Trabalho de histria

5.441 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.441
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
44
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho de histria

  1. 1. Colégio Santa Maria Resenha Crítica do Filme ‘Morte ao Rei’ Março – 2009
  2. 2. Colégio Santa Maria Resenha Crítica do Filme ‘Morte ao Rei’ Trabalho da área disciplinar Historia da professora Adriana Freitas, realizado pela 2º série do E.M pelos alunos Arícia Sartori nº4 Fernanda Seixas nº Gabriela Mendes nº16 Março – 2009
  3. 3. 1. Contexto Histórico juntamente com o que foi discutido em sala de aula. 1.1 Contextualização da Inglaterra. No século de XVII, a Inglaterra protagonizou um dos primeiros episódios que sinalizou a crise no Antigo Regime. No começo do filme, nos deparamos a mortos e feridos que se referem à Guerra dos Puritanos ou Revolução Inglesa, que marcou a história política Inglesa. Durante a dinastia Tudor, a economia Inglesa foi desenvolvida. No reinado de Elizabeth I fora criado o principio da propriedade privada, onde a participação do parlamento foi ressaltada e a burguesia foi fortalecida tornando-se um grupo mercantilista. A formação de monopólios comerciais e o desenvolvimento de lucrativas atividades fizeram com que parte da burguesia britânica enriquecesse rapidamente. Os pequenos comerciantes foram prejudicados. A burguesia que tinha privilégios era aquela que estava relacionada com as autoridades reais da época. Ela incentivou também a pratica corsária e investiu em navios. A sociedade daquela época era estática. No meio rural, a economia agrícola era voltada para o abastecimento e sofria grandes transformações. As terras passaram por um grande processo de especulação econômica. Institui-se também a política de cercamentos, com o objetivo de ‘ampliar a disponibilidade de matéria-prima por meio da apropriação das terras coletivas e devolutas’. Isso causou o empobrecimento de alguns setores da sociedade britânica e ao mesmo tempo a Inglaterra enriquecia a custa dessa exclusão. O contexto revolucionário se formava ao meio que a sociedade era dividida também as contendas religiosas entre os católicos e protestantes. Quando Elizabeth morre, começa uma nova dinastia. 1.2 Dinastia Stuart (1603). Essa nova dinastia está interessada em fixar bases mais sólidas ao absolutismo britânico e os monarcas dessa família acabaram por alimentar disputas de caráter econômico e religioso. Jaime assume o poder questionando o parlamento e implantando a monarquia do poder divino. Com essa explicação do poder divino é que Carlos I sobe ao poder. Carlos I (ou como mencionado no filme Charles I) toma decisões sem a consulta do parlamento (aumenta impostos), causando a revolta do parlamento, que se une com os puritanos, causando a Guerra dos Puritanos (defensores do rei, cavaleiros X membros do parlamento de visão liberal e burgueses protestantes, cabeças redondas). Os reis dessa dinastia queriam ampliar sua autoridade política. 1.3 Revolução Puritana. Essa fora a primeira etapa do processo revolucionário inglês. A divisão fundamental da sociedade inglesa que levou a guerra civil era de fundo econômico, pois o Parlamento era economicamente avançado e os realistas (aqueles que apoiavam o rei) residiam áreas semifeudais. Todas as grandes cidades eram Parlamentares, suas oligarquias privilegiadas sustentavam o rei.
  4. 4. Entre os cabeças redondas destacou-se Oliver Cromwell, que chefiou a cavalaria do exército do parlamento. As primeiras vitórias sobre os realistas foram em 1644, lideradas por Cromwell. Seu regimento fora organizado de forma democrática. Com essa liberdade de escolha, o exército do Parlamento era conhecido por ser imbatível e era chamado de ‘New model Army’. Com esse novo exercito surge um novo partido, caracterizado pela suas tendências democráticas eram chamados de ‘Levellers’. Estes defendiam a extinção da monarquia e defendiam a instalação da democracia. Com o auxilio de tudo o que tinha criado, os cabeças redondas vencem a guerra. Fairfax (General) e Cromwell exilam a família de Charles I e o confinam em casa (prisão domiciliar). Para oficializar seus desejos após terem ganhado a guerra, eles fazem uma petição que Fairfax vai entregá-la ao rei para lê-la. Para mostrar que não estava interessado, o rei rasga a petição o que irrita Fairfax. Charles vai a julgamento e é declarado culpado, o que causou a sua morte. Oliver proclama a república em 1649. 1.4 República de Cromwell (1649) Em seu governo, Cromwell fora sustentado pelo exercito, então, logo dominou o Parlamento e o Conselho de Estado (ocupando o lugar do rei). Em 1653, transformou-se em ditador vitalício e hereditário, recebendo o titulo de Lorde Protetor. Mas, seu novo governo não atendeu a reivindicações dos ‘Levellers’ e seu partido fora derrotado. Em sua república prevaleceu os interesses da burguesia, as estruturas feudais foram eliminadas e o livre desenvolvimento do capital foi favorecido. Os camponeses transformaram-se em mão-de-obra assalariada. Em 1651, fora estabelecido os ‘Atos de Navegação’ que estabeleceu que o transporte de mercadorias fosse realizado apenas em navios ingleses. Em 1658, Cromwell morre, e é sucedido por seu filho Richard (pouco aparece no filme), que governou por um curto período, pois o parlamento logo convocou Carlos II para assumir o trono em 1660. 1.5 Revolução Gloriosa (1688) A restauração no trono da Inglaterra dos Stuarts significou a afirmação do parlamento como principal força política da nação. Carlos II submeteu-se as limitações do parlamento, convivendo em harmonia com elas até o final de seu governo (1685). Seu sucessor era Jaime II que pretendeu restabelecer o catolicismo, contra os interesses da maioria protestante, desafiando o parlamento. Foi deposto por um golpe de estado durante a Revolução. A revolução Gloriosa é considerada a continuação da Puritana. A coroa fora entregue e Guilherme de Orange em 1689. O parlamento aprovou o rei e sancionou a ‘Declaração de Direitos’. Essa lei limitou a autoridade do monarca, deu garantias ao parlamento e assegurou os direitos civis e as liberdades individuais de todos os cidadãos ingleses.
  5. 5. 2. Impressões sobre o filme e estratégias utilizadas pelo diretor O grupo discutiu que o filme detalha muito bem a passagem da Revolução Inglesa (Puritana), pois inicia o filme retratando o término desta revolução até a revolução Gloriosa (que já não é retratada no filme). Essas duas guerras consolidaram o sistema monárquico-parlamentar vigente atualmente. A industrialização e o capitalismo que vivemos atualmente foram propiciados pelo predomínio da burguesia mercantil no Parlamento. A partir das discussões do nosso grupo, nós chegamos à conclusão que os trajes e as decorações formam um cenário propício da sociedade daquela época retratando sua riqueza. As relações de poder estão bastante marcadas no filme quando mostram a dominação de Fairfax e Oliver. O enredo é rico em detalhamentos quando mostra as casas grandes que os generais residiam (como Fairfax) e as roupas elegantes compondo um cenário rico o que mostra a riqueza parlamentar. Já para os defensores do rei, o cenário é composto de terras semifeudais mostrando que eles não eram tão ricos quanto os parlamentares (o que causou a Guerra Puritana). O grupo pode concluir que nossas impressões gerais sobre o filme são as de que a época citada no filme é um curto período (final da Guerra Puritana), nos mostrando as corrupções existentes na época e as competições entre próprios amigos (como mostrado nas ultimas cenas do filme quando Oliver deixa clara a presença de uma competição entre ele e Fairfax). A lealdade também é questionada nesse filme, pois seu envolvimento com as relações de poder claramente percebido. O contexto do filme é sobre uma época conturbada que delimitou a formação do Estado Inglês.

×