O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - César Abicalaffe

361 visualizações

Publicada em

O SUS completou 30 anos de existência com grandes desafios a enfrentar em face das aceleradas mudanças demográficas e epidemiológicas da população brasileira e das possibilidades abertas pela incorporação de novas tecnologias à medicina. Nesse contexto, se coloca a necessidade de repensar e redefinir padrões de coordenação entre as diferentes esferas de governo, relações entre os distintos atores públicos, privados, filantrópicos e não governamentais que atuam no setor, modelos de gestão e provimento dos serviços de saúde.

O objetivo deste seminário, que reunirá especialistas em políticas públicas e gestores, é identificar e discutir as mudanças necessárias a que o SUS ofereça respostas eficientes, eficazes e equitativas às demandas de saúde da população brasileira.

César Abicalaffe
CEO da 2iM Inteligência Médica S/A, é presidente do IBRAVS – Instituto Brasileiro de Valor em Saúde. Foi consultor da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) para o QUALISS em projeto comissionado pela OPAS (Organização Pan-Americana da Saúde). É autor do livro “Pagamento por Performance, o Desafio de Avaliar o Desempenho em Saúde no Brasil” (Editora DOC Content, 2015).

Publicada em: Saúde e medicina
  • Get HERE to Read PDF Format === http://zakuratest.com/B071KWMVBG-PAGAMENTO-POR-PERFORMANCE.html
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

O Futuro do SUS: Desafios e Mudanças Necessárias - César Abicalaffe

  1. 1. OS DESAFIOS DA TECNOLOGIA, VALOR E INFORMATIZAÇÃO Valor em Saúde Por: Dr. César Abicalaffe Agosto de 2019
  2. 2. Entendendo Valor em Saúde
  3. 3. HOSPITAL: Melhores desfechos entregues com a melhor margem possível FINACIADOR: Melhor qualidade entregue com o mais baixo custo possível INDÚSTRIA: Uso correto, no momento correto ao paciente correto para produzir os resultados esperados e vender a maior quantidade possível compartilhando o risco PACIENTE: Melhor qualidade de vida relacionada à saúde e satisfação com melhor acesso e o mais barato possível SOCIEDADE: Relação do Benefício pelo Esforço
  4. 4. Qualidade Custo Valor = Valor = (Relevância x Resultados) Desperdício Valor = QVRS x Satisfação Acesso x Preço Valor = Resultados CustoValor = Pertinência x Desfechos (PROMs/PREMs) Despercídio Valor = Desfechos (PROMs/PREMs) Eficiência (gastos + energia necessária)
  5. 5. Atenção
  6. 6. Variação da Qualidade
  7. 7. Aumento dos Custos
  8. 8. Paradigmas
  9. 9. Falso Conforto do Status Quo
  10. 10. Soma Zero
  11. 11. Volume e Complexidade
  12. 12. www.ib http://vbhcglobalassessment.eiu.com/wp-content/uploads/sites/27/2016/09/EIU_Medtronic_Findings- and-Methodology.pdf “While the rationale for implementing a VBHC model is strengthening, it requires a paradigm shift from a supply-driven model to a more patient-centred system. The VBHC model is very new and will require a complete re-thinking of decades-old policies and practices - which will not be easy and will take time”
  13. 13. Como Mudar?
  14. 14. Transparênci a
  15. 15. Compartilhar Riscos e Resultados
  16. 16. Pagar com base em Valor
  17. 17. Dr. César Abicalaffe – Copyright 2018 – 2iM S/A PAGAMENTO POR PERFORMANCE (P4P) PAGAMENTO POR EPISÓDIOS (BUNDLE) PAGAMENTO POR CAPITAÇÃO (CAPITATION) PAGAMENTO POR ORÇAMENTO GLOBAL AJUSTADO Sistema de Pagamento Retrospectivo Retrospectivo ou Prospectivo Prospectivo Prospectivo Recomendado Rede Prestadora, médicos cooperados e Profissionais contratados; Equipes de Saúde Linhas de Cuidado; Condições Clínicas e/ou Procedimento alta prevalência baixa variação Atenção Primária e algumas especialidades; ACOs Hospitais com histórico de alto volume Dificuldade de Implantação + ++++ ++ +++ Pontos Fortes Facilidade de implantação Competição por Valor Gestão Populacional Previsibilidade e Eficiência Pontos Fracos (sem VBP) Volume e complexidade Subtratamento; Seleção de Risco; Interoperabilidade Subtratamento e Seleção de Risco Subtratamento; Seleção de Risco; não promove concorrência Definir as necessidades totais do paciente internado e ambulatorial (em toda a linha de cuidado) para desenhar o Bundle Pagador deve ser consistente nos pagamentos e nas politicas entre os provedores e no tempo Monitorar compliance e fazer os pagamentos Gestão para acessar os dados, comparar performances e gerenciar prêmios e/ou penalidades Outras necessidades Necessidades Comuns Acesso aos dados para medir performance e desfechos; Financiador assume mais riscos Prestador assume mais riscos
  18. 18. Modelos de incentivos e/ou remuneração com base em Valor, compartilhando risco e resultados, e tornando estes resultados disponíveis (transparência) a todos
  19. 19. Desafios Estruturais
  20. 20. Dados
  21. 21. “The only way to improve the data is to start measuring data, even if it is bad. We need to start! ” Jim Vertrees Silver Spring, 2018
  22. 22. Benchmark s
  23. 23. Interopera bilidade
  24. 24. Jornada do Paciente
  25. 25. Medindo Errado
  26. 26. “The biggest problem with health care isn’t with insurance or politics. It’s that we’re measuring the wrong things the wrong way.” Robert S. Kaplan and Michael E. Porter
  27. 27. TEP Manutenção do Nível Funcional Habilidade de viver independentemente
  28. 28. Por onde começar
  29. 29. Modelo de Remuneração com base em Valor
  30. 30. Indicador composto único 0 a 100 considerando as dimensões da Qualidade Financiador: gasto dispendido Prestador: margem obtida (Margem de Contribuição ou TDABC) Valor = Índice de Qualidade $ FONTE: Modelo GPS.2iM @ ABICALAFFE, 2015
  31. 31. COPYRIGHT @ 2iM S/A 2019 - Dr. César Abicalaffe Conclusões Mensagens para levar para casa
  32. 32. Dr. César Abicalaffe – Copyright 2019 – 2iM S/A Primeiro Desafio: Entendendo o que é Valor e suas perspectivas Segundo Desafio: conhecendo os paradigmas que temos: Falso conforto do status quo, cultura do “soma zero” e o foco para volume e complexidade. Terceiro Desafio: como mudar isso: transparência, compartilhar riscos e resultados, mudar o modelo de pagamento. Quarto Desafio: Estruturais (dados, benchmarks, interoperabilidade e medir coisas erradas e do jeito errado) Por onde começar: reforma no modelo de remuneração
  33. 33. www.ib “The way to get started is to quit talking and begin doing” Walt Disney OBRIGADO ! cesar.abicalaffe@2im.com.br +55 41-999260806 Abicalaffe César Abicalaffe

×