Sintaxe PortuguêS

1.336 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.336
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
44
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sintaxe PortuguêS

  1. 1. Trabalho elaborado por:  Daniel Nº6 9ºB  Gabriel Nº13 9ºB  João André Nº18 9ºB 
  2. 2. Sujeito: é um dos termos essenciais da  oração, responsável por realizar ou sofrer uma acção ou estado. é o sujeito que tem apenas um núcleo representativo. Aumentar o número de características a ele atribuídas não o torna composto. Exemplos de sujeito simples: Maria é uma garota bonita.
  3. 3. é aquele que apresenta mais de um núcleo representativo, escrito na oração. O Rafael, o Marco e o Mário jogam andebol. é aquele que não vem expresso na oração, mas pode ser facilmente identificado pela desinência do verbo. Fecharam a porta. é o que não se nomeia ou por não se querer ou por não se saber fazê-lo. Podemos dizer que o sujeito é indeterminado quando o verbo não se refere a uma pessoa determinada, ou por se desconhecer quem executa a acção ou por não haver interesse no seu conhecimento. Aparecerá a acção, mas não há como dizer quem a pratica ou praticou. Dizem que eles não vão bem.
  4. 4. há verbos que não têm sujeito, ou este é nulo. A língua desconhece a existência de sujeito de tais verbos. Uma oração é sem sujeito quando o verbo está na terceira pessoa do singular. Fechei a porta. Na oração, o predicado é a função sintáctica  desempenhada pelo verbo. O predicado identifica a acção ou aquilo que se enuncia acerca do sujeito.
  5. 5. é, portanto, o nome ou expressão equivalente que se associa a um verbo copulativo para lhe atribuir sentido. Os alunos são inteligentes. é um termo acessório da oração que se liga a um substantivo. Em Angola já se calaram as armas, sinal provável de paz. é um termo de natureza exclamativa, que tem como função chamar alguém ou alguma coisa personificada. “Venha cá, rapaz!”
  6. 6. é o adjectivo ou expressão equivalente que se associa a um nome ou expressão nominal para indicar uma característica ou qualidade do ser ou objecto designado por esse nome. Aquele homem alto e magro mora no meu prédio
  7. 7. constroem-se com um complemento directo.
  8. 8. constroem-se com os complementos directo e indirecto. O Miguel ofereceu uma prenda à Catarina. São os verbos que não precisam dos complementos directo e/ou indirecto. A Ana sorriu.
  9. 9. Indica o ser sobre o qual recai  directamente a acção expressa pelo verbo. O meu pai comprou um carro. Neste exemplo, está representado o sujeito  e um verbo para exprimir a acção atribuída ao sujeito (comprou). No entanto, o verbo revela-se insuficiente para caracterizar de forma clara a acção; daí a necessidade de introduzir um novo elemento (complemento directo) para identificar o objecto sobre o qual recai a acção.
  10. 10. Alguns verbos transitivos exigem a  presença de um complemento que identifique o ser sobre o qual se exerce indirectamente a acção expressa pelo verbo, isto é, o paciente da acção. O Miguel escreveu ao tio.
  11. 11. É o complemento introduzido pela preposição de, que acrescenta alguma indicação ao nome que o precede. O livro de Ciências tem imagens lindas. Designa uma circunstância ocasional da acção do verbo. de modo : Lê com atenção. de lugar: Nasceu em Lisboa. Vou para Paris. de fim: Trabalha para viver. de tempo: Chegou a casa ontem. de companhia: Vive com a família. de meio: Viaja de comboio. de causa: Caiu de fraqueza.

×