SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 10
Baixar para ler offline
 www.fdc.org.br 
Indicadores da Economia Brasileira:
Produção e Demanda Agregada
Observatório de Políticas Econômicas|2016
Material de responsabilidade do Observatório de Políticas Econômicas
Indicadores da Economia Brasileira:
Produção e Demanda Agregada
IR
 Quadro-Resumo
 Produto Interno Bruto
 PIB Agropecuário
 PIB Industrial
 PIB Serviços
 Demanda Agregada
 Demanda Interna
 Poupança Externa
Publicaçãocompletana NOTA DE CONJUNTURA BRASILEIRA,disponível em:
http://www.fdc.org.br/professoresepesquisa/nucleos/Paginas/centro-de-referencia.aspx?Nucleo=Estrat%C3%A9gia%20e%20Neg%C3%B3cios%20Internacionais&Info=Materiais&CR=33
IR
IR
IR
IR
IR
Material de responsabilidade do Observatório de Políticas Econômicas
Quadro-Resumo
(com relação ao período imediatamente anterior)
3º Trim. 2015 4º Trim. 2015
PIB A PREÇOS DE MERCADO -1,7% -1,4%
AGRICULTURA -3,0% 2,9%
INDÚSTRIA -1,9% -1,4%
SERVIÇOS -1,1% -1,4%
CONSUMO DAS FAMÍLIAS -1,5% -1,3%
CONSUMO DO GOVERNO 0,3% -2,9%
FORMAÇÃO BRUTA DE CAPITAL FIXO -4,4% -4,9%
EXPORTAÇÕES -2,4% -0,4%
IMPORTAÇÕES -7,2% -5,9%
VOLTAR
Material de responsabilidade do Observatório de Políticas Econômicas
156
158
160
162
164
166
168
170
172
174
176
178
2011.1
2011.2
2011.3
2011.4
2012.1
2012.2
2012.3
2012.4
2013.1
2013.2
2013.3
2013.4
2014.1
2014.2
2014.3
2014.4
2015.1
2015.2
2015.3
2015.4
PRODUTO INTERNO BRUTO
SÉRIE TRIMESTRAL (ÍNDICE: 2010 = 100)
 PIB TRIMESTRAL A PREÇOS DE
MERCADOO
 O quarto trimestre de 2015 consolidou
retração de 1,4% com relação ao trimestre
imediatamente anterior. Na ótica da oferta,
a Produção Industrial retraiu 1,4% com
relação ao trimestre imediatamente
anterior e a Produção de Serviços sofreu
queda de 1,4% no mesmo período, ao passo
que a Produção Agropecuária apresentou
expansão, crescendo 2,9% durante o quarto
trimestre de 2015 (com relação ao terceiro
trimestre do mesmo ano), conforme a
Tabela 1 mostra. Nos resultados da
Demanda agregada, pode-se notar que há
queda em todas as rubricas, sendo que as
mais expressivas são a retração de 5,9% na
Importações e o encolhimento da Formação
Bruta de Capital Fixo em 4,9%.
VOLTAR
Material de responsabilidade do Observatório de Políticas Econômicas
Evolução do Pib Agropecuário
(ÍNDICE: 2010 = 100)
150,00
160,00
170,00
180,00
190,00
200,00
210,00
2011.1
2011.2
2011.3
2011.4
2012.1
2012.2
2012.3
2012.4
2013.1
2013.2
2013.3
2013.4
2014.1
2014.2
2014.3
2014.4
2015.1
2015.2
2015.3
2015.4
 PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA
 O desempenho do setor agropecuário –
crescimento de 2,9% com relação ao
trimestre imediatamente anterior ¬– é
resultado da expansão das safras de
produtos cuja colheita ocorre no quarto
trimestre. Isto é, embora as lavouras de
trigo, laranja e mandioca tenham
apresentado queda na produção relativa em
2015, produtos como a cana-de-açúcar e
fumo que cresceram respectivamente 2,4%
e 1,2% com relação ao quarto trimestre de
2014, lideraram os bons resultados do
último trimestre de 2015.
VOLTAR
Material de responsabilidade do Observatório de Políticas Econômicas
Evolução do Pib Industrial
(ÍNDICE: 2010 = 100)
130
135
140
145
150
155
2011.1
2011.2
2011.3
2011.4
2012.1
2012.2
2012.3
2012.4
2013.1
2013.2
2013.3
2013.4
2014.1
2014.2
2014.3
2014.4
2015.1
2015.2
2015.3
2015.4
PIB Industrial
 PRODUÇÃO INDUSTRIAL
 No quatro trimestre de 2015 a Produção
Industrial apresentou sua quarta retração
consecutiva (-1,4% com relação ao terceiro
trimestre de 2015; -8,0% com relação ao
quarto trimestre de 2014). Explica-se esse
resultado negativo através da queda de
6,6% na produção da Indústria Extrativa
Mineral com relação ao terceiro trimestre
de 2015. Além disso, vale ressaltar que
apesar de a Indústria de Transformação ter
apresentado arrefecimento em seu
desempenho negativo com relação ao
terceiro trimestre de 2015, (recuo de 2,5%),
consolidou 12,0% de contração com relação
ao último trimestre de 2014. A produção
relativa na Construção Civil acelerou seu
processo de contração. O último fator que
contribuiu para o resultado da produção
Industrial aconteceu na produção de
Eletricidade e Gás, Água, Esgoto e Limpeza
Urbana no quarto trimestre de 2015, o qual
expandiu 1,4% com relação ao mesmo
período de 2014, mesmo a despeito da
contração de 4,3% com relação ao terceiro
trimestre de 2015.
VOLTAR
Material de responsabilidade do Observatório de Políticas Econômicas
Evolução do Pib Serviços
(ÍNDICE: 2010 = 100)
165
167
169
171
173
175
177
179
181
2011.1
2011.2
2011.3
2011.4
2012.1
2012.2
2012.3
2012.4
2013.1
2013.2
2013.3
2013.4
2014.1
2014.2
2014.3
2014.4
2015.1
2015.2
2015.3
2015.4
PIB de Serviços
 PRODUÇÃO DE SERVIÇOS
 No setor de Serviços, apenas as Atividades
Imobiliárias apresentaram crescimento no
quatro trimestre de 2015 com relação ao
trimestre imediatamente anterior (0,5%). Os
resultados das demais atividades foram de
retração ¬– a saber, de 2,6% no Comércio;
2,0% nos serviços de Administração, Saúde
e Educação Pública; 1,7% nos serviços de
Transporte, Armazenagem e Correio; 1,2%
em Outros Serviços; 0,9% em serviços de
Informação e, por fim, 0,2% nos serviços de
Intermediação Financeira e Seguros. Nesse
sentido, ao comparar o quarto trimestre de
2015 ao mesmo trimestre de 2014,
observou-se uma contração de 4,4%.
VOLTAR
Material de responsabilidade do Observatório de Políticas Econômicas
Evolução da Demanda Agregada
(ÍNDICE: 2010 = 100)
140
150
160
170
180
190
200
2011.1
2011.2
2011.3
2011.4
2012.1
2012.2
2012.3
2012.4
2013.1
2013.2
2013.3
2013.4
2014.1
2014.2
2014.3
2014.4
2015.1
2015.2
2015.3
2015.4
Consumo das Famílias Consumo do Governo
Formação Bruta de Capital Fixo
 DEMANDA INTERNA
 O Consumo das famílias apresentou recuo
de 1,3%. Esses resultados são advindos da
perda de confiança do consumidor sobre a
situação atual da economia e de suas
expectativas de perda no poder de compra.
 O Consumo do Governo contraiu 2,9% em
virtude dos cortes justificados pelo período
de ajuste fiscal.
 A Formação Bruta de Capital Fixo registrou
sua sétima retração consecutiva com
variação de – 4,9% no quarto trimestre de
2015 com relação ao trimestre
imediatamente anterior. A queda das
importações de bens de capital e a queda
na produção industrial na construção civil e
na indústria de transformação são os
principais fatores que geraram esse
resultado.
PRÓXIMO
Material de responsabilidade do Observatório de Políticas Econômicas
Evolução da Demanda Agregada (continuação)
(ÌNDICE: 2010 = 100)
220
230
240
250
260
270
280
290
300
2011.1
2011.2
2011.3
2011.4
2012.1
2012.2
2012.3
2012.4
2013.1
2013.2
2013.3
2013.4
2014.1
2014.2
2014.3
2014.4
2015.1
2015.2
2015.3
2015.4
Exportações Importações
 POUPANÇA EXTERNA
 Comparando o quarto trimestre de 2015 ao
trimestre imediatamente anterior, houve
expansão nas exportações (5,7%) e queda
nas importações de (1,2%). Esses resultados
estão dentro do esperado, dada a
depreciação cambial de 51% a.a. ao longo
de 2015.
VOLTAR
Material de responsabilidade do Observatório de Políticas Econômicas
 www.fdc.org.br 
Campus Aloysio Faria
Av. Princesa Diana, 760
Alphaville Lagoa dos Ingleses
34000-000 – Nova Lima (MG)
Campus Belo Horizonte
Rua Bernardo Guimarães, 3.071
Santo Agostinho
30140-083 – Belo Horizonte (MG)
Campus São Paulo
Av. Dr. Cardoso de Melo, 1.184
Vila Olímpia – 15º andar
04548-004 – São Paulo (SP)
Campus Rio de Janeiro
Av. Afranio de Melo Franco, 290
2º andar – Leblon
22430-060 – Rio de Janeiro (RJ)
atendimento@fdc.org.br
0800 941 9200
Associados em todo Brasil

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Indicadores da Economia Brasileira: Confiança e Expectativas 2016
Indicadores da Economia Brasileira: Confiança e Expectativas 2016Indicadores da Economia Brasileira: Confiança e Expectativas 2016
Indicadores da Economia Brasileira: Confiança e Expectativas 2016Fundação Dom Cabral - FDC
 
Indicadores da Economia Brasileira: Preços, Juros e Câmbio 2016
Indicadores da Economia Brasileira: Preços, Juros e Câmbio 2016Indicadores da Economia Brasileira: Preços, Juros e Câmbio 2016
Indicadores da Economia Brasileira: Preços, Juros e Câmbio 2016Fundação Dom Cabral - FDC
 
Indicadores da Economia Brasileira: Setor Público 2016
Indicadores da Economia Brasileira: Setor Público 2016Indicadores da Economia Brasileira: Setor Público 2016
Indicadores da Economia Brasileira: Setor Público 2016Fundação Dom Cabral - FDC
 
(Coffee & Dinner 2015 - Cecafé) Painel: Panorama Econômico Mundial
(Coffee & Dinner 2015 - Cecafé) Painel: Panorama Econômico Mundial(Coffee & Dinner 2015 - Cecafé) Painel: Panorama Econômico Mundial
(Coffee & Dinner 2015 - Cecafé) Painel: Panorama Econômico MundialLuiz Valeriano
 
Xvi análise ceplan março de 2014
Xvi análise ceplan   março de 2014Xvi análise ceplan   março de 2014
Xvi análise ceplan março de 2014Jamildo Melo
 
Análise da ceplan em dezembro de 2015
Análise da ceplan em dezembro de 2015Análise da ceplan em dezembro de 2015
Análise da ceplan em dezembro de 2015Anna Tiago
 
BRASIL E PERNAMBUCO : Cenários econômicos para 2016 e importância de iniciati...
BRASIL E PERNAMBUCO : Cenários econômicos para 2016 e importância de iniciati...BRASIL E PERNAMBUCO : Cenários econômicos para 2016 e importância de iniciati...
BRASIL E PERNAMBUCO : Cenários econômicos para 2016 e importância de iniciati...Elismar Rodrigues
 
Apresentação sobre feiras de negócios - Fecomércio
Apresentação sobre feiras de negócios - FecomércioApresentação sobre feiras de negócios - Fecomércio
Apresentação sobre feiras de negócios - FecomércioPortal NE10
 
Relatório de Análise Econômica dos Gastos Públicos Federais
Relatório de Análise Econômica dos Gastos Públicos FederaisRelatório de Análise Econômica dos Gastos Públicos Federais
Relatório de Análise Econômica dos Gastos Públicos FederaisMinistério da Economia
 
Veja de onde vem o dinheiro do INSS para pagar as nossas aposentadorias, auxí...
Veja de onde vem o dinheiro do INSS para pagar as nossas aposentadorias, auxí...Veja de onde vem o dinheiro do INSS para pagar as nossas aposentadorias, auxí...
Veja de onde vem o dinheiro do INSS para pagar as nossas aposentadorias, auxí...advogadoemidio
 

Mais procurados (20)

Indicadores da Economia Brasileira: Confiança e Expectativas 2016
Indicadores da Economia Brasileira: Confiança e Expectativas 2016Indicadores da Economia Brasileira: Confiança e Expectativas 2016
Indicadores da Economia Brasileira: Confiança e Expectativas 2016
 
Indicadores da Economia Brasileira: Preços, Juros e Câmbio 2016
Indicadores da Economia Brasileira: Preços, Juros e Câmbio 2016Indicadores da Economia Brasileira: Preços, Juros e Câmbio 2016
Indicadores da Economia Brasileira: Preços, Juros e Câmbio 2016
 
Indicadores da Economia Brasileira: Setor Público 2016
Indicadores da Economia Brasileira: Setor Público 2016Indicadores da Economia Brasileira: Setor Público 2016
Indicadores da Economia Brasileira: Setor Público 2016
 
Panorama Brasil/Argentina - Mai/2014
Panorama Brasil/Argentina - Mai/2014Panorama Brasil/Argentina - Mai/2014
Panorama Brasil/Argentina - Mai/2014
 
Contas governo 2011
Contas governo 2011Contas governo 2011
Contas governo 2011
 
Produto Interno Bruto do RGS - 2011
Produto Interno Bruto do RGS - 2011Produto Interno Bruto do RGS - 2011
Produto Interno Bruto do RGS - 2011
 
01. panorama comex mg jan2011
01. panorama comex mg jan201101. panorama comex mg jan2011
01. panorama comex mg jan2011
 
(Coffee & Dinner 2015 - Cecafé) Painel: Panorama Econômico Mundial
(Coffee & Dinner 2015 - Cecafé) Painel: Panorama Econômico Mundial(Coffee & Dinner 2015 - Cecafé) Painel: Panorama Econômico Mundial
(Coffee & Dinner 2015 - Cecafé) Painel: Panorama Econômico Mundial
 
Xvi análise ceplan março de 2014
Xvi análise ceplan   março de 2014Xvi análise ceplan   março de 2014
Xvi análise ceplan março de 2014
 
Análise da ceplan em dezembro de 2015
Análise da ceplan em dezembro de 2015Análise da ceplan em dezembro de 2015
Análise da ceplan em dezembro de 2015
 
BRASIL E PERNAMBUCO : Cenários econômicos para 2016 e importância de iniciati...
BRASIL E PERNAMBUCO : Cenários econômicos para 2016 e importância de iniciati...BRASIL E PERNAMBUCO : Cenários econômicos para 2016 e importância de iniciati...
BRASIL E PERNAMBUCO : Cenários econômicos para 2016 e importância de iniciati...
 
PIB TRIMESTRAL DO RS 4.° trimestre de 2015
PIB TRIMESTRAL DO RS 4.° trimestre de 2015PIB TRIMESTRAL DO RS 4.° trimestre de 2015
PIB TRIMESTRAL DO RS 4.° trimestre de 2015
 
Apresentação sobre feiras de negócios - Fecomércio
Apresentação sobre feiras de negócios - FecomércioApresentação sobre feiras de negócios - Fecomércio
Apresentação sobre feiras de negócios - Fecomércio
 
Panorama Brasil/Argentina - Novembro/2014
Panorama Brasil/Argentina - Novembro/2014Panorama Brasil/Argentina - Novembro/2014
Panorama Brasil/Argentina - Novembro/2014
 
Ajuste fiscal e recessão no Brasil em 2015 (Fernando Maccari Lara)
Ajuste fiscal e recessão no Brasil em 2015 (Fernando Maccari Lara)Ajuste fiscal e recessão no Brasil em 2015 (Fernando Maccari Lara)
Ajuste fiscal e recessão no Brasil em 2015 (Fernando Maccari Lara)
 
07. panorama comex mg jul2011
07. panorama comex mg jul201107. panorama comex mg jul2011
07. panorama comex mg jul2011
 
Relatório de Análise Econômica dos Gastos Públicos Federais
Relatório de Análise Econômica dos Gastos Públicos FederaisRelatório de Análise Econômica dos Gastos Públicos Federais
Relatório de Análise Econômica dos Gastos Públicos Federais
 
Veja de onde vem o dinheiro do INSS para pagar as nossas aposentadorias, auxí...
Veja de onde vem o dinheiro do INSS para pagar as nossas aposentadorias, auxí...Veja de onde vem o dinheiro do INSS para pagar as nossas aposentadorias, auxí...
Veja de onde vem o dinheiro do INSS para pagar as nossas aposentadorias, auxí...
 
XIII Análise Ceplan
XIII Análise CeplanXIII Análise Ceplan
XIII Análise Ceplan
 
Características da Economia Gaúcha
Características da Economia GaúchaCaracterísticas da Economia Gaúcha
Características da Economia Gaúcha
 

Destaque

新增文字文件
新增文字文件新增文字文件
新增文字文件guestfd20a89
 
Lição 05 - O Arrebatamento da Igreja
Lição 05 - O Arrebatamento da IgrejaLição 05 - O Arrebatamento da Igreja
Lição 05 - O Arrebatamento da IgrejaRegio Davis
 
Marroquí
MarroquíMarroquí
Marroquíjabando
 
poesía de tomás e iván
poesía de tomás e ivánpoesía de tomás e iván
poesía de tomás e ivánguest47e3d59
 
Sybil Attacks - MobiSys Seminar
Sybil Attacks - MobiSys SeminarSybil Attacks - MobiSys Seminar
Sybil Attacks - MobiSys SeminarNeal Lathia
 
Creative media project realisation
Creative media project realisationCreative media project realisation
Creative media project realisationChristian Hassell
 
How to Build a Culture of Analytics
How to Build a Culture of AnalyticsHow to Build a Culture of Analytics
How to Build a Culture of AnalyticsBadgeville, Inc.
 
Los niños los maestros y los números
Los niños los maestros y los númerosLos niños los maestros y los números
Los niños los maestros y los númerosadriana marrón
 

Destaque (10)

B50
B50B50
B50
 
新增文字文件
新增文字文件新增文字文件
新增文字文件
 
Lição 05 - O Arrebatamento da Igreja
Lição 05 - O Arrebatamento da IgrejaLição 05 - O Arrebatamento da Igreja
Lição 05 - O Arrebatamento da Igreja
 
Doc1
Doc1Doc1
Doc1
 
Marroquí
MarroquíMarroquí
Marroquí
 
poesía de tomás e iván
poesía de tomás e ivánpoesía de tomás e iván
poesía de tomás e iván
 
Sybil Attacks - MobiSys Seminar
Sybil Attacks - MobiSys SeminarSybil Attacks - MobiSys Seminar
Sybil Attacks - MobiSys Seminar
 
Creative media project realisation
Creative media project realisationCreative media project realisation
Creative media project realisation
 
How to Build a Culture of Analytics
How to Build a Culture of AnalyticsHow to Build a Culture of Analytics
How to Build a Culture of Analytics
 
Los niños los maestros y los números
Los niños los maestros y los númerosLos niños los maestros y los números
Los niños los maestros y los números
 

Semelhante a Indicadores da Economia Brasileira: Produção e Demanda Agregada

Boletim: Resultado Fiscal Estrutural 2015
Boletim: Resultado Fiscal Estrutural 2015Boletim: Resultado Fiscal Estrutural 2015
Boletim: Resultado Fiscal Estrutural 2015Ministério da Economia
 
A ECONOMIA EM ÉPOCA DE CRISE: Desafios e Propostas
A ECONOMIA EM ÉPOCA DE CRISE: Desafios e Propostas A ECONOMIA EM ÉPOCA DE CRISE: Desafios e Propostas
A ECONOMIA EM ÉPOCA DE CRISE: Desafios e Propostas eticademocracia
 
Indicador de Custos Industriais | Jan/Mar 2014 | Divulgação 05/06/2014
Indicador de Custos Industriais | Jan/Mar 2014 | Divulgação 05/06/2014Indicador de Custos Industriais | Jan/Mar 2014 | Divulgação 05/06/2014
Indicador de Custos Industriais | Jan/Mar 2014 | Divulgação 05/06/2014Confederação Nacional da Indústria
 
Informe Conjuntural | 1º trimestre de 2014 | Divulgação 11/04/2014
Informe Conjuntural | 1º trimestre de 2014 | Divulgação 11/04/2014Informe Conjuntural | 1º trimestre de 2014 | Divulgação 11/04/2014
Informe Conjuntural | 1º trimestre de 2014 | Divulgação 11/04/2014Confederação Nacional da Indústria
 
Análise do nível de atividade econômica no Brasil
Análise do nível de atividade econômica no BrasilAnálise do nível de atividade econômica no Brasil
Análise do nível de atividade econômica no Brasileconomiaufes
 
Coeficientes de Abertura Comercial | Janeiro/Março 2014 | Divulgação 16/05/2014
Coeficientes de Abertura Comercial | Janeiro/Março 2014 | Divulgação 16/05/2014Coeficientes de Abertura Comercial | Janeiro/Março 2014 | Divulgação 16/05/2014
Coeficientes de Abertura Comercial | Janeiro/Março 2014 | Divulgação 16/05/2014Confederação Nacional da Indústria
 
Informe Conjuntural | 2º trimestre de 2014 | Divulgação 24/07/2014
  Informe Conjuntural | 2º trimestre de 2014 | Divulgação 24/07/2014  Informe Conjuntural | 2º trimestre de 2014 | Divulgação 24/07/2014
Informe Conjuntural | 2º trimestre de 2014 | Divulgação 24/07/2014Confederação Nacional da Indústria
 
26112014 apimec 2014
26112014 apimec 201426112014 apimec 2014
26112014 apimec 2014Providência
 
Higiene Pessoal,Perfumaria e Cosméticos
Higiene Pessoal,Perfumaria e CosméticosHigiene Pessoal,Perfumaria e Cosméticos
Higiene Pessoal,Perfumaria e CosméticosMirtes Sousa
 
Fortaleza 2040 conjuntura do comercio
Fortaleza 2040 conjuntura do comercio Fortaleza 2040 conjuntura do comercio
Fortaleza 2040 conjuntura do comercio Alex Araujo
 
Apresentação do ministro Joaquim Levy na Câmara de Comércio Brasil França - 2...
Apresentação do ministro Joaquim Levy na Câmara de Comércio Brasil França - 2...Apresentação do ministro Joaquim Levy na Câmara de Comércio Brasil França - 2...
Apresentação do ministro Joaquim Levy na Câmara de Comércio Brasil França - 2...DenizecomZ
 
120703 conjunturaemfoco junho
120703 conjunturaemfoco junho120703 conjunturaemfoco junho
120703 conjunturaemfoco junhoLuis Nassif
 
Indicador de Custos Industriais | 1º Trimestre 2013 | Divulgação 06/06/2013
Indicador de Custos Industriais | 1º Trimestre 2013 | Divulgação 06/06/2013Indicador de Custos Industriais | 1º Trimestre 2013 | Divulgação 06/06/2013
Indicador de Custos Industriais | 1º Trimestre 2013 | Divulgação 06/06/2013Confederação Nacional da Indústria
 
RFB - Revista Fato Gerador - 10a. edição
RFB - Revista Fato Gerador - 10a. ediçãoRFB - Revista Fato Gerador - 10a. edição
RFB - Revista Fato Gerador - 10a. ediçãoJose Adriano Pinto
 

Semelhante a Indicadores da Economia Brasileira: Produção e Demanda Agregada (20)

PIB TRIMESTRAL RS 2° trim. 2015
PIB TRIMESTRAL RS 2° trim. 2015PIB TRIMESTRAL RS 2° trim. 2015
PIB TRIMESTRAL RS 2° trim. 2015
 
Boletim: Resultado Fiscal Estrutural 2015
Boletim: Resultado Fiscal Estrutural 2015Boletim: Resultado Fiscal Estrutural 2015
Boletim: Resultado Fiscal Estrutural 2015
 
A ECONOMIA EM ÉPOCA DE CRISE: Desafios e Propostas
A ECONOMIA EM ÉPOCA DE CRISE: Desafios e Propostas A ECONOMIA EM ÉPOCA DE CRISE: Desafios e Propostas
A ECONOMIA EM ÉPOCA DE CRISE: Desafios e Propostas
 
Indicador de Custos Industriais | Jan/Mar 2014 | Divulgação 05/06/2014
Indicador de Custos Industriais | Jan/Mar 2014 | Divulgação 05/06/2014Indicador de Custos Industriais | Jan/Mar 2014 | Divulgação 05/06/2014
Indicador de Custos Industriais | Jan/Mar 2014 | Divulgação 05/06/2014
 
Informe Conjuntural | 1º trimestre de 2014 | Divulgação 11/04/2014
Informe Conjuntural | 1º trimestre de 2014 | Divulgação 11/04/2014Informe Conjuntural | 1º trimestre de 2014 | Divulgação 11/04/2014
Informe Conjuntural | 1º trimestre de 2014 | Divulgação 11/04/2014
 
Análise do nível de atividade econômica no Brasil
Análise do nível de atividade econômica no BrasilAnálise do nível de atividade econômica no Brasil
Análise do nível de atividade econômica no Brasil
 
Seminário: Tributos do TRC - Palestra: Retomada do Crescimento Econômico sem ...
Seminário: Tributos do TRC - Palestra: Retomada do Crescimento Econômico sem ...Seminário: Tributos do TRC - Palestra: Retomada do Crescimento Econômico sem ...
Seminário: Tributos do TRC - Palestra: Retomada do Crescimento Econômico sem ...
 
Coeficientes de Abertura Comercial | Janeiro/Março 2014 | Divulgação 16/05/2014
Coeficientes de Abertura Comercial | Janeiro/Março 2014 | Divulgação 16/05/2014Coeficientes de Abertura Comercial | Janeiro/Março 2014 | Divulgação 16/05/2014
Coeficientes de Abertura Comercial | Janeiro/Março 2014 | Divulgação 16/05/2014
 
Brasil PIB 4 tri 2013
Brasil PIB 4 tri 2013Brasil PIB 4 tri 2013
Brasil PIB 4 tri 2013
 
Informe Conjuntural | 2º trimestre de 2014 | Divulgação 24/07/2014
  Informe Conjuntural | 2º trimestre de 2014 | Divulgação 24/07/2014  Informe Conjuntural | 2º trimestre de 2014 | Divulgação 24/07/2014
Informe Conjuntural | 2º trimestre de 2014 | Divulgação 24/07/2014
 
PIB TRIMESTRAL RS 3° trim. 2015
PIB TRIMESTRAL RS 3° trim. 2015PIB TRIMESTRAL RS 3° trim. 2015
PIB TRIMESTRAL RS 3° trim. 2015
 
Raio-x das Relações Bilaterais Brasil | China - Outubro
Raio-x das Relações Bilaterais Brasil | China - OutubroRaio-x das Relações Bilaterais Brasil | China - Outubro
Raio-x das Relações Bilaterais Brasil | China - Outubro
 
26112014 apimec 2014
26112014 apimec 201426112014 apimec 2014
26112014 apimec 2014
 
Higiene Pessoal,Perfumaria e Cosméticos
Higiene Pessoal,Perfumaria e CosméticosHigiene Pessoal,Perfumaria e Cosméticos
Higiene Pessoal,Perfumaria e Cosméticos
 
2019 panorama-s-m
2019 panorama-s-m2019 panorama-s-m
2019 panorama-s-m
 
Fortaleza 2040 conjuntura do comercio
Fortaleza 2040 conjuntura do comercio Fortaleza 2040 conjuntura do comercio
Fortaleza 2040 conjuntura do comercio
 
Apresentação do ministro Joaquim Levy na Câmara de Comércio Brasil França - 2...
Apresentação do ministro Joaquim Levy na Câmara de Comércio Brasil França - 2...Apresentação do ministro Joaquim Levy na Câmara de Comércio Brasil França - 2...
Apresentação do ministro Joaquim Levy na Câmara de Comércio Brasil França - 2...
 
120703 conjunturaemfoco junho
120703 conjunturaemfoco junho120703 conjunturaemfoco junho
120703 conjunturaemfoco junho
 
Indicador de Custos Industriais | 1º Trimestre 2013 | Divulgação 06/06/2013
Indicador de Custos Industriais | 1º Trimestre 2013 | Divulgação 06/06/2013Indicador de Custos Industriais | 1º Trimestre 2013 | Divulgação 06/06/2013
Indicador de Custos Industriais | 1º Trimestre 2013 | Divulgação 06/06/2013
 
RFB - Revista Fato Gerador - 10a. edição
RFB - Revista Fato Gerador - 10a. ediçãoRFB - Revista Fato Gerador - 10a. edição
RFB - Revista Fato Gerador - 10a. edição
 

Mais de Fundação Dom Cabral - FDC

Gestão Contemporânea de Marketing – um olhar pelos executivos no Brasil
Gestão Contemporânea de Marketing – um olhar pelos executivos no BrasilGestão Contemporânea de Marketing – um olhar pelos executivos no Brasil
Gestão Contemporânea de Marketing – um olhar pelos executivos no BrasilFundação Dom Cabral - FDC
 
Mindset de crescimento: como atuar em um mundo de incertezas?
Mindset de crescimento: como atuar em um mundo de incertezas?Mindset de crescimento: como atuar em um mundo de incertezas?
Mindset de crescimento: como atuar em um mundo de incertezas?Fundação Dom Cabral - FDC
 
Novos paradigmas que impactam pequenas e médias empresas
Novos paradigmas que impactam pequenas e médias empresasNovos paradigmas que impactam pequenas e médias empresas
Novos paradigmas que impactam pequenas e médias empresasFundação Dom Cabral - FDC
 
A representação da mulher na música popular brasileira
A representação da mulher na música popular brasileiraA representação da mulher na música popular brasileira
A representação da mulher na música popular brasileiraFundação Dom Cabral - FDC
 
Comércio internacional no século XXI: alternativas para o Brasil
Comércio internacional no século XXI:  alternativas para o BrasilComércio internacional no século XXI:  alternativas para o Brasil
Comércio internacional no século XXI: alternativas para o BrasilFundação Dom Cabral - FDC
 
Mulheres gestoras: potencialidades do feminino no processo de liderança
Mulheres gestoras: potencialidades do feminino no processo de liderançaMulheres gestoras: potencialidades do feminino no processo de liderança
Mulheres gestoras: potencialidades do feminino no processo de liderançaFundação Dom Cabral - FDC
 
Construindo uma organização de livre desempenho
Construindo uma organização de livre desempenhoConstruindo uma organização de livre desempenho
Construindo uma organização de livre desempenhoFundação Dom Cabral - FDC
 
Reclamação do consumidor: oportunidade para novos negócios
Reclamação do consumidor: oportunidade para novos negócios Reclamação do consumidor: oportunidade para novos negócios
Reclamação do consumidor: oportunidade para novos negócios Fundação Dom Cabral - FDC
 
Relatório Caminhos para a produtividade - Indústria 4.0
Relatório Caminhos para a produtividade - Indústria 4.0Relatório Caminhos para a produtividade - Indústria 4.0
Relatório Caminhos para a produtividade - Indústria 4.0Fundação Dom Cabral - FDC
 

Mais de Fundação Dom Cabral - FDC (20)

Gestão Contemporânea de Marketing – um olhar pelos executivos no Brasil
Gestão Contemporânea de Marketing – um olhar pelos executivos no BrasilGestão Contemporânea de Marketing – um olhar pelos executivos no Brasil
Gestão Contemporânea de Marketing – um olhar pelos executivos no Brasil
 
Revista Melhor: programa RH Triple A FDC
Revista Melhor: programa RH Triple A FDCRevista Melhor: programa RH Triple A FDC
Revista Melhor: programa RH Triple A FDC
 
Introdução ao estudo da liderança
Introdução ao estudo da liderançaIntrodução ao estudo da liderança
Introdução ao estudo da liderança
 
Da transformação à maturidade digital
Da transformação à maturidade digitalDa transformação à maturidade digital
Da transformação à maturidade digital
 
PILT FDC 2018
PILT FDC 2018PILT FDC 2018
PILT FDC 2018
 
Personality insights 2017
Personality insights 2017Personality insights 2017
Personality insights 2017
 
Mindset de crescimento: como atuar em um mundo de incertezas?
Mindset de crescimento: como atuar em um mundo de incertezas?Mindset de crescimento: como atuar em um mundo de incertezas?
Mindset de crescimento: como atuar em um mundo de incertezas?
 
Novos paradigmas que impactam pequenas e médias empresas
Novos paradigmas que impactam pequenas e médias empresasNovos paradigmas que impactam pequenas e médias empresas
Novos paradigmas que impactam pequenas e médias empresas
 
Governança e sustentabilidade
Governança e sustentabilidadeGovernança e sustentabilidade
Governança e sustentabilidade
 
A representação da mulher na música popular brasileira
A representação da mulher na música popular brasileiraA representação da mulher na música popular brasileira
A representação da mulher na música popular brasileira
 
Comércio internacional no século XXI: alternativas para o Brasil
Comércio internacional no século XXI:  alternativas para o BrasilComércio internacional no século XXI:  alternativas para o Brasil
Comércio internacional no século XXI: alternativas para o Brasil
 
Digitalização e Capital Humano - Pesquisa FDC
Digitalização e Capital Humano - Pesquisa FDCDigitalização e Capital Humano - Pesquisa FDC
Digitalização e Capital Humano - Pesquisa FDC
 
Nota trimestral de conjuntura
Nota trimestral de conjunturaNota trimestral de conjuntura
Nota trimestral de conjuntura
 
Mulheres gestoras: potencialidades do feminino no processo de liderança
Mulheres gestoras: potencialidades do feminino no processo de liderançaMulheres gestoras: potencialidades do feminino no processo de liderança
Mulheres gestoras: potencialidades do feminino no processo de liderança
 
Construindo uma organização de livre desempenho
Construindo uma organização de livre desempenhoConstruindo uma organização de livre desempenho
Construindo uma organização de livre desempenho
 
A era do consumo compartilhado
A era do consumo compartilhadoA era do consumo compartilhado
A era do consumo compartilhado
 
Os estímulos necessários para a inovação
Os estímulos necessários para a inovaçãoOs estímulos necessários para a inovação
Os estímulos necessários para a inovação
 
Reclamação do consumidor: oportunidade para novos negócios
Reclamação do consumidor: oportunidade para novos negócios Reclamação do consumidor: oportunidade para novos negócios
Reclamação do consumidor: oportunidade para novos negócios
 
Learning Journey - Schulich Canada
Learning Journey - Schulich CanadaLearning Journey - Schulich Canada
Learning Journey - Schulich Canada
 
Relatório Caminhos para a produtividade - Indústria 4.0
Relatório Caminhos para a produtividade - Indústria 4.0Relatório Caminhos para a produtividade - Indústria 4.0
Relatório Caminhos para a produtividade - Indústria 4.0
 

Indicadores da Economia Brasileira: Produção e Demanda Agregada

  • 1.  www.fdc.org.br  Indicadores da Economia Brasileira: Produção e Demanda Agregada Observatório de Políticas Econômicas|2016
  • 2. Material de responsabilidade do Observatório de Políticas Econômicas Indicadores da Economia Brasileira: Produção e Demanda Agregada IR  Quadro-Resumo  Produto Interno Bruto  PIB Agropecuário  PIB Industrial  PIB Serviços  Demanda Agregada  Demanda Interna  Poupança Externa Publicaçãocompletana NOTA DE CONJUNTURA BRASILEIRA,disponível em: http://www.fdc.org.br/professoresepesquisa/nucleos/Paginas/centro-de-referencia.aspx?Nucleo=Estrat%C3%A9gia%20e%20Neg%C3%B3cios%20Internacionais&Info=Materiais&CR=33 IR IR IR IR IR
  • 3. Material de responsabilidade do Observatório de Políticas Econômicas Quadro-Resumo (com relação ao período imediatamente anterior) 3º Trim. 2015 4º Trim. 2015 PIB A PREÇOS DE MERCADO -1,7% -1,4% AGRICULTURA -3,0% 2,9% INDÚSTRIA -1,9% -1,4% SERVIÇOS -1,1% -1,4% CONSUMO DAS FAMÍLIAS -1,5% -1,3% CONSUMO DO GOVERNO 0,3% -2,9% FORMAÇÃO BRUTA DE CAPITAL FIXO -4,4% -4,9% EXPORTAÇÕES -2,4% -0,4% IMPORTAÇÕES -7,2% -5,9% VOLTAR
  • 4. Material de responsabilidade do Observatório de Políticas Econômicas 156 158 160 162 164 166 168 170 172 174 176 178 2011.1 2011.2 2011.3 2011.4 2012.1 2012.2 2012.3 2012.4 2013.1 2013.2 2013.3 2013.4 2014.1 2014.2 2014.3 2014.4 2015.1 2015.2 2015.3 2015.4 PRODUTO INTERNO BRUTO SÉRIE TRIMESTRAL (ÍNDICE: 2010 = 100)  PIB TRIMESTRAL A PREÇOS DE MERCADOO  O quarto trimestre de 2015 consolidou retração de 1,4% com relação ao trimestre imediatamente anterior. Na ótica da oferta, a Produção Industrial retraiu 1,4% com relação ao trimestre imediatamente anterior e a Produção de Serviços sofreu queda de 1,4% no mesmo período, ao passo que a Produção Agropecuária apresentou expansão, crescendo 2,9% durante o quarto trimestre de 2015 (com relação ao terceiro trimestre do mesmo ano), conforme a Tabela 1 mostra. Nos resultados da Demanda agregada, pode-se notar que há queda em todas as rubricas, sendo que as mais expressivas são a retração de 5,9% na Importações e o encolhimento da Formação Bruta de Capital Fixo em 4,9%. VOLTAR
  • 5. Material de responsabilidade do Observatório de Políticas Econômicas Evolução do Pib Agropecuário (ÍNDICE: 2010 = 100) 150,00 160,00 170,00 180,00 190,00 200,00 210,00 2011.1 2011.2 2011.3 2011.4 2012.1 2012.2 2012.3 2012.4 2013.1 2013.2 2013.3 2013.4 2014.1 2014.2 2014.3 2014.4 2015.1 2015.2 2015.3 2015.4  PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA  O desempenho do setor agropecuário – crescimento de 2,9% com relação ao trimestre imediatamente anterior ¬– é resultado da expansão das safras de produtos cuja colheita ocorre no quarto trimestre. Isto é, embora as lavouras de trigo, laranja e mandioca tenham apresentado queda na produção relativa em 2015, produtos como a cana-de-açúcar e fumo que cresceram respectivamente 2,4% e 1,2% com relação ao quarto trimestre de 2014, lideraram os bons resultados do último trimestre de 2015. VOLTAR
  • 6. Material de responsabilidade do Observatório de Políticas Econômicas Evolução do Pib Industrial (ÍNDICE: 2010 = 100) 130 135 140 145 150 155 2011.1 2011.2 2011.3 2011.4 2012.1 2012.2 2012.3 2012.4 2013.1 2013.2 2013.3 2013.4 2014.1 2014.2 2014.3 2014.4 2015.1 2015.2 2015.3 2015.4 PIB Industrial  PRODUÇÃO INDUSTRIAL  No quatro trimestre de 2015 a Produção Industrial apresentou sua quarta retração consecutiva (-1,4% com relação ao terceiro trimestre de 2015; -8,0% com relação ao quarto trimestre de 2014). Explica-se esse resultado negativo através da queda de 6,6% na produção da Indústria Extrativa Mineral com relação ao terceiro trimestre de 2015. Além disso, vale ressaltar que apesar de a Indústria de Transformação ter apresentado arrefecimento em seu desempenho negativo com relação ao terceiro trimestre de 2015, (recuo de 2,5%), consolidou 12,0% de contração com relação ao último trimestre de 2014. A produção relativa na Construção Civil acelerou seu processo de contração. O último fator que contribuiu para o resultado da produção Industrial aconteceu na produção de Eletricidade e Gás, Água, Esgoto e Limpeza Urbana no quarto trimestre de 2015, o qual expandiu 1,4% com relação ao mesmo período de 2014, mesmo a despeito da contração de 4,3% com relação ao terceiro trimestre de 2015. VOLTAR
  • 7. Material de responsabilidade do Observatório de Políticas Econômicas Evolução do Pib Serviços (ÍNDICE: 2010 = 100) 165 167 169 171 173 175 177 179 181 2011.1 2011.2 2011.3 2011.4 2012.1 2012.2 2012.3 2012.4 2013.1 2013.2 2013.3 2013.4 2014.1 2014.2 2014.3 2014.4 2015.1 2015.2 2015.3 2015.4 PIB de Serviços  PRODUÇÃO DE SERVIÇOS  No setor de Serviços, apenas as Atividades Imobiliárias apresentaram crescimento no quatro trimestre de 2015 com relação ao trimestre imediatamente anterior (0,5%). Os resultados das demais atividades foram de retração ¬– a saber, de 2,6% no Comércio; 2,0% nos serviços de Administração, Saúde e Educação Pública; 1,7% nos serviços de Transporte, Armazenagem e Correio; 1,2% em Outros Serviços; 0,9% em serviços de Informação e, por fim, 0,2% nos serviços de Intermediação Financeira e Seguros. Nesse sentido, ao comparar o quarto trimestre de 2015 ao mesmo trimestre de 2014, observou-se uma contração de 4,4%. VOLTAR
  • 8. Material de responsabilidade do Observatório de Políticas Econômicas Evolução da Demanda Agregada (ÍNDICE: 2010 = 100) 140 150 160 170 180 190 200 2011.1 2011.2 2011.3 2011.4 2012.1 2012.2 2012.3 2012.4 2013.1 2013.2 2013.3 2013.4 2014.1 2014.2 2014.3 2014.4 2015.1 2015.2 2015.3 2015.4 Consumo das Famílias Consumo do Governo Formação Bruta de Capital Fixo  DEMANDA INTERNA  O Consumo das famílias apresentou recuo de 1,3%. Esses resultados são advindos da perda de confiança do consumidor sobre a situação atual da economia e de suas expectativas de perda no poder de compra.  O Consumo do Governo contraiu 2,9% em virtude dos cortes justificados pelo período de ajuste fiscal.  A Formação Bruta de Capital Fixo registrou sua sétima retração consecutiva com variação de – 4,9% no quarto trimestre de 2015 com relação ao trimestre imediatamente anterior. A queda das importações de bens de capital e a queda na produção industrial na construção civil e na indústria de transformação são os principais fatores que geraram esse resultado. PRÓXIMO
  • 9. Material de responsabilidade do Observatório de Políticas Econômicas Evolução da Demanda Agregada (continuação) (ÌNDICE: 2010 = 100) 220 230 240 250 260 270 280 290 300 2011.1 2011.2 2011.3 2011.4 2012.1 2012.2 2012.3 2012.4 2013.1 2013.2 2013.3 2013.4 2014.1 2014.2 2014.3 2014.4 2015.1 2015.2 2015.3 2015.4 Exportações Importações  POUPANÇA EXTERNA  Comparando o quarto trimestre de 2015 ao trimestre imediatamente anterior, houve expansão nas exportações (5,7%) e queda nas importações de (1,2%). Esses resultados estão dentro do esperado, dada a depreciação cambial de 51% a.a. ao longo de 2015. VOLTAR
  • 10. Material de responsabilidade do Observatório de Políticas Econômicas  www.fdc.org.br  Campus Aloysio Faria Av. Princesa Diana, 760 Alphaville Lagoa dos Ingleses 34000-000 – Nova Lima (MG) Campus Belo Horizonte Rua Bernardo Guimarães, 3.071 Santo Agostinho 30140-083 – Belo Horizonte (MG) Campus São Paulo Av. Dr. Cardoso de Melo, 1.184 Vila Olímpia – 15º andar 04548-004 – São Paulo (SP) Campus Rio de Janeiro Av. Afranio de Melo Franco, 290 2º andar – Leblon 22430-060 – Rio de Janeiro (RJ) atendimento@fdc.org.br 0800 941 9200 Associados em todo Brasil