Gestão Estratégica do Suprimento e o Impacto noCI1203    Desempenho das       Empresas BrasileirasINOVAÇÃODeterminantes do...
Os aspectos básicos para o novo CM se fazem                    Visão geral do modelonecessários através de uma nova visão ...
desaquecimento do PIB em 2011, é possível esperar mais medidas fiscais por parte do governo para tentar estimularo nível d...
explicado pelo fato de que tais investimentos aumentam        da declaração, por parte dos agentes econômicos dosa produti...
ConclusãoO objetivo deste artigo é a elaboração de um modelode simulação econométrica, com foco em investimentosprivados p...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Determinantes do investimento privado no Brasil: um novo contexto capacitante para o cash management

822 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
822
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Determinantes do investimento privado no Brasil: um novo contexto capacitante para o cash management

  1. 1. Gestão Estratégica do Suprimento e o Impacto noCI1203 Desempenho das Empresas BrasileirasINOVAÇÃODeterminantes do investimento privado no Brasil: um novo contextocapacitante para o Cash ManagementCarlos Alberto Arruda de Oliveira, Hugo Ferreira Braga Tadeu e Jersone Tasso Moreira Silva Introdução voltadas para a correta indicação de produtos financeiros às empresas de médio porte. Encargos básicos, como minimizar o risco financeiro, os custos operacionais e maximizar o retorno de caixa, devem ser uma dasA responsabilidades do CM, segundo López (2003), sendo volatilidade no ambiente econômico, bem como o oposto aos modelos operacionais da atualidade, cujona gestão das empresas vem provocando uma foco ainda permanece relacionado às avaliações de fluxonecessidade de mudanças graduais e responsabilidades de caixa, liquidez, gestão bancária, análises de riscos,no Cash Management (CM). Bort (2004) argumenta capacidade de pagamento e tecnologia de informaçãoque o CM está relacionado a questões burocráticas e associada.administrativas. No entanto, o comportamento econômico Para tanto, o CM deve ser um departamento nase as constantes recessões dos últimos anos vêm instituições bancárias com ampla responsabilidade efavorecendo a criação de um novo modelo relacionado conectado com outras áreas, gerando benefícios paraà obtenção de fundos e para estimular o crescimento os clientes, como mostra a FIG. 1.das organizações. Nesse caso, compete às instituiçõesbancárias um entendimento aprofundado da economiae sua dinâmica, para a inserção setorialde produtos financeiros, algo distante darealidade dessas instituições no momento.Recentes avanços nos modelos detecnologia da informação e a urgênciapor novos instrumentos financeiros, maispróximos da realidade das empresas, vêmfavorecendo o desenvolvimento do CMestratégico (FERNANDEZ, 2001).Segundo Iturralde, Maseda e SanJosé (2008), a literatura sugere quea terminologia de CM traz váriasconsiderações associadas com ogerenciamento de fluxo financeiro de curtoprazo, como o gerenciamento de liquidez,o bancário, o de déficits e superávits,dentre outros. Contudo, o conceito deverser visto de forma ampla, como seráexposto ao longo deste artigo. Figura 1: Gestão estratégica para o Cash ManagementRelacionar o CM ao desempenho econômico é algo Fonte : ITURR ALDE; MASE DA; SAN JOSE, 2008.novo, ainda mais com a busca por avaliações setoriais Adaptação.
  2. 2. Os aspectos básicos para o novo CM se fazem Visão geral do modelonecessários através de uma nova visão econômica, como planejamento de longo prazo se fazendo necessário,mas essencialmente segundo a cultura de gestão e dos O modelo de simulação proposto está direcionado parabenefícios percebidos, segundo Parker (2000). empresas de médio porte, dado o amplo conhecimentoDe acordo com San José, Iturralde, Maseda (2008), é das instituições bancárias para as grandes corporações.importante prover as instituições bancárias de uma visão Ele combina a utilização de uma série de dadosde CM com evidências empíricas, utilizando-se, para associados ao desempenho econômico, observando oisso, modelos de simulação. Os autores utilizaram esses comportamento das empresas, aspectos produtivos emodelos para avaliar os fatores associados ao CM e o crescimento.gerenciamento financeiro. Usualmente conhecido como Cash Management – CMDiversos estudos apontam a necessidade de –, esse departamento é o responsável pela alocação dedesenvolvimento de modelos de simulação, com a recursos para empresas com dificuldades financeiras,utilização de dados confiáveis, e de um aprofundamento sendo proposta uma nova abordagem conceitual parasobre as determinantes do investimento privado no as suas funções.Brasil, especialmente para o período da vigência doPlano Real até a data recente. Somente se torna Nas seções a seguir, são descritos os modelospossível a simulação em função dos avanços recentes relacionados ao CM e as equações de curto e longo prazodesses modelos e dos fundamentos macroeconômicos para o investimento privado na economia brasileira.nacionais. Como resultado, tem-se uma combinaçãointeressante de dados, modelos de simulação e análisespara a tomada de decisão.Nos últimos anos, diversas organizações vêm se Modelo de Simulaçãoesforçando para aplicar os modelos de simulaçãoem seus negócios, porém sem o foco voltado para a A presente seção mostra a importância da avaliaçãoavaliação econômica e setorial como um novo contexto econômica para a gestão das empresas no que secapacitante para o CM. refere ao CM. O modelo de simulação em questão tem por objetivo testar a hipótese de que as séries deEm alguns casos, para realizar estimativas de longo investimentos privado e governamental, PIB, taxasprazo, são utilizadas as técnicas da simulação de Monte de juros e de inflação, dentre outras, são integradas,Carlo, em função de um grande número de variáveis de permitindo assim modelar o comportamento de longodecisão e do risco associado às decisões. Esse é um prazo do investimento privado. O modelo de simulaçãoprocedimento relevante para realizar comparações em é uma ferramenta para se tentar, por exemplo, identificarrelação a períodos passados e de instabilidade para o se há um papel inibidor dos investimentos privadosinvestimento. Destaca-se também a possibilidade de se desempenhado pela instabilidade macroeconômica eincorporarem os resultados da simulação de Monte Carlo pelos investimentos governamentais.às decisões estratégicas, bem como análises qualitativasrealizadas, para a estimativa de variáveis confiáveis. É amplamente reconhecido o papel fundamental da formação de capital no crescimento econômicoAlguns questionamentos podem ser levantados pelos sustentável. No Brasil e em diversos países emgestores das instituições bancárias. Considerando-se o desenvolvimento, entretanto, a taxa de investimentomodelo novo Cash Management, tem-se: reduziu-se até meados dos anos 1990, fato resultante I. Quais são os principais direcionadores para principalmente da crise do endividamento externo e do avaliar a economia nacional? descontrole inflacionário. A formação bruta de capital fixo em relação ao PIB brasileiro, medida a preços II. Quais os principais fatores considerados para a constantes, caiu de uma média de 23,3%, nos anos realização de investimentos? 1970, para 18,5%, nos anos 1980, e 15,2%, no período III. Qual o novo contexto capacitante para o cash 1990-1995 (IPEA, 2011). management em função dos itens I e II? Para o ano de 1998, a economia brasileira sentiu os impactos da chamada crise da Ásia e, em 2008, ocorreuTais respostas podem ser obtidas com o entendimento a grande crise financeira internacional. A FIG. 2 mostracorreto da economia, assim como no uso de ferramentas a evolução do PIB no período compreendido entre 1985adequadas que auxiliam no processo de tomada de e 2011, em função da gestão governamental. Devido aodecisão. Caderno de Ideias - Nova Lima - 2012 - CI 1203 2
  3. 3. desaquecimento do PIB em 2011, é possível esperar mais medidas fiscais por parte do governo para tentar estimularo nível de atividade, especialmente relacionadas ao avanço do crédito nessa conjuntura doméstica em 2012.Figura 2: Evolução do PIBFonte: IPEA, 2011. Adaptação.O estudo do comportamento do investimento equações para investimento em nível, dado queespecificamente do setor privado advém do fato de refletem as condições de demanda da economiaser essa uma variável tipicamente endógena e da e que são usadas para captar o efeito aceleradorconsideração de que a adoção de reformas econômicas do investimento e de possíveis ciclos econômicos.orientadas para o mercado conduzirá ao aumento da Economias tipicamente pró-cíclicas, como são asimportância relativa dos investimentos privados na economias em países em desenvolvimento, tendemformação de capital agregado. Dimensões particularmente a apresentar forte correlação entre os investimentosrelevantes do problema são a mensuração do efeito privados e as variáveis de demanda.da instabilidade macroeconômica sobre o nível de Para medir os impactos dos investimentos públicos sobreinvestimento do setor privado e a determinação do tipo os investimentos privados, utilizam-se os investimentosde relacionamento existente entre o investimento público públicos de forma desagregada, separando-os entree o investimento privado. investimentos públicos em infraestrutura e aquelesPara explicar o investimento privado, foram escolhidos que não são em infraestrutura. Consideram-se comocomo dados: o PIB, a utilização de capacidade investimentos públicos em infraestrutura aqueles feitosindustrial, os investimentos públicos em infraestrutura, em energia elétrica, telecomunicações e transportes.os investimentos públicos nas demais áreas que não Todos os demais investimentos públicos são consideradosinfraestrutura, o juro real, o preço relativo dos bens de como não infraestrutura. É fundamental verificar se hácapital, a inflação, uma proxy para disponibilidade de evidência empírica do efeito teórico crowding-in doscrédito e a carga tributária, respeitando-se diversos investimentos públicos em infraestrutura sobre osestudos recentes conduzidos por escolas como Stanford, investimentos privados no Brasil e se, de modo contrário,Ohio University, PUC Rio e Fundação Dom Cabral. ocorre o esperado efeito crowding-out.O PIB e a utilização de capacidade industrial são O possível efeito crowding-in do investimento público emdados comumente usados em especificações de infraestrutura sobre o investimento privado é teoricamente Caderno de Ideias - Nova Lima - 2012 - CI 1203 3
  4. 4. explicado pelo fato de que tais investimentos aumentam da declaração, por parte dos agentes econômicos dosa produtividade do capital a ser futuramente investido setores público e privado, de que o peso excessivo dae poupam aos investidores privados investimentos carga tributária brasileira é um dos principais motivosadicionais que outrora eles obrigatoriamente teriam que para desestimular os investimentos privados.fazer nessas áreas. Já o crowding-out dos investimentospúblicos que não são em infraestrutura sobre osinvestimentos privados é teoricamente explicado pelacompetição entre eles por recursos escassos disponíveispara investimento. Modelo GenéricoA variável frequentemente utilizada para explicar Propõe-se o seguinte modelo conceitual parainvestimentos privados é o juro real, primeira proxy investimentos privados, conforme a FIG. 3:teórica do custo de oportunidade do capital. Isso justificaa sua escolha como variável pré-candidata para compora forma funcional final.O preço relativo dos bens de capital também é umavariável fundamental nas decisões de investimento, porafetar diretamente o custo de oportunidade do capital. Elepode capturar efeitos de pouca concorrência na indústriade bens de capital que resultem em um aumento dospreços desses bens acima do aumento de preços do Figura 3: Modelo Genéricorestante da economia, o que geraria impacto negativo Fonte: Elaborado pelos autores.nos investimentos.A inflação é uma variável tipicamente usada como A partir da FIG. 3, estima-se que o investimento privadoproxy de incertezas em economias de países em apresenta ou não um crescimento, de acordo com asdesenvolvimento. Essa variável foi incluída no variáveis explicativas apresentadas.estudo de Rodrigues Júnior (1998) para capturar Espera-se que o aumento do PIB gere um aumentoo impacto sobre os investimentos da estabilidade dos investimentos privados, pois mais produção requermacroeconômica do Brasil. mais investimento. O efeito da taxa de juros é negativoUma variável proxy para a disponibilidade de crédito na e reflete o impacto adverso do custo de utilização doeconomia também costuma ser utilizada em estudos capital sobre as decisões de investir. Utilizada comosobre investimentos, especialmente em países em proxy da incerteza e instabilidade, espera-se que adesenvolvimento, onde o acesso ao crédito de muitos elevação da taxa de inflação deprima os investimentosagentes é limitado. A obtenção ou não da concessão do setor privado; a hipótese implícita aqui é de quede crédito é, em muitos projetos, um ponto-chave para a instabilidade aumenta o preço da espera por novaque o mesmo possa efetivamente ser levado à frente ou informação e aumenta o risco empresarial.não. Dessa forma, o nível de escassez de crédito deve A relação entre as variáveis investimento privado etambém estar considerado através de alguma medida investimento público é ambígua, porque pode predominarcomo variável ao estudo. Neste artigo, considera-se o tanto o crowding-in como o crowding-out entre as duasvolume de desembolsos anuais do BNDES como proxy formas de investimento. Dessa forma, argumenta-se,no Brasil da disponibilidade de crédito. existe a necessidade de um novo posicionamentoA carga tributária total (em percentagem do PIB) para o Cash Management, outrora um departamentodeve ser usada como possível variável explicativa de operacional e focado em gestão de caixa, como um novoinvestimentos privados. Poucos trabalhos empíricos modelo estratégico e inovador, com uma nova visão daa utilizam, mas é possível que ela seja relevante no economia e inserção de novos produtos financeiros decaso brasileiro, principalmente nos últimos anos, em acordo com as demandas empresariais, em destaqueque a carga tributária cresceu de forma significativa. A as médias empresas.motivação para o uso dessa variável se dá em função Caderno de Ideias - Nova Lima - 2012 - CI 1203 4
  5. 5. ConclusãoO objetivo deste artigo é a elaboração de um modelode simulação econométrica, com foco em investimentosprivados para as médias empresas, em função dasreais possibilidades de crescimento econômico paraos próximos anos. A análise da literatura sobre o temaconcluiu que esse tipo de estudo não vem sendorealizado pelo setor financeiro, com foco somente nasgrandes empresas e na gestão de caixa.As análises realizadas não identificaram tambémestudos que conduzam a modelos econométricos eque indiquem o desempenho setorial, ainda mais parao setor financeiro e a inserção de produtos ou serviços.Em função dessas análises, torna-se fundamental que olevantamento de dados seja realizado, para a simulaçãoprática dos modelos propostos.Conclui-se que os determinantes para o investimentoprivado no Brasil, além de estarem associados aodesempenho econômico, dependem do comportamentosetorial. Partindo dessa perspectiva, percebe-se quenovos estudos precisam ser desenvolvidos para acompreensão dos segmentos mais representativospara a economia nacional e a busca por inovaçõesfinanceiras. ReferênciasBORT, R. Corporate cash management handbook. NewYork: Warren Gorham and Lamont, RIA Group, 2004.FERNANDEZ, A. Las nuevas tecnologías: unaherramienta de gestión financiera. Actualidad Financiera,v. 10, n. 6, p. 35-51, Oct. 2001.ITURRALDE, T.; MASEDA, A.; SAN JOSÉ, L. Thecash management routines: evidence from Spain case.Frontiers in Finance and Economics, 2008.LÓPEZ, F. J. Manual de cash management. Cómoobtener beneficios manejando mejor su dinero. 4. ed.Bilbao: Deusto, 2003.PEREIRA, R. Investment and uncertainty in quadraticadjustment cost model: Evidence from Brazil. Texto paradiscussão n. 663. IPEA – Instituto de Pesquisa EconômicaAplicada, 1999. p. 1-29. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/pub/td/td/td_605.pdf>. Acessoem: 13 fev. 2012. Caderno de Ideias - Nova Lima - 2012 - CI 1203 5

×