SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
Baixar para ler offline
Saúde Infantil
Módulo 1
Noções Básicas de Saúde
Para muitos povos e
civilizações antigas, a saúde
era influenciada por entidades
divinas.
Para várias tribos primitivas, a
doença consistia num problema
de alma que o feitiçeiro tratava
através de magia e da utilização de
plantas , sem ter em conta o corpo.
A Grécia Antiga constitui um período marcante pois está ligada a propostas
de libertação da medicina das suas influências mágico-religiosas.
Hipocrates, médico grego, defendeu que
as doenças não são causadas por
demónios ou por deuses, mas por causas
naturais que obedecem a leis também
naturais.
“ Alguns pacientes, embora conscientes
de que o seu estado de saúde é precário,
recuperam devido simplesmente ao seu
contentamento para com a humanidade
do médico”
Hipócrates
Este não se centrou apenas no paciente
e no seu ambiente, ele realçou ainda a
importância da relação médico-doente.
A partir do séc. XVI, a observação
do corpo humano, conseguida
através da dissecação de cadáveres,
permitiu ampliar os conhecimentos
de Anatomia e Fisiologia.
Descartes, concebeu o corpo humano como uma máquina,
comparando um homem doente a um relógio avariado e um
saudável a um relógio com um bom funcionamento (Visão
Mecanicista)
Curar a doença equivalia,
nesta perspectiva à reparação
da máquina.
O inicio da Revolução Industrial nos finais do séc. XVIII teve
consequências nefastas para a saúde.
Surgiram grandes epidemias causadoras de grande morbilidade e
mortalidade.
Grande quantidade de pessoas
migravam e aglomeravam-se nas
grandes cidades, com fracas
condições de salubridade e
habitabilidade, facilitadoras da
difusão de microorganismos
patogénicos.
No séc XIX, novos contributos da ciência permitiram ampliar os
conhecimentos sobre a origem das doenças.
Concluiu-se que para prevenir as doenças era necessário controlar os
agentes patogénicos.
Controlo da mobilidade
- Construção de sistemas de esgotos
- Distribuição de água potável
- Gestão das migrações
Destruição dos agentes
- Clorificação das águas de consumo
- Produção de vacinas
(já bem dentro do séc. XX)
Pasteur
Séc XIX
Responsável pela
descoberta da vacina contra
a Varíola
A partir de meados do séc. XX, encontrou-se nos antibióticos um
auxiliar eficaz na destruição dos microorganismos.
Alexander Fleming descobriu
fortuitamente os antibióticos
(Penicilina) nos anos 40.
Alexander Fleming
Penicillium notatum
Até então a saúde é concebida como sendo a ausência de doença e esta é
conceptualizada considerando exclusivamente as perturbações que se processam
na dimensão física da pessoa.
Por esta altura acreditava-se que os problemas de saúde estariam resolvidos. No
entanto, a partir de meados do séc.XX, surge nova epidemia, uma epidemia
comportamental.
“A vacina, agora, teria de ser a modificação do comportamento, tomando este
um sentido lato”
Aos aspectos físicos ou biológicos, foram sendo agregados os psicológicos e os
sociais, igualmente reconhecidos como causas de doença.
A doença começa a ser estudada numa perspectiva global (saúde social)
considerando quer o ambiente familiar, quer o meio onde as pessoas vivem e
trabalham.
.
Organização Mundial da Saúde ( OMS )
World Health Organization ( WHO )
Data de criação: 22 de Julho de 1946 / 7 de Abril de 1948
Objetivo:
Aquisição, por todos os povos, do nível de saúde
mais elevado que for possível
Sede: Genebra - Suíça
Endereço Internet: www.who.int/
Observações:
Pertence ao Sistema das Nações Unidas
É uma Instituição Especializada da ONU
Foi em 1946, que a OMS (Organização Mundial de Saúde), lançou uma
primeira definição de saúde:
“Saúde é um estado de completo bem-estar físico,
mental e social e não apenas a ausência de
doença ou enfermidade”
Esta constatação chama a atenção dos profissionais de saúde e da doença
para a importância de alterar o estilo de vida da população e de promover a
saúde – conceito de Saúde Pública.
Alterar o estilo de vida
A modificação de alguns comportamentos, tais como, deixar de fumar, cuidar
da alimentação, controlar o stress, praticar exercício ou actividade física
regularmente, dormir um número de horas adequado, verificar
periodicamente a saúde, permitiria reduzir drasticamente a mortalidade.
Promoção da saúde
Na definição adoptada na carta de Otawa (1986):
Processo de “capacitar” as pessoas para
aumentarem o controlo sobre a sua saúde
e para a melhorar.
Medidas
- vigilância médica e paramédica
- higiene do indivíduo e do meio
- medicina preventiva
- educação
A saúde passou a ser também um processo de cidadania.
Assim, todos os cidadãos têm direitos, mas são igualmente responsáveis pela
manutenção do seu estado de saúde.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

ORIGEM E EVOLUÇÃO DO CONSENTIMENTO INFORMADO NA PRÁTICA MÉDICA
ORIGEM E EVOLUÇÃO DO CONSENTIMENTO  INFORMADO NA PRÁTICA MÉDICAORIGEM E EVOLUÇÃO DO CONSENTIMENTO  INFORMADO NA PRÁTICA MÉDICA
ORIGEM E EVOLUÇÃO DO CONSENTIMENTO INFORMADO NA PRÁTICA MÉDICARilva Lopes de Sousa Muñoz
 
A RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE ATRAVÉS DOS TEMPOS
A RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE ATRAVÉS DOS TEMPOSA RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE ATRAVÉS DOS TEMPOS
A RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE ATRAVÉS DOS TEMPOSRilva Lopes de Sousa Muñoz
 
O processo saúde doença
O processo saúde doençaO processo saúde doença
O processo saúde doençaAmanda Ribeiro
 
Saúde e doença: um olhar antropológico
Saúde e doença: um olhar antropológicoSaúde e doença: um olhar antropológico
Saúde e doença: um olhar antropológicoFlávia Rodrigues
 
1ª aula introducao de-enfermagem
1ª aula introducao de-enfermagem1ª aula introducao de-enfermagem
1ª aula introducao de-enfermagemElter Alves
 
Biodireito & bioetica
Biodireito & bioeticaBiodireito & bioetica
Biodireito & bioeticaMilton Aldana
 
ASPECTOS BIOÉTICOS NOS CUIDADOS PALIATIVOS (EUTANÁSIA E DISTANÁSIA)
ASPECTOS BIOÉTICOS NOS CUIDADOS PALIATIVOS (EUTANÁSIA E DISTANÁSIA)ASPECTOS BIOÉTICOS NOS CUIDADOS PALIATIVOS (EUTANÁSIA E DISTANÁSIA)
ASPECTOS BIOÉTICOS NOS CUIDADOS PALIATIVOS (EUTANÁSIA E DISTANÁSIA)Fernanda Marinho
 
BIOÉTICA E SEUS PRINCÍPIOS
BIOÉTICA E SEUS PRINCÍPIOSBIOÉTICA E SEUS PRINCÍPIOS
BIOÉTICA E SEUS PRINCÍPIOSOyara Mello
 
Pesquisas em seres humanos
Pesquisas em seres humanosPesquisas em seres humanos
Pesquisas em seres humanosRicardo Brandão
 

Mais procurados (17)

ORIGEM E EVOLUÇÃO DO CONSENTIMENTO INFORMADO NA PRÁTICA MÉDICA
ORIGEM E EVOLUÇÃO DO CONSENTIMENTO  INFORMADO NA PRÁTICA MÉDICAORIGEM E EVOLUÇÃO DO CONSENTIMENTO  INFORMADO NA PRÁTICA MÉDICA
ORIGEM E EVOLUÇÃO DO CONSENTIMENTO INFORMADO NA PRÁTICA MÉDICA
 
Aula 2 saúde e doença
Aula 2   saúde e doençaAula 2   saúde e doença
Aula 2 saúde e doença
 
A RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE ATRAVÉS DOS TEMPOS
A RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE ATRAVÉS DOS TEMPOSA RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE ATRAVÉS DOS TEMPOS
A RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE ATRAVÉS DOS TEMPOS
 
O processo saúde doença
O processo saúde doençaO processo saúde doença
O processo saúde doença
 
Aula 01 O Hospital
Aula 01 O HospitalAula 01 O Hospital
Aula 01 O Hospital
 
Saúde e doença: um olhar antropológico
Saúde e doença: um olhar antropológicoSaúde e doença: um olhar antropológico
Saúde e doença: um olhar antropológico
 
1ª aula introducao de-enfermagem
1ª aula introducao de-enfermagem1ª aula introducao de-enfermagem
1ª aula introducao de-enfermagem
 
Bioetica_Saber cuidar_Ética da vida_LeonardoBoff
Bioetica_Saber cuidar_Ética da vida_LeonardoBoffBioetica_Saber cuidar_Ética da vida_LeonardoBoff
Bioetica_Saber cuidar_Ética da vida_LeonardoBoff
 
Livro bioetica
Livro   bioeticaLivro   bioetica
Livro bioetica
 
Bioética
BioéticaBioética
Bioética
 
Biodireito & bioetica
Biodireito & bioeticaBiodireito & bioetica
Biodireito & bioetica
 
Bioética - 3° ano médio
Bioética - 3° ano médioBioética - 3° ano médio
Bioética - 3° ano médio
 
Filosofia: Bioética
Filosofia: BioéticaFilosofia: Bioética
Filosofia: Bioética
 
ASPECTOS BIOÉTICOS NOS CUIDADOS PALIATIVOS (EUTANÁSIA E DISTANÁSIA)
ASPECTOS BIOÉTICOS NOS CUIDADOS PALIATIVOS (EUTANÁSIA E DISTANÁSIA)ASPECTOS BIOÉTICOS NOS CUIDADOS PALIATIVOS (EUTANÁSIA E DISTANÁSIA)
ASPECTOS BIOÉTICOS NOS CUIDADOS PALIATIVOS (EUTANÁSIA E DISTANÁSIA)
 
bioetica
 bioetica bioetica
bioetica
 
BIOÉTICA E SEUS PRINCÍPIOS
BIOÉTICA E SEUS PRINCÍPIOSBIOÉTICA E SEUS PRINCÍPIOS
BIOÉTICA E SEUS PRINCÍPIOS
 
Pesquisas em seres humanos
Pesquisas em seres humanosPesquisas em seres humanos
Pesquisas em seres humanos
 

Destaque

Saúde infantil funcionamento
Saúde infantil funcionamento Saúde infantil funcionamento
Saúde infantil funcionamento Gaby Veloso
 
saúde infantil 13 paginas suposto resumo :)
saúde infantil 13 paginas suposto resumo :)saúde infantil 13 paginas suposto resumo :)
saúde infantil 13 paginas suposto resumo :)Bruno Machado
 
Trabalho de saude infantil
Trabalho de saude infantilTrabalho de saude infantil
Trabalho de saude infantilMiriamSantos123
 
Desenvolvimento Estatura-Ponderal da Criança
Desenvolvimento Estatura-Ponderal da CriançaDesenvolvimento Estatura-Ponderal da Criança
Desenvolvimento Estatura-Ponderal da CriançaRui Alves
 
Catc3a1logo geral-03-2014
Catc3a1logo geral-03-2014Catc3a1logo geral-03-2014
Catc3a1logo geral-03-2014Maria Samax
 
U. 21 - Cuidados na Saúde Infantil - Sintomas de Doença
U. 21 - Cuidados na Saúde Infantil -  Sintomas de Doença U. 21 - Cuidados na Saúde Infantil -  Sintomas de Doença
U. 21 - Cuidados na Saúde Infantil - Sintomas de Doença I.Braz Slideshares
 

Destaque (9)

Prefeitos eleitos no estado de pernambuco
Prefeitos eleitos  no estado de pernambucoPrefeitos eleitos  no estado de pernambuco
Prefeitos eleitos no estado de pernambuco
 
Saúde infantil funcionamento
Saúde infantil funcionamento Saúde infantil funcionamento
Saúde infantil funcionamento
 
saúde infantil 13 paginas suposto resumo :)
saúde infantil 13 paginas suposto resumo :)saúde infantil 13 paginas suposto resumo :)
saúde infantil 13 paginas suposto resumo :)
 
Trabalho de saude infantil
Trabalho de saude infantilTrabalho de saude infantil
Trabalho de saude infantil
 
Desenvolvimento Estatura-Ponderal da Criança
Desenvolvimento Estatura-Ponderal da CriançaDesenvolvimento Estatura-Ponderal da Criança
Desenvolvimento Estatura-Ponderal da Criança
 
Catc3a1logo geral-03-2014
Catc3a1logo geral-03-2014Catc3a1logo geral-03-2014
Catc3a1logo geral-03-2014
 
Saúde Infantil
Saúde Infantil Saúde Infantil
Saúde Infantil
 
U. 21 - Cuidados na Saúde Infantil - Sintomas de Doença
U. 21 - Cuidados na Saúde Infantil -  Sintomas de Doença U. 21 - Cuidados na Saúde Infantil -  Sintomas de Doença
U. 21 - Cuidados na Saúde Infantil - Sintomas de Doença
 
História da psiquiatria aula 1
História da psiquiatria   aula 1História da psiquiatria   aula 1
História da psiquiatria aula 1
 

Semelhante a Saúde ao longo da história

1 - Conceitos de Saúde e Doença.pptx
1 - Conceitos de Saúde e Doença.pptx1 - Conceitos de Saúde e Doença.pptx
1 - Conceitos de Saúde e Doença.pptxFeridoZitoJonas
 
AULA 01 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptx
AULA 01 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptxAULA 01 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptx
AULA 01 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptxlucas106085
 
Determinantes sociais na saúde na doença e na intervenção
Determinantes sociais na saúde na doença e na intervençãoDeterminantes sociais na saúde na doença e na intervenção
Determinantes sociais na saúde na doença e na intervençãoCentro Universitário Ages
 
trabalhodebioetica-
trabalhodebioetica-trabalhodebioetica-
trabalhodebioetica-TobiasFim3
 
Aula 1 historia da epidemiologia
Aula 1   historia da epidemiologiaAula 1   historia da epidemiologia
Aula 1 historia da epidemiologiaRicardo Alexandre
 
1Antecedentes, pressupostos e princípios da promoção da.pptx
1Antecedentes, pressupostos e princípios da promoção da.pptx1Antecedentes, pressupostos e princípios da promoção da.pptx
1Antecedentes, pressupostos e princípios da promoção da.pptxdrykathay
 
Saude individual e comunitaria
Saude individual e comunitariaSaude individual e comunitaria
Saude individual e comunitariaRita Pereira
 
1193414125 trabalho de_saude
1193414125 trabalho de_saude1193414125 trabalho de_saude
1193414125 trabalho de_saudePelo Siro
 
Texto 1 introdução à psicologia da saúde
Texto 1 introdução à psicologia da saúdeTexto 1 introdução à psicologia da saúde
Texto 1 introdução à psicologia da saúdePsicologia_2015
 
slides da saude ambiental do curso de enfermagem
slides da saude ambiental do curso de enfermagemslides da saude ambiental do curso de enfermagem
slides da saude ambiental do curso de enfermagemMayaraGomes216833
 
Epidemiologia aula 1 e 2
Epidemiologia aula 1 e 2Epidemiologia aula 1 e 2
Epidemiologia aula 1 e 2Ohanna Nogueira
 
VIGIALNICIA EM SAUDE - HISTORIA.pptx
VIGIALNICIA EM SAUDE - HISTORIA.pptxVIGIALNICIA EM SAUDE - HISTORIA.pptx
VIGIALNICIA EM SAUDE - HISTORIA.pptxssuser51d27c1
 

Semelhante a Saúde ao longo da história (20)

1 - Conceitos de Saúde e Doença.pptx
1 - Conceitos de Saúde e Doença.pptx1 - Conceitos de Saúde e Doença.pptx
1 - Conceitos de Saúde e Doença.pptx
 
AULA 01 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptx
AULA 01 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptxAULA 01 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptx
AULA 01 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pptx
 
Promoção a Saúde
Promoção a Saúde Promoção a Saúde
Promoção a Saúde
 
Determinantes sociais na saúde na doença e na intervenção
Determinantes sociais na saúde na doença e na intervençãoDeterminantes sociais na saúde na doença e na intervenção
Determinantes sociais na saúde na doença e na intervenção
 
trabalhodebioetica-
trabalhodebioetica-trabalhodebioetica-
trabalhodebioetica-
 
Aula 1 historia da epidemiologia
Aula 1   historia da epidemiologiaAula 1   historia da epidemiologia
Aula 1 historia da epidemiologia
 
Introducao a-saude-publica-1
Introducao a-saude-publica-1Introducao a-saude-publica-1
Introducao a-saude-publica-1
 
1Antecedentes, pressupostos e princípios da promoção da.pptx
1Antecedentes, pressupostos e princípios da promoção da.pptx1Antecedentes, pressupostos e princípios da promoção da.pptx
1Antecedentes, pressupostos e princípios da promoção da.pptx
 
Edidemiologia: definição e história
Edidemiologia: definição e históriaEdidemiologia: definição e história
Edidemiologia: definição e história
 
Saude individual e comunitaria
Saude individual e comunitariaSaude individual e comunitaria
Saude individual e comunitaria
 
1193414125 trabalho de_saude
1193414125 trabalho de_saude1193414125 trabalho de_saude
1193414125 trabalho de_saude
 
Saude coletiva aula 1
Saude coletiva aula 1Saude coletiva aula 1
Saude coletiva aula 1
 
Texto história epidemiologia
Texto história epidemiologiaTexto história epidemiologia
Texto história epidemiologia
 
Texto 1 introdução à psicologia da saúde
Texto 1 introdução à psicologia da saúdeTexto 1 introdução à psicologia da saúde
Texto 1 introdução à psicologia da saúde
 
Historia da Epidemiologia
Historia da EpidemiologiaHistoria da Epidemiologia
Historia da Epidemiologia
 
slides da saude ambiental do curso de enfermagem
slides da saude ambiental do curso de enfermagemslides da saude ambiental do curso de enfermagem
slides da saude ambiental do curso de enfermagem
 
Epidemiologia aula 1 e 2
Epidemiologia aula 1 e 2Epidemiologia aula 1 e 2
Epidemiologia aula 1 e 2
 
VIGIALNICIA EM SAUDE - HISTORIA.pptx
VIGIALNICIA EM SAUDE - HISTORIA.pptxVIGIALNICIA EM SAUDE - HISTORIA.pptx
VIGIALNICIA EM SAUDE - HISTORIA.pptx
 
A cura pela natureza
A cura pela naturezaA cura pela natureza
A cura pela natureza
 
Bioetica e a fe crista
Bioetica e a fe cristaBioetica e a fe crista
Bioetica e a fe crista
 

Mais de Gaby Veloso

Poemas s. valentim love
Poemas s. valentim lovePoemas s. valentim love
Poemas s. valentim loveGaby Veloso
 
O espelho magico historia infantil
O espelho magico historia infantilO espelho magico historia infantil
O espelho magico historia infantilGaby Veloso
 
Feliz dia do pai!!!!
Feliz dia do pai!!!! Feliz dia do pai!!!!
Feliz dia do pai!!!! Gaby Veloso
 
Expresiones para el aula
Expresiones para el aula Expresiones para el aula
Expresiones para el aula Gaby Veloso
 
Conceitos introdutorios sobre internet
Conceitos introdutorios sobre internetConceitos introdutorios sobre internet
Conceitos introdutorios sobre internetGaby Veloso
 
Analise ulisses
Analise ulisses Analise ulisses
Analise ulisses Gaby Veloso
 
Bases morfofisiológicas da reprodução
Bases morfofisiológicas da reprodução  Bases morfofisiológicas da reprodução
Bases morfofisiológicas da reprodução Gaby Veloso
 
Ambientes de trabalho Tic
Ambientes de trabalho TicAmbientes de trabalho Tic
Ambientes de trabalho TicGaby Veloso
 
Alimentação saudável trabalho de saúde infantil
Alimentação saudável trabalho de saúde infantilAlimentação saudável trabalho de saúde infantil
Alimentação saudável trabalho de saúde infantilGaby Veloso
 

Mais de Gaby Veloso (11)

Poemas s. valentim love
Poemas s. valentim lovePoemas s. valentim love
Poemas s. valentim love
 
O espelho magico historia infantil
O espelho magico historia infantilO espelho magico historia infantil
O espelho magico historia infantil
 
Feliz dia do pai!!!!
Feliz dia do pai!!!! Feliz dia do pai!!!!
Feliz dia do pai!!!!
 
Expresiones para el aula
Expresiones para el aula Expresiones para el aula
Expresiones para el aula
 
Dia da mãe
Dia da mãe Dia da mãe
Dia da mãe
 
Conceitos introdutorios sobre internet
Conceitos introdutorios sobre internetConceitos introdutorios sobre internet
Conceitos introdutorios sobre internet
 
Analise ulisses
Analise ulisses Analise ulisses
Analise ulisses
 
Bases morfofisiológicas da reprodução
Bases morfofisiológicas da reprodução  Bases morfofisiológicas da reprodução
Bases morfofisiológicas da reprodução
 
Ambientes de trabalho Tic
Ambientes de trabalho TicAmbientes de trabalho Tic
Ambientes de trabalho Tic
 
Para meu amor
Para meu amorPara meu amor
Para meu amor
 
Alimentação saudável trabalho de saúde infantil
Alimentação saudável trabalho de saúde infantilAlimentação saudável trabalho de saúde infantil
Alimentação saudável trabalho de saúde infantil
 

Último

Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no textoMariaPauladeSouzaTur
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETODouglasVasconcelosMa
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 

Último (20)

Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no texto
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 

Saúde ao longo da história

  • 2. Para muitos povos e civilizações antigas, a saúde era influenciada por entidades divinas. Para várias tribos primitivas, a doença consistia num problema de alma que o feitiçeiro tratava através de magia e da utilização de plantas , sem ter em conta o corpo.
  • 3. A Grécia Antiga constitui um período marcante pois está ligada a propostas de libertação da medicina das suas influências mágico-religiosas. Hipocrates, médico grego, defendeu que as doenças não são causadas por demónios ou por deuses, mas por causas naturais que obedecem a leis também naturais. “ Alguns pacientes, embora conscientes de que o seu estado de saúde é precário, recuperam devido simplesmente ao seu contentamento para com a humanidade do médico” Hipócrates Este não se centrou apenas no paciente e no seu ambiente, ele realçou ainda a importância da relação médico-doente.
  • 4. A partir do séc. XVI, a observação do corpo humano, conseguida através da dissecação de cadáveres, permitiu ampliar os conhecimentos de Anatomia e Fisiologia. Descartes, concebeu o corpo humano como uma máquina, comparando um homem doente a um relógio avariado e um saudável a um relógio com um bom funcionamento (Visão Mecanicista) Curar a doença equivalia, nesta perspectiva à reparação da máquina.
  • 5. O inicio da Revolução Industrial nos finais do séc. XVIII teve consequências nefastas para a saúde. Surgiram grandes epidemias causadoras de grande morbilidade e mortalidade. Grande quantidade de pessoas migravam e aglomeravam-se nas grandes cidades, com fracas condições de salubridade e habitabilidade, facilitadoras da difusão de microorganismos patogénicos.
  • 6. No séc XIX, novos contributos da ciência permitiram ampliar os conhecimentos sobre a origem das doenças. Concluiu-se que para prevenir as doenças era necessário controlar os agentes patogénicos. Controlo da mobilidade - Construção de sistemas de esgotos - Distribuição de água potável - Gestão das migrações Destruição dos agentes - Clorificação das águas de consumo - Produção de vacinas (já bem dentro do séc. XX)
  • 7. Pasteur Séc XIX Responsável pela descoberta da vacina contra a Varíola
  • 8. A partir de meados do séc. XX, encontrou-se nos antibióticos um auxiliar eficaz na destruição dos microorganismos. Alexander Fleming descobriu fortuitamente os antibióticos (Penicilina) nos anos 40. Alexander Fleming Penicillium notatum
  • 9. Até então a saúde é concebida como sendo a ausência de doença e esta é conceptualizada considerando exclusivamente as perturbações que se processam na dimensão física da pessoa. Por esta altura acreditava-se que os problemas de saúde estariam resolvidos. No entanto, a partir de meados do séc.XX, surge nova epidemia, uma epidemia comportamental. “A vacina, agora, teria de ser a modificação do comportamento, tomando este um sentido lato” Aos aspectos físicos ou biológicos, foram sendo agregados os psicológicos e os sociais, igualmente reconhecidos como causas de doença. A doença começa a ser estudada numa perspectiva global (saúde social) considerando quer o ambiente familiar, quer o meio onde as pessoas vivem e trabalham.
  • 10. . Organização Mundial da Saúde ( OMS ) World Health Organization ( WHO ) Data de criação: 22 de Julho de 1946 / 7 de Abril de 1948 Objetivo: Aquisição, por todos os povos, do nível de saúde mais elevado que for possível Sede: Genebra - Suíça Endereço Internet: www.who.int/ Observações: Pertence ao Sistema das Nações Unidas É uma Instituição Especializada da ONU
  • 11. Foi em 1946, que a OMS (Organização Mundial de Saúde), lançou uma primeira definição de saúde: “Saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença ou enfermidade” Esta constatação chama a atenção dos profissionais de saúde e da doença para a importância de alterar o estilo de vida da população e de promover a saúde – conceito de Saúde Pública. Alterar o estilo de vida A modificação de alguns comportamentos, tais como, deixar de fumar, cuidar da alimentação, controlar o stress, praticar exercício ou actividade física regularmente, dormir um número de horas adequado, verificar periodicamente a saúde, permitiria reduzir drasticamente a mortalidade.
  • 12. Promoção da saúde Na definição adoptada na carta de Otawa (1986): Processo de “capacitar” as pessoas para aumentarem o controlo sobre a sua saúde e para a melhorar. Medidas - vigilância médica e paramédica - higiene do indivíduo e do meio - medicina preventiva - educação A saúde passou a ser também um processo de cidadania. Assim, todos os cidadãos têm direitos, mas são igualmente responsáveis pela manutenção do seu estado de saúde.