Mobilização de Recursos, por Instituto Fonte e Fundação Abrinq

711 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Mobilização de Recursos, por Instituto Fonte e Fundação Abrinq

  1. 1. Uma conversa sobre boas práticas De mobilização de recursos.... Quem quer contar?
  2. 2. Do que precisamos cuidar para sustentar nossos projetos no mundo?
  3. 3. Sustentabilidade ......... O que é um projeto/organização sustentável? Quem arrisca....??
  4. 4. A busca da sustentabilidade envolve 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. Conhecer mais a si Compreender melhor o contexto Fortalecer sua identidade Abrir-se ao diálogo Planejar as ações Praticar a mobilização Aprender com as experiências
  5. 5. Sustentabilidade política X (e) sustentabilidade financeira = Equilíbrio
  6. 6. Pensando a sustentabilidade financeira Mobilizar recursos não é uma ação isolada, mas sim parte essencial da sustentabilidade integral de uma organização. É um processo contínuo que nasce de uma relação saudável com seus interessados, de modo a construir consciência de seu trabalho junto às fontes de recursos que a provêm e à sociedade em geral, para que nutram e participem de seu trabalho.
  7. 7. Para conversar : Pensando nos últimos 3 anos Como estamos mobilizando recursos para nossos projetos? Que consequências esses jeito de fazer trouxe para nossas organizações? O que é comum ao grupo, a mesa? O que a gente aprendeu?
  8. 8. Como fazer? ??????????????? Algumas sugestões e cuidados.........
  9. 9. Cultivar parcerias .... Parcerias são, antes de tudo, relações sociais, relações entre pessoas.
  10. 10. A Arte de se Relacionar Ao redor de cada projeto existe uma comunidade de grupos de interessados: famílias e público atendido, lideranças comunitárias, corporativas e políticas, escolas, atores e empresários locais, governo, conselhos, apoiadores e doadores atuais, outras organizações, gangues, traficantes... Como cada grupo influencia o projeto? Que expectativas tem do projeto? Como queremos que eles influenciem o projeto? Como queremos e podemos influenciar cada grupo? Que relação precisamos estabelecer?
  11. 11. Mapa de interessados Um bom mapa de interessados pode facilitar o entendimento mais profundo sobre o posicionamento da organização e projeto na dinâmica de relações com o seu entorno. Objetivo: • Ampliar a noção sobre quem são os principais interessados na existência do projeto; • Aprofundar a compreensão sobre os seus interesses, pontos de vista e conexões; • Visualizar caminhos para fortalecer o posicionamento e sustentabilidade do projeto.
  12. 12. Mapa de Interessados 1. Listar os grupos de interessados. Lembrar também interessados com interesses antagônicos. 2. Reunir informações sobre cada grupo Atentar para aquilo que não sabe.
  13. 13. Quais são os principais interessados na existência do projeto? Famílias Quais são seus principais interesses? Como eles os explicitam e manifestam? Que imagem têm do projeto? Por quê? Como é a sua Como o projeto interação com o incorpora a sua projeto? Por influência? quê? Que influência exercem? Atendemos as demandas. Provedor de Conversamos serviços, alguem Eles solicitam e sobre eles nas Atendimento dos que pode recebem, reuniões da filhos, orientação, resolver seus participam quando equipe. capacitação, problemas. chamados. É o que Consideramos resolver Equipe sempre exigimos deles. seus interesses na problemas. pronto para Participar ou não, elaboração das Solicitam a atender mandar as crianças atividades do equipe. solicitações. ou não. projeto.
  14. 14. Mapa de Interessados 3. Posicionar os grupos no alvo conforme a proximidade na relação com o projeto (criar um código). 4. Refletir sobre o todo: Que tipos de grupos estão próximos? Que tipos estão distantes? Que tipos de relações temos nutrido? Com quem temos dificuldade de lidar? Que riscos se apresentam para a sustentabilidade do projeto? Que oportunidades? Que estratégias podemos pensar para cada grupo de interessado para fortalecer a sustentabilidade?
  15. 15. (ECO) Mapa (+) Projeto (-)
  16. 16. (ECO) Mapa
  17. 17. Parcerias Alguns elementos a considerar:  Conhecimento mútuo dos desejos, pressupostos, capacidades e insuficiências de cada ator social envolvido;  Compreensão conjunta das necessidades das pessoas para as quais os parceiros atuam;  Clareza de objetivos de cada parceiro na relação;  Condições de igualdade na relação - igualdade de poder de negociação entre as pessoas.  Capacidade de lidar com suas expectativas e com as suas diferenças.
  18. 18. Parcerias Construir parceria requer confiança e pede tempo É preciso compreender o processo de construção de parcerias...... Folhetos Rosa Capitulo 3 : Mobilizar recursos e capacidades em função da causa. Tema 5 : Tecer a delicada trama das parcerias Capitulo 2: Favorecer uma governança saudável Tema 6: Fazer um (ECO) Mapa de interessados
  19. 19. Construir uma base social de apoio Importante concentrar esforços na construção de uma base de apoiadores e dar a eles a oportunidade de investir aquilo que dispõem sejam recursos financeiros, bens e materiais, serviços voluntários ou conhecimento. COMO? Por onde começar?
  20. 20. Pensar sobre a sustentabilidade financeira Por que alguém doa recursos para sua organização /projeto? Quais as motivações?
  21. 21. Motivações:  Acreditam na missão e na causa da organização;  Têm uma boa imagem da organização e conhecem os resultados das ações realizadas e/ou admiram as lideranças da organização;  Consideram a proposta de atuação da organização inovadora e inteligente;  Estão ou estiveram envolvidos emocionalmente com uma situação semelhante àquela trabalhada pela organização;  Têm satisfação pessoal em ajudar os outros e/ou almejam prestígio e reconhecimento da sociedade;  Esperam benefícios fiscais em contrapartida às doações.
  22. 22. Desenvolver estrategias de comunicação …. Comunicação e mobilização de recursos caminham juntas, lado a lado. Se a raiz das plantas tem funções essenciais - servir como o meio de fixação ao solo e buscar nutrição, a comunicação e a mobilização de recursos podem ser consideradas as bases de sustentação das OSCs. Folhetos Rosa Capítulo 3: Mobilizar Recursos e capacidades em função da causa Tema 4: Alinhar e alinhavar comunicação e mobilização de recursos
  23. 23. Planejar a comunicação  Posicionar “a marca” da organização no mundo e manter uma comunicação permanente com os diversos  Criar mecanismos que possam dar transparência às ações e que deem notícias das ações realizadas, dos recursos investidos e dos resultados gerados;  Utilizar e comunicar os resultados das avaliações de impacto e das avaliações feitas ao longo do trabalho;
  24. 24. Construir um plano de mobilização • Como estamos hoje? • Qual o nosso objetivo? (Pizza ou pirâmide de recursos). • Quanto queremos mobilizar de recursos? Em quanto tempo? • Com quem queremos mobilizar recursos? Quais são as pessoas/grupos/organizações/empresas? • O que usar para cada um? • Como monitorar nossa evolução? Investir tempo e algum $$$
  25. 25. Do que é preciso cuidar para mobilizar recursos? Diversificar as formas de financiamento da organização, mesmo sabendo que o caminho é árduo, com a convicção de que é só a partir da mobilização de diferentes fontes que a instituição conseguirá alcançar seus objetivos.
  26. 26. Do que é preciso cuidar para mobilizar recursos? Diversificar as Fontes Segundo pesquisa da ABONG - Intitulada Sustentabilidade das ONGs no Brasil: acesso a recursos privados. As fontes que têm apresentado uma tendência crescente são empresas, institutos e fundações empresariais, recursos públicos municipais e doações de indivíduos. www.abong.org.br
  27. 27. Do que é preciso cuidar para mobilizar recursos?  Transformar o interesse e a vontade:desenvolver uma cultura de mobilização de recursos interna.  Compreender que os recursos obtidos são consequência de um trabalho institucional bem realizado.
  28. 28. Saber pedir é fundamental... Filme do TED – A Arte de Pedir Amanda Palmer https://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=qaxBckKyp80
  29. 29. Qual a origem dos recursos que sustentam as organizações hoje? (Algumas)... Doação de indivíduos Crowdfunding Empresas e/ou institutos e fundações empresariais MRC- Marketing Relacionado a Causa  Fundações e agências internacionais Fundos independentes Eventos Geração de renda própria – Empreendedorismo social Campanha capital Recursos públicos e governamentais – Marco regulatório
  30. 30. Como vencer essa corrida? http://www.idis.org.br/biblioteca/charges/corrida_obstaculos_edit.jpg/view
  31. 31. Algumas hipóteses, algumas idéias..... Encontra tempo qualificado para o assunto. Investir em comunicação institucional“marca” e comunicação para mobilizar recursos. Produzir uma política própria de mobilização de recursos. Olhar para os dadospesquisas e o que elas apontam. Aprender com quem está fazendo – Trocar sem pré-conceitos. Colaboração “ fazer juntos com outras organizações”. Usar as ferramentas do marketing a seu favor. Investir na educação de uma sociedade doadoraindivíduos PLANEJAR ...Sem perder de vista a missão! Reinventar – mudar – diminuir Ousar Criar
  32. 32. Dicas de onde encontrar recursos: ABCR- Associação Brasileira de Captadores de Recursos http://captacao.org/recursos/ ABONG – Associação Brasileira de ONGs : www.abong.org.br Plataforma do novo marco regulatório para as OSCs é um canal de diálogo e negociação com o governo federal: http://www.plataformaosc.org.br/ GIFE – Grupo de Fundações e Institutos empresariais : http://www.gife.org.br/ Instituto Filantropia : www.institutofilantropia.org.br O Movimento Arredondar é assim: você arredonda o valor da sua conta nos locais que aceitam arredondar. R$ 22,70 vira 23,00. R$ 96,99 vira R$ 97,00. Só não tem como arredondar o que já vem redondo. R$ 30,00 por exemplo. http://www.arredondar.org.br/
  33. 33. Para saber mais recomendamos ler: Folhetos Rosa Capítulo 3: Mobilizar recursos e capacidades em função da causa. Temas 1 a 6: Capitulo 5: Fazer uso inteligente do que se tem a disposição. Tema 1: Desenvolver novas maneiras de lidar com o dinheiro. Livros: Livros da Oxfam – disponível em arquivo eletrônico - Mobilizar para transformar. Capítulo 6 do livro "Desenvolvimento de iniciativas sociais” CRUZ, Célia/ ESTRAVIZ, Marcelo, Captação de Diferentes Recursos para Organizações Sem Fins Lucrativos. Coleção Gestão e Sustentabilidade: Instituto Fonte. PEREIRA, Custódio. Captação de Recursos. Conhecendo Melhor porque as pessoas contribuem. Editora Mackenzie. Manual de Fundos Públicos. ABONG. Editora Peirópolis. João Meirelles Filho e Ricardo Maluf, Mobilização de Recursos para o Terceiro Setor
  34. 34. Para saber mais recomendamos ver: Palestras TED.com - Amanda Palmer: "A arte de pedir" - Dan Pallotta: "A maneira como pensamos caridade está totalmente errada"

×