, podemos categorizar
seus usuários em grupos, com base em suas
semelhanças.
Personas
• Uma persona é um personagem fictício, arquétipo
hipotético de um grupo de usuários reais, criada para
descrever um usuário típico. (Cooper et. al., 2007)
• É utilizada principalmente para representar um grupo de
usuários finais durante discussões de design, mantendo
todos focados no mesmo alvo. (BARBOSA e SILVA, 2010)
• As personas são definidas principalmente por seus
objetivos, que são determinados num processo de
refinamentos sucessivos durante a investigação inicial
do domínio. (BARBOSA e SILVA, 2010)
Criando Personas
• A “criação” deve estar
baseada nas
informações coletadas
por meio de entrevistas e
questionários junto à
população-alvo do
sistema. (Cybis et. al 2010)
Criando Personas
Para definir uma persona, Courage e Baxter (2005)
enumeram os seguintes elementos característicos:
• Identidade - Nome e sobrenome e dados demográficos
representativos o perfil e incluir uma foto.
• Status – Primário, secundário, stakeholder ou antiusuário
• Objetivos – Quais os objetivos desta persona?
• Habilidades – Qual é sua especialidade?
Educação, treinamento e competências específicas.
Criando Personas
Para definir uma persona, Courage e Baxter (2005)
enumeram os seguintes elementos característicos:
• Tarefas – Quais tarefas básicas e críticas a persona
realiza? Qual é a frequência, importância e duração das
tarefas?
• Relacionamentos – Entender quem a persona se
relaciona, ajuda a identificar outros stakeholders.
• Requisitos – De que a persona precisa: Inclua citações
que ajudam a dar mais vida a essas necessidades.
• Expectativas – Como a persona acredita que o produto
funciona? Como ela organiza as informações no seu
domínio ou trabalho?
http://www.slideshare.net/Zabisco/personas-audience-segmentation-methodology
http://www.zabisco.com/
Individuais
Grupais
Motivacionais
Emocionais
Personas
DA DEFINIÇÃO PARAA
CRIAÇÃO
Visualizando, Priorizando e Planejando
Design de IHC
• O design de IHC visa elaborar um modelo conceitual de
entidades e atributos do domínio e do sistema, estruturar
as tarefas e projetar a interação e a interface de um
sistema interativo visando apoiar melhor os usuários
no alcance dos seus objetivos.
• Para isso, podem ser utilizadas diversas
representações, cada qual endereçando uma ou mais
questões de IHC
Cenários de interação
• Cenários são narrativas sobre pessoas realizando uma
atividade para alcançar um ou mais objetivos (Rosson
e Carroll, 2002).
• Os cenários de problemas investigados na atividade de
análise descrevem a situação atual, evidenciando
problemas e oportunidades de melhora
• Os cenários de interação representam intervenções para
endereçar esses problemas e oportunidades.
• Nos cenários de interação são feitas referências a
perguntas exploradas na narrativa.
Storyboard
A técnica é uma a criação
colaborativa de storyboards:
visualizações de cenários
particulares do usuário
esquematizados no papel ou
em um quadro branco durante
uma reunião de brainstorming. O
projetista trabalha, então, a partir
desses esquema para
acrescentar detalhes.
Storyboard
Em uma sessão de storyboard deve-se criar uma lista de
cenários que gostariam de explorar. Para criar o
cenário, devemos considerar as seguintes questões e
trazer as respostas para a sessão:
• Quem é o usuário principal nesse cenário: Que
papel ele está exercendo?
• O usuário escolhido é um usuário pela primeira
vez no site: Se não, ele é um usuário esporádico
ou ele usa o site com frequência?
• Que necessidade imediata levou esse usuário ao
site? O que ele está tentando fazer e por quê?
Storyboard
Referências bibliográficas
• BARBOSA, S.D.J.; SILVA, B.S. Interacao Humano-Computador.
Editora Campus - Elsevier, 2010.
• COOPER,A.; Reinamann, R.; Cronin, D. About face 3: The
Essentials of Interaction Design. New York, NY: John Wiley &
Sons, 2007.
• COURAGE,C.; BAXTER, K. Understanding your users: a practical
guide to user requirements, methods, tools, and techniques. San
Francisco, CA: Morgan Kaufmann Publishers, 2005.
• CYBIS, W. A.; BETIOL, A. H.; FAUST, R . Ergonomia e Usabilidade:
conhecimentos, métodos e aplicações. 2. ed. São Paulo: Novatec
Editora, 2010. 422p.
• ROSSON,M.B.; CARROLL. J.M. Scenario-Based Development of
Humano-Computer Interaction. San Francisco, CA: Morgan
Kaufmann Publishers, 2006.
• UNGER, R. CHANDLER, C. O Guia para Projetar UX: A Experiência
do Usuário (UX) para projetistas de conteúdo digital, aplicações e
web sites. Rio de Janeiro: Alta Books, 2009. 268p.
NA PRÓXIMAAULA...
Mapas de site,
Fluxos de Tarefa,
Wireframe
Prototipagem
Wireframe
Mapas de site
Prototipos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

01 - IHC e usabilidade [Conceitos]
01 - IHC e usabilidade [Conceitos]01 - IHC e usabilidade [Conceitos]
01 - IHC e usabilidade [Conceitos]Robson Santos
 
Engenharia de requisitos
Engenharia de requisitosEngenharia de requisitos
Engenharia de requisitosMailson Queiroz
 
01 php - introdução ao php
01   php - introdução ao php01   php - introdução ao php
01 php - introdução ao phpRoney Sousa
 
Identificação de Necessidades dos Usuários e Requisitos IHC
Identificação de Necessidades dos Usuários e Requisitos IHCIdentificação de Necessidades dos Usuários e Requisitos IHC
Identificação de Necessidades dos Usuários e Requisitos IHCAlanna Gianin
 
Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de UsuárioAula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de UsuárioAndré Constantino da Silva
 
Usabilidade Aula-05. Processos: heuristicas
Usabilidade Aula-05. Processos: heuristicasUsabilidade Aula-05. Processos: heuristicas
Usabilidade Aula-05. Processos: heuristicasAlan Vasconcelos
 
Aula 1 - Introdução a POO
Aula 1 -  Introdução a POOAula 1 -  Introdução a POO
Aula 1 - Introdução a POODaniel Brandão
 
Processos de Design IHC
Processos de Design IHCProcessos de Design IHC
Processos de Design IHCDiego Fernando
 
Ihc2016.2 aula 1 introdução a ihc
Ihc2016.2 aula 1 introdução a ihcIhc2016.2 aula 1 introdução a ihc
Ihc2016.2 aula 1 introdução a ihcTicianne Darin
 
IHC - Abordagem geral, processos ou metodologia
IHC - Abordagem geral, processos ou metodologiaIHC - Abordagem geral, processos ou metodologia
IHC - Abordagem geral, processos ou metodologiaRos Galabo, PhD
 
Especificação de requisitos
Especificação de requisitosEspecificação de requisitos
Especificação de requisitosFernando Palma
 
UX UI para Programadores
UX UI para Programadores UX UI para Programadores
UX UI para Programadores Monica Mesquita
 
Introdução à Programação Web com Angular
Introdução à Programação Web com AngularIntrodução à Programação Web com Angular
Introdução à Programação Web com AngularElmano Cavalcanti
 
1.Introdução Banco de Dados
1.Introdução Banco de Dados1.Introdução Banco de Dados
1.Introdução Banco de Dadosvini_campos
 

Mais procurados (20)

01 - IHC e usabilidade [Conceitos]
01 - IHC e usabilidade [Conceitos]01 - IHC e usabilidade [Conceitos]
01 - IHC e usabilidade [Conceitos]
 
Interface Homem Computador - Aula01- Introdução a IHC
Interface Homem Computador - Aula01- Introdução a IHCInterface Homem Computador - Aula01- Introdução a IHC
Interface Homem Computador - Aula01- Introdução a IHC
 
Engenharia de requisitos
Engenharia de requisitosEngenharia de requisitos
Engenharia de requisitos
 
Ux design - Conceitos Básicos
Ux design - Conceitos BásicosUx design - Conceitos Básicos
Ux design - Conceitos Básicos
 
Analise de Requisitos Software
Analise de Requisitos SoftwareAnalise de Requisitos Software
Analise de Requisitos Software
 
01 php - introdução ao php
01   php - introdução ao php01   php - introdução ao php
01 php - introdução ao php
 
Identificação de Necessidades dos Usuários e Requisitos IHC
Identificação de Necessidades dos Usuários e Requisitos IHCIdentificação de Necessidades dos Usuários e Requisitos IHC
Identificação de Necessidades dos Usuários e Requisitos IHC
 
Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de UsuárioAula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
Aula 6 - Design e Processo de Design de Interfaces de Usuário
 
Usabilidade Aula-05. Processos: heuristicas
Usabilidade Aula-05. Processos: heuristicasUsabilidade Aula-05. Processos: heuristicas
Usabilidade Aula-05. Processos: heuristicas
 
Aula 1 - Introdução a POO
Aula 1 -  Introdução a POOAula 1 -  Introdução a POO
Aula 1 - Introdução a POO
 
Processos de Design IHC
Processos de Design IHCProcessos de Design IHC
Processos de Design IHC
 
Curso de Node JS Básico
Curso de Node JS BásicoCurso de Node JS Básico
Curso de Node JS Básico
 
Engenharia de Requisitos
Engenharia de RequisitosEngenharia de Requisitos
Engenharia de Requisitos
 
Métodos de avaliação de IHC
Métodos de avaliação de IHCMétodos de avaliação de IHC
Métodos de avaliação de IHC
 
Ihc2016.2 aula 1 introdução a ihc
Ihc2016.2 aula 1 introdução a ihcIhc2016.2 aula 1 introdução a ihc
Ihc2016.2 aula 1 introdução a ihc
 
IHC - Abordagem geral, processos ou metodologia
IHC - Abordagem geral, processos ou metodologiaIHC - Abordagem geral, processos ou metodologia
IHC - Abordagem geral, processos ou metodologia
 
Especificação de requisitos
Especificação de requisitosEspecificação de requisitos
Especificação de requisitos
 
UX UI para Programadores
UX UI para Programadores UX UI para Programadores
UX UI para Programadores
 
Introdução à Programação Web com Angular
Introdução à Programação Web com AngularIntrodução à Programação Web com Angular
Introdução à Programação Web com Angular
 
1.Introdução Banco de Dados
1.Introdução Banco de Dados1.Introdução Banco de Dados
1.Introdução Banco de Dados
 

Destaque

A Persuasão como Ferramenta na Relação ‘Ergonomia, Design e Emoção’
A Persuasão como Ferramenta na Relação ‘Ergonomia, Design e Emoção’A Persuasão como Ferramenta na Relação ‘Ergonomia, Design e Emoção’
A Persuasão como Ferramenta na Relação ‘Ergonomia, Design e Emoção’Eduardo Insaurriaga
 
Personas e Cenários
Personas e CenáriosPersonas e Cenários
Personas e CenáriosLuiz Agner
 
Utilizadores de internet em portugal
Utilizadores de internet em portugalUtilizadores de internet em portugal
Utilizadores de internet em portugalPaulo Morais
 
Planejamento de Conteúdo para SEO - UaiSEO 2011
Planejamento de Conteúdo para SEO - UaiSEO 2011Planejamento de Conteúdo para SEO - UaiSEO 2011
Planejamento de Conteúdo para SEO - UaiSEO 2011Rafael Rez
 
Mapas de site, Fluxos de Tarefa, Wireframe e Prototipagem
Mapas de site,  Fluxos de Tarefa,  Wireframe e PrototipagemMapas de site,  Fluxos de Tarefa,  Wireframe e Prototipagem
Mapas de site, Fluxos de Tarefa, Wireframe e PrototipagemRos Galabo, PhD
 
Mob apresentaçâo
Mob apresentaçâoMob apresentaçâo
Mob apresentaçâoCabral Micael
 
Pesquisa de mercado
Pesquisa de mercadoPesquisa de mercado
Pesquisa de mercadoPeter otaneR
 
Interfaces Digitais: Design, Estética e Interações 3
Interfaces Digitais: Design, Estética e Interações 3Interfaces Digitais: Design, Estética e Interações 3
Interfaces Digitais: Design, Estética e Interações 3Guilherme Ranoya
 
Design Centrado Usuario
Design Centrado UsuarioDesign Centrado Usuario
Design Centrado UsuarioErico Fileno
 
Design de Interação e Inovação
Design de Interação e InovaçãoDesign de Interação e Inovação
Design de Interação e InovaçãoErico Fileno
 
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no UsuárioAula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no UsuárioErico Fileno
 
Design para o Comportamento
Design para o ComportamentoDesign para o Comportamento
Design para o ComportamentoCogIgnition
 
O que é isto, a Interação? (Design de Interação e Interação Humano-Computador)
O que é isto, a Interação? (Design de Interação e Interação Humano-Computador)O que é isto, a Interação? (Design de Interação e Interação Humano-Computador)
O que é isto, a Interação? (Design de Interação e Interação Humano-Computador)Rodrigo Freese Gonzatto
 
Palestra "Usabilidade: conceito, aplicações e testes" de Renato Rosa
Palestra "Usabilidade: conceito, aplicações e testes" de Renato RosaPalestra "Usabilidade: conceito, aplicações e testes" de Renato Rosa
Palestra "Usabilidade: conceito, aplicações e testes" de Renato Rosawudrs
 
Ergonomia e Experiência do Usuário
Ergonomia e Experiência do UsuárioErgonomia e Experiência do Usuário
Ergonomia e Experiência do UsuárioRobson Santos
 
Monografia TCC Eng Produção - Desenvolvimento de um Aplicativo Móvel para Aná...
Monografia TCC Eng Produção - Desenvolvimento de um Aplicativo Móvel para Aná...Monografia TCC Eng Produção - Desenvolvimento de um Aplicativo Móvel para Aná...
Monografia TCC Eng Produção - Desenvolvimento de um Aplicativo Móvel para Aná...Philippe Elias
 
Usabilidade para Pequenos e Médios Projetos Web
Usabilidade para Pequenos e Médios Projetos WebUsabilidade para Pequenos e Médios Projetos Web
Usabilidade para Pequenos e Médios Projetos WebPaulo Coimbra
 

Destaque (20)

A Persuasão como Ferramenta na Relação ‘Ergonomia, Design e Emoção’
A Persuasão como Ferramenta na Relação ‘Ergonomia, Design e Emoção’A Persuasão como Ferramenta na Relação ‘Ergonomia, Design e Emoção’
A Persuasão como Ferramenta na Relação ‘Ergonomia, Design e Emoção’
 
Personas e Cenários
Personas e CenáriosPersonas e Cenários
Personas e Cenários
 
Conceitos e princípios de design
Conceitos e princípios de designConceitos e princípios de design
Conceitos e princípios de design
 
Utilizadores de internet em portugal
Utilizadores de internet em portugalUtilizadores de internet em portugal
Utilizadores de internet em portugal
 
Wireframe: LG
Wireframe: LGWireframe: LG
Wireframe: LG
 
Planejamento de Conteúdo para SEO - UaiSEO 2011
Planejamento de Conteúdo para SEO - UaiSEO 2011Planejamento de Conteúdo para SEO - UaiSEO 2011
Planejamento de Conteúdo para SEO - UaiSEO 2011
 
Mapas de site, Fluxos de Tarefa, Wireframe e Prototipagem
Mapas de site,  Fluxos de Tarefa,  Wireframe e PrototipagemMapas de site,  Fluxos de Tarefa,  Wireframe e Prototipagem
Mapas de site, Fluxos de Tarefa, Wireframe e Prototipagem
 
Mob apresentaçâo
Mob apresentaçâoMob apresentaçâo
Mob apresentaçâo
 
Pesquisa de mercado
Pesquisa de mercadoPesquisa de mercado
Pesquisa de mercado
 
Interfaces Digitais: Design, Estética e Interações 3
Interfaces Digitais: Design, Estética e Interações 3Interfaces Digitais: Design, Estética e Interações 3
Interfaces Digitais: Design, Estética e Interações 3
 
Design Centrado Usuario
Design Centrado UsuarioDesign Centrado Usuario
Design Centrado Usuario
 
Design de Interação e Inovação
Design de Interação e InovaçãoDesign de Interação e Inovação
Design de Interação e Inovação
 
Personas
PersonasPersonas
Personas
 
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no UsuárioAula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
 
Design para o Comportamento
Design para o ComportamentoDesign para o Comportamento
Design para o Comportamento
 
O que é isto, a Interação? (Design de Interação e Interação Humano-Computador)
O que é isto, a Interação? (Design de Interação e Interação Humano-Computador)O que é isto, a Interação? (Design de Interação e Interação Humano-Computador)
O que é isto, a Interação? (Design de Interação e Interação Humano-Computador)
 
Palestra "Usabilidade: conceito, aplicações e testes" de Renato Rosa
Palestra "Usabilidade: conceito, aplicações e testes" de Renato RosaPalestra "Usabilidade: conceito, aplicações e testes" de Renato Rosa
Palestra "Usabilidade: conceito, aplicações e testes" de Renato Rosa
 
Ergonomia e Experiência do Usuário
Ergonomia e Experiência do UsuárioErgonomia e Experiência do Usuário
Ergonomia e Experiência do Usuário
 
Monografia TCC Eng Produção - Desenvolvimento de um Aplicativo Móvel para Aná...
Monografia TCC Eng Produção - Desenvolvimento de um Aplicativo Móvel para Aná...Monografia TCC Eng Produção - Desenvolvimento de um Aplicativo Móvel para Aná...
Monografia TCC Eng Produção - Desenvolvimento de um Aplicativo Móvel para Aná...
 
Usabilidade para Pequenos e Médios Projetos Web
Usabilidade para Pequenos e Médios Projetos WebUsabilidade para Pequenos e Médios Projetos Web
Usabilidade para Pequenos e Médios Projetos Web
 

Semelhante a Perfil do usuário, Personas, Cenários, Storyboard em IHC

Modelagem de usuários
Modelagem de usuáriosModelagem de usuários
Modelagem de usuáriosLuciana Nunes
 
[TDC'16] UX para Profissionais de Negócios
[TDC'16] UX para Profissionais de Negócios[TDC'16] UX para Profissionais de Negócios
[TDC'16] UX para Profissionais de NegóciosFlavio Nazario
 
Davi Silva e Izabela Amaral - Oferecendo soluções de negócio mais assertivas ...
Davi Silva e Izabela Amaral - Oferecendo soluções de negócio mais assertivas ...Davi Silva e Izabela Amaral - Oferecendo soluções de negócio mais assertivas ...
Davi Silva e Izabela Amaral - Oferecendo soluções de negócio mais assertivas ...DevCamp Campinas
 
Workshop - Personas
Workshop - PersonasWorkshop - Personas
Workshop - PersonasVoël
 
Personas: Como conhecer melhor nosso usuário? Em que isso nos ajuda?! - UX Ca...
Personas: Como conhecer melhor nosso usuário? Em que isso nos ajuda?! - UX Ca...Personas: Como conhecer melhor nosso usuário? Em que isso nos ajuda?! - UX Ca...
Personas: Como conhecer melhor nosso usuário? Em que isso nos ajuda?! - UX Ca...Rafael Burity
 
Introdução à Arquitetura da Informação com Card Sorting
Introdução à Arquitetura da Informação com Card SortingIntrodução à Arquitetura da Informação com Card Sorting
Introdução à Arquitetura da Informação com Card SortingJerry Medeiros
 
LinkedIn - parte 2
LinkedIn - parte 2LinkedIn - parte 2
LinkedIn - parte 2aiadufmg
 
Linked in parte 2
Linked in   parte 2Linked in   parte 2
Linked in parte 2aiadufmg
 
Arquitetura da Informação
Arquitetura da InformaçãoArquitetura da Informação
Arquitetura da InformaçãoMarcello Cardoso
 
Projetos centrados no usuário
Projetos centrados no usuárioProjetos centrados no usuário
Projetos centrados no usuáriotalkitbr
 
Métodos de pesquisa e análise em Design
Métodos de pesquisa e análise em DesignMétodos de pesquisa e análise em Design
Métodos de pesquisa e análise em DesignPaulo Fanton
 
Usabilidade aula-03. Processos: Arquitetura de informação
Usabilidade aula-03. Processos: Arquitetura de informaçãoUsabilidade aula-03. Processos: Arquitetura de informação
Usabilidade aula-03. Processos: Arquitetura de informaçãoAlan Vasconcelos
 
Transformational Design Thinking - Aula 6
Transformational Design Thinking - Aula 6Transformational Design Thinking - Aula 6
Transformational Design Thinking - Aula 6Lu Terceiro
 
Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de s...
Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de s...Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de s...
Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de s...Alessandro Lima
 
Design de Interação - Entendendo, conceituando e abordagem centrada no usuário
Design de Interação - Entendendo, conceituando e abordagem centrada no usuárioDesign de Interação - Entendendo, conceituando e abordagem centrada no usuário
Design de Interação - Entendendo, conceituando e abordagem centrada no usuárioLuiz Henrique Pinho de Sá
 
Proposta para especificação de histórias de usuários alinhadas a IEEE 830
Proposta para especificação de histórias de usuários alinhadas a IEEE 830Proposta para especificação de histórias de usuários alinhadas a IEEE 830
Proposta para especificação de histórias de usuários alinhadas a IEEE 830André Agostinho
 

Semelhante a Perfil do usuário, Personas, Cenários, Storyboard em IHC (20)

Oficina protótipos dia 1
Oficina protótipos   dia 1Oficina protótipos   dia 1
Oficina protótipos dia 1
 
Modelagem de usuários
Modelagem de usuáriosModelagem de usuários
Modelagem de usuários
 
[TDC'16] UX para Profissionais de Negócios
[TDC'16] UX para Profissionais de Negócios[TDC'16] UX para Profissionais de Negócios
[TDC'16] UX para Profissionais de Negócios
 
Davi Silva e Izabela Amaral - Oferecendo soluções de negócio mais assertivas ...
Davi Silva e Izabela Amaral - Oferecendo soluções de negócio mais assertivas ...Davi Silva e Izabela Amaral - Oferecendo soluções de negócio mais assertivas ...
Davi Silva e Izabela Amaral - Oferecendo soluções de negócio mais assertivas ...
 
Workshop - Personas
Workshop - PersonasWorkshop - Personas
Workshop - Personas
 
Personas: Como conhecer melhor nosso usuário? Em que isso nos ajuda?! - UX Ca...
Personas: Como conhecer melhor nosso usuário? Em que isso nos ajuda?! - UX Ca...Personas: Como conhecer melhor nosso usuário? Em que isso nos ajuda?! - UX Ca...
Personas: Como conhecer melhor nosso usuário? Em que isso nos ajuda?! - UX Ca...
 
Introdução à Arquitetura da Informação com Card Sorting
Introdução à Arquitetura da Informação com Card SortingIntrodução à Arquitetura da Informação com Card Sorting
Introdução à Arquitetura da Informação com Card Sorting
 
LinkedIn - parte 2
LinkedIn - parte 2LinkedIn - parte 2
LinkedIn - parte 2
 
Linked in parte 2
Linked in   parte 2Linked in   parte 2
Linked in parte 2
 
Arquitetura da Informação
Arquitetura da InformaçãoArquitetura da Informação
Arquitetura da Informação
 
Projetos centrados no usuário
Projetos centrados no usuárioProjetos centrados no usuário
Projetos centrados no usuário
 
Métodos de pesquisa e análise em Design
Métodos de pesquisa e análise em DesignMétodos de pesquisa e análise em Design
Métodos de pesquisa e análise em Design
 
User eXperience
User eXperienceUser eXperience
User eXperience
 
Usabilidade aula-03. Processos: Arquitetura de informação
Usabilidade aula-03. Processos: Arquitetura de informaçãoUsabilidade aula-03. Processos: Arquitetura de informação
Usabilidade aula-03. Processos: Arquitetura de informação
 
Transformational Design Thinking - Aula 6
Transformational Design Thinking - Aula 6Transformational Design Thinking - Aula 6
Transformational Design Thinking - Aula 6
 
Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de s...
Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de s...Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de s...
Métodos de Design: Uma abordagem para estudos de viabilidade em projetos de s...
 
Workshop de UX, 02
Workshop de UX, 02Workshop de UX, 02
Workshop de UX, 02
 
Design de Interação - Entendendo, conceituando e abordagem centrada no usuário
Design de Interação - Entendendo, conceituando e abordagem centrada no usuárioDesign de Interação - Entendendo, conceituando e abordagem centrada no usuário
Design de Interação - Entendendo, conceituando e abordagem centrada no usuário
 
Ihc
IhcIhc
Ihc
 
Proposta para especificação de histórias de usuários alinhadas a IEEE 830
Proposta para especificação de histórias de usuários alinhadas a IEEE 830Proposta para especificação de histórias de usuários alinhadas a IEEE 830
Proposta para especificação de histórias de usuários alinhadas a IEEE 830
 

Mais de Ros Galabo, PhD

Usabilidade na TV digital interativa
Usabilidade na TV digital interativaUsabilidade na TV digital interativa
Usabilidade na TV digital interativaRos Galabo, PhD
 
Padrões de design de interação para aplicativos de comércio televisivo com fo...
Padrões de design de interação para aplicativos de comércio televisivo com fo...Padrões de design de interação para aplicativos de comércio televisivo com fo...
Padrões de design de interação para aplicativos de comércio televisivo com fo...Ros Galabo, PhD
 
Legibilidade de textos eletrônicos e Compreensibilidade de signos em IHC
Legibilidade de textos eletrônicos e Compreensibilidade de signos em IHCLegibilidade de textos eletrônicos e Compreensibilidade de signos em IHC
Legibilidade de textos eletrônicos e Compreensibilidade de signos em IHCRos Galabo, PhD
 
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de NielsenInteração Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de NielsenRos Galabo, PhD
 
Áreas compactas no cinema
Áreas compactas no cinemaÁreas compactas no cinema
Áreas compactas no cinemaRos Galabo, PhD
 

Mais de Ros Galabo, PhD (6)

Usabilidade na TV digital interativa
Usabilidade na TV digital interativaUsabilidade na TV digital interativa
Usabilidade na TV digital interativa
 
Padrões de design de interação para aplicativos de comércio televisivo com fo...
Padrões de design de interação para aplicativos de comércio televisivo com fo...Padrões de design de interação para aplicativos de comércio televisivo com fo...
Padrões de design de interação para aplicativos de comércio televisivo com fo...
 
Legibilidade de textos eletrônicos e Compreensibilidade de signos em IHC
Legibilidade de textos eletrônicos e Compreensibilidade de signos em IHCLegibilidade de textos eletrônicos e Compreensibilidade de signos em IHC
Legibilidade de textos eletrônicos e Compreensibilidade de signos em IHC
 
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de NielsenInteração Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
Interação Humano-Computador - História, Conceitos e Heurísticas de Nielsen
 
Áreas compactas no cinema
Áreas compactas no cinemaÁreas compactas no cinema
Áreas compactas no cinema
 
Mobiliário gótico
Mobiliário góticoMobiliário gótico
Mobiliário gótico
 

Perfil do usuário, Personas, Cenários, Storyboard em IHC

  • 1. ERGONOMIA INFORMACIONAL E IHC Interação Humano-Computador Rosendy Jess Fernandez Galabo rj@fgalabo.com @zndgalabo
  • 2. Atividades básicas do design de IHC
  • 3. PESQUISA DE USUÁRIO O que estudam, qual idade, o que sabem, como vivem? Hoje! No Globo Repórter
  • 5. Passos básicos de uma pesquisa de usuários (UNGER e CHANDLER,2009) 1. Defina os seus grupos de usuários primários – Isso envolve a criação de uma estrutura que descreve os principais tipos de usuários para quem você está projetando. 2. Planeje o envolvimento do usuário – Isso inclui a escolha de uma ou mais técnicas de envolvimento de grupos de usuário na pesquisa. 3. Conduza a pesquisa 4. Valide as definições do seu grupo de usuário – Solidificar o modelo de grupos. 5. Crie requisições de usuário – São declarações dos recursos e funções que o projeto pode incluir
  • 6. Técnicas para coleta de dados • Entrevistas • Questionários • Estudos de campo e investigação contextual • Grupos de foco • Teste de usabilidade
  • 7. Defina os seus grupos de usuários (UNGER e CHANDLER, 2009) • Uma maneira de começar é criar uma definição inicial ou provisória dos usuários para os quais você estará projetando. Isso descreve os grupos de usuários primários do seu site, que podem ajudá-lo a focar nos esforços da sua pesquisa para os papéis certos, a demografia ou outras variáveis que podem ter um impacto sobre como será a experiência dos usuários em seu site.
  • 8. Defina os seus grupos de usuários (UNGER e CHANDLER, 2009) Passos básicos para definir os seus grupos de usuário 1. Crie uma lista de atributos que o ajudarão a definir os diferentes usuários do seu site 2. Discuta os atributos com aqueles na empresa que têm contato com os tipos relevantes de usuários 3. Priorize os atributos que parecem ter o maior impacto sobre o porquê e como um usuário potencial usaria o seu site ou aplicação. 4. Defina os grupos de usuário que focarão na pesquisa e no design
  • 9. Defina os seus grupos de usuários (UNGER e CHANDLER, 2009) Listar os atributos mais comuns dos usuários que podem ter impacto sobre a experiência do uso do site, tais como: • Objetivos primários - Por que acessam o site e o que eles estão tentando fazer. • Papéis – Este pode ser definido de várias maneiras, pode unir os papéis ao objetivo primário, podem ser subdivididos por diferentes necessidades ou estilo. • Demografia – Incluindo idade, sexo, família (solteiro, casado, filhos), nível salarial e região. • Experiência incluindo nível educacional – Nível de familiaridade com tecnologias relevantes, nível de conhecimento do assunto e frequência de uso. • Atributos organizacionais – Tamanho da empresa, tipo de trabalho, estabilidade e os padrões de trabalho
  • 10. Priorizar e definir • Quais atributos listados possui maior influência sobre como e por que diferentes grupos de usuários podem usar o site? • Focalize nos atributos que terão maior impacto nos objetivos ou no comportamento do usuário.
  • 11. ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO PROBLEMA Utilizando representações para o design Técnicas de análise contextual
  • 12. Análise dos dados • Uma parte importante de qualquer método de análise ou design são os modelos e as representações utilizados para registrar o que foi aprendido ou definido. • Existem diversas representações e modelos utilizados para registrar, organizar, refinar e analisar dados coletados. (BARBOSA e SILVA, 2010) • Perfil do usuário • Personas • Cenários • Análise de tarefas • Análise hierárquica de tarefas • GOMS • Árvores de Tarefas Concorrentes
  • 13. Perfil do usuário (BARBOSAe SILVA,2010) • É uma descrição detalhada das características dos usuários cujos objetivos devem ser apoiados pelo sistema projetado • Um perfil de usuário é caracterizado por dados sobre o próprio usuário, dados sobre sua relação com tecnologia, sobre seu conhecimento do domínio do produto e tarefas que deverá realizar utilizando o produto. • Uma vez que a faixa de respostas para cada uma das características e a porcentagem de usuários nessa faixa tiverem sido determinadas, podemos categorizar seus usuários em grupos, com base em suas semelhanças.
  • 14. Personas • Uma persona é um personagem fictício, arquétipo hipotético de um grupo de usuários reais, criada para descrever um usuário típico. (Cooper et. al., 2007) • É utilizada principalmente para representar um grupo de usuários finais durante discussões de design, mantendo todos focados no mesmo alvo. (BARBOSA e SILVA, 2010) • As personas são definidas principalmente por seus objetivos, que são determinados num processo de refinamentos sucessivos durante a investigação inicial do domínio. (BARBOSA e SILVA, 2010)
  • 15. Criando Personas • A “criação” deve estar baseada nas informações coletadas por meio de entrevistas e questionários junto à população-alvo do sistema. (Cybis et. al 2010)
  • 16. Criando Personas Para definir uma persona, Courage e Baxter (2005) enumeram os seguintes elementos característicos: • Identidade - Nome e sobrenome e dados demográficos representativos o perfil e incluir uma foto. • Status – Primário, secundário, stakeholder ou antiusuário • Objetivos – Quais os objetivos desta persona? • Habilidades – Qual é sua especialidade? Educação, treinamento e competências específicas.
  • 17. Criando Personas Para definir uma persona, Courage e Baxter (2005) enumeram os seguintes elementos característicos: • Tarefas – Quais tarefas básicas e críticas a persona realiza? Qual é a frequência, importância e duração das tarefas? • Relacionamentos – Entender quem a persona se relaciona, ajuda a identificar outros stakeholders. • Requisitos – De que a persona precisa: Inclua citações que ajudam a dar mais vida a essas necessidades. • Expectativas – Como a persona acredita que o produto funciona? Como ela organiza as informações no seu domínio ou trabalho?
  • 18.
  • 20.
  • 23. Design de IHC • O design de IHC visa elaborar um modelo conceitual de entidades e atributos do domínio e do sistema, estruturar as tarefas e projetar a interação e a interface de um sistema interativo visando apoiar melhor os usuários no alcance dos seus objetivos. • Para isso, podem ser utilizadas diversas representações, cada qual endereçando uma ou mais questões de IHC
  • 24.
  • 25. Cenários de interação • Cenários são narrativas sobre pessoas realizando uma atividade para alcançar um ou mais objetivos (Rosson e Carroll, 2002). • Os cenários de problemas investigados na atividade de análise descrevem a situação atual, evidenciando problemas e oportunidades de melhora • Os cenários de interação representam intervenções para endereçar esses problemas e oportunidades. • Nos cenários de interação são feitas referências a perguntas exploradas na narrativa.
  • 26. Storyboard A técnica é uma a criação colaborativa de storyboards: visualizações de cenários particulares do usuário esquematizados no papel ou em um quadro branco durante uma reunião de brainstorming. O projetista trabalha, então, a partir desses esquema para acrescentar detalhes.
  • 27. Storyboard Em uma sessão de storyboard deve-se criar uma lista de cenários que gostariam de explorar. Para criar o cenário, devemos considerar as seguintes questões e trazer as respostas para a sessão: • Quem é o usuário principal nesse cenário: Que papel ele está exercendo? • O usuário escolhido é um usuário pela primeira vez no site: Se não, ele é um usuário esporádico ou ele usa o site com frequência? • Que necessidade imediata levou esse usuário ao site? O que ele está tentando fazer e por quê?
  • 29. Referências bibliográficas • BARBOSA, S.D.J.; SILVA, B.S. Interacao Humano-Computador. Editora Campus - Elsevier, 2010. • COOPER,A.; Reinamann, R.; Cronin, D. About face 3: The Essentials of Interaction Design. New York, NY: John Wiley & Sons, 2007. • COURAGE,C.; BAXTER, K. Understanding your users: a practical guide to user requirements, methods, tools, and techniques. San Francisco, CA: Morgan Kaufmann Publishers, 2005. • CYBIS, W. A.; BETIOL, A. H.; FAUST, R . Ergonomia e Usabilidade: conhecimentos, métodos e aplicações. 2. ed. São Paulo: Novatec Editora, 2010. 422p. • ROSSON,M.B.; CARROLL. J.M. Scenario-Based Development of Humano-Computer Interaction. San Francisco, CA: Morgan Kaufmann Publishers, 2006. • UNGER, R. CHANDLER, C. O Guia para Projetar UX: A Experiência do Usuário (UX) para projetistas de conteúdo digital, aplicações e web sites. Rio de Janeiro: Alta Books, 2009. 268p.
  • 30. NA PRÓXIMAAULA... Mapas de site, Fluxos de Tarefa, Wireframe Prototipagem