Império Turco-Otomano

620 visualizações

Publicada em

Trabalho elaborado por alunos do Colégio Pedro II - Realengo II. Turma 2308. Ano:2015

Publicada em: Educação
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
620
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Império Turco-Otomano

  1. 1. Pontos do Trabalho: • Queda do Império Turco Otomano • Genocídio Armênio • Reforma Kemalista
  2. 2.  Ele começou a nascer no século XI, quando tribos turcas nômades se fixaram na Anatólia, região que hoje é parte da Turquia. Tais tribos ajudaram a difundir a religião muçulmana em terras que até então estavam sob o domínio de outro império, o Bizantino.  Osman, ou Otman I (1258-1324), foi um chefe turco que transformou essas tribos nômades em uma dinastia imperial. Durante os séculos XV e XVI, o Império Otomano tornou-se um dos estados mais fortes do mundo, englobando boa parte do Oriente Médio, do Leste Europeu e do norte da África. Além do poderio militar, o que ajudou a garantir essa expansão foi a tolerância dos otomanos com as tradições e as religiões dos povos conquistados.
  3. 3. Guerras bizantino-otomanas  A expressão refere-se à uma série de conflitos entre os turcos otomanos e os bizantinos. O saldo final desses conflitos foi a destruição final do Império Bizantino e a ascensão do Império Turco Otomano.  O maior marco dessas Guerras foi a conquista de Constantinopla pelos Turcos. Esse fato pôs um ponto final à Era do Império Bizantino
  4. 4.  Diversos fatores levaram ao declínio do Império Turco Otomano. A ambição de conquistar toda a Europa custou caro ao Império, que após perder a Batalha de Viena, enfrentou sucessivas guerras que levaram à perda de grande parte do seu território, começando no final do século XVII e sendo totalmente derrubado somente no século XX.
  5. 5. Principais Conflitos disputados pelo Império Otomano  Batalha de Viena  Guerras Russo-Turcas  Guerra dos Balcãs  Guerra Turco-Armênia  Primeira Guerra Mundial
  6. 6.  A captura da cidade de Viena já vinha há muito sendo uma aspiração estratégica do Império Otomano, por ser o ponto de cruzamento das rotas de comércio do Danúbio (Mar Negro - Europa Ocidental) do sul da Europa e por terra (Mediterrâneo Oriental - Alemanha).  No verão de 1683, os 300.000 soldados do Império Otomano começaram o cerco a cidade de Viena. A queda da cidade teria aberto o caminho para conquistar a Europa.
  7. 7.  O Império Turco-Otomano foi derrotado pela Santa Liga (exército que era formado com o apoio do Papa), e com a derrota teve seu plano de expansão territorial frustrado e a partir desse momento, começou o declínio do Império.  Após a derrota na Batalha de Viena e as disputas territoriais logo após a Batalha contra países europeus que começavam a reconquistar seus territórios, os sultões otomanos começaram a perder o controle sobre as terras que ainda lhes restavam. Embora tentassem modernizar o império, suas reformas ocorreram em ritmo demasiadamente lento. No final do século XIX, o Império Otomano era conhecido como “o doente da Europa”.
  8. 8.  Os primeiros anos do período dos Jovens Turcos (1908-1918) constituíram a etapa mais democrática da história otomana. Organizaram-se vários partidos políticos, como o Partido da União e do Progresso, e a indústria e a agricultura receberam forte impulso. A primeira das Guerras dos Balcãs levou ao triunfo do setor mais autoritário do Partido da União e do Progresso, que impôs um triunvirato no governo, dirigido por Enver Paxá.
  9. 9.  Foi um conflito entre os anos de 1912 e 1913, que ocorreu na região da península balcânica. Foi a disputa entre Sérvia, Montenegro, Grécia, Romênia, Turquia e Bulgária pela posse dos territórios remanescentes do Império Otomano.  De uma lado, a Liga Balcânica formada por Grécia, Sérvia, Bulgária e Montenegro, reivindicava melhor tratamento aos cristãos na Macedônia turca, porém seu objetivo claro era a conquista territorial; de outro, estava a enfraquecida Turquia, que já estava em guerra com a Itália.  Em outubro de 1912 os exércitos da Liga capturaram toda a região do antigo Império Otomano, com exceção de Constantinopla, posteriormente foi assinado o Tratado de Londres, no qual o mapa dos bálcãs foi redesenhado.
  10. 10.  A guerra findou-se por um instante no Tratado de Bucareste (agosto de 1913), no qual Grécia e Sérvia dividiram a Macedônia, e a Romênia ganhou uma parte do território da Bulgária. A Guerra dos Bálcãs foi muito importante naquele contexto pois foi um elemento-chave para o desencadeamento da Primeira Guerra Mundial."
  11. 11.  "O período final do Império Otomano aconteceu durante a Segunda Era Constitucional do Império Otomano. Durante a Primeira Guerra Mundial, no qual fez parte do grupo aliado à Alemanha (Tríplice Aliança), na região do Oriente Médio, a batalha aconteceu entre as Forças Aliadas, formadas pela Grã Bretanha, França e Rússia e as Forças Centrais, formada basicamente pelo Império Otomano. O Império Otomano foi bem-sucedido no início da guerra. Os Aliados foram derrotados nas batalhas de Galipoli, Iraque e Bálcãs. No entanto, alguns territórios anteriormente perdidos foram reconquistados. A Revolução Russa também foi um fator favorável para a reconquista de territórios Otomanos, como Trabzon e Erzurum. As ofensivas incessantes dos ingleses mostraram-se decisivas e o Império Otomano acabou sendo derrotado em 1917."
  12. 12.  O sultão Mehmet V morreu em julho de 1918. Seu irmão Mehmet VI ascendeu ao poder em pleno colapso das potências centrais européias. A Turquia pediu o armistício, firmado em 30 de outubro do mesmo ano. O Tratado de Sèvres (10 de agosto de 1920) desmembrou o império e impôs uma ocupação temporária da Anatólia pelos aliados. Apenas Istambul e uma área do nordeste do país ficaram sob a administração do sultão. Enquanto isso, declarava-se a república independente da Armênia, impunha-se uma autonomia para o país curdo e a Grécia tomava a Esmirna e a Trácia."
  13. 13.  O Tratado de Sèvres determinou que o território turco englobava parte da Anatólia central e setentrional, estabeleceu zonas de influência francesa e italiana, autorizou a criação de uma Armênia independente e um Curdistão autônomo, internacionalizou a zona dos estreitos e deu à Grécia a Trácia e a região ao redor de Esmirna.
  14. 14.  Um general de prestígio, Mustafá Kemal, mais tarde chamado Atatürk (pai dos turcos), liderou um movimento de resistência nacionalista, que se negava a aceitar as condições impostas ao governo do sultão. Em abril de 1920, os nacionalistas turcos conseguiram reunir em Ankara uma Assembléia Nacional. O interior da Anatólia foi logo tomado por eles, e, em 1921, um tratado com a União Soviética fixou as fronteiras no Cáucaso. Depois disso, a população armênia foi sistematicamente exterminada.
  15. 15.  Atatürk soube reorganizar as forças nacionalistas, de tal maneira que os habitantes gregos, derrotados em batalhas sucessivas, tiveram que abandonar a Turquia européia e a região de Esmirna. Em novembro de 1922, o sultanato foi abolido. No ano seguinte, a Paz de Lausanne, aceita por todas as partes, consagrou as fronteiras turcas e a definitiva retirada das tropas de ocupação. Cerca de 1,3 milhão de gregos tiveram que abandonar o país, enquanto 400.000 turcos retornaram.  Em Julho 1923, os poderes reconheceram a independência turca. Em outubro, a República da Turquia foi proclamada. A nova república turca estabeleceu sua capital em Ankara.

×