Inovação - Um desafio para as médias empresas

1.424 visualizações

Publicada em

Síntese do Caderno de Ideias realizada pelo Núcleo Bradesco de Inovação da FDC que aborda o desafio da inovação e competitividade nas médias empresas brasileiras.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.424
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
61
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Inovação - Um desafio para as médias empresas

  1. 1. FE1204 Gestão Estratégica do SuprimentoInovação: um desafio para as médias empresas e o Impacto no Desempenho das Empresas BrasileirasSíntese do Caderno de Ideias CI 1204 “Inovação nas médias empresas Brasileiras – Um desafio para acompetitividade” com a coordenação dos professores Fabian Salum e Carlos Arruda e apoio técnico Luiza Grisoliae Raoni Pereira. (Núcleo Bradesco de Inovação) que essas companhias demonstram grande capacidadeIntrodução de adaptação frente às mudanças tecnológicas. Sendo assim, em períodos de instabilidade econômica, elas sãoA s organizações que vêm traçando, ao longo dos facilitadoras do processo de reestruturação, minimizando últimos anos, estratégias para se manterem impactos sobre as grandes empresas.competitivas, na perspectiva da perenidade de seus Nesse trabalho, a classificação adotada para asnegócios, já descobriram um dos principais paradigmas médias e média–grandes empresas brasileiras é apara ocuparem a liderança de seus mercados – a busca mesma considerada pelo BNDES (Banco Nacionalincessante da inovação. de Desenvolvimento e Econômico e Social), isto é,Para refletir sobre essa tendência, a FDC desenvolveu, uma empresa que se caracterize no setor industrial,ao longo dos últimos dois anos, uma pesquisa que teve comercial, de serviço e/ou agronegócio com receitacomo meta compreender e analisar a participação e operacional bruta anual maior que R$ 16 milhões e atérelevância da inovação na estratégia das empresas R$ 300 milhões. (Vide TAB. 1).brasileiras de médio porte. Desse modo, o presenteestudo tem como objetivo, além da disseminação de TABELA 1conhecimento, auxiliar empresas no desenvolvimento Porte das empresas segundo o faturamento anualestratégico da inovação como um dos seus possíveisdiferenciais competitivos. Porte Faturamento AnualEste trabalho está organizado em três partes. A primeira, Microempresa Até R$ 2,4 milhõesalém de descrever a definição de porte adotada Pequena Acima de R$ 2,4 milhões até R$ 16na pesquisa em questão, busca também mostrar a empresa milhõesimportância das médias empresas no cenário econômiconacional, enfatizando a relevância da inovação para Acima de R$ 16 milhões até R$ 90 Média empresao desenvolvimento dessas. A segunda faz uma breve milhõescaracterização da amostra e a terceira parte faz uma Empresa média- Acima de R$ 90 milhões até R$ 300análise descritiva dos dados coletados e conclui com grande milhõesuma ponderação do cenário traçado pela pesquisa, Grande empresa Acima de R$ 300 milhõesfrisando a importância do tema. Fonte: BNDES, 2011.Parte 1 Inovação nas médias empresasA importância das MPMEs A inovação está, hoje, fortemente ligada à estratégiaAs micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) empresarial, de modo que ela é um importante fatorbrasileiras exercem extrema relevância no atual cenário de alavancagem das empresas, conduzindo-as a umasocioeconômico brasileiro. É crescente o reconhecimento situação de destaque nos mercados. Desse modo,do papel desempenhado por essas organizações em a inovação constitui uma alternativa para médiaspromover crescimento econômico, geração de renda empresas se inserirem competitivamente num processoe emprego. Além disso, as MPMEs estão diretamente de demandas instáveis e diferenciadas. Entretanto, pararelacionadas à recuperação sustentável da economia no que a inovação torne-se realidade nas organizações,cenário global e regional. Isto acontece devido ao fato de é importante que a empresa estruture processos,
  2. 2. estratégias e gestão que venham a favorecer asatividades inovadoras.Nesse contexto, a inovação pode ser entendida comoalocação de recursos para exploração e desenvolvimentode novos produtos e processos que visem explorar novasoportunidades de mercado.Considerando o cenário brasileiro - foco deste trabalho- o investimento em inovação é ainda incipiente,principalmente nas empresas de menor porte. O tema“Inovação nas médias empresas” carece, ainda, deestudos abrangentes e sistemáticos. No entanto, é Gráfico 1: A inovação como parte integrante da estratégia dasevidente a relação entre crescimento econômico, empresasatividades inovadoras e o papel desempenhado pelas Fonte: Elaborado pelos autores, 2011.médias empresas. Nesse sentido, este documentopretende contribuir com a reflexão sobre o tema, a fimde suprir a lacuna de conhecimento existente e, dessa Práticas inovativas nas empresasmaneira, ajudar a entender como acontece a inovação As chamadas práticas inovativas das empresas sãonas médias empresas brasileiras. responsáveis por parte do sucesso de mercado das organizações. São elas a inovação em produtos, emParte 2 serviços, em processos, na gestão e na criação de novos modelos de negócios. Pode-se afirmar, conformeCaracterização da Amostra demonstrado no GRAF. 2, que as práticas dessas atividades nas organizações estão todas as presentes eForam aplicados, ao todo, 825 questionários, com oscilam entre 16,7% e 23,3%. Verifica-se ainda que elastaxa de retorno de 28,2%. Participaram da análise 233 não seguem um padrão e variam, proporcionalmente, derespondentes de 149 diferentes empresas distribuídas acordo com o setor e a estratégia empresarial.em quatro regiões do Brasil. A maior parte das empresasbrasileiras participantes da pesquisa (57,7%) localiza-se na região Sudeste. Em seguida, estão as empresasnordestinas (22,8% da amostra); as da região Sul (16,8%);e, por último, as da região Centro-Oeste (2,7%).Parte 3Análise Descritiva dos ResultadosA inovação como parte integrante daestratégia da empresa Gráfico 2: Presença de práticas inovativas nas empresasAo “olhar para dentro” de suas organizações, 153 Fonte: Elaborado pelos autores, 2011.respondentes (71,2%) acreditam que a inovaçãoaparece de forma evidente na ideologia da sua empresa, Em contrapartida, nota-se que as atividades descritas nosendo explicitada como um valor ou ainda claramente GRAF. 2 não são utilizadas de forma sistemática, poisidentificada na visão da empresa. Em contrapartida, elas não apresentam uma agenda parametrizada dentroconforme demonstrado no gráfico GRAF. 1, ao analisar a da rotina organizacional.concorrência, o “olhar para fora”, apenas 47 respondentes Mas não são apenas essas práticas que são consideradas(22,2%) afirmam que a inovação aparece de forma incipientes no que diz respeito às médias empresasevidente na estratégia de seus principais concorrentes. brasileiras. Atividades como pesquisa básica, pesquisaPor sua vez, 101 respondentes (47,6%) acreditam que aplicada, desenvolvimento experimental e nacionalização/em alguns concorrentes é evidente; 38 respondentes tropicalização de produtos, que estão diretamente(17,9%) afirmam que é evidente somente em poucos relacionadas à inovação, também são pouco praticadasconcorrentes e 26 respondentes (12,3%) responderam por essas organizações. Frente ao exposto, pode-seque não – ou seja, a inovação não aparece de forma concluir que o investimento em Inovação e P&D ainda éevidente na estratégia de seus concorrentes. pouco recorrente nas médias empresas brasileiras. Inovação: um desafio para as médias empresas 2
  3. 3. Indicadores de Controle às outras instituições pelo fato de que as empresas participantes da pesquisa pertencem ao banco deA maior parte das médias empresas brasileiras não utiliza empresas parceiras da FDC.indicadores de controle em seu planejamento para avaliara gestão da inovação, pesquisa e desenvolvimento. Dos Linhas de Fomento à Inovaçãoprincipais dirigentes das médias empresas brasileirasparticipantes da pesquisa, apenas 33,2% afirmaram Do universo de organizações pesquisadas, somenteutilizar algum tipo de indicador. 20,2% das médias empresas disseram fazer uso deDesse percentual (33,2%), os indicadores mais citados alguma lei ou programa de incentivo à inovação. Talforam, em sequência, número de novos produtos e resultado está compatível e proporcional com os dadosserviços (43,9% da amostra); percentual de faturamento obtidos pela pesquisa do Pintec-2008 do IBGE.(15,2%); número de pesquisas publicadas (12,1%); Ao se detalhar os motivos citados pelos participantestempo de lançamento (4,5%); e número de novas e que resultam na alta taxa (79,8%) de empresas quetecnologias adquiridas (3%). Outros indicadores foram não são usuárias de incentivos para inovar, constata-citados pelo restante dos participantes (21,3%), porém se que 48,9% dizem desconhecer o assunto; 22,7%individualmente. alegam falta de foco no assunto; 9,1% não têmUniversidades e Institutos de pesquisa percepção da necessidade; 5,7% tentaram, mas não tiveram aprovação de seus projetos; 5,7% afirmam serAs médias empresas brasileiras têm baixo teor de a burocracia o principal fator; e 4,5% dizem ser falta deenvolvimento com universidades e institutos de pesquisa cultura da empresa.e desenvolvimento, o que é uma prerrogativa à vantagemcompetitiva. Apenas 30,6% dos participantes da pesquisa As empresas que responderam “desconhecimento doafirmam ter parcerias com universidades e/ou institutos tema” e “falta de foco neste assunto” representam 71,6%de pesquisa, contra uma taxa esmagadora de 69,4% dos motivos para que as linhas de incentivo à inovaçãoque declaram não ter nenhum tipo de associação e/ou não sejam usadas. Esse dado é preocupante, uma vezparceria para a inovação no Brasil ou no exterior. que são diversas as linhas e os programas oferecidos pelos governos federal e estadual que podem atenderO GRAF. 3 demonstra que, em relação à minoria que grande parte dessas empresas.afirmou ter parcerias com universidades e/ou institutos depesquisa e desenvolvimento, as mais citadas foram: FDC,com 14,8%; USP e Unicamp, com 9,9%; Senai com 8,6%; Estratégias de InovaçãoUFSC, com 6,2% Ital; com 4,9% e UFPR com 3,7%. Traçar estratégias empresariais é de fundamental importância para a sobrevivência das empresas. Considerando que o desafio de inovar constantemente é o fator de maior relevância na economia mundial, a inovação deve estar inserida em todas as estratégias das organizações. Porém, menos de 50% dos respondentes enxergam claramente essa necessidade. Em média, 42,67% dos participantes afirmam que: •• a inovação está contemplada nos princípios eGráfico 3: Instituições que fazem parcerias com as médias valores estabelecidos em sua empresa;empresas brasileiras •• a inovação também ocupa um papel claro no projetoFonte: Elaborado pelos autores, 2011. empresarial;Muitas outras instituições foram citadas, porém •• a alta direção estimula nos colaboradores umaindividualmente. Juntas, correspondem a 42% da atitude voltada à inovação.amostra. Algumas delas foram: UFMG, Cefet, Unilavras,PUC-RS, FMRP, UFRGS, Ufscar, Unicid, ABC, UFB, Cultura OrganizacionalUFC, ITFPR, Nutec, UNB, UFV, Unicastelo, PUC-RJ,Cetec, UFS, University of South Hampton e Institutos Para que uma cultura de inovação se consolide, é dede Pesquisa na China. grande importância que o ambiente de trabalho seja propício e favorável à sua implantação, estando, desseAo analisar o GRAF. 3, deve-se levar em consideração modo, aberta a mudanças e a manifestações criativas.que a FDC deteve significativo destaque em relação FDC Executive 3
  4. 4. Contudo, é expressivo o número de gestores que Considerações finaisacreditam que a cultura organizacional inibe odesenvolvimento de atividades inovativas em empresas Ao fim dessa explanação, pode-se afirmar que umade médio porte. empresa dita inovadora é aquela capaz de mobilizar seus colaboradores no sentido de criarem novas rotinas eEm média, 38,4% dos respondentes acreditam que produtos que possam se tornar diferenciais e que tragamnunca ou raramente: ganho para a organização. Uma estrutura voltada para•• Os colaboradores mais inovadores são valorizados a inovação deve fomentar a cultura inovadora, além de quando surge uma oportunidade de promoção. desenvolver métodos de gestão que criem processos facilitadores, acompanhados de indicadores de gestão.•• Os funcionários têm autonomia para trabalhar ideias e projetos, próprios ou de colegas, que resultem em Diante desse cenário, os resultados obtidos por meio inovação. da pesquisa realizada pela Fundação Dom Cabral com as médias empresas brasileiras comprovam•• As inovações desenvolvidas pela empresa são o que outras pesquisas realizadas pela FDC sobre consequências, muitas vezes, de uma participação inovação vêm mostrando: as organizações brasileiras, ampla de colaboradores de diversas áreas da independentemente do porte, desconhecem o que empresa. é inovação e a sua importância no que tange à•• A empresa disponibiliza tempo e recursos para competitividade e sustentação do negócio. Os resultados a concepção e o desenvolvimento de projetos apresentados neste documento demonstram que ainda inovadores. há muito discurso e pouca ação nas empresas de médio porte quando o assunto é inovação.•• Nos programas de desenvolvimento dos colaboradores, as competências de inovação e empreendedorismo Considerando a relevância das médias empresas na têm papel de destaque. economia e também na cadeia produtiva das grandes empresas, torna-se necessário fazer com que a inovação adquira uma posição de destaque dentro da estratégiaParcerias para a Inovação e das metas organizacionais. É preciso encarar o temaA criação de parcerias, embora tenha o intuito de com uma nova percepção, tratando a inovação comofortalecer e fomentar a inovação, é muito pouco utilizada prioridade e também como opção para o crescimento.pelas médias empresas brasileiras. As empresas de médio porte pesquisadas não possuemAlianças estratégicas possibilitam a obtenção de novas uma direção clara da inovação em sua estratégiacompetências por meio da aprendizagem organizacional empresarial, sendo que a ausência do conhecimentoe construção da cooperação – aliança temporária com do papel da inovação pode ser apontada como principalconcorrentes, empresas ou clientes com tecnologias, motivo para esse baixo envolvimento. Um exemplo queprodutos ou serviços complementares –, criando massa explicita esse fato, na pesquisa, é a constatação dacrítica capaz de desafiar concorrentes e gerar novas seguinte contradição: ao mesmo tempo em que 71,2% dosoportunidades. Fica claro, porém, que esse grupo ainda participantes acreditam que a inovação aparece de formanão faz uso dessa estratégia. evidente na ideologia da sua empresa, um percentual também expressivo dos entrevistados – 48,9% – dizBarreiras à Inovação desconhecer programas de incentivo à Inovação. Isso corrobora a percepção de que, no Brasil, a criaçãoSão inúmeras as variáveis que afetam o potencial de uma cultura para inovação é essencial para que oinovador das empresas. Como etapa final deste trabalho, empresariado enxergue valor na inovação como formao instrumento de pesquisa buscou avaliar as barreiras de trazer ganhos competitivos para a empresa.mais significativas à inovação consideradas pelasmédias empresas. Existem grandes avanços a serem alcançados em relação à inovação. É preciso avançar no que tange a31,25% dos participantes consideram ser altas ou cultura, processos, parcerias etc. As empresas de médiograndes barreiras à Inovação: porte, se quiserem crescer, precisarão correr atrás de•• Cultura conservadora, sem espaço para inovar. uma gestão mais eficiente da inovação, fazendo com que essa questão se torne uma prioridade estratégica.•• Aversão ao risco. Essa será, sem dúvida, uma fórmula de sucesso para•• Falta de patrocínio para as ideias inovadoras. que elas deem o salto competitivo que tanto almejam e•• Cultura departamental hierarquizada e burocratizada. de que tanto precisam.O artigo, na íntegra, pode ser encontrado no site do Núcleo Bradesco de Inovação,www.fdc.org.br/pt/pesquisa/inovacao/Paginas/publicacoes.aspx Inovação: um desafio para as médias empresas 4

×